Obstrução intestinal

23.204 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
23.204
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
198
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obstrução intestinal

  1. 1. É a incapacidade de o intestino promover o trânsito do seu conteúdo luminar no sentido aboral
  2. 2. <ul><li>Funcional ou mecânica </li></ul><ul><li>Aguda ou crônica </li></ul><ul><li>Alta ou baixa </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Manifestações clinicas </li></ul><ul><li>Dor abdominal </li></ul><ul><li>Vômitos </li></ul><ul><li>Distensão abdominal </li></ul><ul><li>Parada de eliminação de gases e fezes </li></ul><ul><li>Manifestações clínicas sistêmicas </li></ul>
  4. 4. <ul><li>DOR ABDOMINAL : Em cólica, e de forte intensidade. Obstruções mais proximais são associadas com cólicas mais freqüentes ao contrário das obstruções mais distais em que a dor ocorre em intervalos maiores </li></ul>
  5. 5. <ul><li>VÔMITOS : Desde o início do quadro nos casos de obstrução mais alta, e mais tardio nos casos de obstrução baixa (íleo distal ou colon).O conteúdo pode variar de bilioso ( obstruções altas) á fecalóide ( obstruções mais baixas). </li></ul>
  6. 6. <ul><li>DISTENSÃO ABDOMINAL : Quanto mais baixa e maior tempo decorrido da obstrução maior será a distensão abdominal </li></ul>
  7. 7. <ul><li>PARADA DE ELIMINAÇÃO DE GASES E FEZES: No início do processo pode haver diarréia ou poli evacuações por mecanismo reflexo. Nas obstruções mais distais haverá parada de eliminação de gases e fezes mais precocemente ( se a obstrução for completa). </li></ul>
  8. 8. <ul><li>MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SITÊMICAS : São relacionadas ao grau de obstrução ( parcial ou total), á intensidade dos vômitos e conseqüente desidratação e ainda á doença de base que causou a obstrução. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Hemograma </li></ul><ul><li>Prova de função renal </li></ul><ul><li>Eletrólitos </li></ul><ul><li>Raio x simples de abdome ( ortostatismo) </li></ul><ul><li>TC de abdome </li></ul><ul><li>Raio x contrastado do intestino delgado </li></ul><ul><li>Colonoscopia ou retosigmoidoscopia </li></ul>
  10. 12. <ul><li>Gás intestinal ( nitrogênio, oxigênio, dióxido de carbono, hidrogênio, metano e sulfitos) </li></ul><ul><li>Líquido entérico ( 8 a 10 litros de líquido entérico) </li></ul><ul><li>Flora intestinal </li></ul>
  11. 13. <ul><li>INTESTINO DELGADO </li></ul><ul><li>-Aderências congênitas ou adquiridas </li></ul><ul><li>-Hérnias de parede abdominal </li></ul><ul><li>-Doença de Crohn </li></ul><ul><li>-Infecções abdominais </li></ul><ul><li>- Outras ( intussucepção, corpo estranho,bolo de ascaris, divertículo de Meckel) </li></ul>
  12. 14. <ul><li>INTESTINO GROSSO </li></ul><ul><li>-Carcinoma de cólon </li></ul><ul><li>-Tumores pélvicos </li></ul><ul><li>-Volvos </li></ul><ul><li>-Complicações de doença diverticular </li></ul><ul><li>-Outros </li></ul>
  13. 16. <ul><li>A brida pós operatória é a principal causa de obstrução intestinal. Pode ocorrer em qualquer fase do pós operatório, sendo mais freqüente a ocorrência tardia. </li></ul>
  14. 18. <ul><li>É a segunda causa de obstrução intestinal mecânica. Ocorre quando um segmento intestinal fica preso em um orifício herniário. </li></ul>
  15. 21. <ul><li>APENDICITE </li></ul><ul><li>DIVERTÍCULITE </li></ul><ul><li>PERITONITE </li></ul><ul><li>DOENÇA DE CROHN </li></ul>
  16. 24. <ul><li>MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS </li></ul><ul><li>-Obstrução intestinal podendo vir acompanhado de hemorragia </li></ul><ul><li>-Diverticulite </li></ul><ul><li>-Perfuração </li></ul><ul><li>-Tumores </li></ul>
  17. 28. <ul><li>A invaginação intestinal ocorre quando um segmento proximal de alça intestinal (intussusceptum) penetra num segmento distal(intussuscipiens), causando compressão vascular do mesentério, com conseqüentes edema , isquemia, necrose e, por fim, perfuração com peritonite. </li></ul>
  18. 29. <ul><li>QUADRO CLÍNICO </li></ul><ul><li>-Dor abdominal </li></ul><ul><li>-Vômitos </li></ul><ul><li>-Distensão abdominal </li></ul><ul><li>-Eliminação de muco com sangue (geléia de framboesa) pelo ânus </li></ul><ul><li>-Apatia, torpor ou coma </li></ul>
  19. 30. <ul><li>EXAMES COMPLEMENTARES </li></ul><ul><li>-Raio x de abdomen </li></ul><ul><li>-Ultra-sonografia </li></ul><ul><li>-Enema opaco </li></ul>
  20. 33. <ul><li>- Má rotação intestinal </li></ul><ul><li>Engloba as múltiplas alterações da rotação e da fixação do intestino. Causam diferentes graus de obstrução, podendo ser assintomáticos ou manifestar com a forma mais grave de volvo intestinal. </li></ul>
  21. 34. <ul><li>Rotação intestinal normal </li></ul>
  22. 35. <ul><li>ROTAÇÃO INTESTINAL NORMAL </li></ul>
  23. 36. <ul><li>Rotação intestinal incompleta </li></ul>
  24. 39. <ul><li>INTESTINO GROSSO </li></ul><ul><li>-Carcinoma de cólon </li></ul><ul><li>-Tumores pélvicos </li></ul><ul><li>-Volvos </li></ul><ul><li>-Complicações de doença diverticular </li></ul><ul><li>-Outros </li></ul>
  25. 40. <ul><li>Hemograma </li></ul><ul><li>Prova de função renal </li></ul><ul><li>Eletrólitos </li></ul><ul><li>Raio x simples de abdome ( ortostatismo) </li></ul><ul><li>TC de abdome </li></ul><ul><li>Raio x contrastado do intestino delgado </li></ul><ul><li>Colonoscopia ou retosigmoidoscopia </li></ul>
  26. 41. <ul><li>RAIO X SIMPLES DE ABDOME </li></ul>
  27. 42. <ul><li>CLINICO </li></ul><ul><li>SNG descompressiva </li></ul><ul><li>Infusão venosa de água e eletrólitos </li></ul><ul><li>Antibióticos </li></ul><ul><li>Outros </li></ul>
  28. 43. <ul><li>Cuidados pré operatório </li></ul><ul><li>Cirurgia direcionada para a causa da obstrução </li></ul>

×