SlideShare uma empresa Scribd logo
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
TGPI - TAI
AULA - 4
1Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino
O que veremos na aula de hoje?
 Desenvolvimento de produtos, processo, serviços e sua viabilidade –
Visão de Projeto em Administração da Produção.
 Elaboração e gerenciamento de projetos industriais
 ENADE – Prova Integrada
3
• Globalização dos países e dos seus mercados
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
• Gerou a necessidade de uma
constante inovação renovação de
produtos no mercado.
• Essa característica obriga
as empresas a se
adaptarem para atuarem
em mercados cada vez
mais dinâmicos.
4
• Para alcançar níveis ótimos de competitividade
• As empresas precisaram desenvolver:
 Novas técnicas de desenvolvimento de produtos;
 Novas técnicas de gerenciamento da produção e
processos
• A decisão de investir
em um projeto é
irreversível e deve ser
feita de forma séria.
• Os resultados dos
projetos desenvolvidos
definem o sucesso ou o
fracasso das
organizações.
Desenvolvimento de produtos,
processos e serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
5
• Esse cenário exige por parte das empresas:
 Investimentos e Inovações constantes para atender o mercado de forma
competitiva;
 Planejamento do ciclo de vida dos produtos, tendo em vista torná-lo
viável e competitivo;
• O principal fator que define a tomada de
decisão sobre o investimento ou não em no
desenvolvimento um novo produto, está
relacionado a sua viabilidade!
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
6
• A garantia da Viabilidade para o desenvolvimento de um
produto esta relacionada ao retorno sobre o investimento
realizado
 Viabilidade Financeira;
 Viabilidade Técnica;
 Viabilidade Mercadológica.
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
7
• Viabilidade Financeira:
 Leva em consideração a facilidade ou não da
organização ter disponível capitais para se
comprometer em iniciar o desenvolvimento
do produto.
 Considera também as políticas de
financiamento existentes, as possibilidades
de associações, e principalmente o retorno
sobre o investimentos realizados.
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
8
• Viabilidade Técnica:
 Leva em consideração o processo produtivo,
o maquinário disponível, o conhecimento
tecnológico e técnicas para produzir o
produto da forma mais barata e eficiente
possível .
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
9
• Viabilidade Mercadológica:
 Diz respeito ao potencial de mercado do
produto;
Desenvolvimento de produtos, processos e
serviços e sua viabilidade
(SLACK, 2008)
 Define as questões de preço, formas de
distribuição e vendas.
 Define em quais mercado o produto tem ou
não possibilidade de sucesso;
10
• O que é um projeto?
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
 Conjunto de atividades que tem datas de
início e fim definidas;
 Objetivos e Metas definidas;
 Conjunto de recursos disponíveis e
responsáveis pelas atribuições definidos.
STAKEHOLDERS
(SLACK, 2008)
Toda organização possui uma gama de stakeholders
stakeholders
São pessoas ou um grupo de pessoas que podem
influenciar as atividades da operação produtiva ou de
um projeto.
Stakeholders internos
Stakeholders externos
Funcionários da organização
Clientes, Grupos externos,
Sociedade, Fornecedores
12
Áreas de conhecimento do PMBOK (PMI)
em Gestão de Projetos
(Aquisição)
PMBOK  Project Management Boby of Knowledge (Corpo de Conhecimento de
Gerenciamento de Projeto – tradução livre)
PMI  Project Management Institute (Instituto de Gerenciamento de Projeto –
tradução livre)
13
• Planejamento e Controle de Projetos
 Tratam-se de técnicas estruturadas utilizadas
de maneira sistemáticas e ordenadas pelas
empresas na condução de projetos.
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
14
• Modelo de Gerenciamento de Projetos
 Estágio 1  Compreensão do ambiente do projeto
 Estágio 2  Definição do Projeto
 Estágio 3  Planejamento do projeto
 Estágio 4  Execução Técnica
 Estágio 5  Controle do Projeto
Mudanças
Ações
corretivas
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
15
 Estágio 1  Compreensão do ambiente do projeto
• Fatores internos e externos que podem influenciar o projeto;
• Entender a forma com a qual o projeto será executado;
• Entender em qual ambiente o projeto será desenvolvido;
O
Projeto
Usuários
Geografia
Economia
Governo
Recursos
Subcontratados
Fornecedores
Cultura Nacional
Estratégia da companhia
Outros projetos
Concorrentes
Consumidores
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
16
 Estágio 2  Definição do projeto
• Esclarecimento dos objetivos
• Definição do Escopo
• Definição da Estratégia para o projeto
Objetivos claros:
devem ser mensuráveis e, preferencialmente quantificáveis.
Método para esclarecer objetivos
1 - Qual é o seu propósito;
2 - Quais são os resultados finais esperados;
3 - Quais são os critérios de sucesso;
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
17
Exemplo:
1 – Propósito: evitar que a produção não atinja as metas
previstas de níveis de produção
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
3 – Critérios de sucesso: o relatório deve ser completo em
30 de junho. As recomendações deveriam possibilitar
pelo menos 70 toneladas por ano. Os custos da
recomendação não devem exceder R$100.000,00.
2 - Resultados finais esperados: um relatório que
identifique as causas de produção perdida e que
recomende como as metas de níveis de produção podem
ser atingidas
18
Escopo:
Identifica conteúdo de trabalho do projeto e os seus
resultados. Define também o que cada parte vai fazer e o
que também não vai fazer durante o desenvolvimento do
projeto.
3 – Processos de negócios envolvidos;
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
5 – Responsabilidade dos envolvidos / contratados
4 – Recursos a serem utilizados;
2 – Período de tempo envolvido;
Composição para definição do Escopo de um projeto:
1 – Quais partes da organização são afetadas;
19
Estratégia:
Define de forma geral como a organização vai atingir os
objetivos do projeto e também os níveis de desempenho
relacionados.
2 – Definição de marcos  definição de eventos para
medir a evolução do projeto em relação a
atendimento de prazo, qualidade e custo
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
1 – Definição de fases  desmembramento do
projetos em seções temporais (com inicio, meio e
fim bem determinados)
Metodologia para desenvolvimento da Estratégia de
projetos:
20
 Estágio 3  Planejamento do Projeto
Quatro propósitos:
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
1 – Determinar o custo e a duração do projeto;
2 – Determinar o nível de recursos que será necessário;
3 – Alocar o trabalho, definir responsáveis e monitorar o
progressos;
4 – Avaliar o impacto de qualquer mudança sobre o
projeto
21
Processo de Planejamento do Projeto:
 Identificar Atividades
 Estimar Tempos e Recursos
 Identificar Relações e Dependências
 Identificar Limitações e Programação
 Preparar a Programação
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
22
 Estágio 4  Execução Técnica
 Estágio 5  Controle do Projeto
Decisões para processo de controle do projeto:
Elaboração e gerenciamento de projetos
industriais
(SLACK, 2008)
Lida com atividades que ocorrem durante a execução do projeto.
É um elo essencial entre o planejar e fazer
1 – Monitoramento do projeto para checar seu progresso;
2 – Avaliação do desempenho do projeto comparando as
atividades monitoradas com o planejamento do projeto;
3 – Intervenção no projeto para fazer mudanças e ações
que o trarão de volta ao planejado;
Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 23
ENADE 2008 - Questões
A
Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 24
ENADE 2008 - Questões
A
Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 25
ENADE 2008 - Questões
B
Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 26
REFERÊNCIAS
SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 2008

