O slideshow foi denunciado.

ÁLcool

7.644 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

ÁLcool

  1. 1. Álcool <ul><li>Somos alunos da Academia Luísa Todi de Setúbal. </li></ul><ul><li>Vamos falar sobre as consequências que o álcool tem no nosso organismo e na nossa vida. </li></ul>
  2. 2. O Á L C O O L E A S D O E N Ç A S <ul><li> O termo alcoólico, ou dependente do álcool, usa-se para designar o consumidor que prejudica a sua saúde e o bem estar da sua família.  </li></ul><ul><li>-Factores culturais – os mais importantes </li></ul><ul><li>Os problemas do álcool são raros entre os muçulmanos e judeus e muito frequentes nos países com grande produção de álcool e onde o acesso ao consumo de álcool é fácil: Portugal, Itália, França... </li></ul>
  3. 3. O QUE SÃO BEBIDAS ÁLCOOLICAS? <ul><li>Bebidas alcoólicas são aquelas que contêm, na sua composição, álcool etílico. Pode derivar da: </li></ul><ul><li>fermentação , como acontece no vinho e na cerveja </li></ul><ul><li>destilação , como acontece no whisky, licores e vodka. </li></ul>
  4. 4. O QUE ACONTECE AO ÁLCOOL, DEPOIS DE INGERIDO? <ul><li>A absorção dá-se 5 a 15 minutos depois  da ingestão se não há alimentos no estômago e 30 a 60 minutos depois da ingestão se for ingerido durante a refeição. </li></ul><ul><li>Uma vez na corrente sanguínea o álcool passa pelo fígado onde é metabolizado. O fígado é capaz de destruir 24 gramas de álcool por dia. O álcool não metabolizado pode afectar alguns órgão do corpo humano. </li></ul><ul><li>Essa agressão irá depender de vários factores: </li></ul><ul><li>- da quantidade ingerida; - do teor alcoólico da bebida; - da facilidade de absorção (se é ingerido em jejum, o teor de álcool no sangue é um terço mais elevado); - da velocidade com que se dá absorção  - da pessoa (cada organismo reage de maneira diferente ao álcool). </li></ul>
  5. 5. FALSOS PRECONCEITOS <ul><ul><li>Os preconceitos, as ideias falsas relacionados com o tipo de bebida, com o processo de fabrico, com o acto de beber, com os alimentos acompanhantes, com as misturas realizadas, e sobre as possíveis influências que tudo isso possa ter no grau de alcoolémia são inúmeras e difíceis de combater.  </li></ul></ul>
  6. 6. FALSOS CONCEITOS <ul><li>- O álcool aquece </li></ul><ul><ul><ul><li>O álcool dá força </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O álcool ajuda a digestão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O álcool mata e sede </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- O álcool alimenta </li></ul></ul></ul>
  7. 7. FALSOS CONCEITOS <ul><li>- O ÁLCOOL AQUECE? </li></ul><ul><li>NÃO </li></ul><ul><ul><li>O álcool tem um efeito vaso-dilatador que é responsável pela sensação de calor à superfícieda pele, e que se sente quando se ingerem bebidas alcoólicas. </li></ul></ul><ul><ul><li>O ÁLCOOL DÁ FORÇA? </li></ul></ul><ul><li>NÃO </li></ul><ul><li> - O que acontece é que o álcool tem uma acção eu forizante, a ingestão de bebidas álcoólicas, em vez de descanso provoca excitação, adormece a sensação de fadiga e dá a ilusão de uma nova energia. </li></ul>
  8. 8. FALSOS CONCEITOS <ul><li> - O ÁLCOOL AJUDA A DIGESTÃO? </li></ul><ul><li>NÃO </li></ul><ul><li>- O que acontece é que o álcool provoca o esvaziamento mais rápido do estômago, facilitando a passagem dos alimentos para o intesino, ainda que este estejam completamente digeridos. </li></ul><ul><li>- O ÁLCOOL MATA A SEDE? </li></ul><ul><li>NÃO </li></ul><ul><li>-Ter sede é sinal de estarmos a precisar de água. O álcool das bebidas provoca um aumento da perda de água pela urina . Quando se tem sede deve-se beber água. </li></ul>
  9. 9. FALSOS CONCEITOS <ul><li> - O ÁLCOOL ALIMENTA? </li></ul><ul><li>NÃO </li></ul><ul><li>- Apesar do álcool ser energético, (7 kilocalorias por grama) </li></ul><ul><li>são consideradas calorias vazias. </li></ul>
  10. 10. EFEITOS DO ÁLCOOL NO ORGANISMO
