1
2 
Sinopse: Katherine Arnold é uma garota que adora viver correndo e acelerando até o máximo que poder. Gosta de viver em ...
3 
Dedicatória 
Para meu amor que me mostrou e incentivou a sempre seguir meus objetivos. Obrigada Alisson Amor. Para Dani...
4 
PLAYLIS DE PAIXÃO ENTRE RODAS 
Quando Kat fala sobre seu pai (Butterfly Fly Away - Miley Cyrus) 
A primeira dança de Ni...
5 
Capitulo 1 
Acordei com o despertador berrando no meu ouvido. Já era hora de acordar, sendo que eu tinha acabado de fec...
6 
meu café. Minha mãe é uma mulher delicada. Ela usa uma saia até o joelho e uma blusa de seda. Ela trabalha no escrito d...
7 
Quando entrei no carro Fox de minha mãe, ele é bom e bem confortável. Ficamos em silêncio, a partir do caminho para a m...
8 
E os cabelos castanhos, e olhos verdes. Ela era muito fofa, desfiz do abraço e sorri pra ela. Ela deu um de seus maiore...
9 
Mais como todos dizem “a felicidade dura pouco” mais pra mim é mesmo falta de sorte. Olhei pras lambisgoias me encarand...
10 
Entramos na sala, vi um grupo de guris e um grupo de gurias se abraçando. Peguei a primeira carteira da fila do meio. ...
11 
sua santidade vamos dizer assim. Mais tens que aproveitar a vida. - Olhei pra ela e balancei a cabeça - Eu me divirto ...
12 
Capitulo 2 
Eu estava indo a caminho do refeitório, quando vi aquele menino com olhar penetrante, mais não em mim. Mai...
13 
tanto. Balancei a cabeça pra tirar esse pensando de mim. Olhei pra cima e vi a Janny acenando. Olhei e fui direto para...
14 
para o Pierry esperando sua resposta - Ah sim, são as 19:00. - eu sorri e comecei a me levantar. E então vi uma sombra...
15 
com uma garota desajeitada. Vim falar com Pierry. - olhei pra Janny, que quase não estava babando pelo o guri arrogant...
16 
dava um pouco de medo. Então ele falou - Ninguém te convidou pra ir à nossa festa Desajeitada. E se você não quiser ir...
17 
Capitulo 3 
Quando estava indo pra casa, não estava mais chovendo tinha parado. De repente uma água vem pra cima de mi...
18 
Cheguei em casa minha mãe não estava. Liguei para Janny, ela atendeu no segundo toque. 
- Alô? 
- Oi Janny, é a Kat......
19 
combinar com a roupa. Ouvi a campainha tocando. Com certeza era Janny. Sai correndo pelas as escadas. Abri a porta Jan...
20 
lambisgoias, estavam rindo e conversando com um grupo de rapazes. Até que notei que um deles era Nick. Fiquei com raiv...
21 
pegou os braços dela e disse - Calma Brity. Aqui não é lugar e nem hora de vocês duas se atracarem. - Ela se virou pra...
22 
guria. - ele me olhou e disse - Nick é uma pessoa muito estranha de se lidar. E não sei às vezes ele é ótimo, mais tem...
23 
Capitulo 4 
Não consegui pensar, sério! Aqueles olhos me olhando como se eu fosse a única garota aqui que pudesse sati...
24 
onde estava parado me olhando como se tivesse ganhado o prêmio Nobel. Fui direto para o bar onde estava a Janny e Pier...
25 
Mais não queria que você fosse de táxi eu te trouxe sabe? Queria que tu voltasse comigo também. - Olhei pra ela e diss...
26 
arrastou para o estacionamento. Colocando-me em cima dos seus ombros. Comecei a me sacudir não pude deixar de gritar c...
27 
Quando entrei no táxi fiquei pensando. Porque aquele guri tinha tanto poder sobre mim? Eu ficava sem ar só de olhar pr...
28 
Capitulo 5 
Acordei como se quisesse destruir o despertador. Já era de manhã. Quando cheguei ontem à noite mamãe não t...
29 
ontem. E sei que não vai ser nada fácil hoje pra mim lá na escola. Afinal todos amam a Brity. Menos eu a Janny. 
*** 
...
30 
- Ah Katherine. Porque fugiu ontem da nossa briga? Pensou que ias perder por isso saísse? - Fiquei com mais raiva aind...
31 
armário. Olhei pra Janny, depois ela estava ainda de boca aberta. Sorri e disse pra ela 
- Amiga, pode fechar a boca a...
32 
*** 
Depois de acabar a aula. Vou até o caféxicara, com a Janny e Pierry, eles vão comentando sobre a matéria de matem...
33 
espera da Janny e Pierry. Quando ele vem na minha direção vejo que não estão trazendo o tal papel do valor. Então perg...
34 
Pierry dizendo. - Mais claro, não tão lindo como você né Pi! - Olho pros dois e sorrio. Então escuto aquela voz de nov...
35 
Capitulo 6 
Claro que sim, porque não iria ligar? - eu digo. Vejo Janny quase pulando de alegria e disse - Não se esqu...
36 
isso? Se eu sair o problema é meu! - Me virei e sai pelas as portas. Deixando ele lá atrás. Com as mãos em punhos. Ao ...
37 
estava sentada na frente da TV vendo o canal de fofocas. Sentei-me do lado dela e sorri 
- Como foi o trabalho? - perg...
38 
Estava torcendo para ela dizer sim, afinal queria poder conversar e tirar essa saudade que estava aqui. Como disse ela...
39 
não pensei duas vezes já respondi meu nome - Meu nome é Katherine. Então, tudo ok? - Ele meio que suspirou e eu dei um...
40 
ouvindo uma voz também de felicidade saindo dele. - As sete? - sorri e disse - As sete!
41 
Capitulo 7 
Hoje já era sábado não sei como passou tão de pressa a semana. No dia que liguei para o Adam a Janny iria ...
42 
olhada nos vestidos e saias. Achei uma Saia de cintura alta e uma blusa cor de mel. Provei e a Janny bateu palmas 
- É...
43 
Aconchegada no calor da suas mãos e dos abraços. Nunca sonhei com nenhum guri. Nem fiquei pensando tanto nele. Fiquei ...
44 
Claro que me lembro Janny! - Olhei e dei um beijo na Janny. Ela me desejou boa sorte. E disse para mim ligar pra ela q...
45 
Quero que de certo. Não entendo o porquê que tais aqui, falando pra mim pra não sair com ele. Não me importo com a tua...
46 
Capitulo 8 
Corri pra casa, meia tola por não saber o que aconteceu direito ali no shopping. Quando cheguei em casa fa...
47 
disse - É mais estou aqui.. Então, aonde vamos? - minhas mãos estavam suando, ele olhou pra mim e sorriu e disse - vam...
48 
perguntas indiscretas. Então porque não saímos e vamos dar uma volta se você não tiver nenhum problema claro.. - ele m...
49 
22:30. Pulei do banco e ele me olhou assustado. Então sorri e apertei a mão dele gentilmente 
- Tenho que ir, já são 2...
50 
Quero sim. - então ele me puxou mais um pouco e colocou seus lábios nos meus. Ao contrario do beijo de Nick o dele era...
51 
Capitulo 9 
Quando acordei me vi bem ou melhor me senti bem. Sentindo-me mais segura de si mesma. Sorri para mim mesma...
52 
- Ah.. Olá Kat! - ele diz sorrindo. - Visse a Janny ontem? Tava querendo falar com ela e não consigo. - ele sorriu e d...
53 
- Kat! Me fala sobre Adam?! Conta tudo, nem tire uma mosquito se quer desse encontro! - Eu olhei pra ela e sorri. Pens...
54 
provocar, quando me viu enlaçou seus braços ao redor de Nick. Que ficou tenso a me ver, vendo aquela sena caótica. Ent...
55 
Capitulo 10 
Sai correndo para fora da escola, rezando para não tropeçar. Fui direto para o campos da escola. Sentei d...
56 
está preocupada comigo, querendo saber por que sai correndo daquele jeito. Então apertei no botão de aceitar. Nem deu ...
57 
mesas do campos. - a ouvi resmungar alguma coisa ilegível para Pierry. Então falou - Já estou indo pra ir. - Então des...
58 
Então ela começou sua aula. Falando de esculturas gregas, e mais um monte de blá blá. Quase nem ouvi direito sua expli...
59 
Capitulo 11 
Cheguei da escola fui correndo me arrumar, pois tenho certeza que Janny daqui a pouco estaria gritando co...
60 
- O que? Como é que é? Repete Janny, acho que não ouvi muito bem - Ela suspirou e repetiu 
- Vais ter que ir com o Nic...
61 
bateu e trouxe seu perfume e o cheiro do seu corpo para minha direção. Ele estava sorrindo então disse 
- Pronta? - Ba...
62 
expressão de desejo para raiva. Ele veio em direção a mim e pegou nos meus cotovelos e disse 
- Katherine, se achas qu...
63 
saiu correndo atrás dele. Encontro ele a caminho da porta de minha casa, pego no seu braço e o giro, ficando frente a ...
64 
- Já vi melhores. - Ele me responde e sorri. Fico com vontade de pular no pescoço dele e tirar aquele sorriso nojento ...
65 
memória não sabendo que era casada. Então ele vai tentar trazer sua memória de novo e conquistá-la. - eu olho para ele...
66 
que uma Ferrari correndo quilômetros por hora. Ficamos um pouco abraçados. Depois de alguns minutos sinto suas mãos fa...
67 
porta da sala me vira rapidamente para porta e olho para Nick que está sorrindo como se não tivesse acontecido nada de...
68 
Capitulo 12 
Salto do sofá entre as pernas de Nick. Olho para minha mãe no meio da sala com a cara de choque fico tent...
69 
- Me desculpe Senhora Albert. Que indelicadeza a minha meu nome é Nicolas Derk. Kat, não chegou a comentar comigo que ...
70 
para cima tomar um banho. Se não se importa Nicolas, queria minha filha um pouquinho comigo, já que passei uns dias vi...
71 
- Ok Nick, serei sua namorada por um mês. Então depois disso, some de minha vida! - ele me olhou e sorriu. - Ok baby, ...
72 
- Como é? Sua mãe? Hein? Conta-me tudo! - contei até três e sai contando, falei que ela achou que Nick e eu estávamos ...
73 
Hoje é o dia que vou começar a ser a namorada de Nick, rezo a todos os Deuses para ele ser atropelado, mordido pelo um...
74 
nós dois do nosso quente beijo no meio do corredor da escola. Ele sorri para mim quando encontro seus olhos, então peg...
75 
queimar minha pele. Quando abri minha boca pra falar, ouvi Nick falando 
- Sinto muito professor, mais não consigo tir...
76 
Capitulo 14 
- Que merda Kat! Porque fizesse isso? – Nick me diz com o as expressões incrédulas. Olho para ele e sorri...
77 
para ele com expressão de estrangular seu pescoço, quebrar seus dentes. Então digo: 
- Gostava mais do Nicolas arrogan...
78 
encontro os olhos de Nick. Respirei fundo e me deixei aproveitar a sensação de sua mão no meu ombro. Olhei para os lad...
79 
“COMO VOU SOBREVIVER A ISSO?” 
Capitulo 15 
Passei a tarde tentando evitar os abraços de Nick, e tentando não pensar e...
80 
está acontecendo em minha vida. Eu nunca quis admitir para mim que eu possa estar apaixonada por Nick porque isso é ab...
81 
ta ajeitadinho. Ele está vestindo uma calça preta apertada de cintura baixa, com uma blusa preta apertada aonde posso ...
82 
ele um mês inteiro fingindo esse sentimento dentro de mim? É uma merda as vezes o amor. Sabiam?
83 
Capitulo 16 
- Tais linda – olho para ele e sorriu. – tais bem. – ele sorri e pega minha mão. Vamos para seu carro é u...
84 
Enquanto ouço o assobio de Nick e Pierry. Mais do nada eu escuto um resmungo de Nick e Pierry – Tira os olhos dela idi...
85 
parece pulando que nem um louco. Fico sem ar, então me afasto aos poucos e olho para ele que diz 
- Tais me deixando l...
86 
-Sua cadela! – ela vem para cima de mim, mais eu me desviei então ela cai com a cabeça dentro da pia. Eu sorri para el...
87 
tranqüilizá-lo afinal não quero ele se atracando com Gavin. Pego na sua mão e o olho mais, parece que ele se tranqüili...
88 
Capitulo 17 
Eu tentei sair dali juro que tentei, mais não deu parece que prendeu, parece que sou uma árvore que tenho...
89 
pai. Em seguida me levanto, e vou em direção a Gavin que está me olhando com expressão de choque juntos com os outros ...
90 
sinto sua mão me segurando olho para ele. Ele me beija, um beijo doce, gentil e quente ao mesmo tempo. Seguro-me a ele...
91 
Capitulo 18 
Por pior que pareça as três semanas voaram rápido demais, todos os dias eu sempre tomava coragem para peg...
92 
- Kat, amanha que horas é a corrida? – ela pergunta. E eu juro que vou estrangular ela. Afinal Nick nem sabe que eu di...
93 
- Que merda tu vai fazer Kat? Tu numa corrida de moto? Não tu não vai, por pior que eu seja teu namorado falso, eu ain...
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Paixão entre rodas  - Schirliany Cunha
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Paixão entre rodas - Schirliany Cunha

337 visualizações

Publicada em

Paixão entre rodas - Schirliany Cunha

Publicada em: Diversão e humor
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
337
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Paixão entre rodas - Schirliany Cunha

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Sinopse: Katherine Arnold é uma garota que adora viver correndo e acelerando até o máximo que poder. Gosta de viver em aventura de ouvir aplausos, abraços e gritos depois que ganha uma corrida ou melhor ela gostava disso antes de seu pai partir. Antes quando tinha coragem de pegar sua moto e sair sem nenhuma dor, agora ela vive quieta e com medo de amar. Até que entra na sua escola um garoto que atraente é pouco, que pode trazer as antigas aventuras de Kat átona. E para a infelicidade de Kat ele faz uma proposta nada boa para ela, ele diz que se ela for namorada dele por um mês ele sai da vida dela sem nenhum ressentimento mais a pergunta é ela vai deixá-lo ir ?
  3. 3. 3 Dedicatória Para meu amor que me mostrou e incentivou a sempre seguir meus objetivos. Obrigada Alisson Amor. Para Dani, uma grande amiga. Para mamãe.
