SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
Câncer de Pênis
Câncer de Pênis
O câncer de pênis é um tumor maligno relativamente raro que se desenvolve
geralmente a partir dos 50 anos, embora possa atingir pessoas mais jovens. Quase
todos os cânceres de pênis se iniciam nas células da pele do pênis. O câncer de pênis
representa cerca de 2% do total das neoplasias que atingem o homem, sendo mais
frequente nas regiões norte e nordeste do país.
Fatores de Risco
A ocorrência do câncer de pênis está associada à situação socioeconômica da
população atingida, à má higiene íntima e a homens que não se submeteram à
circuncisão (remoção do prepúcio, pele que reveste a glande ou cabeça do pênis).
As secreções retidas em torno da glande são o fator etiológico da doença mais
provável. O estreitamento do prepúcio é um fator de predisposição ao câncer
peniano. Alguns estudos sugerem a associação do câncer de pênis à infecção pelo
papiloma vírus humano (HPV).
Sinais e Sintomas
Na maioria dos casos, a manifestação clínica mais comum do câncer de pênis é a
alteração na pele do pênis, que pode mudar de cor, tornando-se mais grossa ou pode
aparecer uma protuberância em alguma região. Alguns homens podem notar uma
ferida ou úlcera persistente, ou ainda um nódulo, localizado na glande, prepúcio ou
no corpo do pênis. A presença de um desses sinais, associados a uma secreção
branca, pode ser indicativa da doença. O inchaço na extremidade do pênis,
especialmente quando o prepúcio é retraído, é mais um sinal comum do câncer de
pênis. Se a doença se disseminar, os linfonodos da virilha podem ser apalpados como
nódulos sob a pele.
Tipos de Câncer de Pênis
Os principais tipos de câncer de pênis são:
• Carcinoma de Células Escamosas - Correspondem a quase 95% dos casos e se
desenvolvem em qualquer lugar do pênis.
• Melanoma - É um tipo de câncer de pele que começa nos melanócitos. Menos de
2% dos cânceres de pênis são melanomas.
• Carcinoma Basocelular - Representa menos de 2% dos casos.
• Adenocarcinoma (Doença de Paget do Pênis) - Tipo muito raro que se desenvolve a
partir das glândulas sudoríparas da pele do pênis.
• Sarcoma – Se desenvolve a partir dos vasos sanguíneos, músculo ou outras células
do tecido conjuntivo do pênis e são denominados sarcomas.
Diagnóstico do Câncer de Pênis: Imagem
Os exames de imagem ajudam a localizar a lesão e são extremamente úteis para
determinar a extensão da doença o que se denomina estadiamento do câncer. Os
principais exames utilizados para o diagnóstico ou estadiamento do câncer de pênis
são:
• Tomografia Computadorizada.
• Ressonância Magnética.
• Ultrassom.
Diagnóstico do Câncer de Pênis: Biópsia
Biópsia é a remoção de uma amostra de tecido para avaliação anatomopatológica da
presença (ou não) de câncer. Os principais tipos de biópsias para câncer de pênis são:
• Biópsia incisional - Apenas uma parte do tecido é retirada, geralmente realizada para
tumores maiores, ulcerados ou que cresceram para dentro do tecido.
• Biópsia excisional – Toda lesão é retirada. É mais utilizada para lesões pequenas, como
um nódulo ou áreas de até 1 cm de diâmetro.
• Punção aspirativa por agulha fina (PAAF) - Utilizada uma agulha fina acoplada a uma
seringa para aspirar uma amostra do tecido tumoral para análise.
• Cirurgia dos gânglios linfáticos - Para pacientes com tumores grandes e profundos
dentro do pênis, os linfonodos próximos são retirados para determinar o estadiamento
da doença.
Estadiamento do Câncer de Pênis
O estadiamento descreve aspectos do câncer, como localização, disseminação e se está
afetando as funções de outros órgãos do corpo. Conhecer o estágio do tumor ajuda na
definição do tipo de tratamento e no prognóstico do paciente.
• Estágio 0 - Tis ou Ta, N0, M0.
• Estágio I - T1a, N0, M0.
• Estágio II - T1b, N0, M0 ou T2, N0, M0 ou T3, N0, M0.
• Estágio IIIa - T1 to T3, N1, M0.
• Estágio IIIb - T1 a T3, N2, M0.
• Estágio IV - T4, qualquer N, M0 ou Qualquer T, N3, M0 ou Qualquer T, qualquer
N, M1.
Tratamento: Cirurgia
A cirurgia é o tratamento mais comum para todos os estágios do câncer de pênis. Se a
doença for diagnosticada em estágio inicial, o tumor pode, muitas vezes, ser tratado sem
que seja necessária a remoção do pênis. Os tipos de cirurgia disponíveis são:
• Circuncisão – Retira o prepúcio e a pele ao redor.
• Excisão simples - Retirado o tumor junto com o tecido normal adjacente.
• Cirurgia de Mohs - Retira a camada de pele que o tumor possa ter invadido.
• Ressecção a Laser - Vaporiza as células cancerígenas.
• Criocirurgia - Congela as células cancerígenas com nitrogênio líquido.
• Penectomia Parcial ou Total - Retira parte ou a totalidade do pênis.
