Saúde Digital Inovação na gestão da saúde, através dos meios eletrônicos interativos 21 de Maio de 2010 Inovaday- Ciclo de...
Visão de Futuro <ul><li>Bits & Átomos </li></ul><ul><li>Chamam-se de  Novas Tecnologias de Informação e Comunicação  (NTIC...
Visão de Futuro 13.75 mm 80  Núcleos <ul><li>Mais integrados </li></ul><ul><li>1 Teraflop por chip </li></ul><ul><ul><li>(...
Visão de Futuro Evolução dos Processos de Microeletrônica nas três décadas (fonte: Intel) Miniaturização do Transistor MOS...
<ul><ul><li>Tecnologia da Informação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Computação / Telecomunicação </li></ul></ul></ul><ul><...
Motivação <ul><li>Envelhecimento da População (características de países desenvolvidos) </li></ul><ul><li>Tendência de Mai...
Pirâmida de Gastos na Atenção à Saúde (Primária, Secundária e Terciária) Atenção Terciária  (Alta Complexidade) Atenção Se...
Saúde Digital <ul><li>Principais Tecnologias Envolvidas </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento  Projeto de Software em Saúd...
<ul><li>Aumentar a oferta e a qualidade dos serviços de saúde </li></ul><ul><li>Homogeneizar os serviços de saúde e promov...
<ul><li>Assistência Clínica </li></ul><ul><ul><li>Prontuário Eletrônico </li></ul></ul><ul><ul><li>Laudos Eletrônicos </li...
Principais  Projetos de Saúde Digital
<ul><li>Motivação </li></ul><ul><li>O câncer é a 2ª causa mais comum de morte por doença no Brasil </li></ul><ul><li>Carên...
Prontuário Eletrônico de Pacientes Protocolos de Tratamento Informatizados Registros Hospitalares de Câncer Videoconferênc...
Câncer em países em desenvolvimento <ul><li>Câncer é a segunda causa de mortalidade em muitos países do mundo </li></ul><u...
Estimativa de Novos Casos de Câncer no Brasil 2006 Fonte: INCA/ Ministério da Saúde - 2005 Região População Total Estimado...
Hospitais <ul><li>Carência, principalmente em regiões remotas, comprometendo os serviços de saúde </li></ul><ul><li>Superl...
Pioneirismo em Telemedicina Primeiro  p rojeto nacional de  t elemedicina na  r egi ão amazônica  (1999-2002) Segunda Opin...
Distância Relativa Porto Velho  a  São Paulo = Edimburgo  a  Roma
Objetivo: <ul><li>Criar um novo modelo de telessaúde baseado em tecnologias livres </li></ul><ul><li>“ O Registro do Cânce...
Rede de Telessaúde em Oncologia POPs  em 2007 HospitalBase de  (Porto Velho-RO) Hospital  NS Glória  (Vitória-ES) LSI- USP...
Câncer Infantil : Portal Oncopediatria <ul><li>Lançado em  Agosto de  2002 </li></ul><ul><li>Informações em Câncer Infanti...
Câncer Infantil : Portal Oncopediatria <ul><li>Informações sobre câncer infantil </li></ul><ul><ul><li>Médicos, pacientes ...
Registro de Câncer Infantil
Protocolos de Tratamento de Tumores metodologia de modelagem e  descrição formal PAPEL on-line via Internet
Eventos e Agenda do Protocolo
Aplicação Estatística :  Distribuição por Local Primário LNH 77 7 36 33 1 1 1 156 0 20 40 60 80 100 120 140 160 Número de ...
Aplicação Estatística :  Curvas de sobrevida baseadas no estimador Kaplan-Meier <ul><li>Kaplan-Meier is widely used as the...
Registro Latinoamericano
Registro Hospitalar do Câncer <ul><ul><li>Disponibilizar em ambiente Web a consolidação, estatística e gerenciamento de re...
Sistema de Anatomia Patológica <ul><li>Disponibilizar em ambiente Web o gerenciamento dos diagnósticos de tumores  </li></...
Sistema de Imagens
Simulador de Treinamento de Procedimentos Cirúrgicos para Biópsia de Pescoço: REALIDADE VIRTUAL
Colaboração e Segunda Opinião Médica <ul><li>Vídeoconferência </li></ul><ul><li>Imagem Médica (segunda opinião para diagnó...