  4. 4. 4 PLAYLIS DE PAIXÃO ENTRE RODAS Quando Kat fala sobre seu pai (Butterfly Fly Away - Miley Cyrus) A primeira dança de Nick e Kat (Who Owns My Heart Miley Cyrus) Quando Kat da um tapa na cara de Nick (Fire Starter – Demi Lovato) Quando a kat vê Nick com Brity depois do encontro de Adam ( Really Don't Care “Feat. Cher Lloyd”- demi lovato. ) Quando Kat descobre que está apaixonada por Nick. (7 Things – Miley Cyrus) Quando Kat fala sobre a morte de seu pai para Nick (When I Look At You Miley Cyrus) Quando Kat vê Matt com a moto de seu pai (My Songs Know What You Did In The Dark (Light Em Up) - Pa...) Quando Kat corre com Matt (Beat It feat. John Mayer) - Fall Out Boy) Quando Nick diz a ela que ele a ama depois de ela sair que Matt é irmão dela (Fix A Heart - Demi Lovato) Quando Nick e Kat se declaram. (You're My Only Shorty (featuring Iyaz))
  5. 5. 5 Capitulo 1 Acordei com o despertador berrando no meu ouvido. Já era hora de acordar, sendo que eu tinha acabado de fechar meus olhos. Hoje primeiro dia de aula. Primeiro dia de conhecer pessoas novas. E sabe o que é ? Odeio conhecer pessoas novas. Levanto-me mais do que de pressa, vou até o banheiro tomo uma ducha fria. Lavo meus cabelos, como se precisasse mais disso do que ir pra escola. Saio do banheiro vou até meu querido closet. Ele é pequeno não é que nem os das " ARTISTAS DE NOVELAS " mais é bem minha cara. Pego uma blusa azul claro de regata e meus short jeans, visto eles como se precisasse daquilo novamente. Tiro a toalha molhada do meu cabelo. Seco com secador. Posso falar verdade? Odeio meu cabelo! Ele é muito liso, nem um grampo consegue manter ele pra cima. Pego minha escova e começo a desembaraçá-los. Olho pro relógio 07:15. Desso pelas as escadas correndo encontrei minha mãe em casa, preparando
  6. 6. 6 meu café. Minha mãe é uma mulher delicada. Ela usa uma saia até o joelho e uma blusa de seda. Ela trabalha no escrito da empresa de tecnologia Ela olha pra mim e faz uma cara de desaprovação pra minhas roupas. Ta eu sei elas não são lindas como a da minha mãe. Mais é assim que gosto de me vestir. E afinal, pra que me vestir toda PATRICINHA se eu nem quero ser? Eu quero lamber o chão a querer ficar competindo com a Brity. Ah, ta não te contei né? É..então a Brity é uma loira aguada lá da minha escola. " TODOS A QUEREM " como diz ela. Eu não a suporto. Então olho pra mim mãe e dou meu sorriso que pode chegar a minha orelha. - Bom dia mamãe! É bom ver você também! - Ela me olha e diz - É com essa roupa que você vai ir pra escola no seu primeiro dia, Katherine ? - Eu olho pra ela e meu dia já está começando nada bom. - Claro mãe! Porque não iria? Não estou indo pra uma festa. Mais sim pra um escola. - Ela me olha e balança a cabeça - Anda rápido Katherine, estás já atrasada. - Sentei na minha cadeira e comecei a comer meus ovos mexidos. Quando acabei, olhei pra minha mãe e disse - Vais ir me levar? - Ela me olhou e balançou a cabeça em afirmativa. - Claro que vou!
  7. 7. 7 Quando entrei no carro Fox de minha mãe, ele é bom e bem confortável. Ficamos em silêncio, a partir do caminho para a minha escola. Minha escola se localizava na parte do bairro dos riquinhos. Estou lá por uma bolsa que meu pai tinha conseguido. Queria compartilhar com ele esse momento. Mais sei que ele está olhando pra mim de onde estiver. Com esse pensamento umas lágrimas estúpidas estavam querendo sair de meus olhos. Me firmei ao máximo para não acontecer. Quando olhei para a janela já estavam na frente de minha escola. Prédios grandes e uma entrada laranja, é sim meio brega mais.. É bem melhor do que amarelo e verde de minha escola antiga no bairro que não era nada bem de se falar. Sai do carro e acenei para minha mãe dando um adeus. Olhei para os campos, estavam todos se abraçando, e sorrindo contando piadas, e se divertindo. O clubinho das lambisgoias estava me encarando e cochichando, não duvido nada que estão a falar de minhas roupas. Andei mais rápido que pude para entrar na escola. Passei pelas as portas. E fui envolvida num abraço urso maior que já vi. Quando senti seu perfume de frutas vermelhas, já sabia quem era minha melhor amiga Janny. Ela era baixinha e magrinha, tinha as maças do rosto bem lindas e vermelhas. Acho que foi pela a corrida que ela deu.
  8. 8. 8 E os cabelos castanhos, e olhos verdes. Ela era muito fofa, desfiz do abraço e sorri pra ela. Ela deu um de seus maiores sorrisos. - Olá gata! Como tais lindas! Fiquei morrendo de saudades. Pensei que essas férias de verão nunca iria acabar! Mais então deixa de falar de mim, como tais? - Olhei pra ela e vi ela sorrindo pra um dos rapazes que passavam por ela e disse - É.. Estou bem. E não queria que as férias acabassem afinal sabes como é que é minha vida nesse colégio. A guria que perdeu o pai. Mais sim, estava também morrendo de saudades. - Ela me olhou e jogou seus braços envolta de mim de novo - Ai, amiga que coisa. Sinto muito, mais esse ano vão ser diferentes pessoas novas. E por fim vida nova. As lambisgoias, não irão fazer nada. - Queria acreditar nela, e queria mesmo. Mais sabia que não era verdade. Sempre foi assim desde que perdi meu pai num acidente de moto. E desde então nunca mais fui pegar minha moto. Queria poder voltar a correr com a moto com os cabelos ao vento mais depois disso me prendi demais. Janny me tirou do meu devaneio com uma pergunta nada da boa. - Será que vai entrar guris novos da nossa turma? Ai, to louca pra saber. Quero lindinhos pelo menos né? Porque meu Deus só vem tribufu! - Eu comecei a rir.
  9. 9. 9 Mais como todos dizem “a felicidade dura pouco” mais pra mim é mesmo falta de sorte. Olhei pras lambisgoias me encarando até que uma loira oxigenada, fez questão de abrir a boca. A sim reconheci a loira aguada era Brity. - Eai Katherine. Aonde comprou suas roupas? Porque me parece que foi numa lavagem de porcos! - Olhei pra ela e disse sorrindo - Pois é Brinty. Sim comprei. Mais não numa lavagem de porco. Porque me desculpe, mais não queria pegar suas roupas de lá! - Ela me olhou como uma expressão de assassina. Peguei a mão da Janny e sai com ela pelos os corredores até minha sala. A Janny saiu ao meu lado sorrindo como se ela precisasse dizer a todos. " Eai, minha amiga deu um baita coice nas lambisgoias" . Eu sorri com esse pensamento então ela quebrou o silencio - Kat, minha amiga, o que foi aquilo ? De lavagem de porco? - então ela começou a rir - Pois é Janny, ela tem que ver qual é seu lugar também! Espero que esse ano por fim seja diferente. Quero estudar demais e sair dessa escola o mais rápido o possível. Afinal esse é o último ano, então quero que fique numa lembrança ótima. - Ela me olhou sorriu de novo. - Como é ótimo ouvir isso de você Kat! ***
  10. 10. 10 Entramos na sala, vi um grupo de guris e um grupo de gurias se abraçando. Peguei a primeira carteira da fila do meio. Janny sentou bem atrás de mim. Peguei meu caderno a primeira aula séria matemática com o Professor Sérgio. Janny me cutucou para virasse para ela. Quando o fiz, ela me olhou com um sorriso maior do que a dentadura da minha vó. E disse: - Tem dois meninos novos na nossa sala não visse? - Eu olhei pra ela e girei o olhar ao redor da sala. Não vi nenhum desconhecido. - Não Janny, não vi. - ela me olhou e girou seus olhos - Claro né amiga. Quando chegasse aqui na sala, chegasse e sentasse não visse ao redor da sala. Mais você sabe, como sou uma amiga muito observadora. Eu notei os dois guris mais lindos do que eu já vi em toda a face da terra, e um deles estava olhando pra mim! Acredita? Pra mim! - Eu olhei pra sua cara e disse - Janny, eu não vi nenhum menino novo, ou como você. Dois guris mais lindos da face da terra, eu não o vi e também não estou me importando. Mais se quiser minha ajuda, para falar algo sobre “eles” - fiz as aspas em torno de minha cabeça quando eu falei. Então continuei - Vou estar aqui ok? Mais se quiser ir lá falar com “eles” pode ir mais não me leve junto ok? - ela me olhou fez beicinho e disse - Katherine Albert! Você tem que ver a vida por esse lado também. Eu sei que nunca desse um beijo. Ou muito menos tirasse
  11. 11. 11 sua santidade vamos dizer assim. Mais tens que aproveitar a vida. - Olhei pra ela e balancei a cabeça - Eu me divirto e não preciso dessa diversão. Só irá me magoar. Posso sem querer amar. E depois o perder. Não quero que isso aconteça de novo Janny! Entende isso? - ela me olhou, pegou minha mão e apertou - Amiga, tens que superar sei que perdesse seu pai, uma pessoa que você ama muito. Mais, sei que se você amar alguém, eu tenho certeza que você não vai deixar que ele parta. Em seguida vi uma sombra logo ao meu lado passando, ou melhor, duas sombras. Olhei pra cima e me deparei com olhos escuros de um guri. Com certeza eram os meninos mais lindos da face da terra, que Janny viu. Mais os olhares de um só rapaz me congelam. Não tive tempo de observar as suas roupas ou o cabelo, rosto ou muito menos os lábios. Quando me destravei, ou melhor, descongelei vamos se dizer assim. Ele já estava no final da minha fila na ultima carteira. Eu sei que para ele não significou nada esse olhar. Mais em mim tinha um fogo estranho, meu coração estava todo louco querendo quase sair pela minha boca. E agora quero uma só coisa na minha vida. Nunca mais olhar para aqueles olhos escuros ou muito menos pro dono dos olhos. Porque se seu olhar já me congela. Imagine o dono daquele olhar.
  12. 12. 12 Capitulo 2 Eu estava indo a caminho do refeitório, quando vi aquele menino com olhar penetrante, mais não em mim. Mais sim me deparei mesmo foi em Brity com ele. Ela colocava a mão no braço dele pra chamar a atenção dele. Acho eu. Ele vestia uma blusa de manga curta preta colocada. Uma calça jeans escura e uma jaqueta preta. Tinha cabelos escuros, mais não chegava a ser preto e nem castanho escuro uma cor bonita. Não pude ver seu rosto ele estava de cabeça baixa. Eu congelei quando olhou direto para minha direção. Não sei como eu fico. Quando ele olha. Nem ao mesmo sei o nome dele. Fico petrificada com ele. Então abaixei a cabeça, fui direto para refeitório, passei pela as portas de cabeça baixa pensando no belo rosto que ele tem. É a janny como sempre ela tinha razão. Nos meus pensamentos veio sua imagem, seu rosto. Ele tinha um jeito de durão. Uma coisa boa e bonita nele. Seus olhos escuros, cílios grossos, sambrancelhas finas mais não tão finas. Seu lábio era meio grosso, mais não
  13. 13. 13 tanto. Balancei a cabeça pra tirar esse pensando de mim. Olhei pra cima e vi a Janny acenando. Olhei e fui direto para aonde ela estava sentei e logo vi um rapaz ao lado dela, ele tinha cabelos loiros olhos azuis. Um corpo atlético, me olhou e sorriu retribui o sorriso. A Janny parecia mais do que um sol brilhando, Acho que era desse garoto que ela falava, então olhei pra ela e sorri. Quebrando o silencio como sempre Janny abre a boca. - Kat, esse é Pierry.. Pierry essa é Kat. - Ele me olhou sorriu e disse - Oi, é estudo na mesma sala que você e da Janny. - Olhei pra ele e vi que ele estava meio sem jeito - É me desculpa, mais eu nem notei. Tenho que ficar focada nas aulas. Desculpe-me mais.. Foi ótimo te conhecer... Como é mesmo seu nome? - eu digo. Ele sorriu e disse - Meu nome é Pierry - olho pra ele e digo - Oh sim, Pierry! - Olho para Janny e ela diz - Ah Kat, ele estava me falando que vai ter uma festa de boa vinda hoje à noite... Numa boate. E me convidou para ir. Mais como disse eu só vou se você for. - eu a cortei - Deixa de ser tola Janny, vai nessa festa de boa vinda. Tenho que cuidar da casa, e não vou poder ir. Afinal minha mãe vai trabalhar até tarde hoje. - Ela me olhou e fez beicinho - Ah Kat, vamos lá amiga! Por mim vai? - eu sei que nunca consigo dizer não para ela - Tudo bem Janny, vou ir. Mais não garanto ficar até tarde. Então que horas que começa? - Olhei
  14. 14. 14 para o Pierry esperando sua resposta - Ah sim, são as 19:00. - eu sorri e comecei a me levantar. E então vi uma sombra ficando bem no começo da mesa. Quando olhei quase levei o maior tombo sorte que uns braços fortes me seguraram. E um fogo ficou crescendo dentro de mim. Olhei meio tola por causa do tombo e querendo agradecer a pessoa forte que me segurou, quando olhei não pude deixar de congelar com uns malditos olhos escuros. Oh meu Deus! Era ele! O guri de olhos escuros! Tremi, porque começava a me tocar que seus braços ainda estavam em volta do meu corpo. Meio desajeitada, sai dos seus braços. Fiquei meio abalada depois que sai de seus braços parecia que ali era meu lugar. Olhei pra cima. Nossa, agora que o notei era muito alto! Nossos olhos se encontraram, e rezei por todos os santos para não congelada. Ele com seu olhar mais do quente sorriu e disse: - Cuidado por onde se levanta. Me desse uma cabeçada! - Eu olhei pra ele. Pensei que não fosse tão arrogante. - Não vi você vir até aqui. Talvez seu pescoço seja muito grande e por isso não notei minha cabeça indo parar logo no seu queixo! - ele olhou e sorriu debochado - Mais não vim aqui pra ficar brigando
  15. 15. 15 com uma garota desajeitada. Vim falar com Pierry. - olhei pra Janny, que quase não estava babando pelo o guri arrogante. Pierry se levantou e disse - Fala mano?! O que houve? Algo ruim sobre a festa? - minha cabeça dava alerta. Mano? Festa? an? - Não, é queria saber se vais ir jogar futebol agora ou vais ficar com a Janny e essa desajeitada terminarem falar com você? - eu fiquei com muita raiva. Cheguei me levantei e falei para a Janny, pensando que ninguém ouviria principalmente o guri arrogante e o amigo gentil da Janny. Falei pra ela baixo - Eu não vou mais a festa, depois te falo por que. - Ela me puxou antes que eu saísse - Porque não vais? É por causa do Nick? - Eu me virei e quando fui perguntar quem era o tal de Nick o individuo respondeu primeiro, olhando pra ele me dei conta que era já era tarde de mais - Quem está falando de mim? - Queria matar a Janny agora - A Kat, ela não quer ir à festa mais, porque você irá! - Ele me olhou com um sorriso abusado, mais que sorriso hein?! Olhei pra ela e falei - Muito obrigada “amiga” - ela me olhou e fez beicinho - Ah amiga, falasse que não iria mais, e eu só vou se você for. Não tive opção! - Olhei pra ela e disse - Não vou mais não é por causa desse guri arrogante, mais sim porque minha mãe vai trabalhar até tarde. E tenho coisas pra fazer. Melhor do que ir pra essa festa. E dar de cara com esse idiota. - ele me olhou. Seu olhar me
  16. 16. 16 dava um pouco de medo. Então ele falou - Ninguém te convidou pra ir à nossa festa Desajeitada. E se você não quiser ir por causa de mim, é porque está com medo que eu te agarre? Pode ficar tranqüila. - ele se abaixou e disse bem perto do meu ouvido - Pode crê que eu não vou te agarrar. Mais se você quiser irei estar lá. - Quando me dei conta ele já tinha partido.
