Recozimento e normalização

7.400 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.400
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
214
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recozimento e normalização

  1. 1. Tratamentos Térmicos Recozimento e Normalização André Fonseca Felipe Leite Lucas Mendes Marcos Colli Engenharia Mecatrônica
  2. 2. Tratamento térmico  Conjunto de operações de aquecimento e resfriamento a que são submetidos certos materiais sob condições controladas de temperatura, tempo, atmosfera e velocidade de resfriamento.
  3. 3. Objetivos:  Remoção de tensões internas;  Aumento da resistência mecânica;  Melhora da ductilidade;  Melhora da usinabilidade;  Melhora da resistência ao desgaste;  Melhora das propriedades de corte;  Melhora da resistência à corrosão;  Melhora da resistência ao calor;  Modificação das propriedades elétricas e magnéticas;
  4. 4. Aquecimento  Depende do material e da transformação de fase ou microestrutura e propriedades desejadas.  Alguns aços se aquecidos rápido demais, podem sofrer empenamento;  Alguns aços se aquecidos devagar demais dentro da zona crítica, poderão apresentar crescimento muito grande de grão.
  5. 5. Tempo de manutenção de temperatura  Depende das dimensões da peça e da microestrutura desejada.  Muito longo: maior segurança da completa dissolução das fases para posterior transformação. Crescimento de grão, oxidação dos contornos de grão, descarbonetação da superfície.  Muito curto: o material não sofre total austenitização ( o núcleo pode manter a estrutura original)
  6. 6. Resfriamento  É o fator que determina efetivamente a estrutura e as propriedades finais das ligas metálicas.  Pela variação da velocidade de resfriamento pode-se obter desde a perlita grosseira de baixa resistência mecânica e baixa dureza até a martensita, que é o constituinte mais duro resultante dos tratamentos térmicos.  Os meios de resfriamento usuais são: Ambiente do forno Ar Meios líquidos (água, óleos)
  7. 7. Resfriamento
  8. 8. Recozimento  O processo do recozimento se resume em três estágios: aquecimento até a temperatura desejada, manutenção nessa temperatura e resfriamento. Sendo os principais objetivos:  Aliviar tensões;  Tornar o material mais mole;  Tornar o material mais dúctil;  Tornar o material mais tenaz;
  9. 9. Recozimento de recristalização  Aplicado para anular os defeitos da deformação a frio. o Aquecimento: Até 700°C o Encharque: Depende do grau de encruamento o Resfriamento: Lento (ao ar)
  10. 10. Recozimento para alívio de tensões  Aplicado para a remoção de tensões resultantes em peças processadas ou fabricadas a altas temperaturas. o Aquecimento: Abaixo do limite inferior da zona crítica ( linha A1). o Encharque: até alcançar temperatura uniforme na peça. o Resfriamento: Ao ar em temperatura ambiente.
  11. 11. Recozimento pleno  Usado em aços com teores baixos e médios de carbono, que serão submetidos a usinagem ou grande deformação plástica. o Aquecimento: hipoeutetóide: A3 + 50° hipereutetóide: A1 + 50° o Encharque: tempo necessário para a solução do carbono ou outros elementos de liga na austenita. o Resfriamento: Bastante lento ( ao forno desligado)
  12. 12. Resultado do recozimento pleno:
  13. 13. Recozimento em caixa  Utilizado para a proteção de grandes massas ou grande número de peças de aço, impedindo por exemplo, a oxidação.
  14. 14. Normalização  Processo para refinamento da granulação grosseira do aço. o Aquecimento: hipoeutetóide: A3 + 50°C hipereutetóide: Acm + 50°C o Encharque: Tempo necessário (1 hora/pol) o Resfriamento: Lento ( ao ar)
  15. 15. Vantagens  Facilita a usinagem;  Facilita a conformação mecânica;  Estabilidade dimensional;  Propriedades mecânicas melhoradas;
  16. 16. Desvantagens  Oxidação;  Descarbonetação;  Tempo;
  17. 17. Bibliografia  Ciência e Engenharia de Materiais, Willian D. Callister, JR. 5°Ed., p. 226 - 229.  Tratamento térmico, Spectru Instrumental Científico. Disponível em: www.spectru.com.br/Metalurgia/diversos/tratamento.pdf  Tratamentos Térmicos, aula 3, Telecurso 2000. Disponível em: < www.youtube.com/watch?v=4ELS5LXahrc >

×