SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
A RETÓRICA DAS MIL E UMA
UTILIDADES DA BOM BRIL
Hélia Coelho Mello*
*Universidade Estadual do Norte Fluminense- UENF . Bolsista Capes- Universidade do Porto- 2017- heliacoelho14@gmail.com
Este trabalho analisa a importância dos
recursos retóricos e argumentos presentes
em alguns anúncios publicitários impressos
da empresa Bom Bril veiculados em 24
contracapas de revistas brasileiras de 1997
até o ano de 2000, publicados no livro Soy
Contra Capas de Revistas pela W/Brasil.
Por haver uma quantidade muito grande de
anúncios, escolhemos alguns textos nos quais o
garoto propaganda da empresa, Carlos
Moreno, representava pessoas públicas que
eram do conhecimento das donas de casa do
Brasil (público alvo da campanha publicitária
da Bom Bril).
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
Os anúncios foram selecionados a partir do
livro “Soy Contra Capas de Revistas”, publicado
pela empresa responsável pela criação e
divulgação dos anúncios, a W/Brasil. Nesse
livro, 136 contracapas, publicadas de 1997 a
2000, foram compiladas.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
O que faz uma campanha publicitária
fazer sucesso por tantas décadas?
 Comunhão entre orador e auditório:
 Bons argumentos.
 Um apelo à emoção do auditório: figuras
retóricas que são essenciais para
provocar paixão pelo discurso persuasivo.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
A Retórica das Mil e Uma Utilidades
A Retórica exerce o convencimento por meio
de um discurso. Agimos retoricamente quando
justificamos nossa posição em termos
aceitáveis para nosso público (LOGOS) e nos
identificamos com valores e interesses dele
(ETHOS e PATHOS).
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
ARISTÓTELES e PERELMAN
Segundo Aristóteles, somos convencidos pelo
apelo ético do orador que empresta a sua
credibilidade à venda do produto (ETHOS) e pela
emoção (PATHOS) que nos é provocada pelo
discurso.
Chaïm Perelman afirma que o receptor é
convencido pela escolha dos argumentos
utilizados pelo enunciador (LOGOS). A comunhão
também deve ser estabelecida entre o auditório e
o orador.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
Ao abordar as qualidades das provas empregadas
pela Retórica, Aristóteles (2005, p.96-97) afirma:
“Persuade-se pelo caráter quando o discurso
é proferido de tal maneira que deixa a impressão
de o orador ser digno de fé. (...) Persuade-se pela
disposição dos ouvintes, quando estes são levados
a sentir emoção por meio do discurso, pois os
juízos que emitimos variam, conforme sentimos
tristeza ou alegria, amor ou ódio. (...)
Persuadimos, enfim, pelo discurso, quando
mostramos a verdade ou o que parece verdade, a
partir do que é persuasivo em cada caso
particular”.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense- UENF.Bolsista Capes-
Universidade do Porto- 2017
ETHOS
Garoto Bom Bril: um conquistador de
auditórios
O garoto Bom Bril, representado pelo ator Carlos
Moreno, entrou para a história da publicidade
brasileira como um caso único (encontra-se no
Guiness Book) por ter sido de 1978 a 2004 o
garoto-propaganda da empresa e voltado a ser em
2007, função que exerceu até 2011. Até abril de
2007, Moreno havia participado de 337 inserções
como "Garoto Bom Bril".
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
Carlos Moreno- o garoto Bom Bril:
Garoto Bom Bril: um conquistador de
auditórios
O “garoto Bom Bril” derrubou o modo
autoritário e superior comum ao sexo
masculino diante das mulheres no início da
campanha. Tímido, cabisbaixo e simpático,
Carlos Moreno fala, desde aquela época (1978),
com as donas de casa de modo respeitoso e
atencioso.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
Garoto Bom Bril:
um conquistador de auditórios
Na opinião de Washington Olivetto, em
entrevista informal concedida em 2000, "por
ser bem humano, como seu público, ele pode
envelhecer no papel, não precisa ser
substituído. Ele tem um conteúdo de realidade
muito grande, então ele pode adquirir
características cotidianas”.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
LOGOS
A ARGUMENTAÇÃO LIMPA
A teoria de Perelman esclarece sobre a comunhão e
presença que devem ser estabelecidas entre o falante
e o ouvinte. Todo discurso deve ser composto,
pensando-se naqueles que irão ouvi-lo ou lê-lo. No
