Dicas De DissertaçãO

11.882 visualizações

Publicada em

Dicas de dissertação

Publicada em: Educação
0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.882
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
61
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
315
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Dicas De DissertaçãO

  1. 1. Trinta e sete dicas rápidas para fazer uma boa redação
  2. 2. 1) Na dissertação, não escreva períodos muito longos nem muitos curtos. 2) Na dissertação, não use expressões como "eu acho", "eu penso" ou "quem sabe", que mostram dúvidas em seus argumentos.
  3. 3. 3) Uma redação "brilhante" mas que fuja totalmente ao tema proposto será anulada. 4) É importante que, em uma dissertação, sejam apresentados e discutidos fatos, dados e pontos de vista acerca da questão proposta.
  4. 4. 5) A postura mais adequada para se dissertar é escrever impessoalmente, ou seja, deve-se evitar a utilização da primeira pessoa do singular.
  5. 5. 6) Na narração, uma boa caracterização de personagens não pode levar em consideração apenas aspectos físicos. Elas têm de ser pensadas como representações de pessoas, e por isso sua caracterização é bem mais complexa, devendo levar em conta também aspectos psicológicos de tipos humanos.
  6. 6. 7) O texto dissertativo é dirigido a um interlocutor genérico, universal; a carta argumentativa pressupõe um interlocutor específico para quem a argumentação deverá estar orientada.
  7. 7. 8) O que se solicita dos alunos é muito mais uma reflexão sobre um determinado tema, apresentada sob forma escrita, do que uma simples redação vista como um episódio circunstancial de escrita. 9) A letra de forma deve ser evitada, pois dificulta a distinção entre maiúsculas e minúsculas. Uma boa grafia e limpeza são fundamentais.
  8. 8. 10) Na narração, há a necessidade de caracterizar e desenvolver os seguintes elementos: narrador, personagem, enredo, cenário e tempo.
  9. 9. 11.    Desnecessário faz-se empregar estilo de escrita demasiadamente rebuscado, conforme deve ser do conhecimento de V. Sª. Outrossim, tal prática advém de esmero excessivo que beira o exibicionismo narcisístico
  10. 10. 12.Evite abrev.etc. 13.Anule aliterações altamente abusivas. 14.“não esqueça das maiúsculas”, como já dizia Carlos machado, meu professor lá no colégio santa Efigênia, em salvador, bahia, brasil.
  11. 11. 15.Evite lugares-comuns do mesmo jeito que “o diabo foge da cruz”. 16.O uso de parênteses (mesmo quando for relevante) é desnecessário. 17.Estrangeirismos são out, palavras de origem portuguesa estão in.
  12. 12. 18.Seja seletivo no emprego de gíria, bicho, mesmo que sejam maneras. Sacou? 19.Palavras de baixo calão podem transformar seu texto numa porcaria. 20.Nunca generalize: geralmente, generalizar é um erro.
  13. 13. 21.Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar repetitiva e a repetição vai fazer com que a palavra seja repetidamente repetida. 22.Não abuse das citações. Como costuma dizer meu pai: “Quem cita os outros não tem idéias próprias.” 23.Frases incompletas podem
  14. 14. 24.Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes, isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez. Em outras palavras: não fique repetindo a mesma idéia. 25.Seja mais ou menos específico. 26.Frases com apenas uma palavra? Corta!
  15. 15. 27.A voz passiva deve ser evitada. 28.Use a pontuação corretamente e o ponto e a vírgula especialmente será que ninguém sabe mais usar o sinal de interrogação 29.Quem precisa de perguntas retóricas?
  16. 16. 30.Nunca use siglas desconhecidas, conforme recomenda A. G. O. P. 31.Exagerar é 100 bilhões de vezes pior do que a moderação. 32.Evite mesóclises. Repita comigo: “mesóclises: evitá- las-ei!”
  17. 17. 33.Analogias na escrita são tão úteis quando chifres numa galinha. 34.Não abuse das exclamações! Seu texto fica horrível! Sério!
  18. 18. 35.Evite frases exageradamente longas, por dificultarem a compreensão da idéia contida nelas, e, concomitantemente, por conterem mais de uma idéia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçando, desta forma, o pobre leitor a separá-la em seus componentes diversos, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular por meio do uso de frases mais curtas.
  19. 19. 36.Cuidado com a ortografia, para não estuprar a língua. 37.Seja incisivo e coerente. Ou talvez seja melhor não. (Texto original distribuído pela Profª Denise Imbroisi, UnB, com adaptações por Saulo A. Ferreira, Gama, agosto de 2001)

×