Trabakho de geo

841 visualizações

Publicada em

Trabalho de geografia referente às ONG (Organizações não governamentais)

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Trabakho de geo

  1. 1. Trabalho realizado no âmbito das disciplinas de História e Geografia Trabalho realizado por: Inês Barbosa, nº10 Miguel Coelho, nº14 9ºA Sofia Silva, nº20
  2. 2. Colégio Integrado Monte MaiorIntrodução – Organizações Não-Governamentais para oDesenvolvimento ...............................................................................pág2Caracterização da Cáritas Portuguesa Porque a escolhemos; ...........................................................pág4 Como e quando surgiu; ........................................................pág4 Objectivos; ...............................................................................pág6 Intervenções da Cáritas; .......................................................pág7Contribuição da Cáritas para os Objectivos do Milénio; ........ pág10Curiosidades; ................................................................................... pág11Reflexões Criticas: Inês Barbosa; ....................................................................... pág.12 Miguel Coelho; .................................................................... pág.15 Sofia Silva. ............................................................................ pág.16Relatório da visita .......................................................................... pág.18Conclusão ....................................................................................... pág.19Sitografia ......................................................................................... pág.20Anexos, Declaração de Presença, e CD .................................. pág.21(Este trabalho contém um CD com a entrevista realizada) 1
  3. 3. Colégio Integrado Monte Maior O que são ONGD’s? Organizações Não-governamentaispara o Desenvolvimento são associaçõesda sociedade sem fins lucrativos, semqualquer relação com o Estado, quedefendem o respeito pelos direitoshumanos contribuindo para a resolução devários problemas da sociedade, epromovem a participação da sociedadecivil na cooperação para o desenvolvimento. As ONGD‟s podem ser classificadas de diferentes maneiras,consoante as suas actividades, a sua localização geográfica, etc. Quando e porque surgem? A criação das ONGD‟s dá-se em diferentes circunstâncias. As suas principais áreas de intervenção são a Ajuda Humanitária de Emergência, a Cooperação para o Desenvolvimento e a Educação para o Desenvolvimento. Elas surgem quando existem problemas na sociedade, tentado atenuar os seus efeitos nesta. 2
  4. 4. Colégio Integrado Monte Maior Existem vários tipos de organizações não-governamentais. Para o ambiente, para a ajuda de mães solteiras, ou com dificuldades financeiras, para os sem-abrigo, para os animais, etc.Algumas ONGD´s de Portugal: Abraço; Apoiar; Ligar à Vida; OIKOS; WACT; VIDA. 3
  5. 5. Colégio Integrado Monte Maior No nosso trabalho vamos abordar a Organização NãoGovernamental para o Desenvolvimento, Cáritas Portuguesa. Escolhemos esta organização pois esta ajuda a combater um dosmaiores problemas da sociedade de hoje em dia: a pobreza. A pobreza pode ser entendida por vários sentidos: Carência Social Carência de recursos económicos Carência Cogonal.A Cáritas Portuguesa surgiu primeiro a nívelinternacional, em 1924.Porém quando se deu a 2ª Guerra Mundial, as suas actividadespararam. Em 1947 o trabalho desta associação foi retomado. EmPortugal, surgiu, por expansão da Cáritas Internacionalis, em 1991. 4
  6. 6. Colégio Integrado Monte MaiorA Cáritas não surge por meio de “invenção” de um pequeno grupo depessoas, como outras associações. A nossa ONGD nasceu através daIgreja, pois é um braço da acção social desta.Deste modo é baseadanos 3 princípios básicos da Igreja e depende directamente do PapaBento XVI. Os princípios são: Celebração da eucaristia (sempre que há reuniões da direcção a eucaristia é celebrada numa pequena capela que existente na sede da Cáritas de Lisboa); Celebração da palavra (catequese); Caridade. A Cáritas possui duas dimensões: a nacional e a internacional, trabalhando, nestas duas dimensões. Nacionalmente está ligada directamente com as Cáritas Diocesanas, ou dioceses, que são as filiais da Cáritas que atuam nos diversos distritos (existem cerca de 20 no nosso país), que por sua vez trabalham com as várias paróquias espalhadas, neste caso, por Portugal, nas quais ainda é necessário muito voluntariado. 5
