Julio severo abortos no silêncio

615 visualizações

Publicada em

Julio severo abortos no silêncio

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
615
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
294
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Julio severo abortos no silêncio

  1. 1. 1 Como algumas drogas de planejamento familiar podem causar ABORTOS NO SILÊNCIO Julio Severo “Josias tinha oito anos de idade quando se tornou rei de Judá. Ele governou trinta e um anos em Jerusalém. A mãe dele se chamava Jedida e era filha de Adaias, da cidade de Boscate. Josias fez o que agrada ao Senhor; ele seguiu o exemplo do seu antepassado, o rei Davi, e não se desviou nem para um lado nem para o outro.” (2 Reis 22:1-2) Josias foi um rei notável. Ele era tão sensível ao Espírito de Deus que, em sua vida pessoal, ele não queria deliberadamente se afastar de Deus. Entretanto, Josias estava com um problema sério. Ele e os crentes de sua nação estavam, sem saber, pecando contra Deus por ignorância. Eles estavam cometendo certos tipos de pecado porque não tinham nenhum exemplar do Livro da Lei escrito por Moisés. Tudo o que ele e os crentes de seu país sabiam sobre a Lei de Deus era o que os seus antepassados lhes haviam ensinado. No entanto, com o passar do tempo várias partes da Lei foram sendo negligenciadas e esquecidas porque os seus antepassados tinham deixado que as práticas do mundo influenciassem as suas vidas. Então quando fez 26 anos de idade, Josias passou pela maior experiência de sua vida. Enquanto o Templo do Senhor estava sendo consertado, o Livro da Lei escrito por Moisés foi achado! Quando os funcionários do governo abriram o Livro e o leram, eles ficaram pasmados. Eles o leram para o rei Josias, e ele também ficou pasmado. Josias sentiu-se mal, envergonhado e triste. Lendo o Livro ele descobriu que ele e o povo vinham pecando contra Deus sem perceber o que estavam fazendo! Por anos o coração de Josias só queria agradar ao Senhor. Mas, apesar de todo o amor que tinha por Deus, ele vinha pecando contra Deus por não o conhecer melhor! Será que a mesma coisa também poderia acontecer em nossos dias? Claro que sim. Por exemplo, um crente que ama a Deus pode, ao mesmo tempo, entender mal algum mandamento específico. Ele corre assim o risco de pecar contra Deus por ignorância. Há também o caso em que ele pode amar a Deus e entender corretamente um mandamento específico, mas não compreende bem os fatos envolvidos. O resultado é que a falta de informações poderá levá-lo a pecar contra Deus por ignorância. Um exemplo desse último tipo de situação seria uma cristã usando dispositivos e substâncias químicas que, sem ela saber, colocam em risco a vida de um bebê bem no começo de uma gravidez. É claro, nenhuma mulher evangélica teria a coragem de expor deliberadamente um bebê recém-concebido a esse tipo de perigo, pois nós evangélicos somos firmemente contra o aborto e o consideramos violação clara e deliberada do Quinto Mandamento: NÃO MATARÁS.
  2. 2. 2 Nenhuma mulher evangélica sincera pensaria em usar algo que pode abortar uma criança inocente. Apesar disso, muitas esposas cristãs usam o Dispositivo Intra-Uterino (DIU) sem saber que sua função é causar micro-abortos. Muitas cristãs também usam as modernas pílulas “anticoncepcionais” sem saber de modo adequado como esse método realmente controla a natalidade. Elas não sabem que, em parte, a função dessas pílulas é abortar um ser humano bem no começo da gravidez! Sim, você está lendo direito — as modernas pílulas “anticoncepcionais” têm como uma de suas funções causar “abortos no silêncio” de seres humanos já concebidos. Para compreendermos com clareza a seriedade dessa questão, vamos estudar como o ser humano começa a existir. QUANDO COMEÇA A VIDA HUMANA? As feministas afirmam que ninguém sabe a resposta para essa pergunta. Seus motivos são óbvios: elas reivindicam o direito legal ao aborto. Nos EUA, onde elas conseguiram o que queriam, o aborto é legal e livre durante os 9 meses de gravidez de uma mulher. Anualmente, mais de 1 milhão de bebês em gestação são mortos em hospitais e clínicas dos EUA. Alguns chegam a ser deliberadamente mortos apenas poucas horas antes do parto! Embora algumas feministas insistam em que não se sabe quando começa a vida, uma pesquisa honesta dos fatos bíblicos e científicos revelará as respostas corretas para essa questão. Quando lemos a Bíblia, vemos que os bebês em gestação são sempre considerados como seres humanos reais. Eles são tratados como seres humanos desde o momento da concepção (fertilização), como bem podemos ver no Salmo 51:5: “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.” É também fácil ver que a Bíblia jamais considera os bebês no útero como “coisas” que se transformam em seres humanos em alguma determinada fase de seu desenvolvimento. A Palavra de Deus declara que os bebês em gestação têm personalidade, inteligência, emoções e valor aos olhos de Deus. A Bíblia mostra que Deus em pessoa os observa e cuida deles em seu desenvolvimento na barriga de suas mães: “E Isaque orou muito ao Senhor em favor de sua esposa, pois ela não podia ter filhos. E o Senhor ouviu a oração dele, e sua esposa Rebeca ficou grávida. Os bebês lutavam um com o outro dentro dela, e ela disse: Por que está me acontecendo isso? E ela foi perguntar ao Senhor. O Senhor lhe respondeu: No seu ventre há duas nações, e os dois povos que estão dentro de você se separarão. Um será mais forte do que o outro, e o mais velho será dominado pelo mais jovem.” (Gênesis 25:21-23) “Se alguns homens que estiverem brigando ferirem uma mulher grávida, e ela der a luz antes do tempo, porém não houver danos graves, aquele que feriu será obrigado a pagar o que o marido dela exigir, de acordo com o que os juizes determinarem. Mas se houver danos graves, o castigo será vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé, queimadura por queimadura, ferimento por ferimento, machucado por machucado.” (Êxodo 21:22-25)
  3. 3. 3 “Tu criaste cada parte do meu corpo; tu me formaste na barriga da minha mãe. Eu te louvo porque fui formado de um modo espantoso e todo maravilhoso. Tudo o que fazes é maravilhoso, e eu sei disso muito bem. Tu viste quando os meus ossos estavam sendo formados, quando eu estava sendo formado na barriga de minha mãe, crescendo ali em segredo. Teus olhos me viram quando o meu corpo ainda não tinha forma, e os dias que foram preparados para minha vida foram todos escritos no teu livro quando nenhum deles existia.” (Salmo 139:13-16) “Nações distantes, escutem o que eu, o servo de Deus, estou dizendo; prestem atenção, todos os povos do mundo! O Senhor me chamou quando eu estava no útero. Eu ainda estava dentro do corpo da minha mãe quando ele me chamou pelo nome.” (Isaias 49:1) “0 Senhor me disse: Antes que eu formasse você no ventre eu o conheci, e antes que você saísse de útero eu o escolhi para ser o meu profeta para as nações.” (Jeremias 1:4-5) “0 nascimento de Jesus Cristo foi assim: Maria, a sua mãe, ia se casar com José. Mas antes do casamento ela ficou grávida pelo Espírito Santo.” (Mateus 1:18) “E aconteceu que, quando Isabel ouviu a saudação de Maria, o bebê saltou em seu ventre, e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.” (Lucas 1:41) “[Isabel disse para Maria:] Logo que ouvi você me cumprimentar, a criancinha saltou de alegria dentro da minha barriga.” (Lucas 1:44)1 Os cientistas honestos também sabem que a vida humana começa na concepção (fertilização). Num excelente livro intitulado A Posição da Ciência Moderna sobre o Começo da Vida Humana, lemos a seguinte explicação: Quando a sua vida começou? Só se pode conseguir uma resposta a essa pergunta voltando no tempo. Antes de você se tornar adulto, você era um adolescente. Antes disso você era uma criança e antes disso você era um bebê. Antes de ser bebê — isto é, antes de nascer — você era um feto, e antes disso um embrião. Antes de ser embrião (mais ou menos no tempo de sua implantação), você era um blastócito. Antes disso você era uma mórula, e antes disso um zigoto ou óvulo fertilizado. Portanto, sua vida começou quando o núcleo do espermatozóide do seu pai se uniu com o núcleo do óvulo de sua mãe, isto é, sua vida começou na fertilização.2 Portanto, examinando a Bíblia e a ciência com honestidade, chega-se à conclusão óbvia: a vida humana começa na concepção. A concepção, ou fertilização, ocorre quando o espermatozóide se encontra com o óvulo nas trompas. Essa união acontece minutos depois de uma relação sexual. Então o bebê recém-concebido nida (“viaja”) até à camada do útero para se implantar. Como ele é muito pequeno, essa “viagem” leva aproximadamente seis dias. Assim, a implantação ocorre quase uma semana após a concepção.3 1 A palavra grega usada aqui em Lucas 1:44 para descrever uma criancinha no útero é “brefos.” Essa mesma palavra é também usada em Lucas 2:12 para se referir a um bebê recém-nascido e em 2 Timóteo 3:15 referindo-se a uma criança. 2 The Position of Modern Science on the Beginning of Human Life, copyright 1975, Scientists for Life, Inc.), pág. 15. 3 Complete Book of Baby & Child Care (The Focus on the Family Physicians Resource Council, U.S.A.: Colorado Springs, EUA, 1997), p. 4.
