Successfully reported this slideshow.
NÃO À TRATATIVA
ONCOLÓGICA 2014!
DENÚNCIA ONCOGUIA CONTRA A
UNIMED DO BRASIL
Em 2014, A Unimed do
Brasil divulgou um
documento denominado
“Tratativa Oncológica 2014”,
documento que é
basicamente um g...
Mas qual é o problema
desse documento?
O grande problema
desse documento é que
diversos medicamentos
foram classificados pela
UNIMED como “não
recomendados”, mes...
Isso significa que os pacientes que pagam os
planos de saúde vinculados a UNIMED Brasil
podem não ter acesso a tratamentos...
Após a constatação do
problema, o Instituto
Oncoguia decidiu não se
calar diante deste problema
e apresentou na ANS, uma
d...
Em setembro de
2015, a ANS, a
partir da denúncia
apresentada pelo
Oncoguia, abriu um
Processo
Administrativo
contra a UNIM...
No mês de fevereiro de
2016, o Oncoguia enviou
ofício ao Núcleo da ANS
(SP), reforçando a
relevância do assunto e
solicita...
Em sua defesa, a Unimed do Brasil argumentou que o documento
publicado (Tratativa Oncológica) se constituiria numa mera
di...
O Instituto Oncoguia, embora não concorde,
respeita a decisão da ANS. Consideramos, no
mínimo, inapropriada e temerária a ...
Também ressaltamos que, apesar de termos relatos
anônimos de médicos alegando terem sofrido restrições
na liberdade de exe...
Caso você seja paciente e tenha sua medicação constante do rol da ANS negada
pela Operadora, não deixe de realizar sua rec...
Denúncia Oncoguia: Unimed do Brasil
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Denúncia Oncoguia: Unimed do Brasil

711 visualizações

Publicada em

Entenda por que o Oncoguia abriu uma denúncia na Agência Nacional da Saúde (ANS) contra a Unimed do Brasil

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Denúncia Oncoguia: Unimed do Brasil

  1. 1. NÃO À TRATATIVA ONCOLÓGICA 2014! DENÚNCIA ONCOGUIA CONTRA A UNIMED DO BRASIL
  2. 2. Em 2014, A Unimed do Brasil divulgou um documento denominado “Tratativa Oncológica 2014”, documento que é basicamente um guia para os prestadores de saúde conveniados à UNIMED seguirem no tratamento do câncer.
  3. 3. Mas qual é o problema desse documento?
  4. 4. O grande problema desse documento é que diversos medicamentos foram classificados pela UNIMED como “não recomendados”, mesmo tendo registro na ANVISA e fazendo parte do Rol da ANS, lista que contém os tratamentos mínimos que os planos devem oferecer independente do plano contratado.
  5. 5. Isso significa que os pacientes que pagam os planos de saúde vinculados a UNIMED Brasil podem não ter acesso a tratamentos que a ANS obriga que os planos forneçam! Basicamente a tratativa recomenda aos médicos a não prescreverem alguns tratamentos importantes aos seus pacientes.
  6. 6. Após a constatação do problema, o Instituto Oncoguia decidiu não se calar diante deste problema e apresentou na ANS, uma denúncia sobre a ilegalidade da “Tratativa Oncológica 2014”.
  7. 7. Em setembro de 2015, a ANS, a partir da denúncia apresentada pelo Oncoguia, abriu um Processo Administrativo contra a UNIMED DO BRASIL.
  8. 8. No mês de fevereiro de 2016, o Oncoguia enviou ofício ao Núcleo da ANS (SP), reforçando a relevância do assunto e solicitando prioridade no julgamento da denúncia.
  9. 9. Em sua defesa, a Unimed do Brasil argumentou que o documento publicado (Tratativa Oncológica) se constituiria numa mera diretriz, sem a pretensão de impedir o médico de prescrever procedimentos previstos no rol. Com isto, após a análise, a chefe do núcleo de SP da ANS acolheu os argumentos da UNIMED, por entender inexistir a infração inicialmente imputada à autuada, determinando o arquivamento do processo.
  10. 10. O Instituto Oncoguia, embora não concorde, respeita a decisão da ANS. Consideramos, no mínimo, inapropriada e temerária a existência de diretrizes corporativas que declaram não recomendar procedimentos constantes das diretrizes de utilização do rol da ANS.
  11. 11. Também ressaltamos que, apesar de termos relatos anônimos de médicos alegando terem sofrido restrições na liberdade de exercício profissional, há receio por parte destes de sofrerem retaliações caso se apresentem publicamente. Não obstante isso, seguimos estimulando os médicos que se sentirem lesados na sua liberdade profissional a denunciarem tais práticas à ANS.
  12. 12. Caso você seja paciente e tenha sua medicação constante do rol da ANS negada pela Operadora, não deixe de realizar sua reclamação perante a Agência através do Disque ANS - 0800 7019656. Você também pode nos contatar através do nosso Ligue Câncer 0800 7731666 para que possamos reforçar perante a agência a reincidência da prática.

×