Ipc0212

347 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
347
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ipc0212

  1. 1. . Governo do Estado do ParáInstituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Diretoria de Estatística e de Tecnologia e Gestão da Informação Fevereiro/2012 IPC / RMB ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM
  2. 2. GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene VICE-GOVERNADOR Helenilson Pontes SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E FINANÇAS – Sepof Sérgio Roberto Bacury de LiraINSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, SOCIAL E AMBIENTAL DO PARÁ - Idesp Maria Adelina Guglioti Braglia DIRETORIA DE ESTUDOS E PESQUISAS SOCIOECONÔMICAS E ANÁLISE CONJUNTURAL Cassiano Figueiredo Ribeiro DIRETORIA DE ESTATÍSTICA, TECNOLOGIA DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO Sérgio Castro Gomes EQUIPE EXECUTORA Maria Augusta Esteves Pereira - Coordenadora Pablo Damasceno Reis José Luiz dos Santos Lobato Nilceli Figueiredo Montalvão COLETADORES DE CAMPOAndré Anderson Marcias Vale, Antônia Nádia Pereira de Almeida, Dalila Ferreira da Silva,Edson da Silva, Emmanuel Oliveira da Silva, Everaldo Tavares Ferreira, Flávia Lorena CostaSilva, Leonardo Antônio Vera da Costa, Maurício dos Santos Lobato, Sheila Ramos Luz Andrade,Suellen Cristina Figueiredo da Rocha, Suzana de Paula Barbosa da Costa Diniz.
  3. 3. Governo do Estado do Pará Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Diretoria de Estatística e Gestão de Informação Serviços pressionam a inflação na RMB 1,41% no mês O Índice de Preços ao Consumidor - IPC na Região Metropolitana de Belém-RMB, em fevereiro,calculado pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP, atravésde sua Diretoria de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação, com o objetivo de mensurar asvariações de preços dos bens e serviços que compõe o orçamento das famílias residentes na RMBconsiderando os intervalos de rendimentos entre um e oito salários mínimos registrou taxa de 1,41%ficando 0,31 pontos percentuais abaixo do mês de janeiro /2012, quando alcançou 1,72%. Para asfamílias com rendimento entre um a quarenta salários a taxa no mês foi de 1,52%. A taxa acumulada do IPC/IDESP relativa aos últimos doze meses (Março/11 a Fevereiro/12)ficou em 9,68%; no ano (Janeiro/12 a Fevereiro /12) acumulou 3,15%. Apesar deste recuo registraram-se elevações significativas nos itens a seguir: funeral (43,44%),pintura de auto(18,03%), sapateiro (17,91%), barbeiro (12,50%), cabeleireiro (7,40%), manicure epedicure (2,84%), concerto de microcomputador (1,03%), serviços médicos (0,89%), condomínio(0,53%). No conjunto de produtos alimentícios cabe destaque as majorações nos preços médios quecontribuíram para que a taxa chegasse a este patamar: feijão preto (14,23%), feijão rajado (12,22%) efeijão jalo (6,97%), explicado, em parte, pelo excesso de chuva nos maiores centros produtorescomprometendo a qualidade do produto e levando a uma redução da área plantada, com efeito direto naredução da oferta e elevação dos níveis de preços do produto. Dos nove grupos de despesa cinco estão acima do Índice Médio Geral; Despesas e ServiçosPessoais (5,42%), Móveis e Equipamentos Domésticos (3,47%), Educação, Leitura e Papelaria(2,11%), Comunicação (1,81%), e Transportes (1,65%). Os que ficaram abaixo da média geral foram:Saúde e Cuidados Pessoas (1,34%) e Alimentação e Bebidas (0,95%). E os que apresentaram variaçõesnegativas destacam-se: Habitação (0,21%) e Vestuário (0,45%).