• Cirurgia dos Gânglios Linfáticos - Retirada de alguns linfonodos próximos para verificar
a presença da doença.
Tratamento: Radioterapia
A radioterapia pode ser utilizada no tratamento de alguns tipos de tumor em estágio
inicial, em vez de cirurgia peniana. Nos casos em que o tumor atingiu vários gânglios
linfáticos, a radioterapia pode ser usada junto com a cirurgia de retirada dos linfonodos e
reduzir o risco da recidiva. A radioterapia também pode ser usada para tratar tumores
avançados, na tentativa de retardar seu crescimento ou para aliviar os sintomas causados
pela doença. Existem duas maneiras de realizar o tratamento radioterápico:
• Radioterapia externa - Consiste em irradiar o órgão alvo com doses fracionadas, 5 . O
tratamento é realizado cinco vezes na semana, num período de 4-6 semanas.
• Braquiterapia - Utiliza uma fonte radioativa que é inserida dentro ou ao lado do
tumor.
Tratamento: Quimioterapia
Dois tipos de quimioterapia podem ser utilizados no tratamento do câncer de pênis:
• Quimioterapia tópica - O medicamento é colocado sobre a pele, em vez de ser
administrado via oral ou via venosa. O medicamento mais utilizado é o 5-
fluorouracilo, que é aplicado diariamente durante várias semanas. Esse tratamento,
geralmente é usado para condições pré-cancerosas ou para carcinoma in situ.
• Quimioterapia sistêmica - Usa medicamentos administrados via oral ou venosa. É
útil para tumores que se disseminaram para os linfonodos ou outros órgãos.
Também é utilizada para reduzir o tamanho dos tumores antes da cirurgia.
Os principais medicamentos utilizados no tratamento do câncer de pênis são:
Cisplatina, Fluorouracil, Metotrexato, Bleomicina, Paclitaxel e Ifosfamida.
Tratamento: Imunoterapia
O imiquimod é um medicamento que estimula o sistema imunológico do corpo. Ele
está disponível na forma de creme e é colocado diretamente sobre a pele.
Ocasionalmente é utilizado no tratamento do carcinoma in situ do pênis.
Vivendo com Câncer de Pênis
Para qualquer homem, lidar com o câncer de pênis é uma perspectiva assustadora. A
remoção parcial ou total do pênis é muitas vezes a maneira mais eficaz para curar o
câncer de pênis, mas para muitos homens a cura parece pior do que a doença. É
natural para um homem frente ao tratamento do câncer de pênis sofrer angústia
mental, depressão e ter sentimentos de tristeza ou desespero. A maioria dos homens
ainda poderá ter controle do fluxo da urina após a cirurgia. Em certos casos, a
penectomia parcial mantém intacta uma porção do pênis suficiente para permitir
uma micção relativamente normal. Muitos homens que foram submetidos à
penectomia total devem se sentar para urinar.
Efeitos sobre a Sexualidade
Técnicas conservadoras, como quimioterapia tópica, cirurgia de Mohs e a laser, podem ter
pouco efeito sobre o prazer sexual e as relações sexuais. A cirurgia para retirada parcial ou
total do pênis pode ter um efeito devastador sobre a autoimagem do homem e sua
capacidade de ter relações sexuais. É importante procurar orientação com psicólogos para
entender o impacto do tratamento e para explorar outras abordagens para a satisfação
sexual. A relação sexual normal não é mais possível após a penectomia total, o que faz
alguns homens abandonarem o sexo após a cirurgia. Como a doença é mais comum em
homens idosos, alguns já não são capazes de ter relações sexuais por causa de outros
problemas de saúde. Entretanto, se o homem está disposto a se empenhar em sua vida
sexual, o prazer ainda é possível, aprendendo a atingir o orgasmo em outras áreas sensíveis
quando acariciadas, como o escroto, a pele atrás do escroto e a área em torno das cicatrizes
cirúrgicas.
Novos Tratamentos
O câncer de pênis é um tipo de câncer raro, e por isso difícil de conseguir um grande
número de homens para participarem de ensaios clínicos. No entanto, os pesquisadores
estão estudando novos tipos de cirurgia a laser, assim como radioterapia e utilização de
medicamentos quimioterápicos e novas combinações de medicamentos com paclitaxel,
ifosfamida e cisplatina, antes da cirurgia com bons resultados. Também estão avaliando o
uso de outros medicamentos, como irinotecano e interferon. Os pesquisadores estão
estudando como determinados oncogenes e genes supressores controlam o crescimento
celular do tumor e como as alterações nesses genes faz com que células normais se tornem
cancerígenas. O objetivo das pesquisas é a terapia gênica substituindo os genes
danificados nas células cancerígenas por genes normais para interromper o
comportamento anormal das células.
Câncer de Pênis: Sinais, Fatores e Tratamentos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Câncer de Próstata
Câncer de PróstataCâncer de Próstata
Câncer de PróstataOncoguia
 