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Stage gate
Stage gateStage gate
Stage gate
Rafael Arza
 
Apqp2pdf
Apqp2pdfApqp2pdf
Apqp2pdf
emc5714
 
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos Potenc...
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos  Potenc...Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos  Potenc...
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos Potenc...
mktmkt
 
Modelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
Modelo do Processo de Desenvolvimento de ProdutosModelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
Modelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
Marcel Gois
 
Modelo GPT: Gestão da Produtividade Total
Modelo GPT: Gestão da Produtividade TotalModelo GPT: Gestão da Produtividade Total
Modelo GPT: Gestão da Produtividade Total
Luciano Moreira
 
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
JOSUE DIAS
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Luciano Acioli
 
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo PiresPlanejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Danilo Pires
 
Apostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestreApostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestre
vivianepga
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Gestao Estrategica da Qualidade
Gestao Estrategica da QualidadeGestao Estrategica da Qualidade
Gestao Estrategica da Qualidade
Jairo Siqueira
 
Estratégia de Produção
Estratégia de ProduçãoEstratégia de Produção
Estratégia de Produção
Andre Silva
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
Luis Antonio Steinle
 
Engenharia do produto aula 1
Engenharia do produto   aula 1Engenharia do produto   aula 1
Engenharia do produto aula 1
Sara Marques
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
amattos76
 
Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de ProdutoDesenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de Produto
Virgilio Marques dos Santos, Dr.
 
