SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Administração
De Empresa
Aula 10:
c) O pessoal de linha pode desenvolver sentimentos de que os
assessores pretendem roubar-lhes parcelas cada vez maiores
de
autoridade, a fim de aumentarem seu prestígio e posição. d) Ao
sugerir e recomendar, o assessor não assume responsabilidade
pelos resultados dos planos que apresenta. A situação é propícia
ao conflito, porque a qualquer dificuldade o assessor pode
garantir que o seu plano falhou por ineficiência do pessoal de
linha na sua execução, enquanto o pessoal de linha pode
argumentar que o plano era só teórico e inexeqüível.
Supervisão
SUPERVISÃO
CONCEITO
=> Representa a função de direção exercida no nível
operacional da empresa.
=> É também chamada de supervisão de primeiro nível, por se
tratar do escalão administrativo mais baixo e elementar dentro da
hierarquia da empresa. São aqueles diretamente
responsáveis pelas operações diárias da empresa. Os
supervisores não dirigem as atividades de outros
administradores, mas de executores.
=> Características Básicas da Supervisão de Primeiro Nível ou de
Primeira Linha:
=> Representa a Administração Frente ao Pessoal Operacional:
Os Supervisores representam a própria empresa perante o
pessoal de execução e operação, pois são eles que aplicam
as regras, os regulamentos, procedimentos, políticas e
diretrizes vindas de cima para baixo.
=> Depende de Perícia Técnica: Enquanto os outros
administradores que estão nos níveis institucional e
intermediário se orientam mais para o planejamento, organização
e controle, os Supervisores precisam conhecer tecnicamente os
trabalhos que supervisionam. Precisam ser peritos e profundos
conhecedores
das tarefas especializadas desempenhadas pelos seus
subordinados, pois eles têm que enfrentar os problemas
cotidianos e imediatos da sua área.
=> Comunica em Duas Linguagens: Quando se comunica com
seus superiores (comunicação ascendente), devem falar a
linguagem dos administradores e quando se comunica com
seus subordinados (comunicação descendente), deve
falar a linguagem dos operacionais, para o pessoal de
execução e de operação.
=> Crise Pessoal de Identidade: Os Supervisores de Primeira
Linha apresentam uma enorme dificuldade quanto à sua
identidade e colocação dentro da hierarquia da empresa. Não
são executores (operários), mas não são facilmente aceitos
pelos administradores dos níveis mais elevados da empresa.
Muito embora um Supervisor seja um administrador colocado
no nível operacional, sua atividade, seu status e sua
especialização são bastante diferentes, porque ele dirige pessoal
operacional.
=> Autoridade Restrita: Em empresas pequenas, os Supervisores
podem chegar a ter autoridade completa sobre sua área de
atuação. Mas na maioria dos casos, os Supervisores precisam ter
um estilo mais democrático, devem adaptar-se às restrições e
exigências impostas pelas convenções sindicais, benefícios e
direitos adquiridos pelos funcionários etc.
É a função administrativa de direção no nível intermediário
da empresa.
=> No que se refere à direção, o nível intermediário é
responsável pela condução da atividade humana (motivação,
liderança e comunicação). Em outros termos, o nível
intermediário é responsável pelo gerenciamento da
atividade
humana da empresa. Nesse sentido, é
conhecimento da natureza humana, já que a empresa
imprescindível o
é
constituída de pessoas que ocupam cargos diferentes em níveis
diferentes e realizando tarefas diferentes.
=> E como as pessoas são diferentes entre si, com
conhecimentos e especializações diferentes, o papel de gerência
torna-se extremamente complexo. E como o gerente realiza os
objetivos do departamento por meio de pessoas, a eficiência e
eficácia com que consegue desenvolver as tarefas dependem
do conhecimento que tiver a respeito das pessoas.
=> A motivação, a liderança e a comunicação constituem os
principais meios de dirigir as pessoas dentro da empresa.
Motivação Humana
MOTIVAÇÃO HUMANA
