O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Discussão sobre as Orientações
Curriculares para a Educação Pré-
Escolar.
O Envolve-te! quer contribuir.
Coimbra, 7 de mai...
FUNDAMENTOS E PRINCÍPIOS EDUCATIVOS
CRIANÇA EDUCADOR/A
Desenvolvimento
e aprendizagem
como vertentes
indissociáveis.
• Cad...
base comum “…são apresentados fundamentos e
princípios que constituem uma base
comum para o desenvolvimento da ação
pedagó...
desenvolvimento e aprendizagem
“…em educação de infância, não se
pode dissociar desenvolvimento e
aprendizagem.”
Página 9
...
sujeito e agente
“O reconhecimento da capacidade da
criança construir o seu
desenvolvimento e aprendizagem
supõe encará-la...
brincar
“Esta articulação de áreas
de desenvolvimento e
aprendizagem implica
reconhecer que brincar é a
atividade natural ...
envolvimento
“…importa, porém,
diferenciar uma visão
redutora de brincar, como
forma de a criança estar
entretida e ocupad...
referência para construir
“…não constituem um
programa a cumprir, mas sim
uma referência para
construir e gerir o currícul...
planear “Planear não é, assim,
prever um conjunto de
propostas a cumprir
exatamente, mas estar
preparado para acolher as
s...
participação
“…construção conjunta com a
participação de todos os
intervenientes (crianças, outros
profissionais e pais/fa...
avaliação
“…assim, considera-se
avaliação como uma forma de
conhecimento direcionada
para a ação.”
Página 16
consulta públ...
avaliação
“…reflete sobre o que é
mais útil e pertinente
recolher, como e quando
o fazer, como e quando
organizar e analis...
juízo de valor
“…articulando essas duas
conceções com a definição
de avaliação apresentada,
considera-se que a
educação pr...
“…A avaliação na educação pré-escolar é
reinvestida na ação educativa, sendo uma
avaliação para a aprendizagem e não da
ap...
avaliação autêntica
“…Esta perspetiva de avaliação
contextualizada (…) é também
designada de “avaliação autêntica”
ou “ava...
participação
“A participação no planeamento e avaliação de outros
profissionais que trabalham com o mesmo grupo de criança...
articulação documental
“…planeia a sua intervenção,
elaborando o Projeto Curricular de
Grupo em articulação com o Projeto
...
escuta
“É a partir dessa
observação, e da
escuta das
opiniões e
sugestões das
crianças (…) que a
organização do
ambiente
e...
objetivos
“…não tem sentido
situar o nível de
desenvolvimento da
criança ou em que
medida foram atingidos
objetivos ou met...
partilha, debate e reflexão
“…também a partilha, debate e reflexão entre equipas de
educadores (…) sobre o desenvolvimento...
comunicar
“…importa que os/as educadores/as
reflitam individualmente e em
conjunto sobre a melhor maneira de
comunicar inf...
heterogeneidade
“…a decisão da composição etária deve,
porém, corresponder a opção pedagógica,
tendo em conta que a intera...
desenvolvimento social
“…o desenvolvimento social faz-se
através de duas vertentes
contraditórias: a necessidade de
proxim...
espaço exterior
“…o espaço exterior é igualmente um
espaço educativo pelas suas
potencialidades e pelas oportunidades
educ...
tempo
“…porque o tempo é de cada criança, do grupo e
do/a educador/a, importa que a sua organização
seja decidida pelo/a e...
conhecimento aos pais/famílias
“…ao dar conhecimento aos
pais/famílias e a outros membros da
comunidade, presencialmente o...
articulação e a continuidade
“…Não cabe apenas individualmente ao/à
educador/a, mas a toda a organização educativa,
garant...
antecipar as aprendizagens
“…a transição e
assegurar a
continuidade não
significa antecipar as
aprendizagens a realizar
na...
Discussão sobre as Orientações
Curriculares para a Educação Pré-
Escolar.
O Envolve-te! vai contribuir!
Coimbra, 7 de maio...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Proposta de Reflexão OCEPE

No âmbito do Fórum de Reflexão Ativa, organizado pelo Envolve-te! no dia 7 de maio de 2016, em Coimbra (Conservatório de Música), foi desenvolvida a apresentação que sintetiza a leitura feita pelos membros do Grupo Público.

