Mercado trabalhomaio2013

485 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
485
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
161
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mercado trabalhomaio2013

  1. 1. 1 MAIO DE 2013
  2. 2. 2 Governo do Estado do Pará Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará Helenilson Cunha Pontes Vice-Governador do Estado do Pará / Secretário Especial de Estado De Gestão (SEGES) Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Maria Adelina Guglioti Braglia Presidente Cassiano Figueiredo Ribeiro Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural Sérgio Castro Gomes Diretor de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação Andrea dos Santos Coelho Diretora de Pesquisas e Estudos Ambientais Gracyette Raimunda Aguiar Ferreira da Silva Diretora de Planejamento, Administração e Finanças
  3. 3. 3 Expediente Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural: Cassiano Figueiredo Ribeiro Coordenadoria Técnica de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas: Celeste Ferreira Lourenço Coordenação de Núcleo de Análise Conjuntural: Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes Elaboração Técnica: Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes. Colaboração: David Costa Correia Silva Edson da Silva e Silva Revisão Técnica: Cassiano Figueiredo Ribeiro Hélio Santana Mairata Gomes Comissão Editorial Andréa Pinheiro Andréa Coelho Anna Márcia Muniz Cassiano Ribeiro Glauber Ribeiro Lucia Andrade Sérgio Rodrigues Fernandes Sergio Gomes Normalização: Glauber da Silva Ribeiro Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP Rua Municipalidade 1461. Bairro do Umarizal CEP: 66.050-350 – Belém/Pará Tel.: (91) 3321-0600 / Fax: (91) 3321-0610 E-mail: comunicação@idesp.pa.gov.br Disponível em: http://www.idesp.pa.gov.br BOLETIM DO MERCADO DE TRABALHO, 2013. Belém: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará, 2013. Mensal p. 29 (Boletim do Mercado de trabalho, 5) 1. Mercado de trabalho. 2. Trabalho formal. 3. Pará (Estado). Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115 1. Mercado de trabalho. 2. Trabalho formal. 3. Pará (Estado). Instituto do Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará. CDD. 331.12098115
  4. 4. 4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO......................................................................................................... 5 PARTE 1.......................................................................................................................... 6 1.1 NOTAS METODOLÓGICAS ................................................................................... 6 1.2 O MERCADO DE TRABALHO FORMAL DO PARÁ EM MAIO DE 2013......... 7 1.2.1 Comportamento do emprego segundo setores de atividade econômica.................10 1.2.2 Ocupações com maiores saldos de emprego e salário médio de admissão ............12 1.2.3 Admissões e Desligamentos por tipo de movimentação ........................................12 1.2.4 Evolução do emprego no comparativo entre maio de 2012 e de 2013 .............12 1.2.5 Comportamento do emprego na Região Metropolitana de Belém .................13 REFERÊNCIAS ............................................................................................................. 17 PARTE 2........................................................................................................................ 18 1 PAINEL DE INDICADORES.................................................................................. 18 1.1 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRA ....................................................... 18 1.2 P2. REMUNERAÇÃO DA MÃO DE OBRA ......................................................... 18 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRA ............................................................. 19 P1. 2. Desligamentos por setor de atividade econômica – Brasil................................... 20 P1. 3. Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Brasil.............................. 21 P1. 4. Estoque¹ de emprego por setor de atividade econômica – Brasil......................... 22 P1. 5 Admissões por setor de atividade econômica – Pará. ........................................... 23 P1. 6 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará. ..................................... 24 P1. 7 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará. ................................ 25 P2. REMUNERAÇÃO DA MÃO DE OBRA............................................................. 27 P2 1 Salário médio mensal por faixa de remuneração – Brasil...................................... 27 P2 2 Salário médio mensal por faixa de remuneração - Pará. ........................................ 28 P2 3 Salário médio mensal por região de integração – Pará. ......................................... 29
  5. 5. 5 APRESENTAÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP), autarquia vinculada a Secretaria Especial de Estado de Gestão (SEGES) tem entre seus objetivos a produção, sistematização e análise de informações sobre a conjuntura socioeconômica do estado do Pará. Neste sentido, dentro da ação intitulada Rede de Monitoramento do Trabalho e Renda, acompanha o desempenho do mercado paraense, com o propósito de subsidiar o planejamento de políticas governamentais para a geração de trabalho e renda, a serem desenvolvidas no Estado. Entre as atividades que compõem essa ação do IDESP, está a elaboração mensal do Boletim do Mercado de Trabalho Paraense, contendo análise conjuntural do emprego celetista registrado em carteira, com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), tendo como fonte o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED). Este Boletim compõe-se de duas partes: a primeira traz uma breve exposição dos procedimentos metodológicos adotados na análise mensal do emprego no estado do Pará e, na seqüência, é apresentada uma análise do comportamento do mercado de trabalho formal paraense, tendo como referência o mês de maio de 2013. A segunda constitui-se de um painel de indicadores, cuja finalidade é disponibilizar aos leitores, séries históricas estatísticas do mercado de trabalho formal nacional e estadual, permitindo o acompanhamento do desempenho de indicadores selecionados sobre emprego e renda no Brasil e no Pará.
  6. 6. 6 PARTE 1 1.1 NOTAS METODOLÓGICAS O Boletim do Mercado de Trabalho Paraense toma como referência as estatísticas sobre o desempenho do emprego celetista, com registro em carteira, no estado do Pará, tendo com fonte de dados o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O CAGED é um registro administrativo obrigatório1 criado com as seguintes finalidades: i) fiscalizar e acompanhar o processo de admissão e dispensa dos trabalhadores; ii) viabilizar a construção de ações de combate ao desemprego; iii) permitir a assistência aos desempregados; iv) ter em vista a reciclagem profissional e a recolocação dos desempregados no mercado de trabalho e; v) gerar estatísticas para acompanhamento do mercado formal de trabalho. Com periodicidade mensal, reúne informações sobre a movimentação das admissões e desligamentos em determinado período (flutuação do emprego), desagregadas por setores econômicos segundo classificação do IBGE. De âmbito nacional, dispõe informações por Unidade de Federação (UF), principais regiões metropolitanas e municípios. Entre os conceitos utilizados estão: saldo mensal: indica a diferença entre admissões e desligamentos no mês atual; saldo acumulado no ano: mostra a diferença entre admissões e desligamentos no período de janeiro até o mês atual; saldo acumulado nos últimos 12 meses: resulta da diferença entre admissões e desligamentos no período de doze meses tendo como referência o mês atual; variação mensal do emprego: é a relação entre o saldo do mês atual e o estoque de emprego do primeiro dia deste mesmo mês; variação acumulada no ano: toma como referência os estoques do mês atual e do mês de dezembro do ano t-1, ambos com ajustes; variação acumulada nos últimos 12 meses: toma como referência os estoques do mês atual e do mesmo mês do ano anterior, ambos com ajustes. 1 O CAGED foi criado pelo Governo Federal através da Lei nº 4.923/65, que instituiu o registro permanente de admissões e dispensa de empregados, sob o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).