=> As pessoas são completamente diferentes entre si no que
tange à motivação: as necessidades humanas que motivam o
comportamento humano variam de indivíduo para indivíduo. =>
Os valores pessoais são diferentes entre as pessoas, bem como
as capacidades pessoais para atingir os objetivos são diferentes.
=> Apesar dessas diferenças, o processo que dá início ou
dinamiza o comportamento humano é mais ou menos
semelhante para todas as pessoas.
=> Existem três suposições que explicam o comportamento
humano:
a)O comportamento humano é causado => Existe uma causa,
origem do comportamento. Tanto a hereditariedade como o meio
ambiente influem decisivamente sobre o comportamento das
pessoas. O comportamento é causado por estímulos internos ou
externos.
b)O comportamento humano é motivado => Há uma finalidade
em todo comportamento humano. O comportamento não é a
causa, nem aleatório, mas sempre orientado e dirigido para
algum objetivo. c) O comportamento humano é orientado para
objetivos pessoais => Sempre existe um impulso, um desejo,
uma necessidade de atingir objetivos pessoais no
comportamento das pessoas.
=> O comportamento humano pode ser explicado por meio de
um ciclo motivacional, isto é, as necessidades ou os motivos não
são estáticos; ao contrário, são forças dinâmicas e cíclicas.
=> Quando surge um estímulo ou uma necessidade, a pessoa sai
do estado de equilíbrio, causando um estado de tensão,
insatisfação, desconforto e desequilíbrio. Esse estado leva o
indivíduo a um comportamento, ou a uma ação, capaz de
descarregar a tensão ou de livrá-lo do desconforto e do
desequilíbrio. Se o comportamento for eficaz, o indivíduo vai
encontrar satisfação da necessidade e, portanto, a descarga da
tensão. Satisfeita a necessidade, o organismo volta ao estado de
equilíbrio anterior.
Etapas do Ciclo Motivacional
Um estímulo ou uma necessidade pode ser:
a) satisfeita;
b) frustrada; ou
c) compensada (transferida para outro objeto).
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES (Maslow)
=> A Teoria da Motivação foi desenvolvida por Abraham H.
Maslow, em seu livro “Motivação e Personalidade” (1954).
=> Essa Teoria da Motivação de Maslow afirma que as
necessidades humanas têm uma hierarquia de
necessidades, formando uma espécie de pirâmide.
HIERARQUIA DAS NECESSIDADES
NECESSIDADES
Fisiológicas
(sobrevivência)
ITENS
Alimentação, repouso, sexo,
moradia etc.
Segurança
(estabilidade)
Desemprego, roubo,
doença, incerteza etc.
Sociais (vida social)
Relacionamento, aceitação
no grupo, afeição, amizade,
compreensão, consideração
etc.
Estima (satisfação X
frustração)
Massagem do ego: orgulho,
auto-respeito,
autoconfiança, status,
admiração pelos outros etc.
Auto-realização
Realização profissional,
pessoal, auto-satisfação e
desenvolvimento.
E FATORES MOTIVACIONAISFATORES HIGIÊNICOS
(Herzberg)
Segundo Frederick Herzberg, no seu livro “Trabalho e Natureza
do Homem” (1966), existem dois fatores que explicam os
diferentes
· fatores
comportamentos
higiênicos
das pessoas no trabalho:
ou fatores extrínsecos;
· fatores motivacionais ou fatores intrínsecos.
Fatores Higiênicos ou Extrínsecos: São questões localizadas no
ambiente onde as pessoas trabalham. Portanto, não estão sob o
controle dos empregados ou dos indivíduos. Esses fatores
higiênicos são administrados pela empresa. Ex.: salários,
benefícios sociais, tipo de chefia ou supervisão, as condições
físicas de trabalho, as políticas da empresa, o clima de relações
entre a direção e o indivíduo, os regulamentos internos.
=> Os fatores higiênicos, mesmo satisfeitos, apenas evitam a
insatisfação momentânea dos empregados. Não se consegue
sustentar por muito tempo a satisfação, por isso são chamados
fatores higiênicos, pois apenas evitam a insatisfação, mas não
causam satisfação.
=> Os efeitos dos fatores higiênicos são como remédios: evitam a
infecção ou combatem a dor, mas não melhoram a saúde;
apenas efeitos paliativos.
Fatores Motivacionais ou Intrínsecos: Estão relacionados com o
conteúdo do cargo ou com a natureza das funções que a pessoa