http://www.facebook.com/envolv.te

  • Entre para ver os comentários

Proposta de Reflexão OCEPE

  1. 1. Discussão sobre as Orientações Curriculares para a Educação Pré- Escolar. O Envolve-te! quer contribuir. Coimbra, 7 de maio de 2016 consulta pública do projeto de Regulamento
  2. 2. FUNDAMENTOS E PRINCÍPIOS EDUCATIVOS CRIANÇA EDUCADOR/A Desenvolvimento e aprendizagem como vertentes indissociáveis. • Cada criança tem uma identidade única e singular, tendo necessidades, interesses e capacidades próprias. • Vive num meio cultural e familiar que deve ser reconhecido e valorizado. • Tem em conta as características da criança, criando oportunidades que lhe permitam realizar todas as suas potencialidades. • Considera a família e sua cultura na sua ação educativa. Reconhecimento da criança como sujeito e agente do processo educativo. • A criança é detentora de uma curiosidade natural para compreender e dar sentido ao mundo que a rodeia, sendo competente nas relações e interações que estabelece. • Tem direito a ser escutada e as suas opiniões devem ser tidas em conta. • Parte das experiências da criança e valoriza os seus saberes como fundamento de novas aprendizagens. • Escuta e considera as opiniões da criança, garantindo a sua participação nas decisões relativas ao seu processo educativo. • Estimula as iniciativas da criança, apoiando o seu desenvolvimento e aprendizagem. Exigência de resposta a todas as crianças. • Todas as crianças têm direito a uma educação de qualidade em que as suas necessidades, interesses e capacidades são atendidos e valorizados. • Todas as crianças participam na vida do grupo. • Aceita e valoriza cada criança, reconhecendo os seus progressos. • Tira partido da diversidade para enriquecer as experiências e oportunidades de aprendizagem de todas as crianças. • Adota práticas pedagógicas diferenciadas, que respondam às características individuais de cada criança e atendam às suas diferenças. • Promove o desenvolvimento de um sentido de segurança e autoestima em todas as crianças. Construção articulada do saber. • O desenvolvimento e aprendizagem processam-se de forma holística. • Brincar é um meio privilegiado de aprendizagem que leva ao desenvolvimento de competências transversais a todas as áreas do desenvolvimento e aprendizagem. •Aborda as diferentes áreas de forma globalizante e integrada; • Estimula o brincar, através de materiais diversificados, apoiando as escolhas, explorações e descobertas da criança; • Estimula a curiosidade da criança criando condições para que “aprenda a aprender”. consulta pública do projeto de Regulamento
  3. 3. base comum “…são apresentados fundamentos e princípios que constituem uma base comum para o desenvolvimento da ação pedagógica em creche e jardim de infância.” Página 5 consulta pública do projeto de Regulamento
  4. 4. desenvolvimento e aprendizagem “…em educação de infância, não se pode dissociar desenvolvimento e aprendizagem.” Página 9 consulta pública do projeto de Regulamento
  5. 5. sujeito e agente “O reconhecimento da capacidade da criança construir o seu desenvolvimento e aprendizagem supõe encará-la como sujeito e agente do processo educativo, o que significa partir das suas experiências e valorizar os seus saberes e competências únicas, de modo a que possa desenvolver todas as suas potencialidades.” Página 11 consulta pública do projeto de Regulamento
  6. 6. brincar “Esta articulação de áreas de desenvolvimento e aprendizagem implica reconhecer que brincar é a atividade natural da criança que melhor corresponde à sua forma holística de aprender.” Página 12 consulta pública do projeto de Regulamento
  7. 7. envolvimento “…importa, porém, diferenciar uma visão redutora de brincar, como forma de a criança estar entretida e ocupada de uma perspetiva de brincar como atividade rica e estimulante que promove o desenvolvimento e aprendizagem e se caracteriza pelo elevado envolvimento da criança.” Página 12 consulta pública do projeto de Regulamento
  8. 8. referência para construir “…não constituem um programa a cumprir, mas sim uma referência para construir e gerir o currículo, que deverá ser adaptado ao contexto social, às características das crianças e das famílias e à evolução das aprendizagens de cada criança e do grupo.” Página 14 consulta pública do projeto de Regulamento
  9. 9. planear “Planear não é, assim, prever um conjunto de propostas a cumprir exatamente, mas estar preparado para acolher as sugestões das crianças e integrar situações imprevistas que possam ser potenciadoras de aprendizagem.” Página 16 consulta pública do projeto de Regulamento
