Organização PowerPoint             A Luz da Doutrina Espírita           Grupo de Estudos Allan Kardec            www.luzdo...
•       INTRODUÇÃO•       O objetivo deste estudo é analisar a dor e o sofrimento, tanto na           forma de expiação co...
• CAUSA DAS AFLIÇÕES • As causas das aflições devem ser procuradas tanto no presente        (atual encarnação) como numa e...
• Assim sendo, toda vicissitude pode ser vista sob dois ângulos:                     • 1) em vista da encarnação atual   •...
• "Que todos aqueles que são atingidos no coração pelas vicissitudes    e decepções da vida, interroguem friamente sua con...
•           Os sofrimentos por causas anteriores são, freqüentemente, como o             das causas atuais, a conseqüência...
•   FATOS GERADORES DE DOR E SOFRIMENTO                             • Suicídio e loucura •       Cujas causas estão no des...
• Mortes prematuras•    Ao morrer um jovem e não um velho, dizemos que Deus é injusto, e                       nos revolta...
•   Estados da Alma     •       Melancolia — Por que uma vaga tristeza se apodera de nossos                       corações...
•   O PROBLEMA DA DOR•    Dor e Sofrimento — a simples reflexão sobre a dor e o sofrimento        basta para evidenciar qu...
•           O processo de crescimento espiritual está associado à dor e ao                                        sofrimen...
• 2) Dor-evolução — que atua de fora para dentro, aprimorando o                  ser, sem a qual não existiria progresso.•...
• 3) Dor-Auxílio — são as prolongadas e dolorosas enfermidades no      envoltório físico, seja para evitar-nos a queda no ...
• BEM-AVENTURANÇA NA DOR •    A dor não é castigo: é contingência inerente à vida, cuja atuação visa a                    ...
•   CONCLUSÃO            •   "Saibamos sofrer e sofreremos menos".     • Eis o dístico que devemos nos lembrar em todos os...
•   BIBLIOGRAFIA CONSULTADA  • CURTI, R. Bem-Aventuranças e Parábolas. São Paulo, FEESP, 1982.   • EQUIPE DA FEB. O Espiri...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bem aventurado 0s_aflitos_palestra

480 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
480
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bem aventurado 0s_aflitos_palestra

