Mercado trabalhori01 13

69 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
69
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mercado trabalhori01 13

  1. 1. RI XINGU 2012 1
  2. 2. Boletim do Mercado de Trabalho Região de Integração Xingu Número 2 – Janeiro – 2013 2
  3. 3. Governo do Estado do Pará Simão Robison Oliveira Jatene Governador Helenilson Cunha PontesVice-Governador do Estado do Pará / Secretário Especial De Estado De Gestão – Seges Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Maria Adelina Guglioti Braglia Presidente Cassiano Figueiredo Ribeiro Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural Sérgio Castro Gomes Diretor de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação Andrea dos Santos Coelho Diretor de Pesquisas e Estudos Ambientais Gracyette Raimunda Aguiar Ferreira da Silva Diretora de Planejamento, Administração e Finanças 3
  4. 4. ExpedienteDiretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural:Cassiano Figueiredo RibeiroCoordenadoria Técnica de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas:Celeste Ferreira LourençoCoordenação de Núcleo de Análise Conjuntural:Rosinete das Graças Farias Nonato NavegantesElaboração Técnica:Celeste Ferreira LourençoDavid Costa Correia SilvaColaboração:Edson da Silva e SilvaJorge Eduardo Macedo SimõesRosinete das Graças Farias Nonato NavegantesRevisão Técnica:Sérgio Rodrigues Fernandes.Cassiano Figueiredo Ribeiro.Comissão EditorialAndréa PinheiroAndréa CoelhoAnna Márcia MunizCassiano RibeiroGlauber RibeiroLucia AndradeSérgio Rodrigues FernandesSergio GomesNormalização:Glauber da Silva Ribeiro BOLETIM DO MERCADO DE TRABALHO: REGIÃO DE INTEGRAÇÃO DO XINGU, 2012. Belém: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará, 2012. Mensal 16p. (Boletim do Mercado de Trabalho: Região de Integração do Xingu, 2) 1. Mercado de trabalho. 2. Trabalho formal. 3. Pará (Estado). Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESPRua Municipalidade 1461. Bairro do UmarizalCEP: 66.050-350 – Belém/ParáTel: (91) 3321-0600 / Fax: (91) 3321-0610E-mail: comunicação@idesp.pa.gov.br 1. Mercado de trabalho. 2. Trabalho formal. 3. Pará (Estado). InstitutoDisponível em: http://www.idesp.pa.gov.br do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115 4
  5. 5. SUMÁRIOAPRESENTAÇÃO ......................................................................................................... 6PARTE 1.......................................................................................................................... 71.1 NOTAS METODOLÓGICAS ................................................................................... 71.2 O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL NO PARÁ 8REFERÊNCIAS ........................................................................................................... 13PARTE 2........................................................................................................................ 141 PAINEL DE INDICADORES .................................................................................. 141.1 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRA ....................................................... 14P1. 1 Admissões por setor de atividade econômica – Pará. ........................................... 15P1. 2 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará. ..................................... 15P1. 3 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará. ................................ 16P1. 4 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Pará. ............................ 16P1. 5 Saldo de emprego por município – RI Xingu. ...................................................... 16 5
  6. 6. APRESENTAÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP),autarquia vinculada a Secretaria Especial de Estado de Gestão (SEGES) tem entre seusobjetivos a produção, sistematização e análise de informações sobre a conjunturasocioeconômica do estado do Pará. Dentro da ação intitulada Observatório de Belo Monte, o Instituto pretendeacompanhar e analisar as principais transformações nos dez municípios que compõem aRegião de Integração Xingu (RI Xingu), em decorrência da construção da Usina Hidrelétricade Belo Monte, com o objetivo de subsidiar o planejamento de políticas governamentais noEstado. Entre as atividades que compõem essa ação do IDESP está a elaboração mensal doBoletim do Mercado de