SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
ARGUMENTAÇÃO COM 
DISPOSIÇÃO 
Hélia Coelho Mello Cunha
SITUAÇÃO ATUAL 
 No ensino de produção de textos 
dissertativos argumentativos, no 
Ensino Médio, no Brasil, atualmente, 
percebe-se que não é dada a devida 
importância ao estudo de sua 
estrutura.
PROBLEMAS: 
 Como fazer uma introdução criativa 
que desperte o leitor para o tema, que 
sirva para criar comunhão com ele? 
 Como apresentar uma boa 
sustentação à tese, convencendo e 
persuadindo o auditório? 
 Como concluir o pensamento e 
assegurar o acordo?
OBJETIVO 
 Nosso objetivo é propor que seja 
adotado, nas aulas, um modelo de 
estrutura baseado no apresentado na 
segunda parte da Retórica de 
Aristóteles: a disposição, que versa 
sobre o plano do discurso e sua 
construção.
ESTRUTURA - 
ESCOLAS/LIVROS DIDÁTICOS 
•INTRODUÇÃO: é a apresentação do 
assunto a ser desenvolvido; da tese, da ideia 
inicial, sem muitas explicações. 
•DESENVOLVIMENTO: é a justificativa da 
ideia inicial, com a apresentação de mais 
detalhes, exemplos, citações, etc. 
•CONCLUSÃO: retomada da ideia inicial, 
com a apresentação de um resumo do que 
foi exposto ou argumentado no 
desenvolvimento.
ESTRUTURA - ARISTÓTELES 
INTRODUÇÃO 
•Exórdio - serve para tornar o auditório 
receptivo à atuação do orador e 
fornecer uma introdução geral ao 
discurso, tornando claro seu propósito. 
Os exórdios dão uma indicação do 
assunto. (Introdução criativa -pretexto) 
•Enunciação da tese
ESTRUTURA - ARISTÓTELES 
DESENVOLVIMENTO 
•Prova - meios ou recursos persuasivos 
de que se vale o orador para convencer 
o auditório. (Argumentação)
ESTRUTURA - ARISTÓTELES 
CONCLUSÃO 
•Epílogo - tem por objetivo deixar no 
auditório uma boa impressão do orador 
e recapitular brevemente os pontos 
principais do discurso. (síntese da 
argumentação/ explicitação da tese e 
retomada do pretexto e/ou do título).
CONSIDERAÇÕES FINAIS 
 Ser criativo na introdução e na conclusão , 
além de boa argumentação no 
desenvolvimento, é importante para que o 
autor de um texto dissertativo 
argumentativo cumpra os seus objetivos 
principais : persuasão e convencimento 
(pathos/logos) de um auditório. 
 Percebemos, através da utilização desta 
prática nas aulas de Produção Textual, uma 
melhora significativa nos textos 
argumentativos produzidos pelos alunos.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
 ARISTÓTELES Retórica. INCM - Imprensa 
Nacional Casa da Moeda | Março de 2005 
 PERELMAN, Chaïm. & OLBRECHTS-TYTECA, 
Lucie. Tratado da Argumentação - A Nova Retórica. 
São Paulo: Martins Fontes, 2ª ed, 2005. 
 REBOUL, Olivier. Introdução à Retórica. São 
Paulo: Martins Fontes, 2004.
Hélia Coelho Mello Cunha 
 Professora de Retórica nos Discursos da Atualidade (Curso 
de pós-graduação em Literatura, Memória Cultural e 
Sociedade), Leitura e Produção Textual (Licenciatura em 
Letras) do Instituto Federal de Educação, Ciência e 
Tecnologia Fluminense, Campus Campos dos Goytacazes- 
Centro. 
 Mestre em Cognição e Linguagem-Universidade Estadual do 
Norte-Fluminense Darcy Ribeiro (UENF). 
 Membro da Sociedade Brasileira de Retórica e International 
Society for the History of Rhetoric. 
 heliacoelho14@gmail.com / hcunha@iff.edu.br 
 Facebook; LINGUAAFI(N)ADA

