A Europa nos
séculos XVII e XVIII
A Europa dos Estados
Absolutos
Conteúdos
• A população da Europa nos
séculos XVII e XVIII
• A Europa dos Estados
Absolutos e a Europa dos
Parlamentos
• C...
Objetivos
• Identificar os fatores que interferiram no comportamento
demográfico das populações europeias nos séculos XVII...
organizada a
sociedade de
ordens?
• sociedade encontra-se fortemente
hierarquizada em ordens ou
estados
• poder, a ocupaçã...
A nobreza
• A nobreza constitui o segundo
estado, sendo uma peça
fundamental para o regime
monárquico
• organiza-se como u...
O clero
• O clero, considerado o primeiro
estado, é o único que não se
adquire pelo nascimento, mas
pela tonsura
• goza de...
Os não
privilegiados
• ordem não privilegiada, inferior na
consideração pública
• ordem tributária por excelência
• compos...
O poder absoluto
• O poder do monarca absoluto é sagrado, ou seja,
escolhido por Deus, possui certas qualidades
intrínseca...
Manifestações da
hierarquia social
• sociedade de símbolos;
• trajes (reservando-se o uso de certos
tecidos, de certos ado...
Caraterísticas da
Filosofia das
Luzes
• O raciocínio humano seria o meio de atingir o
progresso em todos os campos
• Acred...
Causas da
Revolução
Francesa
• O défice orçamental está na origem da convocação dos
Estados Gerais
• Impotência da monarqu...
Princípios da
Declaração do
Homem e do Cidadão
• Liberdade individual é, por
consequência, um direito natural,
inviolável ...
Apresentação Sociedade de Ordens
Apresentação Sociedade de Ordens
Apresentação Sociedade de Ordens
Apresentação Sociedade de Ordens
Apresentação Sociedade de Ordens
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação Sociedade de Ordens

534 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
534
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Sociedade de Ordens

  1. 1. A Europa nos séculos XVII e XVIII A Europa dos Estados Absolutos
  2. 2. Conteúdos • A população da Europa nos séculos XVII e XVIII • A Europa dos Estados Absolutos e a Europa dos Parlamentos • Construção da modernidade europeia • As Revoluções Liberais
  3. 3. Objetivos • Identificar os fatores que interferiram no comportamento demográfico das populações europeias nos séculos XVII e XVIII. • Caraterizar as crises demográficas do século XVII. • Identificar as condições económicas, sociais e culturais em que vivia a população rural nos séculos XVII e XVIII. • Caraterizar a sociedade do Antigo Regime. • Diferenciar as três ordens, a sua composição e o seu estatuto. • Reconhecer, nos comportamentos, os valores da sociedade de ordens. • Analisar as razões e o carácter das amotinações populares. • Reconhecer os princípios liberais da Revolução Francesa.
  4. 4. organizada a sociedade de ordens? • sociedade encontra-se fortemente hierarquizada em ordens ou estados • poder, a ocupação, a consideração social de cada indivíduo são definidos pelo nascimento e reforçados por um estatuto jurídico diferenciado • três ordens ou estados: o clero, a nobreza e o povo ou Terceiro Estado, multiplicadas por várias subcategorias • mundos paralelos, mentalidades e formas de vida quase antagónicas
  5. 5. A nobreza • A nobreza constitui o segundo estado, sendo uma peça fundamental para o regime monárquico • organiza-se como um grupo fechado, demarcado pelas condições de nascimento, pelo poder fundiário, pela sua função militar • isenção de pagamentos ao Estado, regime jurídico próprio e usufruto de alguns direitos de natureza senhorial
  6. 6. O clero • O clero, considerado o primeiro estado, é o único que não se adquire pelo nascimento, mas pela tonsura • goza de imunidades e privilégios (isenção fiscal e militar) e beneficia do direito à cobrança do dízimo, desempenhando altos cargos
  7. 7. Os não privilegiados • ordem não privilegiada, inferior na consideração pública • ordem tributária por excelência • composição muito heterogénea, cujas diferenças residem essencialmente na atividade profissional e modo de vida • salienta-se o estrato dos camponeses e o da burguesia (mercadores, banqueiros e cambistas, advogados, notários e, por fim, artesãos, trabalhadores assalariados não qualificados, geralmente associados ao trabalho braçal)
  8. 8. O poder absoluto • O poder do monarca absoluto é sagrado, ou seja, escolhido por Deus, possui certas qualidades intrínsecas: bondade, firmeza, força de carácter, prudência, capacidade de previsão • É absoluto, o que significa independente, por isso, o príncipe não deve prestar contas a ninguém do que ordena e não está coagido de forma alguma • Pessoal (ou seja, não admitindo delegações) • O poder real parecia não admitir limites: nenhum privilégio e nenhuma liberdade, privada ou pública, estava acima do rei • O Rei era o supremo juiz no seu reino e as suas decisões eram únicas que não admitiam apelação • Possuía a chefia suprema do exército e só ele podia declarar a guerra ou a paz; chefiava todas as instituições e órgãos político-administrativos e a ele eram devidos todos os impostos
  9. 9. Manifestações da hierarquia social • sociedade de símbolos; • trajes (reservando-se o uso de certos tecidos, de certos adornos como a prata para a nobreza) • formas de saudação e tratamento que se adoptavam e a que tinham direito pela sua condição social (por exemplo, um eclesiástico receberia o tratamento de Sua Eminência, Sua Excelência ou Sua Senhoria, Vossa Mercê ou Dom) • conjunto rígido de regras de protocolo, sendo todos os comportamentos previstos.
  10. 10. Caraterísticas da Filosofia das Luzes • O raciocínio humano seria o meio de atingir o progresso em todos os campos • Acreditava na existência de um conjunto de direitos próprios da natureza humana • Defendem a igualdade entre todos os homens; • Liberdade de todos os homens • O direito à posse de bens • O direito a um julgamento justo • Os direitos eram universais • Jean-Jacques Rosseau defende a soberania do povo • Montesquieu defende a doutrina da separação dos poderes (legislativo, executivo e judicial) como garantia de liberdade dos cidadãos • Voltaire advoga a tolerância religiosa e a liberdade de consciência
  11. 11. Causas da Revolução Francesa • O défice orçamental está na origem da convocação dos Estados Gerais • Impotência da monarquia para suprimir os privilégios • O apoio à guerra de independência da América • A ameaça crónica da penúria faz da fome • O endurecimento dos privilegiados, a firmeza com que defendem os seus lugares, contribuem para exacerbar os antagonismos • A deslocação da riqueza, que empobrece a nobreza e enriquece a burguesia • A monarquia não terá perecido mais por excesso de fraqueza do que de autoridade: por não ter conseguido impor aos privilegiados o respeito pelo interesse geral • O movimento das ideias do século XVIII contribuíram para a génese da revolução • A revolução americana propõe uma solução alternativa a uma parte da opinião pública
  12. 12. Princípios da Declaração do Homem e do Cidadão • Liberdade individual é, por consequência, um direito natural, inviolável e imprescritível • Liberdade de opinião • Liberdade de imprensa • Direito à propriedade, segurança e resistência à opressão • Direito à igualdade implicava a igualdade perante a lei, perante a justiça, perante a administração e perante os impostos • O rei era apenas o mandatário do povo, de quem recebia o poder; e a lei, a expressão da vontade geral • O poder devia funcionar tripartido, estando cada função entregue a órgãos diferentes e independentes

×