exerce.
=> São fatores motivacionais: o trabalho em si, a
responsabilidade atribuída ao empregado, o tipo de função
que exerce, a sua realização pessoal, crescimento ou
progresso individual, o reconhecimento etc.
Liderança
LIDERANÇA
=> Liderança é a capacidade de um indivíduo exercer
influência sobre outras pessoas, através de um processo de
comunicação, visando atingir determinados objetivos específicos.
=> Essa influência pode ocorrer de diversas formas, desde o
uso de violência até formas suaves de convencimento.
TIPOS DE INFLUÊNCIA
=> O estilo de liderança de um chefe pode motivar ou
desmotivar um funcionário. Portanto, é preciso conhecer a
motivação humana e saber conduzir as pessoas, ou seja, liderar.
=> A liderança é necessária em todos os tipos de
organização humana, principalmente nas empresas e
em cada um de seus departamentos.
=> A liderança é essencial em todas as funções de
administração: planejamento, organização, direção e
controle. Porém, ela é mais relevante na função de direção,
aquela que toca mais perto as pessoas.
=> Os líderes devem estar não apenas no nível institucional,
mas em todos os níveis da empresa e nos grupos informais de
trabalho.
ESTILO DE LIDERANÇA
=> Pode-se caracterizar três estilos de liderança:
a) Estilo Autocrático;
b) Estilo Democrático; e
c) Estilo Liberal (laissez-faire).
ESTILOS DE LIDERANÇA
AUTOCRÁTICADEMOCRÁTICALIBERAL
As diretrizes são Há liberdade
O líder fixa as
diretrizes sem
qualquer
participação do
grupo.
debatidas e
decididas pelo
grupo,
estimulado e
assistido pelo
líder.
completa para
as decisões
grupais ou
individuais, com
participação
mínima do líder.
O líder
determina as
providências e
O grupo esboça
as providências
e as técnicas
para atingir o
alvo, solicitando
aconselha-
mento técnico
as técnicas para ao líder quando
a execução das necessário,
passando este a
sugerir
alternativas para
o grupo
escolher,
surgindo novas
perspectivas
A participação
do líder nos
debates e nas
decisões é
tarefas, cada
uma por vez, à
medida que se
tornam
necessárias e
de modo
imprevisível
para o grupo. com os debates. limitada.
O líder
determina a
A divisão das
tarefas fica a
tarefa que cada critério do
um deve próprio grupo e
Tanto a divisão
das tarefas
como a escolha
dos
executar e qual cada membro companheiros
o seu tem liberdade de fica totalmente
companheiro de escolher os a cargo do
=> Na vida prática, o líder utiliza os três estilos de liderança, de
acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser
executada.
=> O líder tanto manda cumprir ordens, como consulta os
subordinados antes de tomar uma decisão e sugere a
algum subordinado realizar determinadas tarefas.
=> O principal problema da liderança é saber quando,
com quem e em que circunstâncias usar um estilo ou
outro.
Existem outras formas de distinguir estilos de liderança:
a) Liderança com Ênfase na Produção;
b) Liderança com Ênfase nas Pessoas.
=> Ênfase na Produção: é a preocupação com a
produção, com os resultados da tarefa.
A tarefa é o mais importante. A liderança é autocrática.
trabalho. seus
companheiros
de trabalho.
grupo. Absoluta
falta de
participação do
líder.
O líder não
tenta avaliar ou
O líder procura regular o curso
ser um membro dos
O líder é
dominador e
normal do
grupo. O líder é
acontecimentos
.
O líder somente
“pessoal” nos “objetivo” e comenta sobre
elogios e nas limita-se aos as atividades
críticas ao
trabalho de
“fatos” em suas
críticas e
dos membros
quando
cada membro. elogios. perguntado.
=> Ênfase nas Pessoas: a preocupação é com as pessoas,
independentemente de ser subordinados, colegas ou chefes
com
quem trabalha. A liderança é democrática e a supervisão é
participativa. As pessoas são o mais importante.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 03 administração de empresas
Aula 03 administração de empresasAula 03 administração de empresas
Aula 03 administração de empresasHomero Alves de Lima
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaHomero Alves de Lima
 