Câncer de próstata
Câncer de próstataCâncer de próstata
Câncer de próstataDeivid Castro
 
Apresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaApresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaVanessa Serrano
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de MamaOncoguia
 

Mais procurados (20)

Aula novembro-azul-2019
Aula novembro-azul-2019Aula novembro-azul-2019
Aula novembro-azul-2019
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
 
Câncer de Próstata
Câncer de PróstataCâncer de Próstata
Câncer de Próstata
 
Câncer de próstata
Câncer de próstataCâncer de próstata
Câncer de próstata
 
Outubro Rosa. Mitos e Verdades
Outubro Rosa. Mitos e VerdadesOutubro Rosa. Mitos e Verdades
Outubro Rosa. Mitos e Verdades
 
Apresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mamaApresentação ca colo e mama
Apresentação ca colo e mama
 
Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de PróstataPalestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
 
Aula+papanicolaou
Aula+papanicolaouAula+papanicolaou
Aula+papanicolaou
 
úLceras genitais infecciosas
úLceras genitais infecciosasúLceras genitais infecciosas
úLceras genitais infecciosas
 
Ações de controle do Câncer do Colo do Útero no Brasil: avanços e desafios
Ações de controle do Câncer do Colo do Útero no Brasil: avanços e desafiosAções de controle do Câncer do Colo do Útero no Brasil: avanços e desafios
Ações de controle do Câncer do Colo do Útero no Brasil: avanços e desafios
 
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivoContracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
Contracepção: métodos que apoiam o planejamento reprodutivo
 
Câncer de Mama
Câncer de MamaCâncer de Mama
Câncer de Mama
 
Por que não colher citologia antes dos 25 anos?
Por que não colher citologia antes dos 25 anos?Por que não colher citologia antes dos 25 anos?
Por que não colher citologia antes dos 25 anos?
 
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEMSAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
SAÚDE DA MULHER: ENFERMAGEM
 
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo UterinoColeta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
Coleta e Indicações para o Exame Citopatológico do Colo Uterino
 
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
Exames Preventivos na Mulher: indo além do Rastreio dos Cânceres de Colo e de...
 
