O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Financiamento Público a Inovação - Aula FGV

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio

Confira estes a seguir

1 de 28 Anúncio

Financiamento Público a Inovação - Aula FGV

Baixar para ler offline

Aula na FGV-EAESP sobre financiamento público a inovação. História, tendências e dicas para empreendedores.

Aula na FGV-EAESP sobre financiamento público a inovação. História, tendências e dicas para empreendedores.

Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Semelhante a Financiamento Público a Inovação - Aula FGV (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Financiamento Público a Inovação - Aula FGV

  1. 1. Aula: Financiamento Público à Inovação Hudson L. Mendonça 7 de abril de 2016
  2. 2. Quem eu sou…  Funcionário de carreira da Finep  Ex-Gerente do Departamento de Energia e Tecnologias Limpas da Finep  Ex-Superitendente Regional de São Paulo da Finep - Fármacos e Defesa  Ex-Secretário Executivo Adjunto do MCTI  Economista pelo IE/UFRJ  Mestrado em Engenharia de Produção pela COPPE/UFRJ  Pesquisador full-time (Doutorado) pelo IAG/PUC-Rio  Avaliador de Prêmio Finep de Inovação  Avaliador/Mentor do Programa Inovativa Brasil  Avaliador/Especialista do Movimento 100 Open Startups  Avaliador/Especialista da Iniciativa ICV - GVces
  3. 3. Afinal… O que é inovação? Manual de OSLO: (3ᵃ edição) Uma inovação é a implementação de um produto (bem ou serviço) novo ou significativamente melhorado, ou um processo, ou um novo método de marketing, ou um novo método organizacional nas práticas de negócios, na organização do local de trabalho ou nas relações externas. Lei da Inovação: (Lei`10.973/04) Introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo e social que resulte em novos produtos, serviços ou processos ou que compreenda a agregação de novas funcionalidades ou características a produto, serviço ou processo já existente que possa resultar em melhorias e em efetivo ganho de qualidade ou desempenho;
  4. 4. Por que é tão importante definir? Políticas públicas precisam ser baseadas em conceitos sólidos pois só são efetivas com ampla difusão! Exemplo: Planta Industrial Pioneira (2011)
  5. 5. Mas “por que” o financiamento público é importante? Mas “por que” o financiamento público é importante?
  6. 6. A expedição de Cabral Mas quem investiria com tamanho risco? • Expansão territorial do império • Difusão do cristianismo católico aos pagãos Chegada: 21 de julho de 1501 5 navios carregados 2 navios vazios ~500 homens Partida: 9 de março de 1500 13 navios 1.500 homens Foco: Comércio de especiarias e escravos Retorno sobre Capital Investido: 800%! Espínola (2001); Boxer (2002) O Estado Português (Externalidades)
  7. 7. Ser melhor é relativo… Os países também competem entre si! Transporte Variedade de alimentos Expectativa de vida Saúde e saneamento Acesso a conhecimentos e comunicações
  8. 8. Patentes e Rankings de Inovação The Bloomberg Innovation Index 2015 60° 29° 81° 48° 70° 43° 37° 41° 37° 50° 0 20 40 60 África do Sul China India Russia Brasil 2008 2015 Global Innovation Index* *Insead/CII (2010 e 2016)
  9. 9. DomíniosTecnológicos Áreas Científicas Avançados Intermediários Atrasados Conexões estabelecidas. Principal determinante do crescimento é a capacitação científica e tecnológica, suporte permanente para inovação Ciência pode determinar parcela da produção tecnológica, mas não ao ponto de viabilizar efeito retroalimentador sobre a produção científica Infraestrutura científica pequena e incapaz de alimentar a produção de tecnologia IPEA/Cedeplar (2013)No meio do caminho… Brasil no Mundo: Onde estamos?
  10. 10. Trajetória dos países (1974-2012) IPEA/Cedeplar (2013) Área Científica Domíniostecnológicos -3 -2 -1 0 1 2 3 4 0 0,5 1 1,5 2 2,5 3 3,5 … E ainda perdendo o jogo!
  11. 11. Mas de quanto estamos falando? Investimento em P&D: $39,3 bilhões $551,7 bilhões 14x
  12. 12. “O que” o Estado deve financiar? “O que” o Estado deve financiar? Em alguns casos aqui também…
  13. 13. …Que funcionavam melhor em um mundo “bem comportado”! Pesquisa Básica Pesquisa Aplicada Comercialização Pioneira Difusão Saturação Nemet (2009) No início, 2 tipos de políticas… Inovação Technology Push Demand Pull
  14. 14. … A tendência são as políticas Orientada a MissõesChesbrough (2003) No Atual Paradigma… Inovações Abertas
  15. 15. Ações do Governo Investimentos em Participações Compras Governamentais Isenções Fiscais Financiamentos e Garantias Ações Não- Financeiras “Grants” (Subvenções e Cooperativos) Dividindo os riscos com o setor privado! Como o Governo Atua? Exemplos de Sucesso