ADM - O ambiente organizacional
ADM - O ambiente organizacionalADM - O ambiente organizacional
ADM - O ambiente organizacionalGabriel Faustino
 
Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...
 Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e... Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...
Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...A. Rui Teixeira Santos
 
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidade
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidadeGestão das organizações, natureza, âmbito e complexidade
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidadeLuis Borges Gouveia
 
Introdução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoIntrodução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoSérgio Oliveira
 
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura Organizacional
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura OrganizacionalAula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura Organizacional
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura OrganizacionalProf. Leonardo Rocha
 
Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Cariocabear
 
Estrutura organizacional cespe
Estrutura organizacional   cespeEstrutura organizacional   cespe
Estrutura organizacional cespehugomagal
 
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura Organizacional
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura OrganizacionalAula 3 - Dimensão 1 - Estrutura Organizacional
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura OrganizacionalProf. Leonardo Rocha
 
Especialização vertical e horizontal
Especialização vertical e horizontalEspecialização vertical e horizontal
Especialização vertical e horizontalAndrea Sousa
 
Tipos de organização
Tipos de organizaçãoTipos de organização
Tipos de organizaçãoRobson Costa
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacionalClaudio Parra
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisLuis Cunha
 
ADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionaisADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionaisGabriel Faustino
 

Mais procurados (20)

Aula 03 administração de empresas
Aula 03 administração de empresasAula 03 administração de empresas
Aula 03 administração de empresas
 
Livro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresaLivro completo de administração de empresa
Livro completo de administração de empresa
 
ADM - O ambiente organizacional
ADM - O ambiente organizacionalADM - O ambiente organizacional
ADM - O ambiente organizacional
 
Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...
 Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e... Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...
Comportamento humano nas Organizações: atitude comportamental, organização e...
 
Aula 1 organograma e departamentalizacao
Aula 1   organograma e departamentalizacaoAula 1   organograma e departamentalizacao
Aula 1 organograma e departamentalizacao
 
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidade
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidadeGestão das organizações, natureza, âmbito e complexidade
Gestão das organizações, natureza, âmbito e complexidade
 
Introdução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administraçãoIntrodução à tga organizações e o papel da administração
Introdução à tga organizações e o papel da administração
 
Nocoes de administracao
Nocoes de administracaoNocoes de administracao
Nocoes de administracao
 
Organização
OrganizaçãoOrganização
Organização
 
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura Organizacional
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura OrganizacionalAula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura Organizacional
Aula 4 - Dimensão 1 - Elementos da Estrutura Organizacional
 
Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1Introdução à adminstração revisão para av 1
Introdução à adminstração revisão para av 1
 
Estrutura organizacional cespe
Estrutura organizacional   cespeEstrutura organizacional   cespe
Estrutura organizacional cespe
 
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura Organizacional
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura OrganizacionalAula 3 - Dimensão 1 - Estrutura Organizacional
Aula 3 - Dimensão 1 - Estrutura Organizacional
 
Organização Empresarial
Organização EmpresarialOrganização Empresarial
Organização Empresarial
 
Especialização vertical e horizontal
Especialização vertical e horizontalEspecialização vertical e horizontal
Especialização vertical e horizontal
 
Tipos de organização
Tipos de organizaçãoTipos de organização
Tipos de organização
 
Estrutura organizacional
Estrutura organizacionalEstrutura organizacional
Estrutura organizacional
 
Fs006
Fs006Fs006
Fs006
 
Estruturas organizacionais
Estruturas organizacionaisEstruturas organizacionais
Estruturas organizacionais
 
ADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionaisADM - Modelos organizacionais
ADM - Modelos organizacionais
 

Semelhante a Administração de Empresa: Supervisão e Liderança

Liderança aula 7
Liderança   aula 7 Liderança   aula 7
Liderança aula 7 Sarah Bruck
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivaçãoRodneync
 
Liderança e desempenho
Liderança e desempenhoLiderança e desempenho
Liderança e desempenhoFlavio Farah
 
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoMotivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoDeomari Fragoso
 
Motivação Liderança Empreendedorismo
Motivação Liderança EmpreendedorismoMotivação Liderança Empreendedorismo
Motivação Liderança Empreendedorismorobsonnasc
 