Câncer de mama
 Câncer de mama Câncer de mama
Câncer de mama
 
Sistema BI-RADS: condutas
Sistema BI-RADS: condutasSistema BI-RADS: condutas
Sistema BI-RADS: condutas
 
Apresentação endometriose
Apresentação endometrioseApresentação endometriose
Apresentação endometriose
 

Semelhante a Câncer de Pênis: Sinais, Fatores e Tratamentos

Câncer de Testículo
Câncer de TestículoCâncer de Testículo
Câncer de TestículoOncoguia
 
Rabdomiossarcoma
RabdomiossarcomaRabdomiossarcoma
RabdomiossarcomaOncoguia
 
Câncer de Bexiga
Câncer de BexigaCâncer de Bexiga
Câncer de BexigaOncoguia
 
Câncer de Ovário
Câncer de OvárioCâncer de Ovário
Câncer de OvárioOncoguia
 
Câncer de Rim
Câncer de RimCâncer de Rim
Câncer de RimOncoguia
 
Câncer de ânus
Câncer de ânusCâncer de ânus
Câncer de ânusElís Souza
 
Câncer de Timo
Câncer de TimoCâncer de Timo
Câncer de TimoOncoguia
 
O que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretalO que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretalTookmed
 
Sarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesSarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesOncoguia
 
Entendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretalEntendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretalOncoguia
 
1.tumores em cabeça e pescoço
1.tumores em cabeça e pescoço1.tumores em cabeça e pescoço
1.tumores em cabeça e pescoçoGlauson Chaves
 
Câncer de mama e incapacidade laboral
Câncer de mama e incapacidade laboralCâncer de mama e incapacidade laboral
Câncer de mama e incapacidade laboralEstúdio Site Ltda
 
Câncer de Mama no Brasil
Câncer de Mama no BrasilCâncer de Mama no Brasil
Câncer de Mama no BrasilLuiz Barros
 
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptx
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptxAvaliação-dos-linfonodos_2016.pptx
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptxlvaroCosta22
 

Semelhante a Câncer de Pênis: Sinais, Fatores e Tratamentos (20)

Câncer de Pele
Câncer de Pele Câncer de Pele
Câncer de Pele
 
Câncer de Testículo
Câncer de TestículoCâncer de Testículo
Câncer de Testículo
 
Rabdomiossarcoma
RabdomiossarcomaRabdomiossarcoma
Rabdomiossarcoma
 
Câncer de Bexiga
Câncer de BexigaCâncer de Bexiga
Câncer de Bexiga
 
Oncologia Enfermagem
Oncologia EnfermagemOncologia Enfermagem
Oncologia Enfermagem
 
Câncer de Ovário
Câncer de OvárioCâncer de Ovário
Câncer de Ovário
 
Ca De Mama
Ca De MamaCa De Mama
Ca De Mama
 
Câncer de Rim
Câncer de RimCâncer de Rim
Câncer de Rim
 
Tumores em pediatria (ppt)
Tumores em pediatria (ppt)Tumores em pediatria (ppt)
Tumores em pediatria (ppt)
 
Câncer de ânus
Câncer de ânusCâncer de ânus
Câncer de ânus
 
ONCOLOGIA
ONCOLOGIAONCOLOGIA
ONCOLOGIA
 
Câncer de Timo
Câncer de TimoCâncer de Timo
Câncer de Timo
 
O que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretalO que você precisa saber Câncer colorretal
O que você precisa saber Câncer colorretal
 
Sarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes MolesSarcoma de Partes Moles
Sarcoma de Partes Moles
 
Entendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretalEntendendo o câncer colorretal
Entendendo o câncer colorretal
 
1.tumores em cabeça e pescoço
1.tumores em cabeça e pescoço1.tumores em cabeça e pescoço
1.tumores em cabeça e pescoço
 
Câncer de mama e incapacidade laboral
Câncer de mama e incapacidade laboralCâncer de mama e incapacidade laboral
Câncer de mama e incapacidade laboral
 
Câncer de Mama no Brasil
Câncer de Mama no BrasilCâncer de Mama no Brasil
Câncer de Mama no Brasil
 
Aula Basica Oncologia
Aula Basica OncologiaAula Basica Oncologia
Aula Basica Oncologia
 
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptx
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptxAvaliação-dos-linfonodos_2016.pptx
Avaliação-dos-linfonodos_2016.pptx
 

Mais de Oncoguia

Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveOncoguia
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupOncoguia
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Oncoguia
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasOncoguia
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaOncoguia
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasOncoguia
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Oncoguia
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresOncoguia
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasOncoguia
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Oncoguia
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justaOncoguia
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerOncoguia
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfOncoguia
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecOncoguia
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Oncoguia
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamOncoguia
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...Oncoguia
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Oncoguia
 