  17. 17. 17 Capitulo 3 Quando estava indo pra casa, não estava mais chovendo tinha parado. De repente uma água vem pra cima de mim. Fiquei toda molhada, olhei pra ver quem era para xingar até aonde eu não pudesse mais. Então deparei com os olhos escuros e fiquei repetindo na minha cabeça. Não, não. Então ele pára do meu lado com um sorriso debochado e perguntou - Quer uma carona guria desajeitada? - eu olhei pra ele disse - Não. - e comecei a andar de novo - Então, não vai à festa por causa de mim, que pena. - eu olhei pra ele. - Claro que vou. Não iria por causa da minha mãe. - ele me olhou e sorriu. Ele ficava tão lindo assim. - Ok então, te espero lá - e deu partida na moto e se foi. Meu coração estava pulando. E estava suando frio. Agora tenho que ir nessa festa de qualquer jeito.
  18. 18. 18 Cheguei em casa minha mãe não estava. Liguei para Janny, ela atendeu no segundo toque. - Alô? - Oi Janny, é a Kat... É queria saber se ainda vais naquela festa do Pierry. Vais? - estava com tanta raiva de mim, por ter falado pra ele que iria estar lá. Mais não posso não aparecer. Então Janny, me tirou dos meus pensamentos - Ah, oi amiga. Não sei, afinal não ias ir. Porque queres ir? - eu vi um tom de esperança na voz dela - Sim vou ir, mais se você não for, está tudo bem. - A ouviela dar uns pulinhos e bater palmas então ela me disse - Ok, eu vou ir. Te pego as 18:00 ? Está bem esse horário pra ti? - Eu não posso negar que queria ir também nessa festa. Mais não só por causa do Nick que ele me incomodou e me deixou irritadíssima Mais sim, porque queria um pouco de diversão. Então disse - Sim, está ótimo. Espero-te então. - desliguei. Olhei pro relógio era 17:45. Tinha que correr, fui para meu quarto jogando tudo em cima da cama, corri pro banho. Lavei meus cabelos e fiz escovas neles, fui para meu closet. Peguei uma calça jeans, e uma blusa laranja de regata. Afinal não estou a fim de agradar ninguém. Não fiz questão de me maquiar. Peguei uma sapatilha bege pra
  19. 19. 19 combinar com a roupa. Ouvi a campainha tocando. Com certeza era Janny. Sai correndo pelas as escadas. Abri a porta Janny, estava vestida com um vestido prata tomara que caia, estava de salto alto pretos. E cabelos em uma trança indiana. Ela me olhou e ficou espantada e disse: - Credo Kat, estas parecendo uma mendiga. - eu olhei pra ela e sorri - Eu não quero impressionar ninguém. Estou indo por você. - Ela me olhou e falou - Porque não se jogasse em cima de um coco de cachorro e rolasse pra completar seu visual - eu sorri e dei um beijo na sua bochecha. Ela me olhou e sorriu e me puxou pra fora de casa - Anda Kat, já são 19:30 estamos atrasadas. Sai correndo atrás dela. Até seu carro era um Siena prata. No caminho para festa comentei com ela sobre o Nick ter passado numa possa de água e jogado tudo em cima de mim. Falei que iria por causa dela e bem, para provar pra ele que eu iria mesmo se ele estivesse lá. Porque no final, quem vai se danar vai ser ele. Ela comentou comigo que Nick era primo de Pierry. Que eles dividiam um apartamento. E que Nick fazia corridas de moto para conseguir pagar o aluguei mais Pierry. Me disse que Nick morava em São Paulo. Que veio para o Rio de Janeiro para ficar com o primo. Quando chegamos à frente da tal festa. Desci do carro. E me arrependi por ter vindo no momento que sai do carro, o grupinho das
  20. 20. 20 lambisgoias, estavam rindo e conversando com um grupo de rapazes. Até que notei que um deles era Nick. Fiquei com raiva. Querendo pular no seu pescoço e tira-lo dali! Mais, balancei a cabeça com a idéia idiota que passou pela minha cabeça. Olhei para Janny, ela passou a mão no meu braço entrelaçando e nós seguimos pela a porta da entrada. Achava que minha noite não poderia ficar pior mais, acho que tudo é possível. Dei de cara com a Brity, falando coisinhas para Nick. Passei por eles. Então a rainha das lambisgoias tinha que abrir a boca e disse com um sorriso mais descarado e abusado que já vi. - Ué. Katherine Albert ! Saiu de casa? Ou melhor, saiu do cemitério? - Olhei pra ela com o olhar mais assassino que já pude dar e falei - Brity! Por acaso você não se cansa de ser a chama atenção? - ela me olhou com ódio e disse - Quem pode, pode quem não pode, seu próprio cú sacode. - E começou dar suas gargalhadas mais outras lambisgoias e os rapazes. Menos um que não estava rindo Nick me olhava sério. Congelei pro um momento e disse - É, quem pode, pode. Mais nem isso tu pode. Afinal, posso sim ter saído do cementério. Mais com certeza com essa tua cara de palhaça, tenho que afirmar que acabasse de sair do circo. Ah, me desculpe? Você era a atração principal?- ela parou de rir e veio em minha direção. Meus pensamentos já estavam a chamando, vem querida vem. Nick
  21. 21. 21 pegou os braços dela e disse - Calma Brity. Aqui não é lugar e nem hora de vocês duas se atracarem. - Ela se virou pra ele e tacou-lhe um beijo mais molhados que vi no mundo, que me fez quase vomitar ali mesmo. Quando saiu disse - Ai, Ni! Como você é um amor. - ela se virou pra mim acenando com a mão dando um tchauzinho. Gruni, Janny que estava bem atrás de mim apertou meu braço pra seguir entre as portas. Olhei pra ela e disse - Já to começando a me arrepender. Queria dar na cara daquela lambisgoias agora mesmo. - Janny olhou pra mim e disse - Ai amiga. Nunca se esqueça de compartilhar essa luta comigo! - Saímos rindo. Passamos pelo canto do bar pra encontrar Pierry. Quando viu Janny seus olhos caíram por seu corpo. Brilhando como se fosse fogo. Ela chegou mais perto e abraçou-o dando um beijo na sua bochecha. Ele pegou na sua cintura e abraçou respondendo o beijo na bochecha dela. Ele me viu e veio na minha direção para me cumprimentar. Sorri e disse: - Bela festa. Ficou bonito aqui. - Ele me olhou e sorriu - Opa, nem fui eu que fiz, foi o Nick eu só me encarreguei das bebidas e comidas. Só isso - Olhei pra ele em descrença e disse - Nick é um rapaz de certas qualidades pelo que eu estou vendo. Mais é insuportável. Deverias dar dicas pra ele dizendo como tratar uma
  22. 22. 22 guria. - ele me olhou e disse - Nick é uma pessoa muito estranha de se lidar. E não sei às vezes ele é ótimo, mais tem vezes que é péssimo - olhei pra ele e disse - mais em fim Pierry, eu não tenho nada haver com isso. Não sou nada dele. E nem quero ser. Afinal ele não faz meu tipo. Mais em fim vou dar uma rodada por ai. E enquanto isso cuida da minha amiga pra mim ok? Mais, nada de abusar - ele sorriu e disse - Pode deixar, comigo ela ta segura. - sorri e me afastei dando uma olhada na Janny que já estava conversando com uma guria de cabelos roxos. Fui para centro da pista de dança. E comecei a dançar. Me divertir, fiquei pensando em como isso tudo está acontecendo tão rápido. E minha raiva ainda não diminuiu. Queria mesmo pegar a Brity e bater nela até ela quebrar aquela cara. Mais dai vem Nick que fica me irritando. Esse calor que quando ele chega perto de mim me faz sentir. Eu congelo mesmo estando pegando fogo meu corpo. Começo a balançar no balanço da música. Nunca mais sai de casa pra me divertir desde dia que meu pai partiu. Fiquei dançando até que sentir uma mão na minha cintura. E se encostando mais perto, para dançarmos juntos. Estava de olhos fechados, mais pelo que pude sentir, suas mãos eram grandes mais suáveis. Quando abri os olhos. Entrei os olhos que não queria encontrar agora e nem nunca mais. Os olhos de Nick.
  23. 23. 23 Capitulo 4 Não consegui pensar, sério! Aqueles olhos me olhando como se eu fosse a única garota aqui que pudesse satisfazê-lo. E depois de uns 2 minutos é que fui me tocar que a sua mão ainda continuava na minha cintura. Dei um pulo e tirei a mão dele logo dali. Não podia sentir sua pegada. Poder? Podia. Mais querer? Eu não quero! Olhei pra ele com uma cara de “SAI DA MINHA FRENTE, IDIOTA!" mais ele só sorriu e disse - Eu te falei que estaria te esperando na festa. - E deu um sorriso abusado. Não me agüentei muito e disse - Não vim por você, idiota. - ele fez uma cara de magoado e disse - Tudo bem, então porque estava dançando comigo, uns três ou cinco minutos antes? - Depois que ele falou aquilo. Não pude deixar de corar. Olhei pra ele e disse - Não sabia que era você! E se passasse pela a minha cabeça que era você. Não iria dar nem um minuto para tacar-lhe a mão na tua cara. Seu arrogante! - Depois de eu falar isso fiz de tudo para me virar e rezei para minhas pernas não fraquejarem agora. Sai da pista de dança deixando ele lá
  24. 24. 24 onde estava parado me olhando como se tivesse ganhado o prêmio Nobel. Fui direto para o bar onde estava a Janny e Pierry. E adivinha? Os dois estavam no maior Love. Se beijando e abraçando. Olhei pra cima e agradeci a Deus por esse dia mais que horrível que ele me deu. Não quis interrompe-los. Peguei uma cerveja e sentei na cadeira. Até que eles pararam de se beijar. Deram de cara comigo. Pierry não sabia aonde se enfiar. Parecia um tomate. Já Janny que não é santa nem nada. Olhou pra mim e sorriu. Levantei-me da cadeira. Puxando ela pelo braço. E dizendo ao Pierry que já voltava com ela. Ele acenou e deu um selinho de despedida para Janny. Olhei pra ela, que estava sorrindo de orelha a orelha e disse - Vou ter que ir embora. Mamãe já está quase chegando. - ela me olhou e fez beicinho. Mais dessa vez, me forcei para dizer que não iria aceitar sua oferta de vai fica mais cinco minutinhos. Ela me disse - Ah Kat! Poxa a festa acabou de começar. Visse o Pi? Que lindo! Agente ficou, e ele é muito meigo. Queria poder ficar mais. E meu Deus falar nisso ele beija bem pra caramba. - Olhei pra ela e sorri e disse - Amiga só to te avisando. Posso ir de táxi. Não tem problema. Só estava te avisando que já vou, pra depois você não ficar que nem uma desesperada na festa me procurando. Ok? - ela me olhou e acenou - Ok amiga!
  25. 25. 25 Mais não queria que você fosse de táxi eu te trouxe sabe? Queria que tu voltasse comigo também. - Olhei pra ela e disse - Não adianta teimar. Vais ficar aqui e se divertir com o seu “Pi" como você disse. Coitado do Pierry com esse seu apelido que inventasse agora. Mais tudo bem vou ter que ir afinal mamãe pode já estar em casa. E eu estou aqui discutindo contigo. Não se preocupe ok? Estou indo. Dê adeus pro Pierry pra mim ok? - ela olhou e me acenou e disse - Ok, amiga. Mais me liga quando tiver chegado em casa - Me abraçou e beijou minha bochecha. Em seguida sai pelo o lado do bar que dava até a porta de saída. Atravessei as portas. E esbarrei numa guria, que deu um gritinho mais irritante que se pode ouvir. Olhei pra cima era Brity. Ela estava molhada e me olhava com fúria. Disserto quando esbarrei nela ela estava com um copo de cerveja. Ela veio pra cima de mim e me deu um tapa na cara. Só depois de eu ter me tocado já estava no chão com ela. Pegando seus cabelos, e enrolando no meu pulso. Afinal papai antes de ir, me ensinou a lutar para me defender. Levantei-a pelos os cabelos dando uma joelhada na sua barriga. Quando fui dar um soco no nariz da triste uma mão forte pegou minha mão e fechou na dela. Olhei pro lado era o Nick tentando me segurar. E pierry tirando a Brity de longe de mim. Nick me
  26. 26. 26 arrastou para o estacionamento. Colocando-me em cima dos seus ombros. Comecei a me sacudir não pude deixar de gritar com ele - Me deixa eu sair daqui seu arrogante! Deixa eu pegar aquela vaca de lá! Que porra, me solta! - Ele estava gargalhando, e eu me retorcendo de lá de cima para poder sair. Quando senti meus pés no chão, pulei pra cima dele dando socos no seu peito. Que Deus me perdoe mais que PEITORAL É ESSE? Senti suas mãos pegando meu pulso para parar de bater nele. Olhei pra ele que estava sorrindo que chegavam a aparecer as covinhas. Ele ficava lindo desse jeito. Ele disse - Para de ser infantil. Porque fosse pra cima da Bri? - Bri? Ele também já estava com apelidos? Que porra é essa que está acontecendo? - Não é da tua conta idiota! - Eu digo. Ele me puxou pra ele e me apertou contra ele. Fiquei sem ar por minutos. Ele abaixou seus lábios até meu ouvido e disse - Adoro ver você com raiva. Deixas-me sem ar quando ficas irritada. - O empurrei quase me derretendo pelas as palavras ditas. Dei um tapa na sua cara e sai tropeçando pelo o estacionamento. Deixando ele já atrás em pé passando a mão no seu rosto. Como se não acreditasse que eu tenha feito aquilo. ***
  27. 27. 27 Quando entrei no táxi fiquei pensando. Porque aquele guri tinha tanto poder sobre mim? Eu ficava sem ar só de olhar pra ele. Ele estava fazendo algo pra me abalar. Mais não posso negar vi ele com a Brity no começo da festa. Ele nunca será meu. Ele sempre será da turma das lambisgoias. Se eu continuar a vê-lo, se eu continuar me permitir vê-lo, saberei que depois não vou conseguir parar. Por isso tenho que parar agora e já. Afinal meu coração não é de pedra e esse é o problema dos corações dos humanos.