Trabalho da RI Xingu, contendo análise do comportamento doemprego celetista, com base em informações tais como a flutuação do emprego segundosetores econômicos e ocupações, tipos de movimentação etc., tendo como fonte o CadastroGeral de Empregados e Desempregados (CAGED) divulgado pelo Ministério do Trabalho eEmprego (MTE). O CAGED, instituído em dezembro de 1965 pela Lei Federal nº 4923, é um registroadministrativo permanente e obrigatório que tem por objetivo acompanhar a movimentação doemprego sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). A partir do CAGED oMTE produz e disponibiliza estatísticas conjunturais sobre o mercado de trabalho formal comcarteira assinada, servindo de subsídios a estudos, análises e projetos relacionados. Este Boletim compõe-se de duas partes: a primeira traz uma breve exposição dosprocedimentos metodológicos adotados na análise do comportamento do emprego e, naseqüência, é apresentado um estudo do desempenho do mercado de trabalho formal paraensecom um enfoque na RI Xingu, tendo como referência o ano de 2012. A segunda constitui-sede um painel de indicadores, cuja finalidade é disponibilizar aos leitores, séries históricasestatísticas do mercado de trabalho formal estadual e regional, permitindo acompanhar odesempenho de indicadores selecionados sobre emprego e renda no estado do Pará e na RIXingu. 6
  7. 7. PARTE 11.1 NOTAS METODOLÓGICAS O Boletim do Mercado de Trabalho da RI Xingu toma como referência as estatísticassobre o desempenho do emprego celetista com registro em carteira, no estado do Pará, tendocomo fonte de dados o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED)divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O CAGED é um registro administrativo obrigatório1 criado com as seguintesfinalidades: i) fiscalizar e acompanhar o processo de admissão e dispensa dos trabalhadores; ii)viabilizar a construção de ações de combate ao desemprego; iii) permitir a assistência aosdesempregados; iv) ter em vista a reciclagem profissional e a recolocação dos desempregadosno mercado de trabalho e; v) gerar estatísticas para acompanhamento do mercado formal detrabalho. Com periodicidade mensal, reúne informações sobre a movimentação das admissões edesligamentos em determinado período (flutuação do emprego), desagregadas por setoreseconômicos segundo classificação do IBGE. De âmbito nacional, dispõe informações porUnidade de Federação (UF), principais regiões metropolitanas e municípios. Entre osconceitos utilizados estão: saldo mensal: indica a diferença entre admissões e desligamentos no mês atual; saldo acumulado no ano: mostra a diferença entre admissões e desligamentos no período de janeiro até o mês atual; saldo acumulado nos últimos 12 meses: resulta da diferença entre admissões e desligamentos no período de doze meses tendo como referência o mês atual; variação mensal do emprego: é a relação entre o saldo do mês atual e o estoque de emprego do primeiro dia deste mesmo mês; variação acumulada no ano: toma como referência os estoques do mês atual e do mês de dezembro do ano t-1, ambos com ajustes; variação acumulada nos últimos 12 meses: toma como referência os estoques do mês atual e do mesmo mês do ano anterior, ambos com ajustes.1 O CAGED foi criado pelo Governo Federal através da Lei nº 4.923/65, que instituiu o registro permanente deadmissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). 7
  8. 8. 1.2 O COMPORTAMENTO DO MERCADO DE TRABALHO FORMAL NO PARÁ De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED)divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) o estado do Pará gerou 37.320empregos celetistas no ano de 2012. O resultado alcançado ainda que significativo, representauma queda de 27,52% em relação ao total de novos empregos gerados em 2011, na ordem de51.493 postos abertos, o que mostra uma perda no dinamismo do mercado de trabalhoparaense, acompanhando tendência nacional. Contudo, deve ser ressaltado que, em termosrelativos, o mercado de trabalho paraense com uma taxa média de crescimento de 5,39%,apresentou um desempenho superior aos obtidos pela Região Norte e Brasil cujas taxas médiasde crescimento alcançaram patamares de 4,20% e 3,43% respectivamente. Com essecomportamento o Estado manteve-se em primeiro lugar no ranking de geração de empregosformais da Região Norte, sendo responsável por 52,34% dos 71.299 novos empregos celetistascriados no ano em análise. As