Anatomia do Sistema Endócrino

1.643 visualizações

Publicada em

Aula de Anatomia

Publicada em: Saúde
  • Seja o primeiro a comentar

Anatomia do Sistema Endócrino

  1. 1. 4/4 ENDÓCRWNO Prof M50. Haga ? Íoñnann '~. ¡L: "' ' A N / ÀTO ÍV¡ I/ Ã'. D O
  2. 2. CONTEÚDO DA AULA Funções gerais do sistema endócrino - As glândulas - Classificação das glândulas - Hormônios secretados - Localização no corpo humano - Mecanismo de atuação fppLcom
  3. 3. fppLcom O sistema endócrino é formado por glândulas que produzem substâncias que atuam juntamente com o sistema nervoso na coordenação de todas as atividades do organismo.
  4. 4. GLÂNDULA excretam substâncias que não se relacionam eum. . com as suas necessidades habituais e w possuem uma função pré-determinada. if ' i Glândula 'r L Íiraóida , ' i . i t _ Lx . c . .z y . , l 5-; _ '. p - . l Conjunto de células que secretam ou / Essas substâncias podem ser secretadas dentro do sistema circulatório (hormônio) ou fora dele (outras secreções). 'Íraquáia fppLcom
  5. 5. *v z' VW* -| ' . l " s ' s ÉlLÁÊHi-_lrll_J*** *c›-l, ^.r'll'lll, l^. -› l , ¡, _ LV_ As glândulas mistas possuem uma parte endócrina e outra exócrina (pâncreas e gônadas - ovários e testículos). ENE n? n: :: ima IC iíaflvLAx São as glândulas São as glândulas que possuem especializadas na secreção um canal secretor que de hormônios diretamente transporta suas secreções para na corrente sanguínea. o lado externo do corpo ou para o interior de um órgão. Ex: pineaI, hipófise, tireoide, paratireoide e supra-renais. Ex: salivares, sudoríparas. fpptcom
  6. 6. * GLÂNDULÀS DO SISTEMA ENDÓCRlNO
  7. 7. fppLcom j¡ ÉJÍÃÍt_ Tireoide e r 'Í Ç' paratireoides (atrás ¡ l l da tireóide) i” l 7: 'e _. ____. _.-í' Lv- 0'/ “i ' l! ). 4 l/ -Xi l' À __' Jr_ . _ l _ , Ma# '
  8. 8. fppLcom . 1 j¡ Ã5_: ~I_Í_ Tireoide e r 'Í Ç' paratireoides (atrás ¡ l / l c da tireóide) f', , l _ ' l _ f E'. *a Suprarrenais í ~ 'Lv-y b» . l t E “I ; A . L/l kn ' l ›/
  9. 9. fppLcom , N? , Qx * l Hipófise 1/ ' l “-: _'êf_'; "i5;: _ Tireoide e j ' paratireoides (atrás l A da tireóide) if' l Lv. - ¡j! xa" ' ' 4-* 1 -, - Suprarrenais l; . :_/ l Q K '- l í ~ , . l ' . " O ' ¡ J' l í vários (na mulher “i-f a' » . , A . .K , W ' › | E ; Il. ? l/ Ní l. ›/ ,
  10. 10. fppLcom , i s! ! K l , t | _rx . r l_ A na* j , f g 2 ' « a_ _ dj. r (éAJLJ: LP1_| ,[)T ILÀÍG» . Wi Iiltíífuíiiíiílu: ?Javali 17v íuz~iuluvl~ n___/ ¡' x = 'r 'J/ j * *e v/ w' A l 7 *JÍÃTÂA* t Tireoide e l “ l Hmóñse 7 "MÍIÇÃÊÍ paratireoides (atrás K > H l c da tireoide) V? , N ' '_ lx ' _ / _/ f' f - E* Suprarrenais í / . i . ' s¡ f l l . j] . ¡ _ Í __ x/ lv ›. >, x A 1 _ V 3314 Testículos _/ ¡ _AM4 l ("° hcfmem) l . A Ovários I i z l ' I¡ l (na mulher