  4. 4. ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR – IPC NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉM – RMBTAXA MENSAL DE FEVEREIRO/2012 REFERENTE A 1 e 8 SALÁRIOS MÍNIMOS Despesas e serviços pessoais Moveis e Equipamentos Domésticos 5,42% Educação, Leitura e Papelaria 6,00% Comunicação 3,47% 4,00% Transportes 2,11% 1,81% 1,65% Saúde e cuidados Pessoais 2,00% 1,34% 0,95% Alimentação e Bebidas 0,00% Habitação -0,21% -0,45% -2,00% -4,00% -6,00%Fonte: IDESP ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR–IPC NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELÉMRMB PARTICIPAÇÃO NO ORÇAMENTO FAMILIAR, VARIAÇÃO MENSAL, CONTRIBUIÇÃO EMPONTOS PERCENTUAIS E VARIAÇÃO MENSAL DE FEVEREIRO/2012 E JANEIRO/2012REFERENTE A 1 e 8 SALÁRIOS MÍNIMOS FEVEREIRO/2012 Participação Variação Contribuição Variação no mensal Fev/2012 em pontos mensal Grupos Orçamento percentuais Jan/2012 (%) Alimentação e Bebidas 34,1035 0,95 0,32 1,40 Vestuário 9,7721 -0,45 -0,04 3,25 Habitação 12,0788 -0,21 -0,02 2,44 Móveis e Equipamentos Domésticos 7,8599 3,47 0,27 -3,47 Saúde e Cuidados Pessoais 10,5623 1,34 0,14 0,53 Transporte 11,1953 1,65 0,18 4,42 Despesas e Serviços Pessoais 8,3406 5,42 0,45 3,27 Educação, Leitura e Papelaria 2,9512 2,11 0,06 2,88 Comunicação 3,1363 1,81 0,05 -0,12 GERAL 100,0000 1,41% 1,72% Fonte: IDESP O Grupo de maior pressão no mês na análise, Despesas e Serviços Pessoais aoregistrar taxa de 5,42% participou com 0,45 pontos percentuais em relação ao Índice Geral.A variação registrada nesse grupo reflete, em grande medida, o reajuste do salário mínimoque ocorreu no mês anterior e se encontram sobre influência do mesmo no mês atual. Com
  5. 5. relação aos aumentos nos “serviços” os itens que mais influenciaram na taxa mensal foram:funeral (43,44%), sapateiro (17,91%), barbeiro (12,50%), cabeleireiro (7,40%), máquinafotográfica (5,99%), CD (4,66%), manicure (2,84%), alimento de cães (2,39%) e bicicleta(2,32%). Em Móveis e Equipamentos Domésticos a taxa de 3,47%, a segunda maior no mês,indica que o setor comércio varejista encontra-se bastante aquecido, fato este explicado, emparte, primeiro, pela redução do Imposto sobre Produtos industrializados – IPI; em segundopela estabilidade no emprego e o aumento de sua renda, o que faz com que a demanda porbens duráveis fique mais intensa. Os subitens e itens que tiveram rejustes foram:Eletrodoméstico e Equipamentos (6,43%) – liquidificador (10,45%), ferro elétrico (6,01%),geladeira (1,62%) e ventilador (1,27%); Equipamentos Eletrônicos (12,43%) – televisão(18,59%), microcomputador (11,80%), DVD (6,81%), conjunto de som (5,30%) e forno demicroondas (2,51%). Outro subgrupo foi Utensílio, Enfeites e Decorações (14,05%). No grupo Educação, Leitura e Papelaria a taxa de 2,11% está relacionada a variaçãode preços nos subitens Papelaria (8,85%), com destaque para: outros artigos e papelaria(20,92%) e caderno (8,54%), livros e revistas técnicas (0,77%), livro escolar de ensinofundamental e médio (0,77%) e assinatura de periódicos (0,30%). A manutenção dos preçosnos itens de maior participação em relação ao grupo, como mensalidades e matriculasescolares, contribuiu para manter a taxa mensal. A taxa de 1,81% para o grupo Comunicação foi pressionada pelos itens aparelho detelefone convencional (29,28%) e aparelho telefone celular (9,04%) e atenuada pelas taxasconstantes nos itens TV por assinatura e linha telefônica fixa e celular. A taxa auferida para o grupo Transportes (1,65%), foi pressionada pelos itens“Serviços”, com destaque para peça de auto e mão de obra, que se encontra com a demandaaquecida em virtude do período carnavalesco, em que os proprietários de veículos buscamrealizar revisões mecânicas. As principais variações ocorreram em: pintura de auto (18,03%)motocicleta (16,14%) e automóvel usado (8,86%). Outros itens de grande importância dentroda estrutura de consumo do IPC, mas que tiveram seus preços médios praticados no mesmonível do mês anterior foram: passagens de ônibus, urbano, interestadual, intermunicipal etransporte alternativo. Em Saúde e Cuidados Pessoais a taxa de 1,34% foi influenciada pela variação nospreços dos medicamentos (2,26%) que representam 3,30% dos gastos das famílias comrenda entre um e oito salários mínimos. Vale ressaltar que outros itens tiveramcomportamento ascendente como: Óculos e Lentes (5,75%) e Atendimento Médico (2,86%),com destaque para tratamento dentário (7,82%) e consultas médicas (2,01%).
