Boletim industria0313

415 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
415
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
49
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Boletim industria0313

  1. 1. MARÇO/2013
  2. 2. Governo do Estado do Pará Simão Robison Oliveira Jatene Governador Helenilson Cunha Pontes Vice-Governador / Secretário Especial de Estado de Gestão – Seges Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará Maria Adelina Guglioti Braglia Presidente Cassiano Figueiredo Ribeiro Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural Sérgio Castro Gomes Diretor de Estatística, Tecnologia e Gestão da Informação Andrea dos Santos Coelho Diretor de Pesquisas e Estudos Ambientais Gracyette Raimunda Aguiar Ferreira da Silva Diretora de Planejamento, Administração e Finanças
  3. 3. Expediente Diretor de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural: Cassiano Figueiredo Ribeiro Coordenadoria Técnica de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas: Celeste Ferreira Lourenço Coordenação de Núcleo de Análise Conjuntural: Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes Elaboração Técnica: David Costa Correia Silva Revisão Técnica: Hélio Santana Mairata Gomes Edson da Silva e Silva Rosinete das Graças Farias Nonato Navegantes Normalização: Glauber da Silva Ribeiro Indústria: análise e conjuntura, 2013. Belém: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará, 2013. Mensal 20 p. (Análise Idesp, 03) 1. Indústria Extrativa. 2. Indústria de Transformação. 3.Pará (Estado). I. Instituto de Desenvolvimento Econômico Social e Ambiental do Pará. II.Série CDD 338.98115
  4. 4. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO........................................................................................................................ 5 1.1 NOTAS METODOLÓGICAS .................................................................................... 6 1.2 PRODUÇÃO FÍSICA INDUSTRIAL DO ESTADO DO PARÁ EM MARÇODE 2013..................................................................................................................................... 8 1.3 COMPORTAMENTO DO EMPREGO NA INDÚSTRIA PARAENSE EM MARÇO 2013................................................................................................................................... 10 REFERÊNCIAS................................................................................................................ 12 PAINEL DE INDICADORES .................................................................................................... 13
  5. 5. 5 APRESENTAÇÃO O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (IDESP) divulga informações sobre a Produção Física Industrial do estado do Pará, além de dados sobre o Comportamento do Emprego na Indústria Paraense, publicando análises mensais sobre a evolução da industrial estadual. O objetivo é constituir um instrumento valioso de avaliação e entendimento da dinâmica do setor produtivo paraense. As informações disponibilizadas retratam o comportamento da indústria paraense, assim como destacam a capacidade de geração de empregos formais no Estado. Neste Boletim, será apresentada, inicialmente, uma nota metodológica acerca dos indicadores utilizados para analisar a dinâmica da indústria paraense; posteriormente à análise dos dados da Indústria do Pará (Produção Física e Movimentação da Mão de Obra) para o mês de março de 2013, seguido de um painel de indicadores da indústria no Pará. As bases de dados utilizadas para a elaboração do presente boletim foram disponibilizadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE e pelo Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.
  6. 6. 1.1 NOTAS METODOLÓGICAS A análise da indústria paraense toma como referência os índices regionais da produção física industrial do Estado divulgados na Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM- PF), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e os dados sobre movimentação do emprego formal no setor industrial paraense do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), publicados pelo Ministério do Trabalho (MTE). Os procedimentos metodológicos utilizados na análise mensal da indústria estadual estão assim definidos. Na primeira seção, que trata da Produção Física Industrial do Estado do Pará, quatro índices são investigados para a compreensão da dinâmica da produção industrial no Estado: Índice de mês/mêst-1: é a relação entre a produção do mês de referência do índice a produção do mês imediatamente anterior calculado a partir do índice de base fixa mensal1 ; Índice de média móvel trimestral: média móvel aritmética do índice mês/mês-1 calculada no período de três meses; Índice acumulado no ano: é a relação entre a produção acumulada no ano, de janeiro ao mês de referência do índice, e a produção de igual período do ano anterior; Índice acumulado nos últimos 12 meses: é a relação entre a produção acumulada nos últimos 12 meses de referência do índice e a produção de igual período imediatamente anterior. Todos os índices aqui analisados são ajustados sazonalmente2 . A fórmula de cálculo dos índices adotada pela Gerência de Análise e Gerência de Pesquisas Mensais do IBGE é uma adaptação do Índice de Laspeyres, tendo a base fixa em cadeia e atualização de pesos. Na seção, que trata do Comportamento do Emprego na Indústria Paraense, a análise toma como referência os seguintes conceitos: 1 Um dos índices disponibilizados na PIM-PF/IBGE. O índice de base fixa mensal com ajuste sazonal (base: média de 2002 = 100) é o indicador que confronta a produção do mês de referência do índice com a média mensal produzida no ano base. Pelo fato de oferecer informações apenas para a Indústria Geral das diferentes regiões brasileiras, este índice não é analisado neste Boletim. 2 O ajuste sazonal é o método utilizado para descontar a flutuação no volume de produção, vendas e receitas que ocorre em determinado período do ano. Cada indústria tem suas características sazonais, por exemplo, a indústria de cerveja no Brasil está fortemente sujeita a variações no consumo de cerveja, com demanda acentuada nos meses de dezembro a janeiro e queda nos meses de julho e agosto. Além dos efeitos sazonais, o ajuste sazonal implica na correção de dias úteis para feriados móveis (carnaval e páscoa).