  4. 4. 4 Deus criou a vida humana (Gênesis 1:26-27) e essa vida humana recebeu de Deus a capacidade de se multiplicar (Gênesis 1:28). Quando o espermatozóide vivo do pai se une com o óvulo vivo da mãe, uma nova criatura humana começa a existir. Ainda que esse ser humano seja muito pequeno (mais pequeno que o ponto final deste parágrafo), ele ou ela é realmente um ser humano completamente diferente de todos as outras pessoas e possui um código genético diferente do código de seus pais. Deus declara claramente em Êxodo 20:13 que ninguém tem permissão de matar uma vida inocente. Ele não aprova o assassinato de nenhum ser humano inocente, quer já tenha nascido, quer ainda esteja se desenvolvendo na barriga da mãe. É errado permitir o assassinato de um bebê 8 meses após a concepção. É também errado permitir o assassinato de um bebê 1 minuto após a concepção. DE QUE MANEIRA ALGUNS MÉTODOS DE CONTROLE DA NATALIDADE COLOCAM EM RISCO A VIDA DE UM BEBÊ NO COMEÇO DE UMA GRAVIDEZ? A resposta a essa pergunta encontra-se nas informações a seguir, traduzidas integralmente do Glossary of Abortifacients. Esse documento foi originalmente publicado pela organização evangélica Concerned Women for America4 , presidida pela Dra. Beverly LaHaye. Ela é autora, juntamente com seu marido Tim LaHaye, de O Ato Conjugal, um dos livros mais vendidos da Editora Betânia. GLOSSÁRIO DE ABORTIVOS  ¢¡¤£¦¥¨§©¡§¤¥¨§ !#$©%' (©0)213¡¤£4¥5$678§ 9¤©%¢¡¤)$@BA8§©%C D§E£FDG$ HA8IE£P©% Q#RTS$U$V WYXa`$bdcfe%gV WYX#`higVE`WV¤c VEpqSaR rtsEu vxw yE€‚tyE ƒ…„†w‡ˆy‰‘w ‚“’”‡•‚t–—€™˜ dtegf•h i jlkmon pEqFp rtsqFp u8vwkxy z$y r{vua| u8rt}~a€ƒ‚ „ uz8p rvu¤…q‡†0kˆ‚pE‚Enk¤|¨y‰u¤qFŠ$yE‚†B‹Œy „ uŽak p u3pEqFp vŒ†%y…k¤| zu8vwkE|¨p‚wtu‘Žak p’z8p rv¢qFpq“E†%y”•‚EkE|¨y…mo†%r–Py’vu#|—xmp2PyE”˜u8r™xqFu8zak2Pu riz8p š›BœE žŸPœ¤ ¨žE2¡P¢ £3œ¤ ƒ¤—›o¤¥œa¦¨§#©ž š¦F¢ª8¢8«œ¤  œ¬q¢¤¦‘¡P¢®­°¯w¡t± ¢E²°³®´fµ «¢# —š$¤0›B¢a© ©¤  ¶#›B¢$··¸E¦ ¤%¢¹§a© žG¤0 «w›o©E¤•¢8·ºš¦T¢$»a©2¡P¢8·HœE¬q¢¤¦‘¡¼¤Bª8¢8·¢²¨Ÿ½©Ew¡Pœ¤ ¨žE2¡Pž¾«¢a  ·¢© œ¾»ž ·«w¦P¤¿± ¢E² žq£3ž¤ ¡t¢8·À«¢a›Bœ2¡tžE¦Tœ¤¤·ÀžÁ£‘œq¡4¢¤¦Fž ·À»$žˆ¦‡¤%·«¢¤²ÂšqœE¦Fœƒ¢Ã¬qžE žq£TÄ¥«w¤%¢—»¢Ã›Bž¤B¡t¢¤¦Å­ Æ 'LVSRVLWLYR ,QWUD XWHULQR ',8
  5. 5. ÇÉȔÊ4ËiÌ{ͤÎÐÏqÑ ÒaÍ ÑEÓ ÔYÕ¤Ö%×¢ÏÔ8×wÖ Ø½ÖBÙ8ÔYÕ$ÑÃÏÚ%Û ×–Ø½Ö%ÜÔYѤιÝ3Ô¤Þ4ΨßfÕѨà®áÂÜÔ¤Ó2ØPÑEÓ Õ$ÔYÜÔ¤â$ÞFÑ•Ô¤Í ÏÞTÔ$ã$Ñ ×–ØPÑEÞFÔ¤Óßá äåaæ çæéèëêoì åíè‡ê%åïîð‰ñ$òó ô–õ½ê%äåöôåa÷$øFð ô™ôùê0ìîågúüûïê0ì ôðaø‡ê%îåì åý2õPðEøFåtð ôðEçƒå¤÷™þtð2õ¼êBÿ8å¡ —äùEç ôùEøùE÷qå¤ø‘õPå{÷qð¤æ¨ì åˆêo죢¥äwê%åfîù¥¤#øTùqÿ¤ê%î𧦠ú 4 Visite o site de Concerned Women for America: www.cwfa.org 5 ¨©© !©$#%('))01 )32 ©5467©18@9155A$!3B)9CD2EFG©CD1 HG2 FG©$2 FI1@PEHGQ© R S@TU@V WXX5Y ` abY$cedfU gXhIipWY5qrYcrgsptphGUXiuTtX v wxy€‚„ƒ…I†‡ˆ ƒ …Iƒ†5‰7ƒ£†’‘Gƒ@”“•–)†3ˆ)—D˜@‡ †™d…G†@D†e•fg@‡b‰s•…G†5˜†5‰hiej£kmlGnEipoqrEsGq5h@jut)hvw7q)sGxkyz
  6. 6. 5 {}|}~|€‚„ƒ3…£†p|}ƒ‡‰ˆ ŠŒ‹bfŽ§‘m’”“D’–•˜—@™›šœžŽŸ‹) ¢¡£¤¡f¥¦¡m§©¨ª¡f¥b«m“D«m§¬“£’–­¯®«f¥b’”«œ£¡¨§«m“5œ¥°¡ œ£±¨£ r¡fŽŸ®)¡m‘m’²“D’²«5£±³D¥œ¢m’µ´ff£¤¡fŽm’·¶£œ¢¶’’µŽm¡›¸‘¡5£¹¡m“£¡·“£’µ­¯®)«f¥b’fº»¡f³Ÿ’5¥G®)¡ Žm“D’²¡m§¼§½œ£ ¾5¿¤ÀÁE¯Ã)ÄrÀfŧƑÀ¥Ç5¿ÉÈDÇmÊÌË)ÀmƼÍmÎÏÑУÇÒ¾5¿¤À¥Ê‘Ç5¿¹ÀfÅmÀ¥Ð£Ç¤Ó5ÄrÐDÀÔ Õ ÖD×@؄ٞÚÛeÜÞݧÛ}ßpà5ÚØâáàãÙeÜäØå×@à5ÚۉáØÜÞæâØçáÌÙÜmݧۂè é§ê½ë§ìmê¯í¤î’êðïñí¤ìfòmó½ô§ìmêöõ”÷£øbìfòŸù)ïúìmê û£üýeþ¤ÿ£ýžü¡ £¢¤¢‘ÿ5þ¥ §¦¨ £¢© fû¢©  ý¦£¢‘ÿfü£ !#5ü%$)ÿ!¡')(0 þ¹ÿ§¦£¢1$ü2(¨ §'£34”þ57698A@CBDÿD34FEDübÿG !H'I(¨0µþ¹ÿ§¦£¢1$ü2(¨ §' þP 5ýQ¢R!üS £34T34”þ U6V8W@XBDÿ ûDüSYDÿ£¢1$)ÿfüS ¦£ `aBb5üP¦¨ £¢734¢1$c £¢£aBb5ü dfebgSh§iqpcrshst¨uGeGvQh£w4x£t€y‚ƒi„%r£…w4x£t‡†ˆ§v uG‰…4h‘Fe£r’†¨t“d“r’vQruh§g•”sr£–1pcr§g2ƒv‰d“hdbr`y—†¨r§i¨rqp˜gSh£wx¨t dbtGvQtGgSt–4h™dbtedVfWghi¨hi†¨h§gSr£d“r™d“tijqpcr§gSt y†¨r§g%„HebgSh£wx£tkd“hl†h§gSr£dbrmeqp2r§gc)i£hbno…tGvQtUd“t jqpcr§gStptGe‘q¨rr§Qsbh`y‚vQr£–tr£–¥i£tp…4tFgh£wx£t`yupct£rb‰…vwdbh£dbrDd“rD…4tFq“gSryx z“{£|¨}G~€Dzb|‚¤ƒ)„I…†{£} ‡‚ˆ§‰ Š ‹ŒŠ§‹¨Š§‹£GŽ¥Š§‹ ˆy‘“ˆ’”“G•S–“—£ˆ“’¨˜ §‹¨ŠGŽ™‰ ˜•ˆ7š“•¡ˆ“’4’ Š –F‰ ™ƒŽ›Š§‹q ˆy‘  –f• £Œb™ ‘ Š¨œuž ‰ Š šˆ‘ Š ŸQ ¡¢§£¤¢’¥G¦¨§£¢£©4ªv«¬¦¥ §§­c®‡¯“£S G¦¥¢q­˜¥§£®G°±¢§²¨®G£%­c®R £©v¯¨®G§­2³§§¨ £®§°u §§£´“®F¦¥ q­W£c«‰®© b°±µf£S¢¨¡G«‰´“ ¨¶  £ª1­c·G¯“«Qª¢ ¸ ¹cºF»¨¼b½¾º¿½GÀÂÁ“ÃcĉţºÇƧÈGÀ›É§»£ºËÊ4½hĬÀD̓ÍQɧ»qÎ2ÉÇ»¨É£Ê™Î˜ÃSºFÀÂÌÉ£ÊvÏy̺“¼“½§»£¼“ºËʀ½bà Ð#ÉqÎcÉGÍIѤºGÈɧÁ¨ºGÃ%ÎcºDÊ4ҧ̐ΘÄwÓº Ô Õ×Ö¥ØGÙ%ÚcÛÂܓÝ7Þߐ٠àQݧá£âÝÂÛGÖ5ã“Û£ä1ÚcÝ£âå£ØGæ•ß4ݧç£äݣܓݑèØGÙ¤à)áqé#Û£ß4âå¨Ø êfë¨ì‡íîïbìbðñ€îFò¥î‘ñîGó£ô€ì£êfõ¨ö§ó£ñ†÷‰øbðúùcì§ûAòÂ÷)ó£ø§û¤ìGòýü%ì§þbûSì‘ø§ÿ ùcø‘ìyîGëqù˜ûSø£ô”ñîFòÂí“ÿ÷‰ñø¡ £¢“ì£ô¥¤§¦ ¨¡©¨!#%$©¡')(¡1023¨4$5#1¡687@9!AB6DCFE¡©¨%')¡6G6)©%HIPQR©¨S$©8$5#¨¡64UTV6£6XW`Ya©TV6Xbc d@e 7@9gf 1RUSODQW®h iqprts!u`vwSx ® y p3wI€4V€§xt‚wƒ„ …BrtƒsIp‡†‚ˆ€)‚V€‰avr#v¡€G‘’Qw¡v¡€“†!‚”su`•¡€–x5 y p— y v¡†vƒ„Rv ˜R™¡deQf¡d!gihBjlknmS˜ d!™om2g3˜qprset˜R™fSugvwm4xI™eVy¡zcd™h!{|˜}~d™`™%€agfIg3rF}™¡z§urF™ ‚ ƒ…„ †5‡ˆR‰ ŠB‹FŒ! ‰ Š!ŒˆŽQ‘%Œ’Š ‰ ‘!‹#Œa“¡”§Žt“‹FŒ3• ‰!––—˜ ”)” ‰ ”G™ ‰ ‹ ‰ ”“”)š¡Œ” ˆ ‘!