9 Maneiras de Falhar com KPIs

472 visualizações

Publicada em

Organizações usam, frequentemente, Indicadores-chave de Desempenho (ou KPIs) e métricas de forma disfuncional, o que resulta na manipulação das medições, redução do desempenho, comportamentos indesejáveis ​​e foco em coisas sem importância. Apresentamos 9 armadilhas comuns que nós vemos organizações e gerentes caírem e 9 formas de evitá-las.

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
472
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
178
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

9 Maneiras de Falhar com KPIs

  1. 1. 1 9 MANEIRAS DE FALHAR COM KPIs (E COMO EVITÁ-LAS) BJARTE BOGSNES ESTHER DERBYCLAUDIA MELO KATI VILKKI MICHAEL SAHOTA
  2. 2. 2 #FALHA: PERDER DE VISTA O PROPÓSITO 1 O propósito real do KPI é esquecido. Melhorar o KPI torna-se o objetivo e a perspectiva fica, excessivamente, mecânica e estreita.
  3. 3. 3 #SOLUÇÃO: COMUNIQUE O PROPÓSITO 1 Finalidade: sempre conecte e comunique o propósito com o KPI, pois incentiva as pessoas não somente à compreensão, mas também ao questionamento dos objetivos por trás do KPI. 
 Ações: identifique que ações estão sendo tomadas para alcançar a meta/atendimento do propósito.
  4. 4. 4 #FALHA: KPI TORNA-SE ALVO 2 KPI e métricas são vistos como a única coisa importante.
  5. 5. 5 Desafie sistematicamente a medição do KPI e seu valor. Se o KPI está associado à metas, quanto mais absolutas as metas são, mais você precisa questionar a medição. Pergunte: Que métrica não está melhorando? Este KPI realmente está nos levando em direção ao objetivo/propósito? #SOLUÇÃO: QUESTIONE O KPI E O VALOR 2
  6. 6. 6 3 Organizações medem apenas o que é fácil de se medir. Se algo não pode ser medido (ex.: a produtividade no desenvolvimento de software), outras métricas são usadas em substituição (ex.: linhas de código). #FALHA: MEDIR A COISA ERRADA
  7. 7. 7 3 Medir a coisa errada pode ser mais prejudicial do que não medir nada, especialmente se houver uma meta para o KPI. Se você não puder medir o que você realmente quer, corte o KPI. #SOLUÇÃO: NÃO MEDIR O QUE NÃO IMPORTA Concentre-se no propósito, ações e observações: Como é que o sucesso se parece? Como vamos saber se fomos bem- sucedidos?
  8. 8. 8 4 Organizações utilizam KPIs de resultado massivamente; esse tipo de KPI medem apenas o passado, não o presente, e não podemos corrigir o curso com base nele. #FALHA: USO EXCESSIVO DE INDICADORES DE RESULTADO
  9. 9. 9 4 Use indicadores indutores: eles antecipam o que nos moverá em direção à meta (ex.: medir o comprimento da fila, se tiver a meta de reduzir o tempo de ciclo).      Pergunte: Que ações podemos tomar com base nessa KPI? Quem irá agir? #SOLUÇÃO: INDICADORES INDUTORES
  10. 10. 10 5 Quando há sempre uma meta ligada ao KPI, é provável que tenhamos voltado à gestão por números, permitindo que KPIs nos desviem dos objetivos reais. #FALHA: METAS PARA TODOS OS KPIs
  11. 11. 11 5 Use KPIs como dado para melhorar o sistema e observe as tendências, em vez de fixar-se em apenas um ponto ou um número absoluto. #SOLUÇÃO: ACOMPANHE TENDÊNCIAS
  12. 12. 12 6 Usar os mesmos KPIs para todos os times e estruturas organizacionais. #FALHA: MESMO KPI PARA TODOS OS NÍVEIS
  13. 13. 13 6 Assim, as pessoas podem entendê- las e definir suas próprias KPIs relacionadas, ao longo da organização. Pergunte: Em que precisamos focar para contribuir para o objetivo maior da organização? Como saber se fomos bem-sucedidos? #SOLUÇÃO: TRADUZA O KPI E A META
  14. 14. 14 7 Por exemplo, mesmos KPIs para entender o produto no desenvolvimento do mercado inicial e principal. #FALHA: MESMOS KPIs PARA TODO O CICLO DE VIDA DO PRODUTO
  15. 15. 15 7 Entenda quais KPIs são mais relevantes para cada fase do ciclo de vida do seu produto. #SOLUÇÃO: KPI SENSÍVEL AO CICLO DE VIDA
  16. 16. 16 8 Agregação de métricas para medir uma unidade organizacional maior. Exemplo: mensurar vários times da mesma unidade organizacional através de médias. #FALHA: AGREGAR MÉTRICAS PARA CIMA
  17. 17. 17 8 Pergunte "quem precisa tomar uma atitude para corrigir isso?” e meça naquele nível; não agregue esses dados "para cima". Use KPIs como indicadores, VÁ E VEJA VOCÊ MESMO para olhar em profundidade. #SOLUÇÃO: VEJA OS DETALHES
  18. 18. 18 9 Exemplo: estabelecer KPI com metas agressivas, na esperança de criar desafio para as pessoas. #FALHA: ACREDITAR QUE KPIs MOTIVAM PESSOAS
  19. 19. 19 9 Pessoas engajadas são movidas por motivação intrínseca: fazer algo com propósito, autonomia e esforçar-se para dominar certa área. #SOLUÇÃO: USE KPIs PARA APOIAR MOTIVAÇÃO INTRÍNSECA KPIs podem fornecer orientação e feedback, mas não motivação. Permita que as pessoas definam seus próprios critérios de sucesso
  20. 20. 20 Mais informações Supporting Agile Adoption Initiative: It’s about change: https://www.agilealliance.org/ resources/initiatives/supporting-agile-adoption-its-about-change/ Acesse o artigo completo (PT | EN) em: http://www.claudiamelo.org/articles Leitura adicional: • Daniel H. Pink (2009). Drive: The Surprising Truth About What Motivates Us. Riverhead Hardcover. • Pat Kua (2013): An Appropriate Use of Metrics. • Robert D. Austin (1996). Measuring and Managing Performance in Organizations. Dorset House Publishing. /claudiamelo /claudiameloblog @claudia_melo http://claudiamelo.org 13 Ave. Ballarta Barcelona, Spain EUROPE OFFICE 45 Calle Norte Argentina SOUTH AMERICA OFFICE

×