Grécia e Roma

1.117 visualizações

Publicada em

Aulas de Antiguidade Ocidental. Professor Marcelo

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.117
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
65
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Grécia e Roma

  1. 1. Antiguidade Ocidental (Clássica) Grécia
  2. 2. Grécia Antiga ou Hélade • Onde? Bacia do Mar Egeu. Posteriormente atinge o sul da Itália e da França e o nordeste da África; • Mar Mediterrâneo – Principal via de comunicação; • Periodização: Período pré-helênico, homérico, arcaico, clássico e helenístico;
  3. 3. Grécia pré-helênica • Antes da chegada dos dórios existiam duas civilizações: Cretenses na ilha de Creta e aqueus ou micênicos no continente Europeu; • 1400 a.C. – Aqueus dominam cretenses; • 1200 ou 1100 a.C. – dórios invadem e acabam com os palácios micênicos; • Devido a expansão dos dórios, os aqueus migram para a costa e as ilhas da Ásia Menor (região Jônia e Eólia);
  4. 4. Grécia pré-helênica • Região Jônia e Eólia –aqueus migram e conservam sua tradição de cunho patriarcal, criando pequenos povoados agrícolas (Primeira diáspora grega); • Invasão dos dórios = regresso cultural, porém significa o embrião de uma nova cultura, a da civilização grega.
  5. 5. • Aqueus – fundaram a civilização micênica na península do Peloponeso; • Jônios – Fundaram Atenas e foram a África; • Eólios – dirigiam-se para a Grécia Central; • Dórios – últimos a chegar, causando a destruição da civilização micênica e fundando, mais tarde, Esparta.
  6. 6. Período Homérico (séc. XII – XI a.C.) • Escassez de fontes – restam apenas os poemas épicos de Homero “Ilíada” e a “Odisséia”; • Mistura de lendas e ocorrências históricas sobre as guerras entre os dórios e os aqueus;
  7. 7. Período Homérico (séc. XII – XI a.C.) • Sociedade: Reis (Basileu) e nobres, senhores de terras e rebanhos; • Nobres organizavam-se em famílias extensas (genóis). Membros tinham laço sanguíneo ou religioso; • Oikos – Unidade econômica composta por terras, casas, ferramentas, armas e gado. Pastoreio, agricultura de cereais, legumes, frutas, produção de óleo e vinho, fiação e tecelagem. Autossuficiente.
  8. 8. Período Homérico (séc. XII – XI a.C.) • Guerras constantes entre nobres chefes de oikos vizinhos para captura de escravos e metal; • Trabalhadores livres → Demiurgos • Tetes ou tetas – homens sem posse, trabalhavam em troca de alimentos e roupas; • A escravidão não era dominante nesse período!!
  9. 9. Período Arcaico (século VIII a.C.) • Comunidades da Jônia – Imigrantes aqueus desenvolvem o comércio, o artesanato e a navegação, ressurge a escrita; • Surge a fusão de várias aldeias em uma só, dando origem à pólis (cidade-estado) – sinecismo; • Pólis – Núcleos urbanos independentes, de lavradores e proprietários de terras. Rendimentos da produção de azeite e vinho.
  10. 10. Características de uma Pólis • Acrópole – Centro religioso; • Ágora – Centro – onde se localizavam os prédios públicos, o mercado e a praça de reunião dos cidadãos; • Solo pobre + concentração de terras na mão da aristocracia + escravidão por dívidas = migração em direção aos mares Negro e Mediterrâneo (segunda diáspora grega);
  11. 11. Tipos de colônias gregas • Povoamento – “apoikias” – Siracusa, Cirene, Tarento e Bizâncio; • Exploração comercial – “emporion” – entreposto comercial. Permitiu o fornecimento de produtos e matéria-prima à metrópole;
  12. 12. Período Arcaico (século VIII a.C.) • Nova visão de mundo graças aos contatos interculturais; • Estudos sobre razão, lógica, matemática, entre outras áreas; • Filosofia, literatura, história, geometria, arquitetura, escultura, teatro, leis, oratória, debate, voto;