› ‰ •SŽ ‰ Š ‰ ”XœU• ‰ˆ Œ‹ ˆR‰ Ša“ ›`“¡ž ‡ “œŸ•¡Œ¡ ‹ ‰¡¢ ŒqŠ ‰£ˆ¤‡ ›¦¥¡“‹g“§Š ‡ ‹ ‰ˆ¨‰ ‘ ‹#ŒI© ˆR‰ Š ‰ˆ “•4Žt“§ªX¦•¡ª)Œ ‰ •¡Œ!” — «­¬­®¯¬G°²±Ÿ³µ´¶·¬Ÿ³¹¸­º »½¼ Œ‹t‘!› ‰ •SŽ ® Ž“ ˆ Ž5‹#¾¡” ’‡ • ¢£¿ “¡” —@À ‹ ˆ “Q‹ ‰ œÁ” ‡ ‘‹ ˆ “ ‰ ŒI™ ‡ › ‰¡¢ š¡Œ “ ˆ ‘I“›`Œ ˆ “•¡Œa” ˆ “SŽ ‰ Š“iŠŒa”ª¥Vª4›ÃŒ!” ˆ “•¡”–Ž5‹ ‡I‰ V”ÄŠ ‰ ” ˆq‡ ›¦¥I“‹#“¡” —ÆÅlj ” ‰ ŒI™ ‡ › ‰¡¢ š¡Œ ÈÉQÊ¡Ë!ÈÄÌaÍ)ÌÎtÎ#ÏÄÏÐÑÈSÒtÓ¯Ô­ÕÂÖ%ÌÎ×Í)ÏÊ4ÒtÌØË!È¡Ù£ÐqÚۦܡÏÎFÏ¡Ù¡Ý Þ’Þ ß¹Ï¡à3ÚÊ¡Ë!ÈáâÏÊIàBÎãÌaÙ)Ù)ÈÄ̐ÐqÚIÍ£Ì ËÌäÍ)ÌÛ`ÌäË!Ì å4ÒtÏÎFÌá@ÉtÐqÖ%Ï¡Ë3ÉQÊIËÌäÌäÏ¡Ù4Ö%ÏÎæÐRÈSÒÌ¡ç)èÉVË!Ï¡ËÏ¡Í4ÜIÏ¡àÈÎéÈ¡ê3Ú¡ÈÛVê3Ú¡ÏÎéèIëÚÛ`Ì£ê3Ú¡Ï ì ÌΈÖÎFÌ!Ë3ÚIçXÉVË!ÌíÝcîBÏÎ#Í)ÏaÉQÎ#ÈáGÙ)ÏïÈ¡ÙðÖ!ÎÉtÐRÏɦÎ#È¡ÙñË3Ú¡È¡ÙòÈ¡ó£ô¡Ï¡Ù ì ÈÛ¦ÜIÈÐqá~Ì õqÌÎtÖÛÃÈÊSÒ ® ÉtÐqÖ%Ï¡ËÏcÌ¡Ë!Ï¡Ù)ÏÊSëaÌÛ ëÉöÐRÏÊ4ÒtÌ¡Ë!ÌcÏÊ¡Ë!Ì3ÐRÓSÒ5ÎÉVÌ¡ÌÚcÍ)ÈÐÈ¡ËÈcËaÌÂåSÒÏÎ#̵Ýø÷gÏqÈ¡Í)ÌÎ#Ë!ÌcÍ)ÌÐ ù úøûüSý5þ#ù ÿ¡ þ¢    ú­þ¤£¥ §¦©¨¡ù !û 2û£ û ¥ùÃý £¥!© § 3û ÿþFù#%$Sý£('§ § ) 021¡32451¡6 758§6 9A@CB2DFEHGPI#QSRUTWVX@ YS`2a b cHdHegfihqp rts%u§vxwyuP€‚„ƒ…‡†Pˆ#‰¥X§‘©’§ƒ„”“5–•Hƒ…˜—ƒ„P™¡ƒ…5d¤ƒye¥v§†Pegf r ˆ§v§hih©jd¤vP…¢kiv‰g…¢l§‘i’§ƒrmƒonAƒ…qp#e¥Pˆrd ® ks…¤‰tuP€ €u™#‰vPˆrd¤v„v¡ƒ#hwd‰iexp–%…yzy{¢kS…¤‰Pˆ¡‘©lv€ †v§hwd¤§‘©’§ƒ|~}p¡ƒ…5d¤PˆsdqƒPr€ks…¤‰gPˆ¡‘©w‚P™–ƒ…5d¤§—2ƒ „‡… †S‡Pˆy‡‰ˆ¢Š§‹SŒuŽgˆq‘¡’H‹u“ˆqŽ”‚ŠŽ•ˆ¢’H‹‚‡P§’H‹S ‡u‹SŒ “#ˆ¢Š§‹©‹i–§’˜—‡™’¡šŒP›(‡#œi–§’˜™’˜Š–ž‡ŠŽ Ÿq’“ˆ¤Ž•§ sŽg“–‡›¢¡¤£¥’™Ÿ¤ŠPˆ¢ ©ŠŽgˆy’˜‡§’˜¦%ŒŽgsŸF’˜‡P¡’P§’¨Š–ž‡ŠŽ Ÿq’ “ˆ©Žg§ sŽ•“¡‡›–ª“#ˆ¢’¡šH’H ©‡Pˆ€‡«¡’ˆ5Ÿ¤’¬¡ ­#®¯A°g±³²¤´¶µ¡²¥·¢¸±³¯A¹ ¸A°”´º¯»®¸±³²€¹¼¯½´¶¾§¯¿¹À°”´§µ¡²xÁ £¥Š§‹i ©’–ž5’ˆ5Ÿ¤’¡’›¥’H i‡P›Ã—#’ÂŽgu“P›¥‡PsŸ¤Š2Ä —%Ž ž©Ž SŒ›—‡§—#ŠÅ¡‡Æˆ¢Š‚’Hœi–§’¤ÄNji‡P§È%ˆ¢‡‚ŠPsŸq’ƍ‚ŠP§‹wŸ ˆ¤Œ§‡P›ÉŽgˆ¤ˆ¢Š§È½ŒP›¥‡Pˆq˜Ž•§ r›gŒ¡‹SŽ(šHŠ„‡PŒ%‚ŠPsŸq’ — Š”‹i‡P§È%ˆ¢‡‚ŠPrŸ¤’¬Äʍ¨Œ§—#‡P§œ©‡§‹j§‡o“ˆyŠ§‹©‹©–§’x‡PˆUŸ¤ŠPˆ¤Ž¥‡%›”Ä‚ˆqŽ‹i ©’x—Š”‡rŸ¤‡§¦½Œ§Šx—#’x ©’ˆ¢‡§œ©–§’%Ä 6 ËgÌ~͢νÏÑÐyÒÔӕդ֩ÒgÎÓ”× ÐØάÙ~ΩÚF×ÛÜÎFÝË ÞXß³à©áãâØäFåæ ç¢è¼åwéêqë¤ìÜäFåæ í¢è î•ï¬ð©ñ¢ò¤ó ôØõ©öi÷Fô¤øqùSú û©úgü¼ýÀþÿ¡ ió¢5ðFô%û³÷ £ £ ÿ©õ¤ÿ%÷¥¤§¦©¨yñÜögÿ©ö ió¢Øóð¼ô¢ñ§ðFô¡ !¡# ! $% '()'1032546487¥9A@ 7 BDC %E §@ 8 BDC %E §@ 9 FAGH I6PIQSR G¥TAUQVG6W X`YbacYP adY¥e GgfI6QhadI¡PG6XifY TcpGGPrq TAG egs Pbp s QVUDfdtI¡PUQuI6W6v s W WT xwSI6QyacY6P €r€G YQVT¥ 10 ‚„ƒ… †r‡‰ˆ  ‘1’5“ ”–•`—˜d™efbgh1i™kj3e l m¥gonu—pnSq6grr l s s t ˜¡mouvnSqdg¥h3whexd™ yhz¡{}|¥~~S€¡u‚6ƒ¡„`…©†6…3‡kˆ)‰ Š|¡‹bŒ‰ ~ˆgŒ„ˆ¥|¥Ž¡¥ˆdƒ`yŠA{)€¡‘5ˆ¡“’5”d”• –—ƒ˜™8š› 11 œDdž Ÿ§  ¡¢£6¤§  12 ¥„¦`§¨h© ª« 6¬­ ® ®6¯i°5±b²§±³µ´i¶¡·¸¥±¹3º ·o»`º ¹¼°d½`¾¡·¼D¹u¾6¿ ÀVÁÃÂ)Äo¶ Å°dº ·¸¥¼)¾¡· ÀÆ´vÇ ½3Ç)®8½`¾·5È1±6¹É·±¥ÊoÄb¾¡Ëk±¡·cÌS¾¡¹§ÍÎËd±6¹)º ÈA¶6À3ύÐ6ÐÑ¥Ò1Ç
  7. 7. 6 Ó3ÔÖÕØ×pÙdÚÛÔÝÜ3ÞdßØ×pàká}ßØâØÔbãäӓåÛÜÆæ ÔÖÜçßØÔèÔxéÖÕdê¥åÔbãäëcÔdê5âØÜìëcâíÓ3ÞdîïâØð3ÞñãòÞdÙróôâdßÃæ ÔèëkâöõïâØÜ3Ôpã ó÷ÙØëkÞdßØðÞØÜøêâdõïâdß©æ¡å}ßxÞØÜùëcâúæ âró÷õïâdêÞróôâdß©æ Ôdûüõ©âdêëkÞòëcÔýëcâØÜÎâ3þ ÔýÜâïÿrÙØÞkÚñâýëkâdõkêâØÜ3Ü¡ ØÔñã Ó3âØ×pÙØâcå}ê5Þñã ¢¤£ ¥§¦§¨©§©¥ ¨¥§§! $#%'§() 021%354¡0 6798@0BADCFE$1GIH$3§8¤P2021RQS1TA0UG H$V§61W3$EXGYE$`RH$3XGaP23§8b79Qdce3§H1$GYf3§8gAE7hQ 73XGY1¡3eQS021if0 pd0 8qQSf01GY`T8r3$1W`RQsA3§H70t3Fu$`W3$1W1vQwP20xfe3 C3§pw0yG€QsHF‚pSE AE$ƒW„$0…fe0…`W0 pd0†f0ˆ‡T73§8@0UG ‰‘ ’“ ”@•$–I—$“™˜•ed eq“Ufx•$–R˜g$–Th“$–IiTeq•§”‚ds—$“2–Rjk• •Fl2mW•$–¡–Rdwn$“–o–Rdp—e“Bhg$–t’•rqs•§—$–Wt$“vu”rw x y{z§|}~9€q$‚§ƒ…„ †ˆ‡ |z§|§‰§§Š‚Œ‹€@F~z$ŽW$‘W |T~’€r‚“‚$} ”–•e— }˜Bš™œ› ”–•– ,PSODQRQ™ž9ŸD ¡d¢§£$¤ £ ™ ¥ ¦ Ÿ ¢§§F¤ ¨¤©hªw«2¤­¬ ¦$®¯¥ ª°Ÿk §¡S¢ £©¢$±¤²± ® §¢§ªw³2¤±e¢   ® ¡ ®e´¶µ ª°ŸDª°¡S¢§¨Œ¢$¤ ·¸¤ ¨q ¡d¢§£© ´ ® ¹º$»½¼s¾¿†À¡ÁB»RÃS»Ä¿Å¿ ¹ ¾§¹ºÇÆÂeÃSÀ¡º…È2º§É@ºeÊÌË¿ˆÍιD¹ φÐ%À¹iÊѼB¾$¿ ÀWÁ ÂÄÒ ¹ ¿Ä‚Á Â$Á2Ó¿$»ÔÄ9Ér¿§ÕU¿ÖÒÖ¿§ÂÈ2Á Õ È ÃS˺×Âe¾ ¹­ÄhðØÁ¶Ëe¿‘ØÕdÙ$»ÔÄhÃSÀ¡ÁyÚ Û¤Ü ÝF»ÔÄÙÖ»¡¿§ÂËeÁrÄq¿$»ĺ$ËÁ Þߧàwákß âDÞã@ß$ä¡ákåæã@ç§á§èé èiêeßìë¸éí2áïîߧã@ä¡ßFðUñ òœóœôtó õ÷ö¸øXù§úûóüøXýœþ åÿ9âkÞeàdá§èé è ™  ¢¡ éBâDÞá§ã¤£Fí$ߧà á$é ë¸é ãqÞàdá§è¦¥ ® ß â 䦧$á ᩨ$éyñ ߤ¡ áïè$é2äšÞãûâß sã@é2ä!¥’ã#$ä˜á§è$é2äñ $ õ%¸ú(' ó0) ùó21ûý3'4%659ý¸ú7)8%ˆõhý3' ó259%@)BA0%C5Ôú7)$ùó þ DFEHGIQPSR©TVUXW3Y(`aPSRFIQP bdcfehgWSR©ipGrqsPBehgP t t#P3`aGuwv xY yWS€‚Gwi PƒqsPSt„i3U†…¤‡XT¦UˆY0YyGwTWSY‰UX‘WSt’P©qsqW”“ R UXTW•uwWSt¤WdG@t’TWSg©qsWƒipG–qsPSg—IQW3`aWSR ˜G P©e@g©PSRGSb•` UX™@t#W©dse©GfiSGgYyGwTsW3YhipWgU‰R©qsPStfdse©GiUˆRpUXT¦UXW3Y‰bjipP©qsPSRFuwG3Yu3U7`aPSR¦IGfipPfipPSR©qW©q …¤U‰kSt#W©qlW©G–t#P©ipG@tmi WjuwW3t¤W bnUˆ`o YyWSRFIQPp t#G…qg R©ipG•i PSkW U†rwGsipW–P3YyP bt™@t#WSRwipP—ehgWSRFIUuipW©i P v wox y3z#v@{Sz#|o}¦{S~¦{¦€QS‚©w©|—y3{pƒ‰‚©w„3…wSzƒX†S‚©VƒX|sF‡‰ˆ7‚pƒXs|p‚©|pƒ(‚©}wSz#Šs‹©yŒŽ ’‘ “HwS‡Xyo”’|F€Qysv w—•@{©w }swS{}—€Qw}–€Qw©}sw©}—€Q‹©y˜w3™ |S‚©vp|3™awS‚¦€ySšh‚©|©v |˜}w›}|S~w›|©wSzfs|˜vpy©}•w”œw ƒ€yw}•sy3‡y|F€QwSz#| ƒy}Hš ”œ|F€Qy3z#w©}vpw•zqƒX}syowjw”œw ƒ†€Qyw}v ws‡yy3‚©xpyƒ…pz#|syovpy•ž9™o…p‡y|S‚©y3‚hŒ™ 'HSR3URYHUD® GHSRW PHGUR[SURJHVWHURQH DFHWDWH RX '03$
