SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 17
O ser humano é originariamente voltado para o espiritual. Isto decorre da
necessidade de explicar alguns fenômenos do mundo. Se voltarmos ao
tempo das cavernas, aos primeiros humanos, e se pudéssemos retroceder até
lá, constataríamos essa afirmação. As sombras reinantes, a escuridão
natural, a dificuldade de entender o mundo levaram esses primitivos a
conceber a existência de algo além. Tudo para eles vinha do sobrenatural.
Os fenômenos da Natureza eram catalogados como proveniente de forças
divinas. A divindade era concebida naturalmente, e projetada nos
fenômenos da Natureza: o raio, o trovão, a chuva, o rio, a floresta. Tudo
aquilo que o ser humano não pudesse explicar passava a ter um caráter
divino.
Para explicar essa dimensão mística, surgiram algumas pessoas mais
abertas a essa percepção e se transformaram em pajés, sacerdotes, bruxos,
que tinham dons, e intermediavam a relação entre o humano e o divino.
Mais tarde, com as civilizações, surgiram os chamados profetas, indivíduos
que viviam anunciando algo relativo ao divino. Depois surgiram as
religiões; as religiões se multiplicaram, e as explicações sobre o divino são
diversas. E as religiões impuseram crenças, dogmas, atitudes e cultos, em
geral sem explicações satisfatórias.
Materialismo e Espiritismo; São termos empregados para formular ideias
que não se confundem entre si.
São duas doutrinas que se enfrentam: uma, que nega o futuro, outra, que o
proclama e o prova; uma que nada explica, outra que tudo explica e por isso
mesmo se dirige à razão. Uma é a sanção do egoísmo, a outra oferece uma
base à justiça, à caridade e ao amor ao próximo. A primeira não mostra mais
do que o presente e aniquila toda a esperança; a segunda consola e mostra o
vasto campo do futuro.
Materialismo: "Tendência, atitude ou doutrina que admite ser a matéria,
concebida segundo o desenvolvimento paralelo das ciências, ou que as
chamadas condições concretas materiais são suficientes para explicar
todos os fenômenos que se apresentam à investigação inclusive os
fenômenos mentais, sociais ou históricos”. É uma doutrina onde não se crê
em nada além daquilo que é material.
O Materialismo sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a
existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são
compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações
materiais; que a matéria é a única substância. Materialismo é a atitude das
pessoas que entendem que tudo é matéria e que têm uma vida voltada
unicamente para os bens materiais. Materialismo é a concepção de mundo
que considera o universo como sendo constituído exclusivamente de
matéria e energia físicas, e de processos físicos que atuam sobre elas.
Materialismo em Filosofia é um sistema que admite que as chamadas
condições concretas materiais, são suficientes para explicar todos os
fenômenos que se apresentam à investigação, inclusive os fenômenos
mentais, sociais e históricos.
O Universo seria formado por acaso e seria explicado dentro das leis das
ciências exatas (Matemática, Física, Química, Astronomia etc.). Esta é a
tese do Materialismo Filosófico, que não deve ser confundido com o
Materialismo Pragmático e Hedonista adotado por aquele que, embora se
diga até mesmo religioso, só quer mesmo é gozar os prazeres da vida
terrena, nem que seja em cima da miséria alheia. Materialismo histórico é
uma doutrina social-filosófica que considera as formas de produção
econômica como os únicos fatores realmente determinantes do
desenvolvimento histórico e social. As demais esferas culturais, como
religião, moral, direito, Estado, ciência, arte e filosofia são meras
derivações que representam uma espécie de superestrutura sobre a
infraestrutura econômica.
A origem do Materialismo histórico está ligada ao filósofo alemão Karl
Marx (1818-1883). O Materialismo permaneceu estacionário na Idade
Média, em virtude da predominância do Cristianismo, mas ressurgiu
vigorosamente na Renascença. O século XVIII distinguiu-se pelas suas
acentuadas tendências materialistas. No fim do século XIX, Karl Marx e
Frederich Engels estatuíram as bases do chamado materialismo dialético.