The New New Product Development Game (Port.)
The New New Product Development Game (Port.)The New New Product Development Game (Port.)
The New New Product Development Game (Port.)
Rafa F. Lima
 
Papel estratégico e objetivos da produção cap 2
Papel estratégico e objetivos da produção   cap 2Papel estratégico e objetivos da produção   cap 2
Papel estratégico e objetivos da produção cap 2
Diego José
 
Tb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e ClaudioTb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e Claudio
Helson Costa, PMP
 
7 IEP Engenharia Organizacional
7 IEP Engenharia Organizacional7 IEP Engenharia Organizacional
7 IEP Engenharia Organizacional
Marcel Gois
 

Mais procurados (20)

Stage gate
Stage gateStage gate
Stage gate
 
Apqp2pdf
Apqp2pdfApqp2pdf
Apqp2pdf
 
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos Potenc...
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos  Potenc...Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos  Potenc...
Ferramentas Do Processo De Desenvolvimento De Produto Como Mecanismos Potenc...
 
Modelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
Modelo do Processo de Desenvolvimento de ProdutosModelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
Modelo do Processo de Desenvolvimento de Produtos
 
Modelo GPT: Gestão da Produtividade Total
Modelo GPT: Gestão da Produtividade TotalModelo GPT: Gestão da Produtividade Total
Modelo GPT: Gestão da Produtividade Total
 
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
Organizational Strategy, Structure and Process – MILES, 1978
 
Engenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel GoisEngenharia do Produto - Marcel Gois
Engenharia do Produto - Marcel Gois
 
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo PiresPlanejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
Planejamento da gestão da produção- Professor Danilo Pires
 
Apostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestreApostila administração da produção 1º semestre
Apostila administração da produção 1º semestre
 
Aula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da QualidadeAula 3 - Gestão da Qualidade
Aula 3 - Gestão da Qualidade
 
Gestao Estrategica da Qualidade
Gestao Estrategica da QualidadeGestao Estrategica da Qualidade
Gestao Estrategica da Qualidade
 
Estratégia de Produção
Estratégia de ProduçãoEstratégia de Produção
Estratégia de Produção
 
Luis Steinle
Luis Steinle Luis Steinle
Luis Steinle
 
Engenharia do produto aula 1
Engenharia do produto   aula 1Engenharia do produto   aula 1
Engenharia do produto aula 1
 
Gestao da produçao
Gestao da produçaoGestao da produçao
Gestao da produçao
 
Desenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de ProdutoDesenvolvimento de Produto
Desenvolvimento de Produto
 
The New New Product Development Game (Port.)
The New New Product Development Game (Port.)The New New Product Development Game (Port.)
The New New Product Development Game (Port.)
 
Papel estratégico e objetivos da produção cap 2
Papel estratégico e objetivos da produção   cap 2Papel estratégico e objetivos da produção   cap 2
Papel estratégico e objetivos da produção cap 2
 
Tb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e ClaudioTb Escopo Mario e Claudio
Tb Escopo Mario e Claudio
 
7 IEP Engenharia Organizacional
7 IEP Engenharia Organizacional7 IEP Engenharia Organizacional
7 IEP Engenharia Organizacional
 

Semelhante a Aula 04a rev_27_08_12_adm_prod_tgpi

Gestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
Gestão do escopo e qualidade em Gestão de ProjetosGestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
Gestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
Antonio Marcos Montai Messias
 
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
maryvascon
 
Conceitos e evolução de Gestão de Projetos
Conceitos e evolução de Gestão de ProjetosConceitos e evolução de Gestão de Projetos
Conceitos e evolução de Gestão de Projetos
Antonio Marcos Montai Messias
 
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de ProjetosElaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
elonvila
 
