Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013
M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |0...
Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013
M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |0...
Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013
M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |0...
Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013
M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |0...
Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013
M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |0...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

[Sermão] Jesus, o Senhor da vida

1.862 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.862
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

[Sermão] Jesus, o Senhor da vida

  1. 1. Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013 M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |04 de Agosto de 2013 Página 1 SERMÃO:JESUS, O SENHOR DA VIDA Texto: João 11:1-43 Tema: Morte, Ressurreição e Glorificação Objetivo: Compreender que aquele que crer em Jesus “ainda que morra, viverá” (João 11:25). Proposição: Jesus é a esperança do reencontro: com Deus e nossos amigos e familiares. INTRODUÇÃO Contexto: Antes dos eventos ocorridos com Lázaro, Maria e Marta em João 11, Jesus havia frequentado a Festa da Dedicação (João 10:22) e ali, por ter dito “Eu e o Pai somos um” (João 10:30), os judeus queriam apredejá-lo. FESTA DA DEDICAÇÃO: Também conhecida como “Hanucá”, onde os judeus comemoravam a purificação do templo de Jerusalém ocorrida após a libertação da revolta liderada por um sacerdote chamado Matatias e continuada por seu filho Judas Macabeu que conseguiu libertar a cidade da perseguição realizada por Antíoco Epifânio por volta do ano 200 a.C., que deveria ser comemorada por oito e começava no dia 24 de kislev (início de dezembro do nosso calendário, por isso inverno na Palestina, cf. João 10:22)dias e era uma ocasião de alegria, por isso, todo jejum e lamentação pública eram proibidos.
  2. 2. Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013 M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |04 de Agosto de 2013 Página 2 Por este motivo, Jesus se retirou de Jerusalém e atravessou o Jordão (João 10:40)caminhando aproximadamente 50km com seus discípulos.Depois de alguns dias ali, recebeu a visita de mensageiros que avisaram-nO da doença de Lázaro (João 11:3). Depois que Jesus recebeu a notícia, ainda permaneceu onde estava 2 dias, mas então disse aos discípulos que voltaria à Judeia (João 11:7). Esta decisão chocou os discípulos que não entenderam porque Jesus voltaria para Judeia onde Ele sabia que os judeus queriam matá-lo (João 11:8). Betânia ficava a menos de 5km de Jerusalém, onde há poucos dias Jesus esteve na Festa da Dedicação. ARGUMENTAÇÃO I. A MORTE COMO UM SONO “Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do seu sono.” (João 11:11) A) O que acontece quando alguém morre? 1. Em Mateus 9:24, Jesus também comparou a morte como um sono. Mas, por que a morte é um sono? “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, porque a sua memória jaz no esquecimento. Amor, ódio e inveja para eles já pereceram; para sempre não têm eles parte em coisa alguma do que se faz debaixo do sol.” (Eclesiastes 9:5-6). 2. Ellen G. White, no livro “O Grande Conflito” (p. 549) comenta: “Os que descem à sepultura estão em silêncio. Não mais sabem de coisa alguma que se faz debaixo do Sol. (Jó 14:21). Bendito descanso para o justo cansado! Seja longo ou breve o tempo, não é para eles senão um momento. Dormem, e são despertados pela trombeta de Deus para uma imortalidade gloriosa. [citado 1Co 15:52-54]. Ao serem eles chamados de seu profundo sono, começam a pensar exatamente onde haviam parado. A última sensação foi a agonia da morte, o
  3. 3. Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013 M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |04 de Agosto de 2013 Página 3 último pensamento o de que estavam a cair sob o poder da sepultura.” II. A RESSURREIÇÃO COMO UMA PROMESSA “Declarou-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir.” (João 11:23) A) A morte é o fim? 1. Quando Jesus recebeu o mensageiro enviado por Marta e Maria, Lázaro não havia morrido ainda, estava apenas doente (João 11:3). Lázaro morreu em algum momento das 48 horas que Jesus permaneceu onde estava. Quando Jesus decidiu voltar a Judeia, ai sim Lázaro já havia falecido porque o próprio Cristo disse que ele estava no sono da morte (João 11:11) e que Ele iria despertá-lo. 2. Quando Jesus chegou a Betânia já havia 4 dias que Lázaro estava na sepultura. Provavelmente, Jesus levou entre dois a três dias para atravessar o Jordão, entrar novamente na Judeia e chegar a Betania, pois ele permaneceu onde estava dois dias e quando recebeu a notícia Lázaro só estava doente e foi a sua morte que o motivou a empreender a viagem para despertá-lo. 3. A reclamação de Marta com Cristo tem sentido (João 11:20-21). Jesus não foi a Betânia quando recebeu a notícia, esperou Lázaro dormir o sono da morte e mesmo assim não veio no mesmo dia que Lázaro morreu. Marta sabia que, pela distância e o tempo médio gasto por uma pessoa caminhando, Jesus poderia ter chegado mais cedo se quisesse. 