  28. 28. 28 Capitulo 5 Acordei como se quisesse destruir o despertador. Já era de manhã. Quando cheguei ontem à noite mamãe não tinha chegado ainda. Fiquei aliviada, porque não estava nada bem para dizer a ela aonde fui ou porque não avisei a ela. Liguei pra Janny quando cheguei em casa. Ela ficou super pasma, quando ela viu minha briga com Brity. E mais ainda quando o Nick pegou meu corpo e colocou em cima dos seus ombros. Falei pra ela que ele é um idiota, que fez isso de gozar de mim e o pior é que foi verdade. Levantei da cama fui para o banheiro, tomei uma ducha fria para afastar os pensamentos horríveis. Depois que sai do banho fui até meu closet, peguei uma mine saia colorida com uma blusa branca de regata. Peguei minha rasteirinha, e sai pela a porta do quarto nem tomei café, mamãe já tinha saído pra trabalhar. Ao caminho da escola fiquei pensando, como seria hoje na escola. Afinal me atraquei com a Brity
  29. 29. 29 ontem. E sei que não vai ser nada fácil hoje pra mim lá na escola. Afinal todos amam a Brity. Menos eu a Janny. *** Quando cheguei aos campos da escola. Olhei pros lados nada de nenhum grupinho das lambisgoias. Olhei pro outro lado a Janny estava vindo em minha direção. Olhei pra ela sorri dando um beijo na sua bochecha. Ela me olhou e sorriu. - Hey, como foi a festa depois que sai ? - eu perguntei - Ah, ótima. Mais quem abalo aquilo lá foi você se atracando com a Brity. - Ela me respondeu sorrindo. Seguimos para a as portas de entrada. Quando atravessei uma das portas. Brity estava vindo na minha direção com os cabelos aguados num rabo de cavalo adivinha quem vinha com ela? Nick! Eles estavam de mãos dadas. Mais quando ele me viu. Ficou todo tenso. Ela já ficou toda alegre por ter me visto. E aquele sorriso parecia dizer. "Peguei o mais lindo da escola. Palhaça". Ela parou do meu lado. Dizendo com uma voz mais irritante e fina que eu já pude ouvir
  30. 30. 30 - Ah Katherine. Porque fugiu ontem da nossa briga? Pensou que ias perder por isso saísse? - Fiquei com mais raiva ainda quando ela disse isso. Afinal a guria já tava quase morta em minhas mãos quando Nick veio me apanhar e me colocar em cima dos seus ombros. Nick apertou os ombros de Brity e disse - Bri deixa ela. Sabes que ela não pode com você! - Olhei pra ele e pra ela. Afinal eles se merecem combinar igualzinho! - Brity, não fugi da nossa briga. Afinal seu namorado, me pegou e me agarrou colocando em seus ombros com medo que eu acabasse com sua cara. E você precisasse fazer uma plástica no nariz. Acho que você está com um pouco dor de estomago. Sei o que é levar uma joelhada no estomago. E, ah Nick? Esqueci de te perguntar se colocasse gelo no seu rosto. Afinal aquele tapa que eu te dei depois de você me puxar e cochichar no meu ouvido dizendo que você adora quando me vê irritada. Pode ser que precisasse de um gelinho. Afinal acho que você precisa apagar esse teu fogo. Porque não posso fazer nada se a Brity, não pode apaga esse teu calor. - Olhei pra eles e sorri. Brity estava com uma cara de não poder acreditar no que eu acabei de falar. Olhei pros lados, vi a multidão do colégio no corredor parados. Passei pelo meio dos dois e fui direto para meu
  31. 31. 31 armário. Olhei pra Janny, depois ela estava ainda de boca aberta. Sorri e disse pra ela - Amiga, pode fechar a boca agora. - ela me olhou e foi fechando de vagar. Então depois de alguns minutos ela conseguiu formar as palavras. - Nossa. Não acredito no que eu ouvi e no que vi! Guria! Bem que esse ano disse que ia ser diferente. E já estou vendo que vai! Visse a cara da Brity e do Nick? Pareciam ter levado um jato de lama na cara - Eu e ela saímos gargalhando e fomos pra sala de aula. Quando chegamos Pierry já estava na sala. Então ele nós viu e aceno pra mim e pra Janny. Ele se levantou e foi pra carteira da Janny, dando um selinho nela. Gostei muito do Pierry, ao contrario do Nick ele é um garoto carinhoso. E sabe o que fazer pra se dar bem. E fico feliz pela a Janny, todos os meninos que ela namorou sempre acabavam com o coração dela. E sempre quando acabavam com o coração dela. Eu acabava com a cara do garoto que fez isso. Eu sempre considerei Janny como uma irmã que nunca pude ter, eu e ela sempre fomos amigas desdo de pré. Ela mora uns 5 km da minha casa. Então sempre que podíamos estávamos sempre numa na casa da outra. Mais isso foi até meu pai falecer. Ainda vou a casa dela. E ela ainda na minha. Mais eu nunca mais gostei de receber visitas depois que meu pai partiu.
  32. 32. 32 *** Depois de acabar a aula. Vou até o caféxicara, com a Janny e Pierry, eles vão comentando sobre a matéria de matemática. Quando entro na cafeteria, vou até o balcão. Que um rapaz está atendendo aos pedidos. Quando chega minha vez, vou até lá e ele me olha sorri e disse - Boa tarde. O que vai querer ? - olho pra ele e sorrio. Ele é bonito tem músculos fortes. Ta usando uma camiseta azul clara. E calça jeans pretas. Ele tem um cabelo cortado, no tom de castanho. A cor dos olhos é castanhos, um castanho escuro. Ele é bonito. Então digo - Quero um capuccino. - ele olha pra mim de cima a baixo me avaliando. Então sorri vai preparar meu pedido. Janny que está atrás de mim cochicha no ouvido. Dizendo que ele é lindo demais. Mais não tão gato como Pierry ou Nick. E que ele estava preparando meu capuccino mais sempre ficou olhando pra mim. Sorri com o comentário dela. Então ele vem na minha direção trazendo meu pedido. Pega um papel, que acho que está dizendo o valor do pedido que depois tenha que pagar. Pego o papel e vou até a mesa a
  33. 33. 33 espera da Janny e Pierry. Quando ele vem na minha direção vejo que não estão trazendo o tal papel do valor. Então pergunto - Não pegaram o papel do valor? Eles não deram a vocês? - Janny ri e Pierry fica sem entender o que estou falando. Ela me olha pega o papel da minha mão antes que eu tente abri-lo e lê-lo. Ela me olha, e olha pro papel. E fica nesse vai e vem. Até que ela dá um gritinho e diz. - Ele deu o numero do celular dele! Não falei que ele não parava de te olhar?! - Então ouvi uma voz conhecida chegar perto e perguntar - Quem não parava de olhar? - Era Nick! Pierry levantou apertando a mão do primo. Sentou de novo passando os braços ao redor dos ombros da Janny. Então ela disse sem pensar - A Kat. O rapaz que estava atendendo aos pedidos dos cafés. Deu o número do celular dele para a Kat! Não é maravilho Nick?! - Ele olha pra mim, e eu finjo que está ótimo o capuccino. E fico repetindo na minha cabeça. DISFARÇA DISFARÇA! Então, a Janny pergunta - Vais ligar pra ele não vais? Tens que ligar. Ele é muito lindo! - Então Pierry dá um apertãozinho no ombro da Janny. Que da um salto e beija a bochecha do
  34. 34. 34 Pierry dizendo. - Mais claro, não tão lindo como você né Pi! - Olho pros dois e sorrio. Então escuto aquela voz de novo. - Não tens que ligar, mal conhece o cara! Nem sabes quem é ele! - Tive a impressão que Nick não gostava dele. Senti uma pontada de ciúme surgindo dele. Então pensei. É isso mesmo que vou fazer. Ligar para o tal guri, misterioso.
  35. 35. 35 Capitulo 6 Claro que sim, porque não iria ligar? - eu digo. Vejo Janny quase pulando de alegria e disse - Não se esqueça de depois comentar comigo. Vou ir a biblioteca mais o Pierry. Quer vir? - Sorri pra ela. E olhei pra Nick que estava com os punhos fechados. Olhei pra Janny de novo e disse - Não amiga. Tenho que ir pra casa. Mamãe irá chegar mais cedo hoje. - Ela acenou e disse - Manda um beijo pra tia Carmen. - Levantei, e fui em direção dela. Dei um abraço e um beijo na sua bochecha. Olhei pro Pierry e disse - Cuida bem dela ok? - Ele só acenou em aprovação. Sorri e fui até a porta de saída. Quando estava atravessando as portas. Uma mão pegou um de meus braços. Quando me virei pra ver quem era. Como se já não tivesse sentido aquelas mãos antes. Olhei com uma cara de não se importar. Tirei meu braço de sua pegada e disse - O que você quer Nick? - Ele me olhou e fechou os punhos de novo. - Não vais sair com ele né? Mal conheces o cara! - Eu olhei e falei - E o que tens haver com
  36. 36. 36 isso? Se eu sair o problema é meu! - Me virei e sai pelas as portas. Deixando ele lá atrás. Com as mãos em punhos. Ao caminho de casa, fiquei pensando o que ele quer de mim?! Ele ta ficando com a Brity. Tenho que ligar para o tal menino. Tenho que tentar me envolver com o que posso para o Nick não ficar me confundindo. Se a única saída minha é ficar com o rapaz do caféxicara. Tudo bem irei ficar. Tenho que fazer de tudo para tirar Nick de minha cabeça. *** Chegando à porta de minha casa vi o carro de minha mãe na garagem. Notei minha moto também. Ela é toda hornet dorada. Meu pai comprou pra mim quando tinha 15 anos. Meu lindo presente de 15 anos. Queria poder subir nela e acelerar. Colocando meus cabelos ao vento. Tava sim com saudade de ir pro galpão abandonado. Para poder correr e disputar com as outras pessoas. Meu pai me levou pra aquele mundo. Quando ele saiu daquele mundo. Também me despedi daquele. Eu ia lá, porque bem. Meu pai me adorava ver correr. Ele dizia que eu era sua vitória. Meu pai também corria. E foi assim que ele se foi. Balancei minha cabeça pra tirar esses pensamentos. Senti uma lágrima correndo na minha bochecha, a limpei rápido e entrei na minha casa. Mamãe
  37. 37. 37 estava sentada na frente da TV vendo o canal de fofocas. Sentei-me do lado dela e sorri - Como foi o trabalho? - perguntei. Ela sorriu e disse - Foi ótimo. É mais eles querem que eu vá viajar para a Europa para fazer, uma representação da nova novidade da nossa empresa. Queria saber se ias ficar bem aqui, se eu fosse. Porque bem é uma semana toda. E, acho que não vou aceitar, afinal terias que ficar sozinha. - olhei pra minha mãe e disse - Mamãe, tudo bem. Pode ir, vou ficar bem, já tenho 17 anos. Sei me cuidar. E eu posso ir pra casa da Janny. Pode ficar tranqüila. - ela me olhou sorriu e jogou seus braços ao redor de mim - Ai filha, obrigada meu bebê! Vais ficar bem mesmo? - olhei e sorri - Claro mamãe. - Ela deu um pulo do sofá e disse - Ah, então vou ligar pro Marcos. Para avisar que vou ir. Amanhã, já vou então embarcar. Vais ficar bem mesmo Katherine? - me levantei e falei - Claro mamãe se divirta. - subi as escadas e fui pro meu quarto. Joguei minha mochila e peguei meu laptop e entrei no MSN. A Janny estava online. - Oi Janny! - digitei - Oi Kat! Está tudo bem? - Claro né amiga, mamãe vai ir viajar a serviço vou ficar uma semana sozinha. Queria saber se não querias vir hoje dormir aqui? É, queres?
  38. 38. 38 Estava torcendo para ela dizer sim, afinal queria poder conversar e tirar essa saudade que estava aqui. Como disse ela nunca mais veio aqui em casa. Então vi o barulhinho do MSN de novo - Claro amiga! Que bom. Pensei que nunca mais iria me convidar. To indo já. Ah ligasse pro menino do caféxicara? Revirei meus olhos. Claro como ia me esquecer dele. Ela sempre lembrava. - Não amiga, vou ligar ainda. Mais acho que irá ser muita apressada se caso eu ligar hoje não achas? - Claro que não liga! Enquanto estou a caminho dai. Beijo, anda liga Kat! - então ficou offline. Peguei meu celular e disquei os números. Depois de três toques. Uma voz grossa atendeu a chamada - Alô? - Eu fiquei um pouco sem saber o que falar. Não sabia nem o nome do coitado. Ai meu Deus e agora? Como queria a Janny aqui! Então me apressei pra dizer, antes que ele desligasse na minha cara - É, me desse o número do seu celular. Na cafeteria. - meu Deus que imbecil que eu sou! “é, me desse o número do seu celular na cafeteria " Que porra foi o que eu disse! - Ah, oi! Desculpe. Nem perguntei seu nome. É meu nome é Adam -
  39. 39. 39 não pensei duas vezes já respondi meu nome - Meu nome é Katherine. Então, tudo ok? - Ele meio que suspirou e eu dei um tapa na minha testa, pra ver se tirava alguma coisa boa dela. – é.. esta tudo bem e você? - OK. PAPO DE MSN AGORA? Depois irá vir as novidades?! - é.. Está tudo bem comigo também. - ta agora ele tem que falar alguma coisa. Ficamos em silencio um pouco. Ouvindo a respiração um do outro. Então ele pigarreou e disse - É. Desculpe-me, por ter mandado meu número do meu celular sem nem você me conhecer, mais em fim, já que mandei não quero perder minha oportunidade. Queres sair no sábado a tarde? - Meu Deus que direto, que bom tomou iniciativa. Já que eu não tinha. Ele teve que tomar. Esperei um pouco pra dizer que sou um pouco difícil. Mais na verdade sou! Nunca beijei. Então fico com vergonha. Sim vários meninos me chamavam pra sair. Mais o único homem que eu aceitava sair era com meu pai. Então era hora de mudar e falei - OK. Seria ótimo. - eu sorri e ouvi ele dizer - Aonde querer ir ? - Não tinha um local exato. Porque sei lá ele me convidou ele tem que saber aonde agente vai. Então disse - É.. O lugar que você achar melhor. - eu sorri. To parecendo uma guria de 12 anos! Então ele disse - No parque, que tal? - sorri e disse - está bem no parque. Que horas? - parecia que eu estava
  40. 40. 40 ouvindo uma voz também de felicidade saindo dele. - As sete? - sorri e disse - As sete!
