Impressionismo

2.833 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre impressionismo.

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.833
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
75
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Impressionismo

  1. 1. Claude MonetArte Impressionista<br /> “Pinto como um pássaro canta”.<br />1<br />
  2. 2. Índice<br />Introdução..........................................3<br />Arte Impressionista.............................4<br />Monet.................................................6<br />Vida e Obra.........................................7<br />Outras Obras de Monet......................15<br />Bibliografia..........................................20<br />Fim......................................................21<br />2<br />
  3. 3. Introdução<br />Nesta etapa do projeto foi-nos solicitado uma pesquisa<br />sobre a arte impressionista, deixando a cargo do grupo a<br />escolha do artista representativo deste movimento.<br />Claude Monet foi o escolhido. Monet foi um grande<br />pintor e um dos mais importantes representantes do<br />impressionismo. Foi uma de suas<br />pinturas, “Impressão: Nascer do Sol”, que<br />deu nome ao movimento artístico<br />impressionista.<br />3<br />
  4. 4. Impressão Nascer do Sol<br />4<br />
  5. 5. Arte Impressionista<br />O Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século XX. Havia algumas considerações gerais, muito mais práticas do que teóricas, que os artistas seguiam em seus procedimentos técnicos para obter os resultados que caracterizaram a pintura impressionista.  <br /> Principais características da pintura: <br /> A pintura deve registrar as tonalidades que os objetos adquirem ao refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da natureza se modificam constantemente, dependendo da incidência da luz do sol. <br /> As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração do ser humano para representar imagens. <br /> As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores costumavam representá-las no passado. <br /> Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei das cores complementares. Assim, um amarelo próximo a um violeta produz uma impressão de luz e de sombra muito mais real do que o claro-escuro tão valorizado pelos pintores barrocos. <br /> As cores e tonalidades não devem ser obtidas pela mistura das tintas na paleta do pintor. Pelo contrário, devem ser puras e dissociadas nos quadros em pequenas pinceladas. É o observador que, ao admirar a pintura, combina as várias cores, obtendo o resultado final. A mistura deixa, portanto, de ser técnica para se óptica. A primeira vez que o público teve contato com a obra dos impressionistas foi numa exposição coletiva realizada em Paris, em abril de 1874. Mas o público e a crítica reagiram muito mal ao novo movimento, pois ainda se mantinham fiéis aos princípios acadêmicos da pintura.   <br />5<br />
  6. 6. Monet<br />“...Passei por uma época inovadora onde descoberta e revoluções eram notícias hora a hora, onde houve ricos e ladrões, artistas, poetas e pintores, convivi com o lascivo e o chique, com ódio, traição e amores, e tudo quanto pintei foram piqueniques”. <br />6<br />
  7. 7. Vida e Obra<br />Claude Monet nasceu em Paris, em 14 de novembro de 1840. Quando tinha<br />cinco anos, sua família mudou-se para Sainte-Adresse, perto do Havre, e ali o<br />futuro mestre começou a pintar. Com menos de 15 anos Monet já era<br />conhecido em sua cidade por retratar personalidades importantes. <br />Duas influências marcantes despertaram-lhe o interesse pela luz e pela cor:<br />descobriu as gravuras do japonês Hokusai e a pintura de EugèneBoudin, que<br />o iniciou na prática, então pouco comum, de realizar estudos da natureza ao<br />ar livre.<br />Em 1859 e 1860, o jovem pintor esteve em Paris, onde se entusiasmou com a<br />escola de Barbizon, recusou-se a ingressar na Escola de Belas-Artes e preferiu<br />visitar os locais freqüentados pelos inovadores da época.<br />Passou a trabalhar na Academia Suíça, onde conheceu CamillePissarro<br />(aquela que seria sua futura esposa), mas o serviço militar na Argélia<br />interrompeu-lhe a experiência.<br />7<br />
  8. 8. Vida e Obra<br />Em 1862, Monet voltou a Paris para estudar no ateliê do<br />academista Charles Gleyre, onde conheceu Frédéric<br />Bazille, Alfred Sisley e Renoir (outros grandes representantes do<br />movimento impressionista). Levava então vida nômade e de<br />freqüentes dificuldades, apesar do sucesso do retrato de<br />CamilleDoncieux, sua mulher, (1866).<br />    <br />Para evitar a guerra franco-prussiana, Monet foi para Londres, onde fez<br />contato com representantes das vanguardas francesas e com o<br />marchand Paul Durand-Ruel, mais tarde seu agente. Foi o tempo de "O<br />Parlamento de Londres" (1871), após conhecer as obras dos mestres<br />ingleses, inclusive Constable e Turner.<br />8<br />
  9. 9. CamilleDoncieux, O vestido verde(1886) <br />9<br />
  10. 10. Vida e Obra<br />De volta à França, Monet instalou-se em 1876 em<br />Argenteuil, à margem do Sena, e realizou suas mais<br />famosas séries, como "A estação de Saint-Lazare" (1877),<br />"Os álamos" (1891) e "A catedral de Rouen" (1892), em<br />que as mesmas cenas foram representadas em horas<br />diversas, em diferentes condições de luz.<br />Em sua casa em Giverny, também perto do Sena, a partir<br />de 1883 Monet cultivou nenúfares, motivo de seus últimos<br />quadros, como a série "Ninféias", que preludia a arte<br />abstrata, pintada quando o artista já sofria graves<br />distúrbios de visão. <br />Monet morreu em Giverny, em 5 de dezembro de 1926.<br />10<br />
  11. 11. A estação de Saint-Lazare<br />11<br />
  12. 12. Os álamos (1891)<br />12<br />
  13. 13. Nenúfares<br />Le pontJaponais a Giverny<br />WaterLilies<br />13<br />
  14. 14. Catedral de Rouen<br />14<br />
  15. 15. OUTRASOBRAS DE CLAUDE MONET<br />15<br />
  16. 16. Mulheres no Jardim<br />16<br />
  17. 17. Madame Monet e seu filho <br />17<br />
  18. 18. Caminho entre o milharal<br />18<br />
  19. 19. Camille<br />19<br />
  20. 20. Fontes<br />http://www.tci.art.br/monet/Biografia.htm<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Monet<br />http://en.wikipedia.org/wiki/Claude_Monet<br />20<br />
  21. 21. FIM<br />PAULA SARAIVA<br /> FERNANDA LUIZA<br /> KAROLINA DE PAULA<br /> RÚBRIA<br /> MARIANA<br /> BÁRBARA<br /> VITOR DOUGLAS<br /> WILLIAM<br />21<br />

×