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3Tania Montandon
 
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioAntonio Pinto Pereira
 
Lideranca 120402214620-phpapp01
Lideranca 120402214620-phpapp01Lideranca 120402214620-phpapp01
Lideranca 120402214620-phpapp01Universidade Unesa
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SintesePedro Luis Moraes
 
1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivaçãoVolas
 
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20   desenvolvendo a arte de administrarAula 20   desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrarLuiz Siles
 
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandes
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandesUc 8 reflexão_sílvia_fernandes
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandesSILVIA G. FERNANDES
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeadmcontabil
 
3a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
3a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-13a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
3a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1Ana Gabriela Ribeiro Dezan
 

Semelhante a Administração de Empresa: Supervisão e Liderança (20)

Liderança aula 7
Liderança   aula 7 Liderança   aula 7
Liderança aula 7
 
Liderança e motivação
Liderança e motivaçãoLiderança e motivação
Liderança e motivação
 
Liderança e desempenho
Liderança e desempenhoLiderança e desempenho
Liderança e desempenho
 
Trabalho de psicologia
Trabalho de psicologiaTrabalho de psicologia
Trabalho de psicologia
 
Personalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudesPersonalidade valores e atitudes
Personalidade valores e atitudes
 
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e EmpreendedorismoMotivação, Liderança e Empreendedorismo
Motivação, Liderança e Empreendedorismo
 
Motivação Liderança Empreendedorismo
Motivação Liderança EmpreendedorismoMotivação Liderança Empreendedorismo
Motivação Liderança Empreendedorismo
 
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3
Motivao Liderana Empreendedorismo 1202230573380806 3
 
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em ComércioComportamento Organizacional - Técnico em Comércio
Comportamento Organizacional - Técnico em Comércio
 
Lideranca 120402214620-phpapp01
Lideranca 120402214620-phpapp01Lideranca 120402214620-phpapp01
Lideranca 120402214620-phpapp01
 
Liderança 8
Liderança 8Liderança 8
Liderança 8
 
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma SinteseTGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
TGA - Aula de Teoria Comportamental uma Sintese
 
EXPRESS LIDER - LIDERANÇA
EXPRESS LIDER - LIDERANÇAEXPRESS LIDER - LIDERANÇA
EXPRESS LIDER - LIDERANÇA
 
1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação1302710679 liderança e_motivação
1302710679 liderança e_motivação
 
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20   desenvolvendo a arte de administrarAula 20   desenvolvendo a arte de administrar
Aula 20 desenvolvendo a arte de administrar
 
Lideranca
LiderancaLideranca
Lideranca
 
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandes
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandesUc 8 reflexão_sílvia_fernandes
Uc 8 reflexão_sílvia_fernandes
 
Conceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalhoConceito de satisfação no trabalho
Conceito de satisfação no trabalho
 
Rh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saudeRh nocoes de adm rh saude
Rh nocoes de adm rh saude
 
3a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
3a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-13a aula comportamento organizacional   mba rh 2014-1
3a aula comportamento organizacional mba rh 2014-1
 

Mais de Homero Alves de Lima

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelHomero Alves de Lima
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoHomero Alves de Lima
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasAula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasHomero Alves de Lima
 

Mais de Homero Alves de Lima (20)

Aula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotelAula 01 curso de administração de hotel
Aula 01 curso de administração de hotel
 
Sumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enemSumulando uma prova do enem
Sumulando uma prova do enem
 
Simulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologiasSimulado de matemática e suas tecnologias
Simulado de matemática e suas tecnologias
 
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologiasSimulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
Simulado de linguagens, códigos e suas tecnologias
 
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologiasSimulado de ciências humanas e suas tecnologias
Simulado de ciências humanas e suas tecnologias
 
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologiasSimulado de ciências da natureza e suas tecnologias
Simulado de ciências da natureza e suas tecnologias
 
Caderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redaçãoCaderno de ecercícios de redação
Caderno de ecercícios de redação
 
Aula 02 redação
Aula 02 redaçãoAula 02 redação
Aula 02 redação
 
Aula 01 redação
Aula 01 redaçãoAula 01 redação
Aula 01 redação
 
Conteúdo programático redação
Conteúdo programático redaçãoConteúdo programático redação
Conteúdo programático redação
 