discurso publicitário, o emissor deve escolher as
premissas que poderão ser aceitas pelo auditório a
que se dirige e, através da sua argumentação,
convencê-lo da compra do produto.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
COMPARAÇÃO
A análise da estrutura da comparação em um
discurso nos permite traduzir a intenção
argumentativa presente nos enunciados de um
texto, fazendo-nos refletir sobre a ordem de
preferência do sujeito enunciador e a força
desses argumentos para a captação da adesão
do interlocutor.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
“Bom Bril e Limpeza.
Este casamento dá certo.”
(setembro de 1999)
A apresentadora de TV
e modelo Adriane
Galisteu protagoniza
um casamento e um
divórcio relâmpagos.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense-
ARGUMENTO POR COMPARAÇÃO
É estabelecida uma comparação entre
duas situações: a apresentadora de TV e
modelo, Adriane Galisteu, protagoniza
um casamento e um divórcio relâmpagos,
mas o mesmo não ocorrerá entre os
produtos da Bom Bril e a limpeza, já que
eles nunca irão se separar.
Universidade Estadual do Norte Fluminense
ANALOGIAS
ANALOGIAS
Analogias estabelecem relação de similitude
entre duas relações que unem duas entidades.
A sua função é esclarecer o segundo termo de
comparação pelo primeiro.
“Bom Bril... Bom de cozinha e de copa
também.”
(maio de 1998)
“Na cozinha, ninguém tem mais Ibope.”
(Outubro de 1999)
“Bom Bril. Toda mamãe gosta deste
baixinho.”
(Julho de 1998)
.
“Com Bom Bril a sujeira perde sempre”.
(março de 2000)
A linguagem sem ferrugem da
Bom Bril – figuras retóricas
Segundo Reboul (1998, p.114), “A figura só é de
retórica quando desempenha papel
persuasivo”, e, “se o argumento é o prego, a
figura é o modo de pregá-lo”.
TROCADILHO
 Sua força persuasiva se dá devido ao fato de
“facilitarem a atenção e a lembrança”, além de
“instaurarem uma harmonia aparente, porém
incisiva, sugerindo que, se os sons se
assemelham não é por acaso.
 Os trocadilhos “bom bril/ bom Bill”,
“bombrileza/globeleza”,e “Popóderoso/ Popó
poderoso” ilustram a força desta figura.
Universidade Estadual do Norte
Fluminense- UENF.Bolsista Capes-
Universidade do Porto- 2017
“As mulheres preferem Bom Bill.
Quer dizer: Bom Bril.”
(agosto de 1998)
“Bom Bril. Popóderoso contra a
sujeira”.
(novembro- 1999)
“Olha a Bombrileza aí, gente!”
(fevereiro 1999)
METONÍMIA
O consumidor identifica os personagens
representados pelo garoto propaganda através
de traços metonímicos.
Os dentes, a careca, o uniforme da seleção
identificam Ronaldo; o cabelo e a barriga de
grávida, Xuxa; a cor da pele, pintura no corpo
moreno, a Globeleza; o cabelo preso, Louro
José e o microfone, Ana Maria Braga; a luva de
boxe, o lutador Popó; o macacão e capacete
vermelhos, Rubinho Barrichelo.
PERSONIFICAÇÃO
Prosopopeia (ou personificação) é uma figura
de linguagem caracterizada pela atribuição de
características, ações e sentimentos próprios
de seres humanos a seres inanimados e a seres
irracionais.
“Bom & Bril. Irmãos no brilho e na limpeza”.
(outubro de 1999).
“Bom & Bril” não
são irmãos como
Sandy e Júnior.
“Ó coitada da sujeira!”
(outubro de 1999)
“Sujeira” não é um ser humano para que
tenhamos pena dela.
“Bom Bril e Limpeza. Este casamento dá
certo.”
(setembro de 1999)
“Com Bom Bril a sujeira perde sempre.”
(março de 2000).
Quem perde sempre deveria ser Rubinho e não a
sujeira, já que ela não é um corredor de Fórmula 1.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
A Retórica pode ser uma esponja de aço
eficiente para tirarmos a “ferrugem” das
palavras e de argumentos gastos a fim de que
os recursos retóricos usados nos discursos
possam brilhar e atrair “consumidores” de
nossas ideias.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ABREU, Antônio Suárez. A Arte de Argumentar.
Gerenciando Razão e Emoção. 3.ed. São Paulo: Ateliê
Editorial, 2001.
ARISTÓTELES. Retórica. 2ª edição, revista, Lisboa:
Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2005.
PERELMAN, Chaïm & OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado
da Argumentação - A Nova Retórica. trad .Maria
Ermantina Galvão São Paulo: Martins Fontes, 1999
REBOUL, Olivier. Introdução à Retórica. São Paulo:
Martins Fontes, 1998.
Soy Contra Capas de Revistas/ W/BRASIL. São Paulo:
Negócio Editora, 2000

