[Sermão] O Sermão de 24 horas

6.181 visualizações

Publicada em

www.exegese.teo.br

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.779
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Sermão] O Sermão de 24 horas

  1. 1. Sermão 01 de Abril de 2016 | www.exegese.teo.br p. 1 O SERMÃO DE 24 HORAS Contexto: Das que estão nas Escrituras, a primeira epístola escrita por Paulo foi 1 Tessalonicenses, redigida em 51 d.C. da cidade de Corinto. Paulo pessoalmente inaugurou essa igreja em sua segunda viagem missionária (Atos 17:1-20). Nesta Epístola, Paulo trata de assuntos como perseguição, a volta de Jesus e comportamento cristão. I. O EVANGELHO QUE RECEBEMOS (1 Tessalonicenses 1:4-6) A) Na Palavra 1. Paulo conduziu os cristãos em Tessalônica no evangelho de Cristo fundamentado nas Escrituras. Da mesma forma devemos conduzir hoje as pessoas no caminho da salvação ensinando doutrinas bíblicas. 2. Nosso trabalho é encurtar o caminho entre as pessoas e a vontade de Deus. "Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se eu falo por mim mesmo" (João 7:17).
  2. 2. Sermão 01 de Abril de 2016 | www.exegese.teo.br p. 2 3. "Nenhum outro livro é tão poderoso para elevar os pensamentos, para dar vigor às faculdades, como as amplas e enobrecedoras verdades da Bíblia. Se a Palavra de Deus fosse estudada como deveria ser, os homens teriam uma amplidão mental, uma nobreza de caráter, e uma estabilidade de propósitos que raramente se veem nestes tempos." (Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 460). B) Em Poder 1. O Evangelho deve ser levado no poder do Espírito Santo. O que é esse poder? É a "plena convicção" (v. 5). Convicção, do grego, "plē rophoria" significa literalmente plena certeza ou certa confiança. 2. O maior poder do Evangelho que podemos ver não é um doente ser curado é um incrédulo passar a crer após a atuação silenciosa do Espírito Santo. 3. Não nos esqueçamos que o Evangelho, no tempo de Paulo, era considerado "escândalo para os judeus e loucura para os gentios, mas para os que foram chamados, [...] é o poder de Deus e a sabedoria de Deus" (1 Coríntios 1:23-24, NVI).
  3. 3. Sermão 01 de Abril de 2016 | www.exegese.teo.br p. 3 II. O EVANGELHO QUE COMUNICAMOS (1 Tessalonicenses 1:7-8) A) Como Modelo 1. As boas obras e a obediência dos cristãos em Tessalônica confirmavam que a fé deles em Cristo era genuína e, por isso, Paulo os considera como bom exemplo para as outras igrejas. 2. "Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me essa tua fé sem as obras, e eu, com as obras, te mostrarei a minha fé." (Tiago 2:18) 3. Na mentalidade dos gregos, criadores da língua utilizada na escrita do Novo Testamento, a palavra "modelo" do grego "typos", apresentava a ideia de algo que recebeu a "impressão da imagem dos deuses". Os cristãos que demonstram sua fé por meio de boas atitudes para com todos revelam o caráter de Deus e o poder do Evangelho. 4. “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.” (1 Coríntios 11:1). B) Fé reconhecida 1. A genuína fé dos Tessalonicenses produziu frutos maiores do que eles mesmo esperavam colher, pois “em toda parte tornou- se conhecida a fé que vocês tem em Deus”. Poderia Paulo dizer o mesmo da igreja que eu faço parte?
  4. 4. Sermão 01 de Abril de 2016 | www.exegese.teo.br p. 4 2. A palavra grega traduzida ao português por “divulgou” (ARA) no original “exerchomai” possui também o sentido de “algo emitido a partir do coração”. Um cristão que não fala de Cristo não tem experimentado o poder do Evangelho. 3. “Não é somente pregando a verdade, ou distribuindo literatura, que seremos testemunhas de Deus. Lembremo-nos de que uma vida semelhante à de Cristo é o mais poderoso argumento que pode ser apresentado a favor do cristianismo, e que o cristão que não é fiel à sua profissão causa mais dano ao mundo do que um mundano. Nem todos os livros escritos poderiam substituir uma vida santa. Os homens acreditarão, não no que o ministro prega, mas no que a igreja pratica em sua vida. Frequentemente a influência do sermão pregado do púlpito é anulada pelo sermão vivido pelos que professam ser partidários da verdade.” (Testemunhos para a Igreja, v. 9, p. 21). APELO  Consciente ou não disso, durante todas as horas do meu dia eu sou um sermão.  Que tipo de mensagem estou transmitindo aos que me assistem?  Nossas atitudes, conversas, alimentação, vestuário aproxima ou distancia as pessoas de Jesus?

×