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO

16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
Rosário Pedro
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
denisecgomes
 
Metodologia do trabalho cientifico 2013
Metodologia do trabalho cientifico   2013Metodologia do trabalho cientifico   2013
Metodologia do trabalho cientifico 2013
Samuelson Brito
 

Semelhante a ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO (20)

Como preparar uma boa apresentação científica
Como preparar uma boa apresentação científicaComo preparar uma boa apresentação científica
Como preparar uma boa apresentação científica
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
X semana de letras parte 2 ufal
X semana de letras parte 2  ufalX semana de letras parte 2  ufal
X semana de letras parte 2 ufal
 
Guião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral temaGuião de apresentação oral tema
Guião de apresentação oral tema
 
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
 
16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
16522716022012Introducao_a_Metodologia_Cientifica_Aula_8.pdf
 
Plano de aula dissertaçao
Plano de aula   dissertaçaoPlano de aula   dissertaçao
Plano de aula dissertaçao
 
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptxTEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
TEXTO DISSERTATIVO ARGUMENTATIVO.pptx
 
Dissertação
DissertaçãoDissertação
Dissertação
 
Slides modelos de síntese
Slides modelos de sínteseSlides modelos de síntese
Slides modelos de síntese
 
Modelos de Síntese
Modelos de Síntese Modelos de Síntese
Modelos de Síntese
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Modelos de síntese
Modelos de sínteseModelos de síntese
Modelos de síntese
 
Aulas de Redação
Aulas de RedaçãoAulas de Redação
Aulas de Redação
 
Estrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioEstrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaio
 
Normas abnt-2015
Normas abnt-2015Normas abnt-2015
Normas abnt-2015
 
5 dicas para você montar sua introdução
5 dicas para você montar sua introdução5 dicas para você montar sua introdução
5 dicas para você montar sua introdução
 
Metodologia do trabalho cientifico 2013
Metodologia do trabalho cientifico   2013Metodologia do trabalho cientifico   2013
Metodologia do trabalho cientifico 2013
 
Publicações científica
Publicações científicaPublicações científica
Publicações científica
 
Resumo metodologia prova 1 bimestre 2 semestre
Resumo metodologia prova 1 bimestre 2 semestreResumo metodologia prova 1 bimestre 2 semestre
Resumo metodologia prova 1 bimestre 2 semestre
 

Mais de Helia Coelho Mello

O discurso é a estrela
O discurso é a estrelaO discurso é a estrela
O discurso é a estrela
Helia Coelho Mello
 
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
Helia Coelho Mello
 

Mais de Helia Coelho Mello (20)

Progymnasmata um presente dos gregos
Progymnasmata   um presente dos gregosProgymnasmata   um presente dos gregos
Progymnasmata um presente dos gregos
 
IV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
IV Congresso da Sociedade Brasileira de RetóricaIV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
IV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
 
A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril
A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom BrilA Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril
A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril
 
Sofismas
SofismasSofismas
Sofismas
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
 
O debate que balança a palavra na rede
O debate que balança a palavra na redeO debate que balança a palavra na rede
O debate que balança a palavra na rede
 
O discurso é a estrela
O discurso é a estrelaO discurso é a estrela
O discurso é a estrela
 
A Retórica Desmascara o Discurso
A Retórica Desmascara o DiscursoA Retórica Desmascara o Discurso
A Retórica Desmascara o Discurso
 
Minicurso Enletrarte 2015
Minicurso Enletrarte 2015Minicurso Enletrarte 2015
Minicurso Enletrarte 2015
 
Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015
 
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTADIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
 
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
 
SOFISMAS DA ATUALIDADE
SOFISMAS DA ATUALIDADESOFISMAS DA ATUALIDADE
SOFISMAS DA ATUALIDADE
 
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOSRETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
 
Falácias
FaláciasFalácias
Falácias
 
Estratégias argumentativas1
Estratégias argumentativas1Estratégias argumentativas1
Estratégias argumentativas1
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Coerência textual
Coerência textualCoerência textual
Coerência textual
 