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
Luís Trafani
 
Correntes de Ergonomia
Correntes de ErgonomiaCorrentes de Ergonomia
Correntes de Ergonomia
Gabriela Bruno
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
Niela Tuani
 

Mais procurados (20)

Ergonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto HistóricoErgonomia - Contexto Histórico
Ergonomia - Contexto Histórico
 
Exercício de orifícios
Exercício de orifíciosExercício de orifícios
Exercício de orifícios
 
Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
 
Aula 04 conforto termico
Aula 04 conforto termicoAula 04 conforto termico
Aula 04 conforto termico
 
Ergonomia Contemporânea
Ergonomia ContemporâneaErgonomia Contemporânea
Ergonomia Contemporânea
 
Correntes de Ergonomia
Correntes de ErgonomiaCorrentes de Ergonomia
Correntes de Ergonomia
 
Sustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade EmpresarialSustentabilidade Empresarial
Sustentabilidade Empresarial
 
Aplicação do Cálculo Diferencial e Integral no Estudo de Vigas Isostáticas
Aplicação do Cálculo Diferencial e Integral no Estudo de Vigas IsostáticasAplicação do Cálculo Diferencial e Integral no Estudo de Vigas Isostáticas
Aplicação do Cálculo Diferencial e Integral no Estudo de Vigas Isostáticas
 
Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos Riscos Ergonômicos
Riscos Ergonômicos
 
Resistencia dos materiais tensão e deformação
Resistencia dos materiais   tensão e deformaçãoResistencia dos materiais   tensão e deformação
Resistencia dos materiais tensão e deformação
 
HST
HSTHST
HST
 
Construções sustentáveis
Construções sustentáveisConstruções sustentáveis
Construções sustentáveis
 
Compositos reforcados com_fibras
Compositos reforcados com_fibrasCompositos reforcados com_fibras
Compositos reforcados com_fibras
 
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
conforto ambiental acústico - arquitetura e urbanismo
 
Antropometria medidas
Antropometria medidasAntropometria medidas
Antropometria medidas
 
Dominios
DominiosDominios
Dominios
 
Flexão pura i
Flexão pura iFlexão pura i
Flexão pura i
 
Conforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
Conforto luminoso - Conforto Ambiental UrbanoConforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
Conforto luminoso - Conforto Ambiental Urbano
 
Aula conforto termico
Aula conforto termicoAula conforto termico
Aula conforto termico
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 

Semelhante a A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril

Artigo - Os presidenciáveis.
Artigo - Os presidenciáveis.Artigo - Os presidenciáveis.
Artigo - Os presidenciáveis.
Neuma Oliveira
 