ONCONET – Inovação Tecnológica <ul><li>Arquiteturas de sistemas distribuídos </li></ul><ul><li>Infra-estrutura computacion...
Resultados do Portal Oncopediatria Visitantes  mensais pela internet 3.300 Serviços de saúde ,  em 15 diferentes Estados b...
ONCONET : Resultados e Impactos: Adulto  Pacientes registrados  em 2008 500 mil instituições conectados , em banda larga e...
Recursos Necessários <ul><li>Conexão com a internet </li></ul><ul><li>Um computador  </li></ul><ul><ul><li>Laptop óu deskt...
Registro Brasileiro de Pacientes de  Fibrose Cística <ul><li>Alta Mortalidade de FC (óbito < 18 anos) </li></ul><ul><li>Es...
<ul><li>Chip  mixed mode, low voltage & low power </li></ul><ul><li>Tecnologia:  CMOS 0.35um </li></ul>Monitoramento Cardí...
<ul><li>Redes de sensores baseados em tecnologia UWB.  </li></ul>Aplicações orientadas à medicina no grupo PAD (Sistema Pe...
<ul><li>Configuráveis e flexíveis </li></ul><ul><li>Permitem geração de estatísticas </li></ul><ul><li>Sempre com código d...
 
Resultados FOSP <ul><li>1100 exames diários  de pacientes de hospitais públicos  </li></ul><ul><li>850.000 pacientes no Ba...
Sistema de Identificação de Pacientes e Eliminação de Registros Duplicados do Cartão SUS Parceria do  LSI  com a  Secretar...
<ul><li>Software livre, futura disseminação para outros estados do País  (~120 milhões de pacientes pelo Brasil ); </li></...
Saúde Digital - Conclusão <ul><li>A pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Suporte a serviços de atenção a saúde através de meios ...
<ul><li>MARCELO KNÖRICH ZUFFO </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>11-3091-9738 </li></ul><ul><li>Adilson Y...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Saúde Digital - Inovação na gestão da saúde, através dos meios eletrônicos interativos

3.833 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Saúde Digital - Inovação na gestão da saúde, através dos meios eletrônicos interativos

  1. 1. Saúde Digital Inovação na gestão da saúde, através dos meios eletrônicos interativos 21 de Maio de 2010 Inovaday- Ciclo de Palestras- Gestão do Conhecimento
  2. 2. Visão de Futuro <ul><li>Bits & Átomos </li></ul><ul><li>Chamam-se de Novas Tecnologias de Informação e Comunicação (NTICs) as tecnologias e métodos para comunicar surgidas no contexto da Revolução Informacional , &quot;Revolução Telemática&quot; ou Terceira Revolução Industrial , desenvolvidas gradativamente desde a segunda metade da década de 1970 e, principalmente, nos anos 1990. A imensa maioria delas se caracteriza por agilizar e tornar menos palpável (fisicamente manipulável) o conteúdo da comunicação, por meio da digitalização e da comunicação em redes (mediada ou não por computadores ) para a captação, transmissão e distribuição das informações ( texto , imagem estática, vídeo e som ). Considera-se que o advento destas novas tecnologias (e a forma como foram utilizadas por governos, empresas, indivíduos e setores sociais) possibilitou o surgimento da &quot; sociedade da informação &quot;. </li></ul>
  3. 3. Visão de Futuro 13.75 mm 80 Núcleos <ul><li>Mais integrados </li></ul><ul><li>1 Teraflop por chip </li></ul><ul><ul><li>(10 12 operações de ponto flutuante /s) </li></ul></ul><ul><li>2 o semestre de 2006 </li></ul>Lâmina de 30 cm processo 65 nm 22 mm
  4. 4. Visão de Futuro Evolução dos Processos de Microeletrônica nas três décadas (fonte: Intel) Miniaturização do Transistor MOS 2001-2011 (fonte: Intel)