  7. 7. 7 Saldo mensal: resulta da diferença entre o total de admissões e o total de desligamentos no mês atual; Saldo acumulado no ano: resulta da diferença entre o total de admissões e o total de desligamentos no período de janeiro até o mês atual; Saldo acumulado nos últimos 12 meses: resulta da diferença entre o total de admissões e o total de desligamentos no período de doze meses tendo como referência o mês atual; Variação mensal do emprego: toma como referência o estoque do mês anterior; Variação acumulada no ano: toma como referência os estoques do mês atual e do mês de dezembro do ano t-1, ambos com ajustes; Variação acumulada nos últimos 12 meses: toma como referência os estoques do mês atual e do mesmo mês do ano anterior, ambos com ajustes. Cabe registrar que, na análise da movimentação do trabalho industrial no estado do Pará, o critério adotado na seleção dos setores e subsetores industriais toma como base a PIM- PF/IBGE, que divulga índices mensais referentes aos seguintes ramos e segmentos industriais: Indústria Extrativa, Indústria de Transformação, de Alimentos e Bebidas, de Minerais não Metálicos, de Celulose, Papel e Produtos de Papel, de Metalurgia Básica e de Madeira. Neste sentido, este boletim privilegia as seguintes indústrias analisadas pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED: Extrativa Mineral, Indústria de Transformação, de Produtos Minerais não Metálicos, Metalúrgica, de Madeira e Mobiliários, de Papel, Papelão e Editoração e de Produtos Alimentícios e Bebidas3 . 3 Um melhor tratamento sobre a evolução do emprego formal nos setores de atividade econômica no Estado do Pará pode ser encontrado no Boletim Mensal do Mercado de Trabalho divulgado, mensalmente, pelo Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  8. 8. 1.2 PRODUÇÃO FÍSICA INDUSTRIAL DO ESTADO DO PARÁ EM MARÇO DE 2013 A produção industrial4 brasileira avançou 0,7% em março frente ao mês imediatamente anterior, na série com ajustes sazonais, após registrar expansão de 2,7% em janeiro e queda de 2,4% em fevereiro. A produção industrial paraense apresentou variação contrária ao observado nacionalmente tendo apresentado o pior resultado entre os 13 estados pesquisados (Gráfico 1). GRÁFICO 1: Variação do índice (mês atual/mês t-1) de Produção física industrial. Série com Ajuste Sazonal. Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/ PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Ambiental e Social do Pará. Ainda na série com ajuste sazonal, a evolução do índice de média móvel trimestral mostrou variação positiva de 0,3% no trimestre encerrado em março frente ao nível do mês anterior, após também registrar taxas positivas em janeiro (0,4%) e fevereiro (0,1%). Em termos regionais, ainda em relação a esse índice, o Estado do Pará registrou variação de - 3,76%, contrariando o resultado nacional (Gráfico 2). 4 Segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal – PIM, publicada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. -4,00 -2,00 0,00 2,00 4,00 6,00 Pará Goiás Rio Grande do Sul Ceará Santa Catarina Espírito Santo São Paulo Brasil Bahia Amazonas Rio de Janeiro Pernambuco Minas Gerais Paraná -3,76 -2,83 -1,30 -1,04 -0,69 -0,31 0,58 0,72 0,77 2,46 2,53 2,63 4,44 5,42
  9. 9. 9 GRÁFICO 2: Variação do índice de média móvel trimestral da produção física industrial. Série com ajuste sazonal. Brasil e Pará. Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/ PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Ambiental e Social do Pará. Na análise do índice mensal da produção industrial, na série sem ajustes sazonais, em março de 2013 o setor industrial do estado apresentou variação de 5,94% frente a fevereiro de 2013. Assim, o desempenho do setor no Pará é explicado pelas variações de 0,60% na indústria extrativa e 11,27% na indústria de transformação. Segmentando a indústria de transformação em março de 2013 (em relação ao mês anterior) observa-se que, com exceção da atividade madeireira que apresentou variação negativa de 1,89%, os demais segmentos pesquisados na indústria de transformação apresentaram variações positivas (ver Tabela 1), a saber: celulose, papel e produtos de papel (28,53%); minerais não metálicos (22,46%); alimentos e bebidas (6,20%) e metalúrgica básica (1,05%). TABELA 1: Variação (%) dos índices de produção física industrial. Pará. Atividades Industriais Fev-2013/Jan- 2013(Sem ajuste sazonal) Acumulado no ano Acumulado de 12 meses INDÚSTRIA GERAL 5,94 -4,01 -1,02 INDÚSTRIA EXTRATIVA 0,60 -6,41 -1,49 INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO 11,27 -1,61 -0,54 Alimentos e Bebidas 6,20 -1,1 -0,37 Madeira -1,89 2,76 2,81 Celulose, Papel e Produtos de Papel 28,53 -5,41 -2,49 Minerais não Metálicos 22,46 -0,25 -0,19 Metalúrgica Básica 1,05 -4,03 -2,49 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/ PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Ambiental e Social do Pará. -8,00 -6,00 -4,00 -2,00 0,00 2,00 4,00 6,00 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 dez/12 jan/13 fev/13 mar/13 Brasil -0,49 0,02 -0,71 -0,38 -6,21 0,75 0,40 0,30 -0,40 -0,10 0,40 0,00 0,30 Pará -2,40 4,09 3,72 1,80 -1,14 -3,32 -0,52 2,39 0,41 0,34 -2,35 -1,07 -2,59
  10. 10. Em relação ao índice acumulado nos três primeiros meses do ano5 (ver Tabela 1), a indústria paraense experimentou variação negativa de 4,01%, em decorrência das variações negativas de 6,41% na indústria extrativa e 1,61% na indústria de transformação. O desempenho da indústria de transformação é explicado pelas variações negativas em: (-2,76%) madeira; (-5,41%) celulose, papel e produtos de papel; (-4,03%) metalúrgica básica; (-1,10%) alimentos e bebidas; e (-0,25%) minerais não metálicos. Na taxa anualizada, índice acumulado de 12 meses6 , observou-se que a economia industrial no estado do Pará variou em -1,02%, em virtude da variação negativa de (-1,49%) na indústria extrativa e (-0,54%) na indústria de transformação. Nesse período, o segmento madeireiro foi o único que apresentou taxas positiva: 2,81%, ao passo que a indústria de celulose, papel e produtos de papel (-2,49%), metalúrgica básica (-2,49%); alimentos e bebidas (-0,37) e minerais não metálicos (-0,19%) apresentaram recuos. 1.3 COMPORTAMENTO DO EMPREGO NA INDÚSTRIA PARAENSE EM MARÇO 2013 Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os setores industriais do estado do Pará pesquisados apresentaram perdas de 344 postos de trabalho em março o que correspondeu à variação de -0,05% no emprego formal em relação ao estoque de emprego do mês imediatamente anterior (ver Tabela 2). Ainda na análise mensal, verificou-se que a indústria extrativa mineral ganhou, neste mês, 94 postos de trabalho, assinalando ampliação de 0,50% em relação a fevereiro. A indústria de transformação7 , por sua vez, variou negativamente (-0,39%) com o desligamento de 438 empregados. Ao segmentar a indústria de transformação, verificou-se que o destaque negativo do mês coube à indústria madeireira e mobiliária, com saldo de -554 e variação de -2,46%. Na seqüência, aparece a indústria de papel, papelão e editoração, com 31 postos e variação de (- 0,80%), seguido da indústria metalúrgica (0,02%) o que corresponde à perda de 2 postos de trabalho, a indústria de produtos alimentícios e bebidas criou 197 postos de trabalho (variação 5 Este índice estabelece a relação entre a produção acumulada no ano, de janeiro ao mês de referência do índice, e a produção de igual período do ano anterior. 6 É a relação entre a produção acumulada nos últimos 12 meses de referência do índice e a produção de igual período imediatamente anterior. 7 Levando em consideração apenas os cinco subsetores pesquisados pela PIM-PF/IBGE. Maiores explicações, voltar às Notas Metodológicas.