maiores contribuições vieram da Construção Civil, onde foramcriados 12.245 novos empregos, do setor Comércio cuja expansão totalizou 11.993 novospostos e do setor Serviços com 10.900 empregos a mais que em 2011. Analisando o comportamento do emprego segundo as doze Regiões de Integração (RI)que compõem o Estado, observa-se em todas, saldos positivos. Entretanto, as maioresparticipações na abertura de postos de trabalho ocorreram na RI Metropolitana, na RI Xingu eRI Carajás que, em conjunto, foram responsáveis por 77% dos novos empregos gerados noPará, como pode se visualizar no Gráfico 1. Gráfico 1 - Pará - Participação das RI na geração de empregos celetistas em 2012 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – CAGED Elaboração: Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural /IDESP 8
  9. 9. 1.3 O COMPORTAMENTO DO EMPREGO FORMAL NA RI XINGU Na comparação do desempenho entre os anos 2012 e 2011 por RI verifica-se que 7 das12 RI diminuíram o ritmo de expansão do emprego gerando saldos menores no ano emanálise. Entre as que continuaram crescendo em 2012, destaca-se a RI Xingu com o maiornúmero de novos empregos (3.701postos de trabalho) elevando sua participação relativa nototal do Estado que era de 13,20% em 2011 para 28,14% em 2012. Ao gerar um total de10.500 novos empregos, essa RI ficou atrás apenas da RI Metropolitana com seus 12.203novos postos gerados, passando de terceira para a segunda colocada no ranking estadual. Tabela 1 - Pará - Comportamento do emprego formal por Regiões Administrativas – 2011/2012 Participação no saldo emprego Regiões de Saldo de emprego Variação absoluta do Estado Integração 2011 2012 2012-2011 2011 2012 Araguaia 1.341 2.066 725 2,60 5,54 Baixo Amazonas 3.995 1.111 -2.884 7,76 2,98 Carajás 7.421 5.927 -1.494 14,41 15,88 Guamá 3.191 1.754 -1.437 6,20 4,70 Lago de Tucuruí -353 58 659 -0,69 0,16 Marajó 981 306 -903 1,91 0,82 Metropolitana 19.434 12.203 -7.231 37,74 32,70 Rio Caeté 1.101 1.541 412 2,14 4,13 Rio Capim 2.046 140 -1.906 3,97 0,38 Tapajós 81 477 396 0,16 1,28 Tocantins 5.456 1.245 -4.211 10,60 3,34 Xingu 6.799 10.500 3.701 13,20 28,14 Total do Estado 51.493 37.320 -14.173 100,00 100,00 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – CAGED Elaboração: Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural /IDESP1.3.1 O comportamento do emprego formal por setor de atividade econômica. Quando comparado ao saldo de empregos de 2011, a RI Xingu registrou em 2012 aexpressiva taxa de crescimento de 54,43%. Esse desempenho é decorrência, sobretudo, daconstrução da Usina Hidrelétrica de Belo Monte iniciada em meados de 2010, obra que deveráatingir o pico em 2013 quando está prevista a abertura de 20 mil postos de trabalho. Assim éque, ao se analisar o comportamento do emprego segundo setores econômicos, observa-se umagrande concentração das contratações no setor da Construção Civil, conforme demonstrado nográfico 2. 9
  10. 10. Gráfico 2 - RI Xingu – Desempenho do mercado de trabalho por setores econômicos - 2012 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – CAGED Elaboração: Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural /IDESP De acordo com os dados apresentados verificam-se ocorrências de fechamento de 15postos de trabalho celetista no setor de Extrativa Mineral, 307 na Indústria de Transformação,63 nos Serviços Industriais de Utilidade Pública e 17 na Agropecuária. Entre os setores queregistraram saldos positivos, destaca-se o da Construção Civil como o grande gerador deempregos celetistas na RI em estudo, com a criação de 9.217 novos postos de trabalho.Seguem-se, com bem menos expressividade, os setores do Comércio (628 postos criados), dosServiços (1.056 novos empregos) e Administração Pública (1 emprego celetista). Nesse contexto, dentre as 30 ocupações que mais admitiram em 2012, grande parcelaestá diretamente vinculada às atividades inerentes aos setores da Construção Civil, Comércio eServiços conforme se visualiza na tabela 2 a seguir que, além do número de admissões,informa também o salário médio de contratação da mão-de-obra, em valores nominais, em2012. 10