  5. 5. <ul><ul><li>Tecnologia da Informação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Computação / Telecomunicação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prontuários Eletrônicos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Viabilização das Redes </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Disponibilidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Banda-Larga </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Versatilidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Telemedicina / Telessaúde </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Internet </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Redes para compartilhamento de informação </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Processamento de Alto Desempenho </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cluster e GRID Computing </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Bionformática </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de Arquiteturas de Sistemas Distribuídas </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>XML, WEB Services, SOA </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Padrões de Conteúdo e Interoperabilidade em Informação em Saúde </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>HL7, DICOM </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Integração de Sistemas de Informação em Saúde </li></ul></ul></ul>Após anos 90 <ul><li>Era Pré-eletrônica </li></ul><ul><ul><li>Prontuário em Papel </li></ul></ul><ul><ul><li>Serviço postal para envio de informações médicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Início da Monitoração de Sinais Vitais </li></ul></ul><ul><li>Era Eletrônica </li></ul><ul><ul><li>Telegrafia (apoio a cirurgias) </li></ul></ul><ul><ul><li>Telefonia (voz, fax) </li></ul></ul><ul><ul><li>Rádio (terra-mar, terra-ar) </li></ul></ul><ul><ul><li>Televisão (circuitos-fechados) </li></ul></ul><ul><ul><li>Satélite </li></ul></ul><ul><ul><li>Primeiras Monitorações Eletrônica de Sinais Vitais </li></ul></ul>Saúde Digital – Histórico e Evolução Antes
  6. 6. Motivação <ul><li>Envelhecimento da População (características de países desenvolvidos) </li></ul><ul><li>Tendência de Maiores Gastos de Saúde devidos aos idosos e pacientes crônicos </li></ul><ul><li>Necessidade de Sistema da área de saúde ser mais eficiente </li></ul><ul><li>Gasto público no Brasil na saúde per capta é de 459 reais/ano (IBGE, 2008) – Gastos de Saúde per capta nos EUA e Europa são em média de 1770 doláres / ano </li></ul><ul><li>Desperdício e baixa eficiência </li></ul>
  7. 7. Pirâmida de Gastos na Atenção à Saúde (Primária, Secundária e Terciária) Atenção Terciária (Alta Complexidade) Atenção Secundária (Especialidades) Atenção Primária (Saúde Básica e Prevenção) Necessidade de Inverter a Pirâmide de Gastos, priorizando a atenção primária! Mas como? A Saúde Digital se apresenta como uma solução tecnológica!
  8. 8. Saúde Digital <ul><li>Principais Tecnologias Envolvidas </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento Projeto de Software em Saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Sistemas de Informação em Saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Computação Paralela e Sistemas de Alto Desempenho em Saúde (Clusters, GRID Computing, Cloud Computing - NUVEM) </li></ul></ul><ul><ul><li>Aplicações Avançadas para Serviços Médicos </li></ul></ul><ul><ul><li>Telemedicina e Telessaúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Bioinformática </li></ul></ul><ul><ul><li>Segurança e Certificação Digital em Saúde </li></ul></ul><ul><ul><li>Visualização e Processamento de Imagens Médicas </li></ul></ul><ul><ul><li>Realidade Virtual em Medicina </li></ul></ul><ul><ul><li>Sensores para Monitoramento e Sistemas Pervasivos </li></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>Aumentar a oferta e a qualidade dos serviços de saúde </li></ul><ul><li>Homogeneizar os serviços de saúde e promover a globalização na assistência em saúde oferecido a população </li></ul><ul><li>Racionalização de investimentos e melhor gestão dos recursos. </li></ul><ul><li>Atendimento de Áreas Remotas ou Isoladas (zonas rurais ou de difícil acesso). </li></ul><ul><ul><li>Ambientes Militares. </li></ul></ul><ul><ul><li>Regiões Periféricas das Cidades </li></ul></ul><ul><ul><li>Interior do Estados </li></ul></ul><ul><ul><li>Estabelecimentos Prisionais. </li></ul></ul><ul><li>Baixar o alto custo para translados de Médicos e Pacientes </li></ul><ul><li>Habilitar mais pacientes receberem tratamentos apropriados a partir de suas próprias comunidades </li></ul><ul><li>Ampliar as condições para educação em saúde continuada </li></ul>Saúde Digital – Vantagens