  11. 11. 11 de 0,72%) e por fim a indústria de produtos minerais não metálicos apresentou saldo negativo de -144 postos de trabalho e variação de 1,05%, sobressaindo-se em relação aos demais subsetores da indústria de transformação. TABELA 2: Comportamento do emprego formal na indústria paraense. Março de 2013. Atividades Industriais mar/13 Acumulado no Ano Acumulado nos Últimos 12 meses Saldo Variação (%) Emprego(1) Saldo Variação (%) Emprego(2) Saldo Variação (%) Emprego(3) INDÚSTRIA PARAENSE -344 0,05 -1.494 -0,95 -1.422 1,23 INDÚSTRIA EXTRATIVA MINERAL 94 0,50 9 0,05 929 5,18 INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO (4) -438 -0,39 -1.503 -1,94 -2.351 -2,72 Indústria de Produtos Minerais não Metálicos -114 -1,05 -62 -0,57 -2 -0,02 Indústria Metalúrgica 2 0,02 54 0,55 -151 -1,49 Indústria Madeireira e Mobiliária -554 -2,46 -1.439 -6,15 -2.901 -11,67 Indústria de Papel, Papelão e Editoração 31 0,80 -159 -3,90 -146 -3,59 Indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas 197 0,72 103 0,37 849 3,16 Fonte: Ministério do Trabalho e Emprego – MTE/CAGED. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. (1) A variação mensal do emprego toma como referência o estoque do mês anterior. (2) Resultados acrescidos dos ajustes; a variação relativa toma como referência os estoques do mês atual e do mês de dezembro do ano anterior, ambos com ajustes. (3) Resultados acrescidos dos ajustes; a variação relativa toma como referência os estoques do mês atual e do mesmo mês do ano anterior, ambos com ajustes. (4) Para o cálculo do saldo da Indústria de Transformação, foram considerados apenas os cinco subsetores analisados na pesquisa PIM-PF/IBGE. No acumulado de janeiro a março deste ano, a retração na contratação de trabalhadores formais na indústria estadual foi de -0,95%, o que corresponde à perda de 1.494 postos de trabalho em 2013, ao passo que, na indústria extrativa mineral houve geração de novos empregos, um crescimento de 0,05% em relação ao estoque inicial de emprego registrado em março deste ano, com saldo de 9 postos. Já a indústria de transformação apresentou, no mesmo período, o fechamento de 1.503 postos, com variação de -1,94%. Dentre seus subsetores, a indústria de produtos alimentícios e bebidas e metalúrgica foram os únicos que assinalaram saldos positivos com a geração de 103 e 54 postos de trabalho respectivamente nos dois primeiros meses do ano e crescimento de 0,37% e 0,55% seqüencialmente. Na sequência as indústrias de minerais não metálicos;
  12. 12. papel, papelão e editoração e madeireira e mobiliários fecharam 62, 159 e 1,439 postos de trabalho respectivamente. No acumulado dos últimos doze meses, o setor mineral registrou expansão de 5,18% em relação ao estoque de emprego do mês de março de 2012, com saldo de 929 novos trabalhadores, ao passo que o setor de transformação assinalou variação de -2,72%, com o saldo de -2.351 postos de trabalho. Para este período, a indústria de produtos alimentícios e bebidas foi a única com saldo positivo, registrando a abertura de 849 postos de trabalho e variação de 3,16%, as demais apresentaram resultados negativos: produtos minerais não metálicos (saldo de -2 postos de trabalho e variação de -0,02%); indústria metalúrgica (saldo de -151 postos de trabalho e variação de -1,99%); indústria papel papelão e editoração com saldo de -146 postos de trabalho e variação de -3,59%; e madeireira e mobiliária com saldo de -2.901 postos de trabalho e variação de -11,67%. REFERÊNCIAS BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Programa de disseminação de Estatística do trabalho. 2013. Disponível em: <http://www.mte.gov.br/pdet/index.asp>. Acesso em: Mai. 2013. ______. Evolução de Emprego do CAGED. 2013. Disponível em: <http://www.mte.gov.br/pdet/pages/consultas>. Acesso em: Mai. 2013. IBGE. Sistema IBGE de recuperação automática SIDRA, 2013. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/> Acesso em: Mai. 2013.