  7. 7. 7 1.2 O MERCADO DE TRABALHO FORMAL DO PARÁ EM MAIO DE 2013 De acordo com dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), em maio de 2013 o estado do Pará obteve saldo negativo na geração de empregos formais, registrando 45 postos a menos, de empregos celetistas. Esse número corresponde ao equivalente à redução de 0,01% em relação ao estoque de assalariados com carteira assinada do mês anterior. Em que pese esse resultado, na série ajustada, que incorpora as informações declaradas fora do prazo, observa-se que de janeiro a maio, cinco primeiros meses do corrente ano, houve, na economia paraense, o acréscimo de 4.080 postos, o que corresponde a um incremento de 0,55% em relação a dezembro do ano anterior. No acumulado dos últimos doze meses (de junho de 2012 a maio de 2013), o montante de empregos gerados atingiu 23.158 postos de trabalho, correspondendo a um aumento de 3,20% em relação aos 12 meses anteriores. Nacionalmente o desempenho do mercado de trabalho foi positivo, com a geração de 72.028 novos empregos celetistas em maio, equivalendo a um incremento de 0,18% em relação ao estoque do mês anterior, porém, esse foi o pior resultado dos meses de maio na série histórica desde 2003. Levando em conta apenas os cinco primeiros meses de 2013, o saldo do emprego nacional é de 669.279, isto representa uma variação de 1,69% em relação ao estoque obtido em 2012. Na série ajustada, no acumulado dos últimos doze meses, o montante de empregos gerados em todo país atingiu 1.017.750 postos de trabalho, correspondendo a um aumento de 2,60%. (Ver Gráfico 1) GRÁFICO 1. Saldo de empregos formais. Brasil, Região Norte e Pará – Maio de 2013. Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP -200.000 0 200.000 400.000 600.000 800.000 1.000.000 1.200.000 Brasil Norte Pará Mai./2013 72.028 -663 -45 No Ano 669.279 11.805 4.080 Últimos 12 meses 1.017.750 46.569 23.158
  8. 8. 8 A Região Norte também apresentou resultado negativo. Em maio, eliminou 663 postos de trabalho, resultado da diferença de 73.637 admissões contra 74.330 desligamentos, o que representou variação de -0,04% em relação ao estoque do mês anterior. Apesar do resultado apresentado no mês em análise, o saldo no acumulado do ano é positivo em 11.805 empregos celetistas, representando uma ampliação de 0,65% no acumulado dos cinco primeiros meses. Comportamento similar se reflete nos últimos 12 meses: o estoque de empregos do Norte atingiu 46.569 novos postos o que indica um montante 2,61% maior ao acumulado nos doze meses imediatamente anterior. Entre os sete estados que a compõe, apresentaram resultados positivos: Acre, Amapá e Amazonas com 571, 176 e 54 postos de trabalho respectivamente, enquanto as demais unidades que registraram perdas. O destaque foi Rondônia, com expressiva eliminação de 1.034, empregos formais; seguido de Roraima (-213); Tocantins (-172) e o Pará (-45). GRÁFICO 2. Saldo de empregos formais no mês, no acumulado do ano e nos últimos 12 meses. Estados da Região Norte. Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. O Comportamento do Emprego no Pará Segundo Setores de Atividade Econômica Ao se analisar o resultado do emprego em maio, segundo oito grandes setores econômicos, verifica-se que apenas dois setores (Construção Civil e Comércio) apresentaram saldo positivo com respectivos 631 e 476 empregos formais. Situação adversa apresentaram a Indústria de Transformação e os Serviços, com perdas substanciais em -5.000 0 5.000 10.000 15.000 20.000 25.000 Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Amapá Tocantins Mai./2013 -1.034 571 54 -213 -45 176 -172 No Ano 69 550 4.576 -1.171 4.080 1.526 2.175 Últimos 12 meses 2.825 33 11.942 1.090 23.158 5.329 2.192
  9. 9. 9 relação aos demais, visto que eliminaram 523 e 405 postos de trabalho respectivamente. Agropecuária (-140), Serviço Industrial de Utilidade Pública (-82), Extrativo Mineral (-27), e Administração Pública (-15), também eliminaram postos de trabalho, conforme tabela 1 a seguir. TABELA 1. Comportamento do emprego no Pará por setor de atividade econômica – Maio de 2013. Setores de Atividade Total de Admissões Total de Desligamentos Saldo Variação do Emprego (%) Mai/Abr Extrativa Mineral 169 196 -27 -0,14 Indústria de Transformação 3.236 3.759 -523 -0,6 Serv. Ind. de Util. Pública 121 203 -82 -1,06 Construção Civil 7.504 6.833 671 0,67 Comércio 8.361 7.885 476 0,23 Serviços 8.042 8.447 -405 -0,16 Administração Pública 6 21 -15 -0,06 Agropecuária 2.519 2.659 -140 -0,27 Total 29.958 30.003 -45 -0,01 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.  Construção Civil: Reassumiu a posição de destaque na geração de emprego neste mês no Pará, apresentando saldo de 671 novos postos de trabalho, decorrente da diferença de 7.504 admissões contra 6.833 desligamentos. No acumulado dos primeiros cinco meses é o setor com registro de melhor saldo no emprego no total. com 4.739 novos postos de trabalho gerados.  Comércio: Apresentou o segundo melhor desempenho da economia paraense. Nesse mês, obteve saldo positivo de 476 postos de trabalho. Tal resultado decorreu da geração de 289 novas vagas no subsetor Varejista e 187 no Atacadista.  Indústria de Transformação: Depois de ter apontado recuperação no mês anterior, em maio foi o setor que apresentou o pior resultado, com saldo negativo de 523. O setor sofreu impacto, sobretudo, dos subsetores Indústria da madeira e do mobiliário (-421), ressaltando que o mesmo registra saldo negativo no acumulado do ano: 1.997 postos de trabalho a menos. Indústria metalúrgica (-76); Indústria têxtil do vestuário e artefatos de tecidos (-70) e Indústria Mecânica com (- 46) foram os principais subsetores responsáveis por esse resultado.  Serviços: Trata-se de outro setor que havia apresentado pequena recuperação, com saldo positivo no mês anterior, mas que retornou a apresentar resultado significativamente