  10. 10. participação “…construção conjunta com a participação de todos os intervenientes (crianças, outros profissionais e pais/famílias) cabendo ao/à educador/a encontrar formas de comunicação e estratégias que promovam o envolvimento e facilitem a articulação entre os diversos contextos da vida da criança.” Página 14 consulta pública do projeto de Regulamento
  11. 11. avaliação “…assim, considera-se avaliação como uma forma de conhecimento direcionada para a ação.” Página 16 consulta pública do projeto de Regulamento
  12. 12. avaliação “…reflete sobre o que é mais útil e pertinente recolher, como e quando o fazer, como e quando organizar e analisar esses registos e documentos, ou seja, planeia a avaliação.” Página 16 consulta pública do projeto de Regulamento
  13. 13. juízo de valor “…articulando essas duas conceções com a definição de avaliação apresentada, considera-se que a educação pré-escolar não envolve nem classificação da aprendizagem da criança nem o juízo de valor sobre a sua maneira de ser…” Página 17 consulta pública do projeto de Regulamento
  14. 14. “…A avaliação na educação pré-escolar é reinvestida na ação educativa, sendo uma avaliação para a aprendizagem e não da aprendizagem.” Página 17 consulta pública do projeto de Regulamento avaliação para a aprendizagem
  15. 15. avaliação autêntica “…Esta perspetiva de avaliação contextualizada (…) é também designada de “avaliação autêntica” ou “avaliação alternativa”.” Página 17 consulta pública do projeto de Regulamento
  16. 16. participação “A participação no planeamento e avaliação de outros profissionais que trabalham com o mesmo grupo de crianças é um dos meios de garantir a coerência do currículo e de ter outros “olhares” sobre a aprendizagem das crianças.” Página 17 consulta pública do projeto de Regulamento
  17. 17. articulação documental “…planeia a sua intervenção, elaborando o Projeto Curricular de Grupo em articulação com o Projeto Educativo do Estabelecimento /Agrupamento.” Página 18 consulta pública do projeto de Regulamento
  18. 18. escuta “É a partir dessa observação, e da escuta das opiniões e sugestões das crianças (…) que a organização do ambiente educativo vai sendo melhorada e ajustada..” Página 19 consulta pública do projeto de Regulamento
  19. 19. objetivos “…não tem sentido situar o nível de desenvolvimento da criança ou em que medida foram atingidos objetivos ou metas de aprendizagem previamente definidos...” Página 20 consulta pública do projeto de Regulamento
  20. 20. partilha, debate e reflexão “…também a partilha, debate e reflexão entre equipas de educadores (…) sobre o desenvolvimento de trabalho pedagógico e dos instrumentos de planeamento e avaliação (…) constitui um meio privilegiado de desenvolvimento profissional e de melhoria das práticas” Página 21 consulta pública do projeto de Regulamento
  21. 21. comunicar “…importa que os/as educadores/as reflitam individualmente e em conjunto sobre a melhor maneira de comunicar informações sobre cada criança…” Página 21 consulta pública do projeto de Regulamento
  22. 22. heterogeneidade “…a decisão da composição etária deve, porém, corresponder a opção pedagógica, tendo em conta que a interação entre crianças em momentos diferentes de desenvolvimento …” Página 26 consulta pública do projeto de Regulamento
  23. 23. desenvolvimento social “…o desenvolvimento social faz-se através de duas vertentes contraditórias: a necessidade de proximidade com os outros e o desejo de afirmação e de autonomia pessoal…” Página 27 consulta pública do projeto de Regulamento
  24. 24. espaço exterior “…o espaço exterior é igualmente um espaço educativo pelas suas potencialidades e pelas oportunidades educativas que pode oferecer, merecendo a mesma atenção dos/as educadores/as que o espaço interior…” Página 29 consulta pública do projeto de Regulamento
  25. 25. tempo “…porque o tempo é de cada criança, do grupo e do/a educador/a, importa que a sua organização seja decidida pelo/a educador/a e pelas crianças.” Página 30 consulta pública do projeto de Regulamento
  26. 26. conhecimento aos pais/famílias “…ao dar conhecimento aos pais/famílias e a outros membros da comunidade, presencialmente ou à distância (blogues, plataforma da escola, etc.)…” Página 32 consulta pública do projeto de Regulamento
  27. 27. articulação e a continuidade “…Não cabe apenas individualmente ao/à educador/a, mas a toda a organização educativa, garantir a articulação e a continuidade do processo na educação de cada criança.” Página 32 consulta pública do projeto de Regulamento
  28. 28. antecipar as aprendizagens “…a transição e assegurar a continuidade não significa antecipar as aprendizagens a realizar na fase seguinte.” Página 33 consulta pública do projeto de Regulamento
  29. 29. Discussão sobre as Orientações Curriculares para a Educação Pré- Escolar. O Envolve-te! vai contribuir! Coimbra, 7 de maio de 2016 consulta pública do projeto de Regulamento

×