4. Pela fé sabemos que Cristo nunca chega atrasado. Ele disse: “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.” (Jeremias 29:11). Ele tinha um plano: “Esta enfermidade não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.” (João 11:4) 5. Jesus não promete que estaremos livres de passar pelo sono da morte, porque a morte é uma intrusa no plano original de Deus para a humanidade e veio no pacote do pecado. Mas o que Ele promete é maior do que a morte: “Disse-lhe Jesus: Eu Sou a ressurreição e a vida; quem crê em Mim, ainda que esteja morto[passe pelo sono da morte], viverá[será ressuscitado] e todo aquele que vive[que foi
  4. 4. Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013 M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |04 de Agosto de 2013 Página 4 ressuscitado]e crê em Mim nunca morrerá[viverá eternamente].” (João 11:25-26) B) As duas ressurreições 1. A Bíblia nos ensina que ocorreráduas ressurreições: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno.” (Daniel 12:2) 2. Jesus confirma a revelação de Daniel sobre a ressurreição de dois grupos de pessoas: vida eterna (ressurreição da vida) e horror eterno (ressurreição do juízo). “Não vos maravilheis disto, porque vem a hora em que todos os que se acham nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão:os que tiverem feito o bem, para a ressurreição da vida; e os que tiverem praticado o mal, para a ressurreição do juízo.” (João 5:28-29). 3. A Bíblia ainda nos deixa claro que estes dois grupos serão ressuscitados em momentos distintos e não no mesmo dia.Com a volta de Jesus, acontecerá o que está escrito: “Porquanto o Senhor mesmo, dada a Sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro[esta é a ressurreição da vida];depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles[os que passaram pela ressurreição da vida, os justos mortos], entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:16-17) 4. E a outra ressurreição, a dos ímpios que Jesus chamou de “ressurreição do juízo”, quando ocorrerá? “Os restantes dos mortos não reviveram até que se completassem os mil anos. Esta é a primeira ressurreição.Bem-aventurado e santo é aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre esses a segunda
  5. 5. Baseado no sermão da série: Apresentando Jesus: O melhor amigo: Domingos Especiais 2013 M.Sc. Hugo Dias Hoffmann Santos |04 de Agosto de 2013 Página 5 morte não tem autoridade; pelo contrário, serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele os mil anos.” (Apocalipse 20:5-6) 5. Com base nos textos bíblicos analisados, podemos construir o seguinte gráfico dos eventos finais relacionados à ressurreição: CONCLUSÃO “Vi novo céu e nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra passaram [...].Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, que descia do céu, da parte de Deus[...].Então, ouvi grande voz vinda do trono, dizendo: Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles.E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram.E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras.Disse-me ainda: Tudo está feito. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. Eu, a quem tem sede, darei de graça da fonte da água da vida.O vencedor herdará estas coisas, e eu lhe serei Deus, e ele me será filho.”(Apocalipse 21:1-7) “Apenas uma lembrança permanece: nosso Redentor sempre levará os sinais de Sua crucifixão. Em Sua fronte ferida, em Seu lado, em Suas mãos e pés, estão os únicos vestígios da obra cruel que o pecado efetuou. [...] Suas mãos, Seu lado ferido donde fluiu a corrente carmesim, que reconciliou o homem com Deus — ali está a glória do Salvador [...].E os sinais de Sua humilhação são a Sua mais elevada honra; através das eras intérminas os ferimentos do Calvário Lhe proclamarão o louvor e declararão o poder.” (Ellen G. White. O Grande Conflito, p. 674.2) VOLTA DE JESUS PRIMEIRA RESSURREIÇÃO: A DOS JUSTOS (PARA VIDA) MIL ANOS NO TERCEIRO CÉU: Ap 20:6 SEGUNDA RESSURREIÇÃO: A DOS ÍMPIOS (PARA JUÍZO)

×