  11. 11. fppLcom <i-: ~l, .Z. -PaIí1l| l,a: íx$› ai"" Iialtíífaíiaiíiíla: ?Javali 17v íaz~aialavl~ r A, V_ a, v, . 1 Tx / '77 . - "Í “ = N' . 7 '§Í7~_À'~'. f, Tireoide e l “ l Hmóñse 7 'Í Ç' paratireoides (atrás l” / _/ H l c da tireoide) ' l 7 , ;i i r . l _z/ ... e . , _/ * f' f - E* Suprarrenais í Pâncreas '-r-~›¡J¡ _ Ax/ ih ç , Ia . .a / . i l _¡ _ __ r- V/ ll i' Testiculos _/ ¡ _AM4 l (mçhcfmem) l . A Ovários , e I r I ' I¡ i (na mulher l . ~ t! ! K 'x i¡ I ' AI 'r | l' _ *u* j , f í › tv' « a_ _ dj. r
  12. 12. EFEITOS DO SISTEMA ENDÓCRINO 'íyài '_ ' T ' 7 . T í A - _ M a i l V A . _ -'a-_. il '. .'Í __ i 'V *A A "É L” ' +473 7 ããiiil"? AVQÉNÍ* 4G mui¡ »Iii ivilaauivliziiviií» ÊÍJIÍIIIILIÉ-_l : i ííiircixríílL. igjjãÍi<íí› cia Ésa-iiinitlizirã: ?Wraimcrv a aiiiviicíhicii: : ? wiíiiznííiirrai latina : isbn gilíiricltllai: : mamrãirian; A irpriulirrai racing: a ; iliczannki (Ene-i (ii: giliczcixxa rio : ra-airgiuá), o _çiiucra-_Lçicin EILIIIIGIFÍÍÊJ Fhíirnliôriick; ÇILI: Íâllll Ari: ri ciríi-a-itai , _ _ l u aiidim: : ciçicxrixcic; ;mira : ii IFEILIIITEl a gllplcãiçicln
  13. 13. CLASSIFICAÇÃO DAS GLÂNDULAS ESCROTAIS STI_ CEFÁLICAS CERVCNS CLASSIFICAÇÃO COM RELAÇÃO À ABDOMINAIS LOCALIZAÇÃO DA GLÂNDULA NO pÉLvicAg CORPO HUMANO fppncom
  14. 14. @LÂivpuLAs . ceriâiucns e HORMÔNHOS
  15. 15. PINEAL Localiza-se no centro do cérebro e participa do ciclo circadiano, secretando na ausência de luz (noite) o hormônio melatonina, que induz o sono e na presença de luz (dia), inibe a ação desse hormônio. Cerebral hemisphere _ N_ _ -- - Corpus callosum x . V I ' _A . l x k " V m Choroid plexus (in 3"' ventricle) i A* , Í i L~í Thalamus E . _ “ a g _í_ Plnoal gland "'°°“'°"'""s: ~ E E A) E E Mldbraln a ' ' g "z o Cerebral Pituitary gland ~ › A 3 a aqueducl Fourth ventricie po” " í Choroid plexus Medulla oblongata Cerebenum Spinal cord fppLcom
  16. 16. CICLO CIRCADIANO Designa o período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico do nosso corpo. Ele regula todos os ritmos materiais, bem como, muitos dos ritmos psicológicos do corpo humano, com influência sobre a digestão, o sono, a renovação das células e o controle de temperatura do organismo. fppLcom
  17. 17. fppLcom High alertness 10:00 Highest testoterone secretion 09130 Melatonin secretion stops 07:30 Sharpest rice in blood pressure 06:45 Lowest body temperature 04:30 Best Coordination 14:30 15:30 Fastest reaction time Greatest cardiovascular efficiency 17:00 and muscle strength 133o Highest blood pressure 199o Highest body temperature 21:00 Melatonin secretion starts
