Ambiente marinho

331 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
331
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ambiente marinho

  1. 1. Universidade Estadual Vale do Acaraú- UVA Aluna: Hiria M° de Lima Turma:210 Disc: Ecologia Ambiental Professora:Flávia Tema: Ambiente Marinho João Pessoa - PB 17/11/14
  2. 2. Introdução Os ambientes marinhos, é um dos maiores ecossistemas existentes na superfície terrestre, ele é como um chefe de todo o percurso para a funcionalidade certa do planeta, já que nele podemos usufruir de diversos bens. Nele habita milhares de espécies, das quais muitas o homem não se conhece. Este ecossistema, está sendo cada vez mais degradado, com a ajuda do homem, no qual faz o único papel neste mal. Este ecossistema é caracterizado por diversas maneiras, para tais características, os pontos principais para elaborar estas classificações são: a luz, e o oxigênio. No qual em lugares não há luz, e o ar fica rarefeito. Muitos seres vivos estão sumindo e deixando de existir, este processo está cada vez crescendo mais, e com certeza, muitos animais ainda entrarão em extinção. Ecossistema marinho é a denominação dada aos ecossistemas presentes nas regiões sob influência da água do mar, como oceanos e sua zona costeira. O conjunto dos ecossistemas marinhos é conhecido como talassociclo. Os ecossistemas marinhos são encontrados nos seguintes ecótopos: Estuários Fossas abissais Litoral Lagoa Plataforma continental Talude continental Zona bentônica Zona pelágica Os principais fatores abióticos Os principais fatores abióticos no ambiente marinho são: luz, temperatura, salinidade e pressão hidrostática.
  3. 3. Quando comparamos o ambiente marinho com o terrestre encontramos uma variação menor no que diz respeito a esses fatores. A temperatura e a salinidade podem ser apontadas como os dois principais fatores abióticos das massas d’água oceânicas. A temperatura superficial da água varia de acordo com as estações do ano e com a latitude; porém, essa variação é menor do que a observada em ambientes terrestres, pois, os oceanos retêm maior quantidade de calor, que é liberado mais vagarosamente do que na terra. A salinidade média do mar é de 3,5% (35 partes por mil). Em regiões costeiras, normalmente é menor e tende a apresentar uma variação maior, já que sofre também a influência de rios e da água da chuva proveniente da costa. Podemos classificar o ambiente marinho quanto à: Penetração da luz: - Zona Eufótica: bem iluminada e por isso rica em algas (seres autótrofos) e animais. - Zona Disfótica: pouco iluminada; a "perda" da luminosidade ocorre devido a absorção mais rápida dos comprimentos de onda longos (vermelho e amarelo) e mais lenta dos comprimentos de onda curtos (verde e azul). - Zona Afótica: iluminação totalmente ausente e nenhuma forma de vida capaz de realizar fotossíntese; encontrados apenas seres heterótrofos. Profundidade: - Zona Litorânea ou Zona entre marés: região afetada pelas flutuações das marés, ora emersa, ora submersa; é bem iluminada, oxigenada e rica em nutrientes; são abundantes os organismos fixados em rochas, como, cracas e mexilhões, altamente adaptados para este modo de vida. - Zona Nerítica: região do mar sobre a plataforma continental; sua profundidade aumenta gradativamente, indo até cerca de 200 metros de profundidade; é a zona de maior importância econômica, pela riqueza imensa de plâncton e nécton, principalmente grandes cardumes de peixe. - Zona Oceânica ou Zona Batial: corresponde ao declive, acentuado, que ocorre após a plataforma continental: de 200 a 2.000 metros de profundidade, ocupando o chamado talude continental; devido à ausência de luz não existem algas e os animais são reduzidos; - Zona Abissal: região de água pouco movimentada e uniformemente fria e onde não penetra luz; estende-se de 2000 metros até as maiores profundezas, com algumas espécies extremamente adaptadas às grandes pressões, à ausência total de luminosidade e à conseqüente escassez de alimento; restos orgânicos das camadas superiores caem lentamente em direção ao fundo, proporcionando, o aproveitamento da matéria orgânica pelos animais das camadas inferiores, inclusive servindo como
  4. 4. alimento para os animais saprófitos e as bactérias decompositoras; os animais dessa região apresentam bioluminescência, têm visão muito sensível, capaz de responder a pequenos estímulos luminosos e formas bizarras, como boca e dentes grandes para facilitar a captura das presas e estômago dilatável. Ecologicamente os organismos marinhos podem ser divididos em: - Plâncton: formado por organismos que vivem em suspensão na água e são arrastados pelas ondas e correntes; dividem-se em fitoplâncton representado por organismos capazes de realizar fotossíntese e, portanto, produtores da cadeia alimentar e responsáveis pela produção de mais de 90% do oxigênio liberado no planeta ( algas ) e zooplâncton, representado por organismos heterótrofos (larvas de muitos invertebrados, de peixes, pequenos crustáceos, etc,) consumidores primários e secundários da cadeia alimentar e que servem de alimento para diversos outros animais. - Bentos: formado por organismos que vivem fixos (sésseis) ao substrato ou dependem dele para sua sobrevivência, é representado por inúmeras algas e por uma gama variada de invertebrados (esponjas-do-mar, anêmonas-do-mar, corais, vermes, diversos moluscos, caranguejos, siris, estrelas-do- mar, ouriços-do-mar, ascídeas, etc.) e de peixes (néon-goby, maria-da-toca, etc.). - Nécton: formado por organismos de vida livre que conseguem vencer as correntezas; é representado basicamente pelos polvos e lulas (cefalópodos), peixes, mamíferos marinhos (baleias, golfinhos, focas, etc) e aves marinhas. Podemos dividir, ainda, o ambiente marinho em sistemas: - Bentônico: é o habitat dos substratos submarinos, quer sejam artificiais, naturais, biológicos ou não- vivos; os organismos que colonizam estes substratos, seja durante toda sua existência ou somente em uma fase do ciclo de vida, são denominados coletivamente bentos; abriga a maior parte da diversidade biológica dos oceanos, além de ser o destino final dos poluentes que são lançados nos mares pelo homem. - Pelágico: compreende o domínio das massas d’água, colonizado por organismos planctônicos e nectônicos, ou simplesmente plâncton e nécton; abriga os principais produtores primários dos oceanos e a maior parte do pescado capturado pelo homem. Os ecossistemas marinhos brasileiros são complexos e únicos, abrangendo desde recifes de corais com elevados níveis de endemismo até extensas áreas de manguezais ainda preservadas. Contudo, menos de 0,4% desses ecossistemas são efetivamente protegidos. Conservá-los significa dar um importante passo para a manutenção da biodiversidade em nosso planeta.
  5. 5. Referências Bibliograficas http://www.aquariodeubatuba.com.br/aqnovo/ECO-POWER2.asp?Codigo1=27

×