Câncer de Próstata

201 visualizações

Publicada em

Pesquisa sobre Câncer de Próstata

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
201
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câncer de Próstata

  1. 1. Conhecendo  a  realidade  dos  pacientes  com   Câncer  de  Próstata  
  2. 2. Participantes   Paciente,   72,1%   Familiar,   28,0%   N  =  62  
  3. 3. Idade  do  paciente     (Pedimos  para  que  o  familiar  respondesse  pensando  no  paciente)   <  50  anos,   18,5%   >  50  anos,   81,5%   N  =  65  
  4. 4. Você  costumava  ir  ao  urologista  ao  menos  a  cada  3   anos?   Sim,   58,5%   Não,   41,5%   N  =  65   Desde  quando?   A  partir  dos   30  anos   A  partir  dos   40  anos   A  partir  dos   50  anos   Nunca  tinha   ido   4,9%   34,4%   32,8%   27,9%   N  =  61   27,9%  nunca  +nham  ido  ao  urologista    
  5. 5. Você  sentiu  algum  sinal  ou  sintoma?   Sim,   49,2%  Não,   50,8%   N  =  61   Se  sim,  quais?   Vontade  de   urninar  com   frequência   Urina  ou   semêm  com   sangue   Dor  durante   a  ejaculação   Dor  ao   urinar   Dor  óssea   Dificuldade   para  urinar   75,0%   8,3%   13,9%   33,3%   13,9%   55,6%   N  =  36  
  6. 6. Qual  é  o  seu  diagnóstico?   Câncer  de  próstata   Câncer  de  próstata   avançado   Câncer  de  bexiga   Hiperplasia  benigna   da  próstata   84,4%   8,9%   2,2%   4,4%   N  =  45  
  7. 7. Você  teve  dificuldade  para  obter  o  diagnóstico   definitivo?     Sim,   15,1%   Não,   84,9%   N  =  53   Principais  comentários  dos  pacientes:     •  Sempre  fiz  exames  preventivos  na  rede  privada,  uma   vez  constatada  a  doença  por  biópsia  de  fragmentos,   deveria  fazer  novos  exames  imediatamente,  só  que   são  caros  e  não  tenho  como  prosseguir...  E  agora?   •  Por  mais  de  6  anos  o  médico  só  solicitou  exames  de   PSA  e  jato  urinário.  Como  o  PSA  teve  poucas   alterações,  ele  parou  de  investigar  melhor.   •  Tinha  diagnóstico,  mas  o  urologista  sugeriu  fazer   controle  por  2  anos.   •  A  primeira  é  a  demora  dos  exames  pelo  SUS,  depois  é   que  o  ultrassom  não  mostra  a  imagem  correta  então   foi  preciso  fazer  a  tomografia  que  só  foi  conseguido   por  priorizar  emergencialmente  pois  sou  cardíaco  tri-­‐ arterial  grave  com  atenção  de  alto  risco  classe  CF  III.   •  Falta  do  pedido  de  biópsia.  
  8. 8. Tratamentos  realizados/realizando   N  =  40   Conduta   expectante   Cirurgia   Cirurgia  +   radioterapia   Cirurgia  +   radioterapia   +  castração   Radioterapia   Radioterapia   +  associada  a   castração   Castração   25,0%   32,5%   12,5%   12,5%   17,5%   7,5%   10,0%  
  9. 9. Você  enfrentou  efeitos  colaterais  da  cirurgia?   Sim,   71,0%   Não,   29,0%   N  =  31   Se  sim,  quais?   Incontinência   urinária   Impotência   Engordei   37,5%   58,3%   4,2%   N  =  24  
  10. 10. Você  enfrentou  efeitos  colaterais  da  castração?   Sim,   36,8%   Não,   10,5%   N  =  38   Se  sim,  quais?   30,0%   20,0%   15,0%   5,0%   5,0%   25,0%   N  =  14   Não  fiz    castração,   52,6%  
  11. 11. Problemas  enfrentados  em  algum  momento   Dificuldade  em   passar  pelo   urologista   Mais  de  2   meses  para   fazer  biópsia   Mais  de  2   meses  para   iniciar   tratamento   Problemas  com   plano  de  saúde   Efeitos   colaterais   Problemas  no   relacionamento   Depressão   17,1%   40,0%   28,6%   17,1%   22,9%   28,6%   40,0%  N  =  35  
  12. 12.   •  Já  passei  por  todas  etapas  do  tratamento  e  segundo  a  médica  daqui  pra  frente  o  controle  é  com   medicamento,  pois  meu  PSA  está  alto.   •  Meu  pós  operatório  foi  muito  sofrido,  tive  muitas  dores.   •  Tenho  metástase  óssea  e  linfonodos  comprometidos!  Mas  estou  VIVO  e  lutando.   •  Durante  minha  recuperação  não  tive  apoio  da  minha  família  e  solicitei  ao  meu  urologista   acompanhamento  psicológico  e  psiquiátrico.  Hoje  tenho  99%  de  ereção  por  meio  de  cialis  diário  e  muito   pouca  incontinência.  Me  encontro  num  momento  muito  feliz,  pois,  de  acordo  com  meu  médico  os   exames  de  PSA  e  hemograma  estão  satisfatórios.  Passei  os  piores  momentos  da  minha  vida,  inclusive  fui   chamado  à  delegacia  local  por  ter  me  desentendido  com  minha  esposa  e  filhos.  Sinceramente  não  sei   como  superei  esses  momentos  conturbados  que  passei  e  estou  passando.  Esses  são  mais  alguns  dos   efeitos  colaterais  dessa  doença  silenciosa.  Obrigado  pelo  desabafo   •  Dificuldade  no  tratamento  pelo  SUS.  Como  o  plano  ainda  estava  no  prazo  de  carência  conseguimos  a   cirurgia  pelo  plano  de  saúde  só  após  liminar.  No  SUS  fizemos  uma  reclamação  na  secretária  da  saúde,  e   mesmo  ultrapassado  o  prazo  de  60  dias  não  obtivemos  sucesso.  O  tratamento  será  realizado  pelo  plano   de  saúde.     •  Como  sequela  das  sessões  de  radioterapia  tenho  retite  actínica  e  diveticulose   •  Tive  receio  de  impotência,  que  se  dissipou  dois  meses  depois.   •  Tive  impotência  por  mais  ou  menos  1  ano  e  não  tenho  ejaculação  desde  a  cirurgia.   •  Sempre  tive  medo  do  encontro  com  o  urologista     •  Consultei  num  posto  do  SUS  por  causa  da  dificuldade  de  urinar,  daí  em  diante  consultei  com  urologista   particular  e  em  menos  de  uma  semana  fiz  a  cirurgia  de  desobstrução  da  uretra  e  biópsia  e  já  estava  com   o  diagnostico  em  mãos,  foi  tudo  rápido  por  ser  particular.  Agora  sigo  pelo  SUS.   Principais  comentários...  

×