  11. 11. Tabela 2 - Pará – Ocupações que mais admitiram na RI Xingu - 2012 Salário médio de admissão Número de Ocupações (R$ 1,00) Admissões RI Xingu Pará 1 Servente de Obras 3.810 740,45 679,21 2 Motorista operacional de guincho 1.092 1.735,05 1.587,56 3 Pedreiro 928 1.022,41 943,84 4 Carpinteiro 771 1.031,98 961,08 5 Vendedor de Comércio Varejista 746 726,70 671,24 6 Auxiliar de Escritório, em Geral 718 896,84 770,25 7 Motorista de ônibus urbano 654 1.312,95 1.346,65 8 Motorista de Caminhão (Rotas Regionais e Internacionais) 623 1.454,84 1.231,90 9 Instalador de Linhas Elétricas de Alta e Baixa Tensão 460 1.375,55 1.387,70 10 Operador de Escavadeira 445 2.006,56 1.874,06 11 Cozinheiro Geral 438 757,05 721,94 12 Contínuo 372 653,40 678,64 13 Topógrafo 320 1.506,55 1.400,51 14 Vigilante 305 1.038,96 847,70 15 Mestre (Construção Civil) 295 4.234,92 2.525,32 16 Armador de Estrutura de Concreto Armado 273 1.115,96 993,55 17 Operador de Trator de Lâmina 260 2.064,46 1.581,87 18 Operador de Caminhão (Minas e Pedreiras) 250 1.874,44 1.582,81 19 Encanador 201 1.027,41 1.025,90 20 Operador de Caixa 193 728,50 691,02 21 Mecânico de Manut. de Máq. Cortadoras de Grama, Roçadeiras, Motosserras e Similares. 178 1.256,33 1.169,75 22 Almoxarife 177 909,50 838,68 23 Trab. de Serv. de Limpeza e Conservação de áreas Públicas 172 686,76 664,37 24 Alimentador de Linha de Produção 170 704,70 670,85 25 Repositor de Mercadorias 170 726,76 641,28 26 Frentista 160 769,93 751,09 27 Soldador 153 1.347,49 1.254,97 28 Mecânico de Manutenção de Máquinas de Construção e Terraplenagem 152 1.988,56 1.772,78 29 Caseiro (Agricultura) 151 735,94 716,86 30 Operador de Compactadora de Solos 146 1.461,30 1.274,54Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – CAGEDElaboração: Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural /IDESP Analisando os dados da tabela verifica-se que das 30 ocupações que mais admitiram noano em estudo, 20 estão vinculadas diretamente ao setor da Construção Civil. Em 2012 omaior número de contratação de trabalhadores (3.810) foi para a atividade de servente deobras. Os salários médios de admissão, todos acima do valor do salário mínimo vigente atéentão, variaram entre R$653,40 para a ocupação de Contínuo, e de R$4.234,92 para a funçãode Mestre na Construção Civil. Num comparativo entre os salários médios de admissão praticados na RI Xingu e ototal do Estado, verifica-se que, das ocupações aqui analisadas, em apenas quatro, a RI Xinguencontra-se abaixo da média estadual: Motorista de Ônibus Urbano, Instalador de LinhasElétricas de Alta e Baixa Tensão, Contínuo e Repositor de Mercadorias. Em todas as demais 11
  12. 12. os salários pagos são maiores, com diferenciais que chegam a alcançar 68% a mais, como é ocaso de Mestre (Construção Civil) com salários médios iniciais de R$4.234,92 na RI Xingucontra R$2.525,32 da média estadual.1.3.2 Comportamento do Emprego Formal por Municípios da RI Xingu. A RI Xingu agrega 10 municípios: Altamira, Anapu, Brasil Novo, Medicilândia,Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu. A expansãodo emprego formal nessa Região vem atingindo de modo diferenciado os municípios que acompõem. Uma análise nesse sentido pode ser feita a partir dos dados descentralizados e quesão apresentados no gráfico 3 a seguir.Gráfico 2 - RI Xingu – Saldo do emprego celetista por municípios – 2011/2012Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) – CAGEDElaboração: Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural /IDESP Conforme se pode observar, praticamente todo o impacto da expansão do empregoformal está concentrado em um único município da Região: Altamira. Concorre para esse fato,a proximidade física desse município com a principal obra em execução na RI (UHE BeloMonte) e o fato desse município possuir a melhor infraestrutura física e social da RI Xingu. Entre os 9 municípios restantes, apenas Vitória do Xingu e Placas registrarammelhorias no desempenho em relação ao ano anterior gerando um número maior de novosempregos, embora pouco expressivos considerando o total da RI. Nos demais, observaram-se 12
  13. 13. quedas, comparativamente aos resultados de 2011, sendo que os municípios de Anapu, Portode Moz e Uruará registraram saldos negativos, representando o fechamento de -22, -74 e -108postos de trabalho, respectivamente, REFERÊNCIASBRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Programa de disseminação de Estatística dotrabalho. 2012. Disponível em: <http://www.mte.gov.br/pdet > Acesso em: jun. 2012. 13
