O CIDAD ÃO E O DIGITAL Associação  Portuguesa para a  Gestão  da Informação Endereço electrónico:  [email_address]   http:...
Sumário <ul><li>A INCITE e o acesso do cidadão à informação </li></ul><ul><li>Informação de e para a Cidadania na Era Digi...
<ul><ul><li>DESTINATÁR IOS </li></ul></ul>Fundada em 1984, como Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Informação...
OBJECTIVOS ESTRAT ÉGICOS <ul><li>Contribuir para o desenvolvimento do estudo e investigaç ão na área da Ciência da Informa...
INICIATIVAS mais relevantes <ul><li>1998 / 2001- projecto DECIDoc  ( desenvolver as Eurocompet ências para a Informação e ...
Euro-Referencial I- D <ul><li>2004 ,  Junho a Dezembro .-Tradução/ Revis ão/Edição  </li></ul><ul><li>2005 ,  11Abril  -  ...
Destinatários do  Euro-Referencial I-D <ul><li>O profissional em actividade  </li></ul><ul><li>Quem deseje mudar de empreg...
Actualização/Revisão do  Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2006 – Preparação de equipa de trabalho para integrar o o ...
Actualização/Revisão do  Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2008 – Assinatura da Carta de Princípios pela INCITE </li>...
Actualização/Revisão do  Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2009 - Trabalhos conjuntos do Grupo EuroGuide coordenado p...
Grupo Técnico Especializado <ul><li>2003 </li></ul><ul><ul><li>Dossiê “Referencial de Formação” para saída profissional de...
Grupo Técnico Especializado <ul><li>2006 </li></ul><ul><ul><li>Ajustes segundo o Euro Referencial I-D (2ª Edição) </li></u...
Marketing da Profissão  <ul><li>Sitio Web da INCITE </li></ul><ul><li>Divulgação aberta de iniciativas, estudos e eventos ...
Informação  de e para  a Cidadania na Era Digital A Informação no Sector Público e Informação de Cidadania
Informação do sector público  <ul><li>Toda a informação recolhida, tratada, utilizada e detida pelo sector público, inclui...
Informação do sector público <ul><li>O acesso a esta informação pelo cidadão é um direito constitucional (artº 267º, nº 1 ...
A Informação de Cidadania  <ul><li>O cidadão tem acesso livre, directo e gratuito  </li></ul><ul><li>Este acesso é vital p...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL  <ul><li>Marcos </li></ul><ul><li>1993 – “Crescimento, Competitividade, Emprego –...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Objectivos principais dos Programas, Planos de Acção Projectos e Iniciati...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>… </li></ul><ul><ul><li>Mobilizar a sociedade e estimular redes de colabo...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Com o  desenvolvimento científico e tecnológico é imparável o caminho que...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Medidas imprescindíveis </li></ul><ul><li>directas  para reduzir  a franj...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Medidas imprescindíveis (Cont.) </li></ul><ul><li>apetrechamento  dos órg...
CIDADANIA  E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Às  Administrações e Governo   compete  o planeamento e a organização da ...
Para terminar O acesso ao conteúdo da informação de cidadania está inserido no conceito lato de “serviço universal” que, c...
Obrigada pela atenção Odete Santos Secretária Geral  INCITE 2008
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Cidadão e o Digital

2.017 visualizações

Publicada em

Apresentação da Drª Odete Santos por ocasião do Fórum de Ciências Humanas e Sociais, na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre, 26 de Março de 2006

Publicada em: Turismo
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.017
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Cidadão e o Digital