  10. 10. 10 negativo, com perdas de 405 empregos celetistas. O destaque negativo foi o subsetor de Comércio e administração de imóveis, valores mobiliários, serviço técnico que registrou perdas de 838 postos de trabalho. O impacto negativo foi amenizado por outros subsetores haverem registrado saldos positivos, a saber: Serviços de alojamento, alimentação, reparação, manutenção, redação: 221, Ensino: 85 e Instituições de credito, seguro e capitalização: 64 empregos formais.  Agropecuária: Em maio houve a perda de 140, postos de trabalho formais. No acumulado do ano o setor registra saldo negativo de 93 postos de trabalho, o que não se configura no acumulado dos últimos 12 meses, que registra saldo inverso, ou seja, positivo de 282 empregos celetistas gerados.  Serviços Industriais de Utilidade Pública: Mais uma vez voltou a ter perdas de postos de trabalho. No mês foram (-82), os números de empregos celetistas eliminados resultantes da admissão de 121 trabalhadores contra 203 desligamentos.  Extrativa Mineral: Novamente encontra-se entre os setores de atividade no estado a apresentar perdas de postos de trabalho, no mês de referencia: 27 empregos formais foram eliminados resultado da diferença de 169 admissões contra 196 desligamentos. Nos primeiros cinco meses do ano o setor acumula saldo negativo de (-128), postos de trabalho.  Administração Pública: Foi o setor que apresentou a menor perda de postos de trabalho no mês de referencia: 15 foi o saldo negativo apresentado, dado que 6 foram os números de postos de trabalho gerados contra 21 desligamentos de trabalhadores celetistas. 1.2.2 Ocupações com maiores saldos de emprego e salário médio de admissão Na tabela 2, a seguir, são apresentadas as trinta ocupações que, no mês em análise, registraram os maiores saldos de empregos e seus respectivos salários médios de admissão. Tabela 2 - Ocupações com maiores saldos de emprego no Pará – Maio de 2013. Ocupações Admissão Desligamento Saldo Salário Médio Admissão (R$) Servente de Obras 2979 2711 268 751,28 Vendedor de Comércio Varejista 2002 1791 211 765,90 Produtor Agrícola Polivalente 234 60 174 770,38 Trabalhador da Manutenção de Edificações 367 201 166 754,89 Armador de Estrutura de Concreto Armado 273 129 144 1180,83 Embalador a Mão 313 170 143 698,24 Faxineiro 736 628 108 701,78
  11. 11. 11 Tratorista Agrícola 200 98 102 934,82 Motorista de Ônibus Urbano 366 266 100 1557,70 Motorista de Caminhão (Rotas Regionais e Internacionais) 793 696 97 1390,56 Auxiliar nos Serviços de Alimentação 168 88 80 757,73 Técnico de Rede (Telecomunicações) 79 9 70 1934,44 Assistente Administrativo 418 351 67 1260,42 Recepcionista, em Geral 397 338 59 849,30 Carregador (Veículos de Transportes Terrestres) 180 122 58 721,06 Motorista Operacional de Guincho 191 133 58 1819,36 Vigilante 420 365 55 965,72 Auxiliar Geral de Conservação de Vias (Exceto Trilho) 184 132 52 736,69 Atendente de Farmácia - Balconista 132 83 49 750,77 Pescador Profissional 52 6 46 771,40 Soldador 226 182 44 1434,31 Escriturário de Banco 75 32 43 1640,32 Operador de Compactadora de Solos 53 13 40 1359,40 Operador de Maquinas Fixa, em Geral 66 29 37 845,77 Carpinteiro 415 380 35 1110,65 Retalhador de Carne 107 73 34 689,07 Copeiro 119 86 33 707,25 Técnico em Secretariado 66 33 33 1136,92 Sinaleiro (Ponte Rolante) 58 26 32 1024,91 Montador de Andaimes (Edificações) 134 103 31 1300,76 Total 11.803 9.334 2.469 - Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Verifica-se nas informações disponíveis na tabela 2 que as trinta ocupações ranqueadas como as de maiores saldos, representam majoritariamente os setores Serviços, Comércio e Construção Civil. Quanto ao salário médio de admissão, os valores mostram uma variação entre R$ 689,07 (Retalhador de Carne) a R$ 1.934,44 (Técnico de Rede- Telecomunicação). Considerando os meses anteriormente analisados, maiores foram os números de ocupações que obtiveram rendimento superior a dois salários mínimos (visto que o salário mínimo vigente corresponde a R$ 678,00). Dentre as trinta ocupações, sete, equivalente a 23% delas, ultrapassam esse nível de rendimento: Operador de Computadores com (R$ 1.359,40). Motorista de caminhão (R$ 1.390,56), Soldador (R$ 1.434,41), Motorista de Ônibus Urbano (R$ 1.557,70), Escriturário de Banco (R$ 1.640,34) Motorista Operacional de Guincho (R$ 1.819,36) e Técnico de Rede - Telecomunicações (R$ 1934,44) que registrou o maior salário médio de admissão.
