Fascia

23.167 visualizações

Publicada em

Fascia

  1. 1. Fáscia “Não existe nada como uma dor corporal difusa, que se estende e irradia para outras regiões, a qual, no entanto, cede para desaparecer completamente, se o terapeuta aplicar os seus dedos no ponto preciso de onde ela emana. E ainda assim, a sua distribuição faz com que parecesse tão vaga e sinistra que, impotentes para explicá-la e até mesmo localizá-la, nós imaginávamos que não houvesse possibilidades de cura.” Marcel Proust Hugo Pedrosa / 2009
  2. 2. Fáscia • Termo Latim – “faixa” ou “banda” • É a infra-estrutura do corpo • Não só proporciona um “formato” interno e externo ao corpo, mas também é uma armação de outros sistemas (circulatório, nervoso, etc.) • Pode ser considerada um “ESQUELETOquot; de tecido mole Hugo Pedrosa / 2009
  3. 3. Fáscia Funções 1. Forma e suporta ...ela dá a forma ao corpo e às partes que o constituem além de as manter no seu lugar. 2. Limita ...ao proporcionar limites firmes, ela aumenta a força muscular. O músculo cuja fáscia fosse removida seria significativamente mais fraco. Hugo Pedrosa / 2009
  4. 4. Fáscia 3. Orienta e molda ...o osso danificado e desprovido de periósteo não se consolida dentro de seus limites adequados. 4. Contém e dispersa ...a fáscia contém e canaliza os liquidos corporais, ajudando a impedir a disseminação de infecções. 5. Fornece a estrutura dos sistemas ramificados ...ela suporta os capilares e vasos dos sistemas circulatório e linfático, assim como os omnipresentes ramos do sistema nervoso. Hugo Pedrosa / 2009
  5. 5. Fáscia 6. Forma o novo tecido conjuntivo ...a fáscia contém células de tecido conjuntivo (fibroblastos) que se podem especializar, de acordo com as necessidades, para espessar o tecido conjuntivo, ajudar a reparar os tendões e ligamentos e formar tecido de cicatrização. Hugo Pedrosa / 2009
  6. 6. Fáscia Possui funções: 1 - Cicatrizantes … funções que se podem tornar prejudiciais 2 - Restauradoras Tal como uma aranha que envolve a sua presa, a fáscia pode formar aderências entre estruturas que deveriam ser livres. Alteração da estrutura interna dos músculos Depósitos de fibrose Dor Limitação da ADM Hugo Pedrosa / 2009
  7. 7. Fáscia Conceito chave para os terapeutas: CONTINUIDADE Uma vez que a fáscia é contínua, o terapeuta pode ajustar o quot;collant corporalquot; do cliente mediante técnicas específicas. Objectivo do trabalho fascial: 1 - Libertar as restrições fasciais. 2 - Libertar as aderências entre as camadas fasciais que restringem o movimento livre dos tecidos. 3 - Aproveitando o natural desalinhamento fascial, devido a posições diárias incorrectas, libertar, alongar e realinhar a fáscia superficial por meio de técnicas específicas. Hugo Pedrosa / 2009
  8. 8. Fáscia … duas camadas Fáscia superficial ... também denominada hipoderme... ... contém tecido conjuntivo, vasos sanguíneos, nervos cutâneos e quase metade da gordura do corpo… Fáscia profunda ... a fáscia profunda localiza-se sob a superficial, à qual é contínua. A fáscia profunda inclui a que cobre um grupo de músculos (fáscia de revestimento), a que envolve os músculos (epimísio), os fascículos dentro do músculo (perímísio) e as fibras musculares individuais (endomísio) Hugo Pedrosa / 2009
  9. 9. Fáscia ... pioneira no trabalho miofascial... Ida Rolf (Rolfing) ...observou que a fáscia é composta por fibras de colagénio numa substância fundamental colóide (gel), cuja consistência pode variar mediante trabalho mecânico exercido. Rolf propôs a teoria de que a energização manual da fáscia pode transformar a substância fundamental (diminuindo a sua rigidez) e é capaz de melhorar o direccionamento, a distribuição e a elasticidade das fibras de colagénio. Hugo Pedrosa / 2009
  10. 10. Fáscia É importante conhecermos a relação íntima entre: Fáscia Músculo Tentar trabalhar estas duas estruturas separadamente é como tentar separar uma bolha do ar que a preenche. Tirar o tecido conjuntivo de cena era transformar o músculo numa estrutura gelatinosa, sem forma ou capacidade funcional. Hugo Pedrosa / 2009
  11. 11. Fáscia Técnicas específicas de trabalho miofascial: (Objectivo – encontrar procedimentos que trabalhem a fáscia com intensidades, profundidades e ângulos diferenciados) 1. Rolamento da pele Palavras chave: Elevação do tecido Utilização dos polegares, pontas dos dedos e das duas mãos em conjunto Objectivos: aumentar a flexibilidade da fáscia superficial Hugo Pedrosa / 2009
  12. 12. Fáscia Técnicas específicas de trabalho miofascial: (Objectivo – encontrar procedimentos que trabalhem a fáscia com intensidades, profundidades e ângulos diferenciados) 2 – Libertação miofascial Palavras chave: Alongamento suave Utilização das duas mãos Objectivo: envolvimento e alongamento de acordo com o técnico vai sentindo Hugo Pedrosa / 2009
  13. 13. Notas finais: O trabalho fascial é frequentemente um percursor muito proveitoso do tratamento de músculos específicos, já que ele aqueceme estimula o tecido, dando ao músculo mais liberdade para se expandir dentro da sua bainha própria. Hugo Pedrosa / 2009
  14. 14. Livro de referência: Trilhos anatómicos Thomas W. Myers Manole Hugo Pedrosa / 2009

×