  13. 13. Pólis (cidades-estado) • Organização política oligárquica – domínio da nobreza hereditária sobre o resto da população; • Somente os aristocratas podiam exercer cargos como Magistrado, membro do conselho de anciãos e da Assembléia dos cidadãos; • Diferentes formas de governo: oligarquia, tirania e democracia; • Existência do trabalho escravo – escravo por captura, compra ou por dívida;
  14. 14. Cidades-estado: Esparta (Lacedemônia) • Onde? Região do Peloponeso, fundada pelos dórios; • Sociedade dividida em três classes: Classe dominante – Esparciatas (cidadãos), proprietários de terras – Kleros – cultivadas pelos hilotas; Dedicavam-se às tarefas públicas e militares;
  15. 15. Esparta • Hilotas – classe mais numerosa, descendentes da população nativa dominada; • Periecos – Artesãos e camponeses, livres porém não possuiam nenhum direito; • Sociedade militarizada; sistema hoplítico de combate – hoplitas.
  16. 16. Esparta - Política • Organização política oligárquica – regida por leis não escritas atribuídas ao legislador Licurgo; • Diarquia – Dois reis com poderes militares religiosos; • Gerúsia (Conselho de anciãos) – 28 membros com mais de 60 anos – faziam as leis;
  17. 17. Esparta - Política • Éforos (vigilantes) – 5 membros escolhidos anualmente – fiscalizavam tudo e todos; encarregados de convocar a Assembléia de cidadãos (Apela); • Apela – Formada por esparciatas com mais de 30 anos – elegia os gerontes e os éforos e votava as propostas da Gerúsia e do Eforado; • Cidade-estado fechada em si mesma – xenófobos.
  18. 18. Atenas: oligarquia, tirania e democracia escravista • Onde? Península Ática, ocupada pelos jônios; • Divisão social: • Eupátridas – origem gentílica (donos de terras); • Georgói – pequenos proprietários de terras; • Demiurgos – Trabalhadores livres no geral; • Metecos – Estrangeiros;
  19. 19. Atenas – Política e economia • Oligarquia Eupátrida reunidos em um conselho de nobres, o Areópago. Escolhiam os magistrados (Arcontes); • Economia fortemente agrária com uso intenso de escravos; • A escravidão por dívidas gera diversos conflitos entre o “demos” (povo) e a oligarquia.
  20. 20. Atenas – Política e economia • Sólon – eleito arconte em 594 a.C. – redigiu novas leis – fim da escravidão por dívidas; • Garantiu o voto das classes mais baixas no Assembléia popular – Eclésia; • Criou o conselho dos 400 – Bulé – composta por cidadãos maiores de 30 anos. 100 por cada uma das 4 tribos jônicas de Atenas;
  21. 21. Importante • Reformas de Sólon – Somente para cidadãos nascidos em Atenas, excluindo estrangeiros (metecos), mulheres e escravos;
  22. 22. Tirania • Líder político que tomava o poder apoiado pelas massas; • Reformas nas legislações agrárias em benefício das classes populares; ampliação do direito à cidadania; • Psístrato – distribuiu terras confiscadas aos camponeses (pequenas propriedades de terra); Geração de empregos, intensa construção de obras públicas;
  23. 23. Democracia • Estabelecida por Clístenes, após a morte de Hípias (último tirano); • Votação secreta para o Conselho dos 400 – Bulé – torna-se conselho dos 500; • Acabou com o predomínio das grandes famílias gentílicas; • Criação do cargo de estratego (magistrado militar) e do ostracismo; • Helié – Conselho de seis mil cidadãos.
  24. 24. Período Clássico (séc. V e IV a.C.) • Guerras médicas (Gregos x Persas); • Liga de Delos 477 a.C. coligação de cidades- estado gregas para evitar novas invasões persas; • Apogeu da vida política e cultural de Atenas no governo de Péricles; • Guerra do Peloponeso (Atenas x Esparta) – vitória de Esparta;
  25. 25. Invasão Macedônica • Filipe II da Macedonia invade a Grécia na batalha de Queronéia; • Felipe foi sucedido por seu filho Alexandre, fundador do Império Macedônico. • O império Macedônico englobou Grécia, Pérsia, Mesopotâmia e Egito;
  26. 26. Período Helenístico (séc. IV a.C.) • Agricultura base da economia; • Quase inexistência da escravidão; • Monarca concentrava todos os poderes – militar, religioso e judiciário; • Legado cultural – Helenismo – Fusão entre cultura grega e macedônica;