  18. 18. V, torracc- artes cc : orrrrir Diabete 'ranwc-ir: lrsuiira 1 As crises corccrtrarr se ra rrarirLgaca c iricio 33 rnarrã, p-or causa aa pra-unção rorrrc-ral roturra. portarto c- wccicarrorto neve ser ° Hipertensão e doenças cardiovasculares Inaugural Diuróticos. vasc-cilatacorcs. É-OÍEJDIOGLCBCOIOS. ertrc outros A pressão atirçc o pico ri: - iricio da rr arhã, ferrar: : o orgarisrro rrais -xulrnraaiel a arritrrias e crfartcs. por isscv : :cu-err scrtorrasc» artes ce corrrir Hora JI certa de tomar remédio* Quando o medicamento é tomado no horario certo, seus efeitos são Asma - › mnmzma potencializados e_ os ¡Onkmcro-_Ecsg efeitos 'colaterais brsrcoailataaorcs. entre outros diminuem / J [EE Devem agir cc níaarugaaa. por volta cas it' aa marhã. CLBFCO a docrçri atinge seu pico, por issc- é preciso torrar o: rcntccies ro corr-cço da noite Depressão TRATAMENTO Articcpressivcs Corro as crises : c : opressão acc-rreten' os p-aciertcs c-rircipalrrcrte crtrc 'er 02th, a reccirrcrcaçãa c CLC arm-ceia saia f¡ torrado ro iricio na tarcc
  19. 19. CICLO SEPTADIANO Estudos científicos comprovam que além do ritmo circadiano, que obedece às 24 horas do dia e ao movimento de rotação da Terra, nosso corpo também obedece a um ciclo semanal (ciclo septadiano). Dessa forma, pessoas que trabalham sete dias por semana sem nenhum tipo de descanso aumentam a chance de infecções e distúrbios por não respeitar uma lei fisiológica do nosso organismo. fppLcom
  20. 20. fpptcom É uma pequena gândula que se situa na base do cérebro e se conecta com o hipotálamo. É dividida em dois lobos: a adenoipófise e a neuroipófise. HIPOTÂLAMO / CÉREBRO CEREB EL HIPÕFISE
  21. 21. HIPÓFISE ou PITUITÁRIA O funcionamento da adenoipófise é estimulado pelo hormônio de liberação e inibida pelo hipotálamo. A neuroipófise é uma continuação do hipotálamo. Hipotálamom orpo mamilar / a : í ' eminéncia mediana quiama óptico Hipófise Anterior”. Inluncibulum -' Hipófise Posterior fppLcom
  22. 22. AiislaiiicIalaviirrltari iÍlraIaIailV-rlttlrí uviüiazi izfi HORMÔNIO AÇÃO Adenocorticotrópico , . (ACTH) Controla o cortex das suprarrenais. Hormônio - FSH: provoca o crescimento e amadurecimento dos folículos, o ovário gonadotrópico: na mulher e o testículo no homem, estimulando a produção de - Hormônio folículo estrogênio e testosterona, respectivamente. estimulante (FSH) - Hormônio - LH: nas mulheres, estimula a ovulação e a formação do corpo Iúteo, luteinizante (LH) já nos homens provoca a produção de testosterona. - Estimula a produção de leite nas glândulas mamárias durante a Prolactina (HH) gravidez e amamentação. - Estimula o crescimento dos tecidos, inclusive ossos e cartilagens. Deficiência no GH causa o nanismo e a hiperfunção da hipóñse pode ocasionar um excesso de GH, causando o gigantismo. Hormônio do crescimento (GH) fpptcom
  23. 23. HORMÔNIO Ocitocina Antidiurético (ADH) fpptcom . pl/ :ualiíxyrí), |_T"àlaF| I:lr: i”l: aIaIar'7ir't: .=i ; '« IÍÍTFII-Íl* i1** AÇÃO - Contra¡ os músculos e dilata o útero durante o parto; - Libera o leite durante a sucção do bebê; - Estabelece apego e empatia entre pessoas; - Produz parte do prazer do orgasmo; - Produz medo do desconhecido. Controla a eliminação de água pelos rins, aumentando a reabsorção de líquidos.