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologiasCaderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
Caderno de exercícios de matemática e suas tecnologias
 
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologiasAula 09 de matemática e suas tecnologias
Aula 09 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologiasAula 08 de matemática e suas tecnologias
Aula 08 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologiasAula 07 de matemática e suas tecnologias
Aula 07 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologiasAula 06 de matemática e suas tecnologias
Aula 06 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologiasAula 05 de matemática e suas tecnologias
Aula 05 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologiasAula 04 de matemática e suas tecnologias
Aula 04 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologiasAula 03 de matemática e suas tecnologias
Aula 03 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologiasAula 02 de matemática e suas tecnologias
Aula 02 de matemática e suas tecnologias
 
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologiasAula 01 de matemática e suas tecnologias
Aula 01 de matemática e suas tecnologias
 

Último

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 

Último (20)

Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 

Administração de Empresa: Supervisão e Liderança

  • 2. c) O pessoal de linha pode desenvolver sentimentos de que os assessores pretendem roubar-lhes parcelas cada vez maiores de autoridade, a fim de aumentarem seu prestígio e posição. d) Ao sugerir e recomendar, o assessor não assume responsabilidade pelos resultados dos planos que apresenta. A situação é propícia ao conflito, porque a qualquer dificuldade o assessor pode garantir que o seu plano falhou por ineficiência do pessoal de linha na sua execução, enquanto o pessoal de linha pode argumentar que o plano era só teórico e inexeqüível. Supervisão SUPERVISÃO CONCEITO => Representa a função de direção exercida no nível operacional da empresa. => É também chamada de supervisão de primeiro nível, por se tratar do escalão administrativo mais baixo e elementar dentro da hierarquia da empresa. São aqueles diretamente responsáveis pelas operações diárias da empresa. Os supervisores não dirigem as atividades de outros administradores, mas de executores. => Características Básicas da Supervisão de Primeiro Nível ou de Primeira Linha: => Representa a Administração Frente ao Pessoal Operacional: Os Supervisores representam a própria empresa perante o pessoal de execução e operação, pois são eles que aplicam as regras, os regulamentos, procedimentos, políticas e diretrizes vindas de cima para baixo. => Depende de Perícia Técnica: Enquanto os outros administradores que estão nos níveis institucional e intermediário se orientam mais para o planejamento, organização e controle, os Supervisores precisam conhecer tecnicamente os trabalhos que supervisionam. Precisam ser peritos e profundos conhecedores das tarefas especializadas desempenhadas pelos seus subordinados, pois eles têm que enfrentar os problemas cotidianos e imediatos da sua área.
  • 3. => Comunica em Duas Linguagens: Quando se comunica com seus superiores (comunicação ascendente), devem falar a linguagem dos administradores e quando se comunica com seus subordinados (comunicação descendente), deve falar a linguagem dos operacionais, para o pessoal de execução e de operação. => Crise Pessoal de Identidade: Os Supervisores de Primeira Linha apresentam uma enorme dificuldade quanto à sua identidade e colocação dentro da hierarquia da empresa. Não são executores (operários), mas não são facilmente aceitos pelos administradores dos níveis mais elevados da empresa. Muito embora um Supervisor seja um administrador colocado no nível operacional, sua atividade, seu status e sua especialização são bastante diferentes, porque ele dirige pessoal operacional. => Autoridade Restrita: Em empresas pequenas, os Supervisores podem chegar a ter autoridade completa sobre sua área de atuação. Mas na maioria dos casos, os Supervisores precisam ter um estilo mais democrático, devem adaptar-se às restrições e exigências impostas pelas convenções sindicais, benefícios e direitos adquiridos pelos funcionários etc. É a função administrativa de direção no nível intermediário