  10. 10. <ul><li>Assistência Clínica </li></ul><ul><ul><li>Prontuário Eletrônico </li></ul></ul><ul><ul><li>Laudos Eletrônicos </li></ul></ul><ul><li>TeleConsulta </li></ul><ul><ul><li>Serviços consultivos </li></ul></ul><ul><ul><li>Segunda opinião </li></ul></ul><ul><li>TeleMonitorização </li></ul><ul><ul><li>Sensores </li></ul></ul><ul><li>Bioinformática </li></ul><ul><ul><li>Tratamentos através da Genética </li></ul></ul><ul><ul><li>Banco de Tumores </li></ul></ul>Aplicações da Saúde Digital <ul><li>Pesquisa Clínica </li></ul><ul><ul><li>Protocolos de Tratamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Investigação multicêntrica </li></ul></ul><ul><li>Educação de Pacientes </li></ul><ul><ul><li>Instruções e educação para melhoria da qualidade de vida </li></ul></ul><ul><ul><li>Pacientes crônicos ou de idosos </li></ul></ul><ul><li>Educação à Distância Médica </li></ul><ul><ul><li>Revalidação da Especialidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Profissionalização </li></ul></ul><ul><li>Saúde Pública </li></ul><ul><ul><li>Sistemas de Gestão de Informação em Saúde </li></ul></ul>
  11. 11. Principais Projetos de Saúde Digital
  12. 12. <ul><li>Motivação </li></ul><ul><li>O câncer é a 2ª causa mais comum de morte por doença no Brasil </li></ul><ul><li>Carência no atendimento em regiões remotas </li></ul><ul><li>Superlotação nos grandes centros urbanos </li></ul><ul><li>Migração intensa de pacientes </li></ul><ul><li>Falta de dados confiáveis sobre o real impacto da doença </li></ul><ul><li>Objetivos </li></ul><ul><li>Articular uma forte rede de pesquisa nacional focada na telemedicina e telessaúde (universidades, institutos de pesquisa, sociedades médicas e hospitais) </li></ul><ul><li>Suporte para prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer dentro de ações integradas no controle e gestão </li></ul><ul><li>Pesquisar e desenvolver um modelo de telemedicina adequado à realidade brasileira </li></ul><ul><li>Oferecer serviços avançados no auxílio a prática médica </li></ul><ul><li>Homogeneizar o tratamento de pacientes de câncer, através de protocolos avançados com melhores índices de cura </li></ul>Projeto ONCONET Rede Nacional de Telessaúde em Oncologia
  13. 13. Prontuário Eletrônico de Pacientes Protocolos de Tratamento Informatizados Registros Hospitalares de Câncer Videoconferência Médica Educação à Distância Ambiente Colaborativo em Medicina Diagnósticos por Imagens Médicas em 3D Processameto de Imagens Médicas Treinamento Médico por Realidade Virtual Anatomia Patológica <ul><li>Metodologia </li></ul><ul><li>Uso de software livre e padrões abertos </li></ul><ul><li>Sistema de alto desempenho em clusters e grade </li></ul><ul><li>Telessaúde baseada em aplicações WEB </li></ul><ul><li>Resultados </li></ul><ul><li>Câncer Adulto </li></ul><ul><li>2 milhões de pacientes </li></ul><ul><li>250 hospitais CACON </li></ul><ul><li>Câncer Infantil </li></ul><ul><li>5.000 crianças e adolescentes atendidos </li></ul><ul><li>49 hospitais em 15 Estados </li></ul><ul><li>Ampliação do projeto para Registro Latino-Americano </li></ul><ul><li>Rede Nacional de Telessaúde em Oncologia </li></ul><ul><li>19 instituições conectadas em banda larga em 12 Estados do Brasil através da RNP2 </li></ul><ul><li>Prêmios Recebidos </li></ul><ul><li>CONIP 2007 - “Excelência na Melhoria e Modernização de Serviços Públicos” </li></ul>Aplicações e sistemas desenvolvidos para o projeto: Projeto ONCONET Rede Nacional de Telessaúde em Oncologia