  24. 24. fpptcom _ialalêia"laIai'ali_', .aÊl›*íl l-illíltiiraiiiaii't: .i vt: lJIIPiAIÉI-T-Fi ALTERAÇÃO NA SECREÇÃO DE GH caicuexiirtzixiir: i l iixxiitfmiii: i _ -- , ' 'l p _ , .J _ _ I _ _ lt I v o . a . r¡ r ' ' _ __ . .a l _s . - . . . à UC: : rf. . l'. I. '¡4 x f¡ T _ 'lt . l i~ , . . -r-_. I IA' IN r. v i y ' N. J ' _ '. u - . : _ p, ç c -. um ' , l . › _ _ , n: - . . , x ó -_ _ ; w ' Ç kl ' ' * 1' . flÍ ' . ›' Í '. I 7,_ Kl r . " n wi* r t! . 'ÓÇÀ »u ¡ u l a¡ r c ~ . - ~ . . › _44._: ~1:_. _ q? ' . nfs v cx. :- . N ' " : ' 4 o- 7 L' ¡ w I"_›Í-ÉFT'“3F: ÍC"' f
  25. 25. @LÂitipuLiêts CERWÇÀAHS e HORMONHCDS
  26. 26. As paratireoides são 4 pequenas glândulas localizadas atrás da Secretam paratormônio, regula o nível de cálcio e fósforo no sangue. Quando a concentração de cálcio no sangue diminui, ele retira o mesmo dos ossos e os fpptcom tireoide. lança no sangue. Left ' l l ' m m J i z/ llntegriítal ' . ,› '. u u ar angry ; qi Pharynx y/ ,x , gem l " Left parathymid glands I Left Inferior _ i thyrold ' " ' a_ , < artery * ~/ .“ “x subclavian artery
  27. 27. PARATIREÓIDE ri Sal, café, refrigerante e chocolate dificultam a absorção de cálcio. Bebidas com cafeína (café, Coca-Cola, alguns chás) tem efeito diurético e, portanto, prejudica a absorção do cálcio, contribuindo para que ele seja eliminado mais rapidamente do organismo pela urina. O sódio, presente no sal, também aumenta a eliminação do cálcio por meio da urina. É muito importante evitá-Io ao máximo, principalmente no momento em que se tempera a salada. Para substitui-lo vale usar o limão e o azeite. fppLcom
  28. 28. Composta por dois lobos E " situados na frente da traqueia, ,e 't' x* fg' laringe em alguns casos, formando uma "Ii proeminência denominada f* j pomo-de-adão. ' : ll j' › ; A fpptcom
  29. 29. 'TSF estimula Et<:1¡'rriñrit«í› ~rlçjgig “E E aiilrriiaihiirira «itcji i i 'llirçlcitcíta secreta Estimula e mantém o I 'TIVE LÍICMA -› 'i; l metabolismo. Regula o - A hormônio tireotrófico. i *rputtf )[ irf rriçvif : MMA _r “ro, Baixa o nível de cálcio no sangue e inibe a liberação , _ _ A _ (: ¡FÁIL^(: :ITI~(: )I1EEI1L/ § de calcio nos ossos (antagonista do paratormonio) fpptcom
  30. 30. fppLcom TIREÓIDE O iodo é fundamental para o funcionamento dos hormônios T3 e T4 que regulam o metabolismo e o funcionamento de diversos sistemas como batimentos cardíacos, fluxo sanguíneo, dentre outros. Uma disfunção dessa glândula pode ocasionar o hipotireoidismo ou hipertireoidismo, onde há uma baixa ou alta produção dos hormônios produzidos pela tireoide, respectivamente.
  31. 31. fpptcom ALTOS E IAIXOS DO IETAIOLISIIO A glândula produz os hormônios T3 e T4. que regulam funções do coração. cérebro. fígado. rins. entre outros cartilagem ! A tíreoidea Em um adulto, a tireoide chega a pesar 25g Cerca de 10%) das mulheres com mais de 40 anos e 20% das que têm mais de 60 têm algum problema na tireoide
  32. 32. fppncom Ó Hipotireoidismo A queda na produção de 0 hiPOÚTÉUIÚISWO hormônios deixa o POÚE 531153¡ metabolismo lento: pode Pflíbfemas haver constipação, CBFÚIBCOS. cansaço excessivo. EBSÍPOÍMBSÍÍMÍS. endócrinos, além sonolência. aumento de _ de disfunções peso. queda de cabelo. infertilidade e depressão FESPÍTHÍÕTIBS e hipertensão. Nos Causas recémqlascidas¡ A principal é a tireoidite p°de have' de Hashimoto, doença *tam* mama¡ e deficiência no crescimento autoimune que ataca a glândula Í Hipertireoidismo A tireoide passa a fabricar mais hormônios do que o necessário. 0 metabolismo fica acelerado. o que leva a perda de peso. agitação, insônia. palpitaçôes. entre outros sintomas Causas As mais comuns são doença de Graves (um problema autoimune). inflamações. nódulos e bócio Fonte: Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabología
  33. 33. fpptcom Tireoide Endocrinologista Cintia Cercato, do HC, exphca o funcionamento da glândula Recebe ordens da principal glândula TSH do corpo, a hipoñse. que ñca na nuca . - e da' os comandos para a tireoide em o' . « forma do hormómo uraoestimulante *nngogoe “monge r (TSH) Também produz outros n_ , _._ ~ homlómos (T3eT4)_ queagem _ sobre todas as células do corpo 7,_ , .14 l pç: ceneano l l HIPOHSE Mulheres e : doses são os 'l J grupos mais susoetivess a HOHWÕWIOS que distúrbios. desencadeados na contratam YWÇÕES . 7 r 4 CARYILAGEM maiona das vagas por como Crescimento e 'x nREomEA deñciànaas umunológrcas temocralura calcula¡ TIREOIDE YRADUEIA ¡Dmilñs 4% 36% de pessoas no mundo dos nódulos que _ 7 cuwcuu sofram de drsfunções surgem nessa , V_ , , as -- Mais da melada não sabe região são malignos " " " ESYERNO
  34. 34. fpptcom . - e* Hipotireoídismo A A glândula trabalha menos do que deveria Atinge da população brasileira Provoca: ' Aumento medio de 4 quilos ° Diminuição da frequência cardíaca ' Cansaço e sono ' Intestino preso ° Falta de crescimento - Falhas de memória ° Dor muscular ° Pele ressecada ° Perda de cabelo GI com br Hipertireoidismo A glândula trabalha demais Allnge1,3°/0 da população brasileira Provoca: ' Perda de peso acentuada ° Aceleração do ritmo cardíaco ' Dificuldade para dormir ° Diarreia ' Ansiedade ' Nervosismo ou irritabilidade ° Vanações de humor - Tremores ° Intolerância ao calor
  35. 35. t 51'31" 1.- Q6353: ;5331/ n ç? ! . ›; ' 'z L" , a Az** rg/ a se o' m3¡ [O C $119_ / QLÂINI®ULA§ @too/ noturna E Honnnonnos
  36. 36. Também conhecida como adrenais, estão localizadas sobre os rins. Essa glândula se divide-se em duas partes: córtex e medula. Cada região das supra-renais secretam hormônios diferentes. lpptcom Glândula supra-renal Rim V. Cava Inf. A renal ~ A Aorta Ureter
  37. 37. Ay f', 7 i Allntslnial : l ÍT-EIÊLÍCIKÇÊÍCI Cla : tõlcílm “tantcílo CICIÍIKO czclntsàlatçllfàlltcílal ; l rstitstntgãtr» cita ÉLÇJUEF/ Alcílcsàikslrclnrat ãleiilrnlllai ate; cfãlillaw; :tra: “miltllflsi : star-Il: :t : ratczrslitairstrni çrCíÉl-üllñl a ¡ttcílrctgtântlo 'no abrangida. n . ea.
  38. 38. lpptcom HORMÔNIO Adrenalina Ou Epinefrina Noradrenalina ou Norepinefrina AÇÃO - Produz rápida resposta ao estresse; - Acelera o batimento cardíaco; - Envia a glicose para o sangue; - Pode agir como antagonista da noradrenalina. - Aumenta o influxo de cálcio, juntamente com a adrenalina; - Mantém a pressão sanguínea em níveis normais; - Aumenta o número de batimentos cardíacos por minuto (taquicardia); - Anestesia, em níveis altos, o córtex pré-frontal (responsável pelo pensamento, aprendizagem, atenção, julgamento, linguagem).
  39. 39. Localiza-se atrás do estômago, entre o duodeno e o baço. Esse órgão atua tanto como uma glândula exócrina secretando suco pancreático como endócrina que é formada pelas ilhotas de Langerhans que possuem dois tipos de células a alfa e a beta que produzem os hormônios ri r a f: i i' ' i' t. “Ver -- Stomach Pancreas LôFgeintestine-. - ' w] Small íntestine óí/ DAJVL glucagon e insulina, respectivamente. fpptcom