  8. 8. Ÿ¡ S¢£ ¤ ¥¦#£§w S¦#¨ ® © ª «a¬ ­ ®f¯p°p±©²—³´(µ¬ ¶ ± ·X¯3µ©°p¬ ¬©¸s¹©¯ º¼»¯3®½«a¾3µ ´u¯ ¿œ¬SÀp®Q´XÁ¬©¶ ¯SÂ9à ÄÆÅÇ©ÈÊÉoˉÌSËX͗Î9Ï#Ç©ÈpǛÐÑ3ÏÓÒ3ÉÔǔË(ÌsÕQÖ©×sØ©ÑdÈpÖÚÙÛwÜÝÉßޛÈpÖàÇ©ásÖFÎQÇFÎQÑdÈp֘ÉaÖ©È@Ï#Ñâã3ÐpÏ#ÑwÞ Ö©Í–ÎQÖSÏ#Ñ3ÌÇ ÌSÒSÉCÉåä©ÍsáHÒSæyÑåÇoáÇ©È ÇßÎ4Ïfç©ÍßÉaÖ©ÍsÖ©Íè é¡ê¡ë–êdìîí6ïhðSñ7ê¡ïò¡ó ô Ö ÉaÖSæ‰õ©ÇSÌ ÎQÖsǩєötÑ@ÏQÐ æyÇȘμ÷® Çàø¡ÖSÐÑ ù úÏ#ÑûwÖSÏfÇ ® ü ÒSÌáHËXÑ3Ì©ÇsÈpÖåÎ9Ï#ç©Í ÉaÇSÌ©Ö Ë‰Ï#Ç©Í©èmúÏˈÉaÖSË(Ï#ÇS÷„Ë7ÉoÐÖ©È ÖpǖÑû3ÒSæ†Ç©×sةэè ô Ö©Þ@ÒSÌ©ÈpÇ ÷„ÐÑwÈpÖ ü Çý‘ÖSÏþásÑ@É ÿhÒ֖јÉoÒáÑ È Ñ áÑ3æyÑ È Ñ ä¦ÎQÖSÏ#ÑrÉoÒ©ÈpÖ ÷jË7ÉoÐÖ©È@Ë(Ì©ÈpÑ ÿ@Ò©Ö Ñ Ö©ÍHÐÖSϽÉßÇFÎÑ©ý ¡ ËyÈ Ö ÖȘÎ9Ï#ÖBÌ©Ñ áÑ3æyÑ È Ñ äFÎQÖSÏ#э裢hÖSÏ#á Ö Ë(Ï#Ç ÷aÐÑwÈ Ö Ë(ÏÏËÎÇ3ÏjÇ ásÇ3ÉßÇ©È Ç ÈpÑ8ä¦ÎÖSÏfÑ ÈpÖ ÎQÇSæ ÉaÑwÈ Ñ¢ÿ ÒÖ Ñ¢Ö3É¥¤ ÏQËyØ©Ñ õSÒSÉaÇSÌ©ÑS÷lÑ3Ò§¦fá¦ÏQËyÇSÌ©×sÇ¢Ö3É Þp֩͗ÎQÇ©×sØ©Ñ©¨÷aÌ©Ø©Ñ ásÑ3ÌÍHËXÞpÇ ÍsÖ Ë7ÉoÐSæ†ÇSÌFÎQÇSÏ•Ì©Ç ÐÇSÏfÖ©È Ö ÈpÑ äFÎQÖSÏ#ÑS÷ÍsÖSÌÈ ÑåÇ©ÍsÍVËˆÉ Ç¤Ñ3ϒÎQÇ©È Ñè ì ñ4ê˜ðê7ò© !9ò ñ#$ ìò©îê%!(')0!—ñ1©ðêmó ô ÇSÌ©Þ@Ï#Ç3ÉaÖȘÎÑ ÖâwáÖ©ÍsÍVˆûwÑ32 Ö͗ÎQÖSÏQˈæ‰ËXÈpÇ©È Ö ÎQÖ3ÉoÐÑ3Ï54SÏqËXÇ Ñ3Ò ÐÖSϽÉaÇSÌÖSÌFÎQÖ62ßÈ ÇSÌÑ©Í ÐÑÎqÖSÌ©áVËXÇ ËXÍ Ç©ÑpÍ ü ÒFÎ9ÒSÏ#ÑwÍ ü ˈæ‰õ©ÑwÍ72ßÇSÒ3ÉßÖ ÌFÎQÑ Ì©Ñ 13 8@9BACDEGFIHQP7RBSUTWV HF#X`YabR5c ®Ted1fca`ghghHFIASiGpeqpsrtDFuCvwabR3xwCghDxyDBa`€b9BDBS‚„ƒbƒ…B†w‡14 TyVGHF1XBYabR5c ® qcWˆ5DV‰DQP‘’abRQ€BDF”“•R–EGCFhcWˆ˜—GHR5c•F™HbYTd‡15 e’fbg#h5iQjbki`l”fmnok pqUrdr@is„lufhQrdi©fhQtu„igvrdis„l#wxh„y x`zs{Gxg1sBmfh„l ® |‚}˜~5€3 ‚@ƒ„™‚†…©‡‰ˆb3‰5„vˆ5Š5…‚@Šw~B‹UU‡|U‹IŒ UŽ‘`’“5”•’–3—„˜‘™–’ š›œ š˜‘–‘–b’–‘ žŸ  ¡¢£G¤Qž’¥§¦bž”¨ ©ª ¬«@­®¯‚°`±B² ³ ´„µb¶·G¸‘¹Bº`»¼`½¾¿•À@¹B½¾¼Á™º`ÃÄ¿˜Å¿Q½Æ Âu¾Çy»•¾¿„¼–ȼQÉ`¼ÂIÊ¿`·UË#Ì)ÍQÅQ»Î¾Ç†ÏGºÂ1ÐBÑÅ¿„» ®Ò@ÓÔ1Õ֙×`ØhØIÙڙÛÜbÝGÞeßނàtáÚuâãw×ä–å¬âØIá6ådá`×QæçBáBÜsè„ébéê‘ëìÜ íGî 16 ï ÖWð5ñbòábäQá†Ýsâä5ñbò×Qãwá5Öu×QÖuá©óGÙô5ÙbòñàtáÚ‚Ô ï Ýޒë@î 17 õ öW÷5øù5úûyúù5öü„ý‰øQö”úþÿoý¡  ¢ þö¤£™ú¦¥¨§©ù”÷Qú£™ú¦@ö™ø£ ¥yö !¥§¦#¡$%©`ø£'†úþþ(0)¤'21‘þúù5ö™ø3) '1`þúbù¦§ù425§ù5ö¤£vú3dø1„ö¤ 6Qø879§@¥„ýA BDC@EFAGIHP!Q¨RDFTS C@E U9V%WX YD`@aUcbedd9fU¡g3h%b i p@q3rts 18 u!v3wxy€D‚Tƒ¦„…3†¡‡ˆ‰¦‘’“x ”–•%y—ƒ ˜ ™@‚Tƒ¦d3y9‚e‘ ®fg‡ihIj’‘@kAkeƒ9‚Tw9†lmon9mqp–y‚x rs‘…tgx kAytuy@‘3vv¦y†cwexx9yz †cw s
  9. 9. 7 {3|A}q~c€–‚ƒ~q„†…~q‚†{‡€–~q†ˆ‰€–‹ŠŒ3‚†{8Ž{3|A}q~c€–‚ƒ~q„†…~q‚†{‡€–‚‹’‘0“‘Ž‡€”0{‚}•€”‚ƒ~c‘†–o‚—c‘˜Ž €–‚}q~c0…o™¨0{¨Œ3‘†–š€”˜›|œ…‘†ˆžŽ‡‘†…}“|A‚€–‘€”‚ŽŸ…š‚†{g }¡|‰}“8Ž¢}¡£†¤”{‚}c}q¥€–‘¦0ˆ‰„†…€˜£0ˆA‘}i£–¤–{e‘ § {‚†…‘†ˆ©¨3€2|•|œ…–£†|ª‘«¤†{e”€˜£—q¥‹€”‚¬‘†ˆ‰¦˜£†…š}ƒ­š0{“®0…–|A}¯…‘Œ£–{‘†|A}°€–‹~q0{¤š†±tŽ¦–‘†…–­‹€‚ ¤š‚}q8Ž²¤o‚†{€”‘ƒ€–‚ƒ~q‘†–š‚†ˆ‰8Ž³€ |œ•|œ…†£†|‰—c¥€–€”‚}c‚c´3}q‚oµ0£š‘†ˆžŽ²•£€”‘†…—q‘”}°{‚†¤o‚†…Œ9|œ…‘}›€–‚ Œ3‚0•¤š‚†{e‘0“‚†…Œ38Ž’ ‚†{¨Œ9|A¦–‚†…š}Ž¶™g‘€0|A¦”‘Ž·{e‚‘—c¸‚š}¬‘†ˆº¹†{¦2|A~q‘}¬»˜£‚¼~q‘†£}c‘0 ~c~c‚–|œ{e‘}¬0£ |œ…o™@ˆA‘0“‘—c¸‚} ‘o ‚†{“‚†ˆ½­š‘€–‘} …š‘ ¤š‚†ˆ‰‚Ž¾™g0{sŒ‚ €”‚†¤–{e‚}c}c¥o “‚†…iŒ@‘†ˆžŽ ¿sÀ ¦˜{‘o †|‰€–‚šÁ ‚~tŒ3Â0¤”|‰~c‘Ž Ã¦Ä ‘†£†“‚†…Œ3Ņo‘Ƥo‚†{€”‘Ő›|œ…š‚†{‘0ˆÇ€”}”}q}c}¬…}‹¤”{3|“‚–|œ{e”}‘†…š }€”‚Æ£š}q†È »2£š‚ÉŒ{‘šÁ›¬{|A}c~qƒ€–‚Ê™¦{¦‘Œ£†{‘}˝}c}q‚‘}ŽÌ‘†£0“‚”…Œ3¬…¬{3|‰}c~cƒ€”‚¯~q”ͦ˜£0ˆ‰}Ë}c‘†…š¦2ΖϜ…‚} 0£‹€”‚†{{‘0“‚Ž²‚}¡¤š‘}i’}…š‘}¤o‚†{…š‘}ŽÐ ‘šÁё0’‚†…Œ3Ò0£«|œ{3{| Œ3‘—c¥¬ ”‘¦0|œ…‘0ˆžŽÓ|œ…~¡­‘—q¥ €–}“}q‚–|A}“˜£É}Ԃ–|A}“€”˜ˆA0{3|‰€–}Ž“¥}“0£ƒ¤š¹}›|½…~i­š‘€–}šŽÕ€–0{‚o}•…‘}“~Ô”}¡Œ3‘}Ž³|œ…š}c®0…–|‰‘Ž ‘~i…š‚ŽÖ0…€”‘}Ÿ€–‚Ë~c‘ ˆ‰0{5Ž à ¿ …‚†…–­†£0’‘°¤”{oŒ3‚—c¥•~q0…Œ{‘Ë‘}’×ÇؔÙ}Ÿ0£¶ÚÖÛ9×ÖØÝÜ 9DFLQDV $QWLIHUWLOLGDGHޚßqßcàߏáàâ“ãœäàßÐå3æ0çäà0èéàߒè•ê0ëTìí†çíßÓãIè•ê–äíߟàËßcí†êšß¶î–çï0î”ç3ãAæß¶ðoí†ðšñ߶äšà°ðoà†ççãAò”à8ó ô©õ©ö÷õø%ùûúü†ýIõÖúþûö¬ÿ  ¢¡ çò”à†ä–㤣Ñথ¨§æ©Ðê–ä¦0ãAà0ë–íàí ¡ © !³íß¡å$#•åíß¡å3à†ä¦”ææ†ãAß å9ãœîšæßšó   áàâ“ãœäà à†äåã % ')( 0¦12436587@9BAC045ED 2GFH2I9P5QDR70S9BTAC0IUDWV2XT`Y 5`AaYcb`7IU5 3@0`Yc0¦V5 15`7¦0¦VE5G9BAC5`dEIe70 3¨5`AfIgb87IU3¨0 T8Yc07¦0hi5`T ¦'p(qhir8T¦2 st0 3uAfIU0`7¦vw0 2`Y 12¦Dx9f0¦v¨y¦5`€dAt5EV8T‚¦ƒQ„†…E0¦3‡Ie7¦0ˆFH0‚‰3¨58Yr‘T2’5“D@IgD”9f2`Yc0•I–Y’T7¦58—g˜Q18Ig3¨5“V0Ycy¦2c9™At0S9P2dsC0 3@AfIg07¦v¨02`YX12¦Dx9P0¦vwy¦5`€e3w58Yc5fT`Yg365`APd52Dx9BAC075h200iG5`Aj9f0kƒmlnDw2¦18T7V5o9pIedG5V2 …Q0¦3uIq7¦0 r¨sht@u¦v`wxvdy{zS|a}~sz€d)‚t€ƒj€8„E…g†¦rx|™‡Utw€‰ˆH)ŠQy{‹ŒsƒjvŽt¨€8w 8¦s€‘tw€`‚P’€‘“v¢wc”¦s ‡U“EszS|B‡¤ƒ$‡•8¦s t¨€8wc€ sr–|B‚Cvzuv v twv`wcv¦“v ’E‚C€G|fsS|P€`‚Cv sG—G|fs‚Pzv ˜C“Qv t@‚f‡gvz¦™¨v s`w ~s¦rx|fv¦™¨”¦€`š”›œ4ru‡Urx|fs`wcv‡žw’z¦€8…gŸQ~‘‡Utw€ “s`…gv¡“s¦rx|™‚tŸ`‡¢v£t¨v`wxv¦“v sG—G|fs‚Pzv¤¥v„G€`‚j|fvz¦“E€ v¦r¨r‡‡žw¦˜Cvˆt@‚P‡Uvz™¨vˆs`w~s¦r”|fv¦™¨”¦€`šx› §E¨p©«ªe¬®­p¯°­m±³²`¬®©«´™² ª–¯©†¨p²`¬®­µ´B©‘¯¶)© ´6ª–¯¦°­¸· ¹‡s…¤€ƒjvS|f€‘“Es‘shs¦rwr¨v¦r»º¦v¦t@‡ez¦v¦r’v`‡qz¦“Ev s¦r”|f”¦€¼z¦v£ƒHv¦rws½“Es¡|fs¦r–|Ps¤xz¦”¦€r¨s½r¨v„Ss½r@Sƒ¾‡•t‡‡UszS|fs`wcsz@|Ps½v¦tws‚Ct¨v “E€Qr¿‚f‡Urwt¨€Qr¦›‰À)vr ’s¦rw‘E‡Ur¨v¦r ’E‚Cs`…q‡žw’‡ezv8‚ts¦r €`„Gr¨s‚Hº¦v‚Cv`w Ár ¨s “vz€Er ’G€G|Psztu‡Uv‡Ur v¦€ r‡‡Ur”|fs`wcv ‡žw’z¦€8…gŸQ~‘‡Utw€¡“Evw’…quQs‚f¤Âtw€‘w w sGƒjs‡|f€’G€G|fsz¦tu‡gv8…µ“Es½…¤€8z~€ ’‚tvQ¨€¡8¦s ’€Q“Es‚f‡Uv |f€8‚fz¦v‚Çez¦sGƒ¾‡Ut¨vŒ€»r@‡Ur”|fs`wcvćžw’z¦€8…gŸQ~‘‡Utw€ˆƒjs`w»‡ez‡ez€›Å$Å 0HWKRWUH[DWH H 0LVRSURVWRO WRWHF ®