  6. 6. O grupo Alimentação e Bebidas (0,95%), apesar da taxa ter sido inferior a dejaneiro/12 (1,40%), o índice ainda é elevado para este grupo, pois sua participação em pontospercentuais foi a segunda maior em relação ao Índice Geral. Na análise desagregada houveexpressivos aumentos nos subitens: Cereais, Leguminosas e Oleaginosas (5,52%)- feijãopreto (14,23%) feijão rajado (12,22%), feijão jalo (6,97%) e arroz polido (1,05%); Peixes eCrustáceos (2,19%) – tainha (7,39%) pescada amarela(5,62%) e serra (4,57%). Com relaçãoas carnes bovinas registraram uma deflação (-0,10%)- alcatra(-0,23),músculo(-1,28%),lagartoredondo(-1,93%),pá(-1,84%),chã de dentro(-0,91%),carne moída de primeira(-1,31%) ecabeça de lombo(-2,30%), com isto amenizou o resultado final do grupo, por conta de suaelevada participação na estrutura de consumo que é de 4,84%. Em relação a queda de preçomédio das carnes bovinas pode ser explicada, em parte, pela expectativa maior de oferta degado que cresce gradualmente neste período, equilibrando o efeito de crescimento dademanda. Outros subitens que contribuíram significativamente para o recuo da inflação foram:Hortaliças, Legumes e Verduras (-3,71%), Frutas (-0,40%), Farinha, Féculas e Massas, (-3,23%), Carnes e Peixes Industrializados (0,13%) e Aves e Ovos (-2,12). Mas vale ressaltarque outros produtos de grande consumo do belenense que tiveram seus preços médiosmajorados acima da inflação foram: café moído (5,94%), açaí (6,99%), açúcar refinado(1,64%), óleo de soja, e enlatados e conservas (1,13%). Em Habitação a taxa negativa de 0,21% são reflexos dos preços médios constantesnos bens administrados pelo governo, itens esses de grande consumo como: as tarifas deágua e esgoto, energia elétrica e ainda o decréscimo no preço médio do gás de bujão (-4,18%), vale ressaltar que esses itens contribuem com (5,64%) na cesta de consumo do IPC.Outros itens dentro do grupo que tiveram comportamento de preços inverso, registrandoaumento nos seus preços médios foram: aluguel (2,91%), reparos (2,36%) e condomínio(0,53%). No grupo Vestuário, apesar de alguns subitens apresentarem reajustes em seuspreços médios, o grupo registrou taxa negativa de 0,45% no mês em análise. Este resultadopode ser atribuído, em parte, as dificuldades sazonais que os estabelecimentos comerciaisenfrentam nos dois primeiros meses do ano com a redução da procura o que motiva oslojistas a realizarem promoções o que foi detectado nos seguintes itens: Roupas Masculinas (-1,96%), Roupas Femininas (-0,86%), Calçados Masculino(-7,88%) e Calçados Infantis(-0,52%). Os itens com variações positivas nos preços foram: Tecidos e Armarinhos (15,68%)Joias e Bijuterias (5,28%) e Acessórios Femininos e Masculinos (1,90%).