  41. 41. 41 Capitulo 7 Hoje já era sábado não sei como passou tão de pressa a semana. No dia que liguei para o Adam a Janny iria dormir ali. Quando ela chegou contei pra ela sobre o Adam, disse que ele me convidou pra sair. Para gente se conhecer melhor. Ela achou o máximo isso. Minha mãe viajou na manhã seguinte. Perguntando-me toda a hora se eu ficaria bem. Então ela se foi. Fiquei sozinha o resto da semana. Na escola, comecei a tentar aturar as provocações da Brity. Depois do dia na caféteria Nick nunca mais falou comigo ou olhou pra mim. Janny disse que o Pierry falou pra ela que Nick não anda muito bem essa semana. Mais não quis dizer o por que. E afinal, nem eu quero saber! Quando mais longe eu ficar dele. Mais rápido tiro ele da cabeça. Janny e eu combinamos para ir ao shopping hoje a tarde para ver uma roupa pra mim ir no tal encontro. Estava esperando ela sentada no sofá vendo um filme. Até que a campainha tocou. Corri pra atender. Era a Janny. Fomos para seu carro. E ela disse que agente teria que ficar gatissima. Afinal ela também ia se encontrar com o Pierry. Chegamos ao shopping. Fomos para primeira loja que vimos. Janny entrava no provador e saia toda hora com roupas diferente. Fui dar uma
  42. 42. 42 olhada nos vestidos e saias. Achei uma Saia de cintura alta e uma blusa cor de mel. Provei e a Janny bateu palmas - É, esse Kat! Pode levar! - ela disse. Eu olho pra ela e sorrio - Não sei não Janny. Agente vai pro parque. Não para um jantar! - Ela me olhou e disse - Então comprar e guarda. Quando ele te convidar pra jantar vai com esse. Então vamos procurar uma roupa mais tipo sua cara. - Olhei pra ela e disse - Ok, Janny! - Vasculhamos as calça jeans. Blusas. Sapatos e muito mais. Então peguei uma calça skinny, com umas botas rasteiras. E um top ainda era o final do verão mais estava quente um pouco. Então saímos da loja cheia de sacolas. Fomos para praça de alimentação e pedimos hambúrguer. Ficamos conversando até que dois meninos sentaram nas nossas cadeiras vazias. Um deu um beijo na Janny que se surpreendeu. Até que ela viu que era o Pierry então se agarrou a ele. Eu por sinal nem queria olhar pro outro lado da mesa. Com medo de ver ou sentir ou me congelar com o que eu não queria. Até que esse alguém passou a mão na minha. Eu olhei e vi os olhos mais profundos de Nick. Eu não consegui identificar o que estava querendo dizer aquele olhar. Era um olhar diferente. Que nunca eu tenha visto nos olhos dele. Então tirei minha mão rápido da dele, me senti fria quando tirei a mão da dele. Parecia que era ali que eu queria estar.
  43. 43. 43 Aconchegada no calor da suas mãos e dos abraços. Nunca sonhei com nenhum guri. Nem fiquei pensando tanto nele. Fiquei surpresa por ele pegar na minha mão. Na verdade é que eu não entendo Nick. Mais no dia que eu poder entender. Sei que vai ser tarde de mais. Porque quando me der conta que o entenderei. Eu estaria apaixonada por ele. Como disse nunca sonhei ou imaginei um guri. E agora que to sonhando. Acho que esse sonho não é verdadeiramente um sonho. Mais sim um pesadelo. Ele me olhou e sorriu. Seu sorriso não chegou a iluminar os olhos. Pude tirar meus olhos do seu olhar. Olhei pra roupas dele. Ele estava com uma calça jeans skinny preta. Uma blusa branca. E uma jaqueta de couro. Fiquei perplexa com tanta beleza. Sacudi a cabeça. Então ele falou - Hey! - e sorriu. Olhei pra ele e disse - Oi. - então me levantei. Deixei a parte do meu lanche na mesa e olhei pra Janny. - Janny, já vou indo, tenho que fazer varias coisas ainda. - Ela me olhou e disse - Kat! Senta ai, e relaxa teu encontro com o Adam é só mais tarde. - olhei pra ela e Nick perguntou - Quem é Adam? - Janny não perdeu a oportunidade pra abrir a boca - é o menino que deu o telefone pra Kat na cafeteria não se lembra? - Ele me olhou e serrou os punhos -
  44. 44. 44 Claro que me lembro Janny! - Olhei e dei um beijo na Janny. Ela me desejou boa sorte. E disse para mim ligar pra ela quando eu voltasse. Então sai da praça de alimentação quase com o coração saindo pela a minha boca. Ouvi passos atrás de mim. Andei mais rápido. E ouvi os passos se acelerando junto. Senti uma mão pegando no meu braço. E me virei para tirá-la dei de cara com Nick. Estávamos tão perto um do outro. Que nossos narizes se tocaram. Dei uma passo pra trás e falei - O que você quer agora Nick?! - Ele me olhou por um longo momento. E depois disse - Não vais ir a encontro nenhum! - Eu soltei uma gargalhada e disse - Porque não iria? - Ele me olhou com fúria e disse - Porque mal conheces o idiota. E já vais se encontrar com ele. - Olhei e sorri. Ele está se preocupando comigo? Fiquei por um momento o observando. Então disse - Nick, não sei o que é que tais fazendo aqui não te devo explicações de minha vida pra você! Se eu quiser sair com um mendigo eu vou sair. Se eu quiser sair com Adam eu vou sair. Não mandas em mim e nem podes falar nada, tais com a Brity. Não sei por que se preocupas comigo, afinal quando esta na frente de todo mundo, vives me humilhando. Então porque não cuida um pouco da tua vida?! Eu vou sair com Adam sim. Vou conheço e pode ser que role algo e agente acabe namorando.
  45. 45. 45 Quero que de certo. Não entendo o porquê que tais aqui, falando pra mim pra não sair com ele. Não me importo com a tua opinião, agora pode por favor soltar meu braço? - ele me olhou mais não soltou. Apertou mais que começou a doer, então disse quase gritei na verdade - Nick você está me machucando! Me solta! - Ele olhou pro meu braço e soltou. Olhei pra ele um momento e me virei - Quando me virei só pude ver que ele estava na minha frente já. Passando a mão na minha cintura me puxando pra mais perto. Então seus lábios tocaram os meus. Por um momento congelei. O que devo fazer agora? Não sei beijar! Meu Deus, ele me apertava, então destravei e senti sua língua na minha, senti um calor. Meu coração parecia estar pulando num pula-pula. Entrelacei minhas mãos em seu pescoço. Então percebi o que estava fazendo, isso é errado. Está aqui beijando ele, Não isso não pode acontecer. Então o empurrei só pude ver seus olhos olhando para meus lábios. Que agora com certeza estava um vermelhão só. Ele me olhou e sorriu aparecendo as covinhas, fiquei ali parada então ouvi ele dizer - Entendesse o porque agora que não quero que saias com ele? - Então se virou e saiu. Fiquei ali plantada em pleno shopping com as mãos nos lábios pra saber se era real o que acabou de acontecer.
  46. 46. 46 Capitulo 8 Corri pra casa, meia tola por não saber o que aconteceu direito ali no shopping. Quando cheguei em casa faltava uma hora para o "meu encontro". Corri para meu quarto e depois pro banheiro. Lavei meus cabelos, sequei, fiz escova. Então peguei minhas roupas que comprei e vesti. Maquiei-me um pouco, não tanto. Então me olhei no espelho. Fiquei bonita. Mais ainda estava com o pensamento no beijo do Nick. Depois do beijo eu sei que será difícil de tirar ele da cabeça. Então tentei focar no meu encontro. Desci as escadas correndo. E peguei um táxi para ir para parque. Ao caminho do parque minhas mãos tremiam, afinal nunca tive um encontro. Pra mim sempre as corridas de moto era o meu encontro. Então, quando o motorista parou em frente ao parque logo avistei um rapaz alto. Desci do carro, e fui em direção ao rapaz. Toquei gentilmente nos seus ombros largos do rapaz. Ele se assustou com o toque e deu um pulo. Olhei pra ele e sorri. - Olá, desculpa ter te assustado.. - eu digo. Ele me olha e sorri - Olá, não precisa se desculpar estava distraído pensando se irias ou não vir.. - eu olhei e sorri e
  47. 47. 47 disse - É mais estou aqui.. Então, aonde vamos? - minhas mãos estavam suando, ele olhou pra mim e sorriu e disse - vamos sentar num banquinho aqui perto, pode ser? - olhei pra ele e sorri.. Andei mais próximo a ele até ficar ao seu lado - Tudo bem pra mim. - ele me olhou e começou a caminhar, em passadas pequenas com calma. Caminhei ao lado dele. Parecia que ele estava nervoso. Agora que estávamos se aproximando mais a luz, pode ver oque ele estava vestido. Uma camiseta da Calvin Klein azul do céu, calça jeans pretas e botas. Ele notou que eu estava estudando ele. Então começou a me estudar também, fiquei nervosa. Passei as mãos na minha perna pra tirar o suor delas. Então sentamos no banco. Ele sorriu e disse - Nunca tinha te visto no caféxicara. - olhei pra ele e falei - Antes eu ia bastante lá, mais quando eu ia lá nunca tinha te percebido.. - ele sorriu e disse - Ah, é porque eu e minha família se mudamos pra cá, faz uns 2 meses. E consegui o trabalho no começo desse mês. - olhei pra ele, e sorri - Fiquei meia surpresa por ter me convidado pra sair.. - ele sorriu e disse - Porque não iria? - corei com a pergunta dele me arrumei para ficar de lado olhando pra ele e disse - Posso falar a verdade? To meia nervosa com esse encontro.. Vamos dizer assim.. Mais só que eu nem te conheço muito bem, e acho que ficamos meio com medo de
  48. 48. 48 perguntas indiscretas. Então porque não saímos e vamos dar uma volta se você não tiver nenhum problema claro.. - ele me olhou e sorriu - Ótimo, queria pedir mais pensei que não iras querer, então vamos? - eu olhei pra ele e sorri. Ele estendeu sua mão pra mim e peguei. Suas mãos eram fortes e delicadas. Enquanto andávamos ele passava o polegar nas costas de minha mãos com gesto de carinho. Ele me olhou e sorriu - Então.. Você morava aqui desde que nasceu? - olhei pra ele e acendi, Caminhamos até a praia dava de ver o reflexo da lua na água, que estava grande e brilhosa. Fomos caminhando até que nós sentamos. Ele me contou que veio pra cá porque seu pai conseguiu um bom emprego que não poderia deixar passar. No começo ele se revoltou vindo pra uma cidade nova sem conhecer ninguém. Disse que é difícil um pouco se acostumar aqui, que sou a primeira guria que ele chama pra sair dessa cidade. Então ta com um pouco de medo de se passar por palhaço, falando coisas que não daria em nada. Depois que ele terminou de falar dele perguntou de mim. Falei que moro com minha mãe, num bairro não muito famoso. Falei que meu pai tinha falecido, e pelo o olhar dele me olhou com ternura e pegou na minha mão, então ficamos conversando de mãos dadas. Quando olhei no relógio era
  49. 49. 49 22:30. Pulei do banco e ele me olhou assustado. Então sorri e apertei a mão dele gentilmente - Tenho que ir, já são 22:30. Minha mãe está viajando, e eu não quero chegar tarde em casa então.. Tudo bem pra você se eu for agora? - ele me olhou e sorriu e disse - Claro que não, mais me deixe te levar em casa? Não quero que vá sozinha. Já é muito tarde. - olhei pra ele e acariciei suas mãos de leve e assenti - tudo bem - Ele me olhou e saímos pela a praia. Pegamos um táxi ele sempre acariciando minha mão e apertando ela de leve. Quando chegamos na minha casa. Eu olhei pra ele e sorri - Obrigada Adam , gostei muito do encontro.. e por sinal adorei te conhecer. - corei com as minhas próprias palavras. Ele sorriu e se aproximou mais e disse baixinho com a voz rouca que me deixou um pouco com um calafrio e disse - Eu também adorei o encontro. E adorei te conhecer. Disse-te que estava revoltado de ter vindo pra cá. Mais acabei vendo que foi ótimo ter vindo. Pois te conheci. - eu olhei nos olhos dele e vi que estava falando com muita sinceridade. Então abaixei meus olhos e fiquei encarando meus pés. Ele pegou gentilmente no meu queixo e ergueu pra cima e disse - Queres sair outro dia? - Eu olhei sorri e disse -
  50. 50. 50 Quero sim. - então ele me puxou mais um pouco e colocou seus lábios nos meus. Ao contrario do beijo de Nick o dele era gentil. Calmo. E não um fogaréu .Então passei as mãos no seu cabelo. E deixei vir àquela sensação de calma e gentileza. Vi suas mãos percorrendo minha cintura e costas. Sua língua era quente. Fazendo o belo com um pouco de fogo. Então ele encerrou o beijo me olhou e sorriu e disse - Você é linda, não esqueça isso ok? - Olhei e assenti então disse - Não iria esquecer.
  51. 51. 51 Capitulo 9 Quando acordei me vi bem ou melhor me senti bem. Sentindo-me mais segura de si mesma. Sorri para mim mesma e levantei de minha cama. Fui direto para o banheiro, tomei uma ducha, coloquei uma regata branca, calça jeans snik preta e botas para completar o look. Desci as escadas correndo, peguei uma maça na travessa da cozinha e sai á caminho da escola. Quando cheguei às portas da escola, fui direto para o corredor dos armários, chegando lá, vi Pierry quase se matando para colocar seus livros no armário. Peguei o livro que estava preste a cair e ajudei-o a colocar o resto dos livros no armário. Então olhei pra ele e sorri - Bom dia, Pierry. - eu digo
  52. 52. 52 - Ah.. Olá Kat! - ele diz sorrindo. - Visse a Janny ontem? Tava querendo falar com ela e não consigo. - ele sorriu e disse - Sim, a vi ontem. Mais acho que daqui a pouco minutos ela aparece por ai. - Olhei pelo o corredor e me deparei com a cena mais nojenta e mais vomitadora como dizia minha avó que já tinha visto em sua idade avançada. Pierry tava falando pelo os cotovelos e eu não conseguia ouvi-lo. Só conseguia ver a cena a minha frente. Ou melhor, só conseguia ver a pessoa a minha frente. Via Nick quase sendo sugado pela a boca de privada da Brity. Balancei a cabeça e ouvi a voz de Pierry mais presente agora. - Aquela lição de química você fez? Kat? Está me ouvindo? - Olhei pra Pierry e sorri - Ah.. Sim. Claro que estou te ouvindo. É.. Vou ir pra sala. Vejo-te depois, é.. Pode ser? - Ele me olhou como uma expressão confusa. Olhou pra mim e disse - Oh, sim claro. Sai correndo pelo o corredor e fui direto para o banheiro. Encontrei Janny arrumando seu cabelo, ou melhor, quase o arrancando da cabeça. - Janny, estava te procurando feito louca! Aonde você estava? - ela me olhou e logo soltou seus cabelos e me abraçou.