  14. 14. Câncer em países em desenvolvimento <ul><li>Câncer é a segunda causa de mortalidade em muitos países do mundo </li></ul><ul><li>Câncer é normalmente observado como uma doença do mundo desenvolvido, mas com o melhoramento dos padrões de vida e aumento da espectativa de vida, a incidência em países de baixa e média renda está crescendo de forma intensiva </li></ul><ul><li>Em 2030, sete em novo dez casos ocorrerão em países em desenvolvimento 1 </li></ul>
  15. 15. Estimativa de Novos Casos de Câncer no Brasil 2006 Fonte: INCA/ Ministério da Saúde - 2005 Região População Total Estimado de Casos de Câncer Câncer Infantil Baixo (1%) Câncer Infantil Alto (4%) Norte 15,020,974 17,270 173 691 Nordeste 51,615,745 74,770 748 2,991 Centro - Oeste 13,268,680 28,150 282 1,126 Sudeste 27,307,735 102,110 1,021 4,084 Sul 79,557,428 245,750 2,458 9,830 BRASIL 186,770,562 472,050 4,682 18,722
  16. 16. Hospitais <ul><li>Carência, principalmente em regiões remotas, comprometendo os serviços de saúde </li></ul><ul><li>Superlotação nos grandes centros urbanos com intensa migração de populações de pacientes </li></ul>
  17. 17. Pioneirismo em Telemedicina Primeiro p rojeto nacional de t elemedicina na r egi ão amazônica (1999-2002) Segunda Opini ã o M é dica para Diagnóstico e Prescrição Médica, de médicos do Instituto da Criança do HC-FMUSP para para pacientes de Câncer infantil o Hospital Ary Pinheiro de Porto Velho, através de v ideoconferência através do uso de linha dedicada ISDN Esta iniciativa mostrou a necessidade de desenvolver um modelo de Telemedicina adequado à realidade brasileira
  18. 18. Distância Relativa Porto Velho a São Paulo = Edimburgo a Roma
  19. 19. Objetivo: <ul><li>Criar um novo modelo de telessaúde baseado em tecnologias livres </li></ul><ul><li>“ O Registro do Câncer é a Fundação onde repousa a cura do câncer” </li></ul><ul><li>Organização Mundial da Saúde </li></ul>
  20. 20. Rede de Telessaúde em Oncologia POPs em 2007 HospitalBase de (Porto Velho-RO) Hospital NS Glória (Vitória-ES) LSI- USP (SP) UNIFESP (SP) Hospital São Marcos (Teresina-PI) Joana Gusmão CACON-II (Florianopolis-SC) EDUMED (Campinas-SP) Fund Centro Controle Oncologia (Manaus-AM) Hosp de Apoio CACON-I (Brasília -DF) SOBOPE (SP) UFPE / NUTES INCA-HC1 (RJ) Offir Loyola Hosp. Cancer-Recife ICC-Fortaleza Santa Casa - CE INCA-HC2 (RJ) INCA-HC3 (RJ)
  21. 21. Câncer Infantil : Portal Oncopediatria <ul><li>Lançado em Agosto de 2002 </li></ul><ul><li>Informações em Câncer Infantil </li></ul><ul><li>Médicos, Pacientes e Familiares </li></ul><ul><li>Drogas, Prevenção e Tratamentos </li></ul><ul><li>Arcabouço de Integração das Tecnologias/Serviços </li></ul><ul><li>Pioneiros na implementação do IARC III ( International Agency of Research on Cancer ) </li></ul>Matéria do Portal Oncopediatria na Imprensa Oficial do Estado em Set/2009
  22. 22. Câncer Infantil : Portal Oncopediatria <ul><li>Informações sobre câncer infantil </li></ul><ul><ul><li>Médicos, pacientes e familiares </li></ul></ul><ul><ul><li>Drogas, prevenção, tratamento </li></ul></ul><ul><li>Arcabouço para integração de componentes de software em serviços de saúde </li></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento baseado em componentes de software </li></ul></ul><ul><ul><li>Arquitetura de N camadas para a WEB </li></ul></ul>
  23. 23. Registro de Câncer Infantil
  24. 24. Protocolos de Tratamento de Tumores metodologia de modelagem e descrição formal PAPEL on-line via Internet
  25. 25. Eventos e Agenda do Protocolo
  26. 26. Aplicação Estatística : Distribuição por Local Primário LNH 77 7 36 33 1 1 1 156 0 20 40 60 80 100 120 140 160 Número de Pacientes Local Primário Abdome e Pelve Cabeça / Pescoço Linfonodos Mediastino Medula Óssea Sistema Nervoso Central Tórax Total OBS: 27 pacientes sem local primário especificado
