O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic

1.565 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Desenvolvimento comunitario rogerio arns - 10anos ic

  1. 1. Instituto Crescer São Paulo, 18.outubro,2010 Desenvolvimento Comunitário
  2. 2. Níveis de Desenvolvimento MICRO subdivide-se em dois níveis desenvolvimento local e MESO desenvolvimento comunitário de influência nacional, e no caso brasileiro também o nível regional MACRO alcance ou impacto global
  3. 3. Conceito de Comunidade Comunidade significa um grupo de pessoas que compartilham de uma característica comum, uma “comum unidade”, que as aproxima e pela qual são identificadas Esta comum unidade é, na maioria das vezes, a região onde moram, mas também pode ser os interesses e causas que defendem, suas características, origens, cultura, crenças e interesses partilhados
  4. 4. O que é Desenvolvimento Comunitário É o conjunto de práticas criadas com o objetivo de fortalecer e tornar mais efetiva a vida em comunidade, melhorando as condições locais, principalmente para aqueles que se encontram em situações de desvantagem social
  5. 5. O Papel dos Agentes Externos e das Comunidades Iniciativa do Coady Institute para mapear comunidades bem sucedidas em diferentes partes do mundo. Também colaboraram: Northwestern University, The New York University, University of Cape Town, Oxfam, Fundação Odebrecht, entre outros Em setembro de 2008 foi lançado o livro “From Clients to Citizens” com as histórias e lições aprendidas de 13 comunidades em 12 países – África do Sul, Brasil, Canadá, Egito, Equador, Estados Unidos, Etiópia, Filipinas, Índia, Marrocos, Quênia, Vietnã Em julho de 2009 foi realizado um Fórum no Canadá
  6. 6. A Principal Lição Mais importante do que se faz, é como se faz
  7. 7. 3 Elementos que o Processo deve estimular PROTAGONISMO COMUNITÁRIO: os moradores de uma comunidade devem ser os principais agentes das mudanças e transformações, atuando a partir do florescer de suas habilidades e de sua capacidade de se organizar e fortalecer as relações locais
  8. 8. 3 Elementos que o Processo deve estimular PROTAGONISMO COMUNITÁRIO FOCO NOS TALENTOS E RECURSOS LOCAIS: comunidades em desvantagem social devem ser encorajadas a usar os talentos e recursos de que dispõem (sua criatividade, iniciativa, conhecimento, voluntariado, capacidade de organização, e as instituições que lá atuam) para gerar soluções locais, atendendo às necessidades de seus moradores e criando oportunidades locais de desenvolvimento
  9. 9. 3 Elementos que o Processo deve estimular PROTAGONISMO COMUNITÁRIO FOCO NOS TALENTOS E RECURSOS LOCAIS PARCERIAS PESSOAIS E INSTITUCIONAIS: moradores e instituições devem ser parceiros na elaboração e na implantação de estratégias para o desenvolvimento local. Além disso, as relações da comunidade com investidores e apoiadores externos devem ser também de parceria e não de dependência
  10. 10. Indo além dos Mitos Levantamento de Necessidades ao invés do Mapeamento de Talentos e Recursos deficiências e necessidades talentos e recursos Possíveis conseqüencias de olhar pelas necessidades: - ser operador do desenvolvimento e não apoiador - punir quem está tendo bons resultados
  11. 11. Indo além dos Mitos Fazer pela comunidade ao invés de apoiá-la a comandar o seu desenvolvimento “Ninguém aprende a dirigir carro olhando outras pessoas dirigindo” anônimo “Nós somos sensibilizados por aquilo que não temos, mas devemos fazer com o que temos.” Moses Coady
  12. 12. Indo além dos Mitos Caracterização das Pessoas por Renda ao invés de sua Proavitivade Clientes são aqueles que dependem dos outros para viver e que, enxergando apenas seus defeitos, esperam também que os outros também vejam suas deficiências e os ajudem, atendendo às suas necessidades Cidadãos, ao contrário, são aqueles que vêem seus problemas e dificuldades, mas que também percebem suas qualidades, capacidades e potencial para mudar a realidade. Eles acreditam no poder coletivo e buscam parceiros com quem possam construir um futuro melhor
  13. 13. Indo além dos Mitos Comunidade Rural é mais fácil para se trabalhar que Comunidade Urbana, ao invés de compreender o seu grau de complexidade Baixa complexidade: comunidade organizada, com lideranças engajadas Média complexidade: comunidade desarticulada, sem líderes identificados e atuantes Alta complexidade: comunidade desarticulada, mas com líderes que travam o seu desenvolvimento
  14. 14. Atitudes Saudáveis Algumas atitudes para conseguir um processo de desenvolvimento comunitário mais sustentável: - identificar e fortalecer líderes comunitários - valorizar a história e a cultura comunitária - facilitar a busca pelo conhecimento - apoiar iniciativas de referência - fomentar a conectividade
  15. 15. Se nós damos um peixe a um homem, isto vai satisfazer sua fome por um dia. Mas nós teremos que continuar lhe dando peixes para que sobreviva Então nós o ensinamos a pescar Isto resolverá seu problema até que alguém despeje lixo tóxico no rio. E aí? Ele precisa ser preparado para controlar, de forma sustentável, todos os fatores que afetam sua capacidade de pescar
  16. 16. Obrigado ! Rogerio Arns Neumann “Comunidades saudáveis são rogerio@unitedwaybrasil.org.br basicamente lugares em que as capacidades de seus moradores são (11)9941.5712 identificadas, valorizadas e usadas” Kretzmann e McKnight Mais Informações? - Repensando o Investimento Social: a importância do protagonismo comunitário, Global Editora - Desenvolvimento Comunitário baseado em Talentos e Recursos Locais – ABCD, Global Editora - Modelo Colaborativo: experiência e aprendizados do desenvolvimento comunitário em Curitiba (disponível na internet)

×