  53. 53. 53 - Kat! Me fala sobre Adam?! Conta tudo, nem tire uma mosquito se quer desse encontro! - Eu olhei pra ela e sorri. Pensei muito na noite anterior no meu encontro com Adam. Fiquei pensando também no beijo de Nick. Fiquei pensando em varias titicas de merdas, que só confundiram minha cabeça. Pensei demais a noite passada. Vi que meu encontro com Adam. Foi bom, romântico e gentil. Tudo que uma menina quer. Mais, eu Kat, parecia que naquele encontro faltava algo. Faltava aventura. Faltava fogo. Mais o que aterrorizou mais kat, foi saber que a falta que ela sentia quando estava com Adam. Era de Nick. Aquele rapaz, ignorante, bonito, aventureiro. Ela prometeu pra si mesma, que tinha que tirar ele da cabeça. Ela tinha que sair disso. Ela tinha que sair da aventura que estava entrando na vida dela. Depois que contou sobre o encontro com Adam, para Janny. Ela quase chegou a bater a cabeça no teto de tanto que pulava. Saímos do banheiro, e fomos em direção a nossa sala. Antes de poder chegar lá, minha visão, corpo, alma, respiração, ou melhor, todo o meu corpo congelou. Dei de cara com Nick vindo na minha direção oposta. Quando me viu, deu um de seus sorrisos mais sexy que ele pode ter. Olhei pra Janny que estava falando o tempo inteiro que nem notou que parei congelada no meio do corredor. Atrás de Nick estava vindo Brity. Parecia que ela amava me
  54. 54. 54 provocar, quando me viu enlaçou seus braços ao redor de Nick. Que ficou tenso a me ver, vendo aquela sena caótica. Então ela passou a se colocar na frente de Nick e o beijou. Eu não sabia se eu vomitava ou tentava tirar a dor que estava em mim. Não sabia se voltava pra sala, ou, saia correndo. Mais, o que ela tinha certeza absoluta de uma coisa só. E essa certeza aterrorizava cada vez mais. A certeza era que ela estava se apaixonando por Nick. Mesmo tentando, não se apaixonar, mesmo tentando se afastar. Não conseguia. Então virou as costas e saiu correndo pelo o corredor a fora.
  55. 55. 55 Capitulo 10 Sai correndo para fora da escola, rezando para não tropeçar. Fui direto para o campos da escola. Sentei de baixo de uma árvore e chorei. E não conseguia parar. Fiquei pensando, porque ele faz isso? Porque ele acha legal? Porque ele me beijou? Porque ele não quer que eu me encontre com Adam? Porque ele insiste em mostrar para mim que está com Brity? Porque sempre quando eu passo ele finge que sou um lixo? Eu não sei as respostas disso. E fico com raiva de mim mesma por não saber. Ás vezes que dar um chute bem dado no traseiro dele. Ás vezes eu quero que ele me abrace. Promete não me apaixonar. Não gostar. Não fazer meu coração sentir! Mais esse coração idiota sempre faz ao contrario do que penso. Ouvi meu celular tocando. Olhei pra tela era Janny. Queria ignorar a chamada. Mais sei que ela
  56. 56. 56 está preocupada comigo, querendo saber por que sai correndo daquele jeito. Então apertei no botão de aceitar. Nem deu tempo de falar alô. Já pode ouvir ela gritando por mim, no outro lado da linha. - Katherine Albert! - respirei fundo - Olá Janny. - dava de ouvir do outro lado que Pierry estava junto com ela. Querendo saber se eu estava bem. - Onde você está? Porque saísse correndo? Perdesse a primeira aula sua imbecil! - Revirei os olhos e disse - Janny estou na escola. Nos campos. Para sua segunda pergunta a resposta é: Não agüento mais Nick querer me provar ou Brity querendo me provar que estão namorando. Já to farta disso. E para a ultima pergunta a resposta é: Tudo bem, fazer o que? Na aula de matemática hoje não teria nada de importante. - ouvir ela grunir no outro lado da linha e falou - Kat, presta atenção. Nick pode estar namorando com Brity. Mais quando ele viu você correndo para fora da escola. Ele ficou maluco. Disse pra Brity para ela largar um pouco do pé dele. Fiquei até assustada de ele agir dessa forma. Então me diz onde no campos que você está que vou ir ai. - olhei para os lados, e respirei fundo e falei - Tudo bem. Estou aqui de baixo de uma árvore, perto das
  57. 57. 57 mesas do campos. - a ouvi resmungar alguma coisa ilegível para Pierry. Então falou - Já estou indo pra ir. - Então desligou. Não demorou nem cinco minutos Janny já estava sentada comigo de baixo da árvore. Ela me olhou e me abraçou. Não protestei sobre o abraço. Só a abracei. Precisava de um abraço forte. Desfiz do seu abraço e ela falou - Kat, porque não tenta falar com Nick? - olhei pra ela, com cara de “COMO É QUE É?" Então disse - Janny, primeiro, eu não vou falar com Nick. Porque toda vida quando vou falar com ele, ele é um ignorante, patético e idiota entre outros. Segundo, não o quero flertando comigo. Terceiro isso só vai me machucar e me deixar indecisa. - ela me olhou espantada e disse - Olha Kat, sei que não gostas do jeito dele, e te entendo perfeitamente. Mas, depois que tu conhece ele, como eu conheci vais ver como ele é outra pessoa. - eu olhei pra ela e sorri. - Ok, vou fazer o máximo para falar com ele. Mais, não garanto nada. Quero logo acabar com isso. - ela me olhou e sorriu. Levantamos-nos para ir para segunda aula. Fui para sala de aula, não olhando para a carteira de Nick. Sentei-me e logo a professora entrou na sala. Ela era gentil. Pequena, cabelos compridos lisos. Cor de mel. Olhos azuis. Ela me olhou e sorriu. Olhei para ela devolvendo o sorriso.
  58. 58. 58 Então ela começou sua aula. Falando de esculturas gregas, e mais um monte de blá blá. Quase nem ouvi direito sua explicações. Fiquei meio que no mundo da lua, como diz minha mãe. A hora da aula passou rápido. Pois só soube disso quando todos os alunos já estavam saindo. Janny me puxou pelo braço em direção ao refeitório. Sentei na mesma mesa que Pierry e Janny. Conversamos sobre tudo que podemos naquele meio tempo. Até que apareceu Nick, e por um infeliz momento pensei em me levantar. Mais vi que tinha que ser forte. Então fiquei fingindo que ele não existia. Então, ele falou - Oi Kat - olhei pra ele e forcei um sorriso. - Olá Nick.- Voltei a comer. Ele cochichou algo para Janny que ele riu um pouco. - Kat, vamos ao cinema hoje? - Janny disse - Claro. - Olhei pra ela e sorri. Então para minha desfeita ela convidou Nick e Pierry. Eles falaram que iam, nos pegar as 18:00 horas. Depois de mais uns 10 minutos de conversa fomos para sala de aula rindo e brincando um com outros. Fiquei vendo o jeito que Nick falava, e sorria. Surpreendi-me fiquei pensando o que Janny tinha me falado. Pensando bem, não iria ser ruim me tornar amiga dele. Não poderia ser ruim, ter uma amizade com ele. Só uma amizade.
  59. 59. 59 Capitulo 11 Cheguei da escola fui correndo me arrumar, pois tenho certeza que Janny daqui a pouco estaria gritando comigo pra saber o porque de não estar arrumada ainda. Ouvi meu celular tocar quando estava pegando minha jaqueta de couro. Olhei pro identificador de chamada e adivinha quem era? Janny. Não falei?! - Hello Girl! - eu digo. Ela me responde com um sussurro -Hey? - Eu tiro meu celular do ouvido e olho para tela do identificador para ver se é mesmo a Janny. Porque se é ela nessa chamada com certeza tem algo errado. - O que houve Janny ? - falei. - Vais ter que ir com o Nick sozinha pro cinema Kat - Tive medo que os vidros do meu quarto não quebrarem pelo grito de minha resposta que eu dei
  60. 60. 60 - O que? Como é que é? Repete Janny, acho que não ouvi muito bem - Ela suspirou e repetiu - Vais ter que ir com o Nick sozinha pro cinema Kat. - Ouvindo outra vez, quase tive um começo de infarto. Como eu ir ao cinema sozinha com o Nick? Como? Respirei fundo e ouvi a voz da Janny me trazendo de novo. - Kat, é simples. Mil desculpas mais têm que ir com ele pro cinema. Minha mãe me pego saindo escondido ontem com o Pierry, ela me colocou de castigo. Mil desculpas amiga. - Respirei fundo e disse - Ok, Janny. Vou pro cinema com o Nick. Mais, espero não me arrepender.. Ok? - Ela deu um gritinho no outro lado da linha e disse -Não vais se arrepender. *** Quando a campainha soou fiquei tensa, não sabia se andava ou ficava congelada onde estava, decidi andar. Fui até a porta, coloquei a mão na maçaneta e contei até três. Quando cheguei ao três, abri a porta com um sorriso no rosto. Então foi que eu vi Nick, vestido todo de preto uma blusa preta e calça jeans pretas apertadas. Seu cabelo estava cortado e a barba por fazer. O vento
  61. 61. 61 bateu e trouxe seu perfume e o cheiro do seu corpo para minha direção. Ele estava sorrindo então disse - Pronta? - Balancei a cabeça em afirmação - Pronta - eu digo. Fomos até o portão de minha casa, minhas pernas tremiam que nem uma vara. Ao chegar à calçada de casa vi sua moto, ou, melhor sua rali davidson, meu coração apertou e fiquei congelada ali, olhando para ele e para a moto ao mesmo tempo. Vi que ele notou meu espanto, então veio com passos largos e decisivos até mim e disse - Vamos Kat, ou, vais ficar aqui? Vamos perder o cinema desse jeito. - Olhei para ele e balancei a cabeça. Ouvi-me falar - Tais achando que eu vou subir em sua moto? Que vou colocar meus braços em volta de você? Que vou apertar minhas coxas em torno das suas? .. - Fiz uma pausa, pois vi que ele estava sorrindo e nos seus olhos estavam expressivos mostrando “DESEJO”? Absolutamente não! Então continuei - Se achas isso, pode dar meia volta então e voltar por aonde você veio. Porque estas muito enganado! - O fitei com uma expressão de fúria. Vi seu olhar passar pela a
  62. 62. 62 expressão de desejo para raiva. Ele veio em direção a mim e pegou nos meus cotovelos e disse - Katherine, se achas que vou deixar você sair assim daqui só por que não queres ir de moto para o cinema tais muito enganada! - Ele virou me soltando foi se dirigindo a moto, então voltou e se pôs na minha frente e continuou - E, se você não for ao cinema comigo como tanto não queres ir por causa de uma maldita moto. Eu simplesmente vou fazer você escolher uma das duas opções que vou lhe dar. - ele parou e olhou mais profundamente em meus olhos e disse - Se você não for ao cinema comigo eu vou ficar aqui na sua casa. Com você! Se você for comigo no cinema, então bem.. não te incomodo mais, fechado? Agora é você que escolhe! Qual vai ser? - Eu olho para ele com uma cara de não estar acreditando do que ele está falando. Viro-me para ir para minha casa, então sinto uma mão gentil pegar no meu braço, olho para cima e vejo Nick com os olhos gentis. Fico pensando, como ele muda de humor tão rápido? Ele é bipolar por acaso? - Acho que já fizesse tua escolha - ele diz. Vejo-o ele passar por mim, entrando em minha casa. Olho pro lugar vazio que ele estava a pouco tempo ocupado e
  63. 63. 63 saiu correndo atrás dele. Encontro ele a caminho da porta de minha casa, pego no seu braço e o giro, ficando frente a frente a mim. Fico um pouco sem ar, pelo o perfume dele que o vento trouxe para mim. Respiro fundo e digo - Porque não vai com sua namorada pro cinema? Afinal, não sou boa companhia e também aceitei ir ao cinema por causa da Janny! - ele me olha sorrindo e diz - Eu e Brity terminamos. - Eu o olho com uma cara de incrédula e fico parada ali, com a mão em seus braços quase seu nariz tocando no meu.. Fico sem ar, fico sem chão. Como? Ele termina com a Brity e ninguém sabe? Ou melhor, a Janny com certeza sabia e fez isso para mim ir com ele no cinema sozinha. Vou matar Janny. Ainda para me ajudar, Nick está sorrindo para mim com um ar de vitoriosa afinal, minha cara e queixo traidor estão com ar de incrédulos ainda. Fecho a boca e olho para ele quando noto, ele já está na porta da minha casa entrando nela. Fico desesperada, Nick e eu sozinhos na minha casa? Respiro fundo e vou até minha casa. Chego à porta, ele está sentado no sofá pegando o controle remoto da TV. Olho para ele e vejo que ele me observa. - Gostando da vista? - Pergunto sarcástica.
