Oficina de Tradução:Legendagem para Cinema e DVD
Introdução – Sessão III –18/8/12Legendagem   História   O processo de realização e tradução de um    filme   Métodos  ...
Mas antes...
Atividade de casa...* Fazer a tradução da fala do McNamara respectiva aos primeiros 45   segundos do documentário The Fog ...
Introdução A Legenda é a exposição do diálogo falado  nos filmes em forma textual na língua meta; Serve para transmitir ...
História   As primeiras legendas    projeção manual de slides,    cópia dos rolos de filmes independentes.   Os processo...
As etapas de um filme Pré-produção: financiamento, busca de  patrocinadores  para o tradutor: tradução de roteiros inicia...
O processo de tradução de umfilme   Negociação internacional: venda, exibição,    tradução;   Distribuidor local contrat...
Peculiaridade das Legendas   O confronto direto entre original e tradução;   O limite de espaço/tempo para a tradução; ...
Convenções“Da mesma forma que na dublagemse respeita o sincronismo labial, alegenda deve respeitar o tempo deentrada e saí...
Dublagem X LegendagemCaracterísticas da              Características da Legendagem  Dublagem                       O áudi...
Convenções   Não se faz   Dividir sílabas entre as linhas;   Misturar os pronomes tu e você;   Mudar a paridade auditi...
Convenções   Omissão...   Vocativos, quando se conhece o nome das pessoas;   Hesitações, gaguejos, vícios de linguagem,...
Convenções   Simplificação sintática    Componentes sintáticos em ordem direta em vez de inversa ou    intercalada;   O...
Convenções   Divisão de legenda longa em duas linhas:    avisa ao cérebro para ler mais rápido;
Convenções    Hoje eu vi o filho da              Hoje eu vi           Nancy.                    o filho da Nancy.   O nome...
ConvençõesUso de itálico:Dispositivos eletrônicos, narração, pensamentos, vozes em off, músicasUso de caixa alta:Em letr...
Legendas para Cinema   Rolos de filme de 35mm de largura;   Pietagem de 20 min de projeção – rolo duplo (2 partes    de ...
Legendas para CinemaConversão de fotogramas para caracteres: 16 f = 10 c           8f=5c 15 f = 9 c                 7f=4c ...
Voltando a Mcnamara
Para a próxima aula...   Usar o roteiro do documentário: Lynx    Liaison e fazer tradução para    legendagem levando em c...
Leituras Recomendadas   Teoría y Práctica de la Subtitulación Inglés Español (J.    Días-Cintas)   Conversas com Traduto...
Thankyou!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Oficina dublagem e legendagem - aula 3

1.392 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Oficina dublagem e legendagem - aula 3

