Câncer de Pâncreas

16.346 visualizações

Publicada em

O câncer de pâncreas é uma doença silenciosa, porque os sintomas geralmente não se apresentam nos estágios iniciais.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10.560
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
101
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câncer de Pâncreas

  1. 1. Câncer de Pâncreas
  2. 2. O pâncreas é uma glândula, de aproximadamente 15 a 20 cm, localizada no abdome, atrás do estômago e próximo ao duodeno e constituído por três partes: uma cabeça larga, um corpo afilado e uma cauda estreita que termina em ponta. O pâncreas tem duas funções importantes: • Produzir as enzimas para a digestão dos alimentos • Secretar os hormônios insulina, glucagon e somatostatina. O que é o Pâncreas? O câncer de pâncreas ocorre quando células malignas crescem, se dividem e se espalham de forma desorganizada.
  3. 3. As células exócrinas e as endócrinas do pâncreas formam tipos completamente diferentes de tumores, por isso é importante distinguir os cânceres de pâncreas exócrinos e endócrinos, uma vez que cada tipo de tumor apresenta diferentes: • Fatores de risco e causas. • Sinais e sintomas. • Diagnósticos por meio de exames. • Tratamentos. • Prognósticos. Tipos de Câncer de Pâncreas
  4. 4. O câncer de pâncreas é uma doença silenciosa, porque geralmente não apresenta sintomas nos estágios iniciais. Mas, quando o tumor cresce e se espalha, a dor muitas vezes se apresenta na parte superior do abdome e às vezes irradia-se para as costas, podendo piorar após as refeições. Outros sintomas podem incluir: • Icterícia. • Náuseas. • Perda de apetite. • Perda de peso. • Fadiga. • Fraqueza. Sinais e Sintomas
  5. 5. Embora a causa exata do câncer de pâncreas seja desconhecida, o tabagismo é o principal fator de risco. Fumantes tem de 2 a 3 vezes mais chances de ter a doença do que os não fumantes. A idade também está relacionada com a doença geralmente após os 45 anos. O diabetes também está ligado ao câncer de pâncreas, cerca de 10 - 20% das pessoas diagnosticadas com câncer de pâncreas tem diabetes. Causas do Câncer Outros riscos incluem pancreatite crônica, cirrose, histórico familiar de câncer de pâncreas, dieta rica em gordura, obesidade e sedentarismo.
  6. 6. O desafio desta doença é diagnosticá- la precocemente, pois em um exame de rotina, apenas, o médico não pode ver ou sentir o tumor. Exames de imagem, como tomografia, ultrassom, ressonância magnética, e angiografia, ajudam a localizar a lesão e são extremamente úteis para determinar a extensão da doença, o que se denomina “estadiamento do câncer de pâncreas”. Diagnóstico
  7. 7. Essa é a única maneira de fazer o diagnóstico definitivo do câncer de pâncreas. O procedimento consiste na remoção de uma pequena quantidade de tecido para exame ao microscópio. Os principais tipos de biópsias utilizadas para o diagnóstico do câncer de pâncreas são: • Biópsia percutânea. • Biópsia endoscópica. • Biópsia cirúrgica. Biópsia do Câncer de Pâncreas
  8. 8. Se a doença estiver restrita ao pâncreas, a cirurgia pode curar o câncer. Os tipos de cirurgia realizados podem ser: • Cirurgia potencialmente curativa - Realizada quando os resultados dos exames sugerem que é possível remover todo o tumor. • Cirurgia paliativa - Realizada para aliviar os sintomas da doença ou prevenir determinadas complicações. Tratamento: Cirurgia Os efeitos colaterais dependem da extensão da cirurgia, o tumor é retirado, deixando o máximo possível da parte normal do pâncreas intacta.
  9. 9. A radioterapia utiliza radiações ionizantes de alta energia para destruir as células cancerosas. O tratamento radioterápico consiste em liberar uma determinada dose de radiação no pâncreas, geralmente fracionada em 5 tratamentos por semana durante um determinado período de tempo. Tratamento: Radioterapia A radioterapia também pode ser realizada como uma forma de destruir as células cancerígenas remanescentes da cirurgia ou para aliviar a dor ou problemas digestivos provocados por grandes massas tumorais.
  10. 10. Com a finalidade de destruir as células cancerígenas e impedi-las de crescer ou se multiplicar, a quimioterapia pode ser administrada por via venosa ou via oral, com períodos de repouso para que o organismo possa se recuperar do tratamento. Cada ciclo de quimioterapia dura em geral algumas semanas, e essa terapia também é útil após a cirurgia para destruir as células cancerígenas remanescentes. Tratamento: Quimioterapia
  11. 11. A terapia alvo é um tipo de tratamento que usa medicamentos ou outras substâncias para identificar e atacar as células cancerígenas com pouco dano às células normais. Cada tipo de terapia alvo funciona de uma maneira diferente, mas todas alteram a forma como uma célula cancerígena cresce, se divide, se auto repara ou como interage com outras células. Tratamento: Terapia Alvo Os medicamentos alvo agem de forma diferente dos quimioterápicos padrões e são menos susceptíveis de afetar as células normais, de modo que os seus efeitos colaterais são diferentes dos observados com os quimioterápicos convencionais.
  12. 12. Estes tratamentos consistem em diferentes maneiras de destruir os tumores, em vez de removê-los cirurgicamente. Às vezes são utilizados no tratamento do câncer de pâncreas disseminado, especialmente para o fígado. Tratamento: Ablação e Embolização Entretanto, esses tratamentos isolados não curam a doença. São utilizados para prevenir ou aliviar os sintomas do câncer, e muitas vezes usados junto com outros tipos de tratamentos.
  13. 13. A dor pode ser um grande problema aos pacientes, particularmente para aqueles com o tipo exócrino. Estes tumores podem invadir e comprimir os nervos próximos ao pâncreas provocando dor no abdome ou nas costas. Para a maioria dos pacientes, o tratamento com morfina ou similares controlam a dor, embora muitos pacientes tenham receio de tomar esses medicamentos por medo da dependência. Entretanto, alguns estudos mostraram que esse risco é baixo - se o paciente seguir corretamente a prescrição médica. Controle da Dor
  14. 14. Viver com câncer de pâncreas não é fácil. É fundamental poder contar com alguma forma de apoio para ajudar a lidar com os aspectos emocionais e práticos da doença. Existem muitas formas de se obter apoio na comunidade, além da família e amigos. É possível também participar de grupos de apoio presencial e online. Obtendo Apoio Aqui, no Oncoguia, queremos que saiba que “Você Não Está Sozinho!” Conte conosco sempre que quiser e precisar.

×