Obesidade é uma doença crónica multifactorial, na qual a
reserva natural de gordura aumenta até ao ponto em que
passa a es...
Estilo de vida
Pesquisadores já concluíram que o aumento da incidência
de obesidade em sociedades ocidentais nos últimos 2...
Doenças
Determinadas doenças físicas e mentais e algumas
substâncias farmacêuticas podem predispor a obesidade.
Além da cu...
Tratamento
O principal tratamento para a obesidade é a redução da
gordura corporal por meio de adequação da dieta e
aument...
Obesidade é uma doença crónica multifactoriaL
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Obesidade é uma doença crónica multifactoriaL

284 visualizações

Publicada em

Publicada em: Imóveis
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
284
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obesidade é uma doença crónica multifactoriaL

  1. 1. Obesidade é uma doença crónica multifactorial, na qual a reserva natural de gordura aumenta até ao ponto em que passa a estar associada a certos problemas de saúde ou o aumento da taxa de mortalidade. É o resultado do balanço energético positivo, ou seja, a ingestão alimentar é superior ao gasto energético. Apesar de se tratar de uma condição clínica individual, é vista cada vez mais, como um sério e crescente problema de saúde pública: o excesso de peso predispõe o organismo a uma séria de doenças, em particular doença cardiovascular, diabetes melitos tipo 2, apneia de sono e osteoartrite. Segundo o IBGE, em pesquisa feita em 2008 e 2009, no Brasil a obesidade atinge 12,4% dos homens 16,9% das mulheres com mais de 20 anos, 4,0% dos homens e 5,9 das mulheres entre 10 e 19 anos e 16,6 dos meninos e 11,8 das meninas entre 5 e 9 anos. A obesidade aumentou entre 1989 e 1997 de 11% para 15% e se manteve razoavelmente estável desde então sendo maior sudeste do país e menor no nordeste.
  2. 2. Estilo de vida Pesquisadores já concluíram que o aumento da incidência de obesidade em sociedades ocidentais nos últimos 25 anos do século XX teve como principais causas o consumo excessivo de nutrientes combinado com crescente sedentarismo. Embora informações sobre o conteúdo nutricional dos alimentos esteja bastante disponível nas embalagens dos alimentos, na internet, em consultórios médicos em escolas, é evidente que o consumo excessivo de alimentos continua sendo um problema. Devido a diversos factores sociológicos, o consumo médio de calorias quase quadruplicou entre 1977 e 1995. Porém, a dieta, por si só, não explica o significativo aumento nas taxas de obesidade em boa parte do mundo industrializado nos anos recente. Um estilo de vida cada vez mais sedentário teve um papel importante. Outros factores que podem contribuído para esse aumento.
  3. 3. Doenças Determinadas doenças físicas e mentais e algumas substâncias farmacêuticas podem predispor a obesidade. Além da cura dessas situações poder diminuir a obesidade, a presença de sobrepeso pode agravar a gestão de outras.
  4. 4. Tratamento O principal tratamento para a obesidade é a redução da gordura corporal por meio de adequação da dieta e aumento do exercício físico. Programas de dieta e exercício produzem perda média de aproximadamente 8% da massa total (excluindo os que não concluem os programas). Nem todos ficam satisfeitos com esses resultados, mas até a perda de 5% da massa pode contribuir significativamente para a saúde. Mais difícil do que perder peso, é manter o peso reduzido. Entre 85% e 95% daqueles que perdem 10% ou mais de sua massa corporal, recuperam todo o peso perdido em dois a cinco anos. O corpo tem sistemas que mantêm sua homeostase em certos pontos fixos, incluindo peso. Existem 5 recomendações para o tratamento clínico da obesidade.

×