Meios de cultura e Técnicas de semeio- MICROBIOLOGIA

21.567 visualizações

Publicada em

Os meios de cultura e as técnicas de semeio em microbiologia.

Publicada em: Educação

Meios de cultura e Técnicas de semeio- MICROBIOLOGIA

  1. 1. Meios de cultura
  2. 2. Quanto ao estado físico os meios podem ser: SÓLIDO – Ágar-ágar (1.5%).  Utilizado isolamento de colônias bacterianas (plaqueamento); SEMI-SÓLIDO – Ágar-ágar (0.5/0.7%)  Utilizado para observação de motilidade; LÍQUIDO – Caldo.  Utilizado para enriquecimento bacteriano; A consistência dos meios é dada pela concentração de “AGAR-AGAR” constituído de polissacarídeo complexo (gelose)
  3. 3.  ÁGAR SANGUE: Crescimento das bactérias piogênicas e observação dos três tipos de hemólise: alfa, beta e gama.  AGAR CHOCOLATE: Observa-se hemólise alfa e crescimento de Streptococcus e Haemophylus  ÁGAR CHOCOLATE THAYER MARTIN: Crescimento de Neisserias  ÁGAR CHOCOLATE TELURITO DE POTASSIO: Crescimento de Corynebacterium; MEIOS SÓLIDOS
  4. 4. MEIOS SÓLIDOS:  ÀGAR TEAGUE, McCONKEY, HECTOEN ENTERIC e SS: São seletivos (crescem Gram negativas) e indicadores (separam as bactérias em LACTOSE POSITIVA E LACTOSE NEGATIVA)  ÁGAR TCBS: Crescimento de Vibrio  ÁGAR DNAse: Classificação dos Staphylococcus Teague McConkey DNAse
  5. 5. MEIOS SÓLIDOS cont. Ágar-sangue Ágar-chocolate Ágar-Chocolate Thayer Martin
  6. 6.  BHI (Brain Heart Infusion): Enriquecimento de cultura de bactérias piogênicas em secreções ou em frascos para hemocultura  TIOGLICOLATO: Crescimento de bactérias anaeróbias  TETRATIONATO: Crescimento de bactérias do trato fecal (enriquecimento das bactérias lactose negativas)  ÁGUA PEPTONADA ALCALINA: Crescimento do bacilo da cólera MEIOS LÍQUIDOS CALDO DE TIOGLICOLATO
  7. 7. MEIOS SEMI-SÓLIDOS FLETCHER: utilizado em hemoculturas e conservação de Leptospiras URÉIA: Produção de urease
  8. 8. MEIOS ENRIQUECIDOS São acrescentadas substâncias para aumentar o poder nutritivo do meio Exemplos: BHI Ágar-sangue (sólido): 5 a 10% de sangue desfibrinado de ovelha, coelho ou humano. Fletcher (semi-sólido): soro de coelho, hemoglobina. Ágar-chocolate (sólido): sangue de ovelha aquecido: fastidiosos Ágar Müller-Hinton:  Infusão animal, casaminoácidos e amido: crescimento de muitos organismos. Ágar Thayer-Martin  Fatores de crescimento:hemoglobina, vitaminas, difosfopiridina e glutamina
  9. 9. MEIO SÓLIDO ENRIQUECIDO ÁGAR-SANGUE ÁGAR-CHOCOLATE HEMÓLISE: • ALFA (PARCIAL) • BETA (TOTAL) • GAMA (AUSÊNCIA)
  10. 10. Padrões de hemólise Hemólise beta Hemólise alfa Hemólise gama
  11. 11. MEIOS SELETIVOS Têm o objetivo de favorecer ou selecionar um tipo bacteriano Manitol Ágar sal: Tem 7.5% de NaCl (favorece o S. aureus); MacConkey: Contém sais biliares e cristal de violeta 1% (inibe os Gram positivos) Teague, EMB: Contém eosina 2% e azul de metileno 0,5% (Inibe os Gram positivos, selecionando os Gram negativos) HE: sais de bile (inibição de Gram positivos e retardamento do crescimento de Gram negativos da microbiota normal)
  12. 12. MEIOS INDICADORES Indicam características bioquímicas/fisiológicas dos microrganismos Ex.: se o microrganismo fermenta a lactose ou não – coloração das colônias  Teague: :  modificação na cor e precipitação dos corantes como resultado da queda do pH.  MacConkey:  Produção de ácido pelos fermentadores de lactose: mudança do corante neutro absorvido pelas colônias para vermelho e precipitação de sais de bile.  Não fermentadores de lactose: colônias sem coloração ou transparentes  HE:  Sais de ferro (tiosulfato de sódio e citrato de amônio férrico): detecção da produção de gas sulfídrico (H2S): precipitado negro nas colônias.
  13. 13. MEIOS DE CULTURAS SÓLIDOS TEAGUE TEAGUE COM CRESCIMENTO MEIO SELETIVO E INDICADOR
  14. 14. MEIOS DE CULTURAS SÓLIDOS McConkey MEIO SELETIVO E INDICADOR
  15. 15. MEIOS DE CULTURAS SÓLIDOS HECTOEN ENTERIC - HE HE -COM CRESCIMENTO MEIO SELETIVO E INDICADOR E H2S