  1. 1. O CIDAD ÃO E O DIGITAL Associação Portuguesa para a Gestão da Informação Endereço electrónico: [email_address] http:// www.incite.pt / Edifício M1 – INETI Estrada do Paço do Lumiar 1700 LISBOA
  2. 2. Sumário <ul><li>A INCITE e o acesso do cidadão à informação </li></ul><ul><li>Informação de e para a Cidadania na Era Digital </li></ul>
  3. 3. <ul><ul><li>DESTINATÁR IOS </li></ul></ul>Fundada em 1984, como Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Informação Científica e Técnica, tomou em 2000, com a revis ão dos Estatutos, a designação : Associação Portuguesa para a Gest ão da Informação <ul><li>Profissionais da informaç ão e documentação </li></ul><ul><li>Trabalhadores do conhecimento ligados à informação </li></ul><ul><li>e comunicação </li></ul><ul><li>Profissionais das indústrias da informação que se ocupam </li></ul><ul><li>das tecnologias da informação e da sua utilização </li></ul><ul><li>Formadores, gestores, agentes económicos e decisores </li></ul><ul><li>políticos </li></ul>
  4. 4. OBJECTIVOS ESTRAT ÉGICOS <ul><li>Contribuir para o desenvolvimento do estudo e investigaç ão na área da Ciência da Informação </li></ul><ul><li>Promover os princípios, as metodologias e as ferramentas próprias da Gestão da Informação e a aplicaç ão adequada das TICs </li></ul><ul><li>Desenvolver padr ões de excelência na criação, gestão e partilha de recursos de informação e do conhecimento </li></ul><ul><li>Contribuir para o desenvolvimento e valorização dos profissionais ligados à área da Gestão de Informação </li></ul><ul><li>Contribuir para a promoção do princípio de igualdade de acesso à informação e ao conhecimento indispensável ao exercício da cidadania numa sociedade democrática </li></ul>
  5. 5. INICIATIVAS mais relevantes <ul><li>1998 / 2001- projecto DECIDoc ( desenvolver as Eurocompet ências para a Informação e Document.) com 7 parceiros europeus -financiado pelo Programa Leonardo da Vinci </li></ul><ul><li>2001 - Trad. / Edição do Referencial das Competências dos prof. europeus de informação e documentação ( 1ª Edição ) </li></ul><ul><li>2002/2004 - projecto CERTIDoc ( Para um Sistema de Certificaç ão a Nível Europeu ) </li></ul><ul><li>2003, 11 Nov.- WORKSHOP &quot; Referencial das Competências dos Profissionais Europeus de Informação e Documentação ” </li></ul><ul><li>2004,15 Nov .- WORKSHOP &quot; Euro-Certificação dos Profissionais de Informação e de Documentação ” </li></ul>
  6. 6. Euro-Referencial I- D <ul><li>2004 , Junho a Dezembro .-Tradução/ Revis ão/Edição </li></ul><ul><li>2005 , 11Abril - apresentação pública no seminário ” O Valor dos Profissionais de Informação-Documentação &quot; </li></ul><ul><ul><li>Vol I - Competências e aptidões dos profissionais europeus de I-D </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>* Grupo I- Informação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>* Grupo T - Tecnologias </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>* Grupo C - Comunicação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>* Grupo M – Gestão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>* Grupo S - Outros saberes </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Vol II - Níveis de qualificação dos profis.europeus de I-D </li></ul></ul><ul><li>* Nível 1 - Assistente de informação-documentação </li></ul><ul><li>* Nível 2 - Técnico de informação-documentação </li></ul><ul><li>* Nível 3 - Gestor de informação-documentação </li></ul><ul><li>* Nível 4 - Perito de informação-documentação </li></ul>
  7. 7. Destinatários do Euro-Referencial I-D <ul><li>O profissional em actividade </li></ul><ul><li>Quem deseje mudar de emprego ou melhorar a qualificação </li></ul><ul><li>O empregador para definir o perfil do colaborador </li></ul><ul><li>O jovem à procura de orientação profissional </li></ul><ul><li>O profissional que pretenda melhorar o seu estatuto </li></ul><ul><li>O responsável pelo ensino / formação que queira melhorar os seus programas </li></ul><ul><li>O profissional que deseje desenvolver as competências dos utilizadores </li></ul>
  8. 8. Actualização/Revisão do Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2006 – Preparação de equipa de trabalho para integrar o o grupo euroGUIDE </li></ul><ul><li>2007, 15 Jun. – Reunião, na ADBS, do Grupo CERTIdoc com representantes dos países membros (12 Associações), para elaboração de Carta de Princípios ( Charter ) </li></ul>
  9. 9. Actualização/Revisão do Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2008 – Assinatura da Carta de Princípios pela INCITE </li></ul><ul><ul><li>Questionário à comunidade de prática e de docência em I-D para estudo e análise da utilização e impacto do Euro-Referencial, com vista à revisão. </li></ul></ul><ul><ul><li>Troca de Informações com os congéneres europeus. </li></ul></ul>
  10. 10. Actualização/Revisão do Euro-Referencial I- D (3ª ed.) <ul><li>2009 - Trabalhos conjuntos do Grupo EuroGuide coordenado pela ADBS para publicação do Euro-Referencial I- D (3ª ed.) </li></ul><ul><ul><li>Tradução e publicação da edição portuguesa pela INCITE </li></ul></ul>
  11. 11. Grupo Técnico Especializado <ul><li>2003 </li></ul><ul><ul><li>Dossiê “Referencial de Formação” para saída profissional de técnicos de informação, documentação e comunicação (NIVEL III) (Disponível em www.iefp.pt ) </li></ul></ul><ul><ul><li>Manual Organizativo de Aprendizagem de 3 Itinerários de Qualificação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>2 de Técnicas de Informação, Documentação e Comunicação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1 de Técnicas de Gestão de Informação </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>- Com base no Referencial das Competências dos Profissionais Europeus de Informação e Documentação (1ª Edição) </li></ul></ul>
