TDAH - Rogério Goulart Paes

14.605 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
3 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.605
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
606
Comentários
3
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TDAH - Rogério Goulart Paes

  1. 1. V Seminário de Formação de Gestores e Educadores Educação Inclusiva: Direito à Diversidade<br />Rio Verde<br />2010<br />
  2. 2. TDAH – TRANSTORNO DO DEFÍCIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE<br />Professor: Rogério Goulart Paes<br />
  3. 3. TDAH – TRANSTORNO DO DEFÍCIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE<br /> 1) Visão geral do TDAH<br />1.1) Conceito<br />1.2) Tipos de TDAH<br />1.3) Causas<br />1.4) Sintomas<br /> 2) Medicação <br /> 3) Identificação e avaliação da criança com TDAH<br /> 4) Compreendendo as dificuldades de aprendizagem<br /> 5) Manifestações e comportamentos no processo escolar<br /> 6) Intervenção e apoio ao aluno<br /> 7) Compreensão e participação da família no contexto escolar<br /> 8) Processo evolutivo da criança ao adulto com TDAH<br />
  4. 4. VISÃO GERAL<br />Segundo a OMS hoje, 3% a 5% das crianças em idade escolar no mundo inteiro lutam com problemas de falta de atenção, impulsividade e hiperatividade. Destas, 50% vão continuar a ter dificuldades na idade adulta. Venha descobrir como lidar com essas dificuldades.<br />No Brasil a prevalência é de 5% cerca de 2.600.000 entre 5 a 19 anos com TDAH<br />
  5. 5. GENERALIZAÇÃO<br />A escola se queixa: <br />“Esse menino não pára!”; <br />“Parece que ele está sempre com a cabeça no mundo da lua!”; <br />“Ele não consegue acompanhar porque não presta atenção no que faz!”; <br />“Esse menino precisa de limites!”. <br />Quando os pais ouvem esses comentários dos professores, uma pergunta muito<br />séria ronda sua cabeça: até que ponto a “energia” ou a “distração” do filho são<br />normais ou são sinais de que há algo realmente errado acontecendo?<br />
  6. 6. CONCEITO<br />TDAH é o distúrbio neurocomportamental que acomete tipicamente antes<br />dos 7 anos de idade, com comprometimento na vida social, acadêmica,<br />laboral, além de ser um distúrbio crônico e de difícil controle sintomatológico. <br />(DuPaul e Stoner, 2007). <br />Pode ser ainda definido por um transtorno neuroemocional, ou seja,<br />alterações nos neurotransmissores (diminuição da dopamina, serotonina e<br />norepinefrina), na morfologia do cérebro principalmente no hemisfério direito e<br />diminuição no metabolismo na região frontal/orbital.<br /><br />
  7. 7. HIPERATIVIDADE<br /><ul><li>Fala muito, não para sentado, correndo ou subindo nas coisas:</li></ul> <br /><ul><li> Imaturidade;
  8. 8. Déficit em funções executivas;
  9. 9. Distúrbios de aprendizado.</li></ul>DÉFICIT DE ATENÇÃO<br /><ul><li>Desorganizado, não presta atenção, esquecido, parece não ouvir, perde as coisas, não faz tarefa:</li></ul> <br /><ul><li>Percepção do alterada;
  10. 10. Dificuldade em aprender com recompensas e punições;
  11. 11. Baixa tolerância às frustrações;
  12. 12. Dificuldade em controlar emoções.</li></li></ul><li>CÉREBRO<br />
  13. 13. A IMPOTÂNCIA DOS NEUROTRASMISSORES<br />Dopamina: estimula os níveis de atividades motoras e cognitivas, reforça a vigília, o estado de alerta e a atenção, e, algumas vezes, tem potencial euforizante no Sistema Nervoso Central.<br />Serotonina: envolvida na comunicação entre as células do cérebro (neurônios),responsável pela percepção e avaliação do meio que rodeia e para a capacidade de resposta aos estímulos ambientais. <br />Norepinefrina: relacionada a sinapse nervosa, influenciam o humor, ansiedade, sono e alimentação junto com a serotonina, dopamina e adrenalina.<br />
  14. 14. POSSÍVEIS CAUSAS<br />Não existe uma causa única para o TDAH, sabe-se que<br />estão relacionadas aos diferentes sintomas e dependem<br />ainda de fatores ambientais e da suscetibilidade de cada<br />criança. <br />Fatores Neurobiológicos;<br />Fatores Hereditários;<br />Toxinas Ambientais.<br />
