Diretrizes para Urbanização no Percurso da Orla - Ianna Rolim TCC

471 visualizações

Publicada em

Trabalho Final do Curso de Arquitetura e Urbanismo.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
471
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
125
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diretrizes para Urbanização no Percurso da Orla - Ianna Rolim TCC

  1. 1. Graduanda: Ianna Rolim Rodrigues. Orientador: Rogerio Braga.
  2. 2. O que é: Conjunto de estratégias e indicações que pretendem auxiliar na transformação urbana da orla das cidades, são um incentivo ao uso mais racional dos recursos ambientais e a reorganização espacial. As diretrizes são semelhantes as de um Plano Diretor Estratégico, porém não são mandatórias e sim recomendações. Buscam definir estratégias condizentes ao crescimento urbano local que auxiliem na utilização do potencial desta região. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Embasamento: Surgiu do reconhecimento da necessidade de planejamento urbano através do entendimento das ocupações e funcionalidades de um lugar.
  3. 3. Onde? Envolvem orla das cidades de Mucuri e Nova Viçosa no Extremo Sul da Bahia. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Por que? As cidades possuem forte crescimento urbano desordenado em áreas adjacentes a orla, invadindo o limite natural.
  4. 4. Para que? Auxiliar na definição de objetivos que devem ser seguidos pelo gestor antes de se efetivar uma legislação. Neste caso as Diretrizes para Urbanização no Percurso da Orla funcionarão como método de incentivo a participação popular e como "teste" para as definições. É um modo de prever o que conseguirá ser implantado em um local que se encontra em processo de consolidação urbana. Orla vista pelo rio Peruípe. Nova Viçosa – Bahia. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  5. 5. Histórico de Ocupação: Os municípios são vizinhos, fazem parte das primeiras terras brasileiras exploradas. Essa região teve sua ocupação bastante conturbada. Inicialmente ocupada por tribos indígenas por Portugueses. As primeiras ocupações e instalações foram próximas a costa, e devem-se a facilidade de orientação, instalações e a busca por ouro e pedras preciosas. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  6. 6. Histórico de Ocupação: • Em guerras com os indígenas e sem sucesso na busca por ouro, as primeiras ocupações falharam. • 1880: Inicio da exploração da madeira e as primeiras instalações de infraestrutura local com a estrada de ferro Bahia a Minas. • Incentivo a imigração para cultivo e exploração da terra. • Década de 1970: implantação da rodovia BR-101, transformações socioeconômicas perceptíveis. • Expansão da cultura do eucalipto e a introdução de empresas de papel e celulose como a Veracel, o grupo Bahia Sul e a Aracruz. • Com este histórico de ocupação nota-se a miscigenação de raças na população local e uma mistura de culturas. • O traçado dos municípios ainda remete às heranças deixadas por suas ocupações iniciais. • A faixa de terra mais urbanizada é justamente a que compreendeu as primeiras ocupações. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  7. 7. Ocupação Atual: Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  8. 8. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Ocupação Atual:
  9. 9. Apontamentos: • Grande ocupação no trecho de acordo com as necessidades da urbanização. • Reconhecimento unidades residenciais e comerciais bem próximas a linha da costa. Construções destinadas à hospedagem e hotéis neste mesmo perímetro. Apropriações ligadas diretamente ao uso funcional e econômico aos recursos hídricos. • Formada mediante o desdobramento de um padrão urbano desigual. Surgiu com a implantação da BR-101. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Construções próximas a orla em Mucuri – Bahia.
  10. 10. Contexto Atual: • Essa urbanização contribuiu para o aceleramento da degradação da fauna e flora regional. • Bairros expandindo para áreas de proteção ambiental. • Potencial turístico em épocas sazonais (como carnaval, réveillon). Além de potencial para ecoturismo e paisagens alheias a todo o processo de urbanização. Praia “Costa Dourada” Mucuri – Bahia. Parque Marinho de Abrolhos, arquipélago pertence a cidade de Nova Viçosa – Bahia. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  11. 11. Diagnóstico: • Falta de infraestrutura básica. Abastecimento de agua é feito pela EMBASA, porém atende apenas uma parte da população. • Não há local apropriado para destino final dos resíduos sólidos. • Não há tratamento de esgoto em nenhum dos municípios. • As formas de ocupação observadas desenvolvem mecanismos próprios para lidar com problemas ligados a infraestrutura. Um processo de ocupação desordenada, como o que vem ocorrendo, poderá provocar danos irreversíveis dos recursos naturais da região. O atrativo e base da economia local está ligado ao turismo, sendo que este está ligado diretamente a praia. Se o ambiente construído próximo ao ambiente natural vem a provocar efeito repulsivo o local deixa de atrair turistas alterando a economia local. Essa relação de uso insustentável dos recursos naturais e do ambiente da faixa compreendida como zona costeira , alerta-nos para a necessidade de um plano de gestão do território que a costa representa. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  12. 12. DUPO: Incentivo ao uso mais racional dos recursos ambientais, a reorganização espacial, à melhoria da qualidade de vida e à participação da comunidade nas decisões e na reorganização local. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO
  13. 13. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Processo Participativo:
  14. 14. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Processo Participativo: Auxilio para gestores no entendimento e conhecimento das demandas sociais, dos problemas e das potencialidades de ações que se pretenda implantar. Além de ser um auxilio para a população do entendimento do meio ao qual está inserido e da sua importância para que as políticas públicas sejam validadas. • Acontecerá por meio de reuniões; • Serão agrupados depoimentos e dados > Diagramas > Disponibilização do conteúdo publicamente. A disponibilização dos resultados de modo público auxiliará na dinâmica. De modo que se evite a rediscussão sobre um assunto já determinado.
  15. 15. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Processo Participativo – Até Aqui: • No período de Dezembro a Fevereiro foram feitas algumas reuniões, porém com uma pequena parcela da população. Foram entrevistas que auxiliaram no entendimento e da importância dos detalhes que seriam levantados; • Na fase em que se encontram as DUPO a participação tem ocorrido por meio de questionários que auxiliam nas estratégias já tomadas; • Uma das grandes descobertas é que o maior publico local são pessoas de 25 a 30 anos, que buscam maneiras mais fáceis de acesso a informação; • Porém, para validação destas diretrizes exige-se um processo participativo maior, mais significativo e completamente documentado;
  16. 16. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Processo Participativo - Futuro: • O processo participativo final para a implantação das diretrizes deverá ser anunciado por meio de rádio e carros de som a fim de que a informação sobre as reuniões cheguem a todos; • Considerando então a informação obtida sobre a faixa etária, deverá também ser criado um site, onde todos possam contribuir; • o site é uma maneira democrática em que qualquer pessoa em qualquer lugar possa participar.
  17. 17. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Processo Participativo - Futuro:
  18. 18. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões: Etapa 1 - Estudo Preliminar: Diagnóstico local, sua população e da interação entre o espaço e as pessoas. (TCC1 e Produto I). Etapa 2 - Análise e Prognóstico: Análise de dados. (TCC1 e Produto I). Etapa 3 - Formulação das Diretrizes: Formulação da Diretrizes Para Urbanização no Percurso da Orla. (TCC2 e Produto III) Etapa 4 - Montagem das Diretrizes: Estratégias de comunicação diretas e indiretas. (TCC2 e Produto III) INTRODUÇÃO. PRODUTO I – Análise Local. PRODUTO II – Plano de Trabalho. PRODUTO III – Diretrizes Para Urbanização no Percurso da Orla. CAPÍTULO I - Abrangência e Objetivos. CAPÍTULO II - Estruturação e Ordenamento Territorial. CAPÍTULO III – Reestruturação Local.
  19. 19. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões:
  20. 20. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões:
  21. 21. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões:
  22. 22. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões:
  23. 23. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Etapas de Trabalho e Divisões:
  24. 24. Para auxiliar em onde cada estratégia está aplicada foi definido um zoneamento. Cada zona tem suas diretrizes. Um pouco das Diretrizes Para Urbanização no Percurso da Orla:
  25. 25. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Estruturação e Ordenamento Territorial: Seção I - Orla Não Urbanizada. Subseção I - Orla Não Urbanizada. Implantação de infraestrutura que atenda turistas. Subseção II - Área de Preservação Ambiental e de Ecossistemas Naturais. Incentivo a atividades ligadas ao ecoturismo e de educação ambiental. Seção II - Orla em Princípio de Urbanização. Seção III - Orla com Urbanização em Processo de Expansão e Consolidação . Subseção I - Recuperação Ambiental. Contenção do Processo Erosivo. Subseção II - Reestruturação Local. Compreende porções do território destinadas ao desenvolvimento urbano local, mediante diretrizes para edificações, métodos de contenção, áreas verdes, e equipamentos urbanos.
  26. 26. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Estruturação e Ordenamento Territorial: Subseção I - Recuperação Ambiental: Como estratégia de contenção da erosão local deverá ser usado o método do quebra-mar ou espigão que consiste na criação de uma "passarela" de faixa de terra em meio ao mar. São estruturas com a finalidade de direcionar o fluxo da corrente.
  27. 27. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO DUPO: Vias: Caracterização das Vias de acordo com seus usos. Via de acesso local, via de acesso principal, via de acesso secundário, via litorânea, via de pedestres. O acesso dos pedestres à praia deverá ser livre e o fluxo direcionado a pontos de passagem específicos pré-determinados (trilhas ou os acessos), a fim de mitigar o pisoteio da vegetação litorânea possibilitando a manutenção de características naturais.
  28. 28. Introdução | Ocupação Local | Análises | Prognóstico | DUPO Futuro: • Após a finalização das diretrizes, o material deverá ser entregue as empresas da região a busca por apoio e patrocínio para a confecção do material; • Deverão ser considerados a produção de 1.500 exemplares do Produto I, 1.500 exemplares do Produto III e o Produto II apenas distribuídos a técnicos. • Os Produtos I e III são materiais didáticos, podendo ser usados de diversas formas. Aconselha-se que o Produto I seja distribuídos em escolas e bibliotecas por conter um rico conteúdo sobre a formação dos Municípios e sua ocupação territorial e cultura.

×