Miguel Proença
Alforreca no charco
CONGRESSO DA CIDADANIA. RUPTURA E UTOPIA PARA A PRÓXIMA REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA

13 & 14 ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Proenca miguel

708 visualizações

Publicada em

Video art. Congresso da Cidadania, 13 e 14 de Março de 2015. Fundação Calouste Gulbenkian

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
708
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
555
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Proenca miguel

  1. 1. Miguel Proença Alforreca no charco CONGRESSO DA CIDADANIA. RUPTURA E UTOPIA PARA A PRÓXIMA REVOLUÇÃO DEMOCRÁTICA
 13 & 14 DE MARÇO 2015 ~ FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN Recentemente tenho ouvido a expressão “pedrada no charco” com frequência, e ao pensar nela e na participação neste congresso promovido pela Associação 25 de Abril, re-visitei uma série de fotografias de alforrecas e uma sua apresentação multimédia tituladas Caldo Primordial de 2013 e Who’s a jellyfish? (Quem é uma alforreca?), de 2010. Esta re-visitação serviu de ponto de partida para este trabalho.
 Deixo ao espectador algumas palavras que serviram de referência na construção do trabalho e que poderão (ou não) ser orientadoras no seu visionamento.
 activar, adaptar, agitar, água, alforreca, al-hurraiqa (árabe), arte, caldo primordial, charco, estagnado, fotografia, gelatina, górgona, medusa, ondulação, petrificação, poça, quebra, superfície, tectónica, tensão, turbilhão. Miguel Proença é fotógrafo, especializado na reprodução de obras de arte. Mestre em História de Arte pela Universidade Nova de Lisboa (2010) é doutorando na área de Fotografia e Multimédia na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (2010–presente) .
 O seu trabalho pessoal parte em geral de uma origem documental e segue posteriormente o processo do “tornar estranho” como via de construção.
 Tem colaborado com instituições culturais sem fim lucrativos ligadas á divulgação e promoção das artes, casos da Arte Contempo (2004–2012) e a Casa das Artes de Tavira (1985–). mp, março 2015 
 
 
 para mais informação consultar miguel-proença.com. Alfarreca no Charco, 2015, vídeo.

×