Redação e edição em revista abertura
Redação e edição em revista aberturaRedação e edição em revista abertura
Redação e edição em revista abertura
Mob Cranb
 
Bom bril os presidenciáveis
Bom bril   os presidenciáveisBom bril   os presidenciáveis
Bom bril os presidenciáveis
Neuma Oliveira
 
Mídia e identidade feminina mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
Mídia e identidade feminina   mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...Mídia e identidade feminina   mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
Mídia e identidade feminina mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
Civone Medeiros
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
Antônio Fernandes
 

Semelhante a A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril (20)

Artigo - Os presidenciáveis.
Artigo - Os presidenciáveis.Artigo - Os presidenciáveis.
Artigo - Os presidenciáveis.
 
O texto publicitario_2015
O texto publicitario_2015O texto publicitario_2015
O texto publicitario_2015
 
Apresentação de Dissertação - Da brancura à sujeira
Apresentação de Dissertação - Da brancura à sujeiraApresentação de Dissertação - Da brancura à sujeira
Apresentação de Dissertação - Da brancura à sujeira
 
A construção da imagem do publicitário
A construção da imagem do publicitárioA construção da imagem do publicitário
A construção da imagem do publicitário
 
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
Apresentação sobre Redação Publicitária, de Carrascoza.
 
Redação e edição em revista abertura
Redação e edição em revista aberturaRedação e edição em revista abertura
Redação e edição em revista abertura
 
TEXTO DA HELOISA BUARQUE.pdf
TEXTO DA HELOISA BUARQUE.pdfTEXTO DA HELOISA BUARQUE.pdf
TEXTO DA HELOISA BUARQUE.pdf
 
O poder das palavras
O poder das palavrasO poder das palavras
O poder das palavras
 
Consumidoras e heroinas genero na telenovela
Consumidoras e heroinas genero na telenovelaConsumidoras e heroinas genero na telenovela
Consumidoras e heroinas genero na telenovela
 
EMPATIA - O QUE A BÍBLIA ENSINA SOBRE A EMPATIA
EMPATIA - O QUE A BÍBLIA ENSINA SOBRE A EMPATIAEMPATIA - O QUE A BÍBLIA ENSINA SOBRE A EMPATIA
EMPATIA - O QUE A BÍBLIA ENSINA SOBRE A EMPATIA
 
Bom bril os presidenciáveis
Bom bril   os presidenciáveisBom bril   os presidenciáveis
Bom bril os presidenciáveis
 
FIGURAS DE LINGUAGEM edição 2022.ppt português
FIGURAS DE LINGUAGEM edição 2022.ppt portuguêsFIGURAS DE LINGUAGEM edição 2022.ppt português
FIGURAS DE LINGUAGEM edição 2022.ppt português
 
Corpo e movimento
Corpo e movimentoCorpo e movimento
Corpo e movimento
 
O discurso do belo e do feio em reportagem do Bom Dia Brasil
O discurso do belo e do feio em reportagem do Bom Dia BrasilO discurso do belo e do feio em reportagem do Bom Dia Brasil
O discurso do belo e do feio em reportagem do Bom Dia Brasil
 
O nível discursivo no texto publicitário
O nível discursivo no texto publicitárioO nível discursivo no texto publicitário
O nível discursivo no texto publicitário
 
Coer encia coesao_intertextualidade
Coer encia coesao_intertextualidadeCoer encia coesao_intertextualidade
Coer encia coesao_intertextualidade
 
SOFISMAS DA ATUALIDADE
SOFISMAS DA ATUALIDADESOFISMAS DA ATUALIDADE
SOFISMAS DA ATUALIDADE
 
Storytelling - Técnicas de Redação em RP 2022
Storytelling - Técnicas de Redação em RP 2022Storytelling - Técnicas de Redação em RP 2022
Storytelling - Técnicas de Redação em RP 2022
 
Mídia e identidade feminina mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
Mídia e identidade feminina   mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...Mídia e identidade feminina   mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
Mídia e identidade feminina mudanças na imagem da mulher no audiovisual bra...
 
