Governo Lula: SegundoMandato (2007-2010):
• 2007 – No primeiro ano do segundo mandato, Renan  Calheiros liderou o ranking de escândalos e ainda vimos o  governo usa...
• 2008 – O escândalo dos cartões corporativos marcou o  governo, logo no início do ano. E ninguém escapou  (nem a oposição...
• 2009 – Com índices de 80% de aprovação popular, Lula  foi eleito “homem do ano” pelo Le Monde, pelo  Guardian e até pelo...
• 2010 – O último ano de Lula no governo foi também o ano  de sua aprovação máxima, com direito até a filme  blockbuster (...
O 2º mandato lula
O 2º mandato lula
O 2º mandato lula
O 2º mandato lula
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O 2º mandato lula

869 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
869
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O 2º mandato lula

  1. 1. Governo Lula: SegundoMandato (2007-2010):
  2. 2. • 2007 – No primeiro ano do segundo mandato, Renan Calheiros liderou o ranking de escândalos e ainda vimos o governo usando sua absolvição como moeda de troca no congresso para manter a CPMF. Mas a pauta que predominou foi mesmo a crise aérea. Os desdobramentos, as justificativas, tudo beirava o surreal. Desde o top-top de Marco Aurélio Garcia, passando pela omissão do Lula no desastre da TAM em Congonhas, quem acabou levando o troféu foi Marta Suplicy, então ministra do turismo, com seu “relaxa e goza”. Enfim, Lula teve o 2º mandato inteiro para desatar esse nó — mas a crise aérea persiste ainda hoje, sendo controlada a conta-gotas, em doses homeopáticas. A pergunta que se faz agora é: seria essa uma herança maldita que Lula deixa para a Dilma?
  3. 3. • 2008 – O escândalo dos cartões corporativos marcou o governo, logo no início do ano. E ninguém escapou (nem a oposição). Depois do dossiê, ou melhor, “banco de dados” anti-FHC na casa civil, o Brasil ficaria conhecendo uma certa Erenice Guerra, que despontaria para a fama, dois anos depois. Mas o personagem daquele ano foi Daniel Dantas que, entre um mandado de prisão e outro, recebia alvarás de soltura à velocidade da luz — deixando evidente como todos (governo, oposição e poder judiciário) têm telhado de vidro e estão no bolso dos endinheirados.
  4. 4. • 2009 – Com índices de 80% de aprovação popular, Lula foi eleito “homem do ano” pelo Le Monde, pelo Guardian e até pelo Obama. Acontece que Sarney também foi “eleito” o homem do ano (aqui no Brasil), com seus atos secretos e seu coronelismo. Eis que “o cara” precisou colocar sua popularidade a serviço do governo para salvar o acordo com o PMDB, mostrando que a elasticidade ética no Brasil não conhece limites. Já no final do ano, tivemos o natal do DEMsaleiros, com muitos panetones e maços de dinheiro na meia de todo mundo… Pois é, por trás de todo “grande” partido, sempre tem um grande mensalão.
  5. 5. • 2010 – O último ano de Lula no governo foi também o ano de sua aprovação máxima, com direito até a filme blockbuster (que acabou não arrasando quarteirões). Tal aprovação o credenciou para fazer sua sucessora, a presidente (ou seria presidenta?) Dilma Rousseff. Mas, apesar dos seus mais de 80% de aprovação, Lula queria a unanimidade e decidiu partir para o ataque. Primeiro entrou em confronto com a imprensa, depois quis extirpar o natimorto DEM e, para fechar, criticou os outros menos de 20% que não o aplaudem, acusando-os de preconceito. Ao longo dos dois mandatos, Lula se consolidou como líder popular e carismático, mas também se mostrou rancoroso e provou que, para ser magnânimo, ele precisava dos 100% de aprovação popular.

×