  12. 12. 12 1.2.3 Admissões e Desligamentos por tipo de movimentação Considerando os tipos de movimentação registrados nas 29.958 admissões ocorridas no mês de maio, verificou-se que 77,14% caracterizaram-se como Reemprego; 21,33% como Primeiro Emprego e, o residual, constituído de admissões através de Contrato de Trabalho com Prazo Determinado e por Reintegrações. Esse resultado torna bastante perceptível a maior condição de empregabilidade do trabalhador com experiência anterior, frente àquele que busca o seu primeiro emprego com registro em carteira. No que se refere aos 30.003 desligamentos no mês em análise, 67,83% foram Dispensados Sem Justa Causa, 17,77%; Desligados à Pedido; 11,25% por Término do Contrato de Trabalho. O restante constituiu-se de desligamentos em função do Término de Contrato com Prazo Determinado, de Justa Causa, por Morte e em decorrência de Aposentadoria. Tabela 3 - Admissões e desligamentos por tipos de movimentação no Pará – Maio 2013. Admissões e Desligamentos Número de trabalhadores Participação Relativa (%) ADMISSÕES 29.958 100 Reemprego 23.111 77,14 Primeiro Emprego 6.389 21,33 Contrato de Trabalho com Prazo Determinado 443 1,48 Reintegração 15 0,05 DESLIGAMENTOS 30.003 100 Dispensado sem Justa Causa 20.351 67,83 Desligamento à Pedido 5.330 17,77 Desligamento por Término de Contrato 3.376 11,25 Término Contrato Trabalho Prazo Determinado 387 1,29 Dispensado com Justa Causa 475 1,58 Desligamento por Morte 70 0,23 Aposentadoria 14 0,05 SALDO (Admissões - Desligamentos) -45 - Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. 1.2.4 Evolução do emprego no comparativo entre maio de 2012 e de 2013 Ao se comparar o comportamento do mercado de trabalho paraense nos meses de maio de 2013 e 2012, observa-se que no ano anterior o saldo do emprego no comparativo a 2013 foi absolutamente superior. Nos dois períodos analisados apenas dois setores apresentaram comportamento similar: Construção Civil e Comércio, ou seja, com resultado de saldo positivo na geração de empregos formais. Em 2013 esses setores apresentaram
  13. 13. 13 saldo de 476 e 671 empregos celetistas respectivamente. Ressalte-se que o resultado apresentado em 2013 pelos dois setores foi superior aos saldos registrados em 2012. Os demais setores: Serviços, Indústria de Transformação e Extrativo Mineral apresentaram bom desempenho em 2012 com saldo positivo bastante expressivo em relação aos demais: 660, 593 e 309 postos de trabalho respectivamente. Tal resultado se inverte no ano seguinte com saldo negativo de 405, 523 e 27 empregos celetistas eliminados respectivamente. Os setores Agropecuários, Administração Pública e Serviço Industrial de Utilidade Pública nos períodos analisados apresentaram simultaneamente saldo negativo de postos de trabalho: (- 140) e (-132) 2013/ 2012, (-15) (-2) e (-82) (-28) respectivamente. Ver gráfico a seguir: Gráfico 3 - Saldo de Empregos Formais por Setores Econômicos Estado do Pará (maio 2012/2013). Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. 1.2.5 Comportamento do emprego na Região Metropolitana de Belém - maio de 2013 A Região Metropolitana de Belém2 (RMB) registrou resultado negativo de -735, empregos no mês de maio, resultado que se repete consecutivamente pela segunda vez em volume substancialmente superior ao mês anterior. O Comportamento apresentado decorreu da eliminação de empregos nos setores: Serviços (-421); Indústria de Transformação (-171); Construção Civil (-143); Serviço Industrial de Utilidade Pública (-26); Agropecuário (-6) e Extrativo Mineral com perdas de (-2) postos de trabalho. Vale ressalta que Administração Pública registrou saldo nulo e apenas o setor Comércio obteve saldo positivo de 34 empregos celetistas. Ver Tabela 4. 2 A RMB é composta pelas cidades de Belém, Ananindeua, Benevides, Marituba e Santa Bárbara 309 596 -28 493 320 660 -2 -132 -27 -523 -82 671 476 -405 -15 -140 -600 -400 -200 0 200 400 600 800 Extrativa Mineral Indústria de Transformação Serv. Ind. de Util. Pública Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária Mai./2013 Mai./2012
  14. 14. 14 TABELA 4. Comportamento do emprego na RMB em – maio de 2013. Setores de Atividade Total de Admissões Total de Desligamentos Saldo Variação do Emprego (%) Abr/Mai Extrativa Mineral 1 3 -2 -0,71 Indústria de Transformação 806 977 -171 -0,63 Serv. Ind. de Util. Pública 94 120 -26 -0,56 Construção Civil 2.080 2.223 -143 -0,38 Comércio 3.054 3.020 34 0,03 Serviços 4.755 5.176 -421 -0,25 Administração Pública 6 6 0 0 Agropecuária 105 111 -6 -0,11 Total 10.901 11.636 -735 -0,21 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Ranking do saldo de empregos por municípios em maio de 2013 Considerando a totalidade dos municípios que compõem o estado do Pará, o gráfico 4 apresenta uma seleção dos dez primeiros na geração de empregos e, na outra ponta, os dez que mais eliminaram postos de trabalho no mês em análise. Assim, entre os dez municípios com melhor desempenho na geração de emprego, Altamira com saldo de 1.666 postos de trabalho, recupera a posição de primeiro lugar no ranking, com destaque para o setor da Construção Civil que registrou saldo de positivo de 1.566 postos, ressaltando que esse comportamento se dá em função das obras da Usina Hidrelétrica de Belo Monte a qual demanda