Hugo Hoffmann - Reino Plantae II [Criptógamos]

885 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
885
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hugo Hoffmann - Reino Plantae II [Criptógamos]

  1. 1. Biólogo, Especialista em Ciências Ambientais e Mestre emCiências da Saúde (Doenças Infecciosas e Tropicais)
  2. 2. Sem sementes e sem sistemacondutor (briófitas)Sem sementes e com sistemacondutor (pteridófitas)
  3. 3. Sem sementes e sem sistemacondutor (briófitas)Sem sementes e com sistemacondutor (pteridófitas)
  4. 4. São tipicamente terrestres. Noentanto, existem algumas poucasespécies de água doce, mas não seconhece nenhuma marinha.Apresentam estruturas especializadas naabsorção de água e sais do solo: rizóides. Nãopossuem tecidos condutores internos paradistribuição dos elementos absorvidos. São depequeno porte para facilitar a distribuiçãoatravés da difusão célula a célula.
  5. 5. As briófitas mais popularmente conhecidas são os musgos. Estesorganismos vivem em locais úmidos e sombreados, onde formameventualmente aveludados tapetes verdes sobre pedras, troncose barrancos.
  6. 6. Apesar de a maioria dos musgos viver em regiõestropicais, existem espécies adaptadas a regiões temperadas e atémesmo às regiões árticas, onde fazem parte da tundra, um tipode formação vegetal típico do Polo Norte.
  7. 7. Além dos musgos, as hepáticas eantóceros também fazem parte dogrupo das briófitas.Na face superior do talo da hepáticaMarchantia, existem estruturaschamadas conceptáculos.
  8. 8. No interior destas estruturasse formam os propágulos(pequenas estruturasmulticelulares que sedesprendem da planta-mãee originam novos indivíduos)
  9. 9. As briófitas apresentam alternâncias de gerações.A geração duradoura, isto é, aquela que vive maistempo e é mais desenvolvida, é a geraçãohaplóide, gametofítica (forma gametas).A geração diplóide, esporofítica (formaesporos), cresce sobre a gametofítica e deladepende.
  10. 10. Muitas briófitas, como o musgo Polytrichum ea hepática Marchantia possuem sexosseparados (dióico), mas existem briófitashermafroditas, em que o talo produz tantooosferas (gametas femininos) quantoanterozóides (gametas masculinos).
  11. 11. O musgo Polytrichum édióico, portanto, havendo plantasgametofíticas masculinas e femininas.O musgo masculino forma, noápice, uma taça folhosa que contémestruturas ovóides denominadasanterídios, no interior dos quais seformam centenas de gametasmasculinos, os anterozóides, dotadosde dois flagelos para natação.
  12. 12. O musgo feminino forma, também noápice, uma taça folhosa que contémestruturas em forma degarrafa, denominadas arquegônios.No interior de cada arquegônio forma-se um único gameta feminino: aoosfera.
  13. 13. Durante uma chuva ou garoa acumula-se água nastaças folhosas dos ápices das plantas masculinas(anterídios). Nestas condições, os anterídiosliberam seus anterozoides flagelados.Os pingos que atingem as taças masculinasesborrifam água com anterozoides, que assimatingem os ápices das plantas femininas, ondeestão os arquegônios.
  14. 14. Uma vez na taça folhosa do musgo feminino, osanterozoides (gametas masculinos) nadamativamente em direção aos arquegônios, graças àsondulações de seus flagelos.Muitos conseguem penetrá-lo, mas apenas umfecunda a oosfera, originando-se um zigoto.
  15. 15. O zigoto se desenvolve no ápice da plantafeminina, formando uma plantinha constituídapor células diploides: o esporófito.Quando maduro, ele forma uma capsula na suaextremidade, no interior da qual existem célulasque sofrem meiose e dão origem a esporos.
  16. 16. Os esporos se libertam da cápsula e nãocarregados pelo vento, espalhando-se pelosolo, sobre troncos de árvores vivas ou mortas enos barrancos.Em condições adequadas de umidade, o esporogermina, originando um filamento multicelularchamado protonema. Deste, surgirão novasplantinhas haploides de musgo, que, namaturidade, reiniciarão o ciclo.
  17. 17. 1. As briófitas são encontradas em todos ambientes abaixo, exceto:a. Terrestreb. Marinhoc. Dulcícolo2. Uma das opções abaixo não é uma característica das briófitas.a. Rizóide que faz absorção de água e sais do solo.b. Possuem condutores internos para distribuir nutrientesc. Os nutrientes são distribuídos através de difusão célula a célula.