  15. 15. D. H. I . A . S<br />Desatenção: relacionada a percepção, ao ato de ouvir, ver, sentir, vincula-se ao processo de vigília do cérebro. <br />Hiperatividade: é uma atividade motora intensa, composta por movimentos involuntários, associados aos movimentos voluntários, os quais a criança não consegue controlar. <br />Impulsividade: ato impensável, ações onde não ocorre uma ação racional ou reflexiva. <br />
  16. 16. D. H. I . A . S<br />Agressividade: pessoa que reage a todo acontecimento, como se fosse uma prova, contenda ou disputa na sua leitura mental. <br />Sensibilidade: ocorre devido o atraso na maturação das áreas do cérebro que comandam as noções de esquema corporal. Ex: crianças ao sofrerem algum tipo de ferimento, demoram mais para percebê-lo, e na maioria das vezes nem sabem como ocorreu. <br />
  17. 17. SINTOMAS DO TDAH<br />Primários:<br />Desatenção;<br />Hiperatividade; <br />Impulsividade.<br />Secundários:<br />Dificuldades escolares;<br />Dificuldade de comportamento (desobediência, agressividade);<br />Dificuldade de relacionamento;<br />Baixa comunicação verbal; <br />Imaturidade para resolver conflitos;<br />Frustrações sociais.<br />
  18. 18. SINTOMAS ESCOLARES DO TDAH<br />Baixo desempenho acadêmico:<br />Difícil concentração em tarefas como matemática, leitura e escrita;<br /> Finalização de trabalhos;<br /> Dificuldade em entender as instruções do professor;<br /> Desempenho fraco em testes;<br />Cadernos, carteiras e trabalhos escrito desorganizado;<br /> Fraco desempenho em atividades de discussão em grupos.<br />
  19. 19.
  20. 20. SINTOMAS ESCOLARES DO TDAH<br />Deficiência de aprendizagem; <br />Alto índice de repetência;<br />Abandono escolar;<br />Saem da cadeira sem permissão;<br />Brincam com objetos inapropriados;<br />Relacionamentos conturbados com os colegas.<br />
  21. 21. Professor, o que é mais difícil no trato com seu aluno com TDAH?<br />O comportamento hiperativo dele;<br /> Despertar sua atenção;<br /> Manter sua atenção no que está fazendo;<br /> Evitar que seja agressivo com os colegas;<br /> Fazer com que ele faça a lição em sala de aula;<br /> Fazer ele ler alto em sala;<br /> O estudo da Matemática;<br /> Entender a letra dele;<br />
  22. 22. Professor, o que é mais difícil no trato com seu aluno com TDAH?<br />Fazer com que ele leia lições e livros pedidos;<br /> Evitar que ele interrompa você e os colegas;<br /> Compreender o que ele escreve;<br /> O equilíbrio emocional dele;<br /> A ansiedade ;<br /> A organização pessoal e dos trabalhos;<br /> A demora que ele demonstra nas atividades. <br />
  23. 23. COMPORTAMENTO DO ALUNO COM TDAH EM SALA DE AULA <br />Após a explicação da professora o aluno sentou-se próximo ao colega à sua esquerda e perguntou:<br />---- O que é para fazer? O colega respondeu:<br />---- É Geografia. <br />Ouvindo a explicação do colega, Eduardo. retirou todos os livros de sua mochila, mas não pegou o livro proposto, então abaixou e começou a brincar com um carrinho, quando a professora chegou perto, ele escondeu o brinquedo. <br />As 13h35min o aluno levantou-se, foi até ao colega e pegou todos os brinquedos dentro de uma sacola. A professora perguntou:<br />--- Eduardo. você não vai sentar? O aluno saiu da sala mostrando a mão em sinal de pare.<br />Após 5min (13h40min) Eduardo voltou para sala sem permissão e com o brinquedo na mão, não realizou nenhuma atividade proposta. A professora foi à carteira do mesmo e disse: <br />--- Você não vai fazer nem o cabeçalho? Como não houve resposta, a professora propôs a reprodução por meio de desenho, do livro ilustrado “Flora, a Girafinha Curiosa”, mais uma vez o aluno recusou-se a realizar a atividade. <br />