  27. 27. Aplicação Estatística : Curvas de sobrevida baseadas no estimador Kaplan-Meier <ul><li>Kaplan-Meier is widely used as the method for plotting survival curves and estimating the survival rate for any given treatment. </li></ul><ul><li>On the website, the Kaplan-Meier utility allows the creation of multiple curves on one or more graphs based on any of the parameters of the electronic medical record. </li></ul><ul><li>Data-mining tools are also available to sort the patients according to a given parameter. Additional tools are planed for future releases. </li></ul>
  28. 28. Registro Latinoamericano
  29. 29. Registro Hospitalar do Câncer <ul><ul><li>Disponibilizar em ambiente Web a consolidação, estatística e gerenciamento de registros e unidades hospitalares (> 250 centros de tratamento de câncer) </li></ul></ul>
  30. 30. Sistema de Anatomia Patológica <ul><li>Disponibilizar em ambiente Web o gerenciamento dos diagnósticos de tumores </li></ul><ul><ul><li>exames e laudos de câncer em Histopatológicos e Citopatológicos, possibilitado a implantação nos CACONs </li></ul></ul><ul><ul><li>Integração com dados do RHC </li></ul></ul>
  31. 31. Sistema de Imagens
  32. 32. Simulador de Treinamento de Procedimentos Cirúrgicos para Biópsia de Pescoço: REALIDADE VIRTUAL
  33. 33. Colaboração e Segunda Opinião Médica <ul><li>Vídeoconferência </li></ul><ul><li>Imagem Médica (segunda opinião para diagnóstico) </li></ul><ul><li>Diagnóstico com Imagens em 3D </li></ul><ul><li>Interface de c olaboraçã o </li></ul>
  34. 34. ONCONET – Inovação Tecnológica <ul><li>Arquiteturas de sistemas distribuídos </li></ul><ul><li>Infra-estrutura computacional de alto desempenho baseado em “clusters” e “grids” </li></ul><ul><li>Domínio local das aplicações </li></ul><ul><li>Aplicação disponível em qualquer lugar, a qualquer momento </li></ul><ul><li>Novo modelo de Telessaúde de baixo custo e alto valor tecnológico agregado: </li></ul><ul><ul><li>Abordagem em novas tendências tecnológicas no estado-da-arte </li></ul></ul><ul><ul><li>Uso de padrão aberto </li></ul></ul><ul><ul><li>Software livre </li></ul></ul><ul><ul><li>Metodologia orientada a Serviços </li></ul></ul>
  35. 35. Resultados do Portal Oncopediatria Visitantes mensais pela internet 3.300 Serviços de saúde , em 15 diferentes Estados brasileiros 53 Médicos cadastrados 7.000 Visitantes mensais pela internet 3.300 Serviços de saúde , em 15 diferentes Estados brasileiros Médicos cadastrados 320 Crianças e adolescentes com câncer atendidos (potencial de atingir as 20 mil crianças em câncer pediátrico na América Latina) 7.000
  36. 36. ONCONET : Resultados e Impactos: Adulto Pacientes registrados em 2008 500 mil instituições conectados , em banda larga em diferentes Estados via RNP 2 14 CACON’s em 2006 7 Pacientes previstos até 2011 (com potencial de atingir 15 millhões) 3 milhões CACON’s previstos até 2011 250
  37. 37. Recursos Necessários <ul><li>Conexão com a internet </li></ul><ul><li>Um computador </li></ul><ul><ul><li>Laptop óu desktop </li></ul></ul>
  38. 38. Registro Brasileiro de Pacientes de Fibrose Cística <ul><li>Alta Mortalidade de FC (óbito < 18 anos) </li></ul><ul><li>Estudo Multicentrico Brasileiro de Pacientes de FC </li></ul><ul><li>Medir, pesquisar e comparar aspectos de novas estratégias terapêuticas para aumento expectativa de vida </li></ul><ul><li>Pesquisa epidemiológica e de novos protocolos de tratamento </li></ul><ul><li>Planejamento de ações assistenciais. </li></ul>
  39. 39. <ul><li>Chip mixed mode, low voltage & low power </li></ul><ul><li>Tecnologia: CMOS 0.35um </li></ul>Monitoramento Cardíaco de Pacientes à Distância <ul><ul><li>Pacientes com monitores portáteis de ECG de até 12 canais a um baixo custo </li></ul></ul><ul><ul><li>Diagnóstico remoto à distância de pacientes </li></ul></ul><ul><ul><li>Redução de custo para saúde pública. </li></ul></ul>