  13. 13. 13 PAINEL DE INDICADORES P1. INDICADORES DA INDÚSTRIA PARAENSE P1. 1 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice de Base Fixa Mensal (sem ajuste sazonal)*.__________________________________________ 14 P1. 2 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Mensal*. ______________________________________________________________________ 15 P1. 3 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Acumulado no Ano*._____________________________________________________ 16 P1. 4 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Acumulado de 12 Meses*._________________________________________________ 17 P2. INDICADORES DE EMPREGO INDUSTRIAL NO PARÁ P2. 1 - Admissões por Atividade Industrial – Pará.______________________________ 18 P2. 2 - Desligamentos por Atividade Industrial – Pará.___________________________ 19 P2. 3 - Saldo por Atividade Industrial – Pará. __________________________________ 20
  14. 14. P1. INDICADORES DA INDÚSTRIA PARAENSE P1. 1 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice de Base Fixa Mensal (sem ajuste sazonal)* . Mês/Ano Atividades Industriais Indústria Geral Indústria Extrativa Indústria de Transformação Total Alimentos e bebidas Madeira Celulose, papel e produtos de papel Minerais não metálicos Metalurgia básica mar/12 11,53 10,65 12,30 4,49 7,75 6,87 15,04 15,59 abr/12 1,46 6,92 -6,09 0,50 -10,31 -11,73 0,69 -9,09 mai/12 13,49 14,52 11,86 24,29 0,34 19,05 -0,60 9,19 jun/12 -1,10 3,26 -5,42 -0,47 -21,43 -4,54 -4,26 -5,98 jul/12 3,68 5,51 0,69 2,33 19,62 5,70 -1,81 -5,36 ago/12 -0,72 -3,80 4,57 16,67 -36,06 1,05 3,36 6,41 set/12 -3,93 -5,02 -2,22 -10,00 23,08 -7,71 -3,13 6,68 out/12 8,73 11,69 4,21 1,82 -3,30 11,31 8,94 -1,09 nov/12 -7,60 -5,53 -10,99 -6,64 17,06 -10,67 -12,04 -16,85 dez/12 10,13 13,07 5,02 12,57 -10,04 0,82 5,52 4,79 jan/13 -16,52 -20,91 -8,33 -22,20 -13,32 -23,69 7,63 6,14 fev/13 -17,79 -19,41 -15,19 -12,09 5,40 -37,00 -13,00 -7,86 mar/13 5,94 0,60 11,27 6,20 -1,89 28,53 22,46 1,05 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Nota: * O índice de base fixa mensal sem ajuste sazonal é o indicador que compara a produção do mês de referência do índice com a média mensal produzida no ano base (2002).