da empresa. => No que se refere à direção, o nível intermediário é responsável pela condução da atividade humana (motivação, liderança e comunicação). Em outros termos, o nível intermediário é responsável pelo gerenciamento da atividade humana da empresa. Nesse sentido, é conhecimento da natureza humana, já que a empresa imprescindível o é constituída de pessoas que ocupam cargos diferentes em níveis diferentes e realizando tarefas diferentes. => E como as pessoas são diferentes entre si, com conhecimentos e especializações diferentes, o papel de gerência torna-se extremamente complexo. E como o gerente realiza os objetivos do departamento por meio de pessoas, a eficiência e eficácia com que consegue desenvolver as tarefas dependem do conhecimento que tiver a respeito das pessoas. => A motivação, a liderança e a comunicação constituem os principais meios de dirigir as pessoas dentro da empresa.
  • 4. Motivação Humana MOTIVAÇÃO HUMANA => As pessoas são completamente diferentes entre si no que tange à motivação: as necessidades humanas que motivam o comportamento humano variam de indivíduo para indivíduo. => Os valores pessoais são diferentes entre as pessoas, bem como as capacidades pessoais para atingir os objetivos são diferentes. => Apesar dessas diferenças, o processo que dá início ou dinamiza o comportamento humano é mais ou menos semelhante para todas as pessoas. => Existem três suposições que explicam o comportamento humano: a)O comportamento humano é causado => Existe uma causa, origem do comportamento. Tanto a hereditariedade como o meio ambiente influem decisivamente sobre o comportamento das pessoas. O comportamento é causado por estímulos internos ou externos. b)O comportamento humano é motivado => Há uma finalidade em todo comportamento humano. O comportamento não é a causa, nem aleatório, mas sempre orientado e dirigido para algum objetivo. c) O comportamento humano é orientado para objetivos pessoais => Sempre existe um impulso, um desejo, uma necessidade de atingir objetivos pessoais no comportamento das pessoas. => O comportamento humano pode ser explicado por meio de um ciclo motivacional, isto é, as necessidades ou os motivos não são estáticos; ao contrário, são forças dinâmicas e cíclicas. => Quando surge um estímulo ou uma necessidade, a pessoa sai do estado de equilíbrio, causando um estado de tensão, insatisfação, desconforto e desequilíbrio. Esse estado leva o indivíduo a um comportamento, ou a uma ação, capaz de descarregar a tensão ou de livrá-lo do desconforto e do
  • 5. desequilíbrio. Se o comportamento for eficaz, o indivíduo vai encontrar satisfação da necessidade e, portanto, a descarga da tensão. Satisfeita a necessidade, o organismo volta ao estado de equilíbrio anterior. Etapas do Ciclo Motivacional Um estímulo ou uma necessidade pode ser: a) satisfeita; b) frustrada; ou c) compensada (transferida para outro objeto). HIERARQUIA DAS NECESSIDADES (Maslow) => A Teoria da Motivação foi desenvolvida por Abraham H. Maslow, em seu livro “Motivação e Personalidade” (1954). => Essa Teoria da Motivação de Maslow afirma que as necessidades humanas têm uma hierarquia de necessidades, formando uma espécie de pirâmide. HIERARQUIA DAS NECESSIDADES
  • 6. NECESSIDADES Fisiológicas (sobrevivência) ITENS Alimentação, repouso, sexo, moradia etc. Segurança (estabilidade) Desemprego, roubo, doença, incerteza etc. Sociais (vida social) Relacionamento, aceitação no grupo, afeição, amizade, compreensão, consideração etc. Estima (satisfação X frustração) Massagem do ego: orgulho, auto-respeito, autoconfiança, status, admiração pelos outros etc. Auto-realização Realização profissional, pessoal, auto-satisfação e desenvolvimento.