Gestão de Operações
Gestão de OperaçõesGestão de Operações
Gestão de Operações
Wilian Gatti Jr
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.pptMarco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
JulianaPimentelMacar
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.pptMarco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
ANGELICACARINADEANDR
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negociosMarco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
fernando lourenco silva
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
Isa Show 2009   Cr 259.09   Francisco SalvadorIsa Show 2009   Cr 259.09   Francisco Salvador
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
Francisco Salvador
 
PDP FINAL.ppt
PDP  FINAL.pptPDP  FINAL.ppt
PDP FINAL.ppt
BrunoBoer3
 
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Jeovan Figueiredo
 
Gerencia de projetos
Gerencia de projetosGerencia de projetos
Gerencia de projetos
EdisonCamilo2
 
Gerenciamento de Projetos de TI
Gerenciamento de Projetos de TIGerenciamento de Projetos de TI
Gerenciamento de Projetos de TI
Eliseu Castelo
 
Pm bok x prince2
Pm bok x prince2Pm bok x prince2
Pm bok x prince2
Wagner Xantre Tagarro
 
Gestão de Projetos em TI
Gestão de Projetos em TIGestão de Projetos em TI
Gestão de Projetos em TI
Giorgia Barreto Lima Parrião
 
Metodologia para gestão de projetos
Metodologia para gestão de projetosMetodologia para gestão de projetos
Metodologia para gestão de projetos
Willian Berriel
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
Willian dos Santos Abreu
 
Introdução a Gerência de Projetos_V0.ppt
Introdução a Gerência de Projetos_V0.pptIntrodução a Gerência de Projetos_V0.ppt
Introdução a Gerência de Projetos_V0.ppt
FrancielAmorim3
 
Taking - Revisão de Processos
Taking - Revisão de ProcessosTaking - Revisão de Processos
Taking - Revisão de Processos
Taking
 

Semelhante a Aula 04a rev_27_08_12_adm_prod_tgpi (20)

Gestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
Gestão do escopo e qualidade em Gestão de ProjetosGestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
Gestão do escopo e qualidade em Gestão de Projetos
 
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
Gerencia deprojeos modulo_2_final_ (1)
 
Conceitos e evolução de Gestão de Projetos
Conceitos e evolução de Gestão de ProjetosConceitos e evolução de Gestão de Projetos
Conceitos e evolução de Gestão de Projetos
 
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de ProjetosElaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
Elaboração e Gestão de Projetos - 1. Fundamentos de Gestão de Projetos
 
Gestão de Operações
Gestão de OperaçõesGestão de Operações
Gestão de Operações
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.pptMarco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.pptMarco-Logico-de-Projetos.ppt
Marco-Logico-de-Projetos.ppt
 
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negociosMarco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
Marco-Logico-de-Projetos.ppt uma aventura no mundo dos negocios
 
Treinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetosTreinamento em gestão de projetos
Treinamento em gestão de projetos
 
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
Isa Show 2009   Cr 259.09   Francisco SalvadorIsa Show 2009   Cr 259.09   Francisco Salvador
Isa Show 2009 Cr 259.09 Francisco Salvador
 
PDP FINAL.ppt
PDP  FINAL.pptPDP  FINAL.ppt
PDP FINAL.ppt
 
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROOElaboração de Projetos Inovadores - ROO
Elaboração de Projetos Inovadores - ROO
 
Gerencia de projetos
Gerencia de projetosGerencia de projetos
Gerencia de projetos
 
Gerenciamento de Projetos de TI
Gerenciamento de Projetos de TIGerenciamento de Projetos de TI
Gerenciamento de Projetos de TI
 
Pm bok x prince2
Pm bok x prince2Pm bok x prince2
Pm bok x prince2
 
Gestão de Projetos em TI
Gestão de Projetos em TIGestão de Projetos em TI
Gestão de Projetos em TI
 
Metodologia para gestão de projetos
Metodologia para gestão de projetosMetodologia para gestão de projetos
Metodologia para gestão de projetos
 
Sistemas de Produção
Sistemas de ProduçãoSistemas de Produção
Sistemas de Produção
 
Introdução a Gerência de Projetos_V0.ppt
Introdução a Gerência de Projetos_V0.pptIntrodução a Gerência de Projetos_V0.ppt
Introdução a Gerência de Projetos_V0.ppt
 
