O movimento Coaching
na escola.
Universidade Veiga de Almeida – Ferramentas da web aplicadas à educação - Isaura Ladeira –...
Agenda
Universidade Veiga de Almeida – Ferramentas da web aplicadas à educação - Isaura Ladeira – julho 2014.
• Estudo de ...
Estudo de casos
O aluno visto fora e dentro do contexto escolar
Escola 1
• Pedro (nome fictício) acaba de ser expulso da quarta escola;
• Sua mãe implorou à diretora que não procedesse d...
Escola 2
• Vinícius (nome fictício) quase é expulso da terceira escola;
• Sua mãe não foi à reunião de pais (de novo). Tra...
Debate
Opiniões diversas, conceitos reais.
Debate - opiniões diversas, conceitos reais
• O que diferencia o final das duas histórias?
• O que causa a diferença na at...
Relembrando
as correntes teóricas
do desenvolvimento humano
Reducionistas
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas)
• Capacidades básicas de todo ser humano, como
personalidade,...
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas)
• A aprendizagem está centrada nos comportamentos
observáveis...
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas)
• Todo ser humano desde o nascimento já possui todas
as estru...
Construtivistas
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas)
• O conhecimento se dá pelas próprias descobertas;
• O pens...
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas)
• O conhecimento é gerado através da interação do
sujeito c...
Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas)
• A interação com outras pessoas é fundamental para o
desen...
Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar
as possibilidades para a sua própria produção ou a
sua construção.
Paulo ...
Como promover uma mudança comportamental
em sala de aula, sem o uso excessivo
de punições e desestímulo?
O movimento Coach...
Fundamentos do Coaching
Mas afinal, o que é Coaching?
A
história
de
Maya...
Isaura Silva Ladeira dos Santos – Coaching – UVA - 2013
Contando uma história
... mas o Tempo (essa brisa
suave que passa por nós todos
os dias) começou a apresentar à
Maya a ideia de que faltava algo...
E foi então, que a Casualidade (amiga do Tempo) apresentou à Maya
o experiente Adail.
Ele aceitou o convite de
auxiliar Ma...
O trabalho de Adail é chamado de Coaching, que significa auxiliar no
aprimoramento contínuo e no desenvolvimento da excelê...
Notas
Maya em havaiano significa água.
Este nome foi escolhido porque o Coachee precisa estar disposto a escutar o
Coach e...
O valor dos líderes seguidores
http://www.veduca.com.br/play/6158
Vídeo - Como iniciar um movimento.
O que podemos deixar como legado?
Sementes na educação
Bibliografia
COLLIN, CATHERINE et al. O livro da psicologia. Tradução Clara M. Hermeto e
Ana Luisa Martins. SãoPaulo: Glob...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O movimento Coaching na escola. A mudança no olhar sobre jovens não colaborativos.

491 visualizações

Publicada em

Material para palestra em escolas de primeiro e segundo segmentos, sobre a importância do Coaching, com o objetivo de mudar o olhar sobre alunos não colaborativos em sala de aula. Fundamento: A escola não deve estar direcionada apenas ao acúmulo de conhecimentos teóricos. Enxergar um indivíduo fazendo-o parte do todo, faz com que este possa sentir-se importante o suficiente para colaborar e entender seu papel não apenas na escola, mas principalmente na sociedade.
O professor que implementa um trabalho de coaching na escola, permite a si próprio e a seus alunos um desenvolvimento mais focado, mais planejado e mais eficaz. Nota: A formação de Coaching é requerida dos profissionais que desejam atuar na área, porém, esta palestra visa a sensibilização e não a formação específica.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
491
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O movimento Coaching na escola. A mudança no olhar sobre jovens não colaborativos.