  14. 14. PARTE 21 PAINEL DE INDICADORES1.1 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRAP1. 1 Admissões por setor de atividade econômica – Pará ............................................ 14P1. 2 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará. ..................................... 14P1. 3 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará ... Erro! Indicador nãodefinido.14P1. 4 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Pará ............................. 15P1. 5 Saldo de emprego por municípios –RI Xingu ....................................................... 15 14
  15. 15. P1. 1 Admissões por setor de atividade econômica – Pará. Ext. Ind. Const. Adm. Outros/ Período SIUP Comércio Serviços Agropecuária Total Mineral Trans. Civil Públ. Ignorados 2004 1.140 49.549 1.127 24.376 47.303 49.639 62 28.481 0 201.677 2005 1.563 46.687 932 27.750 51.768 52.360 194 27.224 1 208.479 2006 2.754 50.220 998 32.590 54.723 60.370 158 19.280 0 221.093 2007 2.478 51.028 1.438 33.200 66.423 58.234 118 30.290 0 243.209 2008 3.199 46.948 1.758 47.171 68.947 68.897 145 35.274 0 272.339 2009 1.869 39.315 1.864 44.378 68.765 68.841 110 29.828 0 254.970 2010 4.140 44.832 2.653 61.421 88.348 93.864 170 32.714 0 328.142 2011 4.491 46.700 2.296 76.299 96.867 106.939 938 35.247 0 369.777 2012 3.877 40.818 1.820 75.766 91.573 96.532 128 32.318 0 342.832Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED.Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. . P1. 2 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará. Ext. Ind. Const. Adm. Outros/ Período SIUP Comércio Serviços Agropecuária Total Mineral Trans. Civil Públ. Ignorados 2004 682 38.595 786 20.242 36.569 42.103 221 24.275 0 163.473 2005 767 47.719 916 24.670 44.418 45.073 136 26.983 0 190.682 2006 908 46.659 804 30.949 47.446 53.424 370 19.727 0 200.287 2007 1.331 49.835 1.252 29.439 55.311 49.591 96 28.351 0 215.206 2008 1.480 52.075 1.643 47.401 64.352 59.873 100 36.689 0 263.613 2009 1.278 41.296 1.776 44.418 64.258 64.093 193 30.278 0 247.590 2010 1.393 41.038 2.255 51.931 72.932 73.812 216 30.119 0 273.696 2011 2.019 45.297 2.303 62.995 84.453 86.931 231 33.043 0 317.272 2012 2.210 43.899 1.938 68.147 85.175 91.179 136 32.524 0 325.208 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. 15
  16. 16. P1. 3 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará. Ext. Ind. Const. Adm. Outros/ Período SIUP Comércio Serviços Agropecuária Total Mineral Trans. Civil Públ. Ignorados 2004 458 10.954 341 4.134 10.734 7.536 -159 4.206 0 38.204 2005 796 -1.032 16 3.080 7.350 7.287 58 241 1 17.797 2006 1.846 3.561 194 1.641 7.277 6.946 -212 -447 0 20.806 2007 1.147 1.193 186 3.761 11.112 8.643 22 1.939 0 28.003 2008 1.719 -5.127 115 -230 4.595 9.012 41 -1.399 0 8.726 2009 591 -1.989 88 -40 4.507 4.748 -83 -450 0 7.372 2010 2.639 1.906 499 4.466 10.642 14.152 -29 1.119 0 35.394 2011 2.472 1.403 -7 13.304 12.414 20.008 707 2.204 0 52.505 2012 1.667 -3.081 -118 7.619 6.398 5.353 -8 -206 0 17.624Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED.Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.P1. 4 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Pará. Ext. Ind. Const. Adm. Outros/ Período SIUP Comércio Serviços Agropecuária Total Mineral Transf. Civil Públ. Ignorados 2004 5.066 91.898 8.121 53.654 126.722 162.644 26.404 48.348 -1 522.856 2005 5.862 90.866 8.137 56.734 134.072 169.931 26.462 48.589 0 540.653 2006 7.708 94.427 8.331 58.375 141.349 176.877 26.250 48.142 0 561.459 2007 8.855 95.620 8.517 62.136 152.461 185.520 26.272 50.081 0 589.462 2008 10.574 90.493 8.632 61.906 157.056 194.532 26.313 48.682 0 598.188 2009 11.165 88.512 8.720 61.866 161.563 199.280 26.230 48.232 0 605.568 2010 13.804 90.418 9.219 66.332 172.205 213.432 26.201 49.351 0 640.962 2011 16.170 89.803 9.130 76.768 179.071 227.578 26.857 49.952 0 675.329Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ RAIS.Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.P1. 5 Saldo de emprego por município – RI Xingu. Altamira Uruará Vitória Brasil Porto de Senador Período Anapu Medicilândia Pacajá Placas Do Novo Moz José Porfírio Xingu 2004 561 150 7 34 58 21 18 7 147 67 2005 95 -143 13 -3 62 9 -9 -16 394 -6 2006 286 -9 1 -8 14 -37 -60 36 8 3 2007 744 85 26 -49 199 40 4 -96 179 -8 2008 -247 -26 53 43 -193 -15 -32 35 5 24 2009 -161 29 1 20 -84 41 24 -49 260 -11 2010 636 134 3 19 -7 68 -18 -22 -242 20 2011 6.461 19 56 43 80 -3 -18 18 60 83 2012 10.544 -22 14 1 -74 20 4 13 -108 108Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED.Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. 16

×