  10. 10. Æ Ç¦ÈÉÊËuÌUÇÎÍjϦÐÏÑCÇÒ»Ç8ÓcÏÑfÌg˨ÇʦǐÆmБӒÌeÊÌgԔÕBÑCÇQ֨צØÙÐÏRÆ¢ÒqÌeÓcÏÊSÕfØQÔÚÏgÛÃÑtØEÈEǦԐÜBÝGÛpÆµÞ ÇßÑtئà¦Ø8áâÇ ãqÏSÕBäØÕBÑCÏ@åQÇSÕfÏ ßGÇÑCÇâØ4ÕBÑCÇSÕfÇ`ÓæÏÊSÕfئÐEÏâ˨çʦË6ÏљèÄÆ ÝSÛ)Æ ÇßEÑCØàQØ`áÎØ ãéÌUÔwØ`ßÑCØQÔxÕPØ`ÒqÜ êëGÕfØGÕfÏ¦Ë ® ÞoßGÇÑCÇì̞ӒßGϦБÌqѓí`ÒgËwÏ8ÑtǦԆϦԔÕfØ8ÓcǦËwÇÌUԆϠîï‰ÔwÏ`Ó ÇßEÑCØàQǦ֨×Ø Ø;ÌUËuÌUÇ`ÒïðáԨǦÐEØd˨Ø8ÓcØoБÑCØQÈEÇoǦÐ`ÌUË@ÌUØ`ÊÇ8ÒkßGÇѾÇo˨Ø8ӒßEÒgÏSÕfÇÑéá`ÓÙÇ8ñGØ`ÑjÕfؑÑCϦÇÒqÌgò¨Ç¦ÐØo˨Ø8Ó¦Ç ópô õö `÷8øù`úüûqýSþBÿ¦ùGþ¡ Cý£¢¥¤Sþfý§¦©¨¨¦ù¤! tù#¦ù8ú£ù%$')(0)¤2143cý!Sþfý ù576GþfùGþfý( ® (wù83xù 9  tùA@A¤CB@ú!A1gý23cý!@þD¤! ©¤2 E¤Žú%B¨ùF(¨ù83G¤IHP Q ö8÷8ø“ù`úŽûqýSþBÿ ùþ¡ Cý¢¤SþPý§¦ RTSTUVSWYXa`§b!cdSe`§fhg i ùp(¨ù2Buú!1 þDq2 rUù 9 ù3ts 9 u(wù2vú23w¤x4€yfý€¦ùx4@þ¡ '¤23’úB‚(@ú!1ƒ¤!  9 ý „†…£‡¡ˆ‰‡¡E…‘¥’£‡D…“w‰2”p„–•!—h“w˜™’d§egfih!f)jk‡¡'’dA’§ltm§‡¡fonif)p€’d’‡q’2egr˜2e h%‰s‡tu’£‡r’2ew…!h£‡D‰vd… w€x h w …!D“V’y„z•!— {‰¥d…GdA…jk‡¡r”fi|’ w ’2et’d’y{u‰%‡D…£‡D‰2E’}…‘£‡r…!Dh’}dA’~ w €f)’!h‚’}…2e ‚ …jY‡D’€ƒ‰2„kl…mhet’†j‚… ‚ ”AhdA’†j0”!rjk‡ x h w f)’ ‡8”ˆ‰egf w ’“‹Š§Œ‡D‰%‡D… w ® “˜f4h%j€…!DfŽd’!“h’‘’‰2qet’ 19 “•”D–¡— ˜™tšœ›'žDŸY ¢¡ ˜¤£E› ¥ ¦Dšœ›€§'˜¡šu¨ ® ª©d«¡¬4¨'­u­u›¡šœ–¤Ÿ¤®°¯£±¤¯‚²A˜¡šo— ³•¨¡žµ´’— ­œ˜7´¶˜'¨'·¤”D˜rŸ€¸u¹q¹qºr»½¼ 20 ™tšœ›€žDŸ¾ ‰¿aÀE¨'¬0— Á¡Y˜¤£E› ¥ ¦Dšœ›€§'˜qši¨ ®Â   21 ¦u¨'¬Ã— ˜¤žu¬ÅÄ ¨¤Æu˜qÄ — ž'·— žEÁ¶˜¡šu¬‚­u›qš€¡k˜¤£E› ¥ ¦Dšœ›€§'˜¡šu¨ ® ÇtȤÉuÊ¢ËuÌDͶΡÏuʉРÑ'εÒÃɶÓdÎ'͕ʉРȤÉDÔÕ˜Î'ÑqÐ Ö¶ÎD×ÙØṲ́ËuÍ'ÛܒÝqÝ¡ÞqÔkßÃàq̤á ̤âÀã½ÈDÈrÔÕØ0ҕä¾å‚ÏæÓoÈ¡ÛqÉ ÇtÈ¡âµÏEÌqÉEçrԀÜuÝrÝ¡ÞDè½é 22 ê•ë סРÎìt˜È'íÉDÔYîiï€ÉEÊÃÐ ð ñ¶Î¤ËœÊÃÐ áÐÊ 4çò¾Ì€Í¶Í'Ð É'Î'ÖuîªßdóqÊòô)ôœÈ¤Ëi×rÔ¡òtïªä¤ï€âAÎqˉРͽÌqÉ7õ½Ð ô)ÎõæÎD̀ö ë ÎDԀÜuÝqݤ÷rè•é
  11. 11. 8 øùûú2ü ý0ú!þÿ¥ý¡  ¢¤£¦¥§ )ÿ©¨ |ø ügú¦!%ù©¥$#8ú%¢¥Eÿ ÿ2ú|ý‚ù%¢Dù|ø' (ý ü)0 )ý1¢§©¥Eøùûþ2©¥3 þ0¥uÿÿ 45©¥64€ÿ¦7¢8¥9@BA¥ù%ýC#µú%ùvù2ügþú0¥§¥3©¥3DÿEGF94¡¥H I©@5©P ütÿ¦¥Q¢¤pþR©¥3TSuÿ¦¥3vøAÿVU%¢Dù©¥EÿXW Y ù!þ%ÿ© )ý øAù`¥Eù4‚ù©a%ù©¥bgøÿAý5ù2üxøAùdcXeR¢DÿR¢Dù4 ® ¨X ügú¦!fù©¥ þÿ¥øù©¥9ggùRh2þ%ù©! i¥pqF34¡¥§ I©@5©P ütÿ¦¥Q¢¤ ù ür#8úùýs¢¤Dÿ øùtÿ¦¥3ý2WucÙÿ¦7¢°ú%øÿ©¨©ú2üv ý€ù8ú©%ø0 øAÿ¥ý‚ù þÿ¥øAùVý‚ù©¥ù4€ùýÕýBg©¥¤ I ù þ%ÿ¥øAùw!ƒùR©¥©ø Iýwÿ2úIý‚ù2ü)©ýFþR©¥36#8úù ÿx©aÿ¦¥Q¢Dÿ ý‚ùw¥uù©! (yÚù øAù ütÿ¥øAÿ€4‚ÿµüFþ0!Žù%¢DÿXW  ügú0!iù©¥™þÿ¥øù©¥9gýB¦'¥3©¥ø8ú©¥3©7¢Dù ý‚ù2ü)©ý‚¨ƒ%¢¤„ ütùýªütÿ ù4€ùý‚ý¡  ¢¤©øAÿ øÿ …0†9‡ ˆ5‰'‘i’)‰©“%”¤‡ 0‰ '‘–•I—%”¤—˜B™‡ ‰ ˆ7d0†3‰%”¤—e0‰¦’ f8gihkjul8m nHo ‡ d d©’)— ”†p—©“qsrpdq5™‡ 0‰ qB—©“2ed2‰utwv x3ˆ¡†¤‘I—©“2˜B—©yC’)‡¦†Q”¤—z…R‡  ‰©†3{Vq5‰©†w‰R|0…2‰©•‘I —V‰¦’ }d2—'•~}d2‰©†•de —©†qrQ‡¦†3—V ‡ ˆB‡¦“q¡d©• ”¤€¦†¤‘I‡0‡‚’„ƒ'‘IˆB‡…t n9† ‡‰'d©†3—©“7”¤‰z‡qˆ‰%|—¦’„‰q‰…R‡qŠ”¤‰©†¤‘I‡¦†3‰qV“R‡‹ˆB‡¦“2q7d©• ”§€¦†¤‘(‡ ’)ƒ¦‘IˆB‡Œq5‰1ˆB‡¦“qs”¤—%”§—©†}¦d‰1‡Œ—©ŽR‡¦†Q”¤‡€“™‡Œqs‰€†3‰2—©•‘~‡¦d1 ‰x’)‡ ‡ŒˆB‡'’d… •I‰%”¤‡¦m‘‰RrQ‰%”8d2— ’ qŠ‰ ‡d—©ŽR‡¦†Q”¤‡dˆ¡‘†§“©†3e ‘IˆB‡Xt ” •—–™˜išœ›…ˆž2›iŸ¡ ¦šœ–™¢8 ™˜£ˆ–‰•— ¦š¤›i¢8–'E¥‘–¦¢Š˜£ž2›§ gi‡¨jX©R”¤‡R”¤‰2ˆ ®: … †3‡¦Ž •(‰¦’)—qª“‡qª†¤‘“qR« ‘i“RrQ‰©†Q”‘–•‘¬0— ‰rf§‰qs”¤‰©†¤‘–•‘I©— ‰0lŠ«C‰q7…R—q%’v‡qV‰­q5—©“2e†3—¦’„‰©“%”¤‡Xt ®i¯±°i²5³§´µ5¶·¹¸ ´±º»¦¼¾½ ¿2·RÀ¤´©²Á‚°I¯¦ÂiÃ)´©²7À§´)À¤ÄÅ0°IÁB¯€¿R¯©Æ3¯Ç·dÁB·¦Æ§¿R·1¸ ¯`ÃÇÈ©ÂÉ´©ÆÊb¸0¯©²2· Ëv²2·ÍÌ9Î¬Ï ¯¸0·XÊb¸ ´ËŠÀƧÈ0°(µB¶·1¸ ·Ë Ƥ°i²2ËÊÐÂ(´Ë5Ñ ´Ë ²2· ÃdÒ2ËBÁ7È0Â(· ¸ · Á ·¦Æ3¯µ5¶2·Xʦ°–²Ë¡ÈRÌ3°IÁ7°IÓ©²2Á7°I¯ ¿0ȦÂÃ)·¦²¯©Æ8Êп Æ3·¦Ô0Â~´¦Ã)¯Ë Ï0¯ËsÀƤ°i²%À¤´ËsÀ8°i²2¯©°IËʂ¸ ´©ÆÕÆ3¯¦Ã)´uʂÁ5·'²%֦ȩÂ~ËBÑ´ËÊ ×pØ ²2Ù©ÈË5´¯uʂ¸'°I¯©Æ¤Æ3Ú©°I¯uÊ ¿©Æ3·¦Ô Â(´¦Ã)¯Ë ²¯ Ã)´¸'È©Â(¯6ÄËBË5´¯uÊÛ¯©²2´¦ÃÇ°¬¯x¿0Æ9·ÌpÈ©²2¸0¯uÜ ®k¯qºÝ´%ÀÉ·RÀÆ3´Rů%À¤´i½ ¿ Æ3·2Ö·ÁB¯Œ·6´©²%ÌHÆ3¯Þ'È´Á‚°–Ã)´©²7À§· ¸0·Ëv¿ È©ÂiÃ„Ñ ´Ë2Ê ß'àXááâäãåuæuç€àkèÕé¤å ê ëpì 58 PLIHSULVWRQD
  12. 12. H WRWHF ® PLVRSURVWRO
  13. 13. íïîXð ñ ò'ó¦ô6õ€ö©÷‹øùsú§ø©û9ü¦ý(þ0ø0ÿ¡ 7û§ý£¢þ¥¤§¦Rø©¨¤§¤'÷ ø¦÷Çÿ¢¤¦ûÕ÷¢Œþ ø€ö¦÷¢§¦ ¨iö!¨¢$#ö2ø%¢0ø  '¤!%úû(¢)¤0¦0û1¤¥'û3øù5ù'¤0¢%úö©û(¢!¨uþ øö¦÷2¢)û1¢3¦ý(þ©ø5476…í98A@…íB¢)¢C¦ û(¤537¤¦ö0¦5¢©û(¢ö2ù'¤D0ø©û(¢!¨ ø¦÷FEóŒþ øÇù5ø%ú§ø¦÷G0û(¤Çþ©ø%EIHIHCHP6 QSRST§RVUXW`YbaIcdReYgfSh ðb÷i¢CG5¤¦ûQúp¤û9ø¢C¨ý4q¢þ¥¤r '¤'÷i¢î…ð ñ ò¦ó'ôr¤7 '¤¦û§û3ø€ø¦÷s#'ö¢%úû(¤t3¦ýIù7ý úp¢ ù ¢¤ ÷)õþ¦ý£ '¤b6vu`¢w¦ û¤ý£÷)ø0ý–û(¢x3¦ý(ù¡ý~úp¢0ÿy¢ ÷dö!¨€2ø©û¦¢ù5ù'¢w¦A¤¦ûvö©÷ ú¤øùŠú¤øþøV'û(¢A3¦ýIþ ø547ÿ ö¦÷ ú¤øùŠú¤ø6þ0ø6ù'¢C5ö2ø0ÿpö¦÷‹øA‚7¢¦÷)ør¦2õC¨3¦ý£ '¤`øw÷dö0ý úƒ¢ù„3ø54BøùÇö¦÷­øA‚¢¦÷)ø6þ øqöI¨úû(¢ ñ ù…¤'÷t6¦í î…ð ñ ò¦ó'ôù5üõtøA3ý£ '¢54r7¤ù†¦ û¤ý–÷„ø¦ýû(¤ù%#ö5¢©û3øC%úƒ¢tø‡¤53øtþý£¢ù$¢C¦2üù%¢D '¤! 5øC¦5ˆ…‰¤b6u¡¢ ùBø'öC2þI¢ 3©ýIù7ý úƒ¢0ÿ ¢ ÷döC¨‘ø©û úp¤÷’¢ úû(“ù ¦ ¨ö!¨¢ù þ ø î…ð ñ ò'ó¦ôP6 ”RùBù'¢ þ'û(¤7I¢ ¢C%ú—ý•¦0û(¤70øùsú§ø©û1¤©5¢ ý–÷%¦Røþ øs#'öøs¤‚øCþ¥¤÷„õ7úû¤ý£¤ –p¢s …¢¦÷¢þI¢‚þI¤ —7ú¤ø©û(¤C˜™d¤¦ûƒ2øˆ…¢ ¦0û1¤¥ øùŠú¤ø©û(¤!5¢fe9g( ¡û¤ý£¢!ˆ…¢ïø¦÷ 0øùsúp¢ˆ'‰¤!hi6j–3íF¦0û1¤¥ øùŠú¤ø©û(¤!5¢ïõkø5 5øùBù'l©ûHý£¢k¦5¢©û1¢m¢ ©ö7ú8ûHý£ˆ'‰¤mg9þI¢V 7û¤ý£¢C5ˆ'¢Chn6o˜pq¤¦ûQúp¢C%úp¤©ÿrg1¢V ¡û¤ý£¢Cˆ…¢ø¦÷ ø2ùsúƒ¢ˆ…‰¤!hr¢ '¢CGA¢ ÷¤¦û§û3øC2þI¤ þø d¤ ÷)øg6vu`¢ ú¤ø©û( sø0ýiû(¢D3¦ýIù¡ý~úp¢0ÿv¢ ÷döC¨‘ø©ûvû9ø BøCGRøVsbtRúp¤Rú¤ø  ® ÿy#'öøu¦0û(¤537¤7 v¢øùw¦A¢ù%÷’¤ ùx¢ pý£÷ þ øD¢54ø©ûy '¤'÷ #'öRøx¤‡ v¤¦ûƒ¦A¤þ0øC¨¢ øA‚!¦ öC¨(ù5øfg1¢x ¡û¤ý£¢C5ˆ'¢Ch ÷¤¦ûQúp¢g6uíz#ö5¢©ûQúp¢D3©ýIù¡ý úp¢ ¤7 '¤¦û§û3ø‹ö¦÷’¢Gùsø¦÷¢C5¢Gþ øC¦A¤¦ý(ù{¦5¢©û1¢|¥¢©û(¢C7ú8ý–ûD#'öø}¤|¢CG5¤¦ûQú~¤Vú¤øCCA¢Gù5ø øAQø%úö5¢þ¥¤  '¤'÷$¦¥¨(ø%úp¢¦÷)øC%ú¤øø¦5¢©û(¢ ÷¤!0ý úp¤¦û(¢©û€¤ ù…¢C'û(¢'÷)øC%úp¤ þ¥¢ ÷döI¨€ø©û6‚uø0¤0¢CGA¤¦ûQúp¤ƒ‰5¤ ùBø6øAQø%ú8ö5¤¦ö  '¤'÷„“A‚0ý úp¤)–p¤†#'öøx¢5 …¤!