A História dos BatistasConta-se que numa determinada igreja do interior do Brasil, um grupo depessoas reuniu-se, como de c...
A Junta de Richmond ficou tão decepcionada com as dificuldades enfrentadaspor Bowen que não quis mais arriscar e cancelou ...
Início dos BatistasAVIVAMENTOUm dos motivos de orgulho dos batistas brasileiros - a coesão - só veio a sofrerum abalo cons...
Fiéis: 200 milPastores: 1,4 milTemplos: 1.100 igrejas e 2 mil congregaçõesDistribuição: A maior parte das igrejas está sit...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A história dos batistas

619 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A história dos batistas

  1. 1. A História dos BatistasConta-se que numa determinada igreja do interior do Brasil, um grupo depessoas reuniu-se, como de costume, num dos cultos de quarta-feira, com oobjetivo de escolher o nome mais adequado para uma nova congregação a serfundada. Com a mediação equilibrada do pastor, todos os membros presentespuderam dar sua sugestão, democraticamente, antes que a decisão fossetomada. No calor dos comentários e opiniões livremente expostas, uma idéiade nome causou espanto: "Igreja Batista do Apocalipse 21", propôs um dosparticipantes mais entusiasmados. Diante da explosão de exclamações deespanto que sucederam a estranha proposição, o pastor solenementeinterpelou o autor: "Mas o irmão acredita que esse nome seja biblico?" Parasurpresa do ministro que presidia a sessão e de todos os presentes, a respostaveio rápida e certeira: "Só não seria bíblico se a sugestão fosse, por exemplo,Igreja Batista do Apocalipse 23, pois como o senhor bem sabe, não existe essecapítulo na Bíblia", rebateu o fiel.Essa simples anedota exemplifica de maneira clara um conceito fundamentalentre os adeptos da Igreja Batista, uma das mais sólidas e conceituadasdenominações protestantes do Brasil: a valorização da liberdade e dademocracia. Desde seus primórdios, os batistas decidem democraticamentesobre todas as questões que se referem à sua igreja, desde que mantidas asbases bíblicas, das quais não abrem mão. A postura batista com relação aliberdade exercida por seus membros se confunde com a história da igreja. Asfamosas Declarações de Fé - documentos escritos por teólogos da igreja queatravés dos séculos reproduzem sua ideologia - já marcavam essa posiçãomuito antes do primeiro missionário pôr os pés no Brasil, em 1860. Naqueleano, o missionário norte-americano Thomas Jefferson Bowen aportou nacidade do Rio de Janeiro, capital do Império do Brasil. Na longa travessiamarítima, dois livros foram seus companheiros de viagem em alto-mar: a Bíbliae o Cantor Cristão.Batistas no BrasilO pastor Bowen foi o primeiro missionário enviado ao Brasil pela Junta deRichmond, associação de igrejas batistas do Sul dos Estados Unidos. Suamissão era organizar uma igreja de língua inglesa para os imigrantesamericanos. Também tinha intenção de trabalhar entre os escravos, já quevinha de um longo período como missionário na África, onde inclusiveaprendera o dialeto iorubá, corrente entre os negros traficados para o Brasil.Seu sonho missionário, entretanto, virou pesadelo. Além de sofrer sériosproblemas de saúde, o pastor foi impedido pelas autoridades de propagar umamensagem cristã que se caracterizava pela distância com os ensinos católicos,até então a religião oficial do país. Bowen acabou ficando no Brasil por apenasnove meses, período emque se comunicava com freqüência, através derelatórios, com seus superiores da Junta. Nestas epístolas, o missionário sequeixava do alto custo de vida, do clima quente da cidade do Rio de Janeiro eprincipalmente daameaça da febre amarela, problema crônico de saúdenaqueles idos do século 19.
  2. 2. A Junta de Richmond ficou tão decepcionada com as dificuldades enfrentadaspor Bowen que não quis mais arriscar e cancelou todos os planos missionáriospara a América do Sul. Mas Deus tinha seus planos. Depois dessa primeiratentativa frustrada, não demorou muito e um conflito social acabou sendo oestopim que detonou a verdadeira explosão missionária no Brasil. Com aGuerra de Secessão (1859-1865), entre os estados do Norte e do Sul dos EUA,milhares de imigrantes americanos vieram para o Brasil a partir da segundametade do século passado, em busca do sonho da paz e prosperidade. Em suamaioria, os colonos eram de formação protestante. Curiosamente, essasegunda onda evangelística tinha um caráter bem mais informal - ao contrárioda missão de Bowen, planejada e patrocinada pela Junta de MissõesEstrangeiras, essa leva de protestantes emigrou em busca da sua própriasobrevivência.Estrutura da Igreja Batista no BrasilConvenção Batista Brasileira (CBB)Sede: Rio de JaneiroFundação: 