  24. 24. A professora então pediu o brinquedo, mas como não foi obedecida, retornou a turma. As 13h50min a professora voltou à carteira do aluno, abriu o livro e disse: <br />--- Vamos ler o livro e ver as figuras. O aluno respondeu: <br />--- Eu não sei lê. E continuou a brincar com o carrinho.<br />Vale ressaltar que o colega sentado a esquerda de Eduardo até o momento não havia realizado nenhuma atividade proposta, pois este dava-lhe tapas e murros nas costas. Quando a professora percebeu as agressões disse:<br />--- Tire o brinquedo da boca. O estudante respondeu:<br />--- Não está na boca! <br />A professora então perguntou: <br />--- Onde está seu outro lápis? Ficou em casa? Não obtendo a resposta a mesma voltou sua atenção para os demais alunos.<br />As 13h58min o aluno levantou e disse para todos os colegas:<br />--- Eu já terminei. E entregou o livro para a professora. <br />
  25. 25. SINTOMAS COMPORTAMENTAIS DO TDAH<br />Agressividade, incluindo desobediência, principalmente as figuras que representam autoridade (pais, professores);<br />Temperamento descontrolado;<br />Discussões e hostilidade verbal;<br />Comportamento anti-sociais, como furtos, agressões físicas;<br />Grande dificuldade em juntar-se em grupo.<br />
  26. 26. TIPOS DE TDAH (DSM –IV)<br /> A definição atual de TDAH inclui uma lista de 18 sintomas comportamentais divididos em dois conjuntos (desatenção e hiperatividade/impulsividade) de nove sintomas cada (American Psychiatric Association, 2000). <br /> Classifica-se o TDAH em três subtipos: <br /> Tipo combinado (seis dos nove sintomas de desatenção e hiperatividade); <br /> Tipo predominantemente desatento (seis dos nove sintomas de desatenção e menos do que seis sintomas de hiperatividade);<br /> Tipo predominantemente hiperativo/impulsivo (seis dos nove sintomas de hiperatividade e menos do que seis de desatenção).<br />
  27. 27. COMO ASSIM?<br />
  28. 28. TIPOS: TDAH Predominantemente Desatento<br />As crianças com esse tipo de TDAH apresentam problemas<br />significativos de desatenção na ausência de impulsividade e hiperatividade,<br />existe grande dificuldade de memória e percepção motora bem mais lenta<br />do que outras crianças. Elevada taxa de prejuízo acadêmico.<br />São descritas ainda como vagarosas em termos cognitivos<br />(confusas, perdidas) e socialmente retraídas.<br />
  29. 29. TIPOS: TDAH Predominantemente Desatento<br />Dificuldades em prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares e profissionais;<br />Dificuldades em manter a atenção em tarefas ou atividades lúdicas;<br />Parece não escutar quando lhe dirigem a palavra;<br />Não seguir instruções e não terminar tarefas escolares, domésticas ou deveres profissionais;<br />Dificuldades em organizar tarefas e atividades;<br />Evitar, ou relutar, em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante;<br />Perder coisa necessária para tarefas ou atividades ;<br />Ser facilmente distraído por estímulos alheios à tarefa;<br />Apresentar esquecimento em atividades diárias.<br />
  30. 30. TIPOS: TDAH Predominantemente Hiperativo/Impulsivo<br />Representa uma forma menos grave ou uma manifestação inicial do tipo combinado, a grande maioria são crianças na idade pré-escolar e no início do ensino fundamental, são propensas ainda aos transtornos co-mórbidos, como por exemplo, transtorno de conduta (agressividade excessiva). <br /> Altas taxas de rejeição e de impopularidade frente aos colegas<br />
  31. 31. TIPOS: TDAH Predominantemente Hiperativo/Impulsivo<br />Agitar as mãos, e os pés ou se mexer na cadeira;<br />Abandonar a cadeira em sala de aula ou em outras situações nas quais se espera que permaneça sentado;<br />Correr ou escalar em demasia em situações nas quais isto é inapropriado;<br />Dificuldade em brincar ou envolver-se silenciosamente em atividades de lazer;<br />
  32. 32. TIPOS: TDAH Predominantemente Hiperativo/Impulsivo<br />Estar frequentemente " a mil " ou muitas vezes agir como se estivesse " a todo vapor”;<br />Falar em demasia;<br />Frequentemente dar respostas precipitadas antes das perguntas terem sido concluídas;<br />Apresentar constante dificuldade em esperar sua vez;<br />Frequentemente interromper ou se meter em assuntos de outros.<br />