  40. 40. <ul><li>Redes de sensores baseados em tecnologia UWB. </li></ul>Aplicações orientadas à medicina no grupo PAD (Sistema Pervasivos e Alto desempenho) Figura: Relação de UWB com outras tecnologias. Figura: Monitoramento usando Radar UWB [Tor Sverre, 2007]. <ul><li>Pulsos eletromagnéticos curtos que se espalham pelo corpo. </li></ul><ul><li>Os pulsos refletidos com longitude de onda proporcional à pele, camada de gordura, músculo, etc. </li></ul><ul><li>Aplicação: Detecção de sinais vitais (respiração, batimento cardíaco, etc) </li></ul><ul><li>Melhor sensitividade de localização e rastreamento de sensores e atuadores dentro e fora do corpo humano. </li></ul>
  41. 41. <ul><li>Configuráveis e flexíveis </li></ul><ul><li>Permitem geração de estatísticas </li></ul><ul><li>Sempre com código de barras </li></ul><ul><li>Validação do laudo antes da impressao </li></ul><ul><li>Exames de Anatomia Patológica / Diag. Câncer de Pacientes do SUS de SP </li></ul><ul><ul><li>Histopatologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Citopatologia </li></ul></ul><ul><ul><li>Imunohistoquimica </li></ul></ul><ul><li>Controle de qualidade dos laudos </li></ul><ul><li>Automatização de todo processo (Recebimento, Macroscopia, Microscopia, Laudo/Citologia/Patologia, Expedição e Faturamento) </li></ul>
  42. 43. Resultados FOSP <ul><li>1100 exames diários de pacientes de hospitais públicos </li></ul><ul><li>850.000 pacientes no Banco de Dados </li></ul><ul><ul><li>Sistema operacional desde janeiro de 2008) </li></ul></ul><ul><li>Redução do Tempo de Emissão de Laudo de 25 para 12 dias </li></ul><ul><li>Aumento de faturamento </li></ul><ul><ul><li>100 % dos laudos da FOSP faturados com DATASUS/MS </li></ul></ul><ul><li>Laudos de Melhor Qualidade </li></ul><ul><li>Relatórios Gerenciais e Epidemiológicos </li></ul><ul><li>SW Livre (sem custo de licenças) </li></ul>
  43. 44. Sistema de Identificação de Pacientes e Eliminação de Registros Duplicados do Cartão SUS Parceria do LSI com a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo (SES-SP) , e OPAS / OMS (Organização Pan-Americana de Saúde / Organização Mundial de Saúde). <ul><li>SES-SP possui um banco de dados de aproximadamente 40 milhões de pacientes do Sistema Único de Saúde / Cartão SUS, de Instituições de Saúde Públicos de São Paulo. </li></ul><ul><li>Este banco de dados do Cartão SUS não possui um mecanismo de identificação de integridade, permitindo assim casos duplicados de pacientes. </li></ul><ul><li>A localização de duplicidade de registros não é sempre trivial e exata, pois em vários casos há divergência nas informações destes registros . </li></ul>
  44. 45. <ul><li>Software livre, futura disseminação para outros estados do País (~120 milhões de pacientes pelo Brasil ); </li></ul><ul><li>Uma base de dados consistente permite que gestores da saúde pública tenham uma abordagem mais apurada da realidade, através de relatórios gerenciais, consultas e análise sobre a base de dados do Cartão SUS. </li></ul><ul><li>Tornar possível uma melhor planejamento e distribuição de recursos para a saúde pública. </li></ul><ul><li>Gestão e regulação da área de saúde. </li></ul>
  45. 46. Saúde Digital - Conclusão <ul><li>A pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Suporte a serviços de atenção a saúde através de meios eletrônicos (uso intensivo e pervasivo de tecnologias de informação e comunicação) </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prevenção, Diagnóstico, Tratamento e Gestão da Saúde </li></ul></ul></ul><ul><li>O desenvolvimento </li></ul><ul><ul><li>Um sistema de informação aberto voltado para ao serviços de atenção a saúde </li></ul></ul><ul><li>A transferência </li></ul><ul><ul><li>Setor público e setor privado </li></ul></ul><ul><li>A transformação </li></ul><ul><ul><li>Incrementar a cura ou a efetividade da saúde (minização da mortalidade, aumento de sobrevida, qualidade de vida dos pacientes) em países emergentes </li></ul></ul>
  46. 47. <ul><li>MARCELO KNÖRICH ZUFFO </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>11-3091-9738 </li></ul><ul><li>Adilson Yuuji Hira </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>Obrigado !

×