Taking - Revisão de Processos
Taking - Revisão de ProcessosTaking - Revisão de Processos
Taking - Revisão de Processos
 

Mais de Universidade de Mogi das Cruzes

Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tlAula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tlAula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tlAula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpiAula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
Universidade de Mogi das Cruzes
 
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
Universidade de Mogi das Cruzes
 

Mais de Universidade de Mogi das Cruzes (7)

Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
Perguntas filme historia_das_maquinas_ferramentas_aula2
 
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
Aula _Processos_Fabricação_I_02 rev_19_08_13
 
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tlAula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
Aula 03 meios_de_transportes_rev_19_05_13_tmm_tl
 
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tlAula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
Aula 02 rev_04_03_13_tmm_tl
 
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tlAula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
Aula 01 rev_11_08_13_tmm_tl
 
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpiAula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
Aula 01 rev_11_08_13_adm_prod_tgpi
 
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
Tecnologia em Movimentação de Materiais (Aula 01)
 

Último

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 

Último (20)

livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 

Aula 04a rev_27_08_12_adm_prod_tgpi

  • 1. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO TGPI - TAI AULA - 4 1Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino
  • 2. O que veremos na aula de hoje?  Desenvolvimento de produtos, processo, serviços e sua viabilidade – Visão de Projeto em Administração da Produção.  Elaboração e gerenciamento de projetos industriais  ENADE – Prova Integrada
  • 3. 3 • Globalização dos países e dos seus mercados Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008) • Gerou a necessidade de uma constante inovação renovação de produtos no mercado. • Essa característica obriga as empresas a se adaptarem para atuarem em mercados cada vez mais dinâmicos.
  • 4. 4 • Para alcançar níveis ótimos de competitividade • As empresas precisaram desenvolver:  Novas técnicas de desenvolvimento de produtos;  Novas técnicas de gerenciamento da produção e processos • A decisão de investir em um projeto é irreversível e deve ser feita de forma séria. • Os resultados dos projetos desenvolvidos definem o sucesso ou o fracasso das organizações. Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)
  • 5. 5 • Esse cenário exige por parte das empresas:  Investimentos e Inovações constantes para atender o mercado de forma competitiva;  Planejamento do ciclo de vida dos produtos, tendo em vista torná-lo viável e competitivo; • O principal fator que define a tomada de decisão sobre o investimento ou não em no desenvolvimento um novo produto, está relacionado a sua viabilidade! Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)
  • 6. 6 • A garantia da Viabilidade para o desenvolvimento de um produto esta relacionada ao retorno sobre o investimento realizado  Viabilidade Financeira;  Viabilidade Técnica;  Viabilidade Mercadológica. Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)
  • 7. 7 • Viabilidade Financeira:  Leva em consideração a facilidade ou não da organização ter disponível capitais para se comprometer em iniciar o desenvolvimento do produto.  Considera também as políticas de financiamento existentes, as possibilidades de associações, e principalmente o retorno sobre o investimentos realizados. Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)
  • 8. 8 • Viabilidade Técnica:  Leva em consideração o processo produtivo, o maquinário disponível, o conhecimento tecnológico e técnicas para produzir o produto da forma mais barata e eficiente possível . Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)
  • 9. 9 • Viabilidade Mercadológica:  Diz respeito ao potencial de mercado do produto; Desenvolvimento de produtos, processos e serviços e sua viabilidade (SLACK, 2008)  Define as questões de preço, formas de distribuição e vendas.  Define em quais mercado o produto tem ou não possibilidade de sucesso;
  • 10. 10 • O que é um projeto? Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)  Conjunto de atividades que tem datas de início e fim definidas;  Objetivos e Metas definidas;  Conjunto de recursos disponíveis e responsáveis pelas atribuições definidos.
  • 11. STAKEHOLDERS (SLACK, 2008) Toda organização possui uma gama de stakeholders stakeholders São pessoas ou um grupo de pessoas que podem influenciar as atividades da operação produtiva ou de um projeto. Stakeholders internos Stakeholders externos Funcionários da organização Clientes, Grupos externos, Sociedade, Fornecedores