Cancer de fígado - ILNC
Cancer de fígado - ILNCCancer de fígado - ILNC
Cancer de fígado - ILNCOncoguia
 
Como contribuir em consulta pública da Conitec
Como contribuir em consulta pública da ConitecComo contribuir em consulta pública da Conitec
Como contribuir em consulta pública da ConitecOncoguia
 

Mais de Oncoguia (20)

Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' PerspectiveFeelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
Feelings about Radiotherapy: the Brazilian Cancer Patients' Perspective
 
Insights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient GroupInsights from a Brazilian Patient Group
Insights from a Brazilian Patient Group
 
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
Return to work after breast cancer: disparities among patients treated in pub...
 
Obesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicasObesidade e câncer nas políticas públicas
Obesidade e câncer nas políticas públicas
 
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favelaPesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
Pesquisas do Oncoguia mostra visão sobre câncer por quem mora na favela
 
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileirasPercepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
Percepções e prioridades do câncer nas favelas brasileiras
 
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
Consultas Públicas do SUS / Paciente oncológico: informe-se e participe!
 
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadoresImpactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
Impactos do Câncer na vida dos familiares cuidadores
 
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicasCosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
Cosaúde e o processo de incorporação de tecnologias oncológicas
 
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
Relatório de atividades do Instituto Oncoguia / 2021
 
Por uma oncologia mais atual e justa
 Por uma oncologia mais atual e justa Por uma oncologia mais atual e justa
Por uma oncologia mais atual e justa
 
Percepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncerPercepções da população brasileira sobre o câncer
Percepções da população brasileira sobre o câncer
 
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdfDatafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
Datafolha_Oncoguia_PercepcoesSobreOCancer .pdf
 
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da ConitecComo contribuir em Consulta Pública da Conitec
Como contribuir em Consulta Pública da Conitec
 
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
Contribuição Oncoguia com a ATS na SS - 03.2022
 
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health teamStudy of cancer patient's communication of pain to the health team
Study of cancer patient's communication of pain to the health team
 
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
How can we help: The needs of those seeking breast cancer information and sup...
 
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
Caring for colorectal cancer patients: the perspective of informal caregivers...
 
Cancer de fígado - ILNC
Cancer de fígado - ILNCCancer de fígado - ILNC
Cancer de fígado - ILNC
 
Como contribuir em consulta pública da Conitec
Como contribuir em consulta pública da ConitecComo contribuir em consulta pública da Conitec
Como contribuir em consulta pública da Conitec
 

Último

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoWilliamdaCostaMoreir
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 

Último (6)

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCCAmamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
Amamentação: motricidade oral e repercussões sistêmicas - TCC
 
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesicoAssistencia de enfermagem no pos anestesico
Assistencia de enfermagem no pos anestesico
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 