  7. 7. Colégio Integrado Monte Maior A Cáritas Portuguesa propõe-se a erradicar a pobreza e apromover a igualdade de géneros pouco a pouco, com os donativosde várias entidades/empresas ou de particulares (pois não temqualquer apoio económico do Estado), e de acções de voluntariado, ea lutar por uma sociedade mais justa, propondo medidas parasolucionar estes e outros problemas graves da sociedade, como asolidão.Algumas das suas medidas são: Formação de agentes de voluntariado; Intervenção junto dos centros de decisão política (como as Câmaras Municipais); Processos de desenvolvimento local; Promoção da autonomia de cada um; Assistência e apoio nas emergências. 6
  8. 8. Colégio Integrado Monte Maior A Cáritas Portuguesa intervém a um nível generalizado, poisfornece alimentos, vales (de desconto em supermercados, para trocarpor dinheiro) de maneira a que as famílias consigam pagar as suasdespesas, como as escolas dos filhos, e contas da luz água, etc. Paraalém disso a Cáritas também atua ao nível das infra-estruturas, poisquando existe qualquer catástrofe, esta faz parte das organizações quefazem parte da equipa da Ajuda Humanitária de Emergência. A Cáritas ajuda também as pessoas quando estas querem porexemplo abrir um negócio próprio, e não possuem as possibilidades e osmeios para tal. Existem cerca de 20 Cáritas Diocesanas em Portugal: Coimbra Portalegree Castelo Branco Açores Setúbal Funchal Algarve 7
  9. 9. Colégio Integrado Monte Maior Nos últimos anos a Cáritas tem desenvolvido várias acções quer dedonativos quer de voluntariado para cumprir os seus objectivos. 2008: A Cáritas começa a dar apoioatravés dos Tickets Restaurante (vales dedesconto), que permitem a quem osrecebe comprar comida, almoçar porexemplo em restaurantes, fazer comprasem espaços públicos, entre outras. Estestickets estavam destinados às pessoas comdificuldade financeira admitida, ou seja,àquelas pessoas que já ultrapassaram a fase de negação da pobreza,e começam a “lutar” para tentar ultrapassar os seus problemasfinanceiros, recorrendo a ajudas, como a Cáritas. 2010: São doados 50000€ em vales sociais, por uma empresa, queforam distribuídos através das diversas Cáritas diocesanas portuguesas. 2010: Fundo social solidário (lançado pela Igreja) com o objectivode ajudar os mais necessitados, especialmente devido à crise que setem vivido em Portugal, sendo o balanço até agora sido positivo, maspodendo ainda ser feito mais do que já se fez até agora. Este fundo foiutilizado para pagamentos de rendas de casa, ou para mensalidades,para medicamentos, contas da electricidade, pagamento de dívidas,enfim, satisfação das necessidades básicas. Houve pessoas que foramajudadas a arranjar emprego, ou a desenvolver um negócio próprio,porém apenas aqueles que teriamviabilidade no futuro foram ajudadas(segundo disse o Dr. EugénioFonseca, director da Cáritas, aoJornal das 10 da SIC Noticias, sobre oque saiu no Jornal de Noticiasacerca do Fundo Social Solidário). 8
  10. 10. Colégio Integrado Monte MaiorEste fundo social depende exclusivamente dos donativos feitos porpessoas de boa vontade e ainda dura até aos dias de hoje, e é um dosprincipais meios de ajuda para os problemas internos. 2011/2012: São mais uma vez doados vales sociais (cerca de60000€), de 10€ cada, distribuídos às famílias mais necessitadas. Arredonda: Esta foi uma campanha do LIDL emparceria com a Cáritas da qual 25000€ dos lucros totais foram transformados em vales de 5€ e dados aos que deles necessitavam. 10 Milhões de estrelas – Umgesto pela paz: consiste na compra de velase colocação das mesmas nas janelas ou nascasas, acesas, dia 24 de Dezembro. Gerir e Poupar (em parceria com aDECO) : Nesta campanha, foi dadaformação técnica a alguns elementos daCáritas com objectivo de formar aspopulações e ajuda-las a gerir os seusempréstimos, créditos,bem como os seusconsumos (água, gás,electricidade), ajudando-as a poupar. Para além disso sensibilizaram também as pessoas de maneira a estas serem mais ecológicas. Esta acção funcionou muito à base de orçamentos. 9