grande volume de emprego no setor, seguido do Comércio (73 postos). Ulianopólis vem em segundo lugar com um saldo positivo de 206 postos de trabalho, gerados majoritariamente no setor Agropecuário que criou 243 empregos formais especificamente. Canaã dos Carajás, também se destaca entre os dez primeiros, com saldo positivo de 196 empregos diferença entre 582 admissões contra 386 desligamentos. O destaque foi ao setor da Construção Civil que registrou 161 empregos seguidos do Serviço com 21 postos de trabalhos gerados. Itaituba vem a seguir, com a criação de 188 empregos formais distribuídos em setores: Serviços, Construção Civil com 78, postos de trabalhos cada e Comércio 14, postos. O município de Redenção aparece no quinto lugar no ranking com geração de 103 novos empregos formais distribuídos entre dois setores: Construção
  15. 15. 15 Civil e Serviços com respectivamente 74 e 29 empregos formais. Marabá no segundo mês consecutivo se destaca entre os dez municípios paraenses, com maior saldo de emprego, no total, 99 novos postos, distribuídos entre o setor da Construção Civil 112 postos e Serviços com 59 postos de trabalho. Na sequência vem o município de Novo Repartimento com registro na geração de 68 postos de trabalho concentrado no setor da Construção Civil com geração 66, novos empregos formais. Capanema apresentou saldo positivo de 64 novos postos de trabalho, a maioria no setor Comércio. Em nona colocação encontra-se São Félix do Xingu, que gerou 62 postos de trabalho, majoritariamente no setor Agropecuário. Bragança com saldo positivo de 42 postos de trabalho aparece em décimo lugar no ranking com destaque para o setor Comércio com 31 empregos formais, seguido da Indústria de Transformação, com 16 postos. GRÁFICO 4. Ranking do saldo de emprego nos municípios paraenses - Maio de 2013. Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Entre os dez os municípios com maiores perdas de postos de trabalho formais no decorrer do mês de maio, Parauapebas registrou o pior desempenho com eliminações -660 -438 -267 -248 -170 -163 -128 -103 -99 -82 42 62 64 68 99 103 188 196 206 1.666 -1.000 -500 0 500 1.000 1.500 2.000 Parauapebas Belém Ananindeua Barcarena Paragominas Abaetetuba Tailândia Moju Tomé-Açú Santarém Bragança São Félix do Xingú Capanema Novo Repartimento Marabá Redenção Itaituba Canaã dos Carajás Ulianópolis Altamira
  16. 16. 16 expressivas de 660 empregos formais, majoritariamente no setor da Construção Civil (-907 postos de trabalho). A situação só não foi pior a apresentada porque setores como a Indústria de Transformação e Comércio compensaram tais perdas, com saldo positivo de 154 e 76 postos de trabalho respectivamente. Belém, capital do Estado vem a seguir, registrando eliminação de 438 postos, tendo o setor Serviço apresentado o pior desempenho com a eliminação de 369 postos de trabalho, seguido da Indústria de Transformação: menos 109 empregos; e Serviços Industriais de Utilidade Pública, com 25 a menos. Na terceira colocação no ranking o município de Ananindeua, na Região Metropolitana, acompanha esse comportamento com perdas de 267 postos de trabalho, a maioria no setor da Construção Civil (-127), seguido de Serviços e de Comércio com menos 89 e 20 postos de trabalho respectivamente; Barcarena foi o 4ª no ranking (-248) com destaque para as perdas também no setor da Construção Civil (-257) seguido de Indústria de Transformação com menos 33 postos de trabalho. Na sequência vem Paragominas, com eliminação de 170 postos de trabalho, envolvendo a maioria nos setores: Construção Civil (-74 empregos); Agropecuária (-54); e Indústria de Transformação (-37). Abaetetuba repete comportamento do mês anterior, novamente encontrando-se entre os municípios com maiores perdas, com fechamento de 163 postos sendo 76 na Agropecuária; 45, nos Serviços; e 41, no Comércio. O município de Tailândia vem a seguir, registrando eliminação de 128 empregos formais, com destaque para as perdas na Agropecuária e na Indústria de Transformação. Moju, o oitavo município entre os que mais fecharam postos no mês de maio, eliminou 103 vagas, das quais 53 postos na Agropecuária e 34 postos na Indústria de Transformação. O município de Tomé-Açú registrou saldo negativo de 99 empregos formais, com destaque para os setores Agropecuário (-78) e Construção Civil (-33 postos de trabalho). Santarém, em décimo lugar no ranking, registrou perdas de 82 postos de trabalho, a maioria no setor Serviços, seguido do Comércio.
  17. 17. 17 REFERÊNCIAS BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Programa de disseminação de Estatística do trabalho. 2012. Disponível em: <http://www.mte.gov.br/pdet > Acesso em: Mai. 2013.