  15. 15. 15 P1. 2 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Mensal* . Mês/Ano Atividades Industriais Indústria Geral Indústria Extrativa Indústria de Transformação Total Alimentos e bebidas Madeira Celulose, papel e produtos de papel Minerais não metálicos Metalurgia básica fev/12 9,31 11,76 8,82 4,99 -20,58 44,99 8,26 6,45 mar/12 5,46 11,85 0,03 -5,29 11,66 -22,30 11,74 2,49 abr/12 -2,34 -1,46 -3,28 11,10 13,14 3,67 12,19 -12,26 mai/12 3,05 1,87 1,61 5,62 9,12 8,72 -14,38 5,21 jun/12 -2,48 -7,93 3,23 -6,68 35,28 0,11 0,33 -3,37 jul/12 -2,80 -6,61 0,76 -1,38 25,65 3,98 -11,26 -13,36 ago/12 -5,75 -1,63 -9,86 8,31 -43,41 -12,17 1,56 8,48 set/12 8,04 2,71 13,08 -16,59 26,64 34,27 26,50 5,13 out/12 0,16 10,35 -8,59 11,82 -26,22 -21,61 -7,18 2,41 nov/12 -0,17 -8,16 8,10 -8,74 108,51 -0,41 -14,32 -9,09 dez/12 -3,45 8,58 -14,03 -5,05 -45,51 1,90 1,35 -7,37 jan/13 8,16 12,40 3,49 8,71 -17,65 -2,18 17,91 7,76 fev/13 -14,06 -17,90 -9,41 -9,05 35,14 -47,40 -12,05 2,59 mar/13 2,86 0,60 4,89 1,87 -1,89 28,53 22,46 1,05 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Nota: * Índice que compara a produção do mês de referência do índice com a produção de igual mês do ano anterior.
  16. 16. P1. 3 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Acumulado no Ano* . Mês/Ano Atividades Industriais Indústria Geral Indústria Extrativa Indústria de Transformação Total Alimentos e bebidas Madeira Celulose, papel e produtos de papel Minerais não metálicos Metalurgia básica mar/12 -5,55 -12,35 1,05 5,36 -33,88 3,31 -2,33 2,03 abr/12 1,07 2,63 -0,23 2,14 2,19 -0,13 5,45 -2,31 mai/12 1,36 2,12 1,30 2,78 2,88 1,76 0,13 -0,40 jun/12 0,38 -0,24 1,02 0,42 6,12 1,10 0,13 -0,79 jul/12 -0,40 -1,33 0,55 0,07 8,01 1,40 -1,67 -2,60 ago/12 -0,75 -1,15 -0,35 1,27 -0,35 -0,74 -1,06 -0,96 set/12 0,16 -0,50 0,82 -1,40 1,95 2,56 1,71 -0,20 out/12 0,32 0,66 -0,01 0,17 -1,15 -0,21 0,76 0,09 nov/12 -0,03 -0,31 0,24 -0,75 4,69 -0,19 -0,78 -0,64 dez/12 -0,08 0,52 -0,67 -1,22 -0,22 0,00 -0,56 -1,21 jan/13 7,64 17,98 -2,59 -2,55 -16,81 -2,19 11,12 -5,95 fev/13 -7,31 -8,87 -5,42 -4,45 15,40 -25,84 -6,00 1,23 mar/13 -4,01 -6,41 -1,61 -1,10 2,76 -5,41 -0,25 -4,03 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Nota: * Índice que compara a produção acumulada no ano, de janeiro até o mês de referência do índice, com a produção de igual período imediatamente anterior.
  17. 17. 17 P1. 4 - Taxa de Crescimento (%) da Produção Física Industrial no Pará – Índice Acumulado de 12 Meses* . Mês/Ano Atividades Industriais Indústria Geral Indústria Extrativa Indústria de Transformação Total Alimentos e bebidas Madeira Celulose, papel e produtos de papel Minerais não metálicos Metalurgia básica mar/12 -5,56 -9,21 -2,66 -2,5 -22,51 2,21 -16,79 1,68 abr/12 0,19 -0,13 0,48 2,06 -1,91 -0,58 1,77 0,09 mai/12 -0,08 -0,71 0,27 1,36 -1,57 -0,72 1,1 0,5 jun/12 -0,27 -1,51 1,1 1,62 3,17 -0,63 1,35 0,65 jul/12 -0,9 -2,4 0,72 1,73 5,46 0,49 -0,8 -1,74 ago/12 -1 -1,7 -0,26 0,72 0,42 -1,2 -0,8 -0,33 set/12 -0,05 -0,97 0,89 -1,94 3,32 1,84 3,25 -1,01 out/12 -0,05 -0,14 0,04 0,94 -1,46 -0,92 1,58 -0,47 nov/12 0,12 -0,92 1,17 -0,31 9,73 -0,54 -0,45 -0,01 dez/12 -0,6 -0,55 -0,64 -2,69 1,67 -0,24 -0,27 -1,03 jan/13 1,03 -0,12 0,15 -0,57 1,46 2 -0,87 1,03 fev/13 -0,53 -1,01 -0,84 4,13 -4,91 0,22 -1,04 -0,53 mar/13 -1,02 -1,49 -0,54 -0,37 2,81 -2,49 -0,19 -2,49 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP. Nota: * Índice que compara a produção dos últimos doze meses de referência do índice com a produção de igual período imediatamente anterior.