  1. 1. O movimento Coaching na escola. Universidade Veiga de Almeida – Ferramentas da web aplicadas à educação - Isaura Ladeira – julho 2014.
  2. 2. Agenda Universidade Veiga de Almeida – Ferramentas da web aplicadas à educação - Isaura Ladeira – julho 2014. • Estudo de casos; • Debate – Opiniões diversas, conceitos reais; • Relembrando as correntes teóricas do desenvolvimento humano: reducionistas e construtivistas; • Mesa redonda - Como a escola atua no processo Ensino/Aprendizagem; • O movimento Coaching na escola; • Mas afinal, o que é Coaching? • Contando uma história - A história de Maya; • Vídeo: Como iniciar um movimento; • Sementes na educação - O que podemos deixar como legado?
  3. 3. Estudo de casos O aluno visto fora e dentro do contexto escolar
  4. 4. Escola 1 • Pedro (nome fictício) acaba de ser expulso da quarta escola; • Sua mãe implorou à diretora que não procedesse desta forma. Trabalha fora o dia todo e não consegue acompanhar o filho diariamente; • A diretora informa que a educação depende da família. A escola não pode se responsabilizar por alguém tão desrespeitoso; • Pedro é expulso. Seu paradeiro é ignorado; • A escola permanece atuante: elogia quem é obediente; exclui quem “não quer nada”. Caso “Ele não merece estar aqui.”
  5. 5. Escola 2 • Vinícius (nome fictício) quase é expulso da terceira escola; • Sua mãe não foi à reunião de pais (de novo). Trabalha fora o dia todo e não consegue acompanhar o filho diariamente; • A diretora teme que Vinícius não tenha nenhuma chance, se for expulso; • Exige dele que mude seu comportamento. Acompanha-o diariamente em atividades extras; • Vinícius colabora e muda suas atitudes. O case torna-se público e a diretora ganha um prêmio; • Muitos dizem: “Ela teve sorte. Apenas isto”. Caso “Ele pertence a este lugar.”
  6. 6. Debate Opiniões diversas, conceitos reais.
  7. 7. Debate - opiniões diversas, conceitos reais • O que diferencia o final das duas histórias? • O que causa a diferença na atitude das duas diretoras? • A primeira foi displicente? A segunda foi complacente? Ambas agiram corretamente dentro de suas possibilidades? • Por que situações parecidas levam a atitudes tão diferentes? • Já vivenciou alguma história parecida? • O que você faria?
  8. 8. Relembrando as correntes teóricas do desenvolvimento humano
  9. 9. Reducionistas
  10. 10. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas) • Capacidades básicas de todo ser humano, como personalidade, comportamento, potencial, forma de pensar e etc, são inatas; • As interações sócio-culturais são desconsideradas; • O desenvolvimento depende da maturação do indivíduo, e a maturidade é justamente pré requisito para que haja aprendizagem; • Logo, se o aluno não estiver interessado em se desenvolver, carregará a culpa pelo não desenvolvimento. Inatismo
  11. 11. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas) • A aprendizagem está centrada nos comportamentos observáveis; • Procedimentos didáticos não precisam ter relação com o cotidiano do aluno; • O ensino é centrado no professor; • A programação de experiências curriculares levam a um novo comportamento. Comportamentalismo
  12. 12. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (reducionistas) • Todo ser humano desde o nascimento já possui todas as estruturas do conhecimento; • Pensamento e percepção estão ligados; • Aprendizagem por insight; • O processo de aprendizagem deriva-se dos estados mentais, que captam sinais através dos sentidos, dando ênfase à visão. Gestaltismo
  13. 13. Construtivistas
  14. 14. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas) • O conhecimento se dá pelas próprias descobertas; • O pensamento infantil passa por quatro estágios desde o nascimento até a adolescência, quando sua capacidade plena de raciocínio é atingida; • O aprendizado é construído pelo aluno. Construtivismo
  15. 15. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas) • O conhecimento é gerado através da interação do sujeito com o meio, a partir de características prévias existentes no indivíduo; • A aprendizagem está sujeita ao desenvolvimento cognitivo, através dos sucessivos estágios, de acordo com as diferentes fases pelas quais os indivíduos passam. Epistemologia Genética