Câncer de Pênis: Sinais, Fatores e Tratamentos

  • 1.
  • 3. Câncer de Pênis O câncer de pênis é um tumor maligno relativamente raro que se desenvolve geralmente a partir dos 50 anos, embora possa atingir pessoas mais jovens. Quase todos os cânceres de pênis se iniciam nas células da pele do pênis. O câncer de pênis representa cerca de 2% do total das neoplasias que atingem o homem, sendo mais frequente nas regiões norte e nordeste do país.
  • 4. Fatores de Risco A ocorrência do câncer de pênis está associada à situação socioeconômica da população atingida, à má higiene íntima e a homens que não se submeteram à circuncisão (remoção do prepúcio, pele que reveste a glande ou cabeça do pênis). As secreções retidas em torno da glande são o fator etiológico da doença mais provável. O estreitamento do prepúcio é um fator de predisposição ao câncer peniano. Alguns estudos sugerem a associação do câncer de pênis à infecção pelo papiloma vírus humano (HPV).
  • 5. Sinais e Sintomas Na maioria dos casos, a manifestação clínica mais comum do câncer de pênis é a alteração na pele do pênis, que pode mudar de cor, tornando-se mais grossa ou pode aparecer uma protuberância em alguma região. Alguns homens podem notar uma ferida ou úlcera persistente, ou ainda um nódulo, localizado na glande, prepúcio ou no corpo do pênis. A presença de um desses sinais, associados a uma secreção branca, pode ser indicativa da doença. O inchaço na extremidade do pênis, especialmente quando o prepúcio é retraído, é mais um sinal comum do câncer de pênis. Se a doença se disseminar, os linfonodos da virilha podem ser apalpados como nódulos sob a pele.
  • 6. Tipos de Câncer de Pênis Os principais tipos de câncer de pênis são: • Carcinoma de Células Escamosas - Correspondem a quase 95% dos casos e se desenvolvem em qualquer lugar do pênis. • Melanoma - É um tipo de câncer de pele que começa nos melanócitos. Menos de 2% dos cânceres de pênis são melanomas. • Carcinoma Basocelular - Representa menos de 2% dos casos. • Adenocarcinoma (Doença de Paget do Pênis) - Tipo muito raro que se desenvolve a partir das glândulas sudoríparas da pele do pênis. • Sarcoma – Se desenvolve a partir dos vasos sanguíneos, músculo ou outras células do tecido conjuntivo do pênis e são denominados sarcomas.
  • 7. Diagnóstico do Câncer de Pênis: Imagem Os exames de imagem ajudam a localizar a lesão e são extremamente úteis para determinar a extensão da doença o que se denomina estadiamento do câncer. Os principais exames utilizados para o diagnóstico ou estadiamento do câncer de pênis são: • Tomografia Computadorizada. • Ressonância Magnética. • Ultrassom.
  • 8. Diagnóstico do Câncer de Pênis: Biópsia Biópsia é a remoção de uma amostra de tecido para avaliação anatomopatológica da presença (ou não) de câncer. Os principais tipos de biópsias para câncer de pênis são: • Biópsia incisional - Apenas uma parte do tecido é retirada, geralmente realizada para tumores maiores, ulcerados ou que cresceram para dentro do tecido. • Biópsia excisional – Toda lesão é retirada. É mais utilizada para lesões pequenas, como um nódulo ou áreas de até 1 cm de diâmetro. • Punção aspirativa por agulha fina (PAAF) - Utilizada uma agulha fina acoplada a uma seringa para aspirar uma amostra do tecido tumoral para análise. • Cirurgia dos gânglios linfáticos - Para pacientes com tumores grandes e profundos dentro do pênis, os linfonodos próximos são retirados para determinar o estadiamento da doença.
  • 9. Estadiamento do Câncer de Pênis O estadiamento descreve aspectos do câncer, como localização, disseminação e se está afetando as funções de outros órgãos do corpo. Conhecer o estágio do tumor ajuda na definição do tipo de tratamento e no prognóstico do paciente. • Estágio 0 - Tis ou Ta, N0, M0. • Estágio I - T1a, N0, M0. • Estágio II - T1b, N0, M0 ou T2, N0, M0 ou T3, N0, M0. • Estágio IIIa - T1 to T3, N1, M0. • Estágio IIIb - T1 a T3, N2, M0. • Estágio IV - T4, qualquer N, M0 ou Qualquer T, N3, M0 ou Qualquer T, qualquer N, M1.
  • 10. Tratamento: Cirurgia A cirurgia é o tratamento mais comum para todos os estágios do câncer de pênis. Se a doença for diagnosticada em estágio inicial, o tumor pode, muitas vezes, ser tratado sem que seja necessária a remoção do pênis. Os tipos de cirurgia disponíveis são: • Circuncisão – Retira o prepúcio e a pele ao redor. • Excisão simples - Retirado o tumor junto com o tecido normal adjacente. • Cirurgia de Mohs - Retira a camada de pele que o tumor possa ter invadido. • Ressecção a Laser - Vaporiza as células cancerígenas. • Criocirurgia - Congela as células cancerígenas com nitrogênio líquido. • Penectomia Parcial ou Total - Retira parte ou a totalidade do pênis. • Cirurgia dos Gânglios Linfáticos - Retirada de alguns linfonodos próximos para verificar a presença da doença.