  18. 18. P2. INDICADORES DE EMPREGO INDUSTRIAL NO PARÁ P2. 1 - Admissões por Atividade Industrial – Pará. MÊS/ANO ATIVIDADES INDUSTRIAIS EXTRATIVA MINERAL INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO Total Indústria de Produtos Minerais não Metálicos Indústria Metalúrgica Indústria de Madeira e Mobiliário Indústria de Papel, Papelão e Editoração Indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas mar/12 408 2.777 361 219 982 92 1.123 abr/12 376 2.623 331 284 817 77 1.114 mai/12 462 3.216 373 326 951 98 1.468 jun/11 326 4.098 430 324 1.317 94 1.215 jul/12 546 3.290 307 435 1.231 98 1.219 ago/12 3.655 309 3.346 510 237 1.162 90 set/12 215 2.728 371 208 926 56 1.167 out/12 180 2.620 342 207 903 69 1.099 nov/12 130 2.502 313 230 717 97 1.145 dez/12 1.668 70 1598 216 241 345 36 jan/13 3.539 199 3.340 852 295 956 1.237 fev/13 176 1.690 512 227 827 62 62 mar/13 296 2.726 349 347 707 106 1.217 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  19. 19. 19 P2. 2 - Desligamentos por Atividade Industrial – Pará. MÊS/ANO ATIVIDADES INDUSTRIAIS EXTRATIVA MINERAL INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO Total Indústria de Produtos Minerais não Metálicos Indústria Metalúrgica Indústria de Madeira e Mobiliário Indústria de Papel, Papelão e Editoração Indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas mar/12 187 3.332 545 397 1.223 64 1.103 abr/12 179 2.440 284 340 858 46 912 mai/12 153 6.253 406 235 1.300 105 1.004 jun/12 128 3.108 435 316 1.145 85 1.127 jul/12 159 2.857 357 282 1.130 77 1.011 ago/11 3.405 3.405 3.405 3.405 3.405 3.405 3.405 set/12 144 2.645 308 322 951 59 1.005 out/12 200 3.127 418 348 1.215 78 1.068 nov/12 180 3.102 385 247 1.229 98 1.143 dez/12 3.985 382 3603 384 277 1171 89 jan/13 4.035 224 3.811 831 235 1.387 1.358 fev/13 263 2.382 487 250 1.263 191 191 mar/13 202 3.164 463 345 1.261 75 1.020 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.
  20. 20. P2. 3 - Saldo por Atividade Industrial – Pará. MÊS/ANO ATIVIDADES INDUSTRIAIS EXTRATIVA MINERAL INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO Total Indústria de Produtos Minerais não Metálicos Indústria Metalúrgica Indústria de Madeira e Mobiliário Indústria de Papel, Papelão e Editoração Indústria de Produtos Alimentícios e Bebidas mar/12 221 -555 -184 -178 -241 28 20 abr/12 197 183 47 -56 -41 31 202 mai/12 309 641 -33 91 -349 -7 464 jun/12 194 354 -20 97 124 6 147 jul/12 387 433 -50 153 101 21 208 ago/12 250 250 250 250 250 250 250 set/12 71 63 -114 -25 -3 162 71 out/12 -20 -507 -76 -141 -312 -9 -31 nov/12 -50 -600 -72 -17 -512 -1 2 dez/12 -2.317 -312 -2.005 -168 -36 -826 -53 jan/13 7.574 423 7.151 1.683 530 2.343 2.595 fev/13 -87 -692 25 -23 -436 -129 -129 mar/13 94 -438 -114 2 -554 31 197 Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE/PIM-PF. Elaboração: Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará – IDESP.

×