  • 7. E FATORES MOTIVACIONAISFATORES HIGIÊNICOS (Herzberg) Segundo Frederick Herzberg, no seu livro “Trabalho e Natureza do Homem” (1966), existem dois fatores que explicam os diferentes · fatores comportamentos higiênicos das pessoas no trabalho: ou fatores extrínsecos; · fatores motivacionais ou fatores intrínsecos. Fatores Higiênicos ou Extrínsecos: São questões localizadas no ambiente onde as pessoas trabalham. Portanto, não estão sob o controle dos empregados ou dos indivíduos. Esses fatores higiênicos são administrados pela empresa. Ex.: salários, benefícios sociais, tipo de chefia ou supervisão, as condições físicas de trabalho, as políticas da empresa, o clima de relações entre a direção e o indivíduo, os regulamentos internos. => Os fatores higiênicos, mesmo satisfeitos, apenas evitam a insatisfação momentânea dos empregados. Não se consegue sustentar por muito tempo a satisfação, por isso são chamados fatores higiênicos, pois apenas evitam a insatisfação, mas não causam satisfação. => Os efeitos dos fatores higiênicos são como remédios: evitam a infecção ou combatem a dor, mas não melhoram a saúde; apenas efeitos paliativos. Fatores Motivacionais ou Intrínsecos: Estão relacionados com o conteúdo do cargo ou com a natureza das funções que a pessoa exerce. => São fatores motivacionais: o trabalho em si, a responsabilidade atribuída ao empregado, o tipo de função que exerce, a sua realização pessoal, crescimento ou progresso individual, o reconhecimento etc. Liderança LIDERANÇA
  • 8. => Liderança é a capacidade de um indivíduo exercer influência sobre outras pessoas, através de um processo de comunicação, visando atingir determinados objetivos específicos. => Essa influência pode ocorrer de diversas formas, desde o uso de violência até formas suaves de convencimento. TIPOS DE INFLUÊNCIA => O estilo de liderança de um chefe pode motivar ou desmotivar um funcionário. Portanto, é preciso conhecer a motivação humana e saber conduzir as pessoas, ou seja, liderar. => A liderança é necessária em todos os tipos de organização humana, principalmente nas empresas e em cada um de seus departamentos. => A liderança é essencial em todas as funções de administração: planejamento, organização, direção e controle. Porém, ela é mais relevante na função de direção, aquela que toca mais perto as pessoas. => Os líderes devem estar não apenas no nível institucional, mas em todos os níveis da empresa e nos grupos informais de trabalho. ESTILO DE LIDERANÇA => Pode-se caracterizar três estilos de liderança:
  • 9. a) Estilo Autocrático; b) Estilo Democrático; e c) Estilo Liberal (laissez-faire). ESTILOS DE LIDERANÇA AUTOCRÁTICADEMOCRÁTICALIBERAL As diretrizes são Há liberdade O líder fixa as diretrizes sem qualquer participação do grupo. debatidas e decididas pelo grupo, estimulado e assistido pelo líder. completa para as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do líder. O líder determina as providências e O grupo esboça as providências e as técnicas para atingir o alvo, solicitando aconselha- mento técnico as técnicas para ao líder quando a execução das necessário, passando este a sugerir alternativas para o grupo escolher, surgindo novas perspectivas A participação do líder nos debates e nas decisões é tarefas, cada uma por vez, à medida que se tornam necessárias e de modo imprevisível para o grupo. com os debates. limitada. O líder determina a A divisão das tarefas fica a tarefa que cada critério do um deve próprio grupo e Tanto a divisão das tarefas como a escolha dos
  • 10. executar e qual cada membro companheiros o seu tem liberdade de fica totalmente companheiro de escolher os a cargo do => Na vida prática, o líder utiliza os três estilos de liderança, de acordo com a situação, com as pessoas e com a tarefa a ser executada. => O líder tanto manda cumprir ordens, como consulta os subordinados antes de tomar uma decisão e sugere a algum subordinado realizar determinadas tarefas. => O principal problema da liderança é saber quando, com quem e em que circunstâncias usar um estilo ou outro. Existem outras formas de distinguir estilos de liderança: a) Liderança com Ênfase na Produção; b) Liderança com Ênfase nas Pessoas. => Ênfase na Produção: é a preocupação com a produção, com os resultados da tarefa. A tarefa é o mais importante. A liderança é autocrática. trabalho. seus companheiros de trabalho. grupo. Absoluta falta de participação do líder. O líder não tenta avaliar ou O líder procura regular o curso ser um membro dos O líder é dominador e normal do grupo. O líder é acontecimentos . O líder somente “pessoal” nos “objetivo” e comenta sobre elogios e nas limita-se aos as atividades críticas ao trabalho de “fatos” em suas críticas e dos membros quando cada membro. elogios. perguntado.
  • 11. => Ênfase nas Pessoas: a preocupação é com as pessoas, independentemente de ser subordinados, colegas ou chefes com quem trabalha. A liderança é democrática e a supervisão é participativa. As pessoas são o mais importante.