Entendia o filósofo árabe Averróis que a alma é inseparável do corpo, ou
mais especificadamente, do cérebro e morre com ele. E as ideias
materialistas se propagaram intensamente pelo mundo, até que começaram
a perder terreno na Idade Contemporânea, depois da Lei da Relatividade e
da desintegração do átomo, eventos que valeram por uma nova revolução
copérnica.
Assim que a Ciência provou a insustentabilidade de antigos preceitos
dogmáticos e proclamou a unidade matéria-energia, fenderam-se os bastiões
da cidadela materialista. Einstein anunciou solenemente: "O Materialismo
morreu de asfixia por falta de matéria." Os adeptos do Materialismo são
chamados de materialistas. Uma pessoa é materialista se seu modo de
pensar baseia-se nessa concepção de mundo. Nesse sentido, é muito
importante reconhecer-se que muitas pessoas que se dizem religiosas, ou
pertencem a alguma religião instituída, são no fundo materialistas.
Espiritismo: Muitas pessoas entendem que Espiritismo e Espiritualismo
tratam da mesma coisa, porém, apesar de haver uma relação entre eles, cada
um tem um significado específico.
Por que criar-se o termo "Espiritismo" para substituir "Espiritualismo",
nome comum, conhecido, já existente e compreendido por todos? Atento a
essa questão, já em O Livro dos Espíritos Allan Kardec explica o porquê de
não ter usado os termos spiritualisme (espiritualismo) e spiritualiste
(espiritualista) para conceituar a Doutrina Espírita e seus adeptos, criando,
então, os novos vocábulos Espiritismo e espírita ou espiritista. Kardec
explica no primeiro texto da introdução do livro que “para as coisas novas
necessitamos de palavras novas, pois assim o exige a clareza de linguagem,
para evitarmos a confusão inerente aos múltiplos sentidos dos próprios
vocábulos. As palavras espiritual, espiritualista, espiritualismo têm uma
significação bem definida”. Ainda, a criação desse termo próprio, evitaria
adaptação que as traduções certamente fariam.
“O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos
Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal." Diremos,
portanto, que a Doutrina Espírita ou o Espiritismo, tem por principio as
relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível.
O Espiritismo é uma doutrina criada através da comunicação com Espíritos
superiores. Sua codificação foi coordenada e realizada por Allan Kardec em
1857. Essa doutrina nada tem a ver com outras religiões que também
praticam a comunicação com o mundo espiritual como o Candomblé ou a
Umbanda, por exemplo. É comum a confusão que as pessoas fazem entre
essas três religiões. O Espiritismo está dividido em três seguimentos
principais:
Religião, Ciência e Filosofia. É também conhecido por Espiritismo Cristão
porque também tem por referência os ensinamentos de Jesus Cristo. O
Espiritismo compreende alguns pontos que o afastam do Espiritualismo das
religiões tradicionais. São eles: a crença na reencarnação; a descrença na
doutrina das penas eternas; a crença na pluralidade dos mundos habitados e
a crença na comunicabilidade dos Espíritos através da mediunidade.
Contendo princípios sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos,
suas relações com os homens, as leis morais, a vida futura e o porvir da
Humanidade. O Espiritismo é ao mesmo tempo, uma ciência de observação
e uma doutrina filosófica.
Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós
e os Espíritos; como Filosofia, compreende todas as consequências morais
que dimanam dessas mesmas relações. Justifica-se, portanto, a identidade
do Espiritismo, como ciência, filosofia e religião que cumprindo a promessa
de Jesus, renova ao homem seu convite de Amor. Na obra “O que é o
Espiritismo”, Allan Kardec apresenta uma explicação sucinta sobre o
Espiritismo. Ser Espírita é acreditar na existência de Deus, na imortalidade
da alma, na pluralidade das existências (reencarnação), no crescimento
moral e intelectual do Espírito e na pluralidade dos mundos, bem como a
prática dos ensinamentos sobre amor, perdão e caridade. Seus conceitos são
fundamentados na experimentação científica e em um fator muito
importante, a fé raciocinada.