  64. 64. 64 - Já vi melhores. - Ele me responde e sorri. Fico com vontade de pular no pescoço dele e tirar aquele sorriso nojento de seu rosto. Vou subindo as escadas com passos duros. Chego ao meu quarto jogando minha bolsa em minha cama, trocando minhas botas por minha pantufa com a cara do Escubidú, amarro meus cabelos num coque alto. Olho para o espelho e me viro ao sair. Chegou na sala Nick, está deitado no sofá com um saco de pipoca na mão. Ele me olha e sorri vendo minhas pantufas. Ele levanta uma sobrancelha e me encara sorriu. E vou até o sofá sento ao seu lado. - Que filme tem aqui? - ele me pergunta - Mais de romance, e aventura.. Não gosto de terror. - eu digo. Ele me olha e sorri e diz - Você escolhe. - olho para ele surpresa, vou até a estante querendo pegar um filme de romance que acabei de pega-lo na locadora essa semana querendo vê-lo mais nunca tive tempo. O nome do filme é Para Sempre. Balanço o DVD em minhas mãos, ele levanta a cabeça - De que fala esse filme? - eu sorriu e digo - Um.. deixa eu ver.. Ah sim. Fala de um casal que ao sofrem um acidente sendo que a esposa do cara perde a
  65. 65. 65 memória não sabendo que era casada. Então ele vai tentar trazer sua memória de novo e conquistá-la. - eu olho para ele e ele sorri - Ótimo, queres ver ele? - eu aceno com a cabeça em afirmação. - Ok, então vai ser esse. - Me virei coloquei o DVD e me sentei ao seu lado novamente no sofá. Começando o filme, eu não consigo prestar atenção no filme, quando se tem o Nick na minha casa, na minha sala, no meu sofá, assistindo filme comigo de romance. Não consigo prestar atenção nos personagens em nada. Olho com os rabos dos olhos para ele. Ele está vendo o filme com atenção, e isso me dá um calafrio, eu não consigo ficar perto dele ele me tira a atenção de tudo. Fico pensando, porque ele e Brity terminaram? Porque, ele fez tanta questão de assistir um filme comigo? E a pergunta é porque comigo? Vejo ele se aproximando de mim calmamente, fingo estar prestando atenção no filme. Então ele coloca os braços em torno do meu ombro. Pergunto para mim mesma, qual é o problema? Afinal, o que tem a perder? Vejo-me relaxando, então encosto minha cabeça em baixo do seu queixo. Sinto-me segura, me sinto viver de novo. Sinto-me bem. Olho para cima ele está me observando, escondo meu rosto em seu pescoço e ele sorri. Fazendo meu coração bater mais rápido do
  66. 66. 66 que uma Ferrari correndo quilômetros por hora. Ficamos um pouco abraçados. Depois de alguns minutos sinto suas mãos fazendo círculos nos meus ombros me fazendo relaxar sorri para ele no ato de agradecer. No momento que me viro para olhar para ele, sinto sua mão no meu queixo, sinto meu coração quase pular para fora de minha boca, sinto frio na barriga parecendo que estou no Pólo Norte. Olho para os olhos escuros como a noite, o vejo se aproximando, olho para seus lábios, então como um toque de magia ele encosta seus lábios no meu, calmos, gentis, amorosos. Relembro do nosso primeiro beijo. Era rápido e tinha passado uma mensagem de estar dizendo para não sair com Adam. Esse beijo é muito calmo, especial. Entrego-me pouco a pouco. Sinto passando a mão em seus cabelos curtos. Noto que nunca senti isso por ninguém, nunca me senti assim com Adam. Nunca me senti assim com ninguém. Tinha medo de me apaixonar, tinha medo de sofrer, tinha medo de não conseguir agüentar esse sentimento. Mais na minha vida sempre tive que lutar por tudo. E porque não lutar por esses medos? Porque não fazer isso? Porque não ama-ló? Porque não... O beijo foi rompido, os pensamentos passaram como se fosse uma bolha estourada. Não sei o motivo real do porque foi rompido ou um grito vindo da
  67. 67. 67 porta da sala me vira rapidamente para porta e olho para Nick que está sorrindo como se não tivesse acontecido nada demais. -MAMÃE? - eu digo
  68. 68. 68 Capitulo 12 Salto do sofá entre as pernas de Nick. Olho para minha mãe no meio da sala com a cara de choque fico tentando saber quando é que minha respiração irá voltar de novo. Olho para Nick que está sentando agora no sofá, arrumando seu cabelo sexy que está todo bagunçado. Viro o olhar de novo para minha mãe. - Mamãe, não é nada daquilo que a senhora pode estar pesando que seja. Mais não é ok? - Eu digo, vejo que ela está tentando organizar as malditas palavras então ela solta um - KATHERINE ALBERT! - fico paralisada com o tamanho do grito que ela deu. Olho novamente para Nick, que agora está olhando para nós duas como se fôssemos umas ETÉS. Então digo. - mamãe.. é... - ela me corta na hora - Katherine, que merda era aquela fazendo no meu sofá? Era isso que tavas fazendo quando eu estava viajando? Que merda Katherine! - fiquei balançando a cabeça freneticamente a cada pergunta que ela fazia. Ela olhou para Nick e disse - E você rapaz, o que está fazendo com minha filha? Pelo visto, Kat tem um namorado, que nem a mãe dela sabia que tinha! - nesse estante ele se levantou e foi até ela. Respirei fundo, contei até três. Um... Dois.. Três..
  69. 69. 69 - Me desculpe Senhora Albert. Que indelicadeza a minha meu nome é Nicolas Derk. Kat, não chegou a comentar comigo que a senhora era tão bela. - pisquei, pisquei, pisquei e pisquei de novo. Pêra ai, como é que é? BELA? Que merda é essa? Olhei para minha mãe que agora estava com um sorriso enorme estampado na sua cara. Respirei fundo então ouvi ela dizer. - Kat, seu namorado é uma graça. Mais espero que isso não torne acontecer. - ela falou “acontecer" apontando entre o sofá e nós dois. Então me toquei, que mamãe ainda estava pensando que eu e Nick estávamos namorando, me apressei a falar. - Não mamãe, nós não estamos namorando.. - olhei pro Nick que sorriu para mim, então disse - sua filha é muito tímida senhora, sim nós estamos namorando. Eu principalmente estava esperando a senhora chegar de viagem para a Kat me apresentar à senhora. Janny e Kat, falam muito da senhora. Não é baby? - Opa Opa, ele disse à mamãe que estávamos namorando? Como é que é? Respirei fundo, me virei para Nick, e disse com um sorriso no rosto. - Claro baby, sim eu iria apresentar ele a senhora quando voltasse segunda - feira mamãe me desculpe por ter sido logo desse jeito. - olhei para mamãe, e depois para Nick, que estava com a maior cara de choque que nunca pude ver no seu rosto. Sorri para ele, então ouvi mamãe dizer - Então, eu vou lá
  70. 70. 70 para cima tomar um banho. Se não se importa Nicolas, queria minha filha um pouquinho comigo, já que passei uns dias viajando. - ele sorriu para ela, e disse - Claro senhora sem problema. - mamãe saiu da sala, ele se virou para mim com um sorriso no seu rosto. Olhei com expressão de matar, então ele falou - Baby, pode me levar até a porta? - sorri e disse - Claro baby! - então saímos. Chegamos à porta, ele se virou para mim, mais antes que ele começasse a falar suas merdas, falei primeiro - Nick se achas que pode se passar como meu namorado pela a minha mãe, tudo ok não vou falar nada, mais daqui uns dias vou dizer a ela que acabou. Então, não precisa ficar com esperanças, afinal o que aconteceu na sala, era só um beijo sem importância. - então fui fechando a porta e ele a parou com um pé - Kat, eu não me importo de passar com seu namorado falso, afinal sua mãe me adorou. E garanto que na segunda - feira todos na escola já deve estar sabendo disso. Afinal, Janny adora contar novidades, e bem.. se ficar namorando comigo por um mês e eu paro de te perturbar com tudo. Saiu da sua vida.. e nunca mais falo ou olho para ti. Então o que diz? - eu olho para ele com expressão de choque. Claro sendo namorada do Nick, por um mês.. Seria difícil. Mais, o resultado depois seria uma vida sem Nick, e isso não posso deixar de quer.
  71. 71. 71 - Ok Nick, serei sua namorada por um mês. Então depois disso, some de minha vida! - ele me olhou e sorriu. - Ok baby, não vou ganhar nem um beijinho de despedida? - Fui me inclinando para beija-lo, e então quando vi que ele estava fechando os olhos, fechei a porta na sua cara. Respirando fundo, me encostei-me à porta e fui escorrendo até o chão, pensando uma só coisa.. "como vou sobreviver sendo namorada de Nick? " **** Quando entrei no meu quarto fechando a porta atrás de mim respirei muito mais do fundo escorrendo até me sentar no chão. Peguei meu celular e disquei o numero da Janny. Em seguida ela atendeu - Hey, como foi? - ela parecia animada, pensei duas vezes para ter certeza de eu querer destruir essa animação. - Mamãe chegou na hora do amasso. - queria poder ver a cada de taxo que Janny ficou, ficou um silencio do outro lado da linha até pensei que ela tinha desmaiado até ouvi um grito agudo do outro lado
  72. 72. 72 - Como é? Sua mãe? Hein? Conta-me tudo! - contei até três e sai contando, falei que ela achou que Nick e eu estávamos namorando escondido dela, então falei que ele disse que nós estávamos namorando e que disse para mim ser namorada dele por um mês e ele saia da minha vida. Então foi isso que eu fiz, sou namorada de Nick Derk. - Amiga acha mesmo que vai ser assim? Tens certeza que quer ele fora da sua vida? - Sim Janny, o quero fora de minha vida. - eu digo Chama encerrada Capitulo 13
  73. 73. 73 Hoje é o dia que vou começar a ser a namorada de Nick, rezo a todos os Deuses para ele ser atropelado, mordido pelo um cachorro qualquer coisa só para não aparecer nesse colégio. Atravesso as portas duplas da escola, e dou de cara com Nick, me esperando na entrada. Ele da um de seus sorrisos mais sexy, e vem em minha direção. Abaixo a cabeça, e sigo para meu armário, posso vir seus passos atrás de mim, fico contando nervosa até dez no máximo, mais acho que só hoje vou contar até cinqüenta. Quando chego ao meu armário, abro e tiro meu livro de Biologia, quando vou para sair esbarro no meu querido namorado falso. Ele sorri e sem dizer mais nenhuma palavra, abaixa sua cabeça e me dá um beijo. Seus lábios são macios, fico tensa e tento tira-lo de mim, mais parece que ele gosta da minha reação então me puxa mais contra ele, ao poucos vou resistindo então quando me vejo, estou com uma mão em seus cabelos macios e outra em sua barriga. Por pior que eu não queria sentir isso, meu coração acelera e o fato do frio é normal não é? Quando me dou conta percebo que estamos colocados no meu armário no meio da escola. Respiro fundo e abro meus olhos e tenta me afastar. Depois de um bom empurrãozinho consigo tirar meu namorado falso de cima de mim. Olho ao redor e vejo que todos estão resmungando e falando de
  74. 74. 74 nós dois do nosso quente beijo no meio do corredor da escola. Ele sorri para mim quando encontro seus olhos, então pega na minha mãe e diz - Oi baby, dormiu pensando em mim? - Olho para ele e sorriu - Por mais que eu tenha tentando, não. E sabe o que é? Eu amei cada segundo por não ter sonhado com você! - Ele ri como se achasse aquilo uma de minha melhores piadas. Sigo para sala de aula, me sento na minha carteira, então ele passa e beija o topo de minha cabeça. Não sei por que penso assim, ele está diferente, ele me beijou sorriu e beijou o topo de minha cabeça numa forma gentil. Estou em sala de aula, com o meu professor de física falando sobre a sua queria velocidade média. E o pior é que fico só pensando nós lábios de Nick e na forma que ele foi gentil comigo. Olho para trás de relance e vejo, ele me observando, ele segura meu olhar no dele, então por alguns segundos penso que vou desmaiar até ouvir a voz do professor atrás de mim - Senhorita Albert, tem algum problema com Senhor Derk? – Respirei fundo e parecia que o calor das minhas bochechas iria começar a
  75. 75. 75 queimar minha pele. Quando abri minha boca pra falar, ouvi Nick falando - Sinto muito professor, mais não consigo tirar os olhos de minha namorada, e vamos concordar ela não é linda? Peço desculpas a você baby por tirar sua concentração da aula. – Quando o olho de novo ele está me dando um sorriso malicioso, e Janny que está atrás de mim parece que seus olhos vão saltar das suas orbitais. Ouço um grunir de cima então olho para o professor que diz - - Vamos deixar para depois para namorar certo? Senhorita Albert? Senhor Derk? - eu aceno e o professor continua com sua explicação. Quando ouço o sinal bater, pego minhas coisas e saiu correndo para o corredor a fim de esconder a multidão das pessoas nos corredores. Mais, não ouve tempo até Nick me puxar para ele e ir comigo até meu armário. Respiro fundo, então me viro para ele e falo – Que porra foi aquela na sala de aula? – ele olha para mim e sorri – Baby, você é linda eu falo isso para todos ouvirem, não gostou me desculpe. – olho para ele com expressão de ódio, então o soco no estomago. E digo – não desculpo Baby.
  76. 76. 76 Capitulo 14 - Que merda Kat! Porque fizesse isso? – Nick me diz com o as expressões incrédulas. Olho para ele e sorriu, e digo - Baby desculpe. Porque fiz isso? Não sei, pergunte para a classe toda que eles irão te responder, merda! – ele me olha e sorri. – Não te falei baby? Que fiz muito sexy quando esta nervosa? – olho
  77. 77. 77 para ele com expressão de estrangular seu pescoço, quebrar seus dentes. Então digo: - Gostava mais do Nicolas arrogante. – Ele me olha e vem perto de mim até que nossas testas estão se tocando. Consigo sentir seu hálito quente que parece uma cocaína para mim. Respiro fundo e ouço o dizer – Então quer dizer que gostava de mim? O empurro sem dizer uma só palavra e muito menos olhar nos olhos dele. Conto até três, então pego minhas coisa do armário e saio. Toquei-me que foi a primeira vez que sai o nome dele em meus lábios. Fico pensando, porque ele ta agindo dessa maneira? Carinhoso? Chamando-me de uma porra de “BABY’’. E o pior é admitir para mim mesma, que estou gostando de ser chamada de baby por ele, que gosto dos beijos dele, e dos abraços dele. Que me sinto segura com o olhar dele em mim. Mais fico me pergunta uma coisa só porque ele quer namorar comigo um mês? Porque ele quer ficar ao meu lado? Puff, isso é besteira. Afinal, o que ele quer comigo? *** Entrei no refeitório Janny, estava com Pierry . Ela olhou para mim e acenou com a mão. Em seguida, sinto uma mão envolver meu ombro olhei para cima e
  78. 78. 78 encontro os olhos de Nick. Respirei fundo e me deixei aproveitar a sensação de sua mão no meu ombro. Olhei para os lados e notando que todas as pessoas do colégio estavam com os olhos pregados em nós e cochichando. Senti-me ficar vermelha, então comecei a caminhar com ele até a mesa. Quando chegamos lá sentei na frente da Janny, e Nick se arrastou para meu lado. Não conseguia me sentir confortável com a sua presença tão próxima de mim. Não conseguia porque aquele maltido perfume dele me atacava como se eu fosse atacada por um bicho ridículo. Respiro fundo tento me acalmar afinal, sou a namorada falsa dele. E pela a primeira vez na minha vida me senti como uma mentira. Balanço a cabeça com esses pensamentos. Então me viro para Janny. - Hey, estão a fim de ir ao Rox hoje? – Janny diz. Olho para Nick e que está olhando para mim esperando uma resposta. Então me viro e falo - Ok, Rox hoje à noite! – Me viro para Nick, que está ainda com os olhos pregador em mim. - O que foi? To com alguma coisa na minha cara? – Ele sorri para mim e diz – Eu gosto do seu rosto. – abaixo a cabeça e respiro mais fundo do que a ultima vez então penso.