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
APOSTILA PREPARATÓRIA ENEM 2012. LINGUAGENS SUAS TECNOLOGIAS E SEUS CÓDIGOS.
 

Mais de Helia Coelho Mello

O discurso é a estrela
O discurso é a estrelaO discurso é a estrela
O discurso é a estrela
Helia Coelho Mello
 
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
Helia Coelho Mello
 

Mais de Helia Coelho Mello (20)

Progymnasmata um presente dos gregos
Progymnasmata   um presente dos gregosProgymnasmata   um presente dos gregos
Progymnasmata um presente dos gregos
 
IV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
IV Congresso da Sociedade Brasileira de RetóricaIV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
IV Congresso da Sociedade Brasileira de Retórica
 
Sofismas
SofismasSofismas
Sofismas
 
Redes sociais
Redes sociaisRedes sociais
Redes sociais
 
O debate que balança a palavra na rede
O debate que balança a palavra na redeO debate que balança a palavra na rede
O debate que balança a palavra na rede
 
O discurso é a estrela
O discurso é a estrelaO discurso é a estrela
O discurso é a estrela
 
A Retórica Desmascara o Discurso
A Retórica Desmascara o DiscursoA Retórica Desmascara o Discurso
A Retórica Desmascara o Discurso
 
Minicurso Enletrarte 2015
Minicurso Enletrarte 2015Minicurso Enletrarte 2015
Minicurso Enletrarte 2015
 
Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015Minicurso Enletrate 2015
Minicurso Enletrate 2015
 
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
DISSERTAÇÃO NÃO É PSICOGRAFIA. É PRECISO PLANEJAR.
 
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTADIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
DIMINUTIVO: O GRAU QUE AFAGA OU AFASTA
 
ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO
ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃOARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO
ARGUMENTAÇÃO COM DISPOSIÇÃO
 
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
FIGURA RETÓRICA: FLOR OU ESPADA?
 
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOSRETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
RETÓRICA: CHAVE DA LEITURA DE TEXTOS ARGUMENTATIVOS
 
Falácias
FaláciasFalácias
Falácias
 
Estratégias argumentativas1
Estratégias argumentativas1Estratégias argumentativas1
Estratégias argumentativas1
 
Coesão textual
Coesão textualCoesão textual
Coesão textual
 
Coerência textual
Coerência textualCoerência textual
Coerência textual
 
Recursos retóricos
Recursos retóricosRecursos retóricos
Recursos retóricos
 
Acordo Ortográfico
Acordo OrtográficoAcordo Ortográfico
Acordo Ortográfico
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 

Último (20)