  12. 12. Grupo Técnico Especializado <ul><li>2006 </li></ul><ul><ul><li>Ajustes segundo o Euro Referencial I-D (2ª Edição) </li></ul></ul><ul><li>2007/8 </li></ul><ul><ul><li>Concepção e Validação dos Instrumentos de RVCC para de Técnico de Informação, Documentação e Comunicação (NÍVEL III), para a ANQ a fim de integrar o Catálogo Nacional de Qualifações </li></ul></ul>
  13. 13. Marketing da Profissão <ul><li>Sitio Web da INCITE </li></ul><ul><li>Divulgação aberta de iniciativas, estudos e eventos de interesse para a comunidade I-D </li></ul><ul><ul><li>Ciências da Informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Sociedade da Informação </li></ul></ul><ul><ul><li>Gestão da Informação </li></ul></ul><ul><li>Difusão Directa de Informação aos Associados e outros interessados </li></ul>
  14. 14. Informação de e para a Cidadania na Era Digital A Informação no Sector Público e Informação de Cidadania
  15. 15. Informação do sector público <ul><li>Toda a informação recolhida, tratada, utilizada e detida pelo sector público, incluindo o Governo, </li></ul><ul><li>Vital para a concretização dos direitos de cidadania </li></ul><ul><li>Para uma relação saudável e transparente inter-administrações, administração-empresas e administração-cidadãos </li></ul>
  16. 16. Informação do sector público <ul><li>O acesso a esta informação pelo cidadão é um direito constitucional (artº 267º, nº 1 e 268º, nºs 1 e 2 da Constituição) </li></ul><ul><li>O acesso a esta informação pelas empresas é um factor crucial para a definição de estratégias e tomada de decisões para o seu desenvolvimento </li></ul><ul><li>A melhoria do acesso à informação do sector público é a chave do reforço dos direitos de cidadania e do desenvolvimento individual e profissional </li></ul>
  17. 17. A Informação de Cidadania <ul><li>O cidadão tem acesso livre, directo e gratuito </li></ul><ul><li>Este acesso é vital para a sua participação na sociedade e para a satisfação das suas necessidades essenciais com vista ao exercício pleno dos seus direitos democráticos </li></ul><ul><li>Graças aos meios de comunicação electrónicos a “informação de cidadania”, é um novo “bem público” (como a educação, saúde e cultura) </li></ul>
  18. 18. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Marcos </li></ul><ul><li>1993 – “Crescimento, Competitividade, Emprego – Os Desafios e as Pistas para entrar no Século XXI” da CE </li></ul><ul><li>1994 Relatório Bangemann “A Europa e a sociedade global da informação” </li></ul>
  19. 19. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Objectivos principais dos Programas, Planos de Acção Projectos e Iniciativas nacionais e comunitárias: </li></ul><ul><ul><li>Promover uma cidadania moderna, em que as TIC são um instrumento normal de acesso à informação, à educação, ao trabalho cooperativo, e à discussão pública; </li></ul></ul><ul><ul><li>Assegurar a eficiência, simplicidade e transparência da AP em todos os seus actos </li></ul></ul><ul><li>… </li></ul>
  20. 20. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>… </li></ul><ul><ul><li>Mobilizar a sociedade e estimular redes de colaboração </li></ul></ul><ul><ul><li>Promover a inclusão social </li></ul></ul><ul><ul><li>Simplificar e melhorar a prestação de serviços públicos aos cidadãos e às empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>Disseminar informação de interesse público generalizado </li></ul></ul><ul><li>UMIC </li></ul>
  21. 21. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Com o desenvolvimento científico e tecnológico é imparável o caminho que se abre para disponibilizar aos cidadãos, aos serviços e às empresas os instrumentos necessários à construção de uma “Democracia Informada”. </li></ul><ul><li>Mas o exercício de cidadania pressupõe uma relação de participação do cidadão na “função administrativa” e vontade de se integrar como “cidadão” nas estruturas do Estado em que vive. </li></ul>
  22. 22. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Medidas imprescindíveis </li></ul><ul><li>directas para reduzir a franja populacional dos info-excluídos e combater a desigualdade de condições de acesso à informação, ao conhecimento e à cultura </li></ul><ul><li>mobilização dos cidadãos para o exercício dos Direitos Humanos, da Democracia e da Cidadania na era digital </li></ul><ul><li>formação dos cidadãos sobre os seus direitos e deveres de cidadania, ética e TIC’s </li></ul>
  23. 23. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Medidas imprescindíveis (Cont.) </li></ul><ul><li>apetrechamento dos órgãos e serviços públicos com os meios para o tratamento e acesso aberto à informação </li></ul><ul><li>elaboração de conteúdos digitais que proporcionem e facilitem o acesso à informação - Administração “digital” mais próxima, útil, informativa e formativa para o cidadão. </li></ul>
  24. 24. CIDADANIA E ACESSO À INFORMAÇÃO DIGITAL <ul><li>Às Administrações e Governo compete o planeamento e a organização da transição para a Cidadania Digital </li></ul><ul><li>A toda a comunidade de cidadãos e empresas (produtores, distribuidores e clientes/utilizadores ) compete a observância de uma vivência e ética própria para a Sociedade de Informação </li></ul>
  25. 25. Para terminar O acesso ao conteúdo da informação de cidadania está inserido no conceito lato de “serviço universal” que, com o desenvolvimento da Sociedade de Informação, inclui o acesso às redes e aos meios electrónicos de informação e comunicação
  26. 26. Obrigada pela atenção Odete Santos Secretária Geral INCITE 2008

×