  18. 18. 3. Dê o nome de cada estrutura do musgo:A. _______B. _______C. _______ABC
  19. 19. 4. Complete a frase:Na parte inferior do talo das hepáticas estão os ___________ e naparte superior, encontramos os ____________ que no seu interiorarmazenam os ______________, que são estruturas multicelularesque se desprendem da planta-mãe e formam um novo organismo.5. O ciclo representado acima também é conhecido como:a. Reprodução sexuada em musgos.b. Reprodução assexuada em musgos.c. Reprodução assexuada em hepáticas.
  20. 20. 1. As briófitas são encontradas em todos ambientes abaixo, exceto:a. Terrestreb. Marinhoc. Dulcícolo2. Uma das opções abaixo não é uma característica das briófitas.a. Rizóide que faz absorção de água e sais do solo.b. Possuem condutores internos para distribuir nutrientesc. Os nutrientes são distribuídos através de difusão célula a célula.
  21. 21. 3. Dê o nome de cada estrutura do musgo:A. _______B. _______C. _______ABC
  22. 22. 4. Complete a frase:Na parte inferior do talo das hepáticas estão os rizóides e na partesuperior, encontramos os conceptáculos que no seu interiorarmazenam os propágulos, que são estruturas multicelulares que sedesprendem da planta-mãe e formam um novo organismo.5. O ciclo representado acima também é conhecido como:a. Reprodução sexuada em musgos.b. Reprodução assexuada em musgos.c. Reprodução assexuada em hepáticas.
  23. 23. Sem sementes e sem sistemacondutor (briófitas)Sem sementes e com sistemacondutor (pteridófitas)
  24. 24. Áreas úmidas e sombreadas, como asbriófitas. A maioria habita regiõestropicais, mas algumas espécies vivem emregiões temperadas e mesmo semidesérticas.Apresentam folhas recortadas que lembrampenas ou asas. Os representantes maisconhecidos são as samambaias e avencas.Apresentam raiz, caule e folha, embora estaorganização nem sempre seja perceptível àprimeira vista.
  25. 25. Em muitas samambaias as folhas parecem emergirdiretamente do solo, porque o caule cresce bem junto àsuperfície ou se localiza alguns centímetros sob a terra.O caule é responsável pelo transporte de substâncias nosentido raiz-folha, folha-raiz, este tipo de caule échamado de rizoma.
  26. 26. A raiz é a parte do corpo responsável pelaabsorção de água e sais minerais do solo.As folhas são os órgãos onde ocorre afotossíntese, processo em que são produzidasmoléculas orgânicas.
  27. 27. São condutos microscópicos que se estendem dasraízes até as folhas. Há vasos que conduzem água esais minerais da raiz até as folhas: são xilemáticos.Um outro sistema de vasos conduz soluções deaçucares e outras substâncias orgânicas das folhasaté o caule e raízes: são os floemáticos.
  28. 28. Água e saismineraisAçucares eoutrassubstânciasorgânicas
  29. 29. Algumas pteridófitas apresentam reproduçãoassexuada por um processo de brotamento. Orizoma vai crescendo e, de espaços em espaços,forma pontos vegetativos denominados estolhos,onde brotam folhas r raízes.A fragmentação ou decomposição do rizoma nasregiões entre esses pontos vegetativos isola as novasplantas.
  30. 30. Apresentam alternâncias de gerações. A geraçãoduradoura, ao contrário das briófitas, é a diploide(esporofítica).Ao atingir a maturidade sexual, desenvolvemestruturas chamadas soros, localizada na faceinferior de suas folhas. Ai ficam abrigados osesporângios, dentro dos quais há células que sofremmeiose e originam os esporos.
  31. 31. Ao cair sobre um local favorável, com condições ideaisde água e nutrientes, o esporo se desenvolve em umaplantinha haploide achatada e em forma de coração(cordiforme) denominada protalo.O protalo é um gametófito hermafrodita que apresentaestruturas reprodutivas masculinas (anterídios) efemininas (arquegônios). Nos masculinos formamanterozóides e nos femininos formam oosferas.
  32. 32. Quando maduros, os anterídios liberam osanterozoides. Após uma chuva ou garoa, eles nadamsobre a superfície umedecida do protalo até oarquegônio, onde um deles fecunda a oosfera.O zigoto se desenvolve no interior do arquegônio,originando uma plantinha diploide (esporófito), quedará origem a uma nova pteridófita adulta. Estaformará esporos haploides, repetindo o ciclo.

×