Salazarismo

2.873 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Salazarismo

  1. 1. Salazarismo Escola Básica 2,3 D.Fernando II Professora Antónia Beatriz Almeida Trabalho realizado por: -Denisa Florea nº5 -Filipa Carvalheira nº8 -Inês Afonso nº14
  2. 2. Índice           Introdução............................................................................................3 Portugal – A ditadura Salazarista........................................................4 Condições que levaram a ascensão de Salazar ao poder............5 e 6 O Início do Estado Novo................................................................7 e 8 Principais organizações do Estado Novo....................................9 e 10 A Censura..................................................................................11 e 12 A Política Colonial......................................................................13 e 14 O fim do Estado Novo...............................................................15 e 16 Breve cronologia................................................................................17 Conclusão..........................................................................................18
  3. 3. Introdução Este trabalho foi desenvolvido no âmbito da disciplina de história com o objetivo de aprofundarmos os nossos conhecimentos no que toca a este tema, o Salazarismo.
  4. 4. Portugal- A Ditadura Salazarista O golpe desencadeado pelas forças armadas em 1926 instalou uma ditadura militar em Portugal. O Estado Novo ou Ditadura Salazarista é um regime político autoritário em que o poder legislativo, excutivo e jeducial estão concentrados no chefe do governo. É também chamado Salazarismo devido ao período que Salazar esteve no governo português (1933-1968).
  5. 5. Condições que levaram a ascensão de Salazar ao Poder Depois do golpe militar de 1926 continuou a haver instabilidade política e problemas económicos contribuindo para agravar o défice orçamenta e a dívida externa. Em 1928 o gereral Óscar Carmona foi eleito Presidente da República. Carmona convidou António de Oliveira Salazar para ministro das Finanças.
  6. 6. Salazar aceitou e conseguiu reorganizar as finanças do país recorrendo sobretudo ao aumento dos impostos e à redução das despesas públicas (saúde, educação e dimunuição dos salários dos funcionários públicos). No final do seu primeiro ano de mandato conseguiu que o valor das receitas do Estado fosse superior ao valor das despesas. A 5 de Julho de 1932 foi eleito presidente do Conselho de Ministros começando desde já a preparar o texto para a futura constituição.
  7. 7. O Início do Estado Novo Em Abril de 1933, foi promulgada uma nova Constituição, que pôs fim ao período de Ditadura Militar. Iniciou-se, então, um novo período ditatorial que o próprio Salazar intitulou de “Estado Novo”. Os direitos da nova constituição estavam, no entanto, subordinados aos interesses da nação, sendo muitas vezes desrespeitados pela prática política e pela lesgilação em vigor.
  8. 8. Progressivamente, Salazar foi concentrando em si todos os seus poderes, não respeitando a Constituição:  O seu próprio poder, enquanto Presidente do Conselho, sobrepunhase ao poder do Presidente da República;  O poder do Governo sobrepunha-se ao poder da Assembleia Nacional;  As liberdades individuais (liberdade de imprensa, de reunião, de direito à greve, etc.) foram ignoradas ou seriamente restringidas.
  9. 9. Principais Organizações e Medidas tomadas por Salazar  Organizações fascistas Em 1936, surgiram duas organizações de carácter marcadamente fascista: >Legião Portuguesa, organização paramilitar, que tinha como objetivo defender o regime salazarista e combater o comunismo >Mocidade Portuguesa, organização juvenil que procurava desenvolver a devoção à Pátria, o respeito pela ordem, o culto o chefe e o espírito militar. Visava abranger toda a juventude escolar, do ensimo primário à universidade.
  10. 10.  Medidas tomadas por Salazar: -Reorganizou as finanças públicas recorrendo ao aumento dos impostos. -Reduziu os gastos com a saúde, educação e os salários dos funcionários públicos. Logo no primeiro ano as receitas foram superiores às despesas, não sendo necessário pedir dinheiro emprestado aos outros países
  11. 11. A Censura Salazar também limitou os direitos e as liberdades dos cidadãos. A censura à imprensa que tinha sido instituida em 1926, com a ditadura militar, foi-se estendendo, progressivamente, aos outros meios de comunicação, como o teatro, o cinema, a rádio, a televisão e os jornais. Visava não só supervisionar assuntos políticos e militares como também assuntos religiosos. Assim a censura impedia a divulgação de qualquer atividade contra o Governo Português.
  12. 12. A Política Colonial O Acto Colonial restringiu e moderou a já Nas décadas de 50 e 60, apareceram novos limitada autonomia financeira e administrativa problemas e necessidades , por isso Salazar e os das colónias, reflectindo por isso o carácter seus Governos começaram a evoluir o Conceito centralizador e altamente colonialista do Estado Ultramarino Português (definido naquela época Novo, este Acto definiu durante muito tempo o pelo Acto Colonial). conceito ultramarino português tendo sido O Acto Colonial foi uma lei constitucional que modificado na revisão da Constituição de 1933 definiu as formas de relacionamento entre a feita em 1951, que o modificou e integrou no metrópole e as colónias portuguesas. texto da Constituição.
  13. 13. Estas alterações tinham como objectivo argumentar, perante todos os que criticassem o colonialismo português, que Portugal não tinha colónias, mas tratavase de um território único, que se estendia "do Minho a Timor". Todavia, estas modificações não trouxeram quaisquer alterações ao modo de vida das populações locais.
  14. 14. O Fim do Estado Novo O Estado Novo, após 41 anos de vida, é finalmente derrubado no dia 25 de Abril de 1974. O golpe que acabou com o regime foi efectuado pelos militares do Movimento das Forças Armadas - MFA. Ficou conhecida por Revolução dos Cravos. Neste dia, diversas unidades militares comandadas por oficiais do MFA marcharam sobre Lisboa, ocupando uma série de pontos estratégicos. As guarnições militares que supostamente eram apoiantes do regime renderam-se e juntaram-se aos militares do MFA. O golpe militar contou com a presença da população, cansada da repressão, da censura, da guerra colonial e do abrandamento económico motivado pelo choque petrolífero de 1973.
  15. 15. O regime caiu sem ter quase quem o defendesse. Os acontecimentos deste dia culminaram com a rendição de Marcello Caetano, sitiado pelo capitão Salgueiro Maia, no Quartel do Carmo. Foi uma revolução considerada "não-sangrenta" e "pacífica", sendo que no dia 25 de Abril propriamente dito houve apenas quatro mortos, vítimas de disparos da polícia política, junto à sua sede.
  16. 16. Breve Cronologia  Queda da Monarquia e Inicio da Primeira República- 5 de Outubro de 1910  Inicio da Ditadura Militar-1926  General Oscar Carmona foi eleito Presidente da República; Salazar foi eleito ministro das finanças1928  Salazar torna-se Presidente do Conselho de Ministros- 5 de Julho de 1932  Inicio do Estado Novo- Abril de 1933  Aparecimento das duas organizações fascistas1936  Morte de Salazar. Neste dia, Marcello Caetano ocupou o lugar do mesmo- 27 de Setembro 1968  Fim do Estado Novo (25 de Abril)- 1974
  17. 17. Conclusão Com este trabalho concluimos que o Salazarismo é um tema muito mais consistente do que aquilo que pensávamos que era. Ao longo do processo que tivemos até concluirmos o trabalho, aprendemos outras informações que não sabiamos que diziam respeito a este tema.

×