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 

A Retórica das Mil e Uma Utilidades da Bom Bril

  • 1. A RETÓRICA DAS MIL E UMA UTILIDADES DA BOM BRIL Hélia Coelho Mello* *Universidade Estadual do Norte Fluminense- UENF . Bolsista Capes- Universidade do Porto- 2017- heliacoelho14@gmail.com
  • 2. Este trabalho analisa a importância dos recursos retóricos e argumentos presentes em alguns anúncios publicitários impressos da empresa Bom Bril veiculados em 24 contracapas de revistas brasileiras de 1997 até o ano de 2000, publicados no livro Soy Contra Capas de Revistas pela W/Brasil.
  • 3. Por haver uma quantidade muito grande de anúncios, escolhemos alguns textos nos quais o garoto propaganda da empresa, Carlos Moreno, representava pessoas públicas que eram do conhecimento das donas de casa do Brasil (público alvo da campanha publicitária da Bom Bril). Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 4. Os anúncios foram selecionados a partir do livro “Soy Contra Capas de Revistas”, publicado pela empresa responsável pela criação e divulgação dos anúncios, a W/Brasil. Nesse livro, 136 contracapas, publicadas de 1997 a 2000, foram compiladas. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 5. O que faz uma campanha publicitária fazer sucesso por tantas décadas?  Comunhão entre orador e auditório:  Bons argumentos.  Um apelo à emoção do auditório: figuras retóricas que são essenciais para provocar paixão pelo discurso persuasivo. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 6. A Retórica das Mil e Uma Utilidades A Retórica exerce o convencimento por meio de um discurso. Agimos retoricamente quando justificamos nossa posição em termos aceitáveis para nosso público (LOGOS) e nos identificamos com valores e interesses dele (ETHOS e PATHOS). Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 7. ARISTÓTELES e PERELMAN Segundo Aristóteles, somos convencidos pelo apelo ético do orador que empresta a sua credibilidade à venda do produto (ETHOS) e pela emoção (PATHOS) que nos é provocada pelo discurso. Chaïm Perelman afirma que o receptor é convencido pela escolha dos argumentos utilizados pelo enunciador (LOGOS). A comunhão também deve ser estabelecida entre o auditório e o orador. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 8. Ao abordar as qualidades das provas empregadas pela Retórica, Aristóteles (2005, p.96-97) afirma: “Persuade-se pelo caráter quando o discurso é proferido de tal maneira que deixa a impressão de o orador ser digno de fé. (...) Persuade-se pela disposição dos ouvintes, quando estes são levados a sentir emoção por meio do discurso, pois os juízos que emitimos variam, conforme sentimos tristeza ou alegria, amor ou ódio. (...) Persuadimos, enfim, pelo discurso, quando mostramos a verdade ou o que parece verdade, a partir do que é persuasivo em cada caso particular”. Universidade Estadual do Norte Fluminense- UENF.Bolsista Capes- Universidade do Porto- 2017
  • 9. ETHOS Garoto Bom Bril: um conquistador de auditórios O garoto Bom Bril, representado pelo ator Carlos Moreno, entrou para a história da publicidade brasileira como um caso único (encontra-se no Guiness Book) por ter sido de 1978 a 2004 o garoto-propaganda da empresa e voltado a ser em 2007, função que exerceu até 2011. Até abril de 2007, Moreno havia participado de 337 inserções como "Garoto Bom Bril". Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 10. Carlos Moreno- o garoto Bom Bril:
  • 11. Garoto Bom Bril: um conquistador de auditórios O “garoto Bom Bril” derrubou o modo autoritário e superior comum ao sexo masculino diante das mulheres no início da campanha. Tímido, cabisbaixo e simpático, Carlos Moreno fala, desde aquela época (1978), com as donas de casa de modo respeitoso e atencioso. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 12. Garoto Bom Bril: um conquistador de auditórios Na opinião de Washington Olivetto, em entrevista informal concedida em 2000, "por ser bem humano, como seu público, ele pode envelhecer no papel, não precisa ser substituído. Ele tem um conteúdo de realidade muito grande, então ele pode adquirir características cotidianas”. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 13. LOGOS A ARGUMENTAÇÃO LIMPA A teoria de Perelman esclarece sobre a comunhão e presença que devem ser estabelecidas entre o falante e o ouvinte. Todo discurso deve ser composto, pensando-se naqueles que irão ouvi-lo ou lê-lo. No discurso publicitário, o emissor deve escolher as premissas que poderão ser aceitas pelo auditório a que se dirige e, através da sua argumentação, convencê-lo da compra do produto. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 14. COMPARAÇÃO A análise da estrutura da comparação em um discurso nos permite traduzir a intenção argumentativa presente nos enunciados de um texto, fazendo-nos refletir sobre a ordem de preferência do sujeito enunciador e a força desses argumentos para a captação da adesão do interlocutor. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 15. “Bom Bril e Limpeza. Este casamento dá certo.” (setembro de 1999) A apresentadora de TV e modelo Adriane Galisteu protagoniza um casamento e um divórcio relâmpagos. Universidade Estadual do Norte Fluminense-
  • 16. ARGUMENTO POR COMPARAÇÃO É estabelecida uma comparação entre duas situações: a apresentadora de TV e modelo, Adriane Galisteu, protagoniza um casamento e um divórcio relâmpagos, mas o mesmo não ocorrerá entre os produtos da Bom Bril e a limpeza, já que eles nunca irão se separar. Universidade Estadual do Norte Fluminense
  • 18. ANALOGIAS Analogias estabelecem relação de similitude entre duas relações que unem duas entidades. A sua função é esclarecer o segundo termo de comparação pelo primeiro.
  • 19. “Bom Bril... Bom de cozinha e de copa também.” (maio de 1998)
  • 20. “Na cozinha, ninguém tem mais Ibope.” (Outubro de 1999)
  • 21. “Bom Bril. Toda mamãe gosta deste baixinho.” (Julho de 1998) .
  • 22. “Com Bom Bril a sujeira perde sempre”. (março de 2000)
  • 23. A linguagem sem ferrugem da Bom Bril – figuras retóricas Segundo Reboul (1998, p.114), “A figura só é de retórica quando desempenha papel persuasivo”, e, “se o argumento é o prego, a figura é o modo de pregá-lo”.
  • 24. TROCADILHO  Sua força persuasiva se dá devido ao fato de “facilitarem a atenção e a lembrança”, além de “instaurarem uma harmonia aparente, porém incisiva, sugerindo que, se os sons se assemelham não é por acaso.  Os trocadilhos “bom bril/ bom Bill”, “bombrileza/globeleza”,e “Popóderoso/ Popó poderoso” ilustram a força desta figura. Universidade Estadual do Norte Fluminense- UENF.Bolsista Capes- Universidade do Porto- 2017
  • 25. “As mulheres preferem Bom Bill. Quer dizer: Bom Bril.” (agosto de 1998)
  • 26. “Bom Bril. Popóderoso contra a sujeira”. (novembro- 1999)
  • 27. “Olha a Bombrileza aí, gente!” (fevereiro 1999)
  • 28. METONÍMIA O consumidor identifica os personagens representados pelo garoto propaganda através de traços metonímicos. Os dentes, a careca, o uniforme da seleção identificam Ronaldo; o cabelo e a barriga de grávida, Xuxa; a cor da pele, pintura no corpo moreno, a Globeleza; o cabelo preso, Louro José e o microfone, Ana Maria Braga; a luva de boxe, o lutador Popó; o macacão e capacete vermelhos, Rubinho Barrichelo.
  • 29. PERSONIFICAÇÃO Prosopopeia (ou personificação) é uma figura de linguagem caracterizada pela atribuição de características, ações e sentimentos próprios de seres humanos a seres inanimados e a seres irracionais.
  • 30. “Bom & Bril. Irmãos no brilho e na limpeza”. (outubro de 1999). “Bom & Bril” não são irmãos como Sandy e Júnior.
  • 31. “Ó coitada da sujeira!” (outubro de 1999) “Sujeira” não é um ser humano para que tenhamos pena dela.
  • 32. “Bom Bril e Limpeza. Este casamento dá certo.” (setembro de 1999)
  • 33. “Com Bom Bril a sujeira perde sempre.” (março de 2000). Quem perde sempre deveria ser Rubinho e não a sujeira, já que ela não é um corredor de Fórmula 1.
  • 34. CONSIDERAÇÕES FINAIS A Retórica pode ser uma esponja de aço eficiente para tirarmos a “ferrugem” das palavras e de argumentos gastos a fim de que os recursos retóricos usados nos discursos possam brilhar e atrair “consumidores” de nossas ideias.
  • 35. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ABREU, Antônio Suárez. A Arte de Argumentar. Gerenciando Razão e Emoção. 3.ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001. ARISTÓTELES. Retórica. 2ª edição, revista, Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2005. PERELMAN, Chaïm & OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da Argumentação - A Nova Retórica. trad .Maria Ermantina Galvão São Paulo: Martins Fontes, 1999 REBOUL, Olivier. Introdução à Retórica. São Paulo: Martins Fontes, 1998. Soy Contra Capas de Revistas/ W/BRASIL. São Paulo: Negócio Editora, 2000