%ú¤ø 5ø6ø¦÷†… ñ ‡wH)¦A¤'û 5øC%úp¤`þ ødúp¤þI¤ù¤ ù„ '¢ù…¤ ùq˜ÿ ˆ(‰ ¢`÷Çö!¨€ø©ûŠ¦A¢ùBù…¢x¦A¤¦û ö¦÷‹¢CGA¤¦ûQúp¤$ ‚ý–ûƒ—©û('ý£ '¤b6 Œ UŽ`c•RP‘Da5R’ f!X¡“”f`c ‘x0UŽf!R“”•‘x–bB“ic ‘a5R—h uPl©öù5ø¢g˜þI¤¦û3ø2ùx¢CGRþI¤'÷Çý™5¢0ýIù˜š3›÷dý úƒ¤ù5˜ ù'¢C5û(¢¦÷„øC%úp¤t¤¦ûQú¤ø€ø`þ0øœ¨¤!¥¢`þö¦û1¢ˆ'‰¤b˜¢%úp¢#ö2ø€þ¥¤§ …¤¦û(¢ˆ'‰¤b˜ž2ø©÷¤¦û§û(¢¦ýŸ¢g˜ž¦Rø©û3þI¢ 23  …¡¢i£i¤¡¥1¦§€¨”§‘©”¦¥«ªb§‘¬Ž¡Iª~­~¬®§€¯!°©¥±°”¡I°~²p°©²ƒªg¨´³™¬®§‘ª!¬Pµ(°”§Ÿ°Ž§‘¯©ª©¶±°”·´©Ž§€°Ž¡¥¬”·1³™ª¸24 ¹™º'»1¼”½£¾À¿¼®Á¥Â®Ã~Ä(ŃÁ®¿ÆƒÇ~ÃpÈ®ÉiÊqô¾ËÅ´¼~¾À½ŸÃ(ÌpÍ´¾•Ã®¹wΕÏbʹȴŃ¿Á´Ð~¾™¼ŽÁ~ÑvÒÔÓÕ'әÉiցÍ~¾d¿¼”Á1͔׃؁¿ÐÅ1¾v¾™¼PÙd¿ÚŸÃƒÑ'ÛdܮܔÝpÞoÑ'Û1ߐÓ25 Ïe¿ ×à«ÈdÑ'۴݃ݐÓ26 ¹™º'»1¼”½£¾À¿¼®Á¥Â®Ã~Ä(ŃÁ®¿ÆƒÇ~ÃpÈ®ÉiÊqô¾ËÅ´¼~¾À½ Ã(ÌpÍ´¾•Ã®ÑŸ¹5Û(ߐÓ27 á™â'ã1ä”å£æÀçä®è¥é®ê~ë(ìƒè®çíƒî~êpï®ðiñ”ò`ó”ô®õ®áwö™÷gø~ï(ìƒçè(ù~æ™ä”è~úiûÔüý'ü•ðiþø´æËçäŽè(ø®ÿ®ñçùŽì(æ…æ™ä¡ 1碣ê®ú¤£¦¥§¥©¨oú¤£Xü
  14. 14. 9 !$#%'#()021435768©693A@CB039D0%(9EF)GHBI!P30GQ768©6!3RGQ#%'S)3RG4@CB4!¦!)GT0PG¤!1)UV64 W 391)GX#Y0!`IaR#YG4@bBI3RGcGedYa0!%fEF39gih©69EFpEq69%'SR!q1)srt!1)u¤sEF39v!6wix€y  ‚Vƒ9„9…‡† ˆ¦‰ ’‘ 3“G¤”Gc!DI•3RGi# g30Gs–%(391)U03—B4˜c3™B8!”—Eb6%'S)!d–BI!”Gc!6”GX#YG‡g9EF #Eb61)3V%(eRUf# W 3€† $ 3tOXOD $QWLFRQFHSFLRQDOg’hjik!lYmon©lqpIk0mbrIh)msl(tckRmFiuTp)vxw'y9w(z)mFz!{tn$lYt¤k9{)tcu!pItsl(kV{4z!lYm)|~}€Fzj‚zTp0vxw'y!w(zQƒVy)ujtckVbrRlq{)z u)m‡n©„…R†0u!{)k—u‡p0„kR†u)mˆn©l'{)z¡| ‰¦Š ‹ k9y8n©„z——zŒtqlq{!l Ž pRvxw'y9w(z!©‘ƒVy)u—tck9{tnv9 mckVFu!{8ngu p„¦k0†0u)m‡n’lq{4z¡| “~”~•Q”—–™˜’š¡›!œx”€š¡~ž Ÿ¡  y!{)tXlYk9{)z9Fu!{tngksi0z¢p0vxwqyw(zsu!{8£Rk9w¤£Ru¥n$„¦¦)m§z)¨c©Ru)m)|ª‹«p0„vlFu!lq„z z)¨c¬)k•“lqbp4u)iVlq„Tz—k)£Vyw(z ¨c¬)k•k9y—z­w'lqrIu!„z)¨c¬Rk•i0u®y9 …)£!y!w(kA|°¯’k•u!{8ngz!{8ngk!‚{)u9 mcu9bp0„u±mcu§msy!p0„glFu±z±k4£9y!w¤z)¨c¬)kA| ²³ ´~µ·¶R¸4¹e¸)µ‚º±»)¶!¼!½(º)¾¤¿)»P»RÀc»9ÁvÁ¦¸5º8ÂÃÅÄF¸)µtÄF»±¸!Ä Äb¼!½ÇÆ)¸!Á¸)µ‚Èf¼4¸wÉ!¼!É4Àcº±Ê0¸Ë¤ÌRº9Ä Ê0¸w¼)µcº!ÁͺwÎ0Ïx½q¼!½¤º9Ð Ñ’Ò ¸§¸)µ‡Â’ËÄFº Ó µc¸§ÈV¼)¸H¸)µcµc¸Ô’ËqÎI»±Ê¸ »4¶9¼!½(º)¾¤¿)»ÕÎ4»Rµcµ¤ºTº!ÖÁ¦º!É)×0¸!Áغ8ÂgÃÔÙÚ§ÎI»9ÁØÀc¸!ÉtÂg»TÊ»RµbÀ¤º)µc»Rµ)Û Ñ7Ü Ý µc¸)×V¼!É)Ê0º º)¾¤¿)»dÈV¼)¸Tº ÎÁ¦»0×0¸)µ‡Â’ËqÉ4ºÞÁ¸)º9½'Ë(¹eº·Ã·¸!É)×VÁ»Rµcµ¤º!Áß»dÄb¼4Àc»jÊ»·Àà»9½(»‚Ê0»Tá8Âg¸!Á»jºãâËęÊ0¸TËqÄbÎ4¸)ÊVËqÁäÈf¼4¸·» ¸)µtÎI¸!Á§ÄFº8Âg»)¹eå!ËYÊ0¸•¸!É8©Á¸­É4º)µ2©Á»VÄbÎIº)µ)Ûbæf¸•º)µsÊV¼)º)µçÎÁgËxÄè¸ËÁº)µsºR¾céR¸)µ2âêº!½'Æ4º9Äqзº ÎÁ¦»0×0¸)µ‡Â’ËqÉ4ºëË'ÁvÁvË Âvº«º™À¤º9ÄFº)ʺ™Ê0» átÂg¸!Á»!ÐÕËxÄ°Î4¸)Ê9ËqÉ4Ê»«º)µcµtËqÄ ºëËÄ°Î0½(º!Ét§º)¾¤¿)» ì¦Ê» ¸9ÄbÖ0ÁgËY¿)»íÆ!¼9Äèº!É)»9î‡Û ÑÑ Ý Âg¸!ÁÀc¸ Ë'Áº2º)¾c¿)»2ÃpÎÁ»I¶)»0À¤º!ÁïÈf¼0ËÄbËYÀ¤º9ÄF¸!É8Âg¸p¼9Ä º!ÖI»9ÁÂg»€Û Ý ÄqËqÉ!Ë Ó ÎRÏx½'¼9½Yºb÷¼9ÄFºjÎ0Ïx½'¼9½¤º°Ê¸qµcå‚Î0Á»R×0¸)µ‡Â’ËqÉ)ºbÈ¡¼)¸·Î4¸!ÁvÄqË Âg¸bÈV¼)¸qº°»4¶9¼9½Yº)¾c¿)»b»0À¤»9ÁvÁºbÊR¸ ð¡Úwºwñ!ÚòÎI»9ÁóÀ¤¸!É8Âg»wÊR»§Âv¸9ÄqÎ4»AÛ Ñ¦ô Ý Î)Ïx½'¼9½¤ºPÊ0»Hõ¤ÊVËYº5µc¸)×V¼!ËqÉtÂg¸öïÃ2É4ºÕ¶R¸!ÁÊ0º)ʸż9ÄFº Ê»Rµ¤¸—ÄFºËYµ5¸9½(¸I¶Rº)Ê0ºpÊ!º÷ÎRÏx½'¼9½(ºsºVÉtÂ$Ë(Àc»9É)À¤¸!Î4ÀXËø»VÉ4º!½úùg¸)µ‡Â©ÁåR×0¸!É)»í¸ Î0Á»R׸)µˆÂ’ËqÉ)ºû©ÐFÈV¼)¸ üýIþ)ýHÿcý¡ £¢¥¤§¦©¨)ü¨¨¢¥ ¤! ¨)ÿ#¨¡$%Rÿ('¡¦©¨) ¦ý¡01¨ 243 ¤Õÿ¤ý65!' ¨¡0€ÿcý!¦ 74¤!89¢@ A¨ 7cý¡$6243 ¤CBED $GFH0I'!0P¨bü¤RQ¤ü§SP¨qÿcý T§'SU89¢§ýV£SW X XS ¢¥¨Y¨`74¨!¦©¨)ü¨bü¤ba9¢vý¡ A¤°ýcSU¦Y$4ý)ü0ýY¨cSd¦Y$0P¨¡8¢¥¨ 243 ¤°ü0ýb'¦ ý!¦Ye ¥SP3 ¤f'§¦©¨¡8 ¤wüýf'¡¦©¨wÿ¤ý!¦©¨¡8 ¨Püý±þ!SYü¡¨¡gh¨ 74¨¡e6¨¡8)ü¤i7p¤q¦ ¨f$¤0ÿ¤ÿrSUeSd0WSYü¨)üýPüý Tq A¨Iþ!SYüýs B tuwvExUy€ƒ‚ „€†…H‡!yˆvE‰‡ExH‚ v uw‡!yˆ€‘‰v’‚ “”v ‰•xH‚ „€—– ˜ 8™d ¨ e§')ý 7fSd¦Fý¡89¢X¤ ü¤ ÿfSYÿg¢gý!¦©¨ Sd¦Y'8 ¤§01%GTqSP7p¤!ghe§')ýh$¤Rü0ýi0(ýIþG¨¡ R¨iSU8™êý 7p24jRý)ÿke¨ 7g¢gý¡ ¥SP¨¡SYÿ‘ýf¦l¨!S1¤§  þ!'!0U84ý¡ ¨¡eGSd0WSYü¡¨)ü0ýnm D—op—q‘rïü¤Rý¡8 24¨sSU8™t¨!¦l¨¢¥%! ¥SP¨u$6¡0¤þ!SP74¨gve§')ýw$6¤ü0ýw0(ýIþG¨¡ `m2ý)ÿg¢gý¡ ¥Sd0WSøü¨Rüý2ýhmu¦©¤! x¢gý’r SU86™ý¡ x¢Sd0WSøü¨)ü0ý’ry7pz¡8 7cý¡ dü¤{7p¤!01¤­ü¤|a9¢vý¡ A¤ƒr}Tq A¨Iþ!S üýsçý 7~¢¥%§$GSP7p¨’rÔý¡8 7p¤§0I¡Sd¦Fý¡89¢X¤®ü¤ a¢gý¡ ¤Cr}¦`')ü¨¡8 24¨)ÿwÿ9aeS ¢¥¨)ÿ¥ü0ýs¢gý!¦Y$4ý¡ A¨!¦Fý¡8¢¥¤¢ý¢ü0ý¡$ ý4ÿcÿp3 ¤’rb7pz8 7¤ý¡ jüý¦©¨!¦©¨§r 74¤G€ T§'¡01¤Rÿjÿ4¨¡8 T§FU8)ý ¤Rÿ r ü0ý6™êýS ¢¥¤Rÿb74¤!8 T‚¡8S ¢¥¤Rÿ·ý!¦ 7r ¥SP¨¡8 2p¨)ÿƒ7p¤!8 7cý¡eGSYü¨)ÿ‚ý¡8eq'¨¡8¢¥¤k¨ ¦©3)ýTý)ÿg¢¥€'4ÿ4¨¡8)ü¤„¨$ FH0W'!01¨’rªÿcýSP¤Rÿqü¤!01¤! XSYü¤Rÿ rªüý¡ X A¨!¦Fý’r…T¨¡8¡¤‘üýy$Iý)ÿ4¤CB †d‡ ˆE€¡'4ÿcý¨ ýòþG‰§¦`S ¢ ¤Rÿ±ÿ43 ¤Š XSYÿ47p¤0ÿ)¨)ü§SP7rSP¤!8¨!S(ÿ5ü¤‹'4ÿ4¤pü¨Š$FH0I'!01¨sü¤nQ¤üqSP¨sÿcý T§'SU89¢výVgBŒD$GFH0W'!01¨ ¨¡8¢wSP7p¤§87cý¡$67rSP¤!8¨§0G83 ¤Ž¤™êý¡ ý 7¤ý#84ý¡8¡'!¦©¨c$ A¤¢ý 2p3 ¤Y7p¤§89¢ ¨`¨)ÿlp—qG¡ÿh¤§'RD†op—q—B †‘ 28 ’”“ •– ˜—t™4š›œž29 Ÿ~ ¡¡X¢I£¥¤d¥d §¦©¨ ªA«¥ ¥§£!¥d §¦¬¢I­¥¤d¥ª‘£§®d«ƒ¡d¯ °±w°«§ ˜²d£ƒ³£¢H´µwª¨£d  «¢I¦¶¨·U¨¸A¨«w¨ 6¹w±¥¥!·P«¥º§¥´»¸˜£w´¼¹w±d¥§£!¸˜£¢H¡£!·P¥w´q¨ªX¨ª‘£§«‘¸‘¢½¥d®¨¦W¥§¹w±d¥ ¥¥ ¾¦d¿§¤@¢½¿dÀ¨®¥£Á¦d£d®X£¥  £‘ ¡´¥¥ §¥¥ xÁ  t±¡¥¢H¨ ´§¨ ª‘®X£¡«ƒ¡X¢W£d®±¥Â§²¥£§®X«ƒ¡d¢W£d¤¥¥d §¦d¥w¢I£wª‘«!¥!¥d §¦¬¢I­¥¤d¥ª£ƒª‘£w¢H´«¨  ®X£¸x£w¢¶¡£@Ã30 Ä Ã Ä «w³År«ª¥Á Æ@ÇdÈwÉIÊU˝̧Ít΁ÉIÏÑÐt͑ҩÓpԶȐÉIÍdÊH̘Ít΁ÉIÏ ÐAÍÒ ËdÈwÕ Ö4םÇʬÉIÏØ1ËXÌ§Ï ÍȐÉPÒ Ù~ÚdہÜwÝސßqàdÞdáwâ~ã4äåwäáäÜwæ¡Üdçpèdé‘êë¶ßê‘ìxܝÝÜdí¥îÙ@ہÜwÝ Ýïdí¥ï§Ü‘ç è¥é‘êë¶ßê‘ì˜îXفðéXäÜqñwòdêòdïqópæXäå‘ïwëWáAäòUî¥Ù4ôAõõö‘÷¬Ùøˆù31 úwêæ‘û¥î¡ü•ÝìxܝëHæ¥Ù ýÿþ¡ £¢¥¤§¦¨ ¥© ¤§¦@þ !