  1. 1. Organização PowerPoint A Luz da Doutrina Espírita Grupo de Estudos Allan Kardec www.luzdoespiritismo.com15/03/13 1
  2. 2. • INTRODUÇÃO• O objetivo deste estudo é analisar a dor e o sofrimento, tanto na forma de expiação como de evolução, tendo em vista um caminho mais consciente para os nossos Espíritos. • CONCEITO • Aflição - 1. Agonia, atribulação, angústia, sofrimento. 2. Tristeza, mágoa, pesar, dor. 3. Cuidado, preocupação, inquietação, ansiedade. 4. Padecimento físico; tormento, tortura (Dicionário Aurélio). • Aflição:Freqüentemente, aflição é a nossa própria ansiedade, respeitável mas inútil, projetada no futuro, mentalizando ocorrências menos felizes que, em muitos casos, não se verificam como supomos e, por vezes, nem chegam a surgir. (Equipe FEB, 1997).15/03/13 2
  3. 3. • CAUSA DAS AFLIÇÕES • As causas das aflições devem ser procuradas tanto no presente (atual encarnação) como numa existência passada. • Devemos partir do princípio de que elas são justas.Se assim não pensarmos, poderemos cair no erro de jogar a culpa nos outros ou em Deus. • Quer dizer, tudo o que se nos acontece tem um motivo, embora nem sempre o saibamos explicar com clareza.15/03/13 3
  4. 4. • Assim sendo, toda vicissitude pode ser vista sob dois ângulos: • 1) em vista da encarnação atual • Aqui devemos refletir sobre o sofrimento que nos visita, fazendo algumas indagações a respeito. • Em caso de doença — será que me descuidei da alimentação? • No caso do filho escolher o caminho do vício — dei-lhe a devida educação, os cuidados necessários? • No caso de uma querela familiar — será que não fui injusto para com tal pessoa?15/03/13 4
  5. 5. • "Que todos aqueles que são atingidos no coração pelas vicissitudes e decepções da vida, interroguem friamente sua consciência; que remontem progressivamente à fonte dos males que os afligem, e verão se, o mais freqüentemente, não podem dizer: Se eu tivesse, ou não tivesse, feito tal coisa eu não estaria em tal situação" (Kardec, 1984, cap. 5, it. 4, p. 72). • 2) em vista de uma encarnação passada • Não encontrando uma resposta satisfatória na presente encarnação, devemos nos reportar à encarnação passada.15/03/13 5
  6. 6. • Os sofrimentos por causas anteriores são, freqüentemente, como o das causas atuais, a conseqüência natural da falta cometida. • Se foi duro e desumano, ele poderá ser, a se turno, tratado duramente e com desumanidade; • Se foi orgulhoso, poderá nascer em uma condição humilhante; • Se foi avarento, egoísta, ou se fez mal uso da fortuna, poderá ser privado do necessário; • Se foi mal filho, poderá sofrer com os próprios filhos etc. (Kardec, 1984, cap. 5, it. 7, p. 74).15/03/13 6
  7. 7. • FATOS GERADORES DE DOR E SOFRIMENTO • Suicídio e loucura • Cujas causas estão no descontentamento com relação à vida. • Os maiores excitantes ao suicídio são a incredulidade, a simples dúvida sobre o futuro e as idéias materialistas. • Ao contrário, a calma e a resignação, hauridas na maneira de encarar a vida terrestre, e na fé no futuro, dão ao Espírito uma serenidade que é o melhor preservativo contra a loucura e o suicídio. (Kardec, 1984, cap. 5, it. 14 a 17, p. 79 a 81).15/03/13 7
  8. 8. • Mortes prematuras• Ao morrer um jovem e não um velho, dizemos que Deus é injusto, e nos revoltamos contra Ele. • Esquecemo-nos de que a morte é preferível aos desregramentos vergonhosos que desolam as família honradas, partem o coração da mãe, e fazem, antes do tempo, branquear os cabelos dos pais. Kardec, 1984, cap. 5, it. p. 85 a 87). • Demos esses dois exemplos, mas poderíamos arrolar muitos outros, como por exemplo, as doenças prolongadas, as tuberculoses, a Aids etc.15/03/13 8
  9. 9. • Estados da Alma • Melancolia — Por que uma vaga tristeza se apodera de nossos corações e achamos a vida tão amarga? • É que o nosso Espírito aspira à felicidade e à liberdade e que, preso ao corpo que lhe serve de prisão, se extenua em vão esforços para dele sair.Mas vendo que são inúteis, cai no desencorajamento e na languidez (Kardec, 1984, cap. 5, it. 25, p. 90). • Infelicidade — Vemo-la na miséria, no fogão sem lume, no credor ameaçador... • Mas a infelicidade é a alegria, é o prazer, é a fama, é a agitação vã, é a louca satisfação da vaidade, que fazem calar a consciência. (Kardec, 1984, cap. 5, it. 24, p. 88 e 89). • Além desses dois estados, podemos acrescentar: remorso,15/03/13 9 tormentos, apatia...
  10. 10. • O PROBLEMA DA DOR• Dor e Sofrimento — a simples reflexão sobre a dor e o sofrimento basta para evidenciar que eles têm uma razão de ser muito profunda.• A dor é um alerta da natureza, que anuncia algum mal que está nos atingindo e que precisamos enfrentar. • Se não fosse a dor sucumbiríamos a muitas doenças sem sequer nos dar conta do perigo. • O sofrimento, mais profundo do que a simples dor sensível e que afeta toda a existência, também tem a sua razão de ser. É através dele que o homem se insere na vida mística e religiosa. (Idígoras, 1983).15/03/13 10
  11. 11. • O processo de crescimento espiritual está associado à dor e ao sofrimento. • De acordo com o Espírito André Luiz, a dor pode ser vista sob três aspectos: • 1) Dor-expiação — que vem de dentro para fora, marcando a criatura no caminho dos séculos, para regenerá-la, perante a justiça. • É conseqüência de nosso desequilíbrio mental, ou proceder desviado da rota ascensional do espírito. • Podemos associá-la às encarnações passadas. Muitas vezes é o resgate devido ao mau uso de nosso livre-arbítrio.15/03/13 11
  12. 12. • 2) Dor-evolução — que atua de fora para dentro, aprimorando o ser, sem a qual não existiria progresso.• Na dor-expiação estão associados o remorso, o arrependimento, o sentimento de culpa etc. • Na dor-evolução estão associados o esforço e a resistência ao meio hostil.• Enquanto a primeira é conseqüência de uma ato mau, a segunda é um fortalecimento para o futuro.15/03/13 12
  13. 13. • 3) Dor-Auxílio — são as prolongadas e dolorosas enfermidades no envoltório físico, seja para evitar-nos a queda no abismo da criminalidade, seja, mais freqüentemente, para o serviço preparatório da desencarnação, a fim de que não sejamos colhidos por surpresas arrasadoras, na transição para a morte. • O enfarte, a trombose, a hemiplegia, o câncer penosamente suportado, a senilidade prematura e outras calamidades da vida orgânica constituem, por vezes, dores-auxílio, para que a alma se recupere de certos enganos em que haja incorrido na existência do corpo denso, habilitando-se, através de longas reflexões e benéficas disciplinas, para o ingresso respeitável na vida espiritual (Xavier, 1976, p. 261 e 262).15/03/13 13
  14. 14. • BEM-AVENTURANÇA NA DOR • A dor não é castigo: é contingência inerente à vida, cuja atuação visa a restauração e o progresso. • A dor-expiação é cármica, de restauração, é libertação de carga que nos entrava a caminhada; é reajuste perante a vida, reposição da alma no roteiro certo. Passageira, nunca perene.• A dor-evolução, tem existência permanente, embora variável segundo as experiências vividas pelo espírito. Ela acompanha o desenvolvimento, é sua indicação, é sinal de dinamização, inevitável manifestação de crescimento.• Jesus, quando falava de dor, sede e fome, referia-se à dor-evolução, à dor insita no crescimento do Espírito impulsionado pela fome de aprender e pela sede de saber. (Curti, 1982, p. 39). 15/03/13 14
  15. 15. • CONCLUSÃO • "Saibamos sofrer e sofreremos menos". • Eis o dístico que devemos nos lembrar em todos os estados depressivos de nossa alma, a fim de nos fortalecermos para o futuro.15/03/13 15
  16. 16. • BIBLIOGRAFIA CONSULTADA • CURTI, R. Bem-Aventuranças e Parábolas. São Paulo, FEESP, 1982. • EQUIPE DA FEB. O Espiritismo de A a Z. Rio de Janeiro, FEB, 1995. • FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, s/d/p.• IDÍGORAS, J. L. Vocabulário Teológico para a América Latina. São Paulo, Edições Paulinas, 1983.• KARDEC, A. O Evangelho Segundo o Espiritismo. 39. ed., São Paulo, IDE, 1984. • XAVIER, F. C. Ação e Reação, pelo Espírito André Luiz. 5. ed., Rio de Janeiro, FEB, 1976. • Artigo do Autor - Sérgio Biagi Gregório - BEM-AVENTURADOS OS AFLITOS15/03/13 16

×