  18. 18. 18 PARTE 2 1 PAINEL DE INDICADORES 1.1 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRA P1. 1 Admissões por setor de atividade econômica – Brasil..................................................19 P1. 2 Desligamentos por setor de atividade econômica – Brasil............................................20 P1. 3 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Brasil. ....................................21 P1. 4 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Brasil...................................22 P1. 5 Admissões por setor de atividade econômica – Pará. ...................................................23 P1. 6 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará..............................................24 P1. 7 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará.........................................25 P1. 8 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Pará. ....................................26 1.2 P2. REMUNERAÇÃO DA MÃO DE OBRA P2 1 Salário médio mensal por faixa de remuneração – Brasil..............................................27 P2 2 Salário médio mensal por faixa de remuneração - Pará. ................................................28 P2 3 Salário médio mensal por região de integração – Pará. .................................................29
  19. 19. 19 P1. MOVIMENTAÇÃO DE MÃO DE OBRA P1. 1 Admissões por setor de atividade econômica – Brasil Período Ext. Ind. Trans. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Agropecuária Outros/ TotalMineral Públ. Ignorados 2004 40.357 2.512.042 47.204 1.005.910 2.639.535 3.767.385 72.036 1.211.892 135 11.296.496 2005 45.115 2.551.984 63.288 1.091.798 2.912.498 4.218.210 97.546 1.198.355 207 12.179.001 2006 46.759 2.692.463 66.406 1.257.480 2.940.198 4.717.250 85.068 1.025.525 0 12.831.149 2007 48.370 3.126.985 61.347 1.428.582 3.298.542 4.969.393 97.321 1.310.749 0 14.341.289 2008 54.161 3.525.765 70.994 1.866.537 3.774.888 5.856.365 105.502 1.405.119 0 16.659.331 2009 42.915 3.147.085 77.608 1.950.078 3.783.528 5.802.755 112.804 1.270.867 0 16.187.640 2010 60.296 4.081.297 97.199 2.681.405 4.713.034 7.324.657 119.015 1.350.575 0 20.427.478 2011 65.549 4.097.991 105.043 2.847.681 5.075.956 8.101.372 113.468 1.372.951 0 21.780.011 2012 59.537 3.772.550 100.190 2.644.701 4.870.120 7.675.551 101.977 1.207.413 0 20.432.039 2013 Janeiro 4.900 347.853 12.705 244.420 403.595 672.449 10.820 97.530 0 1.794.272 Feverei 4.328 347.633 9.307 218.832 390.496 695.633 19.700 88.482 0 1.774.411 Março 4.737 366.984 8.825 232.272 421.066 709.128 13.394 92.742 0 1.849.148 Abril 4.982 387.342 10.612 245.310 436.588 727.827 11.096 114.412 0 1.938.169 Maio 4.825 338.851 8.355 232.661 420.774 687.516 9.530 124.610 0 1.827.122 Jan- Mai 23.772 1.788.663 49.804 1.173.495 2.072.519 3.492.553 64.540 517.776 0 9.183.122 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo
  20. 20. 20 P1. 2 Desligamentos por setor de atividade econômica – Brasil Período Ext. Ind. Trans. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Agropecuária Outros/ TotalMineral Públ. Ignorados 2004 30.020 2.007.432 42.638 955.147 2.235.595 3.297.262 72.418 1.132.618 90 9.773.220 2005 35.585 2.374.436 49.755 1.006.745 2.522.683 3.648.505 75.947 1.211.233 131 10.925.020 2006 34.707 2.442.224 59.037 1.171.684 2.603.404 4.195.641 76.815 1.018.951 0 11.602.463 2007 38.608 2.732.401 53.595 1.251.827 2.893.451 4.382.290 82.069 1.289.656 0 12.723.897 2008 45.490 3.347.090 63.029 1.668.669 3.392.670 5.208.106 95.186 1.386.887 0 15.207.127 2009 40.879 3.136.220 72.624 1.772.893 3.486.371 5.302.578 94.729 1.286.236 0 15.192.530 2010 42.581 3.536.930 77.165 2.347.094 4.101.134 6.306.605 108.598 1.351.950 0 17.872.057 2011 46.011 3.879.853 95.576 2.622.536 4.616.115 7.166.405 97.342 1.289.724 0 19.813.562 2012 49.108 3.732.982 92.243 2.564.960 4.564.242 7.127.930 104.228 1.233.791 0 19.469.484 2013 Janeiro 4.446 304.483 8.420 210.999 471.053 657.703 10.116 98.152 0 1.765.372 Fevereiro 4.163 314.167 9.364 203.196 400.910 613.572 7.336 98.257 0 1.650.965 Março 4.092 341.194 9.160 212.563 417.906 647.779 6.828 97.176 0 1.736.698 Abril 4.345 346.739 8.375 212.389 419.957 652.607 7.239 89.605 0 1.741.256 Maio 4.633 323.097 8.261 234.538 420.738 666.362 6.680 90.785 0 1.755.094 Jan-Mai 21.679 1.629.680 43.580 1.073.685 2.130.564 3.238.023 38.199 473.975 0 8.649.385 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo
  21. 21. 21 P1. 3 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Brasil. Período Ext. Ind. Trans. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Agropecuária Outros/ TotalMineral Públ. Ignorados 2004 10.337 504.610 4.566 50.763 403.940 470.123 -382 79.274 45 1.523.276 2005 9.530 177.548 13.533 85.053 389.815 569.705 21.599 -12.878 76 1.253.981 2006 12.052 250.239 7.369 85.796 336.794 521.609 8.253 6.574 0 1.228.686 2007 9.762 394.584 7.752 176.755 405.091 587.103 15.252 21.093 0 1.617.392 2008 8.671 178.675 7.965 197.868 382.218 648.259 10.316 18.232 0 1.452.204 2009 2.036 10.865 4.984 177.185 297.157 500.177 18.075 -15.369 0 995.110 2010 17.715 544.367 20.034 334.311 611.900 1.018.052 10.417 -1.375 0 2.555.421 2011 19.538 218.138 9.467 225.145 459.841 934.967 16.126 83.227 0 1.966.449 2012 10.429 39.568 7.947 79.741 305.878 547.621 -2.251 -26.378 0 962.555 2013 Janeiro 454 43.370 4.285 33.421 -67.458 14.746 704 -622 0 28.900 Fevereiro 165 33.466 -57 15.636 -10.414 82.061 12.364 -9.775 0 123.446 Março 645 25.790 -335 19.709 3.160 61.349 6.566 -4.434 0 112.450 Abril 637 40.603 2.237 32.921 16.631 75.220 3.857 24.807 0 196913 Maio 192 15.752 94 -1.877 36 21.154 2.850 33.825 0 72.026 Jan-Mai 2.093 158.981 6.224 99.810 -58.045 254.530 26.341 43.801 0 533.735 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo
  22. 22. 22 P1. 4 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Brasil. Período Ext. Mineral Ind. Trans. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Agropecuária Outros/ Total Públ. Ignorados 2004 130.501 6.503.747 322.914 1.568.302 5.726.620 10.703.608 818.740 1.499.025 -76 27.273.381 2005 140.031 6.681.295 336.447 1.653.355 6.116.435 11.273.313 840.339 1.486.147 0 28.527.362 2006 152.083 6.931.534 343.816 1.739.151 6.453.229 11.794.922 848.592 1.492.721 0 29.756.048 2007 161.845 7.326.118 351.568 1.915.906 6.858.320 12.382.025 863.844 1.513.814 0 31.373.440 2008 170.516 7.504.793 359.533 2.113.774 7.240.538 13.030.284 874.160 1.532.046 0 32.825.644 2009 172.552 7.515.658 364.517 2.290.959 7.537.695 13.530.461 892.235 1.516.677 0 33.820.754 2010 188.895 8.000.686 380.724 2.545.137 8.057.308 14.394.711 897.862 1.490.731 0 35.956.054 2011 207.183 8.145.763 387.951 2.686.371 8.472.546 15.153.788 910.415 1.546.542 0 37.510.559 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ RAIS. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  23. 23. 23 P1. 5 Admissões por setor de atividade econômica – Pará. Período Ext. Ind. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Públ. Agropecuária Outros/ TotalMineral Trans. Ignorados 2004 458 10.954 341 4.134 10.734 7.536 -159 4.206 0 38.204 2005 796 -1.032 16 3.080 7.350 7.287 58 241 1 17.797 2006 1.846 3.561 194 1.641 7.277 6.946 -212 -447 0 20.806 2007 1.147 1.193 186 3.761 11.112 8.643 22 1.939 0 28.003 2008 1.719 -5.127 115 -230 4.595 9.012 41 -1.399 0 8.726 2009 591 -1.989 88 -40 4.507 4.748 -83 -450 0 7.372 2010 2.639 1.906 499 4.466 10.642 14.152 -29 1.119 0 35.394 2011 2.472 1.403 -7 13.304 12.414 20.008 707 2.204 0 52.505 2012 1.667 -3.081 -118 7.619 6.398 5.353 -8 -206 0 17.624 2013 Janeiro 199 3.976 807 5.547 7.573 7.886 13 3.047 0 29.048 Fevereiro 176 3.133 106 7.228 7.310 8.916 15 2.742 0 29.626 Março 296 3.242 117 7.950 7.378 8.160 17 2.710 0 29.870 Abril 110 3.360 148 6.963 7.786 8.025 3 2.619 0 29.014 Maio 169 3.236 121 7.504 8.361 8.042 6 2.519 0 29.958 Jan-Mai 950 16.947 1299 35.192 38.408 41.029 54 13.637 0 147.516 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (2) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo
  24. 24. 24 P1. 6 Desligamentos por setor de atividade econômica – Pará. Período Ext. Ind. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Públ. Agropecuária Outros/ TotalMineral Trans. Ignorados 2004 682 38.595 786 20.242 36.569 42.103 221 24.275 0 163.473 2005 767 47.719 916 24.670 44.418 45.073 136 26.983 0 190.682 2006 908 46.659 804 30.949 47.446 53.424 370 19.727 0 200.287 2007 1.331 49.835 1.252 29.439 55.311 49.591 96 28.351 0 215.206 2008 1.480 52.075 1.643 47.401 64.352 59.873 100 36.689 0 263.613 2009 1.278 41.296 1.776 44.418 64.258 64.093 193 30.278 0 247.590 2010 1.393 41.038 2.255 51.931 72.932 73.812 216 30.119 0 273.696 2011 2.019 45.297 2.303 62.995 84.453 86.931 231 33.043 0 317.272 2012 2.210 43.899 1.938 68.147 85.175 91.179 136 32.524 0 325.208 2013 Janeiro 224 4.380 146 5.481 9.559 9.062 47 3.155 0 32.054 Fevereiro 263 3.690 172 6.092 6.883 7.513 18 2.785 0 27.416 Março 202 3.569 108 5.868 8.282 8.263 17 2.837 0 29.146 Abril 234 3.295 198 6.825 7.642 7.976 17 2.677 0 28.864 Maio 196 3.759 203 6.833 7.885 8.447 21 2.659 0 30.003 Jan-Mai¹ 1119 18.693 827 31.099 40.251 41.261 120 14.113 0 147.483 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo
  25. 25. 25 P1. 7 Saldo de emprego por setor de atividade econômica – Pará. Período Ext. Ind. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Públ. Agropecuária Outros/ TotalMineral Trans. Ignorados 2004 458 10.954 341 4.134 10.734 7.536 -159 4.206 0 38.204 2005 796 -1.032 16 3.080 7.350 7.287 58 241 1 17.797 2006 1.846 3.561 194 1.641 7.277 6.946 -212 -447 0 20.806 2007 1.147 1.193 186 3.761 11.112 8.643 22 1.939 0 28.003 2008 1.719 -5.127 115 -230 4.595 9.012 41 -1.399 0 8.726 2009 591 -1.989 88 -40 4.507 4.748 -83 -450 0 7.372 2010 2.639 1.906 499 4.466 10.642 14.152 -29 1.119 0 35.394 2011 2.472 1.403 -7 13.304 12.414 20.008 707 2.204 0 52.505 2012 1.667 -3.081 -118 7.619 6.398 5.353 -8 -206 0 17.624 2013 Janeiro -25 -404 661 66 -1.986 -1.176 -34 -108 0 -3.006 Fevereiro -87 -557 -66 1.136 427 1.403 -3 -43 0 2.210 Março 94 -365 9 2.082 -904 -103 0 -127 0 686 Abril -124 65 -50 138 144 49 -14 -58 0 150 Maio -27 -523 -82 671 476 -405 -15 -140 0 -45 Jan-Mai -169 -1.784 472 4.093 -1.843 -232 -66 -476 0 -5 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) Resultados acrescidos dos ajustes, que incorpora informações declaradas fora do prazo.
  26. 26. 26 P1. 8 Estoque de emprego por setor de atividade econômica – Pará. Período Ext. Ind. SIUP Const. Civil Comércio Serviços Adm. Públ. Agropecuária Total Mineral Trans. 2004 4432 88.003 5957 29.774 110.140 147.292 222790 27.105 635.493 2005 5494 89.052 4850 30.756 119.453 149.521 248117 28614 675.857 2006 7.861 92.502 6713 33.929 129.603 165.435 266986 35573 738.602 2007 9.221 92.893 7302 44.629 143.428 174.896 285379 38.404 796.152 2008 10.385 89.416 7667 50956 151.550 186.890 309878 39.013 845.755 2009 11134 86.863 9051 51395 158.854 189.517 325302 38753 870.869 2010 14.225 93.451 7631 60.633 177.125 215.579 342615 39.976 951.235 2011 15.483 90.632 7016 75.063 188.833 240.510 372030 47.522 1.037.089 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ RAIS. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. .