  33. 33. TIPOS<br />E o combinado?<br />
  34. 34. TIPOS: TDAH COMBINADO<br /> Elevada taxa de prejuízo acadêmico;<br /> Maior presença de sintomas de conduta, de oposição e desafio;<br /> Maior propensão às co-morbidades.<br />
  35. 35. TDAH  COMORBIDADES <br /> De acordo com o National Comorbidity Study os pacientes com TDAH apresentam uma chance quatro vezes maior que a população de apresentar um outro distúrbio psiquiátrico<br /> TDAH e Transtornos Disruptivos (transtornos de conduta e transtorno opositor desafiante) entre 30 e 50%;<br /> TDAH e Depressão entre 15 a 20%;<br /> TDAH e Transtornos de Ansiedade aproximadamente 25%;<br /> TDAH e abuso e/ou dependência de drogas entre 9 e 40%.<br />
  36. 36. TDAH  COMORBIDADES <br />
  37. 37. TDAH  COMORBIDADES <br />Transtorno Opositor Desafiante<br />Crises de destempero, desafia, não colabora, vingança;<br />Discute frequentemente com adultos;<br />Nega ou recusa obedecer ordens ou regras;<br />Zangado e ressentido;<br />Irrita os outros com facilidade.<br />
  38. 38. TDAH  COMORBIDADES <br />Transtorno de Conduta<br />Comportamentos de natureza mais séria (crueldade com pessoas e animais, agressividade, roubo, usa armas);<br />Interferem no direito básico dos outros ou quebram regras sociais (fogem de casa, da escola antes dos 13 anos, forçam relação sexual);<br />Representam riscos para aqueles com quem convivem;<br />Destruição de propriedade alheia.<br />
  39. 39. TDAH  COMORBIDADES <br />Transtorno de Ansiedade<br />Preocupação excessiva;<br />Inquietação ou sensação de estar com os “nervos à flor da pele”;<br />Fadiga e irritabilidade;<br />Dificuldade em concentrar-se ou sensações de “branco na mente”;<br /> Tensão muscular e perturbação do sono.<br />
  40. 40. TDAH  COMORBIDADES <br />Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC<br />
  41. 41. TDAH  COMORBIDADES <br />Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo - TOC<br />Tiques<br /><ul><li>Movimentos ou vocalizações repetitivos;
  42. 42. Difícil controle voluntário, pioram com o estresse;</li></ul>TOC<br /><ul><li>Obsessões: pensamentos repetitivos, desagradáveis e sem nexo (dúvida, sujeira);
  43. 43. Compulsões: atos repetitivos para alívio de obsessões (checagem, limpeza).</li></li></ul><li>TDAH  COMORBIDADES <br />Bipolar<br />
  44. 44. TRATAMENTO<br />Falta de contato entre o clínico e a escola foi identificada como uma dificuldade muito significativa na avaliação e tratamento do TDAH;<br />Clínico deve obter informação diretamente do professor sobre os sintomas em sala de aula;<br />O clínico define objetivos terapêuticos em cooperação com os profissionais da escola;<br />Clínico deve fornecer relatórios de seu paciente com TDAH;<br /> Professores têm ampla experiência na comparação de uma criança com outra.<br />
  45. 45. TRATAMENTO<br />Cerca de 2.600.000 indivíduos entre 5 e 19 anos com TDAH;<br />Aproximadamente 2.585.000 indivíduos sem tratamento adequado;<br /> Tratamento eficaz: combinação do medicamento mais psicoterapia.<br />
  46. 46. TRATAMENTO NÃO MEDICAMENTOSO<br />
  47. 47. MEDICAÇÃO<br />A prescrição de medicamentos psicotrópicos e o tratamento mais comum para o TDAH principalmente nas populações pré-escolares e ensino médio.<br />Esses medicamentos demonstram uma melhora no funcionamento<br />comportamental, acadêmico e social.<br />Psicoestimulates têm capacidade de aumentar o alerta do Sistema<br />Nervoso Central (SNC), pois regulam os neurotransmissores cerebrais.<br />Dentre os estimulantes do SNC, os mais empregados são metilfenitado<br />(Ritalina, Concerta, Metadate), a dextroanfetamina (Dexedrine) e<br />anfetamina (Adderall), sendo o mais usado a Ritalina.<br />