  1. 1. Oficina de Tradução:Legendagem para Cinema e DVD
  2. 2. Introdução – Sessão III –18/8/12Legendagem História O processo de realização e tradução de um filme Métodos Características Convenções Traduzindo para cinema.
  3. 3. Mas antes...
  4. 4. Atividade de casa...* Fazer a tradução da fala do McNamara respectiva aos primeiros 45 segundos do documentário The Fog of War. Levem em conta as características que vimos em sala sobre as especificidades da tradução pra dublagem (movimento labial, oralidade, pausas, hesitações..) - usem o artigo Translator, Adapter, Screenwriter que debatemos para relembrar os pontos importantes. * Com esse mesmo texto, adaptem a tradução que vocês fizerem pra dublagem para como vocês acham que deve ser na legendagem. Não é preciso se preocupar com os detalhes técnicos - que ainda aprenderemos. Apenas pensem nas decisões que vocês devem tomar quando precisar reduzir o texto. ** O importante nessas duas atividades é que reflitam sobre as escolhas que vocês fizeram e possam justificar o que os levou a tomá-las. **
  5. 5. Introdução A Legenda é a exposição do diálogo falado nos filmes em forma textual na língua meta; Serve para transmitir o conteúdo da obra sem interferir no áudio original; Costuma ficar na parte inferior da tela; Por que se faz?
  6. 6. História As primeiras legendas projeção manual de slides, cópia dos rolos de filmes independentes. Os processos e métodos queima da emulsão/parafina (químico), laser. Legendagem para festivais (eletrônicas).
  7. 7. As etapas de um filme Pré-produção: financiamento, busca de patrocinadores para o tradutor: tradução de roteiros iniciais, para patrocinadores, produtores ou críticos... Produção: gravação, alterações no roteiro. para o tradutor: suporte aos produtores, etc. Pós-produção: finalização, sonorização. para o tradutor: tradução para dublagem/legendagem.
  8. 8. O processo de tradução de umfilme Negociação internacional: venda, exibição, tradução; Distribuidor local contrata produtora ou laboratório: uma ou outra podem buscar o tradutor; Tradutor realiza o trabalho; Tradução é enviada à produtora para pós- produção e controle de qualidade; O produto final é exibido.
  9. 9. Peculiaridade das Legendas O confronto direto entre original e tradução; O limite de espaço/tempo para a tradução; O texto não tem autonomia.Convenções Posição inferior da tela Número máximo de linhas 2 Número de caracteres por linha 30 a 35 (TV) 35 a 40 (Cinema e DVD) Cor da fonte branca opaca para cinema e DVD, amarela para TV Duração na tela 150 a 180 ppm / máx de 6ss, mín 1s
  10. 10. Convenções“Da mesma forma que na dublagemse respeita o sincronismo labial, alegenda deve respeitar o tempo deentrada e saída das falas".
  11. 11. Dublagem X LegendagemCaracterísticas da Características da Legendagem Dublagem  O áudio de partida é mantido Perda do diálogo de partida  Necessidade de um menor Necessidade de maior número de profissionais (menor custo) número de profissionais  Mais rápido (maior custo)  Sobreposição da imagem de Mais lento partida Respeita a imagem de  Maior redução do texto de partida partida Menor redução do texto de  Menor possibilidade de partida manipulação Possibilidade de maior  É determinada por restrições de manipulação do diálogo espaço e tempo  Dois códigos linguísticos Depende da sincronia labial diferentes, ao mesmo tempo Apenas um código  Passa de um texto oral para um linguístico escrito
  12. 12. Convenções Não se faz Dividir sílabas entre as linhas; Misturar os pronomes tu e você; Mudar a paridade auditiva (mesma ordem frasal do original): “You‟re not being yourself” você está fora de si. “Yes, I am.” Não, estou não.Usar com parcimônia Prá, tá, né. Gírias, preferir formas coloquiais conhecidas. Evitar os pronomes seu/sua – preferir dele/dela.
  13. 13. Convenções Omissão... Vocativos, quando se conhece o nome das pessoas; Hesitações, gaguejos, vícios de linguagem, desde que irrelevantes; Falas de fundo que não são importantes para o conteúdo; Respostas sucintas e expressões de engajamento lingüístico: „sim‟, „não‟, „ok‟, „oi‟, „tchau‟. Tais palavras são consideradas de fácil entendimento pelo público geral e podem ser omitidas.; Termos onomatopaicos; Construções redundantes ou desnecessariamente longas. ...X Explicitação Palavras do diálogo enunciadas de modo enfático ; Palavras facilmente identificadas ou compreendidas pelo público- alvo
  14. 14. Convenções Simplificação sintática Componentes sintáticos em ordem direta em vez de inversa ou intercalada; Orações coordenadas em vez de subordinadas; Construções ativas em vez de passivas; Construções positivas em vez de negativas; Verbos simples em vez de compostos; Interrogações em vez de perguntas indiretas; Imperativo em vez de solicitações indiretas. Segmentação (spotting) Gramatical (de acordo com as unidades semânticas do diálogo) Retórica (segue o ritmo dos diálogos) Visual (segue os cortes e movimentos de cena)
  15. 15. Convenções Divisão de legenda longa em duas linhas: avisa ao cérebro para ler mais rápido;
  16. 16. Convenções Hoje eu vi o filho da Hoje eu vi Nancy. o filho da Nancy. O nome dele é Robert O nome dele Murlow. é Robert Murlow.Parabéns! A sua casa é muito Parabéns! bonita A sua casa é muito bonita. Ele trabalha muito, mas Ele trabalha muito, não deixa de se divertir mas não deixa de se divertir.
  17. 17. ConvençõesUso de itálico:Dispositivos eletrônicos, narração, pensamentos, vozes em off, músicasUso de caixa alta:Em letreiros, cartazes, faixas, placas.
  18. 18. Legendas para Cinema Rolos de filme de 35mm de largura; Pietagem de 20 min de projeção – rolo duplo (2 partes de 10 min) Unidade de medida Pé (medida imperial = 30,48cm) 1 pé = 16 fotogramas ou quadros/frames A cada segundo é projetado 1,5 pé de filme; A cada segundo são projetados 24 fotogramas. Regras Gerais 32 a 40 caracteres por linha (34 a 37 no Brasil) Ritmo de leitura: 10 caracteres por pé (=15/seg)
  19. 19. Legendas para CinemaConversão de fotogramas para caracteres: 16 f = 10 c 8f=5c 15 f = 9 c 7f=4c 14 f = 8 c 6f=4c 13 f = 8 c 5f=3c 12 f = 7 c 4f=2c 11 f = 7 c 3f=2c 10 f = 6 c 2f=1c 9f=5c 1f=1c
  20. 20. Voltando a Mcnamara
  21. 21. Para a próxima aula... Usar o roteiro do documentário: Lynx Liaison e fazer tradução para legendagem levando em conta os parâmetros para DVD.
  22. 22. Leituras Recomendadas Teoría y Práctica de la Subtitulación Inglés Español (J. Días-Cintas) Conversas com Tradutores (Ivone Benedetti, org) Teses TV or not TV? Subtitling and English skills A Tradução para Legendas: dos polissistemas à singularidade do tradutor Temporada de Risos: o Humor em Sex & CityMatériasO Caminho das Legendas – O Globo, 17/8/2008Expansão na Legendagem abre novas possibilidades – O Fluminense
  23. 23. Thankyou!

×