  16. 16. Correntes teóricas do desenvolvimento humano (construtivistas) • A interação com outras pessoas é fundamental para o desenvolvimento; • A aprendizagem desperta os processos internos de desenvolvimento cognitivo; • Percurso externo para o interno, do social para o individual; • É na relação dialética com o mundo, que o sujeito se liberta. Sociointeracionismo
  17. 17. Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção. Paulo Freire Mesa redonda - Como a escola atua no processo Ensino/Aprendizagem? Por que crianças obedientes recebem mais atenção? Por que é preciso mudar? Livro: Pedagogia da Autonomia.
  18. 18. Como promover uma mudança comportamental em sala de aula, sem o uso excessivo de punições e desestímulo? O movimento Coaching na escola
  19. 19. Fundamentos do Coaching Mas afinal, o que é Coaching?
  20. 20. A história de Maya... Isaura Silva Ladeira dos Santos – Coaching – UVA - 2013 Contando uma história
  21. 21. ... mas o Tempo (essa brisa suave que passa por nós todos os dias) começou a apresentar à Maya a ideia de que faltava algo muito especial. Maya sempre foi considerada sortuda. Era a lagarta perfeita, cheia de sonhos e expectativas de vida, logo, era realmente muito feliz... Coaching Faltava que ela seguisse seu caminho e se tornasse borboleta... e não simplesmente porque é o destino de toda lagarta. Algumas, inclusive, às vezes não querem ou não precisam mudar. E embora o tempo insistisse que já era hora e Maya sentisse o surpreendente chamado da própria vontade, realmente não sabia como fazer...
  22. 22. E foi então, que a Casualidade (amiga do Tempo) apresentou à Maya o experiente Adail. Ele aceitou o convite de auxiliar Maya a gerenciar Foco e Ação, para que ela conseguisse realizar seu objetivo. Adail não decidiu o caminho de Maya, nem tão pouco escolheu como ela iria criar a metamorfose necessária; mas através de técnicas específicas, conseguiu auxiliá-la a fazer escolhas e cumprir suas ações. Ele usou todos os seus conhecimentos e o melhor da psicologia humanista, do construtivismo, do zen budismo e da comunicação assertiva, porém, jamais julgou as escolhas de Maya; jamais fez com que ela se sentisse incapaz. Coaching
  23. 23. O trabalho de Adail é chamado de Coaching, que significa auxiliar no aprimoramento contínuo e no desenvolvimento da excelência, através de um processo de realização de metas, atuando com equilíbrio emocional... Por fim, Maya atingiu seu objetivo, tornando- se a borboleta que sempre havia desejado. Para que o processo funcionasse, Maya ouviu com atenção, reconheceu o apoio, definiu seu objetivo, realizou as ações necessárias e encerrou seu processo de metamorfose. ...o que resulta no desempenho de excelência a longo prazo, autocorreção e autogeração. Coach (Adail) e Coachee (Maya), personagens do processo de Coaching. Tempo e Casualidade, personagens que encontramos pelo caminho... Coaching
  24. 24. Notas Maya em havaiano significa água. Este nome foi escolhido porque o Coachee precisa estar disposto a escutar o Coach e entender que é preciso ser flexível, como o fluxo de água que segue em frente, embora possam existir vários obstáculos em seu trajeto. Adail em árabe significa aquele que mostra o caminho. O Coach não decide o caminho, apenas colabora para que a cada passo, o objetivo esteja mais próximo de ser realizado. Fonte: http://www.significado.origem.nom.br/ Coaching
  25. 25. O valor dos líderes seguidores http://www.veduca.com.br/play/6158 Vídeo - Como iniciar um movimento.
  26. 26. O que podemos deixar como legado? Sementes na educação
  27. 27. Bibliografia COLLIN, CATHERINE et al. O livro da psicologia. Tradução Clara M. Hermeto e Ana Luisa Martins. SãoPaulo: Globo 2012; FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia - Saberes necessários à prática educativa. EGA 1996; PORTES, Luiza - Professora Autora. Curso: Fundamentos Epistemológicos da Aprendizagem. AVA Universidade Veiga de Almeida. CORREIA, Geny Dias – Professora Autora. Curso: Coaching. AVA Universidade Veiga de Almeida. <http://www.significado.origem.nom.br/>.

×