Câncer de Estômago

9.034 visualizações

Publicada em

Tudo sobre câncer de estômago

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.034
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.462
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
78
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câncer de Estômago

  1. 1. Câncer de Estômago
  2. 2. O Estômago O estômago está localizado na parte superior do abdome e tem um papel central na digestão dos alimentos. Quando o alimento é deglutido, ele desce pelo esôfago e chega ao estômago. Os músculos do estômago misturam os alimentos, liberando o suco gástrico que ajuda na digestão dos mesmos. Em seguida o alimento passa ao intestino delgado para a digestão adicional. A parede do estômago é formada por quatro partes: mucosa, submucosa, muscular e serosa.
  3. 3. Câncer de Estômago O câncer de estômago tende a se desenvolver lentamente ao longo de muitos anos. Antes do aparecimento da doença propriamente dita, lesões pré-cancerosas ocorrem frequentemente no revestimento do estômago. O tipo mais comum é o adenocarcinoma, que representa cerca de 90% a 95% dos tumores malignos do estômago. Outros tipos incluem o linfoma, que corresponde a cerca de 4%, tumor gastrointestinal, que é raro e o tumor carcinóide, que representa cerca de 3% dos cânceres de estômago.
  4. 4. Sintomas do Câncer de Estômago O câncer de estômago raramente provoca sintomas nos estágios iniciais da doença. Mas, quando o tumor cresce e se espalha, pode apresentar sintomas como: falta de apetite; perda de peso; dor abdominal; desconforto no abdome, normalmente acima do umbigo; sensação de plenitude na parte superior do abdome, após uma refeição leve; sintomas de azia, indigestão ou úlcera; náuseas; vômitos, com ou sem sangue; e, inchaço ou acúmulo de líquido no abdome.
  5. 5. Fatores de Risco do Câncer de Estômago Alguns fatores podem aumentar o risco de uma pessoa desenvolver câncer de estômago como: infecção de longa data por Helicobacter pylori; ter tido linfoma de estômago; ser homem; ter idade entre 60 - 80 anos; ser negro; ter uma dieta ricas em alimentos defumados, peixes salgados e carne e vegetais em conserva; ser fumante; ser obeso; ter feito cirurgia prévia do estômago; ter anemia perniciosa; ter gastropatia hipertrófica; ter sangue tipo A; ter determinadas síndromes hereditárias; ter histórico familiar para câncer de estômago; ter histórico de pólipos; ter infecção pelo Vírus Epstein-Barr e ter imunodeficiência.
  6. 6. Diagnóstico do Câncer de Estômago A endoscopia digestiva alta é o principal exame utilizado para identificar o câncer de estômago. Pode ser solicitada para pacientes com fatores de risco ou quando os sinais e sintomas sugerem presença da doença. Para ajudar no diagnóstico e determinar sua extensão são realizados exames de imagem, como ultrassom ou tomografia computadorizada. O diagnóstico definitivo é feito com uma biópsia, onde são recolhidas amostras de tecido do tumor para posterior análise no laboratório de patologia.
  7. 7. Tratamento: Cirurgia A cirurgia é o principal tratamento para o câncer de estômago. O tipo de cirurgia geralmente depende da parte do estômago acometida e de quanto o tumor invadiu o tecido adjacente. Muitas vezes, é necessário fazer alterações na dieta do paciente após a gastrectomia parcial ou total. Mas, a maior mudança é que o paciente terá que fazer refeições menores e mais frequentes. Os efeitos colaterais dependem da extensão da cirurgia.
  8. 8. Tratamento: Radioterapia A radioterapia utiliza radiações ionizantes de alta energia para destruir as células cancerosas. A radioterapia consiste em liberar uma determinada dose de radiação no estômago, geralmente fracionada em 5 sessões por semana durante certo período de tempo. A radioterapia também pode ser realizada como uma forma de destruir as células cancerígenas remanescentes da cirurgia. A radioterapia pode ajudar a aliviar a dor ou problemas digestivos causados ​​por grandes massas tumorais.
  9. 9. Tratamento: Quimioterapia A quimioterapia utiliza medicamentos anticancerígenos para destruir as células tumorais. O tratamento pode consistir de apenas um medicamento ou uma combinação de drogas. A quimioterapia é administrada por via venosa, embora alguns quimioterápicos possam ser administrados por via oral. A químio pode ser administrada antes da cirurgia para permitir a redução do tumor, tornando a cirurgia menos complicada, ou após a cirurgia para destruir as células cancerígenas remascentes.
  10. 10. Tratamento: Terapia Alvo A terapia alvo é um novo tipo de tratamento do câncer que usa drogas ou outras substâncias para identificar e atacar as células cancerígenas com pouco dano às células normais. Cada tipo de terapia alvo funciona de uma maneira diferente, mas todas alteram a forma como uma célula cancerígena cresce, se divide, se auto-repara, ou como interage com outras células. Estes medicamentos alvo agem de forma diferente dos quimioterápicos padrões e são menos susceptíveis de afetar as células normais, de modo que os seus efeitos colaterais não são tão importantes como os observados com os quimioterápicos convencionais.
  11. 11. Tratamento: Cuidados Paliativos O objetivo dos cuidados paliativos é melhorar a qualidade de vida do paciente do ponto de vista físico, mental e espiritual. Para isso visam aliviar os sintomas e controlar a dor, independentemente do estágio da doença ou da necessidade de outras terapias.
  12. 12. Obtendo Apoio Viver com câncer de estômago não é fácil. É fundamental poder contar com alguma forma de apoio para ajudar a lidar com os aspectos emocionais e práticos da doença. Existem muitas formas de obter apoio na comunidade, além da família e amigos. É possível também participar de grupos de pacientes seja de forma presencial ou online.
  13. 13. Prevenção do Câncer de Estômago Evitar os fatores de risco, pode diminuir a chance de uma pessoa ter câncer de estômago, mas não pode garantir uma proteção contra a doença. Acredita-se que a diminuição dos casos de câncer de estômago nas últimas décadas foram devido aos novos hábitos alimentares e estilo de vida adquiridos pelas pessoas. Se recomenda portanto: • Não fumar. • Ter uma dieta saudável e equilibrada. • Fazer exercícios físicos regularmente.

×