  11. 11. AS DOENÇAS <ul><li>No esófago:  </li></ul><ul><li>- Varizes esofágicas : a cirrose do fígado forma uma barragem ao sangue que vem dos intestinos pela  veia porta para, através do  fígado, atingir a veia cava inferior e o coração. </li></ul><ul><li>Para vencer esse obstáculo, essa barragem, forma-se uma circulação colateral do sangue pelas veias do esófago e do estômago. </li></ul><ul><li>O aumento da tensão do sangue nessas veias forma varizes no estômago e, sobretudo no esófago. Essas varizes podem romper e ser causa de hemorragia. </li></ul>  
  12. 12. AS DOENÇAS <ul><li>No esófago:     - Síndrome de Mallory - Weiss : é uma rasgadura na transição entre o esófago e o estômago, que pode ser causa de hemorragia. É causada pelo esforço do vómito, por vezes, mas nem sempre, associado à ingestão de álcool.       - Cancro de esófago : A causa do cancro do esófago é desconhecida mas há uma incidência maior de cancro do esófago, nos alcoólicos. </li></ul><ul><li>No estômago:    - Gastrite aguda : O álcool poderá, eventualmente, ser responsável pela formação de erosões agudas do estômago. Associada à hipertensão da veia porta pode existir uma gastrite específica chamada gastropatia hipertensiva ou gastropatia congestiva. </li></ul>
  13. 13. AS DOENÇAS <ul><li>No fígado: </li></ul><ul><li>     - Fígado gordo ( esteatose ): A esteatose (depósito de gordura nas células do fígado) pode ser um fenómeno normal se atingir cerca de 10% das células. </li></ul><ul><li>Uma esteatose mais exuberante, com aumento do volume do fígado, pode estar associada ao álcool e a muitas outras situações das quais a obesidade é a mais frequente. A esteatose alcoólica não evolui para hepatite aguda alcoólica nem para cirrose alcoólica e desaparece após 3 meses de abstinência de álcool.  </li></ul><ul><li>    Hepatite aguda alcoólica : o álcool é uma das causas de hepatite aguda. A hepatite aguda alcoólica tem mau prognóstico atingindo uma mortalidade elevada. Os doentes que recuperam podem evoluir para cirrose se continuarem a beber.    </li></ul>
  14. 14. AS DOENÇAS <ul><li>No fígado: </li></ul><ul><li>Cirrose alcoólica : O álcool e a hepatite C são as causas mais frequentes de cirrose em Portugal. As lesões provocadas no fígado que levam à cirrose são atribuídas a uma acção directa do álcool e o risco de se desenvolver uma doença do fígado está relacionado com uma quantidade de álcool diária superior a 60 gramas  para o homem e 40 gramas para a mulher. </li></ul><ul><li>Para aparecer cirrose são necessários 5 - 10 anos de consumo, sendo o consumo diário mais agressivo que o consumo esporádico. Os mecanismos que levam ao aparecimento de lesões no fígado em algumas pessoas e não noutras são mal conhecidos. Poucos doentes que não deixam de beber sobrevivem mais de 5 anos depois do aparecimento da cirrose.      </li></ul>
  15. 15. AS DOENÇAS <ul><li>No fígado:    Cancro do fígado : A cirrose alcoólica pode estar associada ao cancro do fígado, no entanto a hepatite  crónica Be a hepatite  cónica C são as causas mais frequentes do cancro do fígado a nível mundial. No pâncreas:     Pancreatite aguda e crónica: a causa mais frequente de pancreatite aguda é a litíase da vesícula mas o álcool, é responsável por cerca de 5% das pancreatites agudas. O álcool é no entanto o principal responsável ( cerca de 70% ) pela pancreatite crónica e pela agudização destas pancreatites. </li></ul><ul><li>No intestino:     Síndrome de má-absorção com má nutrição e mau desenvolvimento associados. </li></ul>
  16. 16. ÀLCOOL E...CONDUÇÃO MORTAL...COMBINAÇÃO! <ul><li>ÀLCOOL E..CONDUÇÃO... </li></ul><ul><li>MORTAL...COMBINAÇÃO! </li></ul><ul><li>A ingestão de álcool provoca diversos efeitos , que aparecem em fases distintas: - uma estimulante e outra depressora. </li></ul><ul><li>Nos primeiros instantes aparecem a euforia, desinibição e maior facilidade em falar. Com o passar do tempo, aparece a falta de coordenação motora, descontrole e sono . </li></ul><ul><li>Mesmo em pequenas quantidades , o álcool diminui os reflexos . </li></ul><ul><li>Pesquisas revelam que grande parte dos acidentes são provocados por motoristas que beberam antes de conduzir . </li></ul><ul><li>A nível legal, consideram-se estar sob o efeito do álcool os condutores com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,50g/l, o que é considerado uma contra-ordenação grave, podendo o condutor ficar inibido de conduzir de 1 mês a 1 ano. </li></ul>