  48. 48. RITALINA<br />A Ritalina está disponível em forma de comprimido e as dosagens são baseadas no peso corporal com regime de doses duas vezes ao dia de 5 a 20 mg, de acordo com a dosagem o efeito medicamentoso poderá ser prolongado até 8 horas, o que são preferíveis aos de curta ação, pois facilita o processo acadêmico.<br /> Intervalo entre as doses: 2x/dia (após café da manhã e almoço) ou 3x/dia (quando os sintomas são exacerbados e demanda maior atenção);<br />Duração do tratamento: reavaliar necessidade a cada ano (durante as férias escolares).<br />
  49. 49. MEDICAÇÃO<br />Efeitos dos estimulantes sobre o comportamento;<br /> Efeito sobre o desempenho cognitivo e acadêmico; <br />Efeitos sobre os relacionamentos sociais; <br />Possíveis efeitos colaterais. <br />
  50. 50. OS POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS<br />Redução do apetite (principalmente no almoço) e insônia  tomar o medicamento após o almoço;<br />Irritabilidade, dores de cabeça, irritação estomacal e em casos raros, tiques motores e/ou vocais; <br />O único efeito colateral de longo prazo é a supressão da altura e do ganho de peso. <br />
  51. 51. MELHORAS ALÉM DOS SINTOMAS BÁSICOS<br />Auto-estima;<br /> Sociabilidade; <br />Relação familiar; <br />Cognição;<br />Desempenho escolar. <br />
  52. 52. DIFICULDADE X DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM <br />Dificuldade: o que é difícil de entender, não tem comprometimento do SNC;<br />Distúrbio: mau funcionamento orgânico, termo específico para alteração do SNC.<br />Segundo National Joint Committee on Learning Disabilities, 1988:<br /> Distúrbio de aprendizagem é o termo geral que se refere a um grupo heterogêneo de transtornos que se manifestam por dificuldades significativas na aquisição e uso da escuta, fala, leitura, escrita, raciocínio ou habilidades matemáticas.<br /> Esses transtornos são intrínsecos ao indivíduo, supondo-se devido à disfunção do SNC e podem ocorrer ao longo do ciclo vital.<br />
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56.
  57. 57. Produção Textual<br />
  58. 58. Contextualização<br />Lima (2002), enfatiza que  todo processo de aprendizagem está articulado com a história de cada indivíduo, e o ser humano aprende mais facilmente quando o novo pode ser relacionado com algum aspecto da sua experiência prévia, com o conhecimento anterior, com alguma questão que o indivíduo se colocou, com imagens, palavras e fatos que estão em sua memória, com vivências culturais. <br />
  59. 59. Atividades pedagógicasProcesso de Atenção<br /> 1RT356FGHKVNCMXDSERTJGKLSMCNWEEMDNCUFJKBUCNKLSJF12345F8EIF0CJSLDOCJDSDJCKVNFQWEDIOLRÇODJFKCLDOFIVMDDMCKWOWPSÇLKDPXJDLCPDÇKZPOÇÇLKÇODJIIIECNWIDJEKDKWERHREIEOWW93JDWPRTO84.<br />
  60. 60. ATIVIDADES<br />
  61. 61.
  62. 62.
  63. 63. ATIVIDADES<br />
  64. 64. ATIVIDADES<br />
  65. 65. ATIVIDADES<br />
  66. 66. Atividades<br />
  67. 67. ATIVIDADES<br />
  68. 68. FINALIZAÇÃO<br />"As inteligências dormem. Inúteis são todas as tentativas de acordá-las por meio da força e das ameaças. As inteligências só entendem os argumentos do desejo: elas são ferramentas e brinquedos do desejo". <br />Rubem Alves, em Cenas da Vida. <br />
  69. 69. Referências<br />GOMES, Josiméri. SINAPSE – Clínica Integrada. Psicopedagoga e Coordenadora da Equipe Indisciplinar do NAPE<br />PERRENOUD, Phillipe - 10 Novas Competências para Ensinar; Editora: Artmed. Porto Alegre, 2000.<br />AYRES, Antonio Tadeu – Pratica Pedagógica Competente. Ampliando os saberes do professor, Editor: Vozes. Petrópolis, 2004.<br />
  70. 70. Referências<br />American Psychiatric Association - APA (1994). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (4ª ed.). Washington: Author.         <br />BARKLEY, R. A. (1998). Developmental course, adult outcome, and clinic-referred ADHD adults. In R. A. Barkley (Ed.), Attention deficit hyperactivity disorder: A handbook for diagnosis and treatment (pp. 186-224). New York: Guilford.<br />

×