  11. 11. Colégio Integrado Monte Maior Através das diversas acções que desenvolve, dos donativos e dovoluntariado que possui, a Cáritas contribui para a erradicação dapobreza extrema. Como? Através das campanhas acima referidas, e do voluntariado, e dedonativos, que nem sempre são aceites devido aos impostos aduaneirose aos preços de envio, querendo até a Cáritas por vezes fomentar ocomércio local. O voluntariado da Cáritas é feito por particulares, sendo que porvezes, este é maior do que as possibilidades que a Cáritas possui, ou porvezes, pelos Escuteiros, que recolhem alimentos, e na semana social daCáritas (1ª semana de Março), fazem peditórios nacionais, aos quais aspopulações reagem muito bem, e que são para muitas Cáritasdiocesanas a principal e única fonte de rendimento para todo o ano. Deste modo, pouco a pouco a Cáritas vai lutando para resolver osproblemas da sociedade portuguesa, para acabar com a pobrezaextrema, com a crise portuguesa. 10
  12. 12. Colégio Integrado Monte MaiorOs dirigentes da Cáritas Portuguesa são todosvoluntários.Os seus trabalhos são compensados com tempo dedescanso.A Cáritas tenta também combater a solidão.Dia da Cáritas Portuguesa – 3 de Março. 11
  13. 13. Colégio Integrado Monte Maior O trabalho que nos foi proposto tinha como tema as organizaçõesnão-governamentais no entanto a que nos chamou mais á atenção foia Cáritas portuguesa que é composta por 20 Cáritas diocesanas, nonosso caso optamos pela Sede da Cáritas Portuguesa em Lisboa poisera a mais próxima de nós. No geral a nossa preferência pela Cáritasportuguesa deve-se ao facto de esta não ter apenas uma área deintervenção, possuir uma história bastante humilde, ter os objetivos bemtraçados e até à data tê-los cumprido todos com excelência(obviamente não conseguiu que todas as famílias estivessem estáveis anível económico mas deu uma grande ajuda). Uma das partes do nosso trabalho era ir visitar a instalações, naqual escutamos o Presidente da sede da caritas portuguesa em Lisboaque teve 1:30 a falar connosco, nessa parte do trabalho nós fizemoscerca de 15 perguntas ao qual o senhor nos respondeu com bastanteprecisão, ou seja, informou-nos de tudo, mesmo de pontos que nãoiriamos abordar, o que nos ajudou bastante para a compreensão destaorganização. No início disse-nos que esta ONGD surgiu graças a colegaspertencentes á igreja que se juntaram para combater uma causa emmeados da década de 40, no entanto só teve aprovação canónica em1956. Esta ONGD tem como um dos seus objetivos informar, denunciar esensibilizar a sociedade propondo varias soluções para esses problemas 12
  14. 14. Colégio Integrado Monte Maior(com uma sociedade mais justa, com a participação dos que sãoatingidos por qualquer forma de pobreza, rejeição social ouemergência, sem olhar a crenças, culturas, etnias ou origem) e com acolaboração de algumas empresas (como por exemplo o LIDL nacampanha „ARREDONDA‟) ajudar as pessoas a ultrapassa-los. Destruir ascausas que originam os vários problemas da população é também umdos maiores objetivos da Cáritas. Este trabalho só é possível com oempenho de todos os que, através de donativos (que basta contactara Cáritas pois explicam tudo muito especificamente incluindo quais osbenefícios fiscais), contribuem para a construção de um mundo maisjusto e solidário. Por fim o Presidente teve de atender uma chamada telefónicadeixando-nos com o intermediário, André Chagas que nos mostrou asede portuguesa e autorizo-nos a tirar várias fotografias ao recinto. Na minha opinião foi uma ótima ideia porque para além de obrigartodos os membros a trabalhar, foi muito melhor dado que não fizemosapenas uma pesquisa na internet, logo implicou trabalhar no recinto oque foi uma nova experiencia para mim, ouvindo quem mais sabe doassunto, o Presidente, que nos pode explicar melhor que ninguém o queé, verdadeiramente a Cáritas Portuguesa. Inês Barbosa 13
  15. 15. Colégio Integrado Monte MaiorNeste trabalho conhecemos as funções, acções e a definição deONGD‟s onde demos especial atenção à Cáritas Portuguesa. Presencia-mos o trabalho da organização assim como as suas instalações, nasquais ouvimos o presidente da caritas de Lisboa falar acerca das suasacções, áreas de intervenção, futuros projectos... Na minha óptica a Cáritas é uma mais-valia não só para acomunidade portuguesa mas também a nível internacional, uma vezque auxilia tanto as famílias carenciadas como os países após seremafitados pelas calamidades. Esta ONG também sensibiliza a sociedade criando planos familiaresreduzindo assim o número de carenciados no nosso país. Julgo que as ONGDs são organizações importantes, para as quaisdevíamos dar o nosso contributo por mais insignificante que seja eestarmos sempre "alerta" para ajudar a tornar a comunidade que nosrodeia um pouco melhor.Miguel Coelho 14
