Analise de viga inclinada no Ftool

3.184 visualizações

Publicada em

Obtenção de diagramas de esforços internos em viga inclinada com carga em projeção, utilizando o software FTOOL.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.184
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analise de viga inclinada no Ftool

  1. 1. ANÁLISE DE VIGAS INCLINADAS COM CARGA EM PROJEÇÃO Universidade Federal do Piauí – UFPI Departamento de Estruturas – DE | Centro Tecnológico – CT Disciplina de Estruturas Isostáticas Dada a estrutura abaixo, determinar as reações de apoio: Desenhando-se a estrutura no programa Ftool, da Tecgraf/PUC-Rio (http://www.tecgraf.puc-rio.br/ftool), e colocando o carregamento na barra como Uniform Loading com Qx=-1,00 tf/m e Qy=-2,00 tf/m, obtém-se Ha=2,61, Va=7,22 tf e Vb=7,99 tf. Realizando-se os cálculos manualmente, temos:
  2. 2. O motivo para os resultados diferentes é o fato de o Ftool não aceitar a entrada direta de cargas em projeção. O que são aceitas são cargas que seguem a direção dos eixos de referência global ou local (o usuário pode inclusive selecionar isso na própria paleta Uniform Loading, onde são imputados os valores das ordenadas de carga). Para se obter o resultado desejado, deve-se colocar um carregamento orientado na direção do sistema global de coordenadas que substitua o do problema, porém seja interpretado pelo programa como tal. Esse carregamento deve ter uma ordenada de carga que seja igual ao produto da fornecida pelo problema multiplicada pelo cosseno do ângulo formado entre a carga distribuída dada e a barra. Assim, no problema dado: Logo, o carregamento q = -2,00 tf/m é transformado em e o de q = -1,00 tf/m é transformado em . O seno é usado na transformação do segundo carregamento porque a carga tem de ser multiplicada pelo cosseno do complementar do ângulo , logo, podemos substituir pelo seno dele. Feito isso, obtemos o resultado totalmente correto, como pode ser observado no diagrama de esforço cortante (DEC) mostrado na página seguinte.
  3. 3. Agora, podemos fazer o cálculo do esforço cortante em alguns pontos arbitrário para comprovar a resposta obtida pelo programa após a simulação do carregamento em projeção na barra inclinada.  Calculando o esforço cortante no ponto E da barra :  Cálculo da descontinuidade em F:

×