Além disso, para o espírita o estudo necessita ser constante e a busca por
sua melhoria íntima também. Resumindo: todo Espírita é Espiritualista, mas
nem todo Espiritualista é Espírita. O Livro dos Espíritos, O Livro dos
Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, A Gênese e O Céu e o
Inferno formam a codificação.
Espiritualismo:
É uma doutrina ou sistema que admite a presença, no homem e no mundo
em geral, do elemento espiritual. Desse modo, a maior parte das religiões é
espiritualista, uma vez que creem na existência da dualidade corpo e alma.
O Espiritualismo é o oposto do Materialismo, que afirma não existir nada
além da matéria. Incluem-se portanto nestes termos, todas as religiões e
todos aqueles que creem existir no homem, algo além da matéria.
O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que admite a existência de Deus,
de forças universais e da Alma, com a visão de que existem milhares de
coisas abstratas, ou seja, o Espiritualismo acredita em algo além da matéria.
Como os espiritualistas são pessoas que acreditam em algo além da matéria,
devemos entender que essas pessoas estão, no geral, divididas por
seguimentos ou religiões. Em outras palavras, o Espiritualismo está
dividido em seguimentos de acordo com suas crenças e tradições, ou, sua
doutrina religiosa particular. O Espiritualismo admite, quer quanto aos
fenômenos naturais, quer quanto aos valores morais, a independência e o
primado do Espírito com relação às condições materiais, afirmando que os
primeiros constituem manifestações de forças anímicas, e os segundos
criações de um ser superior ou de um poder natural e eterno.
A espiritualidade é condição natural e faz parte de todos os seres. O ateu, o
agnóstico e o materialista, mesmo sem saberem e não desejarem, também
são espíritos imersos nas mesmas leis evolutivas. A vida é espiritualidade,
mas cada religião a interpreta da forma que entende. As pessoas se
esquecem de perguntar qual o objetivo das religiões ou do Espiritualismo. A
resposta é simples: a transformação do homem para melhor.
CONCLUSÃO FINAL
O Espiritismo tudo explica e tudo prova pelos fatos. O Materialismo nada
explica e nada prova. A sua intenção não é a de submeter o Mal, mas sim, a
de convencê-lo a respeito da transitoriedade de tudo o que se opõe à ordem
natural das coisas.
O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que admite a existência de Deus,
de forças universais e da Alma, com a visão de que existem milhares de
coisas abstratas, ou seja, o Espiritualismo acredita em algo além da matéria.
Como os espiritualistas são pessoas que acreditam em algo além da matéria,
devemos entender que essas pessoas estão, no geral, divididas por
seguimentos ou religiões. Em outras palavras, o Espiritualismo está
dividido em seguimentos de acordo com suas crenças e tradições, ou, sua
doutrina religiosa particular. O Espiritualismo admite, quer quanto aos
fenômenos naturais, quer quanto aos valores morais, a independência e o
primado do Espírito com relação às condições materiais, afirmando que os
primeiros constituem manifestações de forças anímicas, e os segundos
criações de um ser superior ou de um poder natural e eterno.
Observação:
Se todos os miseráveis fossem socorridos, a miséria se extinguiria; se todos
os ignorantes fossem educados, a treva não teria razão de ser; se todos os
delinquentes fossem amparados oferecendo-lhes estímulos à luta
regenerativa, o crime seria varrido da face da Terra.
Muita Paz!
Visite o meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br
A serviço da Doutrina Espírita; com estudos comentados.
Leia Kardec! Estude Kardec! Pratique Kardec! Divulgue Kardec!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Temor da Morte
Temor da MorteTemor da Morte
Temor da Morteigmateus
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardecmarjoriestavismeyer
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaAntonino Silva
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Tiburcio Santos
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Leonardo Pereira
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontadeDalila Melo
 
Assistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoAssistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoVictor Passos
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASRodrigo Leite
 
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas expOlm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas expCarlos Alberto Freire De Souza
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusAntonino Silva
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusEduardo Ottonelli Pithan
 
2.4.3 transmigracao progressiva
2.4.3   transmigracao progressiva2.4.3   transmigracao progressiva
2.4.3 transmigracao progressivaMarta Gomes
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraSergio Menezes
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaRicardo Azevedo
 

Mais procurados (20)

Temor da Morte
Temor da MorteTemor da Morte
Temor da Morte
 
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan KardecEscala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
Escala espírita - Livro dos Espíritos - Allan Kardec
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
 
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
Curso ESDE cap3 separação da alma e do corpo 20160801 v2
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
ESDE - Roteiro complementar. Módulo I, roteiro 5: sorte das crianças depois d...
 
Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!Das ocupações e missões dos espíritos!
Das ocupações e missões dos espíritos!
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
Assistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismoAssistencia espiritual-e-espiritismo
Assistencia espiritual-e-espiritismo
 
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDASINFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
INFLUENCIA DOS ESPIRITOS EM NOSSAS VIDAS
 
Esquecimento do passado
Esquecimento do passadoEsquecimento do passado
Esquecimento do passado
 
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas expOlm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
Olm 100818-manif.inteligente-teoria manif.físicas-manif.físicas exp
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
O centro espírita
O centro espíritaO centro espírita
O centro espírita
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
Lei de destruição
Lei de destruiçãoLei de destruição
Lei de destruição
 
2.4.3 transmigracao progressiva
2.4.3   transmigracao progressiva2.4.3   transmigracao progressiva
2.4.3 transmigracao progressiva
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 

Semelhante a Materialismo e Espiritismo

A doutrina espírita (sef)
A doutrina espírita (sef)A doutrina espírita (sef)
A doutrina espírita (sef)Ricardo Akerman
 
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_bcarlos freire
 
O triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismoO triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismoGraça Maciel
 
Hinoshita, alice ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...
Hinoshita, alice   ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...Hinoshita, alice   ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...
Hinoshita, alice ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...Karine Rodrigues
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Over Lane
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidadeOver Lane
 
Religiões da humanidade
Religiões da humanidadeReligiões da humanidade
Religiões da humanidadeOver Lane
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpAlexandre Misturini
 
Espiritismo e mediunidade 01
Espiritismo e mediunidade 01Espiritismo e mediunidade 01
Espiritismo e mediunidade 01Leonardo Pereira
 
Espiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoEspiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoFernando Oliveira
 
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca  O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca Diego Silva
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Keiler Vasconcelos
 
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de EspiritismoAula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de Espiritismoliliancostadias
 
Introducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologiaIntroducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologiaAilton Adriano
 
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da ReligiãoSlides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da Religiãoandrealvessobral
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentojeconiaseandreia
 

Semelhante a Materialismo e Espiritismo (20)

A doutrina espírita (sef)
A doutrina espírita (sef)A doutrina espírita (sef)
A doutrina espírita (sef)
 
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b
2016 01-10-ce-o que-e_espiritismo_sandra_b
 
O triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismoO triplice aspecto do espiritismo
O triplice aspecto do espiritismo
 
Ere capa
Ere capaEre capa
Ere capa
 
Hinoshita, alice ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...
Hinoshita, alice   ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...Hinoshita, alice   ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...
Hinoshita, alice ciência e espiritualidade - as noções de ciência no espiri...
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidade
 
Religiões da humanidade
Religiões da humanidadeReligiões da humanidade
Religiões da humanidade
 
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mpFilosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
Filosofia eduarda, ana laura e jaqueline 11 mp
 
Espiritismo e mediunidade 01
Espiritismo e mediunidade 01Espiritismo e mediunidade 01
Espiritismo e mediunidade 01
 
Espiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismoEspiritualismo e espiritismo
Espiritualismo e espiritismo
 
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca  O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
O Que É Espiritualismo - Pablo de Salamanca
 
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2Filosofia das religiões aulas 1 e 2
Filosofia das religiões aulas 1 e 2
 
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de EspiritismoAula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
 
História das-religiões
História das-religiõesHistória das-religiões
História das-religiões
 
Introducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologiaIntroducao ao estudo_da_psicologia
Introducao ao estudo_da_psicologia
 
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da ReligiãoSlides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
 
O que é o espiritismo
O que é o espiritismoO que é o espiritismo
O que é o espiritismo
 
Filosofia medieval2 renata 21 m
Filosofia medieval2 renata 21 mFilosofia medieval2 renata 21 m
Filosofia medieval2 renata 21 m
 
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamentoIntroducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
Introducao a exegese_e_hermeneutica_-_filosofias_e_heresias_do_novo_testamento
 

Mais de Helio Cruz

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigoHelio Cruz
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeHelio Cruz
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireHelio Cruz
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivoHelio Cruz
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavrasHelio Cruz
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferioresHelio Cruz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amorHelio Cruz
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualHelio Cruz
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualHelio Cruz
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecidoHelio Cruz
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeHelio Cruz
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritualHelio Cruz
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deusHelio Cruz
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoHelio Cruz
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoHelio Cruz
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentosHelio Cruz
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoHelio Cruz
 

Mais de Helio Cruz (20)

O pior inimigo
O pior inimigoO pior inimigo
O pior inimigo
 
Entusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidadeEntusiasmo e responsabilidade
Entusiasmo e responsabilidade
 
A candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueireA candeia debaixo do alqueire
A candeia debaixo do alqueire
 
O credor incompassivo
O credor incompassivoO credor incompassivo
O credor incompassivo
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
 