  40. 40. Vesícula Ao ingerir uma refeição, o nível de glicose no sangue aumenta, fazendo com que o pâncreas secrete a insulina responsável por captar a glicose do j? ” sangue e Ievá-Ia para dentro das 'f/ Parlijcgêggico células. No fígado, a glicose é K _g W armazenada sob a forma de glicogênio, ' _ _i7_ Duodeno processo denominado glicogeogênese. A Essas etapas diminuem a glicose âfgjfgggggfggãic: no duodeno circulante no sangue. fppgcom Carlyn lverson
  41. 41. Entretanto, durante ojejum, o nível de glicose no sangue cai e isso faz com o pâncreas secrete o glucagon que é responsável por inibir a glicogeogênese e, ao mesmo tempo, estimular a glicogenólise no fígado, ou seja, transformar glicogênio em glicose, sendo essa direcionada para o sangue. lpptcom _ ¡§Ê$io_r›¡ni$l¡i E “ @se . .K x “FA
  42. 42. DIABETES MELLITUS Doença ocasionada pelo aumento do açúcar (glicose) no sangue, causando uma hiperglicemia. Isso pode ocasionar uma perda excessiva de água, desidratação, produção de cetoácidos, podendo inclusive levar a morte do indivíduo. fppLcom
  43. 43. DIABETES MELLITUS r . 7 TIPO AÇÃO * - Comum em jovens com menos de 30 anos; TIPO1 - Ocorre a destruição das células beta (câncer ou doença autoimune); logo, não há produção de insulina. D d t d epen en e e - A pessoa deve tomar injeções diárias desse hormônio para I l' “suma que a taxa glicose no organismo fique adequada (70 a 120mg/100mL de sangue). - É a mais comum e ocorre em pessoas obesas com mais de T¡po 2 40 anos. - Há a produção de insulina, entretanto seus receptores lnde endente de . . . , p encontram-se defeituosos ou dimrnuidos. insulina - A doença pode ser controlada com dieta e medicamentos. fppncom
  44. 44. SAIBA MAIS SOBRE A DOENÇA ¡ o QUE É o DIABETES É uma doença que se caracteriza pelo Aumento aumento dos niveis de açúcar no sangue Dentro do estômago. parte do alimento é transformada em glicose A glicose entra na cirçulaçao sangürnea os DANOS_À Com o aumento da glicose. o sangue fica mais espesso, e deixa de circular pelas pequenas veias localizadas nas . _ 4 extremidades do corpo, _O DBFCFBÂS 070501 _ Sem a insulina, como as mãos e os pés. Insulina. que leva a glicose o nível de A dificuldade da circulação r a9 centro das celulas. No açúcar no sangüínea pode levar. em diabetes. é produzida sangue casos graves, à pouca ou nenhuma insulina aumenta necessidade de amputaçáo
  45. 45. "ll-a ? dIIÊIBiHAÍTÍbr-i: :A inàTi_l':1'lI$(ol: -- ~ (alma Ijuí¡ riam uiclzlloi ¡lrà , llt-lrnililuelçir-; lblnl ¡ (w ofolzlliojhvñlilfku: : loL-elllloílílunll: c-. iml c) l. i-izlúusar-: v IihÍl-*kiplfilplílli-*l* »mi-lim ol: 0lí=3a3lT= l0l= K=l= "=9ÓlTf-| íl= l(= l=! _ : lzixgçnr-IIJ: fppLcom
  46. 46. @Lgêlivputns PELVHCÉAS E EH©RM©NH©Ê 'ígjfln-l-lil»
  47. 47. I N ~ . Tuba ÚterO É o orgao onde sao produzidos os uterina , EE/ a x ~~ x gametas femininos. OS ovarios tem g Ãçx ', : uma região medular rica em vasos e 5_ a cortical, onde se localizam os ormdo ¡ntemo folículos. Eles têm a forma de : d° útem amêndoa, medindo até 5 cm em %*j7_3§§§; $o°“°'"° seu maior diâmetro e possui uma _; __vag¡na espessura máxima de 1,5 ' x x Í" fz 72 Pequenos centímetro. E lábios ràç/ jjAM lpptcom