  17. 17. ÀLCOOL E...CONDUÇÃO MORTAL...COMBINAÇÃO! <ul><li>Numa perspectiva mundial , o número de mortos por acidentes de viação é </li></ul><ul><li>mais elevado do que o cancro no pulmão . </li></ul><ul><li>Em 1998 , só na União Europeia registaram-se 43 000 mortos e 150 000 deficientes, provocados por acidentes nas estradas. </li></ul><ul><li>.Em Portugal, os acidentes de viação são a principal causa de morte em crianças, adolescentes e jovens com idades entre 1 a 25 anos. A mortalidade dos jovens do sexo masculino é três vezes mais elevada do que a do sexo feminino. </li></ul><ul><li>Portugal detêm a taxa mais elevada de mortes por acidentes de viação da União Europeia e uma das mais elevadas dos países industrializados. </li></ul><ul><li>Portugal detêm um dos mais elevados consumos mundiais de álcool, per capita . Estima-se que em Portugal existam cerca de 1 milhão de bebedores excessivos e, pelo menos, 500 a 700 000 ( quinhentos a setecentos mil) doentes alcoólicos. </li></ul>
  18. 18. O VINHO NA ESTRADA MATA
  19. 19. ÀLCOOL E...CONDUÇÃO MORTAL...COMBINAÇÃO! <ul><li>Em 2000, cada português bebeu em média 120 litros de bebidas alcoólicas. </li></ul><ul><li>O consumo de vinho está de tal modo enraizado na população portuguesa que, em 1980, bebeu-se mais vinho (96,5 litros) do que leite (71,8 litros) per capita. </li></ul><ul><li>O risco de morrer numa estrada portuguesa é 4 vezes superior á dos países com taxas de mortalidade mais baixas. Por exemplo, a região do Alentejo </li></ul>
  20. 20. ÀLCOOL E...CONDUÇÃO MORTAL...COMBINAÇÃO! <ul><li>tem a taxa de mortalidade mais elevada de duas centenas de regiões dos quinze Estados Membros da U.E. </li></ul><ul><li>Nas estradas portuguesas na última década, morreram aproximadamente 23 500. indivíduos. Com sida, no mesmo período, morreram 3 919 .. No grupo etário dos 15 aos 34 anos, nos últimos 10 anos faleceram 10 614 jovens. </li></ul><ul><li>De acordo com uma investigação da Organização Mundial de Saúde, só na Europa, entre 15 e os 29 anos, morrem mais de 55 mil indivíduos por acidentes de viação , envenenamento, suicídio e homicídios, devido ao álcool. </li></ul><ul><li>Vamos diminuir estes números ? Começar amanhã ?!!... </li></ul>
  21. 21. HOJE!
  22. 22. OUTROS EFEITOS DO ÁLCOOL <ul><li>Outros efeitos nocivos do álcool no organismo: </li></ul><ul><li>Sistema cardiovascular (hipertensão e problemas no coração) </li></ul><ul><li>Polineurite alcoólica, caracterizada por dor, formigamento e cãibras nos membros inferiores.   </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Durante a gravidez </li></ul><ul><li>Graves consequências para o recém-nascido - quanto maior o consumo, maior a chance de prejudicar o feto. </li></ul><ul><li>Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, não só na gestação como no período de amamentação, pois o álcool pode passar para o bebé através do leite materno. Cerca de um terço dos bebés de mães dependentes do álcool, que fizeram uso excessivo durante a gravidez, são afectados pela &quot;Síndrome Fetal Alcoólica&quot;. </li></ul><ul><li>Os recém-nascidos apresentam sinais de irritação, mamam e dormem pouco, além de apresentarem tremores (sintomas que lembram a síndrome de abstinência). As crianças severamente afectadas e que conseguem sobreviver aos primeiros momentos de vida, podem apresentar problemas físicos e mentais que variam de intensidade de acordo com a gravidade do caso. </li></ul>Durante a gravidez
  24. 24. Álcool- não precisas dele <ul><li>Trabalho feito pelo Henrique, Mariana e Marina. </li></ul><ul><li>6º A </li></ul><ul><li>Setúbal,2004 </li></ul>

×