  • 12. 12 Áreas de conhecimento do PMBOK (PMI) em Gestão de Projetos (Aquisição) PMBOK  Project Management Boby of Knowledge (Corpo de Conhecimento de Gerenciamento de Projeto – tradução livre) PMI  Project Management Institute (Instituto de Gerenciamento de Projeto – tradução livre)
  • 13. 13 • Planejamento e Controle de Projetos  Tratam-se de técnicas estruturadas utilizadas de maneira sistemáticas e ordenadas pelas empresas na condução de projetos. Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)
  • 14. 14 • Modelo de Gerenciamento de Projetos  Estágio 1  Compreensão do ambiente do projeto  Estágio 2  Definição do Projeto  Estágio 3  Planejamento do projeto  Estágio 4  Execução Técnica  Estágio 5  Controle do Projeto Mudanças Ações corretivas Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)
  • 15. 15  Estágio 1  Compreensão do ambiente do projeto • Fatores internos e externos que podem influenciar o projeto; • Entender a forma com a qual o projeto será executado; • Entender em qual ambiente o projeto será desenvolvido; O Projeto Usuários Geografia Economia Governo Recursos Subcontratados Fornecedores Cultura Nacional Estratégia da companhia Outros projetos Concorrentes Consumidores Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)
  • 16. 16  Estágio 2  Definição do projeto • Esclarecimento dos objetivos • Definição do Escopo • Definição da Estratégia para o projeto Objetivos claros: devem ser mensuráveis e, preferencialmente quantificáveis. Método para esclarecer objetivos 1 - Qual é o seu propósito; 2 - Quais são os resultados finais esperados; 3 - Quais são os critérios de sucesso; Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)
  • 17. 17 Exemplo: 1 – Propósito: evitar que a produção não atinja as metas previstas de níveis de produção Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008) 3 – Critérios de sucesso: o relatório deve ser completo em 30 de junho. As recomendações deveriam possibilitar pelo menos 70 toneladas por ano. Os custos da recomendação não devem exceder R$100.000,00. 2 - Resultados finais esperados: um relatório que identifique as causas de produção perdida e que recomende como as metas de níveis de produção podem ser atingidas
  • 18. 18 Escopo: Identifica conteúdo de trabalho do projeto e os seus resultados. Define também o que cada parte vai fazer e o que também não vai fazer durante o desenvolvimento do projeto. 3 – Processos de negócios envolvidos; Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008) 5 – Responsabilidade dos envolvidos / contratados 4 – Recursos a serem utilizados; 2 – Período de tempo envolvido; Composição para definição do Escopo de um projeto: 1 – Quais partes da organização são afetadas;
  • 19. 19 Estratégia: Define de forma geral como a organização vai atingir os objetivos do projeto e também os níveis de desempenho relacionados. 2 – Definição de marcos  definição de eventos para medir a evolução do projeto em relação a atendimento de prazo, qualidade e custo Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008) 1 – Definição de fases  desmembramento do projetos em seções temporais (com inicio, meio e fim bem determinados) Metodologia para desenvolvimento da Estratégia de projetos:
  • 20. 20  Estágio 3  Planejamento do Projeto Quatro propósitos: Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008) 1 – Determinar o custo e a duração do projeto; 2 – Determinar o nível de recursos que será necessário; 3 – Alocar o trabalho, definir responsáveis e monitorar o progressos; 4 – Avaliar o impacto de qualquer mudança sobre o projeto
  • 21. 21 Processo de Planejamento do Projeto:  Identificar Atividades  Estimar Tempos e Recursos  Identificar Relações e Dependências  Identificar Limitações e Programação  Preparar a Programação Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008)
  • 22. 22  Estágio 4  Execução Técnica  Estágio 5  Controle do Projeto Decisões para processo de controle do projeto: Elaboração e gerenciamento de projetos industriais (SLACK, 2008) Lida com atividades que ocorrem durante a execução do projeto. É um elo essencial entre o planejar e fazer 1 – Monitoramento do projeto para checar seu progresso; 2 – Avaliação do desempenho do projeto comparando as atividades monitoradas com o planejamento do projeto; 3 – Intervenção no projeto para fazer mudanças e ações que o trarão de volta ao planejado;
  • 23. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 23 ENADE 2008 - Questões A
  • 24. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 24 ENADE 2008 - Questões A
  • 25. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 25 ENADE 2008 - Questões B
  • 26. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 26 REFERÊNCIAS SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 2008