  27. 27. Roma Antiga 1000 a.C. – Península Itálica
  28. 28. Roma Antiga • Erguida por latinos e sabinos; • Divide-se em: • Monarquia (VIII-VI a.C.) • República (VI-I a.C.) • Império (I-V d.C)
  29. 29. Monarquia (753-509 a.C.): Política • 7 reis ao todo; • Senado (Conselho de anciãos) – limitava o poder do Rei; • Assembléia (Cúria) – onde os demais cidadãos aprovavam as leis do Senado; • Séc VII – Etruscos dominam Roma e passam a nomear o Rei;
  30. 30. Monarquia: Sociedade • Patrícios – aristocracia latifundiária, viviam em clãs (genes); • Plebeus – Desligados de qualquer clã: comerciantes, artesãos, sem cidadania e direitos políticos; • Clientes – Trabalhavam nos clãs em troca de subsistência; • Escravos – Frutos de combate ou dívidas.
  31. 31. República (509-29 a.C.) - Política • Marco: deposição do Rei etrusco Tarquínio; • Patrícios controlam os altos cargos da República; • Magistraduras – Comandavam a cidade. Consulado dual e anual. • Senado (vitalício) – zelar e supervisionar a cidade. • Assembleias ou comícios (Centuriata e tribunícia) – Interesse dos patrícios também prevalecia nas assembléias.
  32. 32. República: Transformações e conquistas dos plebeus • Conflitos entre patrícios e plebeus; • Tribuno da plebe: poder de veto de leis; • Lei das XII tábuas: estabelecer as leis escritas; • Lei Canuléia: Permite o casamento entre patrícios e plebeus; • Lei Licínia: plebeus podem exercer cargos no senado e nas magistraduras. Fim da escravidão por dívidas;
  33. 33. República: Transformações e conquistas dos plebeus • Lei ogúlnia: Plebeus podem integrar o sacerdócio; • Lei hortênsia: reconhecimento legal dos plebiscitos;
  34. 34. República: Expansão territorial • Guerras Púnicas: Roma x Cartago; • Lutaram pelo domínio da Sicília e do mar mediterrâneo; • Aníbal (Cartago) x Ciprião (Roma); • Com a vitória, Roma ruma ao Império;
  35. 35. Crise da República • Concentração de riqueza, terras; • Afastamento dos plebeus da vida política; • Partido aristocrático x Partido popular • Tentativa de reforma agrária dos irmãos Tibério e Caio Graco: distribuição de terras entre o povo (ager publicus), foram perseguidos e assassinados (optimates);
  36. 36. Crise da República • Mário (populares) x Sila (conservadores): Mário morre e Sila realiza reformas aristocráticas; • Revolta de Espártaco: Revolta de escravos e classes humildes. Reprimida por Crasso; • Cícero (conservador) x Catilina (popular)
  37. 37. Crise da República • Primeiro Triunvirato – (Pompeu, Crasso e Júlio César). • Júlio Cesar – Tentativa de reforma agrária. É assassinado na reação senatorial • Segundo Triunvirato – (Otávio, Marco Antônio e Lépido). • Lépido e Marco são mortos pelas mãos de Otávio que se autoproclama Imperador de Roma.
  38. 38. Império Romano (27-476 d.C.) • Alto Império (principado) e Baixo Império; • Principado: Prosperidade econômica, paz e segurança: PAX ROMANA; • Consolidação do Império, expansão territorial e escravista, centralização do poder, pão e circo; • Morte de Otávio – Crise do século III, ascensão e queda de diversos imperadores;
  39. 39. Baixo Império: a decadência de Roma • Crise comercial e Agrícola; • Pressão dos povos germânicos (bárbaros); • Fim do Expansionismo e crise do escravismo; • Dioclesiano – Monarquia autoritária, Tetrarquia, Grande perseguidor de cristãos (Era dos mártires); • Cidadania – Pertencente a comunidade civil romana (civita);
  40. 40. Baixo Império: a decadência de Roma Constantino – Edito de Milão: Liberdade religiosa aos cristãos; Teodosio – Edito de Tessalonica – Cristianismo se torna a religião oficial do Império Romano; Dividiu o Império em duas partes: Ocidente (Roma) e Oriente (Constantinopla); 476 d.C.: Queda de Roma Ocidental perante os bárbaros Hérulos;

×