  79. 79. 79 “COMO VOU SOBREVIVER A ISSO?” Capitulo 15 Passei a tarde tentando evitar os abraços de Nick, e tentando não pensar em todos olhando para mim agora como “A NAMORADA DE NICK DERK E NÃO A GAROTA QUE PERDEU O PAI’’ fico pensando demais também, as vezes fico pensando se eu estou vivendo na vida real ou é um sonho ou um pesadelo que
  80. 80. 80 está acontecendo em minha vida. Eu nunca quis admitir para mim que eu possa estar apaixonada por Nick porque isso é absurdo. E eu tenho vários motivos de não me apaixonar por ele. Mais também tenho vários para ser a idiota apaixonada. Isso é uma merda não é? Pois é Kat, agüenta essa trouxa! Agora no momento estou no meio do meu quarto sem saber o que vestir para ir no clube. Minhas roupas estão jogadas pelo o quarto todo. É uma bagunça só de sapatos saias, blusas. Então olho para as roupas que comprei no dia que eu ia ao encontro de Adam. Então peguei a saia preta e uma blusa bege. Com salto dourado para combinar. Corro para o banho, lavo meus cabelos, depois os secos, e faço babyliss. Aplico maquiagem, então olho no espelho. Sei que estou bonita, mais parece que é errado se arrumar, afinal não to querendo me arrumar para mim, mais sim para Nick. E isso é o que me deixa mais zangada. Ouço a campainha tocar, então me coração acelera, fica quase sendo esmagado por um caminhão de tão apertado que está. Desço as escadas, e a cada degrau que vou deixando para trás me sinto ficar com as pernas bambas. Com a mão na maçaneta da porta, respiro fundo então a abro. Ouço um assobio sair de seus lábios então levanto minha cabeça e o olho. Ele está lindo. Que merda Kat! O que acabasse de dizer sua idiota? Ou melhor, ele
  81. 81. 81 ta ajeitadinho. Ele está vestindo uma calça preta apertada de cintura baixa, com uma blusa preta apertada aonde posso ver como seu peitoral é definido. E para terminar vestindo uma jaqueta por cima. Chegando aos seus olhos, me deparo com o desejo deles passando por mim. Na hora que eu abro minha boca pra falar, ou pra tentar respirar pela a boca porque pelo o nariz não dá mais certo no caso dele. Então nem da tempo de sair qualquer palavra ou tentar pegar o ar. Porque ele pegou meu ar, porque ele está me beijando que nem um louco. Como se ele tivesse esperado por aquilo por anos. Então vou me derretendo então estou nos seus braços o beijando. Seus lábios são gentis. São maravilhosos. E acho que se fosse preciso beijar Nick para sobreviver eu nem iria discutir com isso. Porque é isso que eu quero agora. Meu coração acelera demais, ele fica pulado para todos os lados. Afasto-me aos poucos quebrando o beijo. Quando abro meus olhos ele está olhando para mim, então sorri e eu acho que vou desmaiar. E enquanto eu tento respirar, e agüentar o sorriso de Nick como a lua brilhando para mim. Percebo que uma merda maldita foi feita. Uma que eu nunca queria que acontecesse nem para mim e muito menos eu queria que fosse por ele. Mais os santos com certeza acham que eu fiz um pecado muito grande. E o pior é que eu fiz, acabei me apaixonando por Nick Derk. Agora me diz como vou ficar com
  82. 82. 82 ele um mês inteiro fingindo esse sentimento dentro de mim? É uma merda as vezes o amor. Sabiam?
  83. 83. 83 Capitulo 16 - Tais linda – olho para ele e sorriu. – tais bem. – ele sorri e pega minha mão. Vamos para seu carro é um SUV. Ele abre a porta para mim e me sento. Então nem chega a dar um minuto para ele está no meu lado. Vamos em direção a o clube. Eu fico olhando para a janela tentando, não ficar nervosa sobre Nick estar ao meu lado. Sobre ele ser meu namorado falso. E sobre ele não saber que estou completamente apaixonada por esse idiota. E fico contando até dez ou melhor cem para não estar pulando no colo dele e beijar ele com tanta força que sou capaz de deixar ele morrer enquanto dirige. Então me viro e olho para ele que está olhando a estrada, mais que porra porque ele é TÃO SEXY DIRIGINDO? Respira Kat! Respira! UM.. DOIS.. TRÊS.. Então o ouço falar - Tudo bem? – eu me viro para ele novamente e digo – Sim, porque não estaria? – ele me olha e sorri. – OK! Ficamos em silencio o resto do tempo. Fico me perguntando o que pode se passar pela a cabeça dele agora. Paramos na frente do clube, eu vejo Janny esperando por nós mais Pierry. Ela está vestindo um vestido vermelho que diz, cheguei e não me tira. – Hey, tais gata – Janny diz, então dou um giro.
  84. 84. 84 Enquanto ouço o assobio de Nick e Pierry. Mais do nada eu escuto um resmungo de Nick e Pierry – Tira os olhos dela idiota! – diz Nick entre dentes. Enquanto escuto isso, começo a sorrir de orelha a orelha. Então vou até ele e pego sua mão. Acho que ele levou um susto por que seu rosto ta branco. Eu olho para ele e sorriu – Baby vai ficar ai parado ou vai seguir para dentro com nós? – Eu digo, ele me olha com diversão então diz – Claro princesa lidere o caminho. *** Enquanto, Nick e Pierry vão buscar uma bebida para mim e para Janny, vamos para pista de dança. Então começamos a dançar, vou mexendo meus quadris, começo a fechar meus olhos, e me lembro da primeira dança que fiz. No na casa de Pierry na festa, quando dancei a primeira vez com Nick. Então sinto uma mão em minha cintura, e eu sei que é ele porque ele fez que nem a primeira vez. Eu sinto seu nariz em minha nuca, sinto suas mãos em minha cintura, sinto seu peitoral final na minhas costas. Então quando me toco já estou esconstada numa parede o beijando. Ele passa a mão em minhas costas, e vai subindo até ficar com uma de suas mãos em minha nuca. Meu coração acelera demais, ele
  85. 85. 85 parece pulando que nem um louco. Fico sem ar, então me afasto aos poucos e olho para ele que diz - Tais me deixando louco. – Então sorriu e saiu dos seus braços em direção ao banheiro feminino. Porque lá eu sei que ele não pode me pegar. ** Quando entro no banheiro feminino consigo respirar, mais me arrependo logo de início porque fiz isso. Dou de cara com Brity. Ela está retocando o seu batom rosa choque que eu acho que o batom está mais chocado por ter sido comprado pela a Brity para passar na boca dela. Acho que ele deu tchau ao seus amigos sofrendo cada segundo pela a dona que ele tem agora. Dirijo-me ao espelho. Então ela me olha e diz - Kat, andei sabendo que você pegou minhas sobras, como vai Nick? – ela pergunta com uma voz mais irritante do que uma galinha cacarejando. Olho para o espelho e falo – Não tinhas nenhuma sobra como eu iria pegar algo que você nunca teve Brity? – Ela me olha com uma expressão de cadela, acho que ela está com raiva, porque parece que está saindo uma baba no canto da boca.
  86. 86. 86 -Sua cadela! – ela vem para cima de mim, mais eu me desviei então ela cai com a cabeça dentro da pia. Eu sorri para ela e digo enquanto estou saindo – Cuidado para não se afogar Brity. *** Quando estamos saindo do Rox, ouço meu nome sendo chamado. Mais não ligo afinal, ninguém me conhece aqui. Alguns me conhecem mais, acho que estariam em outros lugares agora. Então ouço de novo, e em seguida uma puxada no meu braço, então me viro e dou de cara com um rapaz da minha idade que me olha com espanto e ao mesmo tempo surpreso. Parece que o conheço mais não me lembro bem.. - Tira as mãos dela seu babaca. Agora! – Nick grita, com ele que diz - Eu conheço ela, sou Gavin. Se lembra de mim Kat? – eu olho e depois me toco quem é ele, o pai dele era melhor amigo de meu pai. Então não espero nenhum minuto então abraço ele. – Gavin. – Solto seu nome num suspiro. Então pergunto - O que lhe trás aqui? – ele me olha e sorri – Estou com a galera do galpão, hoje tem outra corrida, não quer vir com agente? – o olho e abaixo a cabeça. Então ouço Nick murmurar um tipo de maldição. Olho para Nick, e tento
  87. 87. 87 tranqüilizá-lo afinal não quero ele se atracando com Gavin. Pego na sua mão e o olho mais, parece que ele se tranqüiliza um pouco. Olho para Gavin, que está olhando agora para minha mão e de Nick entrelaçados eu sorriu para ele e digo - Qualquer dia desses eu apareço por lá.. – então vou me virando para sair, até que segura meu braço novamente e me vira para ele e diz – Matt está lá Kat, ele voltou. E está com a moto do seu Pai. – Então ele se virá e sai.
  88. 88. 88 Capitulo 17 Eu tentei sair dali juro que tentei, mais não deu parece que prendeu, parece que sou uma árvore que tenho raízes lá em baixo da terra, e não consigo me tirar de lá. Nick está me sacudindo, Janny está apavorada olhando para mim, como se nunca viu aquilo. Pois ela nunca viu, ela se cansou ir a corridas comigo. Ela estava à vez que papai teve sua ultima corrida. Mais, só ela sabia o que fazer comigo. Então ela tirou Nick de cima e ele fico perguntando se ela era louca, então ela o mandou ele calar a boca. Depois virou para mim, e me deu um tapaço na minha cara. Então fui tirada de minhas raízes. Eu olhei para ela com expressão de fúria. Então comecei a ir bater nela, ela também brigou comigo. Porque ela sabia que só assim eu iria relaxar, vi que Pierry e Nick, junto com o resto do clube estavam nos observando. Pierry e Nick pareciam em estado de choque. Eu peguei a Janny, no chão e na hora que iria dar um soco nela. Veio às imagens na minha cabeça, de tudo que aconteceu. Então cai em cima dela, e chorei. Chorei demais. Ela me abraçou forte dizendo que iria dar certo. Mais eu sabia que não Matt, estava de volta. Matt aquele cara, que correu com meu pai e que jogou ele fora da pista. Matt, que causou o meu sofrimento. E agora Matt que está com a moto do meu pai. E que agora, eu iria ter ela de volta, pelo o meu
  89. 89. 89 pai. Em seguida me levanto, e vou em direção a Gavin que está me olhando com expressão de choque juntos com os outros do grupo. Olho para ele e digo - Quando vai ser a corrida? Preciso de tempo. Afinal, quero ganhar. – ele olha para mim e sorri – Em três semanas. Viro-me, sem dizer adeus. *** Agora, estou no carro de Nick, ele está com a cara fechada não falou comigo, desde que deixamos o clube. Olho para ele, então olho para a janela. Quando ele para na frente da minha casa, ele gira e me perfura com os olhos. - O que porra aconteceu lá? – Eu o olho afinal ele está com raiva, e tem razão por estar. Então eu falo – Meu pai morreu numa corrida de moto. Eu o incentivei a correr, porque aquele cara me tirava do sério. E meu pai gostava de aventura. Então naquele dia ele se foi. – eu olho para baixo, então sinto a mão de Nick apertar minha mão. Olho para cima e ele diz - Sinto muito Kat. – Eu olhei para ele e sabia que tinha lágrimas escorrendo na minha bochecha. Então digo – Eu também sinto. – eu me viro para sair, então
  90. 90. 90 sinto sua mão me segurando olho para ele. Ele me beija, um beijo doce, gentil e quente ao mesmo tempo. Seguro-me a ele, porque sei que só ele pode me ter segura. Ele se afasta, então digo - Obrigada pela a noite namorado falso. – Então abro a porta e saiu.
  91. 91. 91 Capitulo 18 Por pior que pareça as três semanas voaram rápido demais, todos os dias eu sempre tomava coragem para pegar minha moto e sair. Então até que na metade da semana eu consegui pelo meu pai. Nick não sabe que vou correr ainda, mais Janny sabe, e eu sei que Janny sem querer um dia irá abrir a boca. Nick e eu estamos bem, ou melhor estamos fingindo bem. Pelo menos ele está, parece que cada semana que passou eu não conseguia mais tirar seu perfume do ar, não conseguia apagar seu rosto de minha mente. E eu me vejo a cada dia mais apaixonada por esse imbecil. Ele está diferente, ele parece que está se divertindo ficar comigo. Então agora nesse momento eu estou no refeitório com Janny, Pierry e Nick. Nick está no meu lado, olhando para mim e sorrindo. Hoje é sexta- feira amanha é o dia da corrida. Janny está cada dia mais nervosa, e eu um pouco também, pois faz um tempo que não corro mais. Antes eu era a melhor e agora? Não sei, mais vou fazer de tudo para ser a melhor de volta.
  92. 92. 92 - Kat, amanha que horas é a corrida? – ela pergunta. E eu juro que vou estrangular ela. Afinal Nick nem sabe que eu dirijo, e imagine quando ele souber que eu dirijo uma hornet. E que vou correr amanha.. então o ouço perguntar - Que corrida Kat? – Eu olho para ele e balanço a cabeça. Mais Janny sem querer diz – Sua cadela, falasse para mim que ele sabia! – eu olho para Janny e quase a perfuro com o olhar. – Janny.. – mais Nick me corta – Que porra eu não sabia? O que não me contasse Kat? – Olho para ele e respiro. – Não é nada, é besteira de Janny. – então Janny fica mais vermelha do que já está e diz. – Kat, vai correr com Matt, para pegar a moto do pai dela de volta. Nunca ouvisse falar em rachas de moto? Então, pois bem, Kat vai e ela vai pra ganhar ou morrer. - Que merda tu acabou de dizer? – Nick grita para Janny. Olho para ele e digo - É isso mesmo que tu ouviste. Vou correr com Matt. Amanha, se quizer vir vem, afinal ninguém irá tirar essa idéia da minha cabeça. E Janny, te espero lá amanhã. – me levanto e vou em direção a porta do refeitório então vejo Nick andando ao meu lado, com os punhos fechados, que chegam a ficar brancos de tanta força que ele está fazendo. Vou indo para os campos em direção ao carro de Nick. Então quando chegamos ao carro dele, ele soca a porta e diz
  93. 93. 93 - Que merda tu vai fazer Kat? Tu numa corrida de moto? Não tu não vai, por pior que eu seja teu namorado falso, eu ainda tenho mais uma semana contigo, e eu não quero ter que terminar no cemitério terminando nosso namoro. Droga Kat! – olho para ele com expressão incrédula. E digo – Nick, não tens nada a haver com isso. Se eu quero correr eu vou correr. E ninguém irá me impedir disso. Nem você nem ninguém! – ele me olha e me joga na porta do carro. Então ele fica com o nariz dele encostado-se ao meu. E diz – eu me importo contigo Kat! Caralho, porra! E se você correr e cair? E se você.. Merda nem sei pensar direito Kat! – eu o olho, e levo minhas mãos ao seu rosto e abaixo ele até ficar ao nível do meu e digo – Não vai acontecer nada, eu já vi Matt correr. Ele pode ser bom, mais vou correr e vou ganhar. Não se preocupe. – ele abaixa a cabeça até estar encostando seus lábios nos meus. Seu beijo é suave e quente. Fico ali abraçada a ele beijando no meio do estacionamento da escola.

×