Pedir e obter
Pedir e obterPedir e obter
Pedir e obter
 
A virtude os superiores e os inferiores
A virtude   os superiores e os inferioresA virtude   os superiores e os inferiores
A virtude os superiores e os inferiores
 
O peso da luz
O peso da luzO peso da luz
O peso da luz
 
Universidade de amor
Universidade de amorUniversidade de amor
Universidade de amor
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
 
O homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritualO homem e a vida espiritual
O homem e a vida espiritual
 
O dom esquecido
O dom esquecidoO dom esquecido
O dom esquecido
 
Dia nacional da caridade
Dia nacional da caridadeDia nacional da caridade
Dia nacional da caridade
 
Marta e maria
Marta e mariaMarta e maria
Marta e maria
 
O progresso espiritual
O progresso espiritualO progresso espiritual
O progresso espiritual
 
Viver para deus
Viver para deusViver para deus
Viver para deus
 
O Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do EspiritismoO Marco inicial do Espiritismo
O Marco inicial do Espiritismo
 
A quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismoA quaresma e o espiritismo
A quaresma e o espiritismo
 
Os nossos julgamentos
Os nossos julgamentosOs nossos julgamentos
Os nossos julgamentos
 
Sal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundoSal da terra e luz do mundo
Sal da terra e luz do mundo
 

Último

Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024thandreola
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxCelso Napoleon
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Priscilatrigodecamar
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 

Último (15)

Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 

Materialismo e Espiritismo

  • 1.
  • 2. O ser humano é originariamente voltado para o espiritual. Isto decorre da necessidade de explicar alguns fenômenos do mundo. Se voltarmos ao tempo das cavernas, aos primeiros humanos, e se pudéssemos retroceder até lá, constataríamos essa afirmação. As sombras reinantes, a escuridão natural, a dificuldade de entender o mundo levaram esses primitivos a conceber a existência de algo além. Tudo para eles vinha do sobrenatural. Os fenômenos da Natureza eram catalogados como proveniente de forças divinas. A divindade era concebida naturalmente, e projetada nos fenômenos da Natureza: o raio, o trovão, a chuva, o rio, a floresta. Tudo aquilo que o ser humano não pudesse explicar passava a ter um caráter divino.
  • 3. Para explicar essa dimensão mística, surgiram algumas pessoas mais abertas a essa percepção e se transformaram em pajés, sacerdotes, bruxos, que tinham dons, e intermediavam a relação entre o humano e o divino. Mais tarde, com as civilizações, surgiram os chamados profetas, indivíduos que viviam anunciando algo relativo ao divino. Depois surgiram as religiões; as religiões se multiplicaram, e as explicações sobre o divino são diversas. E as religiões impuseram crenças, dogmas, atitudes e cultos, em geral sem explicações satisfatórias. Materialismo e Espiritismo; São termos empregados para formular ideias que não se confundem entre si.
  • 4. São duas doutrinas que se enfrentam: uma, que nega o futuro, outra, que o proclama e o prova; uma que nada explica, outra que tudo explica e por isso mesmo se dirige à razão. Uma é a sanção do egoísmo, a outra oferece uma base à justiça, à caridade e ao amor ao próximo. A primeira não mostra mais do que o presente e aniquila toda a esperança; a segunda consola e mostra o vasto campo do futuro. Materialismo: "Tendência, atitude ou doutrina que admite ser a matéria, concebida segundo o desenvolvimento paralelo das ciências, ou que as chamadas condições concretas materiais são suficientes para explicar todos os fenômenos que se apresentam à investigação inclusive os fenômenos mentais, sociais ou históricos”. É uma doutrina onde não se crê em nada além daquilo que é material.
  • 5. O Materialismo sustenta que a única coisa da qual se pode afirmar a existência é a matéria; que, fundamentalmente, todas as coisas são compostas de matéria e todos os fenômenos são o resultado de interações materiais; que a matéria é a única substância. Materialismo é a atitude das pessoas que entendem que tudo é matéria e que têm uma vida voltada unicamente para os bens materiais. Materialismo é a concepção de mundo que considera o universo como sendo constituído exclusivamente de matéria e energia físicas, e de processos físicos que atuam sobre elas. Materialismo em Filosofia é um sistema que admite que as chamadas condições concretas materiais, são suficientes para explicar todos os fenômenos que se apresentam à investigação, inclusive os fenômenos mentais, sociais e históricos.
  • 6. O Universo seria formado por acaso e seria explicado dentro das leis das ciências exatas (Matemática, Física, Química, Astronomia etc.). Esta é a tese do Materialismo Filosófico, que não deve ser confundido com o Materialismo Pragmático e Hedonista adotado por aquele que, embora se diga até mesmo religioso, só quer mesmo é gozar os prazeres da vida terrena, nem que seja em cima da miséria alheia. Materialismo histórico é uma doutrina social-filosófica que considera as formas de produção econômica como os únicos fatores realmente determinantes do desenvolvimento histórico e social. As demais esferas culturais, como religião, moral, direito, Estado, ciência, arte e filosofia são meras derivações que representam uma espécie de superestrutura sobre a infraestrutura econômica.
  • 7. A origem do Materialismo histórico está ligada ao filósofo alemão Karl Marx (1818-1883). O Materialismo permaneceu estacionário na Idade Média, em virtude da predominância do Cristianismo, mas ressurgiu vigorosamente na Renascença. O século XVIII distinguiu-se pelas suas acentuadas tendências materialistas. No fim do século XIX, Karl Marx e Frederich Engels estatuíram as bases do chamado materialismo dialético. Entendia o filósofo árabe Averróis que a alma é inseparável do corpo, ou mais especificadamente, do cérebro e morre com ele. E as ideias materialistas se propagaram intensamente pelo mundo, até que começaram a perder terreno na Idade Contemporânea, depois da Lei da Relatividade e da desintegração do átomo, eventos que valeram por uma nova revolução copérnica.
  • 8. Assim que a Ciência provou a insustentabilidade de antigos preceitos dogmáticos e proclamou a unidade matéria-energia, fenderam-se os bastiões da cidadela materialista. Einstein anunciou solenemente: "O Materialismo morreu de asfixia por falta de matéria." Os adeptos do Materialismo são chamados de materialistas. Uma pessoa é materialista se seu modo de pensar baseia-se nessa concepção de mundo. Nesse sentido, é muito importante reconhecer-se que muitas pessoas que se dizem religiosas, ou pertencem a alguma religião instituída, são no fundo materialistas. Espiritismo: Muitas pessoas entendem que Espiritismo e Espiritualismo tratam da mesma coisa, porém, apesar de haver uma relação entre eles, cada um tem um significado específico.
  • 9. Por que criar-se o termo "Espiritismo" para substituir "Espiritualismo", nome comum, conhecido, já existente e compreendido por todos? Atento a essa questão, já em O Livro dos Espíritos Allan Kardec explica o porquê de não ter usado os termos spiritualisme (espiritualismo) e spiritualiste (espiritualista) para conceituar a Doutrina Espírita e seus adeptos, criando, então, os novos vocábulos Espiritismo e espírita ou espiritista. Kardec explica no primeiro texto da introdução do livro que “para as coisas novas necessitamos de palavras novas, pois assim o exige a clareza de linguagem, para evitarmos a confusão inerente aos múltiplos sentidos dos próprios vocábulos. As palavras espiritual, espiritualista, espiritualismo têm uma significação bem definida”. Ainda, a criação desse termo próprio, evitaria adaptação que as traduções certamente fariam.