  7. 7. ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR – IPC NA REGIÃO METROPOLITANA DEBELÉM – RMB PRODUTOS/SERVIÇOS COM MAIORES E MENORES VARIAÇÕESMENSAIS FEVEREIRO/ 2012 Maiores Variações Menores VariaçõesProduto/ serviços Variação - Percentual (%) Produto/serviços Variação - Percentual (%)Mamão 62,96 Frauda tecido -19,45Funeral 43,44 Frauda tecido -19,45Aparelho de tel fixo 29,28 Acessório Musical -17,10Óculos Esportivo 28,86 Cafezinho -15,79Revelação Filme 26,90 Cafezinho -15,79Outros Art de Papelaria 20,92 Lavagem de Auto -10,06Televisão 19,59 Uniforme de Escola -9,68Artigo de Armarinho 19,31 Armário / Copa -8,91Sapateiro 17,91 Tênis Masculino -8,67Yorgurte 17,55 Tênis Masculino -8,67Cebola 17,35 Tomate - 7,40Motocicleta 16,14 Tomate - 7,40Artigo de Maquiagem 15,58 Sapato Masculino -7,26Roupa de Cama 15,15 Sapato Masculino -7,26Lâmpada 14,91 Colchão -5,61Creme de Leite 14,90 Bermuda -5,52Escova de Cabelo 14,33 Camiseta -5,52Feijão Preto 14,23 Farinha de Mandioca -5,48Tapete 14,05 Farinha de Mandioca -5,48Tecidos 14,02 Impressora -4,61Barbeiro 12,50 Pirarucu -4,43Feijão Rajado 12,22 Biquíni -4,40Mochila 11,35 Vestido -4,29Passagem de Barco 11,10 Gás de Bujão -4,18Microcomputador 11,08 Gás de Bujão -4,18Fero Elétrico 10,35 Outras Revistas -3,86Liquidificador 10,35 Short -3,14Suco de fruta 9,02 Sapato Feminino -3,09Óleo Lubrificante 8,92 Frango congelado -3,09Tinta para casa 8,31 Material de Higiene -3,00 Ferragens 8,04 Leite Natura -2,97 Manutenção de Moveis 5,37 Café Solúvel -2,97Fonte: IDESP
  8. 8. IPC – ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR IPCA – ÍNDICE DE PREÇO AO CONSUMIDOR AMPLO Fevereiro /12 Janeiro/12 Fevereiro/11 Fevereiro/10 IPC/IDESP/PA (%) (%) Mensal 1,41 1,72 0,12 1,68 Acumulado no ano 3,15 1,72 1,93 3,09 Acumulado em seis meses 5,93 5,47 5,68 4,27 Acumulado em doze meses 9,68 8,29 9,42 7,72 IPCA/IDESP/PA Mensal 1,52 1,69 0,23 1,28 Acumulado no ano 3,24 1,69 1,89 3,01 Acumulado em seis meses 6,25 5,70 5,36 4,35 Acumulado em doze meses 10,15 8,75 8,82 7,79FONTE: IDESPOBS: IPC referente à faixa de renda entre 1 e 8 salários mínimos. IPCA referente à faixa de renda entre 1 a 40 salários mínimos.
  9. 9. INDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR- IPC NA REGIÃO METROPOLITANA DEBELÉM-RMB ,SEGUNDO FAIXAS DE RENDIMENTOS FAMILIARES, CONSIDERANDO ÍNDICE GERAL E ALIMENTAÇÃO E BEBIDAS - FEVEREIRO/12 Base: Ago/94 = 100 1 a 8 salários Mínimos 1 a 40 Salários Mínimos Período Geral Alimentação Geral Alimentação e Bebidas e Bebidas 2010 Jan 518,51 438,79 594,15 430,55 Fev 527,22 452,92 601,76 443,64 Mar 531,81 456,90 608,02 447,37 Abr 534,15 463,71 608,26 452,33 Mai 539,92 471,83 615,07 460,16 Jun 541,70 467,35 616,36 454,50 Jul 545,12 471,13 621,78 458,86 Ago 545,88 462,13 621,53 450,19 Set 546,86 464,72 622,96 451,93 Out 551,67 582,76 627,51 463,86 Nov 560,17 606,07 637,36 482,79 Dez 565,94 617,22 642,46 491,58 2011 Jan 576,18 632,77 653,12 499,74 Fev 576,87 623,78 654,62 494,14 Mar 581,54 632,21 662,02 498,98 Abr 582,47 633,54 662,62 501,03 Mai 586,61 626,51 663,73 495,97 Jun 587,84 624,63 666,40 493,04 Jul 591,60 625,19 671,93 493,73 Ago 597,34 628,00 677,76 496,40 Set 600,39 636,10 682,78 502,41 Out 576,18 632,77 653,12 499,74 Nov 576,87 623,78 654,62 494,14 Dez 581,54 632,21 662,02 498,98 2012 Jan 623,94 661,39 710,25 522,17 Fev 632,74 667,67 721,05 527,44 Fonte: IDESP