  • 11. Tratamento: Radioterapia A radioterapia pode ser utilizada no tratamento de alguns tipos de tumor em estágio inicial, em vez de cirurgia peniana. Nos casos em que o tumor atingiu vários gânglios linfáticos, a radioterapia pode ser usada junto com a cirurgia de retirada dos linfonodos e reduzir o risco da recidiva. A radioterapia também pode ser usada para tratar tumores avançados, na tentativa de retardar seu crescimento ou para aliviar os sintomas causados pela doença. Existem duas maneiras de realizar o tratamento radioterápico: • Radioterapia externa - Consiste em irradiar o órgão alvo com doses fracionadas, 5 . O tratamento é realizado cinco vezes na semana, num período de 4-6 semanas. • Braquiterapia - Utiliza uma fonte radioativa que é inserida dentro ou ao lado do tumor.
  • 12. Tratamento: Quimioterapia Dois tipos de quimioterapia podem ser utilizados no tratamento do câncer de pênis: • Quimioterapia tópica - O medicamento é colocado sobre a pele, em vez de ser administrado via oral ou via venosa. O medicamento mais utilizado é o 5- fluorouracilo, que é aplicado diariamente durante várias semanas. Esse tratamento, geralmente é usado para condições pré-cancerosas ou para carcinoma in situ. • Quimioterapia sistêmica - Usa medicamentos administrados via oral ou venosa. É útil para tumores que se disseminaram para os linfonodos ou outros órgãos. Também é utilizada para reduzir o tamanho dos tumores antes da cirurgia. Os principais medicamentos utilizados no tratamento do câncer de pênis são: Cisplatina, Fluorouracil, Metotrexato, Bleomicina, Paclitaxel e Ifosfamida.
  • 13. Tratamento: Imunoterapia O imiquimod é um medicamento que estimula o sistema imunológico do corpo. Ele está disponível na forma de creme e é colocado diretamente sobre a pele. Ocasionalmente é utilizado no tratamento do carcinoma in situ do pênis.
  • 14. Vivendo com Câncer de Pênis Para qualquer homem, lidar com o câncer de pênis é uma perspectiva assustadora. A remoção parcial ou total do pênis é muitas vezes a maneira mais eficaz para curar o câncer de pênis, mas para muitos homens a cura parece pior do que a doença. É natural para um homem frente ao tratamento do câncer de pênis sofrer angústia mental, depressão e ter sentimentos de tristeza ou desespero. A maioria dos homens ainda poderá ter controle do fluxo da urina após a cirurgia. Em certos casos, a penectomia parcial mantém intacta uma porção do pênis suficiente para permitir uma micção relativamente normal. Muitos homens que foram submetidos à penectomia total devem se sentar para urinar.
  • 15. Efeitos sobre a Sexualidade Técnicas conservadoras, como quimioterapia tópica, cirurgia de Mohs e a laser, podem ter pouco efeito sobre o prazer sexual e as relações sexuais. A cirurgia para retirada parcial ou total do pênis pode ter um efeito devastador sobre a autoimagem do homem e sua capacidade de ter relações sexuais. É importante procurar orientação com psicólogos para entender o impacto do tratamento e para explorar outras abordagens para a satisfação sexual. A relação sexual normal não é mais possível após a penectomia total, o que faz alguns homens abandonarem o sexo após a cirurgia. Como a doença é mais comum em homens idosos, alguns já não são capazes de ter relações sexuais por causa de outros problemas de saúde. Entretanto, se o homem está disposto a se empenhar em sua vida sexual, o prazer ainda é possível, aprendendo a atingir o orgasmo em outras áreas sensíveis quando acariciadas, como o escroto, a pele atrás do escroto e a área em torno das cicatrizes cirúrgicas.
  • 16. Novos Tratamentos O câncer de pênis é um tipo de câncer raro, e por isso difícil de conseguir um grande número de homens para participarem de ensaios clínicos. No entanto, os pesquisadores estão estudando novos tipos de cirurgia a laser, assim como radioterapia e utilização de medicamentos quimioterápicos e novas combinações de medicamentos com paclitaxel, ifosfamida e cisplatina, antes da cirurgia com bons resultados. Também estão avaliando o uso de outros medicamentos, como irinotecano e interferon. Os pesquisadores estão estudando como determinados oncogenes e genes supressores controlam o crescimento celular do tumor e como as alterações nesses genes faz com que células normais se tornem cancerígenas. O objetivo das pesquisas é a terapia gênica substituindo os genes danificados nas células cancerígenas por genes normais para interromper o comportamento anormal das células.