Manejo de paciente Portador de Necessidade Especial (PNE) - CO2 - Prof. Ícaro Augusto

2.080 visualizações

Publicada em

Discentes Pedro e Heron

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.080
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 2
  • Manejo de paciente Portador de Necessidade Especial (PNE) - CO2 - Prof. Ícaro Augusto

    1. 1. Pacientes especiais e Odontologia Governador Mangabeira, 18 de março de 2015
    2. 2. Jamile Silva* Vinícius Ramalho* Ícaro Soares** BACHARELADO EM ODONTOLOGIA *Discentes do curso de Bacharelado em Odontologia **Docente da disciplina de Clínica Odontológica II
    3. 3. O objetivo deste trabalho é orientar os alunos do curso de odontologia do 6 semestre da Faculdade Maria Milza sobre os devidos cuidados que se deve ter com os pacientes portadores de necessidades Especiais (PNES) no tratamento odontológico. Objetivo
    4. 4. Introdução “ Segundo o artigo 3º do Decreto 3298 de dezembro de 1999, o qual regulamenta a lei 7853/1989, considera-se deficiência a perda ou anormalidade de uma estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica que gere incapacidade para o desempenho de atividade dentro do padrão considerado normal para o ser humano.” (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm)
    5. 5. Classificação -Deficiência Auditiva -Deficiência visual -Deficiência mental -Deficiência físico -Deficiência múltipla
    6. 6. “ Pacientes com necessidades especiais são indivíduos que apresentam uma alteração ou condição, simples ou complexa, momentânea ou permanente, de etiologia biológica, física, mental, social e/ou comportamental, que requer uma abordagem especial, multiprofissional e um protocolo específico.” ( http://portais.ufg.br/up/133/o/Manual_corrigido-.pdf2009)
    7. 7.  Defeitos físicos  Defeitos congênitos  Desvios comportamentais  Desvios psíquicos  Deficiências sensoriais e de autocomunicação  Doenças sistêmicas crônicas  Doenças endocrino-metabólicas  Desvios sociais  Estados fisiológicos especiais Classificação
    8. 8. - O Brasil possui aproximadamente 17 milhões de deficientes. - Região Nordeste = 16,8% - Região Sudeste = 13,1% - (CASTRO et al.2010) Dados interessantes
    9. 9. http://doutissima.com.br/content/uploads/2013/ 07/epidemia-5.jpg http://www.odontologiaiwai.com.br/util/img/Duvi das/Gengivite/img_faq_gengivite.png http://rclorto.com.br/Portals/0/Easy Gallery/6/med/a.jpg
    10. 10.  Anamnese bem feita  Relação cirurgião dentista / paciente  Orientação Preventiva no tratamento da doença bucal  Acompanhamento Multiprofissional
    11. 11.  “ A maior parte dos PNE possui condições de receber atendimento odontológico em ambulatório. Mas, para isso, é imprescindível que o profissional tenha um bom conhecimento técnico e científico para lidar com os problemas e intercorrências que possam surgir durante a consulta.” ( TOLEDO; BEZERRA, 1989; CANCINO et al 2005 )
    12. 12. http://m/uploads/2014/06/download.jpgedodedentista.com.br/wp-content
    13. 13. GONÇALVES, Josiane Bittar. Atendimento odontológico á paciente com necessidades especiais: Revisão de literatura. 2012. 23 f. TCC (Graduação) - Curso de Odontologia, Faculdade de Medicina da Ufmg, Conselheiro Lafaiete, 2012. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm http://jus.com.br/artigos/4314/os-portadores-de-necessidades- especiais-e-o-novo-codigo-civil https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/3761.pdf http://portais.ufg.br/up/133/o/Manual_corrigido-.pdf http://www.facimed.edu.br/site/revista/pdfs/31b1d0bc6502190f69a b2e62163d9a2b.pdf

    ×