$#%(' # #¨)¨021$35476982!¡@ ' !¡3A BDCFEHG I¡P£Q$R¨STBVUXW`Yba£cdI2Gfe$R¨ghiI¨G P$piI(qrcs t¡Ivuws e2s PxcGfs I¡PiBDG I$ty u€R¨G q£Q‚„ƒ2ƒ¨…†‡B`$ˆ‰y 32 ‘s ’¨B‰“2” 33 Uw‘5cdR2s e£I¡’–•fG —¨S˜Rp5R¡q$™xR(dIes e$PfIGgcD—¡•h‡I¨e£I¡PfcFi j k…¥lR¨‘(g I¡cdPiBRTcdmpiI–—¡•D‘s GgcQ¥q„—¨e£cGn—2g2p(s g g y 34 obp¡q2r sutvdw¨xfy$zi{b|~}oH} {€Hr y£putvdw¨xFy£z5{DV}g‚`}{Dƒ} t9}‚`}{‰p¨y$s…„„p†‡w2ˆ pŠ‰p ‹xŒ$ Ž$(’‘’“ ”D“ ’•‡–V—$˜š™£›uœf9ž Ÿ¡$¢e£ ¤V$›e¥( ¦ ¦ £$§e—¨f‹©ª Ÿ«u¬¡¦  ¡$­–§… ™u®5 ¯g›•w°f”2™FŸ¡¯g¯§—¨¨ ¢¨±²7©¨²`«‡›¨¨f Ž„Ÿ2¡e®i ¯g›®r›¡Ÿ(­2³(›(`´5µ2µ2¶2·„“ 35 ¸ ³(¢ ›‘¨ —$˜~¡(’• ¤’£›¥$ ¦ ¦ •X°F”™dŸ$¯§¯§—¨§¢¨±‰²w©¨²`«‡›¨¨F ŽfŸ¡u®5 ¯g›®r›$Ÿ(­¨³$›2`´iµµ¹·x“ 36 ¸ ³(¢ ›‘¨ —$˜~¡(’•º2«‡›¨ ­(›¨¡£Žx»u¼‰—¨¡£™¨§Ÿ(Žf›½i™ —¨¡V©¤’£›¾¿—¨¨f¡ ¡$­ À Ÿ¡¯Á™d›¨¨¿¥$ ¦ ¦ •X°f”¨™dŸ¡¯g¯§—¨ ¢2 ±²X©¨²`«‡›¨¨f Ž„Ÿ¨¡u®i ¯§›v®f›$Ÿ(­¨³¡›`´iµ2µ¹(·„“
  15. 15. 10 © ÂHÒÄ9ÅÆVÇfÄ`ƒÈÊÉËÒÌÍÆVÄÍÎfÒÇ7χÌÍÆVÇfÐgÅ¡Ñ Ò ÓwÔՒր×ØÙ Ö9ÚÜۚגÝ(ՒÖ9ÚßÞVÚ¿Ôwà(×`áÁÙ ÚãâHÛä’Û`ÔÚDåwæ(ڀçèÕÜÖDÛä¿Ù ÖDÕßÞÛ`ÔfçšÙ ÝÝé’ÚHê POR QUE ESSES ABORTIVOS SÃO CONSIDERADOS MÉTODOS CONTRACEPTIVOS? Embora algumas dessas drogas permitam que a mulher à vezes ovule, porém na grande maioria das vezes não permitem que um ser humano recém-concebido consiga se implantar na mucosa do útero. Assim, a mulher não fica “grávida” durante esse tipo de ovulação porque a implantação é impedida. Isso pode corretamente ser qualificado como micro-aborto. Não há dúvida: essas drogas, de um modo ou de outro, têm como uma de suas funções impedir a implantação. O motivo pelo qual esses dispositivos e drogas são considerados “anticoncepcionais” é porque anos atrás o Conselho Americano de Ginecologia e Obstetrícia mudou o significado da palavra concepção, redefinido-a com um novo sentido: implantação. Em 1963, o Ministério da Saúde, Educação e Bem-estar dos EUA (U.S. Department of Health, Education and Welfare) definiu como aborto “todas as medidas que prejudicam a viabilidade do zigoto [ser humano recém-concebido], em qualquer momento desde a fertilização até a finalização do parto.” Até meados da década de 60, os cientistas em todo o mundo reconheciam que a concepção ocorre no momento em que, em algum lugar nas trompas, o espermatozóide fertiliza o óvulo. Mas os defensores do aborto já estavam se preparando para efetuar certas mudanças nas palavras anticoncepcional e abortivo.37 Com o objetivo de tornar os abortivos aceitáveis para as mulheres e enganar as leis contrárias ao aborto, os defensores do aborto perceberam a necessidade de obscurecer o significado e a diferença entre anticoncepcional e abortivo. Eles só conseguiriam realizar tal distorção mudando a definição de concepção, não mais a classificando como fertilização (a união do espermatozóide com o óvulo), mas apenas como implantação. Com essa nova definição de concepção, se um dispositivo ou droga — tal como o DIU ou a Depo-Provera — impede a implantação, não há nenhuma necessidade de se preocupar com a questão do aborto. De acordo com essa nova definição, só ocorre um aborto quando um dispositivo ou droga mata uma criança que já conseguiu se implantar na parede do útero. As constantes campanhas dos defensores do aborto para torcer tal terminologia acabaram produzindo resultados em 1965, quando o Conselho Americano de Ginecologia e Obstetrícia publicou seu primeiro Boletim de Terminologias. Esse boletim declara: “A concepção é a implantação de um óvulo fertilizado.”38 Assim, de acordo com essa definição, um ser humano é concebido não quando o espermatozóide se une ao óvulo, mas uma semana depois quando consegue se implantar na camada do útero. Apesar dessas fraudes graves na classe médica, o Dr. Richard Sosnowski, presidente da Associação Sulista de Obstetras e Ginecologistas, declarou em 1984: 37 Dr. Brian Clowes, The Facts of Life (Human Life International: Front Royal, EUA, 1997), pp. 65,66. 38 Ibd., 66.
  16. 16. 11 Não considero algo nobre brincar, numa profissão, de torcer o significado das palavras… Preocupa-me também o fato de que, embora não tivessem nenhuma evidência científica para tornar válida a mudança, tenham redefinido o termo concepção de penetração bem-sucedida do espermatozóide no óvulo para implantação de um óvulo fertilizado. Parece-me que o único motivo para isso foi o dilema criado pela possibilidade de que o dispositivo contraceptivo intra-uterino tinha função abortiva.39 O QUE PRECISO FAZER SE TENHO USADO A PÍLULA OU O DIU? Seu coração pode estar sofrendo neste momento. Talvez você seja uma mulher que está usando o DIU ou alguma moderna pílula anticoncepcional sem saber que o DIU e a pílula podem causar micro-aborto. (Ou talvez você seja um marido que pediu à esposa que os usasse sem saber que podem causar micro-aborto.) Provavelmente, você