Construção da modernidade europeia

2.280 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.280
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Construção da modernidade europeia

  1. 1. Construção da modernidade europeia A revolução científica
  2. 2. Índice 1. Revolução cientifica a)Contextualização……………………………………………………………………………………3-4 b) As organizações cientificas……………………………………………………………………5 c)O método indutivo ou experimental………………………………………………………6 d) o humanismo………………………………………………………………………………………… 7 e)Os seus proliferadores - Blaise Pascal……………………………………………………………………………………8 - Galileu Galilei………………………………………………………………………………….9 - Francis Bacon………………………………………………………………………………….10 1.1 bibliografia………………………………………………………………………………………………11 2
  3. 3. a) Contextualização Com o papel dissimulador e persuasivo da igreja e da religião surge algum descontentamento por parte dos grandes pensadores que começaram a questionar o tão lento avanço do estudo cientifico, em que até o estudo universitário era limitado pela rara atualização dos princípios de estudo e críticos, desde a idade média. Quando não era conseguida uma explicação por dados cientificos e fontes credíveis recorria-se às teses sobrenaturais, a idade moderna é então uma época de superstição e alegorias sendo esta tendência alterada pela curiosidade e mentalidade critica levada avante por um grupo de estudiosos e intelectuais. Com a negação do teocentrismo por algumas partes introduz-se a emancipação do cuidado pelos interesses do homem ,o humanismo, inicia-se no século XVI e prolonga-se até ao século XVIII, a revolução cientifica, uma manifestação de descontentamento para com a hostilidade e a imprevisibilidade da matéria cientifica na europa. Esta revolução dá lugar às mais variadas descobertas nas áreas da medicina, medicina, matemática entre outras. 3 1.Revolução cientifica
  4. 4. a) Contextualização A ciência deixa de estar diretamente associada não só com a teologia como com a filosofia, tornando-se um conhecimento mais estruturado e prático. “ (…) todas as ciências que derivam do da experiência e do raciocínio devem desenvolver-se para atingirem a perfeição(…) Moderemos o respeito que temos pelos antigos(…),nós podemos descobrir coisas que lhes eram impossíveis conhecer(…) “ Blaise Pascal, prefácio ao Tratado sobre o Vácuo, 1654 4 1.Revolução cientifica
  5. 5. b) As organizações cientificas Como consequência ao interesse pelo mundo natural e pelas realizações humanas, partilhado por muitas personalidades europeias, foram criadas vários tipos de instalações que visavam a consolidação de novas aprendizagens que também defende-se os interesses da “causa nobre da ciência”(príncipe Frederico Cesi, Discurso de Inauguração da Academia de Linces, Roma, 1616)”. Os gabinetes de curiosidades”, as associações e academias cientificas tornamse então antros de coleção de livros raros, estranhos maquinismos, plantas, animais e consequentemente, grandes responsáveis pela distribuição do conhecimento. Luís XIV visita a Real academia das ciências 5 1.Revolução cientifica
  6. 6. c) O método indutivo ou experimental “Pode haver, e há, duas vias ou métodos para descobrir a verdade. Uma, partindo das sensações e dos factos particulares(…), depois, repousando sobre esses principios como sobre outras tantas verdades inamovíveis(…). A outra via parte também das sensações e dos factos particulare; mas elevando-se lentamente, numa marcha gradual e sem saltar nenhum degrau, só muito mais tarde chega às proposições mais gerais;(…)” Francis Bacon, Novum Organon,1620 No ambiente da curiosidade e da investigação desenvolveu-se o método experimental que se baseia na observação direta dos fenómenos. Este método apoiava-se em três ideias fundamentais, que só a este tipo de observação conduz ao conhecimento da natureza, que esse conhecimento é crescente e constante e que o progresso cientifico contribui para o melhoramento do destino da humanidade. Este ultimo vai ao encontro dos ideais humanistas destes “filósofos experimentais” 6 1.Revolução cientifica
  7. 7. d) O humanismo O humanismo surge durante a idade moderna como pensamento consequente à revolução cientifica, uma vez que os participantes do movimento renunciavam os ideias teocêntricas limitadores da ciência. “O Humanismo pode ser definido como um conjunto de ideais e princípios que valorizam as ações humanas e valores morais (respeito, justiça, honra, amor, liberdade, solidariedade, etc). Para os humanistas, os seres humanos são os responsáveis pela criação e desenvolvimento destes valores. Desta forma, o pensamento humanista entra em contradição com o pensamento religioso que afirma que Deus é o criador destes valores.” 7 1.Revolução cientifica
  8. 8. e) Os seus proliferadores -Blaise Pascal Era filho de pai viúvo, o seu pai era matemático e por ser o seu único filho homem deu-lhe uma educação que visou o desenvolvimento correto da razão e do raciocínio. Blaise Pascal contribuiu decisivamente para a criação de dois novos ramos da matemática: a Geometria Projetiva e a Teoria das probabilidades. Em Física, estudou a mecânica dos fluidos, e esclareceu os conceitos de pressão e vácuo. É ainda o autor de uma das primeiras calculadoras mecânicas, e de estudos sobre o método científico. Como teólogo e escritor destacou-se como um dos mestres do racionalismo e irracionalismo modernos, e sua obra influenciou os ingleses Charles e John Wesley, fundadores da Igreja Metodista. 8 1.Revolução cientifica
  9. 9. e) Os seus proliferadores -Galileu galilei Galileu Galilei foi personalidade fundamental na revolução científica. Desenvolveu os primeiros estudos sistemáticos do movimento uniformemente acelerado e do movimento do pêndulo. Descobriu a lei dos corpos e enunciou o princípio da inércia e o conceito de referencial inercial. Galileu melhorou significativamente o telescópio refrator e com ele descobriu as manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter , os anéis de Saturno, as estrelas da Via Láctea. Estas descobertas contribuíram decisivamente na defesa do heliocentrismo. Contudo a principal contribuição de Galileu foi para o método científico, pois a ciência assentava numa metodologia aristotélica. 9 1.Revolução cientifica
  10. 10. e) Os seus proliferadores -Francis Bacon O objetivo do método baconiano é constituir uma nova maneira de estudar os fenômenos naturais. Para Bacon, a descoberta de fatos verdadeiros não depende do raciocínio silogístico aristotélico, mas sim da observação e da experimentação regulada pelo raciocínio indutivo. O conhecimento verdadeiro é resultado da concordância e da variação dos fenômenos que, se devidamente observados, apresentam a causa real dos fenômenos.Para isso, no entanto, deve-se descrever de modo pormenorizado os fatos observados para, em seguida, confrontá-los com três tábuas. 10 1.Revolução cientifica
  11. 11. 1.1 Bibliografia http://www.suapesquisa.com/o_que_e/humanismo.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Humanismo http://pt.wikipedia.org/wiki/Revolu%C3%A7%C3%A3o_cient%C3%ADfica http://www.consciencia.org/pascal.shtml http://pt.wikipedia.org/wiki/Blaise_Pascal http://pt.wikipedia.org/wiki/Galileu_Galilei http://www.fisica.net/alunos/2002/astronomiantiga/telescopio%20_descoberta s.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Francis_Bacon#O_m.C3.A9todo Manual “tempo da história”, 1ª parte Historia A 11º ano 11 1.Revolução cientifica

×