  27. 27. 27 P2. REMUNERAÇÃO DA MÃO DE OBRA P2. 1 Salário médio mensal por faixa de remuneração – Brasil. Período Salário Médio Mensal até 0,5 SM 0,51 a 1,0 SM 1,01 a 1,5 SM 1,51 a 2,0 SM 2,01 a 3,0 SM 3,01 a 5,0 SM 5,01 a 10,0 SM 10,01 a 15,0 SM 15,01 a 20,0 SM > 20 SM Total 2005 131,72 279,18 358,53 499,75 679,84 1.074,78 1.950,42 3.455,31 4.920,08 9.945,27 579,04 2006 154,34 327,55 412,38 581,91 799,57 1.259,01 2.293,12 4.064,43 5.792,54 11.821,15 628,53 2007 170,2 355,49 450,56 639,47 884,79 1.392,44 2.529,64 4.493,97 6.399,86 13.127,87 673,1 2008 187,82 389,32 496,31 704,31 972,93 1.536,10 2.790,78 4.937,46 7.032,39 14.479,85 734,89 2009 213,03 438,55 556,65 794,55 1.098,40 1.718,01 3.123,31 5.526,91 7.851,10 16.528,21 798,64 2010 236,69 486,64 618,59 878,94 1.230,81 1.919,09 3.491,50 6.172,46 8.766,12 17.472,26 860,63 2011 251,19 513,31 667 937,32 1.303,72 2.042,12 3.704,05 6.563,35 9.341,15 18.139,11 943,04 2012 288,04 583,25 756,23 1.068,06 1.491,09 2.642,08 4.779,91 7.488,21 10.646,76 21.292,62 1.042,53 2013 Janeiro 316,03 647,28 823,56 1.167,99 1.629,45 2.674,65 4.777,17 8.169,27 11.697,52 23.695,49 1.097,28 Fevereiro 312,41 640,03 825,28 1.167,77 1.631,55 2.673,13 4.788,14 8.150,50 11.637,86 22.925,25 1.097,40 Março 314,64 636,39 824,82 1.167,45 1.628,83 2.671,26 4.787,19 8.140,01 11.690,64 22.262,71 1.110,93 Abril 314,05 640,57 824,96 1.166,82 1.626,54 2.673,38 4.788,13 8.175,12 11.655,28 23.126,70 1.119,62 Maio 313,56 639,52 825,89 1.168,77 1.625,24 2.672,91 4.788,11 8.138,74 11.682,99 22.216,20 1.138,50 Jan-Mai* 314,14 640,76 824,90 1.167,76 1.628,32 2.673,07 4.785,75 8.154,73 11.672,86 22.845,27 1.112,75 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. *Média dos meses do ano
  28. 28. 28 P2. 2 Salário médio mensal por faixa de remuneração - Pará. Período Salário Médio Mensal até 0,5 SM 0,51 a 1,0 SM 1,01 a 1,5 SM 1,51 a 2,0 SM 2,01 a 3,0 SM 3,01 a 5,0 SM 5,01 a 10,0 SM 10,01 a 15,0 SM 15,01 a 20,0 SM > 20 SM Total 2005 131,72 279,18 358,53 499,75 679,84 1.074,78 1.950,42 3.455,31 4.920,08 9.945,27 579,04 2006 154,34 327,55 412,38 581,91 799,57 1.259,01 2.293,12 4.064,43 5.792,54 11.821,15 628,53 2007 170,2 355,49 450,56 639,47 884,79 1.392,44 2.529,64 4.493,97 6.399,86 13.127,87 673,1 2008 187,82 389,32 496,31 704,31 972,93 1.536,10 2.790,78 4.937,46 7.032,39 14.479,85 734,89 2009 213,03 438,55 556,65 794,55 1.098,40 1.718,01 3.123,31 5.526,91 7.851,10 16.528,21 798,64 2010 236,69 486,64 618,59 878,94 1.230,81 1.919,09 3.491,50 6.172,46 8.766,12 17.472,26 860,63 2011 251,19 513,31 667 937,32 1.303,72 2.042,12 3.704,05 6.563,35 9.341,15 18.139,11 943,04 2012 288,04 583,25 756,23 1.068,06 1.491,09 2.642,08 4.779,91 7.488,21 10.646,76 21.292,62 1.042,53 2013 Janeiro 316,03 647,28 823,56 1.167,99 1.629,45 2.674,65 4.777,17 8.169,27 11.697,52 23.695,49 1.097,28 Fevereiro 312,41 640,03 825,28 1.167,77 1.631,55 2.673,13 4.788,14 8.150,50 11.637,86 22.925,25 1.097,40 Março 315,73 667,36 800,73 1.179,05 1.641,18 2.672,78 4.799,34 7.967,41 11.581,66 22.419,65 1.029,97 Abril 312,10 668,91 801,70 1.180,26 1.640,37 2.670,89 4.795,55 8.044,86 11.696,74 23.858,70 1.014,08 Maio 314,39 668,29 803,41 1.183,25 1.655,50 2.671,30 4.775,26 8.029,07 11.808,80 24.252,74 1.050,38 Jan-Mai* 314,13 658,37 810,94 1.175,66 1.639,61 2.672,55 4.787,09 8.072,22 11.684,52 23.430,36 1.057,82 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. * Média dos meses do ano
  29. 29. 29 P2. 3 Salário médio mensal por região de integração – Pará. ANO Salário Médio Mensal Região Araguaia Região Baixo Amazonas Região Carajás Região Guamá Região Lago de Tucuruí Região Marajó Região Metropolitana de Belém Região Rio Caeté Região Rio Capim Região Tapajós Região Tocantins Região Xingu 2000 259,80 368,88 340,78 270,12 349,20 259,43 366,73 328,18 225,86 295,88 288,58 253,37 2001 278,71 389,86 382,88 298,67 407,80 288,81 394,28 337,65 246,74 343,02 386,05 317,27 2002 282,78 429,56 366,13 266,76 383,97 286,63 373,86 298,17 263,00 330,83 490,43 299,18 2003 328,21 498,71 453,18 297,11 404,81 318,23 411,49 312,31 295,79 386,83 448,81 344,23 2004 347,05 453,64 491,54 337,29 447,95 372,39 451,81 379,25 334,91 428,45 498,38 386,81 2005 390,38 496,90 554,63 366,73 488,78 395,14 481,52 379,55 382,15 443,25 561,10 430,63 2006 453,63 550,29 622,55 415,11 529,69 396,64 525,16 423,05 438,88 517,31 602,32 468,10 2007 530,14 594,55 648,81 458,21 586,56 520,51 571,28 454,65 466,86 550,16 697,80 544,62 2008 619,62 645,15 735,13 491,31 708,15 586,04 619,66 513,47 540,06 640,87 886,19 557,88 2009 663,47 716,47 820,40 547,70 766,91 645,37 692,82 591,37 591,44 651,12 778,02 632,68 2010 717,28 757,06 947,02 611,62 740,50 683,78 736,46 630,65 662,85 755,87 796,97 720,50 2011 773,72 840,69 1.028,76 682,62 784,26 712,21 785,66 672,32 727,18 883,71 851,80 1.111,58 2012 875,95 872,10 957,49 768,09 838,84 779,81 885,38 816,58 774,66 860,33 803,61 924,43 2013 Janeiro 921,75 1.009,77 977,54 748,15 885,50 767,37 997,56 792,63 804,90 921,67 854,46 936,56 Fevereiro 920,28 911,41 975,09 820,12 901,08 780,87 961,84 786,55 815,36 911,20 855,51 1.033,55 Março 952,38 974,15 1.002,87 781,79 905,07 845,64 957,21 1.189,01 829,88 962,75 852,64 872,38 Abril 986,51 899,12 1.010,43 796,81 924,63 959,47 946,49 832,88 822,31 900,85 856,96 882,08 Maio 946,92 928,65 1.068,02 831,33 900,76 996,66 977,45 965,72 894,84 854,65 939,09 951,33 Jan-Mai* 945,23 948,61 991,48 786,72 904,07 838,34 965,78 900,27 818,11 924,12 854,89 931,14 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/ CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. * Média dos meses do ano

×