  48. 48. r _ I V x @VAMOS , E , x l. ! _ '_*; l,~; _'_ A _ E' _ A* _E __ à- - u-í ri» lilmivilnli» l : um l PWÇIÇÍÍIVÁÍCÍÍÇH; çiçllclç; iíclliclllcx; riuílitczcn; IIEIÇÍÍIJÍCHL. 0:; iii, aL-iilrqgrfànllcn; nalilillrallz; :fika o aLãllnicíllcll, o ; Liiíicll a : i aLãlilrclml. <Í> ã-Làlilmciltcll á àriçlilltxc» cito c: clil; ic› grato: cvríllltcs; a HÊIHEIÇÍÍCJÇ; mi , clilnliálrai ? asia cito Cfldlcl IIEÍILÍÍMBJÍ. . A ÇIKCIÇÍÍQIÇÉÍC) @iai-fla ¡icimrônlto mrualn_ Cíílíllâlçjêl um : lãlfíllâl-FICÊIICÍTÉL, çiilnliicílo à GHÇIClIl-FÉÂVISÍ 'grato : lçlalracflniqnro Chile; :llnr-_lleL : iazulmk: :ienímiricilíliltcw: mi niilllllials, a vrall : libra : i nialiliclçlaullmi. O ; Lilrqçrêinlio : ÊIIIÍCIÉÍII çlrcwcxciai o : limit-lauro ski vnignmi a o cílr-Lxçinvrcfivilnisiilirr» cílcn; Fflfcltrole; em: :i iítlrczllnicíklni, :im o , citlÍcm . a czclfclilir Cl: pratas, cn; çiuizicílilr; :ia EIÍEKÇr-_llêlíll
  49. 49. TESTÍCU Los O testículo é a gônada sexual masculina dos animais sexuados produzindo as células de fecundação chamadas de espermatozóides (os gâmetas masculinos). Nos mamíferos ocorre aos pares e são cólon sigmóide reto vesícula seminal ducto ejaculatório protegidos fora do corpo por uma bolsa chamada escroto. próstata bexiga osso púbico . ¡, pêms / glândula bulbouretral v ânus corpo cavemoso epidídimo glande ã . Prepúcm m-¡rg/ v/, âlj _ E _ testículo orifício " v 2/ da uretra - escroto fppLcom
  50. 50. TESTÍCU LOS Os testículos têm duas funções básicas: A primeira é a produção de testosterona, que ocorre nas células de Leydig dos testículos. A testosterona é o hormônio sexual masculino mais importante, assim como o principal hormônio sexual feminino é o estrogênio, ou estrógeno. Os hormônios sexuais masculinos são chamados de androgênios, ou andrógenos. fppLcom
  51. 51. TESTÍCU LOS Os testículos têm duas funções básicas: A segunda função dos testículos é a produção de espermatozoides. No entanto, essa produção, que ocorre nos túbulos seminíferos dos testículos, só será possível se houver testosterona suficiente na circulação sanguínea e, de maneira especial, no local onde os espermatozoides são gerados. A fertilidade masculina, portanto, depende diretamente da função dos testículos e da testosterona. fppLcom
  52. 52. ,^. ~; T:Vl ; H _ 'ÊLFÍÍVJLÍÍHÍCIIRI Autran cíló-Lxçlnvrcllvllniçinltc; girl: : ÍHCÍTCÍÍCE; lalçllclcll! líf. llêl: i nlas-ic: iilllnir, l-3, cromo cg; "rçxrlíltczullcis cm : i glrtfxaltalti, r"lff1'l'llC“V1T-“ CBlülCÍÍâÍl-? ÍÍÍCP-. Pi : làrtlhlk: ãâlílllllÇÍF-JÍIEE, CIClÍllfÍl o : lilinialiiliio Chi i'ilill. ~ic: u.ll= .lilulrai, lmss-ni ÕLFl-TÍT-El a o fllêl-flCllíllâlliíCl sit: çiãllcx; rio ÇICIIçlCI; ; saiaiicflall ; nim : i : ainda a Íciçlniaarlinir a um çlraivrainiçfítc» Cla' cleiirçllílçilílrcxíá; ! lui nliãicíllal, :i cilialnliicílaicl: cita itslziiictvlr cum inicie; humanas: : â an¡ a : rala : i cmo vegas; angariar cio Qlllfn' ; mi e _ “ ai. , A : ÍÇLÍÍKCLFÍÍSIÍCIIHl cíla-içlniçisinliiai illnl çlalçxçll czaiiliirall : iai lltêllfiíêlníhlfÉÍCl a cílçlzlanvrcllvllihiailtr» CICIIIIÇIClfiílnlêlliiílii acçiclimiiiaig, alzlgisicflallnialiilta o : gira-situ
  53. 53. REFERÊNclA - HAMILTON F. NOBREGA. Anatomia humana: sistema endócrino. CESA (Centro de Estudos da Saúde). Disponível em: htt : t. slideshare. ne hamiltonnobre a7 au| a-07-sistema-endcrino- anatomia-e-fisiologia? gid=743b99da-5678-4997-aeb6- e077f3b5c550&v= defauIt&b= &from search=7 Acesso em: 11 maio 2015. - JOHN E. HALL. Tratado de ñsiologia médica. 12° ed. , Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. - ROBERTA DAS NEVES. Sistema endócrino. Educação: Biologia. Disponível em: htt : educacao. lobo. com biolo ia assunto ñsiolo ia-humana sistema-endocrino. htmI Acesso em: 11 maio 2015. fppLcom

×