1907Presidente: Darci DusilekFiéis: O último censo da denominação, realizado em 1995, encontrou 873.319membros. A estimativa atual é de 1 milhão de fiéisPastores: 5.890Templos: 5.554Distribuição: As igrejas da CBB estão disseminadas por todo o territórionacional. A convenção mantém mais de 500 missionários no exterior.Atividades da denominação: Existem dezenas de seminários em todo oBrasil, dos quais o maior é o Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil, noRio de Janeiro, com mais de mil alunos, referência nacional do ensino religioso.Como as igrejas batistas são independentes umas das outras, não existemestatísticas centralizadas sobre atividades assistenciais como escolas, creches,asilos e orfanatos, que são mantidos pelas congregações locais. Um dosprojetos mais destacados nessa imensa rede de ação é o Reencontro, daPrimeira Igreja Batista de Niterói (RJ). Utiliza amplo sistema de comunicação,com programas de rádio e TV, além de revistas e jornais. Denominaçãofortemente identificada com a História do país, a Igreja Batista tem influído, aolongo do século, em diversos setores da sociedade, seja através de açõesdiretas de seus departamentos ou da atuação de seus membros envolvidos napolítica, nas instituições civis e no meio acadêmico.
  3. 3. Início dos BatistasAVIVAMENTOUm dos motivos de orgulho dos batistas brasileiros - a coesão - só veio a sofrerum abalo considerável no final da década de 50. O Brasil presenciava umavivamento pentecostal, iniciado pelo trabalho de missionários norte-americanos. Foi a época do surgimento de grandes igrejas carismáticas, comoa Quadrangular, o Brasil Para Cristo e a Nova Vida. Paralelamente, diversossetores evangélicos tradicionais experimentaram a renovação espiritual. Nãodemorou muito e o movimento alcançou os arraiais batistas, através de umpastor ainda pouco conhecido, mas que no futuro seria lembrado como um dosmaiores líderes evangélicos do século. Na noite de 18 de outubro de 1958, opastor José Rego do Nascimento, da Igreja Batista da Lagoinha, em BeloHorizonte (MG), voltava de um culto no Seminário Batista do Sul do Brasil, noRio - um dos mais antigos e respeitados da denominação -, quando foiabordado por um grupo de alunos. Convidado a participar de uma vigília deoração promovida pelo grêmio estudantil, Rego, embora estivesse exausto,aceitou. O que aconteceu naquela noite delineou a história do ramo batistapentecostal no país. Rego e os seminaristas que participaram da reunião forambatizados com o Espírito Santo - uma experiência que até então só conheciamde ler no Novo Testamento, caracterizada pelo exercício de dons espirituais.José Rego do Nascimento relatou os acontecimento a seu colega e tambémpastor batista Enéas Tognini, que logo aderiu ao avivamento e tornou-se íconedo movimento pentecostal que acabou dividindo a denominação. Em 1967,Tognini fundou a CBN (Convenção Batista Nacional), reunindo 60 igrejas. Hoje,a CBN é presidida pelo pastor Daniel Leite, de Betim (MG) e temaproximadamente 1,2 mil igrejas, todas independentes, mas vinculadas pelateologia pentecostal. Além das duas grandes convenções, existem ainda aIgreja Batista Regular, a Igreja Batista Independente, a Igreja Batista Bíblica e aIgreja Batista Fundamental, que embora expressem interpretações bíblicasdiversas, têm como elo fundamental a soberania das decisões tomadas pelopovo. Nas igrejas batistas, tudo é decidido pelos membros: desde a escolha dopastor até o orçamento da comunidade. Até mesmo o nome de sociedadesinternas como corais e grupos de jovens passam pelo voto. A tradiçãodemocrática é até hoje um dos maiores orgulhos dos batistas.por Marcelo DutraEstrutura da Igreja Batista NacionalConvenção Batista Nacional (CBN)Sede: São PauloFundação: 1967Presidente: Daniel Leite
  4. 4. Fiéis: 200 milPastores: 1,4 milTemplos: 1.100 igrejas e 2 mil congregaçõesDistribuição: A maior parte das igrejas está situada no Sudeste, notadamenteno Estado de Minas Gerais. Existem também trabalhos missionários no México,Albânia, Espanha, Paraguai e Chile.Atividades da denominação: Além de 18 seminários teológicos, a CBNpossui escolas, abrigos de menores, clínicas médicas e outras obrasassistenciais. Nas grandes cidades, os fiéis da denominação destacam-se pelaatuação em missões urbanas, como evangelismo ostensivo e distribuição dedonativos. Além das atividades nos templos, as comunidades ligadas à CBNpromovem cultos ao ar livre, concentrações, eventos musicais e reuniõesinformais nas casas dos membros. Algumas igrejas caracterizam-se por cultoscarismáticos, onde a ênfase é dada aos dons espirituais como curas divinas eprofecias. As igrejas da CBN utilizam os meios de comunicação na divulgaçãode sua mensagem.

×