  16. 16. Compras governamentais de circuitos integrados (% do total nos EUA) Compras Governamentais Lamoreaux & Sokoloff (2007)
  17. 17. O que faz um iPhone ser tão “Smart”? O que faz um iPhone ser tão “Smart”? Mazzucato (2013) “Grants”
  18. 18. Investimentos em Participações Criado em 1958…  Já aportou US$ 72 bilhões desde a origem;  Investiu em mais de 166.000 empresas;  Apoiou mais de 2.100 fundos;  Aporte 2:1, hoje financiado por debêntures. SBIC Program
  19. 19. E o ?
  20. 20. Números Selecionados
  21. 21.  12 Ministérios  5 Agências Federais  25 FAPs Estaduais  71 Incubadoras e Parques Tecnológicos  142 Institutos de Pesquisa  49.950 Empresas Inovadoras (PINTEC) O Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação Conjunto de instituições nos setores público e privado cujas atividades e interações iniciam, importam, modificam e difundem novas tecnologias (Freeman, 1987) CGEE (2010), ENCTI (2016) Governança Complexa
  22. 22. Ensaiando uma política integrada… Empresas Outras ICTs Recursos /Apoio Objetos do Apoio Fontes de Recursos Atividades de P & D Inovação & Comercialização Pioneira Formação de Parcerias Estratégicas Objetivos Universidades Subvenção, Crédito e Equity FUNTEC, Crédito e Equity
  23. 23. 168 114 834 0 168 2115 0 500 1000 1500 2000 2500 Brasil União Européia EUA Brasil União Européia EUA Pós-PAISSPré-PAISS Expectativa de Produção de Etanol 2G em 2015 (em milhões de litros) Cenário Pré-PAISS (2010) Cenário Pós-PAISS (2014) Fontes: F.O. Licht’s (2013), Nyko et al. (2010) e mapeamento das iniciativas no Brasil. Resultados  Reposicionamento brasileiro no segmento mundial de biocombustíveis 2G  Novas oportunidades de processamento da biomassa  Adicionalidade de valor na cadeia  Diagnóstico de necessidades na parte agrícola – resultando no PAISS II Etanol 2G Gaseificação Bioquímicos da Cana Com alguns resultados em curso…
  24. 24. O Mindset do Setor Público  Externalidades • Geração de empregos, domínios tecnológicos, etc  Isonomia • Todos são iguais perante a regra… Mesmo os diferentes! • Racional importante: Anti-fraude  Escala • Necessidade de alto impacto sócio-econômico  Foco de atuação específico • O dilema do cobertor curto GOV
  25. 25. 5 Dicas para o Empreendedor  O imperativo do Edital: Leia e releia TODO o edital! Esta é a implacável lógica do direito público.  Até passar! Tenha a conhecida resiliência do empreendedor de sucesso também aqui.  Alavanque seu negócios: Mas não dependa exclusivamente de recursos públicos para viabilizá-los.  Consulte o SAC: Essa é uma função pública primordial. Todo programa tem um SAC para tirar qualquer dúvida.  Referências externas: Prêmios, recomendações cartas de interesse de potenciais clientes ajudam os avaliadores.
  26. 26. Acompanhe: Os Financiadores FINEP – Inovação e Pesquisa/Agência Brasileira de Inovação http://www.finep.gov.br/ CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico http://www.cnpq.br/ SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa http://www.sebrae.com.br/ BNDES – Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social http://www.bndes.gov.br/ Embrapii – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial http://www.embrapii.org.br/ Desenvolve SP – Banco de Desenvolvimento do Estado de SP http://www.desenvolvesp.com.br/ FAPESP – Fundação de Amparo a Pesquisa de SP http://www.finep.gov.br/ ANEEL – Agência Reguladora do Setor Elétrico http://www.finep.gov.br/ Regionais Setoriais
  27. 27. Acompanhe: As Associações e Afins ANPEI – Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras http://www.anpei.org.br/ Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI http://www.portaldaindustria.com.br/cni/canal/mobilizacao-empresarial-inovacao-home/ Portal da Inovação http://www.portalinovacao.mct.gov.br/pi/#/pi ANPROTEC – Associação Nacional Promotora de Empreendimentos Inovadores http://anprotec.org.br/site/ Endeavor https://endeavor.org.br/ Portal do Empreendedor http://www.portaldoempreendedor.gov.br/ Wenovate – Open Innovation Weelk http://wenovate.com.br/ ENCTI 2016-2019 (Minuta para Discussão) http://www.mcti.gov.br/documents/10179/35540/Estrat%C3%A9gia+Nacional+de+Ci%C3%AAncia,%20Tecn ologia+e+Inova%C3%A7%C3%A3o+(Encti)%202016-2019+- +documento+para+discuss%C3%A3o/5a4fe994-955e-4658-a53c-bc598af09f7e
  28. 28. Acompanhe: Os Programas Inovar Semente, Prêmio Finep de Inovação, Inovacred, Tecnova, PNI Bolsas RHAE, Programa ALI Funtec, Criatec, MPE Inovadora, Cartão BNDES MCTI Startup Brasil MDIC Inovativa Brasil Sebraetec, Fampe Edital Senai de Inovação PIPE, PAPPE P&D Estratégico, P&D ANEEL (pelas empresas)

×