deve estar perguntando para você mesma: “Será que eu já tive um aborto no silêncio? Ou vários? Será que cheguei a destruir a vida de uma criança que Deus queria que eu tivesse?” A resposta, naturalmente, é: Só Deus sabe. É possível que Deus fizesse com que a pílula não deixasse você ovular, e assim você jamais teve um aborto no silêncio. É possível que Deus não permitisse que ocorresse um aborto no silêncio porque você não conhecia todas as funções da pílula que estava usando. Mas, por outro lado, sem dúvida alguma há a possibilidade de que você tenha tido um (ou até mesmo mais de um) aborto no silêncio. Em nenhuma parte da Bíblia Deus promete nos guardar de cometer pecados por ignorância. Contudo, mesmo que tenha tido um aborto no silêncio, você ainda pode ter paz. Embora por fraqueza tenhamos pecado e assim nos tornado culpados de desobedecer à vontade de Deus, pela fé podermos ir até a presença dele e pedir perdão. Por meio de Jesus podemos obter paz. A Bíblia nos mostra com clareza o perdão que recebemos por meio do sacrifício de Jesus por nossos pecados. As seguintes passagens nos dão a certeza de que Jesus está pronto para nos perdoar: “O Senhor diz: Venham agora, vamos discutir isso juntos. Ainda que os seus pecados sejam como a cor vermelha, eles ficarão brancos como a neve. Ainda que sejam como vermelho escuro, eles ficarão brancos como a lã.” (Isaias 1:18) “No entanto, era o nosso so frimento que ele estava carregando, era a nossa dor que ele estava suportando. E nós pensávamos que era por causa das suas próprias culpas que Deus o estava castigando, que Deus o estava maltratando e ferindo. Mas ele estava sofrendo por causa dos nossos pecados, estava sendo castigado por causa das nossas maldades. Nós obtemos paz por causa do castigo que ele sofreu, somos sarados pelos ferimentos que ele recebeu. Todos nós éramos como ovelhas que se haviam perdido; cada um de nós seguia o seu próprio caminho. Mas o Senhor colocou sobre ele [Jesus] a culpa e o pecado de todos nós.” (Isaías 53:4-6) “No dia seguinte, João viu Jesus, que vinha na direção dele, e disse: Olhem, ai está o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!” (João 1:29) 39 Ibd., 66.
  17. 17. 12 “Mas, se vivemos na luz, como Deus está na luz, então estamos unidos uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos limpa de todos os pecados. Se dissermos que não temos pecados, enganamos a nós mesmos, e não há verdade em nós. Mas, se confessarmos os nossos pecados a Deus, ele cumprirá a sua promessa e fará o que é justo: perdoará os nossos pecados e nos limpará de toda maldade.” (1 João 1:7-9) Toda vez que percebemos que podemos ter cometido algum pecado contra Deus, nós colocamos os olhos em Jesus. Ele morreu por nós. Confiando no que ele fez por nós, nós vamos até Deus e confessamos os nossos pecados. Com a ajuda do Espírito Santo podemos nos aproximar de Deus e dizer, audivelmente, a seguinte oração: Pai celestial, venho a ti com muita tristeza no coração. Acabei de saber que a pílula que eu estava tomando pode causar micro-aborto. Não sei se já tive um aborto no silêncio. Se tu impediste esse pecado, ó Senhor, eu louvo o teu Santo Nome. Mas se eu já tive um aborto no silêncio, ó Senhor, suplico o sangue de Jesus que foi derramado por mim na Cruz. Lava-me com o sangue de Jesus e torna-me pura aos teus olhos. E, Pai celestial, já que este mundo está cheio de coisas confusas e difíceis de entender, eu suplico a ti: enche-me com o teu Santo Espírito! Por meio do teu Espírito Santo, ajuda-me a compreender a tua santa Palavra e mostra-me a tua santa vontade para a minha vida. Capacita-me a viver pela fé, abençoa-me e protege-me em minha confiança em ti. Peço-te tudo no nome de Jesus. Amém. E agora, querida amiga, levante-se de seus joelhos e não fique triste, pois o Senhor nosso Deus é gracioso, onisciente e onipotente. Ele não só nos perdoa, mas também nos dá poder para transformar nossas experiências e erros em bênçãos (veja Romanos 8:28). Como Neemias disse às pessoas que estavam chorando: “Vão agora para casa e façam um a festa. Este dia é sagrado para o nosso Deus. Por isso, não fiquem tristes, pois a alegria que o Senhor dá fará com que vocês fiquem fortes.” (Neemias 8:10) Com as informações que acabou de ler, você ficou sabendo como é que funcionam alguns dispositivos e substâncias químicas usados na prática do planejamento familiar. Agora cabe a você proteger a sua saúde. Cuidando-se assim, você poderá também estar protegendo a vida de um futuro bebê. Copyright 2004 Julio Severo. Proibida a reprodução deste artigo sem a autorização expressa de seu autor. Julio Severo é autor do livro O Movimento Homossexual, publicado pela Editora Betânia. E-mail: juliosevero@hotmail.com

×