  • 10. “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal." Diremos, portanto, que a Doutrina Espírita ou o Espiritismo, tem por principio as relações do mundo material com os Espíritos ou seres do mundo invisível. O Espiritismo é uma doutrina criada através da comunicação com Espíritos superiores. Sua codificação foi coordenada e realizada por Allan Kardec em 1857. Essa doutrina nada tem a ver com outras religiões que também praticam a comunicação com o mundo espiritual como o Candomblé ou a Umbanda, por exemplo. É comum a confusão que as pessoas fazem entre essas três religiões. O Espiritismo está dividido em três seguimentos principais:
  • 11. Religião, Ciência e Filosofia. É também conhecido por Espiritismo Cristão porque também tem por referência os ensinamentos de Jesus Cristo. O Espiritismo compreende alguns pontos que o afastam do Espiritualismo das religiões tradicionais. São eles: a crença na reencarnação; a descrença na doutrina das penas eternas; a crença na pluralidade dos mundos habitados e a crença na comunicabilidade dos Espíritos através da mediunidade. Contendo princípios sobre a imortalidade da alma, a natureza dos Espíritos, suas relações com os homens, as leis morais, a vida futura e o porvir da Humanidade. O Espiritismo é ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica.
  • 12. Como ciência prática ele consiste nas relações que se estabelecem entre nós e os Espíritos; como Filosofia, compreende todas as consequências morais que dimanam dessas mesmas relações. Justifica-se, portanto, a identidade do Espiritismo, como ciência, filosofia e religião que cumprindo a promessa de Jesus, renova ao homem seu convite de Amor. Na obra “O que é o Espiritismo”, Allan Kardec apresenta uma explicação sucinta sobre o Espiritismo. Ser Espírita é acreditar na existência de Deus, na imortalidade da alma, na pluralidade das existências (reencarnação), no crescimento moral e intelectual do Espírito e na pluralidade dos mundos, bem como a prática dos ensinamentos sobre amor, perdão e caridade. Seus conceitos são fundamentados na experimentação científica e em um fator muito importante, a fé raciocinada.
  • 13. Além disso, para o espírita o estudo necessita ser constante e a busca por sua melhoria íntima também. Resumindo: todo Espírita é Espiritualista, mas nem todo Espiritualista é Espírita. O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho Segundo o Espiritismo, A Gênese e O Céu e o Inferno formam a codificação. Espiritualismo: É uma doutrina ou sistema que admite a presença, no homem e no mundo em geral, do elemento espiritual. Desse modo, a maior parte das religiões é espiritualista, uma vez que creem na existência da dualidade corpo e alma. O Espiritualismo é o oposto do Materialismo, que afirma não existir nada além da matéria. Incluem-se portanto nestes termos, todas as religiões e todos aqueles que creem existir no homem, algo além da matéria.
  • 14. O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que admite a existência de Deus, de forças universais e da Alma, com a visão de que existem milhares de coisas abstratas, ou seja, o Espiritualismo acredita em algo além da matéria. Como os espiritualistas são pessoas que acreditam em algo além da matéria, devemos entender que essas pessoas estão, no geral, divididas por seguimentos ou religiões. Em outras palavras, o Espiritualismo está dividido em seguimentos de acordo com suas crenças e tradições, ou, sua doutrina religiosa particular. O Espiritualismo admite, quer quanto aos fenômenos naturais, quer quanto aos valores morais, a independência e o primado do Espírito com relação às condições materiais, afirmando que os primeiros constituem manifestações de forças anímicas, e os segundos criações de um ser superior ou de um poder natural e eterno.
  • 15. A espiritualidade é condição natural e faz parte de todos os seres. O ateu, o agnóstico e o materialista, mesmo sem saberem e não desejarem, também são espíritos imersos nas mesmas leis evolutivas. A vida é espiritualidade, mas cada religião a interpreta da forma que entende. As pessoas se esquecem de perguntar qual o objetivo das religiões ou do Espiritualismo. A resposta é simples: a transformação do homem para melhor. CONCLUSÃO FINAL O Espiritismo tudo explica e tudo prova pelos fatos. O Materialismo nada explica e nada prova. A sua intenção não é a de submeter o Mal, mas sim, a de convencê-lo a respeito da transitoriedade de tudo o que se opõe à ordem natural das coisas.
  • 16. O Espiritualismo é uma doutrina filosófica que admite a existência de Deus, de forças universais e da Alma, com a visão de que existem milhares de coisas abstratas, ou seja, o Espiritualismo acredita em algo além da matéria. Como os espiritualistas são pessoas que acreditam em algo além da matéria, devemos entender que essas pessoas estão, no geral, divididas por seguimentos ou religiões. Em outras palavras, o Espiritualismo está dividido em seguimentos de acordo com suas crenças e tradições, ou, sua doutrina religiosa particular. O Espiritualismo admite, quer quanto aos fenômenos naturais, quer quanto aos valores morais, a independência e o primado do Espírito com relação às condições materiais, afirmando que os primeiros constituem manifestações de forças anímicas, e os segundos criações de um ser superior ou de um poder natural e eterno.
  • 17. Observação: Se todos os miseráveis fossem socorridos, a miséria se extinguiria; se todos os ignorantes fossem educados, a treva não teria razão de ser; se todos os delinquentes fossem amparados oferecendo-lhes estímulos à luta regenerativa, o crime seria varrido da face da Terra. Muita Paz! Visite o meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br A serviço da Doutrina Espírita; com estudos comentados. Leia Kardec! Estude Kardec! Pratique Kardec! Divulgue Kardec!