Recursos retóricos
Recursos retóricosRecursos retóricos
Recursos retóricos
 
Acordo Ortográfico
Acordo OrtográficoAcordo Ortográfico
Acordo Ortográfico
 

Último

ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
Autonoma
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdfMESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
MESTRES DA CULTURA DE ASSARÉ Prof. Francisco Leite.pdf
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentesMaio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
Maio Laranja - Combate à violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 

ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO

  • 1. ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO Hélia Coelho Mello Cunha
  • 2. SITUAÇÃO ATUAL  No ensino de produção de textos dissertativos argumentativos, no Ensino Médio, no Brasil, atualmente, percebe-se que não é dada a devida importância ao estudo de sua estrutura.
  • 3. PROBLEMAS:  Como fazer uma introdução criativa que desperte o leitor para o tema, que sirva para criar comunhão com ele?  Como apresentar uma boa sustentação à tese, convencendo e persuadindo o auditório?  Como concluir o pensamento e assegurar o acordo?
  • 4. OBJETIVO  Nosso objetivo é propor que seja adotado, nas aulas, um modelo de estrutura baseado no apresentado na segunda parte da Retórica de Aristóteles: a disposição, que versa sobre o plano do discurso e sua construção.
  • 5. ESTRUTURA - ESCOLAS/LIVROS DIDÁTICOS •INTRODUÇÃO: é a apresentação do assunto a ser desenvolvido; da tese, da ideia inicial, sem muitas explicações. •DESENVOLVIMENTO: é a justificativa da ideia inicial, com a apresentação de mais detalhes, exemplos, citações, etc. •CONCLUSÃO: retomada da ideia inicial, com a apresentação de um resumo do que foi exposto ou argumentado no desenvolvimento.
  • 6. ESTRUTURA - ARISTÓTELES INTRODUÇÃO •Exórdio - serve para tornar o auditório receptivo à atuação do orador e fornecer uma introdução geral ao discurso, tornando claro seu propósito. Os exórdios dão uma indicação do assunto. (Introdução criativa -pretexto) •Enunciação da tese
  • 7. ESTRUTURA - ARISTÓTELES DESENVOLVIMENTO •Prova - meios ou recursos persuasivos de que se vale o orador para convencer o auditório. (Argumentação)
  • 8. ESTRUTURA - ARISTÓTELES CONCLUSÃO •Epílogo - tem por objetivo deixar no auditório uma boa impressão do orador e recapitular brevemente os pontos principais do discurso. (síntese da argumentação/ explicitação da tese e retomada do pretexto e/ou do título).
  • 9. CONSIDERAÇÕES FINAIS  Ser criativo na introdução e na conclusão , além de boa argumentação no desenvolvimento, é importante para que o autor de um texto dissertativo argumentativo cumpra os seus objetivos principais : persuasão e convencimento (pathos/logos) de um auditório.  Percebemos, através da utilização desta prática nas aulas de Produção Textual, uma melhora significativa nos textos argumentativos produzidos pelos alunos.
  • 10.
  • 11. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS  ARISTÓTELES Retórica. INCM - Imprensa Nacional Casa da Moeda | Março de 2005  PERELMAN, Chaïm. & OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação - A Nova Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2ª ed, 2005.  REBOUL, Olivier. Introdução à Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 2004.
  • 12. Hélia Coelho Mello Cunha  Professora de Retórica nos Discursos da Atualidade (Curso de pós-graduação em Literatura, Memória Cultural e Sociedade), Leitura e Produção Textual (Licenciatura em Letras) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense, Campus Campos dos Goytacazes- Centro.  Mestre em Cognição e Linguagem-Universidade Estadual do Norte-Fluminense Darcy Ribeiro (UENF).  Membro da Sociedade Brasileira de Retórica e International Society for the History of Rhetoric.  heliacoelho14@gmail.com / hcunha@iff.edu.br  Facebook; LINGUAAFI(N)ADA