  16. 16. Composição de meios de cultura comumente utilizados Agar citrato de Simmons  Diferenciação de bacilos entéricos Gram negativos.  Citrato=fonte de carbono  Crescimento = utilização sais de amônio  Quebra dos sais de amônio: alcalinização do meio = indicador azul de bromotimol : de verde para azul.
  17. 17. Composição de meios de cultura comumente utilizados TSI (Triple Sugar Iron)  Fermentadores e não- fermentadores de glicose, lactose e sacarose, produção de gás e de H2S  Fermentadores: acidificação = amarelo  Sais de ferro e tiosulfato: H2S + tiosulfato: sultato ferroso: precipitado negro. TSI
  18. 18. Composição de meios de cultura comumente utilizados  Agar Bile-Esculina  Isolamento e identificação de Streptococcus do grupo D, incluindo os Enterococcus.  Streptococcus do grupo D, incluindo Enterococcus: hidrólise da esculina.  Reação com o citrato férrico no meio para produzir sais de ferro insolúveis.  Deposição dos sais de ferro: enegrecimento do meio, indicando a hidrólise da esculina. .
  19. 19. Composição de meios de cultura comumente utilizados  Agar Mueller-Hinton  meio transparente  susceptibilidade de organismos a antibióticos.  Amido no meio:proteção dos organismos contra substâncias tóxicas e fonte de energia.
  20. 20. Composição de meios de cultura comumente utilizados  Agar Lisina Ferro  Três parâmetros: dascarboxilação da lisina, desaminação da lisina e produção de H2S.  Contém lisina (aminoácido), glicose (carboidrato), uma pequena quantidade de proteína, violeta de bromocresol (indicador de pH) e tiosulfato de sódio/ citrato de amônio férrico (fonte de enxofre e indicador de H2S). Região inferior alcalina (violeta) e superior alcalina (violeta) indicam que o organismo descarboxila a lisina mas não pode desaminá-la. Região inferior ácida (amarelo) e superior alcalina (violeta) indicam que o organismo fermentou a glicose mas não foi capaz de desaminar ou descarboxilar a lisina. Região inferior ácida (amarelo) e superior vermelho-bordeaux indicam que o organismo desamina a lisina mas não é capaz de realizar a descarboxilação. enegrecimento na região inferior indica produção de H2S a partir do tiossulfato de sódio.
  21. 21. Composição de meios de cultura comumente utilizados  Agar Manitol-Sal  Alta concentração de sal (7,5%):  Staphylococcus aureus é capaz de fermentar manitol, a única fonte de carbono no meio  baixa no pH: indicador vermelho de fenol para amarelo.  S. aureus: colônias amarelas, rodeadas por uma área amarelada.  Outras espécies de Staphylococcus e Micrococcus :colônias rodeadas por uma área avermelhada ou rosada
  22. 22. TÉCNICAS DE SEMEIO  Para o isolamento, cultivo como também a identificação, são necessárias técnicas adequadas de inoculação em meio de cultura, que permitam o crescimento rápido e sem contaminação
  23. 23. TECNICAS DE SEMEIO Cuidados: Técnicas assépticas; Ambiente estéril – próximo à chama (bico de Bunsen); Alças devem ser flambadas antes e depois do uso; Tubos, quando abertos, devem ser flambados antes e depois do uso.
  24. 24. SEMEIO EM MEIO SÓLIDO POR ESGOTAMENTO  Técnica necessária para o isolamento e obtenção de culturas puras;  Com a alça de platina fazer estrias na superfície do meio de cultura, até o esgotamento de todo material presente na alça Alça de platina
  25. 25. SEMEIO POR ESGOTAMENTO
  26. 26. SEMEIO EM MEIO SÓLIDO COM ALÇA DE DRIGALSKY Quantificação Semeio uniforme; Uso de suspensão bacteriana; Inóculo: 50-100ųl da suspensão; Semeio cobrindo toda a superfície do meio
  27. 27. Semeio – Alça Drigalsky
  28. 28. SEMEIO EM MEIO SÓLIDO COM “SWAB” Técnica de antibiograma; Suspensão bacteriana padronizada: 0,5 na Escala de McFarland Umedecimento do “swab” na suspensão; Retirada do excesso Semeio cobrindo toda a superfície do meio.
  29. 29. SEMEIO EM MEIO LÍQUIDO  Tocar com a alça de platina na amostra;  Inocular o meio líquido;  Incubar;  Observar a turvação do meio.
  30. 30. SEMEIO EM PICADA  Utilizado nas provas bioquímicas (TSI, citrato, lisina);  Meios sólidos em tubos inclinados ou “slants”  Semeio com a agulha de platina em profundidade, e no caso do TSI na superfície do meio
  31. 31. Semeio em picada TSI

×