  10. 10. Governo do Estado do Pará Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Diretoria de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação CESTA BÁSICA REGISTROU DEFLAÇÃO DE -0,56% A Cesta Básica do mês de fevereiro/12 foi de R$ 211,23 (Duzentos e onze reais e vintee três centavos), correspondendo a 33,96% do salário mínimo vigente, de R$ 622,00(Seiscentos e vinte e dois reais), apresentando variação de -0,56% em relação ao mês deJaneiro/12, quando registrou taxa de 1,53%. Dos produtos que compõem a Cesta Básica, seis apresentaram taxa positiva: arrozpolido (1,02%), feijão rajado(12,19%), café moído (5,99%), açúcar refinado (1,64%), manteiga(5,77%) e óleo de soja (1,60%). Os que apresentaram taxas negativas foram: banana prata (-1,18%), carne de 2ª (-1,84%), farinha de mandioca (-5,48%), tomate (-7,40%) e leite in natura(-3,02 %). O único produto que apresentou preço inalterado foi o pão comum. Para adquirir os produtos da Cesta Básica em fevereiro/12, o trabalhador precisoucumprir uma jornada de trabalho de 81 horas e 30 minutos. Gasto do Salário Mínimo com Cesta Básica em Belém Fevereiro/12 Cesta Básica 66,04% Outras Despesas 33,96% Fonte: IDESP
  11. 11. CESTA BÁSICA* – FEVEREIRO/2012Tabela 1: Gastos Mensais e Variação Mensal Gastos em Gastos em Produtos Quantidade Variação Fevereiro/12 Janeiro/12 Mensal (R$) (R$) Carne de 2ª 4,5 Kg 33,62 34,25 -1,84 Leite in natura 6,0 Lt 15,42 15,90 -3,02 Arroz polido 3,6 Kg 6,95 6,88 1,02 Feijão rajado 4,5 Kg 20,25 18,05 12,19 Farinha de mandioca 3,0 Kg 8,28 8,76 -5,48 Tomate 12,0 Kg 34,56 37,32 -7,40 Pão comum 6,0 Kg 45,90 45,90 0,00 Café moído 300 G 4,07 3,84 5,99 Banana prata 7,5 Dz. 18,38 18,60 -1,18 Açúcar refinado 3,0 Kg 7,44 7,32 1,64 Manteiga 750 g 13,19 12,47 5,77 Óleo de Soja 900 Ml 3,17 3,12 1,60 Gasto total mensal/R$ 211,23 212,41 -0,56% Gasto salarial (%) 33,96% 34,15% Salário mínimo/R$ 622,00 622,00 Horas trabalhadas 81h e 30min 81h e 58minFonte: IDESP(*) A Cesta Básica representa os gastos com alimentação de um trabalhador adulto, (Decreto Lei nº399/38 de 30.04.1938).
  12. 12. Tabela 2: Gastos Mensais, Taxas mensais, Taxas acumuladas no ano. (Cesta Básica*) 2012 2011 Taxa TaxaMês Gasto Taxa Gasto Taxa Acumulada no Acumulada no Mensal (R$) Mensal (%) Mensal (R$) Mensal (%) Ano (%) Ano (%)Janeiro 212,41 1,53 1,53 203,35 1,13 1,13Fevereiro 211,23 -0,56 0,96 199,47 1,98 3,32Março 206,57 3,56 6,99Abril 219,78 6,40 13,84Maio 214,71 -2,31 11,21Junho 210,48 -1,97 9,02Julho 207,92 -1,22 7,69Agosto 200,67 -3,49 3,94Setembro 194,72 -2,96 0,86Outubro 199,98 2,70 3,58 Novembro 201,89 0,95 4,56 Dezembro 207,34 2,70 7,39Fonte: IDESP(*) A Cesta Básica representa os gastos com alimentação de um trabalhador adulto, (Decreto Lei nº399/38 de 30.04.1938).

×