  16. 16. Colégio Integrado Monte MaiorDo meu ponto de vista, este trabalho foi bastante produtivo e rico, poispara além de nos fornecer mais informação sobre as OrganizaçõesNão-Governamentais para o Desenvolvimento, os trabalhos quedesenvolvem e o modo como ajudam a sociedade, através detrabalho de pesquisa, também nos ajuda a crescer mais um pouco, poisé uma maneira de sairmos do contexto de pesquisa em computadorese livros, e assumirmos compromissos, saindo, entrevistando pessoas,vendo locais, dando mais dinâmica ao trabalho e tendo nós mais prazerem realizá-lo. Nos dias de hoje, na minha opinião, é muito importante, e atéessencial, a existência de organizações como a Cáritas, pois há pessoasa viver em condições muito precárias e em realidades muito dolorosas,e esta organização, através de algumas pessoas solidárias e de boavontade, ajuda parte dos que mais necessitam a viver um poucomelhor. Na época em que vivemos não deveria caber na cabeça deninguém haver pessoas com tanto e outras com tão pouco ou quasenada. Deveria haver um equilíbrio, pois se a humanidade está tãodesenvolvida em termos tecnológicos e democráticos, etc, não deveriaser possível haver parte do mundo a, todos os dias, morrer à fome. Nãoé lógico. Creio que essa é uma realidade muito dura e que todos nósdeveríamos pôr os olhos nessas pessoas, que vivem nessas condições eque conseguem vingar na vida, pois possuem os objectivos, adeterminação e a força de vontade. Pessoas essas que possuem umsonho, um objectivo de vida, e que, segundo as condições nas quaisestão inseridas, isso não seria possível, e que, apesar disso, lutam,esforçam-se, e mais cedo ou mais tarde colhem os frutos dessadedicação, atingindo os seus objectivos ou ainda superando-os. 15
  17. 17. Colégio Integrado Monte Maior Penso que todos nós deveríamos pôr os olhos neles então, devidonão só às razões acima, mas também ao facto de apesar de tudo isto,maior parte das vezes terem um sorriso de orelha a orelha e seremfelizes. Nós? As pessoas com mais possibilidades? Temos “tudo” e aindaassim queixamo-nos, e ainda assim queremos mais. Imagine-se comoseria se muitos não tivessem comer para dar aos filhos, roupa para vestir,escola onde pudessem estudar, casa onde pudessem viver. Por isso deixemo-nos de queixumes, sigamos o exemplo eajudemos: sejamos felizes, e mais importante, façamos alguém feliz,porque isso, isso sim é o mais importante.Sofia Silva 16
  18. 18. Colégio Integrado Monte Maior Chegámos pelas 14 horas e 30 minutos à sede da Cáritas de Lisboasituada num prédio antigo na avenida Paris em Lisboa e fomosrecebidos por um membro da direcção. Aguardámos um pouco, enquanto esperávamos ofereceram-nosuma agenda da nova missão da Cáritas portuguesa em parceria com aDeco, “Gerir e poupar”, que possui alguns conselhos para poupar águae energia e tornar a Terra um mundo melhor. Não estavam muitas pessoas a trabalhar nas instalações daorganização, e o espaço era relativamente pequeno. Pouco depois omembro da direcção, guiou-nos para outro piso, ao que deu o nomede administrativo, onde se situava a sala de reuniões, alguns gabinetese uma pequena capela. Já sentados em redor de uma mesacomeçamos a entrevista. Estivemos cerca de uma hora à conversa. Posteriormente, já sem esse membro, que teve de abandonar olocal, estivemos com outro colaborador, com quem percorremos maiscalmamente as instalações da organização e tirámos algumasfotografias. Já mais tarde, por volta das 16 horas, agradecemos e retiramo-nosda sede da Cáritas de Lisboa, com o registo de uma excelenteexperiência. 17
  19. 19. Colégio Integrado Monte Maior O nosso grupo crê que com este trabalho aprendeubastante sobre do que trata uma organização nãogovernamental como a Cáritas Portuguesa, e pôs-se a parum pouco mais do que se passa no nosso país em geral: dasdificuldades passadas por muitas pessoas e do que é feitopara apoiar essas pessoas. Pensamos que a pouco e pouco, as pessoas que vivemem Portugal se vão começar a aperceber que todos temosque remar para o mesmo lado e levar o barco a bom porto.Que temos que nos ajudar uns aos outros, e fazer com que apobreza extrema deixe de existir. Se um dia gostaríamos de fazervoluntariado? Claramente! Ajudar as pessoas e tornar onosso país num sitio melhor é anossa missão, pois nós somos ofuturo e bem, tal como diria SãoPaulo, “Se eu não tiver caridade,nada sou!”. 18
  20. 20. Colégio Integrado Monte Maiorhttp://www.caritas.pt/site/nacional/ 19

×